Arquivo da tag: pronunciamento

Presidente Jair Bolsonaro faz novo pronunciamento sobre pandemia do coronavírus no Brasil

Em pronunciamento transmitido em cadeia nacional de rádio e televisão na noite desta quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro defendeu o uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19 desde a fase inicial da doença. No discurso, ele contou que conversou com o cardiologista Roberto Kalil Filho, que admitiu ter usado o medicamento para se tratar da enfermidade.

— Após ouvir médicos, pesquisadores e Chefes de Estado de outros países, passei a divulgar, nos últimos 40 dias, a possibilidade de tratamento da doença desde sua fase inicial. Há pouco, conversei com o Dr. Roberto Kalil. Cumprimentei-o pela honestidade e compromisso com o Juramento de Hipócrates, ao assumir que não só usou a Hidroxicloroquina, bem como a ministrou para dezenas de pacientes. Todos estão salvos — declarou Bolsonaro.

Parabenizando o médico, que atende ex-presidentes Lula e Dilma, ele mencionou que o protocolo de testes ainda não foi finalizado, mas disse que Kalil relatou ter ministrado o medicamento agora, “para não se arrepender no futuro”.

— Essa decisão poderá entrar para a história como tendo salvo milhares de vidas no Brasil — comentou.

No pronunciamento, Bolsonaro reforçou a ideia de que é preciso resolver simultaneamente os problemas do novo coronavírus e do desemprego e deu um recado a governantes que adotaram medidas de isolamento, criticadas por ele desde o início da crise:

— Respeito a autonomia dos governadores e prefeitos. Muitas medidas, de forma restritiva ou não, são de responsabilidade exclusiva dos mesmos. O Governo Federal não foi consultado sobre sua amplitude ou duração. Espero que brevemente saiamos juntos e mais fortes para que possamos melhor desenvolver o nosso país — afirmou.

No início de sua fala, que durou quase cinco minutos, ele disse que seu papel como presidente é “olhar o todo, e não apenas as partes” e apontou que seu objetivo principal sempre foi salvar vidas.

Integrantes do Palácio do Planalto haviam adiantado que Bolsonaro pretendia passar uma mensagem de “equilíbrio dentro do seu governo” e diminuir a temperatura das crise política e sanitária no País.

Na semana passada, Bolsonaro adotou um tom “ameno” em pronunciamento em cadeia nacional. Na ocasião, o presidente baixou o tom sobre coronavírus e não pediu o fim do isolamento social, como já tinha feito antes, classificando o novo coronavírus como “o maior desafio da nossa geração”.

O globo

 

 

Dilma não fará pronunciamento na televisão neste 7 de setembro

dilma-rousseffA exemplo do que ocorreu no 1º de Maio, Dia do Trabalho, a presidente Dilma Rousseff fará pronunciamento à nação pela internet nesta segunda-feira (7), Dia da Independência. O pronunciamento ficará disponível nos sites oficiais e redes sociais da Presidência de República.

No Dia do Trabalho, a decisão de Dilma Rousseff de não fazer o pronunciamento em rede nacional foi tomada em reunião de coordenação política no fim de abril. Na ocasião, o ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, negou que a decisão tivesse relação com manifestações contrárias ao governo em pronunciamentos anteriores, os chamados panelaços. Foi a primeira vez, desde que governa o País, que Dilma não falou à população brasileira por meio de cadeia nacional de rádio e televisão no Dia do Trabalho.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O ministro destacou que o uso das plataformas online seria uma tendência. “O que a presidente tem feito, e fez no dia 1º de maio, foi priorizar a comunicação por meio das redes sociais, valorizando um modal de comunicação. Isso não significa que os demais não serão utilizados”, disse Edinho Silva na ocasião.

No vídeo divulgado no Dia do Trabalho, a presidente lembrou medidas do seu governo para valorizar o salário mínimo. Dilma também citou o envio ao Congresso de proposta para correção da tabela do Imposto de Renda.

Terra

Em pronunciamento nas redes sociais, Dilma destaca aumento do salário mínimo

dilma-rousseffSem ir à TV temendo novos panelaços contra si e seu governo, a presidente Dilma Rousseff falou nesta sexta-feira, pelas redes sociais, sobre o 1° de Maio. No site da Presidência, afirmou que seu governo vem garantindo a valorização do salário mínimo e o poder de compra do trabalhador. Desde que assumiu o governo, disse que o aumento real foi de 14,8%.

— A valorização do salário mínimo é uma das maiores conquistas desse período. Em março deste ano, eu encaminhei ao Congresso Nacional uma medida provisória que garante a política de valorização do salário mínimo até 2019. Por lei, vamos assegurar o aumento do poder de compra do trabalhador — declarou Dilma.

No vídeo, de 1 minuto e 15 segundos, a presidente destacou também o reajuste da tabela do Imposto de Renda.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

— Também em março desse ano, enviei ao Congresso a tabela de correção do Imposto de Renda. Com ela, o trabalhador terá seu salário preservado e não irá pagar o imposto maior— disse.

Dilma optou por postar três vídeos nas redes sociais ao longo do dia, para defender a política do reajuste real do salário mínimo, as garantias dos direitos dos trabalhadores, e dizer que está permanentemente aberta ao diálogo. Na quinta-feira, recebeu no Palácio do Planalto representantes de movimentos sindicais, entre eles da CUT e da Força Sindical. No encontro, a presidente disse ser contra a terceirização da atividade-fim, como foi aprovado o projeto de lei na semana passada pelos deputados. Até então, ela vinha se esquivando de opinar sobre o tema.

Nenhuma das medidas citadas pela presidente são novidade e foram anunciadas entre fevereiro e março deste ano.

O Globo

Nas redes sociais, primeira dama da Paraíba ignora aliança de RC e detona pronunciamento da presidente Dilma

pamlea e dilmaA primeira dama do Estado da Paraíba, jornalista Pâmela Bório, voltou a causar polêmica, nesse final de semana, ao utilizar as redes sociais para, mais uma vez, criticar a presidente Dilma Rousseff (PT), de quem seu esposo, o governador Ricardo Coutinho (PSB), é aliado.

Enquanto o socialista tenta estreitar o relacionamento com o governo federal, inclusive sendo o interlocutor dos governadores do Nordeste junto à petista, Pâmela ignora o esforço do marido e não poupa comentários contrários ao comando nacional. Dessa vez, a primeira dama tachou de “mentira” as declarações feitas por Dilma durante pronunciamento, no Dia Internacional da Mulher, em cadeia nacional.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

CONFIRA AS POSTAGENS 

“Essas foram algumas “verdades” do pronunciamento ocorrido há pouco. Mas diante do arquivamento de investigações contra políticos, da chantagem por manobra fiscal para condicionar a liberação de emendas parlamentares à aprovação de nova meta do superávit, acham que realmente estamos vivendo uma fase de fortalecimento moral e ético? Percebo também uma crise que tem nos consumido todos os dias com a inflação dos alimentos, a alta do dólar, a elevação dos impostos, o aumento das contas de energia, dos combustíveis… A desigualdade social é intensa e visível em cada esquina e direitos dos trabalhadores começam a serem dilacerados a partir da reformulação do seguro-desemprego. E programas cruciais como o “Minha casa, minha vida” e o FIES sofreram alterações prejudiciais aos mais necessitados. Bom, durmam com essa Brasil. Boa noite. #prontofalei”, postou.

Durante a campanha eleitoral, também através das redes sociais, a primeira-dama e jornalista Pâmela Bório passou a divulgar mensagens críticas à presidente Dilma Rousseff e contrárias a sua reeleição.

Disse Pâmela Bório no Instagram:  “Votei em Marina (Silva, presidenciável do PSB) e continuo com afinidade de pensamento dela”. No segundo turno, Marina declarou apoio a Aécio Neves. Respondendo a uma seguidora, afirmou: “Eu não sou vaca para precisar de aboio… Sou conduzida apenas pela consciência, conhecimento e percepção pessoal. O voto é meu, não é de marido, de mãe, de irmão, de amigo…”. A polêmica começou quando Pâmela Bório criticou a declaração de apoio a Dilma feita pelo músico Chico Buarque. Também no Instagram, ela publicou uma imagem intitulada “Por que Chico Buarque bajula tanto DIlma?”. As repostas incluem o fato de Ana Hollanda, irmã do compositor, ter sido ministra de Dilma e de o governo ter concedido incentivos da Lei Rouanet para sua sobrinha Bebel Gilberto, seu genro Carlinhos Brown e sua namorada Thaís Gulin. Diante do questionamento e de críticas de seus seguidores, Pâmela disse: “Eu só informei sobre os vários motivos que Chico têm para declarar voto em Dilma, qual o problema disso? Esquecem que sou jornalista?”. Em outro, deixa claro que não votará na presidente. “Por isso eu fui às ruas no ano passado, junto com milhares de brasileiros pela mudança. Já são 12 anos de PT!”, escreveu.

PB Agora

Couto diz em pronunciamento na Câmara que “a corrupção é o câncer da política”

 

“A corrupção é o câncer da política”. Esta foi a frase usada pelo deputado Luiz Couto (PT-PB), da tribuna da Câmara Federal, para lembrar o Dia Internacional de Combate à Corrupção – 9 de dezembro.

 

Couto defendeu que as ações contra a corrupção comecem na família e na escola, “devendo a criança ser desencorajada quando comete um pequeno ato ilícito como, por exemplo, se apossar de objeto que não é seu”.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ele aconselhou que os pais sejam o pivô desse acompanhamento na conduta das crianças e adolescentes durante todo o seu crescimento.

O parlamentar disse que de tanto assistirem pessoas cometendo atos de corrupção e permanecendo impunes, a conduta ilícita acaba sendo considerada como normal. “Pois a corrupção é tão somente o sintoma de uma doença que no Brasil já se tornou crônica, sistêmica e histórica”.

 

Luiz Couto citou a PEC 422/2005, de sua autoria – já aprovada na Comissão Especial e pronta para ser votada no plenário – como instrumento importante no combate à corrupção, em tramitação na Câmara. “Esta PEC cria em cada estado uma vara especializada em julgar os crimes de corrupção e improbidade”, informou, revelando que há resistência contra a aprovação do projeto.

 

Após afirmar que “o fim da corrupção é o fim do câncer político”, o deputado fez um apelo para que às autoridades federais, estaduais e municipais faça um combate mais efetivo à corrupção. “Estou solicitando a Polícia Federal, ao Ministério Público Federal e ao Ministério Público Estadual que redobrem ações de inteligência e combate a corrupção, visto que 2014 será ano de decisão política, de escolha popular e temos que redobrar os olhares para a corrupção eleitoral”.

 

Ascom Dep. Luiz Couto

Em pronunciamento, Dilma diz que governo “não pode perseguir quem não é do mesmo partido”

dilma pbEntre aliados de dois partidos que pretendem disputar a sucessão presidencial – o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho ( PSB) e o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT) -, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o governo “não pode nem tem justificativa para perseguir quem não é do mesmo partido”, garantindo que o governo “mudou a forma de se relacionar”. Aplaudida várias vezes, ela ressaltou:

– Nós podemos disputar a eleição, brigar na hora da eleição, mas no exercício do mandato temos que nos respeitar, porque fomos eleitos pelo povo brasileiro.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Dilma fez as considerações durante discurso na cerimônia de entrega de 576 unidades habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida, em João Pessoa (PB). Antes da solenidade, ela visitou os apartamentos, elogiou o acabamento e até abraçou-se com moradoras.

A presidente também entregou as chaves de 22 retroescavadeiras a prefeitos da Paraíba, chamados um a um ao palco onde ela estava com as demais autoridades. O bairro onde ela esteve, na periferia de João Pessoa, fica a dez quilômetros do Centro.

A presidente vai para Itatuba, município localizado a 118 quilômetros da capital, onde inspecionará obras de abastecimento de água. Na primeira etapa da visita, Dilma será recebida em João Pessoa pelo prefeito Luciano Cartaxo (PT) e pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), peça importante do partido na sucessão presidencial de 2014.

PSB e PT vem travando uma disputa política para as eleições de 2014. No Partido dos Trabalhadores, o ex-presidente Lula defende a reeleição de Dilma. Do outro lado, correligionários do governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, o pressionam para entrar na disputa, embora o partido faça parte da base aliada do governo.

No programa de rádio Café com a Presidenta desta segunda-feira, Dilma informou que o governo está investindo um total de R$ 30 bilhões na tentativa de ampliar a oferta de água na Região Nordeste até 2014. Segundo a presidente, já foram instaladas 260 mil cisternas em municípios e povoados do semiárido brasileiro. A meta é entregar mais 240 mil até o final de 2013. Dilma citou também medidas emergenciais, como a contratação de 4.624 carros-pipas para distribuir água em 750 cidades atingidas pela seca este ano.

Fonte: O Globo

PSDB acusa Dilma de usar pronunciamento para fazer campanha

O PSDB reagiu nesta quinta-feira (24) ao pronunciamento de rádio e televisão da presidente Dilma Rousseff, que anunciou ontem uma redução maior na tarifa de energia. Segundo os tucanos, a petista cometeu a “mais agressiva utilização do poder público” para lançar sua candidatura à reeleição.

Segundo nota divulgada pelo presidente tucano, deputado Sérgio Guerra (PE), Dilma faltou com a verdade ao longo dos mais de oito minutos de fala, ultrapassou “um limite perigoso para a sobrevivência da jovem democracia brasileira” e dividiu o Brasil entre “nós e eles”.

Alan Marques – 21.set.2012/Folhapress
Presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra
Presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra

Em sua fala, a presidente qualificou os críticos de pessimistas. “Os últimos anos o time vencedor tem sido dos que têm fé e apostam no Brasil. Por temos vencido o pessimismo e os pessimistas, estamos vivendo um dos melhores momentos da nossa história”, disse Dilma.

“O país assistiu à mais agressiva utilização do poder público em favor de uma candidatura e de um partido político”, disse Guerra. “A redução do valor das contas de luz, já prometida em rede nacional há quatro meses e alardeada em milionária campanha televisiva paga pelos contribuintes”, completou.

Na declaração, a presidente criticou usinas controladas pelo PSDB que não renovaram as concessões e fez um ataque indireto aos tucanos afirmando que o país avança “sem retrocessos”.

Guerra disse que houve a promoção pessoal e política da presidente, afrontando “os fundamentos do Estado democrático”.

“Em vez de assumir suas responsabilidades de gestora, fazendo o governo produzir, o que se vê é o lançamento prematuro de uma campanha à reeleição, às custas do uso da máquina federal e das prerrogativas do cargo presidencial”, disse.

Para o presidente do PSDB, no governo do PT, tudo é propaganda e partidarizado.

“O conceito de República foi abandonado. A chefe da Nação, que deveria ser a primeira a reconhecer-se como presidente de todos os brasileiros, agora os divide em dois grupos: o “nós” e o “eles”. O dos vencedores e o dos derrotados. Os do contra e os a favor. É como se estivesse fazendo um discurso numa reunião interna do PT, em meio ao agitar das bandeiras e ao som da charanga do partido.”

Folha de São Paulo