Arquivo da tag: primeiro

Empreender abre inscrições para primeiro empréstimo e renovação de crédito, na Paraíba

O programa Empreender abre nesta segunda-feira (29) as inscrições para o primeiro empréstimo, para municípios da 4ª e 5ª regiões do estado. Já na terça-feira (30), começa o cadastro para renovação de crédito para os empreendedores da 9º região da Paraíba.

As inscrições desta segunda-feira (29) começam a partir das 14h no site do programa, para as cidades das 4ª e 5ª regiões: Amparo, Camalaú, Congo, Coxixola, Parari, Prata, São João do Cariri, São João do Tigre, Zabelê, Barra de Santa Rosa, Cubati, Cuité, Frei Martinho, Nova Palmeira e Picuí.

Para cada cidade, serão disponibilizadas 30 vagas para os empreendedores que desejarem iniciar seu próprio negócio ou ampliar o que já possui. Para participar, é preciso ter mais de 18 anos ou ser legalmente emancipado e residir na Paraíba há pelo menos seis meses.

Os cadastros de renovação de crédito para os empreendedores que já realizaram a quitação do empréstimo junto ao Empreender dos municípios da 9ª região do estado começam na terça-feira (30) a partir das 10h.

Os empreendedores de Cajazeiras, São João do Rio do Peixe, Bernardino Batista, Bom Jesus, Bonito de Santa Fé, Cachoeira dos Índios, Carrapateira, Monte Horebe, Poço Dantas, Poço de José de Moura, Santa Helena, Joca Claudino, São José de Piranhas, Triunfo e Uiraúna também devem realizar inscrições através do site.

G1

 

Sobrinho de Luxemburgo, técnico carioca busca primeiro título da carreira na 2ª divisão da Paraíba

Carioca, ex-jogador e agora técnico. Essas três características presentes em Bruno Jojô Abrahão são as mesmas do seu tio, Vanderlei Luxemburgo. Agora na Paraíba, Bruno terá a sua primeira experiência no futebol do Nordeste, comandando o Sabugy, na 2ª divisão estadual. Com passagens por clubes cariocas, o seu principal objetivo na precoce carreira como treinador é conquistar o primeiro título da sua carreira.

Bruno faz preleção com jogadores do time Sub-19 do Sabugy — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

Bruno faz preleção com jogadores do time Sub-19 do Sabugy — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

A missão de comandar times de futebol já está presente na família de Bruno Abrahão. O seu pai, que é irmão de Vanderlei Luxemburgo, também treinou equipes de menor porte no Rio de Janeiro.

O ex-goleiro lembra que recebeu uma “mãozinha” do tio no início da carreira, nas categorias de base do Flamengo. Depois, ele passou pelo Botafogo e por clubes menores, até pendurar as luvas e assumir a prancheta.

– Eu fui goleiro do Flamengo enquanto garoto e foi ele (Luxemburgo) que me colocou lá. Isso eu lembro muito bem e não tenho como negar essa influência no início da minha carreira. Depois fui para o Botafogo, já por méritos próprios, onde joguei por seis anos. Depois atuei em times menores e parei como goleiro – contou.

Bruno ao lado dos outros integrantes da comissão técnica do Sabugy — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

Bruno ao lado dos outros integrantes da comissão técnica do Sabugy — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

Bruno Jojô Abrahão explica que, após o fim da carreira, não teve como escapar do caminho para se tornar técnico. O primeiro passo foi buscar qualificação através de cursos da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Associação Brasileira de Treinadores de Futebol (ABTF), para depois ter as suas primeiras experiências no comando técnico.

O carioca só comandou times no futebol carioca, com passagens por Bela Vista (2016), Ceres sub-20 (2017) e Juventus (2018). Agora em 2019, será a sua primeira oportunidade fora do Rio de Janeiro.

A relação com Luxemburgo

“O contato hoje é pouquíssimo, para não dizer raro”. É assim que Bruno resume a sua relação com Vanderlei Luxemburgo. Segundo ele, a última vez em que os dois estiveram juntos foi em junho de 2017, na época em que o tio comandava o Sport.

– Estive em São Januário quando Luxemburgo era técnico do Sport e ia enfrentar o Vasco. Sempre falo com uma das filhas dele, a Vanessa, mas com ele essa foi a última vez. Aprendi muito com o Vanderlei. Na época do Palmeiras, eu entrava junto com a delegação, no intervalo ia para o vestiário ouvir a preleção e no final do jogo da mesma forma, para aquela conversa final. Quando ele começou a rodar por outros centros, perdemos contato – lembrou.

Bruno, no último encontro que teve com Luxemburgo, em 2017, quando Luxa ainda estava no Sport — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

Bruno, no último encontro que teve com Luxemburgo, em 2017, quando Luxa ainda estava no Sport — Foto: Acervo pessoal / Bruno Jojô Abrahão

Chegada à Paraíba

Bruno contou que, na época em que atuou como técnico do sub-20 do Ceres, conheceu o preparador de goleiros Jefferson Sabino, paraibano de Itabaiana, com quem trabalhou no Rio de Janeiro. O treinador explicou que Sabino fez um acordo com o Sabugy e responderá durante dois anos como gestor dos times sub-19 e profissional.

– O Jefferson me fez este convite e resolvi aceitar. Sempre acompanhei o futebol do Nordeste e acho um cenário muito empolgante, com uma grande oportunidade de descobrir talentos. Topei o desafio e agora esperamos fazer um bom trabalho – falou.

Expectativa da primeira conquista como técnico

A missão na Paraíba é em dose dupla, pois Bruno Jojô Abrahão terá a responsabilidade de comandar os times sub-19 e profissional. O Sabugy está próximo de completar 100 anos e, para o seu novo treinador, o clube não pode continuar, ano após ano, fazendo campanhas abaixo do que um time histórico deve fazer.

– O meu jeito de trabalhar é muito como o do Luxemburgo, de não aceitar perder e gostar de times com intensidade. O paraibano sabe jogar muito assim, diferente do jogador carioca. Nas campanhas passadas, o time foi muito ruim, e tirar essa coisa de que é time pequeno é uma das minhas metas. Como estarei no sub-19, também quero classificar o time para a Copa São Paulo de Futebol Júnior. A região tem bons atletas, e eles merecem ter essa visibilidade – frisou.

*Raniery é repórter da CBN João Pessoa e colabora com o GloboEsporte.com/pb

GE

 

Inadimplência do consumidor cresce 0,9% no primeiro semestre de 2019

O volume de consumidores com contas sem pagar cresceu 9% no primeiro semestre de 2019, na comparação com o final do ano passado. Segundo a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) é a segunda menor variação nos atrasos, desde 2012, quando a inadimplência havia crescido 5,8% no primeiro semestre.

Quando analisado só o mês de junho, o volume de consumidores com contas sem pagar, e registrados em listas de inadimplentes, teve alta de 1,7% ante o mesmo mês de 2018.

Na avaliação do presidente da CNDL, José Cesar da Costa, a inadimplência apresentar crescimento mais modesta é fator positivo, que acompanha a lenta recuperação da economia. Mas o número de pessoas com atraso nas contas e dificuldade de voltar ao mercado de crédito ainda é muito elevado. Até abril deste ano, eram 62,6 milhões de pessoas nessa situação, o que representa quase 41% da população adulta.

Segundo ele, o ano de 2019 vem frustrando as expectativas de que haveria uma consolidação no processo de retomada econômica, com reflexo positivo no dia a dia dos consumidores. Embora os juros estejam menores e a inflação dentro da meta, o desemprego ainda é elevado e acaba reduzindo tanto a capacidade de pagamento das famílias, quanto ao apetite às compras.

“A recuperação está mais lenta que o esperado e as projeções mostram que teremos um segundo semestre ainda tímido para as finanças do brasileiro, mesmo com o avanço de reformas estruturais, cujos efeitos serão sentidos no longo prazo. A expectativa é que a inadimplência comece a apresentar recuos a partir de 2020”, afirmou.

Regiões

O indicador mostrou alta no número de inadimplentes em três das cinco regiões do país. Na Região Sudeste ocorreu maior crescimento em junho, na comparação com junho do ano passado (3,4%). Em segundo lugar, ficou a Região Norte, com alta de 2,2%, seguida da região Sul (1,79%). Com exceção da Região Norte, todas também apresentaram desaceleração nos atrasos. Já no caso das regiões Nordeste e Centro-Oeste, foram observados recuos de -0,6% e -0,3%.

Faixa etária

O levantamento também indicou que na faixa dos 18 aos 24 anos, houve queda de -22,7% e na faixa dos 25 aos 29 anos, de -9,1%. Na faixa que abrange pessoas de 30 a 39 anos, a inadimplência ficou praticamente estável (-0,8%). O maior crescimento no atraso de contas foi observado na população idosa, que varia de 65 aos 84 anos, cuja alta foi de 7,5%. Em seguida, aparecem os consumidores de 50 a 64 anos (3,9%) e de 40 a 49 anos (2,8%).

Valores

De acordo com a pesquisa, somando todas as pendências, cada consumidor inadimplente deve, em média, R$ 3.252,70, valor 0,4% inferior ao constatado no mês anterior (R$ 3.239,48). O valor representa quase três vezes e meia o salário mínimo no país (R$ 998,00). Em média, cada devedor tem duas contas em aberto.

Com relação às dívidas contraídas em nome de pessoas físicas em junho deste ano, na comparação com 2018, houve queda de 1,0%.

As despesas básicas para o funcionamento do lar, como contas de água e luz foram as que mais cresceram em junho de 2019, com alta de 17,2% na base anual de comparação.

As dívidas bancárias, como cartão de crédito, cheque especial, financiamentos e empréstimos tiveram alta de 2,7%. Já as compras feitas no carnê ou crediário, em estabelecimentos comerciais, caíram -5,2%, enquanto os atrasos em contas de internet, TV por assinatura e serviços de telefonia despencaram -20,3% no período.

De acordo com o indicador do SPC Brasil, mais da metade das dívidas pendentes (53%) de pessoas físicas no país têm como credor algum banco ou instituição financeira, seguido do comércio, que concentra 17% do total de dívidas não pagas e do setor de comunicação (11%). Os débitos com as empresas concessionárias de serviços básicos como água e luz representam 10% das dívidas não pagas no Brasil.

“Para evitar o chamado efeito “bola de leve”, o consumidor deve priorizar o pagamento de dívidas com juros mais elevados, que, geralmente, são as dívidas bancárias. É preocupante que o segmento represente a maior fatia das contas em aberto no país. Uma opção que pode ser analisada em certos casos é a substituição da dívida por uma outra que cobra juros mais baixos, como é o caso do consignado”, disse o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli.

Agência Brasil

 

 

Casos suspeitos de Chikungunya cresceram 16% no primeiro semestre de 2019 na Paraíba

O número de casos de Chikungunya cresceram aproximadamente 16% entre janeiro e junho de 2019 em comparação ao mesmo período de 2018. Segundo informações do 24º boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgado nesta terça-feira (2), foram contabilizados 655 casos prováveis, 91 casos a mais que em 2018, quando foram notificados 564 casos prováveis na Paraíba.

O número de casos de dengue também aumentaram no mesmo período, cerca de 14%, ainda conforme dados da SES. Enquanto no primeiro semestre de 2018 foram registrados 7.280 casos prováveis de dengue, em 2019 o número foi de 8.306 casos prováveis de dengue. Em contrapartida, os casos suspeitos de pacientes vitamos pelo vírus da Zika caiu 4%, uma redução de 198 para 190 se comparados os primeiros semestres de 2018 e 2019.

Municípios da Paraíba com incidência das três arboviroses

  • Teixeira,
  • Maturéia,
  • Areia,
  • Lucena,
  • São Sebastião do Umbuzeiro,
  • Princesa Isabel,
  • Alagoa Nova,
  • Esperança,
  • Cacimba de Dentro,
  • Conde,
  • Sertãozinho,
  • Baraúna,
  • Caaporã,
  • Araruna,
  • Casserengue,
  • Lagoa de Dentro,
  • Taperoá,
  • São José de Princesa
  • Juripiranga.

A SES observa que, dos 223 municípios, 42 (18,8%) estão sem sinalizar no sistema de informação, ou seja, não existe nenhuma notificação de caso suspeito para as arboviroses, doenças chamadas assim por serem causadas pelo arbovírus, vírus transmitidos por insetos e aracnídeos.

No entanto, municípios de grande porte populacional como Campina Grande (85 notificações), Sousa (51 notificações), Cabedelo (48 notificações), Patos (36 notificações), Guarabira (15 notificações), Queimadas (7 notificações), Pombal (5 notificações) e Sapé (5 notificações) demonstram poucas notificações de casos prováveis de arboviroses no ano de 2019.

De acordo de Talita Tavares, gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, o pico de casos foi nos meses de abril e maio, seguido de redução em junho, tendo em vista que, historicamente, o maior volume de notificações se concentra no primeiro semestre do ano.

“As ações já planejadas em cada município devem ser mantidas no segundo semestre, pois recentemente muitos municípios tiveram chuvas em grande volume, o que proporciona acúmulo de água que poderá formar um possível foco”, orientou.

Mortes por arboviroses

No primeiro semestre de 2019 foram notificadas 30 mortes por arboviroses na Paraíba, sendo dois confirmados para dengue (Araruna e João Pessoa) e um confirmado para Zika (João Pessoa). A Secretaria de Saúde da Paraíba já descartou 11 mortes que tinham sido notificadas como causadas por arboviroses.

Dos óbitos que estão em investigação (16 óbitos), quatro foram notificados pelo Serviço de Verificação de Óbito (SVO), que necessita de exames mais específicos junto aos laboratórios de referência e que requerem maior tempo para resultados.

G1

 

Número de feminicídios em abril sobe 50% em relação ao primeiro trimestre de 2019

O número de feminicídios aumentou 50% em abril, com relação à soma dos casos do primeiro trimestre de 2019, na Paraíba. Os dados são da Secretaria de Segurança e Defesa Social (Seds) e mostram que, das nove mortes de mulheres no mês de abril, seis estão sendo investigadas como feminicídio. O número é maior do que o que foi registrado nos três primeiros meses do ano somados (4 feminicídios).

Em janeiro, das quatro mulheres assassinadas, duas foram feminicídio. Em fevereiro, o número caiu 25%, quando três mulheres foram mortas. Duas delas, especificamente, por homicídio doloso. O outro caso é tratado pela Polícia Civil como feminicídio. Em março, o número e a proporção do feminicídio permaneceu o mesmo de fevereiro.

Os casos ainda estão sob investigação, mas o investigado até o momento sobre o crime leva a um dado preliminar de feminicídio. A lei nº 13.104, sancionada em 2015 pela ex-presidenta Dilma Rousseff, inclui o feminicídio no rol dos crimes hediondos. É feminicídio o homicídio contra a mulher por razões da condição de sexo feminino, isto é, quando envolve violência doméstica e familiar, menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Ao todo, no mês de abril, houve 84 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), sendo nove com mulheres.

Para a professora de direito penal, Sabrinna Cavalcanti, há dois pontos a serem notados no aumento dos casos de feminicídio: a tipificação “femincídio”, adotada em 2015 para diferir os tipos de homicídios praticados contra mulheres, e a volta de ideais conservadores e machistas, que oprimem o sexo feminino de buscar igualdade de direitos na sociedade.

“Um dos fatores é o próprio conceito de feminicídio, pois muitas mortes causadas por violência doméstica não chegavam à estatística. Mas também destaco a volta do discurso conservador, que busca fazer com que a mulher se mantenha restrita ao ambiente doméstico. Isso vai contra a evolução que ocorreu na luta pelo direito das mulheres. Esse conflito, muitas vezes, acaba em morte”, explica Sabrinna.

Crimes semelhantes

O mês de abril foi cruel para as mulheres. A Semana Santa foi marcada por crimes que chocaram pela semelhança e brutalidade. No dia 16 de abril, Aderlon Bezerra de Souza, de 42 anos, matou Dayse Auricea Alves, de 40 anos. Em seguida, ele deu um tiro na própria boca e morreu. O crime aconteceu em um motel de Campina Grande. O casal estava separado e teria ido ao local comemorar o aniversário de Dayse.

O homem mandou mensagens no WhatsApp para o irmão dele informando que matou a mulher e que iria se matar em seguida com um revólver. As capturas de tela mostram que às 21h02 o homem mandou “Ei, matei Dayse, estou me suicidando agora”. Em seguida ele liga duas vezes para o irmão e continua: “Estou no parque motel, suíte 24, agora não tem mais jeito. Xau mano”. O irmão ainda tenta perguntar “com quem?” e Aderlon responde: “revólver”.

Homem enviou mensagens para irmão após matar esposa em quarto de motel na Paraíba — Foto: TV Paraíba/Reprodução

Homem enviou mensagens para irmão após matar esposa em quarto de motel na Paraíba — Foto: TV Paraíba/Reprodução

Para a polícia, Aderlon planejou a morte da esposa, no entanto, Dayse foi para o motel espontaneamente, segundo a delegada Nercília Dantas. “Ela confiava nele”, explicou. Ainda segundo o irmão dele, no dia do crime o homem deu um abraço nele e na mãe, como estivesse se despedindo. O casal deixa duas filhas, uma de 8 anos e outra de 17. Eles foram enterrados lado a lado, no mesmo túmulo, no mesmo cemitério. Aderlon Bezerra não tinha posse de arma.

Dois dias depois, a história se repetiu com personagens diferentes. No bairro da Torre, em João Pessoa, um empresário matou a ex-companheira com três tiros e, em seguida, se matou com um tiro no ouvido. A arma foi encontrada embaixo do corpo dele. O crime todo aconteceu em frente a uma concessionária de veículos.

O delegado Diego Garcia informou que os dois estavam separados há cerca de dois meses e o suspeito não aceitava o fim do relacionamento. Antes de atirar, o suspeito identificado como Marconi Alves Diniz, teria discutido com Tâmara de Oliveira.

Publicação foi feita no Facebook, na segunda-feira que antecedeu o crime, em João Pessoa — Foto: Reprodução/Facebook/Marconi Diniz

Publicação foi feita no Facebook, na segunda-feira que antecedeu o crime, em João Pessoa — Foto: Reprodução/Facebook/Marconi Diniz

Marconi também deu sinais de que o crime poderia aconteceu. Três dias antes do crime, ele publicou uma mensagem nas redes sociais. “A humilhação que você passa vai acabar junto com o seu problema nesta quinta-feira, basta você acreditar”, diz a mensagem publicada na segunda-feira (15).

De acordo com o delegado Diego Garcia, que atendeu a ocorrência, algumas mensagens de despedida foram encontradas no celular de Marconi. “Elas mostravam que talvez ele fosse tirar a própria vida, mas não que fosse matar ela”, explica.

Morte a facadas

Antes do dois crimes, Marilene da Silva foi morta com trinta facadas pelo companheiro dela, José Jorge Bernardo. Ele confessou o crime e disse que matou a companheira porque descobriu uma traição dela. José Jorge foi preso no local do crime, com a faca usada no homicídio.

G1

 

Número de assassinatos cai 24% no primeiro trimestre de 2019, na Paraíba

A Paraíba registrou uma queda de 24% nas mortes violentas no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. O índice faz parte do levantamento do Monitor da Violência, feito pelo G1, em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da USP. Em março de 2019, foram 79 assassinatos, o mesmo número do mês de janeiro. Já em fevereiro, o número aumentou para 84.

O índice representa 77 mortes a menos entre 2018 e 2019. De acordo com o levantamento, no primeiro trimestre de 2019 houve 242 mortes violentas, contra 319 no mesmo período de 2018.

Em 2018, os números diminuíram gradativamente até o mês de março. Em janeiro foram 129 mortes, 97 em fevereiro e 93 assassinatos em março de 2018.

Os dados do Monitor da Violência são abastecidos por informações repassadas pela Secretaria da Defesa e Segurança Social (Seds) da Paraíba por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI) que constam no projeto Monitor da Violência do G1.

O Brasil também registrou a mesma queda (24%) no trimestre. Isso quer dizer que o país teve 3,2 mil mortes violentas a menos em janeiro, fevereiro e março deste ano em relação a 2018. O número de assassinatos, porém, continua alto.

G1

 

Primeiro encontro de profissionais e estudantes de gestão de pessoas da Paraíba (EPEGEP-PB) acontece nesta sexta-feira na faculdade IESP

A Faculdade IESP promoverá nesta sexta-feira, dia 03 de Maio, às 19 horas, o Primeiro EPEGEP-PB (Encontro de Profissionais e Estudantes de Gestão de Pessoas da Paraíba), o evento tem como tema “Benchmarking de Práticas de Gestão de Pessoas”.

A iniciativa, que conta com o apoio da ABRH-PB, tem confirmado como palestrantes os representantes das empresas Digna (Josemar Soares), Softcom (Renato Rodrigues) e Armazém Paraíba (Max Felizardo), organizações finalistas do Prêmio Great Place to Work da Paraíba 2018 (Melhores empresas para se trabalhar) e a AeC (Yvete Alves) empresa que integra soluções de inteligência artificial nos processos de RH, que compartilharão com o público presente as suas melhores práticas na área de gestão de pessoas.

O evento também contará com as presenças de Geraldo Rosa, Presidente do CRA-PB (Conselho Regional de Administração da Paraíba), que falará sobre a atuação do conselho na área de Gestão de Pessoas em nosso estado e Maria da Penha, Presidente da ABRH-PB (Associação Brasileira de Recursos Humanos da Paraíba), que além de abordar as ações da instituição, sorteará cortesias para a 29º Edição do Congresso Paraibano de Gestão de Pessoas da Paraíba que acontece no segundo semestre de 2019 em João Pessoa.

O evento é uma realização da Faculdade IESP, que tem como Diretora Geral Erika Marques, em parceria com os setores Núcleo de Carreiras (Ilma Garcia), Coordenações dos Cursos de Recursos Humanos (Marcelle Sodré) e Pós Graduação em Gestão de Pessoas (Odilon Carreiro) do IESP. O I EPEGEP-PB tem como público alvo os estudantes e profissionais da área de Gestão de Pessoas, as inscrições são gratuitas e com vagas limitadas, podendo ser realizadas através de o link a seguir: https://www.even3.com.br/epegeppb/

EPEGEP-PB

Data: 03/05/2019 (Sexta)

Horário: 19h00 às 21h30

Local: IESP – Bloco Central Auditório II. Rodovia BR 230, Km 14, s/n, Morada Nova, Cabedelo – PB.

SITE DA FACULDADE IESP

https://www.iesp.edu.br/

SITES DAS INSTITUIÇÕES ABRH-PB E CRA-PB

https://www.abrhpb.com.br/

http://www.crapb.org.br/

SITE DAS EMPRESAS PARTICIPANTES

http://www.planodigna.com.br/

https://www.aec.com.br/

http://www.softcomtecnologia.com.br/

http://www.armazempb.com.br/

 

 

Flamengo repete o placar do primeiro jogo e é campeão carioca

O Flamengo conquistou o título carioca de 2019 com mais uma vitória por 2 a 0 sobre o Vasco, na segunda partida da final do Estadual. O confronto, disputado na tarde deste domingo no Maracanã coroou a melhor campanha na competição. O Vasco chegou à final por ter vencido a Taça Rio, primeiro turno do Carioca. O Flamengo venceu o segundo turno e foi a equipe com mais pontos em toda a fase de classificação. William Arão abriu o placar no primeiro tempo, e Vitinho fez o segundo gol na etapa final.

Passado o Estadual, Flamengo e Vasco têm compromissos importantes nesta próxima semana. O Rubro-Negro visita a LDU em Quito, em busca da classificação à próxima fase da Libertadores. Um empate garante a classificação com uma rodada de antecedência.

Já o Gigante da Colina recebe o Santos na quarta-feira, em São Januário, no jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil. No jogo de ida, a equipe foi derrotada por 2 a 0 na Vila Belmiro.

O Jogo – O primeiro tempo no Maracanã começou quente. O Vasco, precisando reverter a vantagem de 2 gols do Flamengo, iniciou a partida com uma postura agressiva, marcando em cima e tentando não deixar o Flamengo jogar. O Rubro-Negro, por sua vez, manteve a calma e chamava o Vasco para seu campo enquanto buscava impor velocidade em suas subidas ao ataque.

E a chegada do jogo foi do Flamengo. Com um minuto, Gabriel avançou pela direita e cruzou pelo alto. Arrascaeta recebeu e arrsicou o chute, mas a bola desviou em Danielo Barcelos e o goleiro Fernando Miguel defendeu.

O Vasco respondeu na cobrança de um escanteio no minuto seguinte. Bola levantada na área e Werley acertou cabeçada para fora.

A equipe de Alberto Valentim mostrava muita disposição, mas o Flamengo construia as melhores oportunidades. Aos 12, Arrascaeta cobra falta da intermediária, a zaga rebate e Renê solta a bomba. A bola passa rente ao poste esquerdo de Fernando Miguel.

Três minutos depois, o Flamengo usou uma de suas maiores armas, a bola aérea, para abrir o placar no Maracanã. Falta pela direita do ataque, Pará rolou para Arrascaeta, que levantou na medida para William Arão cabecear para o fundo da rede.

Mesmo em vantagem, Flamengo seguiu mais perigoso, e teve dois contra-ataques muito perigosos aos 27 e 28 minutos. No primeiro, Diego lançou Gabigol na ponta esquerda. Ele penetrou na área e, quase sem ângulo, tentou um chute cruzado, mas Fernado Miguel cortou.

No segundo lance, Arrascaeta lançou Gabigol novamente do lado esquerdo. Desta vez, ele entrou na área, chamou a marcação e tocou por baixo das pernas do zagueiro vascaíno. Na pequena área, Diego tocou para o gol mas mandou em cima do goleiro vascaíno. Aos 30, Arrascaeta cobrou escanteio e Renê chutou na rede pelo lado de fora.

Nos minutos finais da primeira etapa, o Vasco subiu de produção e conseguiu chegar com perigo em busca do empate. Na melhor oportunidade, aos 33, a bola é levantada na área e Diego Alves corta de soco. No rebote, Yago Pikachu chutou de primeira no canto, mas Renê cortou quase na linha e salvou o empate.

O Vasco ainda chegou com perigo por duas vezes antes do apito final do primeiro tempo, aos 39 e aos 44. Lucas Santos recebeu cruzamento da direita de Marrony e acertou o chute. A bola desviou em Pará e saiu pela linha de fundo, próximo à trave.

No último lance de perigo, Raul Cáceres cruzou da direita e, após disputa pelo alto, Danilo Barcelos chutou fraco e Diego Alves defendeu.

O Vasco voltou para o segundo tempo com Maxi López no lugar de Lucas Santos, e partiu para cima do Flamengo em busca do empate. Pressionando desde que a bola rolou, o Cruz-Maltino esteve perto do empate.

Com um minuto, Marrony arriscou de fora da área e mandou pela linha de fundo. Dois minutos depois, jogada pela direita do ataque, Cáceres tocou para Pikachu, que chegou batendo. Maxi tentou desviar de letra mas mandou nas mãos de Diego Alves.

O Vasco levou um susto aos 14. Em contra-ataque rápido, Arrascaeta tocou em profundidade para Gabigol, que entrou na área, driblou o goleiro e mandou para a rede. O VAR chamou o árbitro e apontou impedimento no lance e o gol foi anulado.

Aos 20, Diego Alves fez sua maior defesa no jogo. Bruno Cesar cruzou da esquerda e Maxi López tocou de primeira para o gol, mas o goleiro do Fla se esticou e tirou com a ponta dos dedos, em lance de grande reflexo.

Aos 25, o Fla respondeu com Gabigol. Jogada pela esquerda, o atacante entrou na área e acertou a trave de Fernando Miguel.

Aos 33, Abel Braga fez duas alterações no Flamengo. Saíram Gabigol e Arrascaeta, e entraram Ronaldo e Vitinho. E foi do atacante o gol que deu números finais ao confronto decisivo. Aos 37, Diego faz boa jogada, avança pelo campo adversário e toca na medida para a escapada de Vitinho, que acerta belo chute cruzado e mata Fernando Miguel: Fla 2 a 0.

O Vasco ainda teve uma oportunidade aos 40, quando Danilo Barcelos cobrou falta próximo a àrea e acertou o travessão. Aos 42, Werley recebeu o segundo amarelo e foi expulso de campo.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 2 x 0 VASCO

Local: Etsádio do Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Data: 21 de abril de 2019. domingo

Horário: 16h00 (horário de Brasília)

Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda

Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa e Luiz Cláudio Regazone

VAR: Bruno Arleu e Daniel Espírito Santo

Cartões amarelos: Diego, Gabriel, Cuéllar (Flamengo); Leandro Castán, Werley, Danilo Barcelos, Bruno César, Raul, Marrony (Vasco)

Cartão vermelho: Werley (Vasco)

Público: 52.398 (47.995 pagantes)

Renda: R$ 2.152.256,00

Gols:

FLAMENGO: William Arão, aos 15 min do 1º tempo; Vitinho, aos 37min do 2º tempo

FLAMENGO: Diego Alves, Pará, Rodrigo Caio, Léo Duarte e Renê; Cuéllar, Willian Arão e Diego; Arrascaeta (Vitinho), Gabigol (Ronaldo) e Everton Ribeiro (Lincoln)

Técnico: Abel Braga

VASCO: Fernando Miguel, Raul Cáceres (Bruno César), Werley, Leandro Castán e Danilo Barcelos; Raul, Lucas Mineiro, Yago Pikachu e Lucas Santos (Maxi López); Marrony e Yan Sasse (Ribamar)

Técnico: Alberto Valentim

Gazeta Esportiva

 

Em primeiro vídeo da campanha, Alckmin “ataca” Bolsonaro

O primeiro vídeo para a propaganda eleitoral do candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, divulgado nesta quinta-feira, visou os eleitores do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, ao afirmar que os problemas do país não serão resolvidos “na bala”.

O vídeo mostra uma sequência de problemas do país, como desemprego, falta de saneamento, analfabetismo, filas na saúde e fome, cada um deles simbolizado por um objeto que é detonado por um tiro de arma de fogo.

O primeiro vídeo para a propaganda eleitoral do candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, divulgado nesta quinta-feira, visou os eleitores do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, ao afirmar que os problemas do país não serão resolvidos "na bala"
O primeiro vídeo para a propaganda eleitoral do candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, divulgado nesta quinta-feira, visou os eleitores do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, ao afirmar que os problemas do país não serão resolvidos “na bala”

Foto: Reuters

Na peça, um copo com a palavra “desemprego” é destroçado por um projétil. Uma bolsa de sangue com os dizeres “filas na saúde” tem o mesmo destino, assim como livros que formam a palavra “analfabetismo”, um jarro de água onde se lê “falta de saneamento” e uma melão com a palavra “fome” têm o mesmo destino.

Aparece na tela então uma criança e, em vez de a bala atingir a cabeça da menina, aparecem os dizeres “Não é na bala que se resolve”, encerrando o vídeo de um minuto.

Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenção de voto no cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem defendido uma flexibilização nas regras para obtenção de porte de arma e em entrevista nesta semana defendeu que policiais que matam mais criminosos devem ser condecorados.

Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenção de voto no cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem defendido uma flexibilização nas regras para obtenção de porte de arma
Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenção de voto no cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem defendido uma flexibilização nas regras para obtenção de porte de arma

Foto: Wilton Júnior / Estadão Conteúdo

Alckmin terá o maior tempo do horário da propaganda de rádio e TV, que se inicia no sábado para os candidatos a presidente.

O tucano, que tem encontrado dificuldades para crescer na preferência do eleitorado, terá também o maior número de inserções durante a programação normal das emissoras, que começam a ser veiculadas já na sexta-feira.

 

Reuters 

Ex-raposeiro garante vitória do Treze no primeiro Clássico dos Maiorais de 2018

De vilão a herói. Depois de perder uma penalidade contra o Botafogo-PB, o ex-raposeiro Reinaldo Alagoano marcou o gol da vitória do Treze no Clássico dos Maoriais diante do Campinense, neste domngo, no Estádio Amigão.

Além de reabilitar o time na competição, já que não vencia há três partidas, o triunfo interrompeu os 100% de aproveitamento da Raposa. O Galo assumiu a liderança do Grupo B, com oito pontos. Já o Campinense, mesmo com o revés, permanece na ponta da tabela do Grupo A, com 12 pontos.

Na próximo domingo, o Campinense vai enfrentar a Desportiva Guarabira, no Silvio Porto, pela fase de volta. Já o Treze enfrentará o Auto Esporte no sábado, no Almeidão. Antes porém, o time do treinador Oliveira Canindé fará sua estreia na Copa do Brasil, quarta-feira, contra o Criciúma, em Campina Grande.

Ficha técnica

Treze x Campinense

Data: 28/01/2018 – 16h

Local: Estádio Amigão / Campina Grande

Competição: Campeonato Paraibano 2018 (5ª rodada)

Arbitragem: João Bosco Sátiro; Oberto Santos e José Maria Neto.

Cartões amarelos: Rayro, Jonathan, Dedé, Vitinho, Alberto, Saulo, Ferreira (T), Muller Fernandes, Thiago Potiguar (C)

Gols: Reinaldo Alagoano (T), aos 26min do 1°T

Treze: Saulo, Ferreira, Leonardo Luiz, Ítalo e Rayro; Alberto, Dedé, Jonathan e Fábio Neves; Tininho (Caíque) e Reinaldo Alagoano (Tozin). Técnico – Oliveira Canindé

Campinense: Jéferson, Alex Murici, Rafael Jensen, Rafael Araújo e Jackinha; Tiago Silva, Fernando Pires (Tarcísio), Marcelo Silva e Marcinho (Jean Carlo); Muller Fernandes (Rodrigo Silva) e Thiago Potiguar. Técnico – Celso Teixeira

Veja o gol do Treze no vídeo reprodução abaixo:

 

paraibaonline

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br