Arquivo da tag: Professores

Secretaria de Educação da Paraíba esclarece que professores concursados substituíram prestadores de serviço

O secretário da Educação e da Ciência e Tecnologia, Claudio Furtado, se pronunciou sobre notícias de que a sua pasta teria demitido professores agora no mês de março, informando que em 2020 o ano letivo começou com a contratação de 1.000 novos professores que prestaram concurso público, os quais foram inseridos no sistema para pagamento dos salários. Com isso um certo número de prestadores de serviços teve que sair para que os novos efetivos pudessem assumir suas funções, conforme prevê a lei.

Outro problema, segundo o secretário, é que alguns gestores de escolas não informaram na plataforma Saber – ambiente virtual que auxilia as ações dos dirigentes e acompanha a situação das escolas estaduais da Paraíba – os encargos e dados corretamente dos professores, tanto dos prestadores de serviço como de efetivos.

“Nessa plataforma Saber, quando a folha vai ser fechada, em torno do dia 10 de cada mês, a Secretaria de Estado da Educação observa os dados e, a partir do momento que o professor não está com encargo, isso faz com que o salário não seja pago corretamente. E foi isso que gerou problemas para alguns professores, sendo que, no caso dos efetivos, foi a questão da produtividade, e para alguns prestadores de serviço a perda do salário, devido a falta da informação”, explicou.

Furtado adiantou que quando se percebeu a situação foi realizada uma reunião com todos os gerentes regionais, os quais receberam as planilhas de todos os professores que tinham ocorrido o problema para checar se realmente é professor excedente (devido à nomeação dos concursados), ou verificar se houve erro de informação, uma vez que tinha professor que esteve em sala de aula; e no caso dos efetivos para consertar o encargo, colocando a produtividade.

“Então os gerentes regionais estão fazendo uma espécie de auditoria – amanhã terá continuidade –, junto com os diretores, em todos os casos, e vão repassar para a Gerência de Recursos Humanos; e todos os que tiveram problemas por erro de informação do encargo vão ser corrigidos e estes professores receberão em folha extra que deve sair até dia 10 de abril. Os que forem excedentes ficaram sem salários por causa da entrada dos mil novos professores concursados”, observou.

O secretário enfatizou ainda que a plataforma Saber possui todas as informações e registra as atividades da escola e, caso os dados não sejam bem preenchidos e dentro do prazo (até o dia 10 de cada mês), ocorrem problemas como esse. E pontuou: “Além disso, teve o fato da contratação dos mil novos concursados, sendo necessário, portanto, o ajuste na quantidade de encargos dos dados do sistema, como por exemplo remanejar professores efetivos de um local para outro, teve a ampliação das escolas cidadãs, e tudo isso modifica o mapa de distribuição de encargos didáticos. Todos os anos existem problemas no sistema, mas nos anos anteriores não tinham mil novos professores sendo contratados e entrando no sistema”.

O professor que tiver alguma dúvida sobre sua situação pode entrar em contato com a Gerência de Recursos Humanos – GRH da Secretaria de Estado da Educação e da Ciência e Tecnologia pelo E-mail: grh@see.pb.gov.br ou pelo  WhatsApp: (83) 3612-5656.

 

clickpb

 

 

O Brasil fabrica maus professores  

OS CENÁRIOS EDUCACIONAIS SÃO TÃO GRAVES QUE, NO BRASIL, OS CURSOS DE PEDAGOGIA DESPREZAM OS CONTEÚDOS BÁSICOS, A SEREM PRATICADOS EM SALAS DE AULA, E ADOTAM ATIVIDADES QUE NÃO FORMAM PEDAGOGOS PREPARADOS PARA LECIONAR.

Em 2008, a especialista em ensino superior e pesquisadora do núcleo de políticas públicas da Universidade de São Paulo, disse que os cursos de pedagogia alimentam e mantêm as péssimas escolas, que são incapazes de formar os bons professores para lecionar os conteúdos fundamentais e avaliar aprendizados.

Em nenhum país do mundo civilizado, ninguém será chamado de Médico, caso não tenha as competências necessárias para a aplicação dos conhecimentos básicos de medicina.

De modo semelhante, qualquer pessoa mal informada sobre os direitos e deveres fundamentais da humanidade, jamais deveria receber o honroso título de Bacharel em Direito.

Bacharéis em medicina, direito, engenharia, e em tantos outros cursos de graduação, são tão competentes quanto foram as aulas transmissoras de conhecimentos, e de conteúdos, que alicerçaram todos os longos anos de estudo, conduzidos e avaliados por bons professores, durante as provas, experiências laboratoriais e relatórios de pesquisas, necessários às avaliações teóricas em práticas operacionais.

Ninguém que se julgue profissional pode assim ser chamado caso não tenha domínio dos conteúdos fundamentais, associados à profissão que ele afirmativamente diz ter.

É inaceitável que maus médicos, advogados engenheiros, e principalmente os maus professores, queiram ter o direito de assim serem chamados, se revelam inconcebíveis limitações, e mesmo assim, concluíram algum curso de graduação, embora falem e escrevam cometendo erros de ortografia.

Em 2008, a especialista em ensino superior e pesquisadora do núcleo de políticas públicas da Universidade de São Paulo, disse que os cursos de pedagogia alimentam e mantêm as péssimas escolas, que são incapazes de formar os bons professores para lecionar os conteúdos fundamentais e avaliar aprendizados.

OS CENÁRIOS EDUCACIONAIS SÃO TÃO GRAVES QUE, NO BRASIL, OS CURSOS DE PEDAGOGIA DESPREZAM OS CONTEÚDOS BÁSICOS, A SEREM PRATICADOS  EM SALAS  DE  AULA,  E  ADOTAM ATIVIDADES QUE NÃO FORMAM PEDAGOGOS PREPARADOS PARA LECIONAR.

 

 

Vereador ouve professores e alunos e busca manutenção de curso profissionalizante Normal em Bananeiras

O Vereador Ramom Moreira (DEM), do município de Bananeiras, PB, ouvindo professores e alunos da Escola Normal “Pedro Augusto de Almeida”, manteve contato com autoridades educacionais para que seja mantido, por parte da Secretaria de Educação Estadual, o curso profissionalizante normal (pedagógico) em Bananeiras. “Nosso município é referência regional em educação, graças a várias opções de formação educacional para a juventude. A manutenção desse ensino profissionalizante para o magistério é algo importante para os jovens e para nossa cidade”, afirmou o parlamentar.

O Vereador manteve contato com o Gerente da 2a. Região de Ensino do Governo do Estado, Prof. Carlos Eduardo, que se comprometeu a avaliar a reivindição junto a Secretaria de educação estadual, com base na demanda estudantil e na estrutura física da área escolar.

Ramom Moreira destacou que “esse pedido é de toda uma região e garantirá o acesso dos jovens a mais uma formação técnica no brejo paraibano”, afirmou.

O parlamentar disse que falará com o prefeito Douglas Lucena e os demais vereadores para que possam, conjuntamente, apoiar o pedido de alunos e professores para a manutenção do ensino normal em Bananeiras.

 

Assessoria

 

 

Bolsonaro diz que governadores do NE pediram veto ao reajuste dos professores

O presidente da República, Jair Bolsonaro, declarou que governadores do Nordeste teriam se posicionado contra o aumento do piso salarial dos professores do ensino básico. Sem dar nomes, o presidente frisou que os gestores pediram veto ao aumento com o intuito de usarem o repasse do recurso do Fundeb “em outras coisas”, disse.

O anúncio do reajuste foi feito pelo presidente e pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, em uma Live. O piso salarial dos professores da educação básica em início de carreira foi de R$ 2.557,74 para R$ 2.888,24. Um aumento de aproximadamente R$ 330.

Este reajuste já estava previsto na Lei do Piso (Lei 11.738), de 2008, que estabelece aumento anual no mês de janeiro.

– Teve gente que chegou por vias tortuosas pra mim, alguns governadores, o pessoal do Nordeste, querendo que a gente vetasse esse reajuste pra sobrar mais dinheiro para que eles investissem em outra área – declarou Bolsonaro.

pbagora

 

Governo federal anuncia aumento do piso dos professores

O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciaram por meio de live (transmissão ao vivo) em rede social o aumento de 12,84% do piso salarial previsto no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Segundo Weintraub, o reajuste anunciado “é o maior aumento em reais desde 2009.”

Assista à live na íntegra:

O ajuste, acima da inflação de 2019 (4,31%), corresponde às expectativas da Confederação Nacional de Municípios (CNM) que já havia previsto o valor mínimo do magistério passaria de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24. Há expectativa entre gestores municipais que uma nova lei sobre o Fundeb seja criada este ano. A lei atual só prevê a manutenção do fundo até este ano. O Ministério da Educação prepara proposta com novas regras.

Durante a live o presidente também anunciou, ao lado do secretário de Cultura Roberto Alvim, o lançamento do Prêmio Nacional das Artes que irá destinar mais de R$ 20 milhões para produção artística nas cinco grandes regiões brasileiras.

O prêmio terá sete categorias, eruditas e populares, e prevê a seleção de cinco óperas, 25 espetáculos teatrais, 25 exposições individuais de pintura e 25 exposição de escultura, 25 contos inéditos, 25 CDs musicais originais e até 15 propostas de histórias em quadrinhos.

O edital será publicado na próxima semana no Diário Oficial da União e no site da Secretaria Especial da Cultura. O repasse de recursos entre as regiões será dividido de forma igual.

Durante a transmissão, o presidente também comentou a queda histórica dos juros básico da economia, Taxa Selic a 4,5% ao ano e a esperada redução da dívida pública com a baixa dos juros. O presidente salientou a redução dos custos de empréstimos da Caixa Econômica Federal e a diminuição de pessoas inadimplentes. Bolsonaro salientou que a queda de juros ocorre “sem canetada” e “sem interferência”, mas por causa do ambiente de recuperação econômica.

O presidente comemorou a prioridade anunciada pelo governo dos Estados Unidos para que o Brasil se torne membro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e lembrou a edição de nova medida provisória que ajusta o salário mínimo dos atuais R$ 1.039 para R$ 1.045.

Além do ministro da Educação e do secretário de Cultura, participou da transmissão o secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior.

 

agenciabrasil

 

 

PB terá pelo menos 672 bolsas para formação de professores em 2020

As universidades da Paraíba terão pelo menos 672 vagas para a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que em todo Brasil vai ofertar mais de 60 mil bolsas para a formação de professores da educação básica.

As mais de 600 vagas foram divulgadas em um dos editais do programa – serão dois. O próximo, deve ser publicado em breve com o número de oportunidades.  As bolsas de um edital são na modalidade de residente, enquanto no outro são referentes ao Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID).

As instituições participantes poderão formar um núcleo composto por um Coordenador Institucional, cuja bolsa é de R$1.500, um docente orientador ou coordenador de área, que receberá R$1.400, três preceptores, ou professores supervisores, com benefício de R$765, até 24 beneficiários do Residência Pedagógica e do PBID, com auxílio de R$400, além de seis voluntários.

Todos devem incluir seus currículos e mantê-los atualizados na Plataforma Capes de Educação Básica até 28 de fevereiro. O prazo para cadastro dos projetos se encerra em 2 de março, o resultado final da seleção será divulgado até 10 de abril e o início das atividades se dará no dia 14 do mesmo mês.

MaisPB

 

 

Projeto “Samu na Escola” leva orientações sobre primeiros socorros para alunos e professores da Escola Estadual Padre Geraldo, em Solânea

Dando continuidade ao ciclo de Palestras Educativas, a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), promoveu na última quinta-feira (24), uma palestra de orientações sobre Primeiros Socorros e como agir em casos de convulsão, desobstrução das vias aéreas( engasgo), queimaduras, entre outras situações de risco à vida.

O “Samu na Escola” é um projeto contínuo que leva informações sobre o trabalho dos socorristas e profissionais e esclarece à população sobre procedimentos. Além da palestra, os socorristas fizeram demonstrações práticas e professores e alunos tiveram a oportunidade de ver como é a ambulância por dentro.

Chamadas falsas impedem de salvar vidas

A Coordenadora do SAMU, Vânia Cândido, fez um enfoque com os participantes sobre as chamadas falsas (o trote), que inclusive podem impedir de salvar uma vida. “Uma pessoa pode deixar de ser salva por conta de uma falsa ligação. É preciso sensibilizar a população sobre esta questão. Professores e alunos também podem ser multiplicadores no repasse de informações”

    

Assessoria de Comunicação

 

Professores de Solânea são homenageados pelo vereador Jucian Jad

Promovido pelo vereador, Jucian Jad, concorrido evento realizado nesta sexta-feira (18) à noite, no Clube das Samaritanas, coroou pelo 3° ano consecutivo, as comemorações alusivas à semana dos professores, contando com a presença de mais de duzentos convidados, incluindo profissionais da educação, lideranças políticas e autoridades, a exemplo do prefeito Kayser Rocha, Secretária de Educação Virnália Fagundes, Secretário de Finanças José Iran e de Infraestrutura Marcus Vinícius, do ex-vice-prefeito Nicinho e da ex-vereadora Miriam Amaral.

Além de coquetel servido aos presentes, os professores foram contemplados com apresentação do artista Neto Oliveira, intercalada com a distribuição, mediante sorteio, dos mais diversos brindes, como refrigerador, fogão, liquidificador, batedeira, sanduicheira, ferros de passar, ventiladores, gelagua e kits de beleza.

Em pronunciamento voltado para a importância do professor na edificação social, Jucian parabenizou todos os profissionais da educação e já garantiu que no próximo ano, se assim Deus permitir, realizará a 4° edição da festa. “O prêmio maior que fazia questão de repassar aos professores não era os que foram distribuídos, mas, acima de tudo, o seu reconhecimento e sua inequívoca satisfação em promover um momento ímpar de alegria e reconhecimento aos “arquitetos de sonhos”, pontuou Jucian.

Assessoria

 

 

Professores e técnicos da UEPB paralisam atividades em toda PB

Os professores e técnicos da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) paralisaram as atividades nesta terça-feira (1º) e realizam um ato público na Praça dos Três Poderes, em João Pessoa.

De acordo com a organização do ato a reivindicação é por reposição salarial, progressões de carreira, retorno de vagas estudantis e contra os cortes de verbas federais para a educação e o programa “Future-se”.

Professores e servidores técnicos dos oito campi da universidade, participam do ato.

PB Agora

 

TCE diz a Famup que dinheiro do Fundeb não pode ser rateado entre professores

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) respondeu consulta feita pelo presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), George Coelho, sobre a correta aplicação de recursos proveniente de verbas de precatórios judiciais em que se discutiu a complementação das transferências financeiras do Fundeb, relativamente a exercícios pretéritos. A Corte de Contas entende que os valores não podem ser utilizados para “rateio” entre professores (pois se trata de indenização ao município) e nem honorários de advogados.

De acordo com o TCE-PB, o ingresso dos recursos deve respeitar o regime de caixa da receita pública, em cumprimento ao art. 35 da Lei 4.320/64. Além disso, a sua utilização deve ser vinculada à função educação, não sendo restringida à educação básica, em consonância com as decisões proferidas pelo Supremo Tribunal Federal nas Ações Civis Ordinárias ACO 648, 669, 660 e 700.

Excluindo os dois pontos destacados pelo TCE-PB, os de pagamento de rateio e de honorários advocatícios, os recursos do Fundeb podem ser utilizados na educação, mas para isso, o município deve providenciar um crédito extra-orçamentário para que seja constado na contabilidade, uma vez que o recurso entrou no município fora do orçamento

Basicamente a resposta do TCE-PB é baseada no Acórdão 1824/2017 proferido pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e em decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) – SL 1107 e ACO 648, 669, 660 e 700 – que determinam que os honorários advocatícios específicos à liberação de valores do Fundeb não poderão ser pagos com recursos do fundo e que sua utilização deve ser vinculada à função educação, não sendo restringida à educação básica.

 

parlamentopb