Arquivo da tag: provar

Criança filma avô para provar à família que era estuprada pelo idoso: ‘Tá aí, mãe, a prova’

Imagem ilustrativa

Um idoso foi preso nesta quinta-feira (21) suspeito de estuprar a própria filha e a neta no município de Guaiúba, Região Metropolitana de Fortaleza. Conforme o delegado Francisco Cavalcante, a neta, uma criança, gravou o criminoso se masturbando e denunciou para a mãe, que também era violentada desde os 10 anos de idade.

A Polícia Civil realizou a prisão após a neta flagrar o avô sem roupa e se masturbando em casa. O delegado contou que a criança pegou o celular da avó escondido e mandou um áudio para a mãe, denunciando o que acontecia quando estava sozinha com o avô. A família das vítimas teve acesso ao vídeo e ao áudio feito pela garota e denunciou o caso à polícia.

A garota contou à polícia que o vídeo era a única forma de fazer com que os adultos acreditassem que o idoso praticava os abusos. A mãe da menina disse que percebeu a garota triste e amedrontada, mas ela nunca havia falado sobre as agressões.

“Tá aí mãe a prova, a prova. Sabe o que é essa prova? É o que o vovô fica fazendo comigo, sabia? É isso que o vovô fica fazendo comigo e quando ele tá aqui eu não posso falar nada. Agora eu estou escondida falando dele”, contou a criança na mensagem enviada à mãe.

Medo de denunciar

O delegado Francisco Cavalcante comentou que a família já desconfiava do crime, mas tinha medo do suspeito. Na denúncia, a mãe da criança revelou que sofria abusos do pai desde que tinha 10 anos.

Ela contou aos investigadores que o criminoso obrigava os filhos a assistirem filmes pornográficos e olharem ele se masturbando. O homem também dominava as vítimas e as obrigava a tocarem nos seus órgãos genitais.

“Ele praticava esses crimes em casa, na ausência da mulher. A família tinha medo e a esposa nunca soube o que de concreto acontecia. Foi a coragem da criança que o denunciou”, comentou o delegado.

Estupro e pedofilia

O suspeito foi conduzido para a Delegacia Metropolitana de Guaiúba, onde foi autuado pelos crimes de estupro de vulnerável e pedofilia. O delegado entrou com um pedido de prisão preventiva para reconduzir o idoso ao presídio.

A polícia ouviu depoimento das vítimas e encaminhou a criança e a mãe para atendimento psicológico. O delegado acrescentou que segue investigando para identificar outras vítimas do idoso no município.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Segurado deve provar que está vivo para continuar com benefício do INSS

Os beneficiários do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) são obrigados a fazer a prova de vida e a renovação de senha bancária para evitar que o benefício seja suspenso e o pagamento bloqueado. De acordo com o órgão, não há limite de idade para o procedimento, que é anual.

Para se recadastrar, o segurado precisa ir à agência bancária em que recebe o pagamento e apresentar um documento com foto. Por motivos de segurança, alguns bancos também adotam sistema de biometria, mas o procedimento é facultativo. Todo o procedimento é feito junto aos bancos, não é necessário,portanto, comparecer em uma agência do INSS.

As datas de convocação para a renovação de senha/prova de vida são estabelecidas por cada banco, que são responsáveis pela divulgação e convocação dos segurados.

Em caso de impossibilidade por doença ou dificuldade de locomoção, o procedimento deve ser realizado por um procurador previamente cadastrado no INSS. Quem reside no exterior também precisará fazer a prova de vida por meio de um procurador ou através de documento emitido pelo consulado brasileiro.

Para os segurados impossibilitados de irem ao INSS cadastrar um procurador, é necessário que o seu representante compareça à agência munido de Procuração registrada em Cartório e apresente o atestado médico que comprove a impossibilidade de locomoção do beneficiário, além dos documentos de identificação do procurador.

Alexandre Freire do Portal Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Claúdio Lima diz que Cássio não tem ‘moral’ para falar de segurança: ‘o que eu digo, posso provar’

claudio-limaSecretário de Segurança e Defesa Social da Paraíba, Cláudio Lima, lamentou a postura do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) sobre a violência em Campina Grande, afirmou que no tempo que Cássio foi governador a situação de violência era pior que hoje mesmo com mais homens na polícia e população menor: “O que eu digo posso provar, mas tirar proveito do caos? A eleição passou!”.

Em entrevista ao programa Rádio Verdade da Arapuan FM, nesta sexta-feira (15), o secretário reclamou do grande número de ocorrências falsas em Campina Grande na quarta-feira (13). Lima garantiu que em nenhum momento a Polícia Militar pediu para os ônibus pararem e reclamou que as notícias falsas são um desserviço para a população.

Lima foi incisivo nas críticas principalmente ao senador Cássio Cunha Lima (PSDB). Baseado em dados expostos no livro “Panorama dos Homicídios no Brasil”,  o secretário afirmou que na época do Senador “foi onde mais aumentou os homicídios”. “Não sou eu quem digo”, afirmou. O livro do cientista político, doutor pela Universidade Federal de Pernambuco e professor da Universidade Federal de Campina Grande, José Maria Nóbrega Júnior, faz um comparativo ao efetivo e aumento da criminalidade. De acordo com Lima, o livro trata do aumento dos homicídios principalmente de 2004 a 2009 na Paraíba, enquanto houve no mesmo período um incremento no efetivo policial que chegou a ser 10 mil homens. “No início do nosso governo tínhamos 1700 policias”, lembrou o secretário afirmando que o governo contratou e atualmente mesmo com a deficiência o estado conseguiu diminuir o número de homicídios em 2012.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Para Lima, Cássio não tem moral para falar de segurança. “Esse discurso não pega mais se não quiser acreditar achar que é dado falso, peguem um órgão sério e busquem saber. Não vão fazer afirmativa inverídica, sem fundamento nem prova. A criminalidade foi crescente até 2011 porque apuramos e temos dados, dizer que aumentou e não ter prova. O que eu digo eu posso provar, mas tirar proveito político do caos? A eleição passou!”, reclama.

Lima também comentou as declarações do deputado estadual, Bruno Cunha Lima (PSDB) que saiu em defesa de seu tio, o senador Cássio, no programa Rádio Verdade desta quinta (14) e pediu que o tucano se “debruçasse” sobre a política da família dele e que verifique como era em 2003 onde eles tinham mais policiais e a população era menor.

O secretário afirmou que os dados apresentados pelo estado são verdadeiros, pois se não fossem, estaria cometendo um crime e Ricardo Coutinho (PSB) não permitiria que escamoteassem dados.

Marília Domingues

Sem emprego ou aposentadoria, idoso tenta provar na PB que está vivo

idosoSem conseguir um emprego ou ter direito a aposentadoria, o marceneiro Bento Henrique Alves, 65 anos, tenta provar que está vivo. Ao dar entrada no pedido do benefício no Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS), o idoso descobriu que foi declarado morto há cerca de 20 anos. A Defensoria Pública acionou a justiça da Paraíba para anular a certidão de óbito.

A suposta morte natural dele foi declarada e autenticada em cartório. Segundo o juiz Hely Jorge Trindade, que vai julgar o processo na 2ª Vara Cível de Campina Grande, foi feita a citação dos envolvidos (a ex-mulher do marceneiro e o responsável pelo cartório que emitiu a certidão). Em seguida, serão analisadas as versões apresentadas.

O idoso conta que foi casado em Campina Grande por três anos. Há 30 anos foi embora morar em outro estado e, ao completar 65 anos e dar entrada no pedido de aposentadoria por idade no INSS do Rio de Janeiro, descobriu que estava “morto”.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

“Abri conta em banco no Rio de Janeiro e em Recife (PE), votava em toda eleição e nunca constataram nada. Só o INSS disse que eu estou morto”, disse o idoso. Segundo o homem, a ex-mulher disse que acreditava que ele estava morto. O cartório emitiu certidão com data, hora, local e até cemitério de sepultamento. No documento consta como se o marceneiro tivesse falecido de morte natural, dentro de casa.

A Defensoria Pública pede a anulação da certidão e, agora, o idoso tenta sobreviver sem dinheiro, sem emprego, por não ter documentos; e sem apoio da família. “Se alguém me der vida, eu consigo viver”, declarou o marceneiro.

 

Do G1 PB

Acusações de fraude na eleição da ALPB são ‘absurdas’ e Tião ‘tem que provar o que está dizendo’, afirmam deputados de oposição

bruno-cunha-limaOs deputados de oposição na Assembleia Legislativa da Paraíba reagiram às declarações de Tião Gomes (PSL) de que o deputado Ricardo Marcelo (PEN) poderia estar preparando uma fraude para a eleição de domingo. Tião chegou a dizer que Ricardo Marcelo poderia ter contratado um hacker de São Paulo para fraudar o processo.

A deputada Camila Toscano (PSDB) considerou um absurdo a fala do deputado governista. A bancada que está sendo conhecida como “grupo dos seis” declarou seu voto em Ricardo Marcelo na eleição para a Presidência da Mesa. Ela diz serem infundadas as declarações de Tião.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Não faz qualquer sentido, e não há nenhum interesse nisso. Isso nem sequer se pode cogitar. É uma eleição de quórum pequeno. Não há nem espaço para isso”, declarou a deputada.

“Não há vínculos entre as declarações de Tião e a realidade. São verdadeiros equívocos exagerados”, disse Tovar Corrêia Lima (PSDB), que também se sentiu incomodado pelas declarações do deputado governista.

Já o deputado Bruno Cunha Lima (PSDB) disse que acredita na boa índole dos 36 deputados estaduais e que nem Adriano Galdino (PSB) e nem Ricardo Marcelo se dariam a este trabalho.

“Se precisamos contestar uma eleição de uma casa legislativa de 36 deputados, então tem alguma coisa errada no processo”, declarou.

Ele ainda frisou o fato de que as acusações feitas por Tião são muito sérias e devem ser provadas.

“O ônus da prova cabe a quem acusa. O que ele falou é muito sério. Não é uma acusação política, mas pessoal. Ele está acusando Ricardo Marcelo de cometer um crime, e ele precisa provar isso”, disse Bruno.

João Thiago