Arquivo da tag: protesto

SOS Transposição reúne lideranças políticas em protesto contra cortes nas obras dos canais na PB

Neste domingo (1º) lideranças políticas da Paraíba e de diversos estados estarão em Monteiro para fortalecer o protesto SOS Transposição. O evento condena o abandono por parte do governo federal da maior obra hídrica da história do Nordeste e que, se concluída beneficiará, mais de 12 milhões de pessoas dos Estados da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará.

A manifestação, batizada como SOS Transposição, está sendo coordenada pelo ex-governador Ricardo Coutinho (PSB).

O ato tem levantado o debate sobre as condições da Transposição do Rio São Francisco e a falta de água pelos canais, além da gestão do problema. Além disso, há quem acuse a manifestação de ser meramente um ato político.

Há quase seis meses as águas da transposição deixaram de ser bombeadas para o Rio Paraíba, prejudicando o abastecimento de água de 44 municípios da Paraíba e Pernambuco.

Além do ex-governador Ricardo Coutinho e prefeitos da região, alguns políticos paraibanos marcarão presença.  Dos três senadores da Paraíba, Veneziano Vital do Rêgo estará em Monteiro. Dos 12 deputados federais, Gervásio Maia (PSB) e Frei Anastácio (PT) confirmaram a participação no ato.

Cinco deputados estaduais estarão em Monteiro: Estela Bezerra, Cida Ramos, Jeová Campos e Buba Germado, todos do PSB, além de Chió (Rede).

Ainda são esperadas as participações da presidente nacional do PT, Gleise Hoffman, e do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

 

clickpb

 

 

UFPB, UFCG e UEPB paralisam aulas em protesto pela educação

Professores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) vão parar as atividades nesta terça-feira (13) em adesão ao Dia Nacional de Greve da Educação, que se manifesta contra o programa Future-se, do Governo Federal, e a favor de pautas sociais.

Em João Pessoa, os professores da UFPB vão promover uma manifestação a partir das 14h em frente ao Lyceu Paraibano, Centro da Capital.  Do Lyceu, os manifestantes vão seguir em passeata pelo Centro até o Ponto de Cem Réis. Estão programadas apresentações culturais com a participação de artistas locais.

UFCG e UEPB

Em Campina Grande, professores e estudantes da UFCG e da UEPB vão promover uma manifestação conjunta a partir das 8h em frente ao portão principal da UFCG. Em seguida, ocorrerá um ato público em frente a Reitoria da universidade e às 9h30 sairão em marcha até a Praça da Bandeira, para uma manifestação a partir das 10h30.

 

portalcorreio

 

 

‘Estava no exercício do meu mandato’, diz Cida sobre uso de veículo oficial em protesto

A deputada estadual Cida Ramos (PSB) foi flagrada na manhã desta sexta-feira (14) participando de protestos da Greve Geral nos Bancários, bairro de João Pessoa. De acordo com imagens que circulam pelas redes sociais, a socialista estaria usando um carro alugado pelo governo do Estado para trancar uma das principais ruas do local.

“Primeiro eu quero deixar claro que estou no execício do meu mandato, eu fui eleita e esse pelo povo paraibano e eu estou no meu compromisso de campanha. Seria estranho se eu não estivesse na luta porque é a minha trajetória, eu venho das lutas sociais, o meu mandato levou essa mensagem de ampliação de direitos”, declarou.

Foto: Reprodução

Em entrevista concedida ao programa de rádio Arapuan Verdade, Cida lembrou que lidera uma frente parlamentar em defesa da Previdência Social e contra as reformas sugeridas pelo governo federal e garantiu que não estava cometendo nenhum erro ao utilizar o veículo oficial para protestar contra as mudanças.

“Nada mais correto do que eu estivesse na luta com os trabalhadores, não estava escondida. Quem tirou a foto e publicizou só fez algo que todo mundo já sabia, que eu estava nas ruas desde as 4 horas. É um direito do mandato como deputado e eu vou continuar fazendo sempre isso”, disse.

A parlamentar arrematou: “isso é um factoide criado por quem não tem coragem de discutir, de debater a política econômica do nosso país. São essas pessoas que defendem os bancos e grandes empresas. Estarei à tarde na mesma luta e aproveita para convocar todos às 15 horas na Lagoa em ato público”.

Yves Feitosa/Felipe Nunes

 

 

 

Em Mamanguape: BR 101 é interditada por protesto de indígenas

Um trecho da BR 101, no município de Mamanguape, foi interditado por indígenas, na manhã desta quarta-feira (27), que protestam contra o desmantelamento da Fundação Nacional do Índio, a Funai, na gestão do presidente Jair Bolsonaro.

O grupo, formado por aproximadamente 50 pessoas, colocou troncos na rodovia para impedir o tráfego de veículos.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) está no local.

Segundo os manifestantes, o grupo se posiciona,.sobretudo, contra a transformação da Secretaria de Saúde Indígena (SESAI) em um simples departamento dentro do Ministério da Saúde.

Não há informações sobre liberação do tráfego de veículos na rodovia.

 

PB Agora

 

 

Em protesto, motoristas de ônibus de CG paralisam atividades

Na manhã desta quinta-feira (14), os motoristas de ônibus de Campina Grande fizeram uma paralisação de advertência durante duas horas.

De acordo com informações do Sindicato de Motoristas de Ônibus da cidade, o motivo da paralisação é que as empresas de ônibus não estão realizando o pagamento da categoria de forma regular.

Os motoristas estariam sem receber reajuste de salário desde o ano passado.

No próximo dia 21 caso não tenham recebido o pagamento, os motorista declararam que irão realizar uma nova paralisação, deste vez por tempo indeterminado.

PB Agora

 

 

Integrante do MST é baleada em protesto na Paraíba contra prisão de Lula

Desde as primeiras horas da manhã que diversos movimentos sociais realizam bloqueios em diversos trechos das BRs na Paraíba e num desses pontos de bloqueio uma militante foi baleada.

De acordo com o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), a militante Lindinalva Pereira de Lima, foi baleada nas imediações de Mata Redonda, Litoral Sul da Paraíba. Ele contou que uma pessoa furou o bloqueio e atirou, acertando a militante na perna.

O homem estava em um Jipe, vindo no sentido Pernambuco-Paraíba e os manifestantes estavam liberando a passagem apenas para ambulâncias, carros da polícia e com pessoas doentes. O acusado insistiu e passou por cima do bloqueio, os manifestantes começaram a arremessar pedras então ele sacou a arma e atirou.

A vítima foi encaminhada para o Hospital de Emergência e Trauma da Paraíba.

protesto na 230, km 52, Pedras de Fogo; e na 101,  km 110, Santa Rita
Via Oeste praticamente parada sentido BR > Centro

Marília Domingues

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Protesto contra prisão de Lula fecha trecho da BR 230, na Paraíba

Integrantes do Movimento Sem Terra, na Paraíba, bloquearam trechos da BR 230, na manhã desta sexta-feira (06). O grupo queimou pneus para interditar as estradas e os motoristas estão tendo de retornar.

Em alguns pontos a fila de congestionamento já chega a 1 km.

Segundo informações, há protestos entre Cruz do Espírito Santo e Santa Rita e na entrada de Pedras de Fogo.

O MST pretende realizar uma série de atos nesta sexta-feira pelo país como reação à decretação da prisão de Lula tendo como principal foco será o fechamento de rodovias.

O objetivo é impedir a circulação em 85 estradas.

 

PB Agora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Trechos da BR-101 e BR-230 na PB são interditados pelo MST em protesto

Manifestante bloqueiam trecho da BR-230 no distito de Café do Vento, na Paraíba (Foto: Walter Paparazzo/G1)

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) interditaram dois trechos das BRs 101 e 230 na Paraíba em uma manifestação de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no início da manhã desta terça-feira (23). De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as interdições são no km 110 na BR-101 e no km 53 da BR-230, entre a cidade de Santa Rita, na Grande João Pessoa e o posto da PRF em Café do Vento, distrito da cidade de Sobrado.

Ainda de acordo com a PRF na Paraíba, até as 8h15 (horário local), os dois trechos das rodovias federais estavam interditados no estado. Outro ponto da BR-101, no km 9, mas em Goiana, em Pernambuco, também foi fechado pelos manifestantes.

A PRF não informou a motivação do protesto, mas de acordo com uma das integrantes da manifestação, a mobilização é em defesa da candidatura do ex-presidente Lula, que vai ser julgado no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, no Rio Grande do Sul, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

“Estamos aqui defendendo a candidatura de Lula, pela democracia. Estamos nos manifestando de forma pacífica e ordeira e fazendo liberações pontuais para carros com idosos ou crianças, assim como ambulâncias”, explicou a manifestante identificada como Eva Wilma.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Enfermeiros da PB organizam protesto contra decisão que restringe atuação na Atenção Básica

 O Conselho Regional de Enfermagem realiza nesta terça-feira (17), a partir das 14h uma manifestação contra a decisão judicial que restringiu a atuação da enfermagem na atenção básica.

As manifestações acontecem em todo o Brasil e em João Pessoa, a concentração está marcada para acontecer no Cassino da Lagoa.

O protesto é contra a decisão liminar da Justiça Federal que proibiu que enfermeiros possam requisitar exames durante os atendimentos. A ação foi interposta pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) que alegou que “a Portaria nº 2488/2011 do Ministério da Saúde permite, indevidamente, que enfermeiros realizem consultas e exames, usurpando, assim, as atribuições do profissional médico, único habilitado para realizar consultas, exames e prescrever medicamentos”.

O juiz da 20ª Vara da Justiça Federal de Brasília, Renato Borelli, deferiu a tutela antecipada para suspender parcialmente a portaria, “tão somente na parte que permite ao enfermeiro requisitar exames, evitando, assim, que realizem diagnósticos sem orientação médica”.

De acordo com o Coren/PB, essa liminar afeta diretamente o diagnóstico precoce de algumas doenças, como as infecções sexualmente transmissíveis, sífilis congênita e outras anomalias para o bebê e a mãe, e tuberculose, por exemplo, já que os enfermeiros não vão poder mais solicitar exames.

Veja a nota na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE DECISÃO LIMINAR SOBRE A PROIBIÇÃO DA SOLICITAÇÃO DE EXAMES

O Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba (Coren-PB) vem a público reiterar a orientação do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) acerca da decisão liminar deferida, no dia 20/09/2017, pela 20ª Vara/DF em processo movido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Esclarecemos que, nesta quarta-feira (04/10), o juiz que assinou a liminar autorizou ao Cofen o ingresso no processo. A partir de agora, será solicitada a reconsideração da decisão.

Diante dos questionamentos, o Cofen elucida que a Lei 7.498/1986, que regulamenta o exercício da Enfermagem, encontra-se em plena vigência, sendo privativa do enfermeiro a realização de consultas de Enfermagem e “a prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela Instituição de Saúde”.

A solicitação de exames de rotina e complementares é realidade consolidada no Brasil desde 1997, quando foi editada a Resolução Cofen 195/97 (em vigor), contribuindo para a melhoria da qualidade da assistência à Saúde da população brasileira.


A restrição imposta pela decisão liminar proferida no processo movido pelo CFM prejudica a efetividade do atendimento na Atenção Básica e no pré-natal de baixo risco, atrasando ou inviabilizando exames essenciais como VDRL, em um momento crítico no qual o Brasil enfrenta uma epidemia declarada de sífilis, associada a complicações graves, inclusive cegueira e morte neonatal.

O atendimento realizado por enfermeiros (as), dentro dos protocolos de saúde pública, nas linhas de cuidados prioritárias na atenção primária em saúde (APS), vigentes hoje no Brasil, tais como: doenças crônicas não -transmissíveis (HAS e DM), tuberculose, hanseníase, saúde da mulher (rastreio para CA de colo de útero e mana – citologia e mamografia), abordagem sindrômica para as ISTs dentre elas sífilis. Estas ações sofrerão descontinuidade na assistência, além de ferir um princípio básico do SUS, a acessibilidade do usuário, apenas para garantir uma reserva de mercado para a categoria médica brasileira, causando prejuízos graves à população

Desse modo, zelando para que a Enfermagem se resguarde de possível responsabilização Ética e Administrativa, o Coren-PB orienta que, enquanto perdurar a tramitação do processo da decisão liminar, as demandas assistenciais relacionadas à solicitação de exames, incluindo testes rápidos para HIV, hepatites e sífilis não sejam realizadas pelos enfermeiros e encaminhadas à direção de cada Distrito Sanitário, para que seja assegurada a continuidade do tratamento de saúde da população.

Solicitamos ainda, que notifiquem ao Coren-PB através da nossa ouvidoria (corenpbouvidoria@uol.com.br), todas as situações e circunstâncias que acarretem a descontinuidade na atenção aos usuários em decorrência desta decisão, para que possamos junto ao Cofen subsidiar no contraditório da liminar.

 Paraíba.com

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Catarinense que teve a mão dilacerada em protesto havia ido com caravana a Brasília, diz IFSC

O jovem catarinense que teve a mão ferida durante os atos contra o governo federal na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, na tarde de quarta-feira (24), havia viajado para a capital federal com uma caravana organizada por movimentos sociais e estudantis, informou o Instituto Federal Catarinense (IFSC) de Araranguá, no Sul do estado, onde ele estuda.

Segundo policiais no local, durante as manifestações ele tentou atirar rojão contra PM, mas o objeto estourou antes. O jovem passou por uma cirurgia na mesma tarde e teve três dedos amputados, segundo o instituto.

Manifestante tem mão dilacerada em ato na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (Foto: Reprodução)

Manifestante tem mão dilacerada em ato na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (Foto: Reprodução)

Conforme a instituição, o manifestante de 22 anos cursa Licenciatura em Física. Segundo o IFSC, um amigo que acompanha o estudante informou logo após a operação que o jovem ficaria cinco dias internado após a cirurgia. Ele permanece com quadro estável e respirando por conta própria, informou a Secretaria de Saúde local.

A caravana de Araranguá retornou ainda na quarta a Santa Catarina. O amigo do universitário ferido permaneceu na unidade de saúde para acompanhar a recuperação do jovem, que deve retornar de avião ao estado. Ainda segundo o IFSC, o jovem recebeu apoio jurídico e a instituição ofereceu também atendimento psicológico a ele e sua família.

Mais feridos

No total, 49 pessoas ficaram feridas em Brasíla na quarta-feira (22). Nesta quinta, o catarinense e mais quatro pessoas seguiam internados no Hospital de Base.

Entre os cinco feridos que continuavam internados até a tarde desta quinta, três tinham estado clínico considerado estável pela Secretaria de Saúde. Durante o ato, um integrante do protesto foi atingido por uma bala de borracha no olho. A pasta informou que ele foi avaliado, medicado e já recebeu alta da emergência. O G1 perguntou, mas a pasta não confirmou se o manifestante perdeu a visão.

Um paramédico ajuda um homem ferido durante protesto contra o presidente Michel Temer, em Brasília  (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

Um paramédico ajuda um homem ferido durante protesto contra o presidente Michel Temer, em Brasília (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

O Hospital de Base atendeu 35 pessoas que ficaram feridas durante a manifestação, e o Hospital Regional da Asa Norte recebeu outras dez. O Corpo de Bombeiros contabilizou 49 atendimentos – os quatro pacientes que “sobram” nessa contagem foram levados a hospitais privados. Ao longo da madrugada e da manhã desta quinta (25), 41 foram liberados.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br