Arquivo da tag: provocar

Contingenciamento ainda pode provocar “setembro negro” na UFPB

A reitora da Universidade Federal da Paraíba, Margarete Diniz, que recentemente foi a Brasília para audiência com o Ministro da Educação com o objetivo de discutir o contingenciamento no orçamento das universidades anunciado pelo Governo Federal voltou a demonstrar preocupação com a possível falta de recursos para a manutenção da instituição no segundo semestre.

De acordo com a reitora, se até o próximo mês de setembro os recursos que cabem à instituição não forem repassados pelo Governo Federal, o funcionamento da UFPB corre sérios riscos. “Nós estamos recebendo 10% de capital, que é a parte de investimento que nós tínhamos zero nessa rubrica. Estamos recebendo, mas ainda não chegou, R$ 1 milhão, para viabilizar as questões de acessibilidade e recebemos o financeiro para quitar 100% do que nós tínhamos liquidado”, explicou a reitora.

Margarete diz torcer que o corte não ocorra e que ao longo do segundo semestre os recursos seja repassados normalmente. “Torço que ao longo do ano seja descontingenciado, sob pena de não ó a UFPB, mas todas as instituições federais pararem. Recebemos a informação de corte, que depois se diz ser contingenciamento de 30%. Nesta situação, a universidade funciona até setembro”, revelou a reitora.

 

PB Agora

 

 

Colapso pode deixar 100 mil sem água na PB e provocar sérios problemas econômicos

Reprodução/Folha do Sertão
Reprodução/Folha do Sertão

A cidade de Sousa, no Sertão paraibano, deve entrar em colapso dentro de poucos dias. Isso, porque o nível do açude de São Gonçalo, principal manancial que abastece o município, atingiu o volume morto, estando com apenas com 9,8%, ou seja, 4,3 milhões de metros cúbicos (m³) da capacidade total de 44,6 milhões de m³. Segundo o presidente do Departamento de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental de Sousa (Daesa), Fernando Perisse, os cardumes de peixes devem morrer em alguns dias e será necessário até oito anos para o açude se restabelecer.

A situação é crítica e vem afetando as indústrias, plantações e o comércio local. O presidente da Daesa informou que técnicos da Agência Estadual de Gestão das Águas (Aesa), já relataram que a água vai se tornar imprópria para consumo humano dentro de algumas semanas, ocasionando um colapso não apenas no açude, mas em toda a cidade.

Uma das causas para o aprofundamento da crise hídrica na região seria a retirada ilegal de água do açude por parte de moradores que possuem chácaras na beira do São Gonçalo. “Existem pessoas que não sobrevivem da agricultura, mas que retiram água de maneira ilegal do açude para irrigar seus pomares particulares e realizar festas. Esse tipo de retirada é proibida quando o manancial atinge 20%, estamos com apenas 9,8%, e já atingimos o volume morto. Algo tem que ser feito, pois estamos a beira de um colapso”, afirmou Fernando Perisse.

Os moradores se apoiam em outorgas que dariam autorização para a retirada da água. Fernando Perisse informou que até os produtores de coco locais estão sem utilizar a irrigação através do açude desde 2013. “Eles se escoram em outorgas que autorizam a utilização da água, mas devemos lembrar que desde janeiro de 2013 os colonos da região estão proibidos de utilizar as águas para irrigação. Se até os colonos estão proibidos, esse pessoal que retira água de maneira irregular deveriam ser proibidos também”, explicou.

Segundo Fernando Perisse, o despejo de esgoto no São Gonçalo, proveniente de cidades vizinhas, também contribui na morte do açude. O esgoto contribui para o surgimento de microfloras, que, por sua vez, não permitem a entrada da luz do sol no fundo do açude, provocando a morte das algas mais profundas. Com isso, as algas apodrecem e liberam gases na água, causando baixa no nível de oxigênio e a mortandade dos cardumes.

O colapso também viria com a falência do comércio da região que vem sofrendo forte queda nas vendas devido à falta de água e a dificuldade de obtenção de renda da população. De acordo com Fernando, duas grandes indústrias de Sousa já estariam para fechar as portas pela grave crise hídrica e econômica, criando demissões em massa.

Medidas foram tomadas 

Na última terça-feira (20), uma reunião envolvendo o novo juiz da 8ª Vara Federal da cidade de Sousa, Bernardo Monteiro, o prefeito André Gadelha (PMDB), o presidente da Daesa, membros da Câmara de Dirigentes Logistas de Sousa (CDL), membros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), produtores rurais e a sociedade civil, discutiu medidas emergências a serem tomadas, como o cancelamento das outorgas de irrigação, para que o colapso no São Gonçalo seja evitado.

Na última quinta-feira (22), o juiz determinou o cancelamento das 56 outorgas que possibilitavam a utilização da água do São Gonçalo por pessoas físicas. Na decisão, o juiz Bernardo Ferraz determinou ainda que seja efetuada fiscalização ostensiva e imediata quanto às captações no Açude São Gonçalo. A multa para o descumprimento da decisão vai ser de R$ 5 mil.

CDL confirma comércio com dificuldades

O presidente da Câmara de Dirigentes Logistas de Sousa (CDL), Zilmar Leandro, confirmou que a situação do comércio é complicada e que duas indústrias da cidade podem vir a fechar as portas com a falta de água. “A situação é complicada. Temos recebidos reclamações dos lojistas, conhecemos as dificuldades e sabemos que as plantações de coco estão zeradas, sem renda nenhuma aos produtores. As pessoas estão sobrevivendo apenas do pagamento da prefeitura e do estado”, falou.

 

portalcorreio

Presidente do TRE alerta eleitores que compra ou venda de votos pode provocar prisão

sauloDurante o lançamento da campanha de conscientização “Voto vendido, povo vencido”, o presidente do Tribunal Regional da Paraíba (TER-PB), Desembargador Saulo Henriques de Sá e Benevides alertou os eleitores que a venda ou compra de votos pode provocar pena de prisão.

O magistrado disse ainda que a justiça irá utilizar os meios necessários para coibir os crimes eleitorais durante a campanha desse ano. “Lançamos esta Campanha para mostrar a importância do voto consciente aos eleitores. Vamos também incentivar e aprofundar o processo de fiscalização, bem como estimular o próprio eleitor a denunciar os crimes durante o processo eleitoral”, afirmou o presidente do TRE-PB.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O desembargador disse também que confirmada à denúncia de crime eleitoral, tanto o candidato, quanto o eleitor, poderá sofrer penalidades. “A pena vai depender do delito praticado, mas pode gerar, inclusive, prisão”, disse o magistrado.

Saulo Henriques de Sá e Benevides também fez um alerta os candidatos. “Nós esperamos que a classe política tenha em mente que a eleição se ganha com ideias e não com a compra de votos”, pontuou.

O evento foi promovido na sede do TRE-PB, na tarde desta terça-feira (15) por meio da Escola Judiciária Eleitoral da Paraíba (EJE-PB). A Campanha “Voto vendido, povo vencido” tem o intuito conscientizar o eleitorado paraibano quanto à importância do voto e à problemática da comercialização do voto por parte do eleitor.

Na ocasião, os instrutores da EJE-PB, Andréa Ribeiro de Gouvêa, Alexandre Basílio Coura, André Cavalcanti Soares e Eduardo Rangel Ribeiro, proferiram palestra sobre o combate à corrupção e à lavagem de dinheiro, fruto de uma capacitação promovida pelo Tribunal Superior Eleitoral da qual os mesmos participaram.

 

BLOGDOGORDINHO

Falta de sol pode provocar doenças cardiovasculares, osteoporose e câncer

Quem pensa que o sol só serve para deixar a pele com belo bronzeado está enganado. Ele é essencial à saúde e pode evitar diversas doenças, como raquitismo, em crianças, e osteoporose, em adultos. E a lista não para aí. Em longo prazo, a falta ou a deficiência de vitamina D (proveniente do banho de sol) poderá provocar doenças cardiovasculares, diabetes e até câncer.

Segundo Marise Lazaretti Castro da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia) e chefe de doenças metabólicas da Unifesp (Universidade de São Paulo), a vitamina D atua principalmente na saúde dos ossos e também na força muscular.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A falta ou deficiência de vitamina D pode provocar raquitismo em crianças e, no adulto, o aumento do risco de osteoporose e consequentemente maior risco de fraturas. Em longo prazo, a baixa deste nutriente aumenta o risco de câncer de cólon, mama e próstata, doenças cardiovasculares, como hipertensão, diabetes. Há estudos que também ligam a vitamina D à artrite reumatoide e esclerose múltipla, mas não há relação de causa e efeito.

Pesquisa recente realizada pela Unifesp mostra que, em São Paulo, 40% dos adultos e jovens estão com índice de vitamina D no corpo abaixo do valor considerado ideal. Já nos idosos, este número chega a 80%. E para aqueles que moram em casas de repouso, 80% tem falta ou deficiência. Segundo a médica, isso é reflexo da “falta de oportunidade das pessoas em poder viver ao ar livre”.

1cnza0mhxj_2154vp6fxp_file.jpg

— Como a vitamina D é produzida na pele com os raios de sol é necessário tomar banho de sol. E as dermatologistas vão achar ruim, mas para esse banho de sol deve ser sem filtro solar. Dez minutos por dia, com o sol mais forte, ou seja, entre 10h e 15h, são suficientes para repor.

Atenção, a regra de tomar sol todos os dias não vale para determinados grupos de risco, explica Marise.

— Pessoas em tratamento para osteoporose e que passaram por cirurgia bariátrica devem tomar cuidado porque a vitamina não é absolvida adequadamente. Outros dois grupos de risco são: pessoas que usam anti convulsante [por causa de crise de epilepsia] e quem sofre com câncer de pele. Estas pessoas precisam tomar suplemento.

O especialista em medicina preventiva e longevidade Fábio Cardoso explica a vitamina D também está presente em alimentos, principalmente peixes de água fria, mas a quantidade não é suficiente.

— Mas a quantidade é pequena e seria suficiente para fornecer apenas 20% das necessidades diárias. Além disso, estudos mostram que, nos últimos 30 anos, a concentração de nutrientes das frutas e vegetais caiu em torno de 50%. Isso acontece também com as carnes de animais que ingerimos, ricas em hormônios e cada vez menos nutritivas.

Sintomas e reposição

Apesar de alguns sintomas da falta de vitamina serem dor no corpo, fraqueza e desânimo, Marise explica que apenas um exame poderá dizer se o paciente tem ou não falta deste micronutriente.

— Mas basta a pessoa se fazer algumas perguntas: eu tomo sol todos os dias? Quanto tempo eu fico no sol? Estou com ou sem filtro? Quanto mais escura o tom de pele, mais difícil de adquirir vitamina. Vale destacar que a alimentação não traz suplementação deste nutriente.

Para quem está com falta ou deficiência de vitamina D, a alternativa é o suplemento, porém, esta reposição deverá ser acompanhada por um profissional, explica Marise.

— O ideal é a pessoa não se automedicar, mas procurar um profissional. Já vi casos de intoxicação por suplemento. No longo prazo, o excesso pode aumentar níveis de cálcio no sangue e a pessoa pode ter náuseas, vômitos, urinar muito e desidratação.

Importância dos micronutrientes

Além da vitamina D, é necessário cuidar também da reposição de outras vitaminas e também minerais. Valéria Goulart professora de nutrologia da Unifesp e membro da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia) afirma que estes micronutrientes são muito importantes para a manutenção da função metabólica do corpo. Dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) apontam que mais de dois bilhões de pessoas têm deficiências destes micronutrientes no organismo.

— O diagnóstico é muito difícil, mas os sintomas mais comuns são: dificuldades de memorização e aprendizado, queda de cabelo, unhas quebradiças, cansaço, baixa residência a doenças, falta de apetite, apatia, sonolência, mau humor e até irritabilidade.

No Brasil, a alimentação pouco saudável dos brasileiros tem reduzido a reposição de vitaminas e minerais do organismo, segundo analisa a médica. Segundo ela, cada vez mais, a população investe em alimentos fast food, rica em carboidratos e pobre em proteínas.

— Alimentação saudável com prato colorido é o ideal para repor a quantidade adequada de vitaminas e minerais. O ideal é ter legumes um de cada cor, por exemplo, batata, cenoura, tomate, além do arroz, feijão e proteínas, como a carne, de preferência magra.

180 Graus

 

Escova de dentes pode prevenir ou provocar doenças

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Para que a escova de dentes, junto com o creme e o fio dental, possa cumprir seu papel de desorganizar o biofime – placa bacteriana – é preciso cuidar bem dela. São poucos passos para escolher o melhor modelo e garantir que fungos, vírus e bactérias passem longe.

 

Na prateleira
O recomendado é pedir para o dentista indicar qual a escova ideal para o paciente. Na maioria das vezes, a escova com cerdas planas, pontas arredondadas, do tipo ultramacia, e sempre com uma grande quantidade de cerdas, atende as necessidades da higienização bucal. “Hoje, não existe mais indicação para escovas duras e médias, pois provocam abrasão do esmalte e retração gengival em longo prazo, a ultramacia é a única escova livre de traumas”, diz o cirurgião-dentista Hugo Lewgoy.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Dedique-se
Os dentes têm cinco lados que devem ser limpos. Se multiplicarmos pelo número de dentes – 32 –, serão 160 superfícies a serem higienizadas pela escova. Segundo o dentista Milton Sabino Fernandes, uma boa escovação deve ser feita de preferência olhando para o espelho para não deixar escapar nenhum detalhe, não é bom se distrair durante a higienização bucal. “Temos que ser rápidos e efetivos para a higiene não tomar muito tempo nas três ou quarto vezes ao dia que devemos higienizar nossa boca”, diz.

 

Escova limpa
Na hora de lavar a escova, é preciso usar bastante água corrente – sem passar o dedo nas cerdas – e retirar o excesso de água. O professor Paulo Nelson, da Faculdade de Odontologia USP, também recomenda borrifar antisséptico bucal, usado em bochechos, na cabeça da escova. Após a higienização, o ideal é guardar a escova em suportes abertos que fiquem em locais secos e ventilados. “Apenas quando borrifamos um antisséptico nas cerdas, a escova pode ser guardada no armário do banheiro”, indica Paulo Nelson.

 

Data de validade
Estima-se que a escova de dentes precisa ser trocada de três em três meses, mas esse prazo é completamente variável. Quando as cerdas estão gastas e abertas podem passar a machucar a gengiva. “É muito comum receber pacientes com problemas de retração gengival causada pelo uso de escovas de dente gastas”, diz a dentista Tatiane Machado Buscarilli, da clínica Sorridents. Quando isso ocorre, a gengiva se desloca e deixa a raiz dos dentes exposta. A consequência é a sensibilidade dentinária.

 

Beta
Terra

Possibilidade da Paraíba perder oito cadeiras acende sinal de alerta nas legendas e pode provocar ‘triagem’

assembleiaOs presidentes dos partidos políticos da Paraíba pensam em realizar uma ‘triagem’ entre os pretensos candidatos a deputado estadual e federal. É que tramita no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um pedido de redistribuição de vagas na Câmara Federal e nas Assembleias Legislativas do País. Caso a proposta entre em vigor, a Paraíba perderá seis parlamentares estaduais e dois federais.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A mudança também pode afetar a composição das coligações, pois exigirá mais votos para conquistar uma vaga nas Casas Legislativas, por causa do aumento do quociente eleitoral. “Se houver a redistribuição, teremos que fazer uma seleção, por conta do número de candidatos que o partido pode ter”, disse o presidente do PRB, o deputado estadual, Jutay Menezes. Ele é um dos que acreditam que pode haver mudanças nas composições das coligações. “As legendas vão preferir fazer alianças com os partidos que compõem a majoritária para eleger o maior número de deputados”, afirmou.

 

O vice-governador Rômulo Gouveia, que preside o PSD estadual, compactua do mesmo pensamento de Jutay Menezes, mas prefere aguardar o julgamento do processo antes de tomar um posicionamento. “Precisamos pensar na triagem somente quando a redistribuição se concretizar, para não considerar o fato como consumado”.

 

Rômulo Gouveia embrou que há quatro anos, havia esse mesmo movimento em defesa da redistribuição das vagas, e isso não se concretizou. “Temos que lutar para que isso não aconteça. Porque seria um prejuízo grande tanto por causa das verbas das emendas parlamentares como pela representatividade eleitoral do Estado no cenário nacional”, ressaltou.

 

 

Fonte: Com Jornal Correio

Uso prolongado de aspirina pode provocar um tipo de cegueira, diz pesquisa

aspirinaPessoas que tomam aspirina por muitos anos, como pacientes cardíacos, por exemplo, são mais suscetíveis a desenvolver um determinado tipo de cegueira, revelaram cientistas.
Um estudo com 2.389 pessoas, publicado na revista científica JAMA Internal Medicine, indicou que o uso prolongado do ácido acetilsalicílico, principal substância do medicamento, dobra os riscos do surgimento da forma úmida da degeneração macular relacionada à idade.
A doença deteriora a chamada retina central, ou mácula, causando perda de visão no centro do campo visual do paciente.
Os pesquisadores, entretanto, não souberam dizer quais mudanças seriam necessárias na ingestão do remédio para evitar a cegueira.
O estudo, conduzido na Universidade de Sydney, na Austrália, reuniu participantes com idades em torno de 65 anos. Um a cada dez deles usava o medicamento pelo menos uma vez por semana.
Os pacientes foram submetidos a testes oftalmológicos a cada cinco, dez e 15 anos.
Ao final do estudo, os pesquisadores concluíram que 9,3% dos pacientes que tomavam aspirina desenvolveram o tipo úmido da degeneração macular relacionada à idade, contra uma taxa de 3,7% entre os pacientes que não faziam uso da medicação.
Segundo o relatório, “o aumento do risco da forma úmida da degeneração macular relacionada à idade foi detectado apenas 10 ou 15 anos depois, indicando que a dose prolongada tem um papel importante”.
“Dado o uso generalizado da aspirina, qualquer risco de condições anormais será significativo e afetará muitas pessoas.”
A forma úmida da degeneração macular relacionada à idade é causada pelo crescimento dos vasos sanguíneos. Isso provoca o inchaço e o sangramento da retina.
O processo pode acontecer muito rapidamente, com a visão sendo danificada em dias. Idade, fumo e histórico familiar são os principais fatores de risco.
Alto risco
Já há relatos na literatura médica dos riscos da aspirina, como os sangramentos internos. Para a equipe que conduziu o experimento, o risco de dano à visão “também deve ser considerado”.
Os pesquisadores reconheceram, no entanto, que para a maior parte dos pacientes, há “pouca evidência” para mudar a prescrição do medicamento.
Eles também indicaram que o uso da droga seja reavaliado em pacientes de alto risco, como aqueles que já possuem a doença em um de seus olhos.
Segundo o professor Jie Jin Wang, especialista em olhos da Universidade de Sydney, a descoberta pode fazer com que os médicos rediscutam a ingestão do medicamento com seus pacientes.
A Macular Society, entidade britânica ligada à área, disse: “A evidência está aumentando sobre a associação da aspirina e da forma úmida da degeneração macular; entretanto, ainda há um longo caminho a percorrer neste tema.”
“Para pacientes que sofrem de cardiopatias, os riscos para a saúde com a interrupção ou não prescrição da aspira são muito maiores do que o desenvolvimento da doença ocular.”
“Pacientes que estão tomando aspirina não devem interromper seu uso antes de falar com seus médicos.”
 Uol

 

Excesso de gordura abdominal pode provocar disfunções sexuais

O ganho de peso, especialmente em função da gordura que fica acumulada no abdome, pode não só desencadear doenças cardíacas e problemas metabólicos, mas também aumentar as chances de um homem sofrer disfunções sexuais e urinárias. Estudo realizado pelo Hospital Presbiteriano de Nova York, nos Estados Unidos sugere, pela primeira vez, que emagrecer pode ajudar a evitar complicações como micção frequente e disfunção erétil.

De acordo com os resultados, publicados na edição do mês de agosto do periódico British Journal of Urology International (BJUI), reduzir a medida da circunferência abdominal em seis centímetros já melhora de maneira significativa a incidência desses problemas entre o sexo masculino.

A pesquisa se baseou em dados de 409 homens de 40 a 91 anos de idade que haviam apresentado algum sintoma no trato urinário inferior (STUI) — por exemplo, dificuldade em urinar e incontinência urinária, que são problemas comuns entre homens mais velhos.

De acordo com os autores, uma maior circunferência abdominal foi associada a um maior número de vezes em que um individuo urina no dia: 39% dos homens com as maiores medidas do abdome urinavam oito vezes em um período de 24 horas e 44% precisavam ir ao banheiro ao menos duas vezes durante a noite. Esses índices foram de 16% e 15%, respectivamente, entre aqueles com as menores circunferências abdominais.

Problemas no sexo

Em relação a complicações de ordem sexual, 75% dos homens do grupo com as maiores medidas do abdome apresentavam disfunção erétil e 65% sofriam problemas de ejaculação precoce. Já entre os participantes com as menores cinturas, essas porcentagens foram de 32% e 21%, respectivamente.

“Os resultados demonstram que a obesidade entre homens afeta o bem-estar deles de maneira profunda”, diz Steven Kaplan, coordenador do estudo. De acordo com o pesquisador, não é possível afirmar que a obesidade provoca diretamente problemas de ordem sexual e urinária, mas sim que as alterações hormonais e de fluxo sanguíneo provocadas pelo excesso de peso contribuem para essas complicações.

“Essas evidências contribuem para a recomendação de que os homens devem manter um peso saudável para garantir uma boa saúde em geral”, sentencia.

Veja

Uso inadequado de produtos de beleza pode provocar danos à saúde

Por trás do forte apelo de consumo presente no mercado de cosméticos para a busca da beleza de homens e mulheres podem estar escondidos alguns perigos para a saúde. O alerta foi feito pela farmacêutica Rita de Cassia Dias, responsável pelo Grupo de Vigilância Sanitária em Cosméticos.

“É importante certificar-se de que o produto tem procedência legal ou que seja registrado no Ministério da Saúde por meio da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]”, diz a farmacêutica. Ela alerta que é preciso ter muito cuidado para não cair na armadilha de produtos clandestinos em oferta, sem a devida supervisão de profissionais especializados.

Rita de Cássia ressalta que o uso inadequado de alguns produtos, mesmo que regulamentados, pode também trazer problemas para o consumidor. É o caso, por exemplo, cremes utilizados sem orientação médica para descamação da pele à base de ácido retinoico, que, segundo a farmacêutica, podem provocar até queimaduras fortes de segundo grau.

Ela informou que irritações e alergias estão entre os principais efeitos do uso inadequado de cosméticos apontados em 120 notificações analisadas pela Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo. Reações como essas foram relatadas por médicos, serviços de saúde e consumidores em 60% das notificações registradas no Centro de Vigilância Sanitária.

Vermelhidão e coceira aparecem em 35% das notificações e queimaduras, em 8%. Mais da metade (54%) dos problemas decorrentes do uso de cosméticos referem-se a agressões à pele, aos olhos e a outras partes do corpo, incluindo cabelos e unhas. Há registro também de reclamações contra alisantes e produtos para hidratação e maciez dos cabelos; protetores solares, fraldas descartáveis, desodorantes e cremes antirrugas e anticelulite.

“Foi possível perceber que as reações por cosméticos são causadas, sobretudo, pelo livre acesso das pessoas aos produtos, pelo uso inadequado e/ou precoce, pela mistura de diferentes apresentações e pela crença de que cosméticos não fazem mal à saúde”, destacou Rita de Cassia .

Segundo a Secretaria de Saúde, na maioria das notificações, não foram detectados casos graves. Ainda assim, a farmacêutica aconselha os consumidores a suspender o uso do produto, ao menor sinal de que ele esteja provocando alguma reação no organismo. Se a pessoa notar um sintoma mais agressivo, deve procurar imediatamente um médico.

Notificações para a Vigilância Sanitária podem ser feitas por meio do endereço eletrônico www.cvs.saude.sp.gov.br.

Agênciabrasil.com