Arquivo da tag: produtos

Homem que vendia perfumes por 5 e 10 reais é preso suspeito de comercialização de produtos falsificados

Um homem foi preso em flagrante por policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) no início da tarde desta quarta-feira (11), na Praça Ferreira de Melo, no centro da cidade de Guarabira, suspeito de comercialização de produtos falsificados. Os perfumes de uma conhecida marca estavam sendo comercializados por ele a R$ 5 e R$ 10.

A guarnição comandada pelo CPU (Coordenador de Policiamento da Unidade), tenente Rodrigues, realizava rondas pelo centro da cidade quando, nas imediações do mercado central, foi solicitada por algumas pessoas que relataram que um homem estaria vendendo perfumes falsificados.

Os policiais foram até o local e o próprio vendedor informou que se tratavam de perfumes falsificados, mas ele disse que informava aos compradores que não eram produtos originais. Com o apoio da guarnição comandada pelo sargento Laelson, o suspeito e o material aprendido foram conduzidos à delegacia.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Dono de rede de baterias tem mais de 80 produtos roubados em terceiro assalto, em João Pessoa

Mais uma loja de baterias foi arrombada, na madrugada desta segunda-feira (29), no bairro do José Américo, em João Pessoa. O estabelecimento faz parte da mesma rede que foi alvo de suspeitos duas vezes na semana passada. No assalto desta segunda, mais de 80 baterias foram roubadas, causando um prejuízo de mais de R$ 50 mil, conforme o proprietário. No último sábado (27), houve a inauguração da loja.

De acordo com informações da Polícia Militar, o assalto aconteceu por volta das 3h. Os suspeitos chegaram em um carro, engataram a marcha ré e conseguiram arrombar a entrada do estabelecimento. Duas barras de ferro que faziam o reforço na porta da entrada foram retorcidas com o impacto.

Na madrugada da última sexta-feira (26), uma loja da mesma rede de baterias também foi arrombada, no município de Santa Rita, na Grande João Pessoa. Os suspeitos conseguiram roubar 27 baterias, no entanto, acabaram capotando o veículo durante a fuga.

Eles chegaram em um carro, arrombaram o portão e roubaram as baterias. No entanto, durante a batida no portão para abrir o estabelecimento, a suspensão do veículo foi quebrada. Na fuga, os suspeitos bateram em uma pedra e o carro acabou capotando. As 27 baterias que estavam no veículo foram recuperadas, no entanto, algumas estavam danificadas.

Primeiro roubo aconteceu na madrugada da quarta-feira e foi registrado por câmeras de segurança, em Santa Rita, na Paraíba — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Primeiro roubo aconteceu na madrugada da quarta-feira e foi registrado por câmeras de segurança, em Santa Rita, na Paraíba — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Um vídeo de câmera de segurança mostra também que na madrugada da última quarta-feira (24), a mesma loja foi alvo de assalto. Durante a ação, os suspeitos roubaram cerca de 50 baterias, um prejuízo superior a R$ 30 mil.

A polícia está em busca não só dos suspeitos de realizarem a ação, mas também dos receptadores dos materiais, que podem estar vendendo os produtos sem a documentação necessária.

G1

 

Supermercado Rei da Economia investe em qualificação para oferecer melhores produtos e atendimento

O supermercado Rei da Economia da Rede Paraíba tem trabalhado a cada dia para oferecer um melhor serviço a seus clientes. Além de preços competitivos, a qualificação de seus profissionais tem sido uma constante no estabelecimento.

O foco da vez tem sido o frigorifico do supermercado, além das melhorias no espaço a profissionalização dos funcionários tem sido a meta. Através da empresa Alfa, o Rei da Economia está realizando um curso de capacitação de seus profissionais na área de manipulação de alimentos, ministrado pelo Professor Waltemberg, Especialista em Manipulação de Alimentos. O objetivo é garantir a higiene e a qualidade da carne oferecida no estabelecimento.

O proprietário do Rei da Economia, Mazinho, destacou a importância desse curso. “O que nós almejamos é sempre oferecer o melhor ao nosso cliente e, após conhecer o trabalho do professor Waltemberg, fiz questão de trazer esse curso para nossos funcionários por saber a importância de manter o padrão de qualidade e garantir também as exigências dos órgãos fiscalizadores”, ressaltou.

Já o professor Waltemberg disse que essa é uma necessidade de todos os estabelecimentos comerciais e que esse curso oferece todas as especificações exigidas para um tratamento adequado aos alimentos perecíveis.

Assista ao vídeo e veja algumas orientações do professor Waltemberg.

Redação FN

 

 

Loja de baterias é arrombada e mais de 90 produtos são roubados, em João Pessoa

Uma loja de baterias automotivas foi arrombada e mais de 90 produtos foram roubados na Av. Ruy Barbosa, no bairro da Torre, em João Pessoa. O crime aconteceu na madrugada desta terça-feira (7). Este foi o terceiro caso semelhante registrado nas últimas duas semanas, de acordo com a polícia.

Na semana passada, também no bairro da Torre, na Av. Nossa Senhora de Fátima, suspeitos invadiram outra casa que trabalha com venda de baterias e já no fim do mês de abril outro caso aconteceu na cidade de Bayeux. A suspeita da Polícia Civil é de que se trata de um mesmo grupo especializado neste tipo de crime.

Segundo relato do proprietário da loja, ele foi avisado pelo vizinho do estabelecimento por volta das 3h e, ao chegar no local, encontrou sinais de arrombamento e grande parte do estoque de baterias roubado. Ele estima um prejuízo de quase R$30 mil.

A polícia foi acionada e uma perícia foi feita o local. Câmeras de segurança podem ajudar na identificação dos suspeitos. Até as 8h, nenhum suspeito havia sido preso.

G1

 

Caminhão de transporte de produtos químicos é flagrado levando água potável

Caminhão de transporte de produtos químicos foi flagrado pela PRF transportando água potável, em Campina Grande (Foto: Divulgação/PRF)

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu na BR 230, em Campina Grande, um caminhão tanque de transporte de produtos químicos levando água potável, com destino a um condomínio na cidade. O flagrante aconteceu na quarta-feira (26).

O caminhão estava carregado com 30 mil litros de água e havia sido abastecido no município de Santa Rita, localizado na Região Metropolitana de João Pessoa (RMJP).

O destino era o bairro de jardim Tavares, em Campina Grande. No entanto, durante a fiscalização os agentes da PRF encontraram vários indícios de que o tanque já transportou produtos químicos, como plaquetas e certificados.

A legislação brasileira proíbe a destinação de tanques de produtos químicos para o transporte de água potável, já que os riscos de contaminação são bastante elevados para aqueles que vierem a consumir a água.

O motorista foi levado para a Delegacia da Polícia Civil. Ele e a empresa proprietária do veículo deverão responder por crime contra a saúde pública.

 G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Polícia Militar recupera produtos de roubo na cidade de Esperança/PB

viatura_pmA rádio Patrulha da cidade de Esperança foi solicitada nesta segunda-feira, 25/04/2016 , 19:30 via “Disque-190” a respeito de um roubo a residência no sitio umburanas zona rural da cidade de Esperança.
A Guarnição comandada pelo Sgt Martins ao deslocar-se se deparou com o acusado do roubo nas proximidades a rua da pista próximo a Rede mercantil, o acusado foi reconhecido pela vítima. Que a Guarnição ao parar a Viatura para proceder a abordagem o acusado saiu em fuga abandonando umrevólver calibre 38 de marca taurus com cinco munições intactas.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Moradores daquela localidade mostraram o local onde o acusado usava para fazer uso de entorpecentes bem como armazenar produtos oriundos de roubo praticado pelo mesmo. Vindo a ser encontrado no interior da residência vários produtos roubados sítio umburanas são eles os objetos : 1 TV LED 32 POLEGAS; 1 TOCA CD PIONEER; 1 SOM PHILIPS; 1 CAPACETE. Além de outros produtos de roubos realizados em outras localidades, tais como: 2 TVs 32 POLEGADAS DE TUBO MARCA CCE ; 1 TV 14 POLEGADAS DE TUBO MARCA CCE; 1 DVD MARCA AVAX ; 1 FACA PEIXERA UTILIZADA NO ASSALTO DE MARCA TRAMONTINA DE 10 POLEGADAS ; 1 CELULAR LG DE IMEI ( 353764053705772).
Os objetos encontram-se apreendidos na depol de Esperança/PB
www.setimaregional.com.br

Polícia prende quatro pessoas na cidade de Mulungu acusadas de furtos e troca de produtos roubados

POLICIAAs Polícias Civil e Militar desencadearam, na manhã desta quinta-feira (21), a Operação Fachada, na cidade de Mulungu, na região do Brejo Paraibano. A ação foi realizada pela 8ª Delegacia Seccional de Polícia Civil em conjunto com o 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), ambos com sede em Guarabira. Na ação, foi empregado um efetivo de 60 policiais entre civis e militares.

O objetivo da operação foi desarticular um esquema criminoso de roubos, furtos e ainda de venda e troca de produtos roubados. Na ação policial foram presos: Severino Sebastião Hortêncio, de 45 anos; João Soares de Lima, de 60 anos; Raimundo Antonio de Medeiros, de 29 anos; e Josivan Barbosa de Lima, de 30 anos. Com o grupo foram apreendidos uma espingarda, diversos botijões de gás, que estavam sendo comercializados clandestinamente e cuja origem será investigada, e também vários objetos eletrônicos, que podem ser produtos roubados.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

De acordo com o titular da seccional, Walber Virgolino, os quatro presos foram ouvidos e, após o depoimento, foram encaminhados para a Cadeia Pública de Alagoinha, onde aguardarão a decisão da Justiça.

FACHADA – O nome da Operação faz referência ao local onde os materiais foram apreendidos pelos policiais, já que a casa funcionava como um salão de beleza, e na verdade servia de ponto de venda dos botijões de gás e dos produtos roubados.

Secom-PB

MP irá monitorar nível de agrotóxico em vegetais vendidos em supermercados e aponta uso de produtos ilegais

glauberto-bezerraO Ministério Público do Estado (MPPB), através da Promotoria do Consumidor, reuniu nesta quinta-feira (16) representantes de quatro órgãos para discutir o combate à utilização irregular de agrotóxicos. Na reunião ficou definida que será feito monitoramento do nível de  agrotóxico utilizados nos vegetais comercializados nos supermercado e mercado de João Pessoa. O MP também aproveitou para denunciar o uso ilegal de agrotóxicos não permitidos.

Segundo o promotor Glauberto Bezerra, os próprio produtores paraibanos já começam a enfrentar dificuldades de comercializar seus produtos em outros estados por causa do uso excessivo de agrotóxicos. Bezerra contou que um produtor de Mamanguape que vendia seus produtos em Recife já não consegue mais entrar naquele mercado.

Nesta quinta foi feita a primeira reunião para traçar estratégicas e os órgãos presentes resolveram chamara outros órgãos como Sudema, Secretaria da Saúde e INCRA.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A fiscalização – A idéia é que a fiscalização seja mais intensificada e vire um rotina de longo prazo. A ação começou na Empasa e deve se estender para supermercados e mercados públicos a partir de novembro. Futuramente ainda deve avançar para feiras de produtos orgânicos.

As hortaliças passarão por teste de laboratório aferindo o valor do agrotóxico e em caso de verificação de nível irregular serão tomadas as medidas como multas e até a proibição do produto. Os responsáveis pela entrada de agrotóxicos com uso proibido no estado também serão responsabilizados criminalmente.

Na primeira fase da ação proposta pelo MP foram fiscalizados tomates e pimentões, na segunda fase será a vez dos mamões e repolho.

Participaram da reunião no Ministério Público, a Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), Luiz Carlos Barros e João Alberto Silva, a diretora-geral da Agência de Vigilância Sanitária do Estado (Agevisa), Glaciane Mendes Roland, a técnica da Agevisa, Djanira Machado, o representante da Receita Estadual, Marcelo Pio Chaves, o presidente da Empasa, João Tavares.

 

Paulo Dantas/João Thiago

Anvisa suspende medicamentos e produtos irregulares

anvisaEm resoluções publicadas na edição de hoje (9) do Diário Oficial da União, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu a distribuição e o comércio de diversos medicamentos por razões como a falta de registro e resultados insatisfatórios em testes.

Foi determinada a suspensão da distribuição, do comércio e do uso dos lotes do medicamento Arcalion (sulbutiamina) 200 mg fabricados entre 13 de setembro de 2012 e 7 de fevereiro de 2014. De acordo com a Anvisa, a empresa fabricante do produto, Laboratórios Servier do Brasil Ltda, comunicou que os lotes apresentaram resultados fora de especificação, no estudo de estabilidade de longa duração.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Também foi determinada a suspensão da distribuição, comercialização e do uso de todos os lotes do medicamento Usmedina (dipirona sódica) 500 miligramas por mililitro (mg/ml), solução oral, fabricados a partir de 1º de dezembro de 2011pelo Laboratório Usmed. Foi comprovado que o medicamento citado estava sendo fabricado e comercializado mesmo após ter sido interditado cautelarmente pela agência.

Já o produto Mata Mosca, bem como todos os produtos saneantes fabricados pelo Laboratório e Distribuidora Ustok,foram suspensos por não possuírem registro ou notificação na Anvisa. O fabricante também não possui Autorização de Funcionamento.

Por não possuir registro, foi suspenso o Energy Meter 200, fabricado pela empresa Vera de Mattos Vanique Costa – ME. Foi constatado que o produto irregular estava sendo divulgado e comercializado em um site, na internet.

Outro medicamento suspenso foi o lote 245044 do Asetisin (ácido acetilsalicílico) de 500 mg, com 100 comprimidos, por apresentar resultado insatisfatório no ensaio de dissolução. O remédio é fabricado pelo laboratório Pharlab Indústria Farmacêutica.

Agência Brasil

 

 

Ministério Público da Paraíba constata irregularidades no uso de agrotóxicos em produtos da Empasa

MPPBTomate com resíduos de agrotóxicos nove vezes mais que o permitido e pimentão com resíduo de “metamidofós” (agrotóxico proibido no Brasil desde 2012). Essas foram algumas das irregularidades constatadas em análise realizadas em doze amostras dos dois produtos recolhidas na Empasa (Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas) de João Pessoa. Os laudos de foram entregues, nessa terça-feira (23), pela Empasa à Promotoria do Consumidor da Capital. Das doze amostras analisadas, cinco estavam em conformidade e sete apresentaram índices de resíduos de agrotóxicos acima do permitido pela legislação.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ainda nessa terça-feira (23), em audiência realizada na Promotoria, foram discutidas estratégias de combate à utilização irregular de agrotóxicos. Participaram o promotor de Justiça Glauberto Bezerra, os representantes da Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), Luiz Carlos Barros e João Alberto Silveira, a diretora-geral da Agência de Vigilância Sanitária do Estado (Agevisa), Glaciane Mendes Roland, a técnica da Agevisa, Djanira Machado, o representante da Receita Estadual, Marcelo Pio Chaves, o presidente da Empasa, João Tavares.

O promotor Glauberto Bezerra informou que o objetivo do Ministério Público juntamente com os órgãos parceiros é chegar aos fornecedores dos agrotóxicos. “Vamos investigar de onde parte o produto. Para isso vamos solicitar aos permissionários da Empasa a relação dos fornecedores dos produtos”, disse.

Glauberto Bezerra destacou que o assunto diz respeito ao direito fundamental à saúde. “Infelizmente esse direito está sendo pisoteado por comportamentos que demonstram a total desconsideração. A utilização de agrotóxicos em desconformidade com os padrões sanitários, bem como de agrotóxico proibido é testemunho da gravidade da situação sanitária e ambiental no Estado da Paraíba”, disse.

O presidente da Empasa, José Tavares, disse que a empresa de abastecimento é responsável pela rastreabilidade dos produtos que adentram o local. “Abordamos os caminhões que chegam para saber a origem dos produtos e acionar a Defesa Agropecuária para tomar as medidas. Aqueles permissionários que forem reincidentes deixarão de comercializar na Empasa”, relatou. Ele se comprometeu ainda a encaminhar à Promotoria a lista com o cadastro de todos os permissionários da empresa e verificar com cada comerciante a relação dos fornecedores.

Já a Agevisa vai emitir relatórios técnicos dos riscos à saúde provocados pelos princípios ativos encontrados nos hortifrutigranjeiros analisados. “Nestes relatórios, vamos abordar também os efeitos sobre aqueles que aplicam os agrotóxicos nas plantações. Dessa forma, estaremos cumprindo nossa missão de prevenção dos riscos”, disse a diretora-geral da Agevisa. Ela informou ainda que o órgão vai verificar a possibilidade de analisar produtos dos supermercados.

O representante da Sedap, Luiz Carlos, informou que a equipe da secretaria fiscalizou a propriedade de um produtor rural de Boqueirão e constatou uso de agrotóxico não indicado na cultura do pimentão. Cerca de um hectare e meio da lavoura foi destruído pela equipe e encaminhará ao Ministério Público os documentos da fiscalização. Além disso, vai encaminhar à Receita Estadual a relação de comerciantes de agrotóxicos cadastrados.

O fiscal agropecuário João Alberto relatou que, durante as coletas feitas na Empasa, obteve informação de que produtores estão utilizando para acelerar a maturação da banana agrotóxico com princípio ativo indicado para a cultura de abacaxi, colocando em risco os consumidores.

Já o representante da Receita Estadual se comprometeu a analisar a relação dos comerciantes que será remetida pela Sedap para verificar as medidas fiscais cabíveis.

ma nova audiência será realizada no dia 16 de outubro, às 9h, na sede da Promotoria do Consumidor.

MPPB