Arquivo da tag: prevenir

Ciberataques aumentam no período eleitoral. Saiba como se prevenir

Foto:Vitor/Reprodução/flickr e Paulo Paiva/D.P/DA Press
Foto:Vitor/Reprodução/flickr e Paulo Paiva/D.P/DA Press

Com o início da campanha eleitoral, as investidas de cibercriminosos ganham mais espaço e e-mails com o tema “Eleições 2014” são espalhados com mais facilidade. Para alertar eleitores e mesários, o Tribunal Superior Eleitoral divulgou nota comunicando sobre os ataques de hackers que utilizam o nome do órgão para roubar dados ou disseminar softwares maliciosos.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“O TSE informa que não envia e-mails a eleitores. Apenas os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), mediante prévia e específica autorização do convocado, podem se utilizar desse tipo de correspondência para se comunicar com seus mesários. Portanto, mensagens dessa natureza, em nome do TSE, devem ser apagadas”, informou o Tribunal em seu site.
Os temas mais frequentes deste tipo de e-mail são alertas como cancelamento de título de eleitor, convocação de mesários ou atualização de cadastros. De acordo com o consultor de segurança da informação, Klever Cavalcanti, em épocas de eventos sociais os ataques se tornam mais frequentes. “Sempre que se aproximam eventos de grande proporção, aumentam os ataques por e-mails, com intuito de obter informações dos usuários ou propagar vírus pela rede. As épocas que mais atraem esses carackes são declaração do imposto de renda, muito comum falando que falta atualizar ou cadastrar algo. Ou ainda Serasa, SPC, Correios, bancos e no final de ano com aqueles cartões de Natal e ano novo. É bem comum esse tipo de ataque, mais conhecidos como Spans”, conta.
Além disso, a grande quantidade de dispositivos móveis conectados à internet com facilidade aumenta o número de vítimas de um ciberataque. “O sistema operacional Android é um dos mais visados. Os atacantes conhecidos como cracker, desenvolvem tipos de vírus por esse ser um dos sistemas operacionais mais utilizados em smartphones. É preciso cuidado ao baixar aplicativos e só baixe se realmente for seguro”, alerta Klever.
De acordo com um Relatório de Ameaças divulgado recentemente pela empresa McAfee, o número de e-mails contendo ameaças de phishing, o roubo de dados, está em constante crescimento. Apenas no primeiro trimestre deste ano as fraudes virtuais alcançaram o volume de 250 mil, representando aumento de 25% em relação ao mesmo período de 2013.
Para evitar esse tipo de golpe, confira algumas dicas de segurança:
Cheque o endereço dos sites antes de clicar nos links – Na maioria dos casos, um site com ameaça de phishing tem referência do site que finge ser, mas com alguma variação. Por exemplo: www.tse poderá direcioná-lo para o site www.ts.e3921.com e levá-lo a uma página falsa. Ao passar o cursor do mouse sobre o link é possível ver o real endereço de destino.
Suspeite de sites e e-mails mal configurados – E-mails e sites fraudulentos normalmente podem ser detectados por apresentarem imagens em baixa resolução e erros gramaticais.
Fique atento a mensagens de remetentes desconhecidos – Nunca clique em links enviados por estranhos, seja por e-mail, mensagens de texto ou mídias sociais. Esses links podem ter como destino a instalação de malwares, spywares ou qualquer outra das várias táticas dos cibercriminosos.

Pernambuco.com

Saiba como prevenir o câncer de próstata

O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer que mais afeta os homens, e o mais frequente nos que já passaram dos 50 anos. A própria idade avançada está entre os fatores de risco, assim como o histórico familiar da doença, fatores hormonais e ambientais, além de maus hábitos alimentares, sedentarismo e excesso de peso. Diante disso, preparamos este post para deixar você por dentro do assunto. Vamos conferir?

O Câncer de Próstata

800px-Benign_Prostatic_Hyperplasia_nci-vol-7137-300

Este tipo de câncer cresce lentamente, não apresentando sintomas em suas primeiras fases. Problemas para urinar, sensação de que a bexiga não se esvazia completamente e sangue na urina são indícios que indicam um estágio avançado da doença. Dor óssea, principalmente nas costas, indica a presença de metástases, um avanço da doença para uma fase ainda mais grave.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Prevenção

Os estudos na área da prevenção do câncer de próstata divergem em diversos pontos, entretanto, para redução dos fatores de risco, a medicina recomenda a adoção de práticas saudáveis de um modo geral. Alguns exemplos são:

Tenha uma dieta balanceada

images

Há evidências de que a adoção de uma dieta com baixa quantidade de gorduras e repleta de frutas e vegetais pode reduzir o risco de se desenvolver o câncer de próstata. A diminuição de alimentos ricos em gordura ajuda no controle do peso e traz uma melhora geral na qualidade de vida, inclusive diminuindo o risco de doenças cardíacas. Vegetais possuem vitaminas e nutrientes que também podem reduzir a ameaça de desenvolvimento do câncer de próstata.

Exercite-se com frequência

A prática de exercícios físicos está ligada aos hábitos saudáveis de um modo geral, mas estudos indicam que ela também contribui para a redução do risco de desenvolvimento do câncer de próstata. Caso ainda não possua uma rotina de exercícios, consulte seu médico para saber como iniciá-los. Caminhar mais e escolher as escadas ao invés do elevador são boas maneiras de se exercitar no dia-a-dia.

Mantenha o controle sobre seu peso

A obesidade está relacionada ao aumento do risco de diversos cânceres, incluindo o de próstata. Se você possui sobrepeso, trabalhe para diminuí-lo. Caso tiver muitas dificuldades, não hesite em procurar ajuda médica.

Alguns hábitos diários simples podem contribuir, e muito, para a redução da ameaça do câncer de próstata. Ainda assim, mesmo seguindo essas dicas, e praticando outros hábitos saudáveis, os exames rotineiros para homens acima de 50 anos são indispensáveis. Portanto, não deixe de visitar seu médico periodicamente.

 

grupodeandrologia

Oito medidas simples para prevenir e aliviar a gastrite

Gastrite: queimação, dor no estômago e náusea são os principais sintomas da doença (Thinkstock)
Gastrite: queimação, dor no estômago e náusea são os principais sintomas da doença (Thinkstock)

Queimação, dor no estômago e náusea são queixas de 15 a 30% dos pacientes que procuram um gastroenterologista. Esses sintomas são característicos de gastrite, uma inflamação aguda ou crônica nas paredes internas do estômago.

A bactéria Helicobacter pylori, que se hospeda no estômago, é apontada como uma das causadoras da gastrite. Estima-se que 80% dos brasileiros estejam infectados pela bactéria e que 5 a 15% dessas pessoas manifestem a doença. A relação entre a H. pylori e a gastrite ainda não foi compreendida pela medicina, mas acredita-se que o micro-organismo enfraqueça a mucosa estomacal, fazendo com que o suco gástrico machuque as paredes do estômago.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O uso prolongado de anti-inflamatórios não hormonais (como a aspirina) e o consumo exagerado de bebidas alcoólicas são fatores que também sensibilizam a mucosa estomacal, assim como stress, tabagismo e má alimentação.

Diagnóstico — Os sintomas da gastrite são parecidos com os de refluxo, má digestão e até câncer. Por isso, o ideal é, antes de tomar um remédio por conta própria, procurar um médico, que pedirá uma endoscopia para confirmar o diagnóstico. “A automedicação alivia os sintomas no momento, mas pode mascarar outras doenças mais graves”, diz o gastroenterologista Rogério Saad, professor da Faculdade de Medicina de Botucatu Unesp/FMB.

Uma gastrite não tratada pode evoluir para uma úlcera, um profundo machucado na mucosa do estômago. Os sintomas da moléstia são perda de peso rápida, vômito ou fezes com sangue, febre, olhos amarelados, vômitos frequentes, anemia e presença de gânglios em regiões como pescoço e virilha.

O tratamento da gastrite segue os mesmos preceitos da sua prevenção e inclui remédios para diminuir a acidez no estômago e, na presença da bactéria H. pylori, antibióticos.

 

Veja

Hérnia de disco, como tratar e prevenir?

HerniaA coluna vertebral é formada por 26 ossos ou também chamados de vértebras, que se separam umas das outras pelo disco intervertebral.

A hérnia de disco é uma doença onde parte do disco que se encontra entre as vértebras se desloca para fora de seu lugar ou se rompe. 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Esse deslocamento pode comprimir a raiz nervosa, ocasionando sintomas mais ou menos graves de acordo com a gravidade da lesão.

Para que serve o disco intervertebral?

 

Serve para separar as vértebras e amortecer os movimentos. A localização mais frequente das hérnias é na zona lombar, usualmente entre as vértebras lombar 4 e lombar 5, e também entre a lombar 5 e a sacra 1.

Causas da Hérnia de disco

 

Podemos mencionar as seguintes: esforços físicos, obesidade, traumatismos na coluna. À medida que vamos envelhecendo os discos de nossa coluna perdem flexibilidade e elasticidade. 

O disco fibroso que contem o núcleo pulposo se torna fraco e pode se desgarrar com maior facilidade. Por esta razão as pessoas idosas são mais propensas a sofrer com a hérnia. Mas a hérnia também ocorrer em pessoas jovens devido aos fatores citados anteriormente.

 

Quais são sintomas?

 

Mencionaremos os sintomas da hérnia de disco lombar, já que é o lugar mais comum de surgirem.

As pessoas que sofrem deste mal dizem que o principal sintoma é uma dor cortante e aguda, que pode se irradiar para baixo até uma perna.

Também podemos experimentar uma sensação de formigamento e fraqueza. Estes sintomas aparecem assim que realizamos movimentos bruscos ou esforços excessivos.

Um teste que o médico fará que indique ou sugira a hérnia lombar é: você deita de barriga para cima sobre uma maca, o médico pede que levante a perna estendida e imediatamente a dor aparecerá.

 

Exames diagnóstico

 

O médico realiza uma avaliação completa da coluna vertebral. Para confirmar o diagnóstico ele faz os seguintes testes:

 

Exame de raios-X: para descartar danos nas estruturas ósseas.

Ressonância magnética nuclear e tomografia axial computadorizada: estes dois exames demonstram o grau de danificação do disco. Outros exames mais específicos ficam a critério do médico.

 

Tratamentos

 

O tratamento de uma hérnia de disco se inicia com repouso e administração de anti-inflamatórios e analgésicos, para continuar com a fisioterapia.

Na fisioterapia podemos incluir a hidroterapia, exercícios na água guiados por um profissional para fortalecer a musculatura comprometida e melhorar a mobilidade e flexibilidade da coluna.

Massoterapia ou massagens: ao sofrer uma lesão os músculos tentam nos defender e freiam o movimento com uma consequente contratura.

Injeção de esteroides: são aplicados na zona onde se encontra a hérnia e pode ajudar aliviar a dor. 

Ozonoterapia: consiste na aplicação de ozônio terapêutico. A terapia consiste na infiltração de ozônio com esteroides diretamente na zona danificada. Ainda existem controvérsias sobre este tratamento, mas pode ser uma opção diante ao tratamento cirúrgico.

 

Tratamento cirúrgico

 

O tratamento cirúrgico é realizado como última opção, quando se esgotam todas as alternativas sem que a dor tenha desaparecido e a vida do paciente é afetada, incapacitando-o em sua rotina diária.

O médico recomendará o tratamento que pode dar melhores resultados para cada caso em especial. 

A maioria das pessoas melhora com o tratamento conservador, que inclui medicamentos, repouso, fisioterapia e na minoria dos casos a cirurgia.

Remédios naturais

 

dor-costas

 

Os seguintes remédios são recomendados para o sintoma principal da hérnia de disco lombar: a dor que irradia para a perna.

 

  • Salgueiro: Contém salicina, principio da aspirina. Faça a decocção de 2 gramas da casca seca em um copo de água. Beba 2 ou 3 xícaras por dia. Consulte seu médico antes de consumir.
  • Outra medida natural seria adicionar uma tigela um copo de água, 2 fatias de pão branco sem casca e uma colherada de pimenta de caiena. Mexa até formar uma pasta e aplique em forma de compressa ao final da coluna.

 

Prevenção

 

Como dentro das causas mencionamos a obesidade e os esforços excessivos, fica bem claro que a forma de prevenir uma hérnia de disco será um bom controle do peso.

Ser consciente no momento de realizar movimentos que envolvem a coluna vertebral, evitando ações bruscas ou levantamento de pesos que excedem nossa capacidade.

Aqueles que sofrem deste mal e realizam trabalhos pesados devem redobrar o cuidado para não sofrerem novas lesões e terem uma melhor qualidade de vida.

 

 

melhorcomsaude

Sete maneiras de prevenir a osteoporose

osteoporoseUma em cada três mulheres acima de 50 anos terá osteoporose, segundo a Fundação Internacional da Osteoporose (IOF, na sigla em inglês). Entre os homens, o índice é de um em cinco. A doença atinge 10 milhões de brasileiros e, de acordo com a IOF, deve crescer 32% até 2050 no país.

Essa moléstia que deixa ossos mais frágeis e porosos, suscetíveis a fraturas — principalmente do quadril, costela e colo do fêmur — progride aos poucos e é incurável. Como a doença não dá sinais, ela costuma ser diagnosticada somente em fase avançada. “A única real manifestação da osteoporose é a fratura”, diz Ari Halpern, reumatologista do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A fratura do fêmur é a complicação mais ameaçadora da enfermidade. “De 40 a 50% dos pacientes que sofrem essa fratura morrem até um ano depois do acidente por causa das complicações decorrentes da falta de mobilidade, como pneumonia, trombose e escaras”, diz o ortopedista Marco Aurélio Neves, ortopedista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo. “O melhor remédio é impedir que a doença se manifeste.”

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os principais fatores de risco para fratura relacionadas à osteoporose são baixa densidade mineral óssea, índice de massa corporal (IMC) inferior a 19, fratura prévia por fragilidade óssea (quando a quebra é ocasionada por uma pequena queda), uso de corticoides por mais de três meses, histórico familiar de fratura do quadril, tabagismo, consumo excessivo de álcool e artrite reumatoide.

 

As mulheres são mais acometidas pela doença do que homens principalmente porque, depois da menopausa, o hormônio feminino estrogênio, importante para a fixação do cálcio no osso, sofre uma queda brusca. Sem essa proteção, a perda de massa óssea se acelera e, quando atinge 25% do esqueleto, a osteoporose se instala. No caso do sexo masculino, a baixa da testosterona, também importante para a fixação do cálcio, é gradativa e afeta de maneira mais branda a saúde óssea — isto é, o homem é menos refém da testosterona que a mulher do estrogênio. “A doença costuma aparecer em homens após os 70 anos, mais tarde do que em mulheres”, diz Neves.

 

Veja

6 remédios caseiros para prevenir infecções urinárias

infeccao-urinariaAs infecções urinárias são a segunda causa mais comum para que as pessoas busquem os médicos ano após ano.

Os homens contraem infecções urinárias, porém elas são muito mais comuns em mulheres, mais de oito milhões de mulheres vão ao médico anualmente para tratar deste tipo de infecção.

E 20% destas mulheres terão uma segunda infecção. A boa notícia é que existem muitos remédios caseiros para a infecção urinária. Neste artigo te indicaremos seis deles.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

1. Bicarbonato de sódio

 

As infecções das vias urinárias que duram mais de dois dias requerem a intervenção médica. As infecções urinárias não tratadas podem infeccionar os rins e se tornarem um problema muito mais sério.

Para ajudar a prevenir o desenvolvimento deste tipo de infecção ou remediá-lo, adicione uma pequena colher de bicarbonato de sódio em um copo de água, esta mistura pode ajudar a aliviar a infecção. O bicarbonato neutraliza a acidez na urina e acelera a recuperação.

 

2. Mirtilo

 

mirtilo

 

Os mirtilos e os mirtilos azul e vermelho são da mesma família de plantas e parece que têm as mesmas propriedades inibidoras de bactérias. Segundo um estudo, o suco de mirtilo evita as infecções urinárias. Igualmente, comer estas frutas inteiras tem os mesmos benefícios.

 

3. Suco de mirtilo

 

Muitos estudos concluíram que o consumo de suco de mirtilo pode ajudar a evitar as infecções urinárias. Pelo jeito, o suco de mirtilo nos previne das bactérias que causam a infecção e também tem um antibiótico muito leve. Beber até 100 ml do suco de mirtilo por dia pode ajudar a manter a bexiga livre de infecção. Porém, se você tem tendência a desenvolver infecções urinárias ou está sofrendo de uma neste momento, procure tomar de 2 a 4 copos por dia do suco de mirtilo.

 

4. Abacaxi

 

abacaxi

 

A bromelina é uma enzima que pode ser encontrada no abacaxi. Em um estudo, as pessoas que sofriam com infecção urinária consumiram bromelina juntamente com os antibióticos que comumente usam e se livraram de sua infecção. Comer uma xícara de abacaxi faz bem e pode te ajudar a se livrar de uma infecção urinária.

 

 5. Vitamina C

 

Alguns médicos estão prescrevendo ao menos 5 g ou mais de vitamina C por dia aos pacientes que desenvolvem infecções urinárias recorrentes. A vitamina c mantém a bexiga saudável mediante a acidificação da urina, especialmente, porque evita a entrada de bactérias potencialmente daninhas.

 

6. Água

 

Agua

 

Se você tende a desenvolver infecções urinárias, procure beber muita água, cerca de 8 copos por dia. Você deve urinar, ao menos, a cada quatro ou cinco horas. Caso atualmente você esteja tratando de alguma infecção urinária, beba água para combatê-la. Beba um total de 300 ml de água de hora em hora. Isto te ajudará a eliminar as bactérias.

 

 

melhorcomsaude

Um copo de suco de tomate por dia pode ajudar a prevenir câncer de mama

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Para quem gosta de suco de tomate, um incentivo a mais para apreciá-lo: estudo da Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos, descobriu que um copo da iguaria por dia pode ajudar a prevenir câncer de mama. Os dados são do jornal Daily Mail.

 

O levantamento avaliou níveis hormonais de 70 mulheres a partir dos 55 anos, antes e depois do aumento do consumo de tomate por 10 semanas. Todas tinham excesso de peso ou parente próximo com câncer de mama, colocando-as em maior risco da doença.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Constatou-se que o alimento aumenta em até 9% os níveis do hormônio adiponectina, envolvido na regulação das taxas de gordura e obesidade. O benefício vem do licopeno, que dá a cor vermelha ao tomate.

 

“Os resultados demonstram a importância de ideias de prevenção da obesidade. Consumir uma dieta rica em tomates teve um impacto maior sobre os níveis de hormônio em mulheres que mantiveram um peso saudável”, afirmou a cientista Adana Llanos.

 

Yinka Ebo, do Instituto de Pesquisa do Câncer do Reino Unido, comentou que é improvável que comer qualquer alimento específico tenha um grande impacto na prevenção do câncer. “Não há necessidade de começar a estocar os tomates. As mulheres podem reduzir o risco de câncer de mama por meio da manutenção de um peso saudável, beber menos álcool e ser fisicamente ativas”, finalizou Yinka.

 

 

Ponto a Ponto Ideias

Escova de dentes pode prevenir ou provocar doenças

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Para que a escova de dentes, junto com o creme e o fio dental, possa cumprir seu papel de desorganizar o biofime – placa bacteriana – é preciso cuidar bem dela. São poucos passos para escolher o melhor modelo e garantir que fungos, vírus e bactérias passem longe.

 

Na prateleira
O recomendado é pedir para o dentista indicar qual a escova ideal para o paciente. Na maioria das vezes, a escova com cerdas planas, pontas arredondadas, do tipo ultramacia, e sempre com uma grande quantidade de cerdas, atende as necessidades da higienização bucal. “Hoje, não existe mais indicação para escovas duras e médias, pois provocam abrasão do esmalte e retração gengival em longo prazo, a ultramacia é a única escova livre de traumas”, diz o cirurgião-dentista Hugo Lewgoy.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Dedique-se
Os dentes têm cinco lados que devem ser limpos. Se multiplicarmos pelo número de dentes – 32 –, serão 160 superfícies a serem higienizadas pela escova. Segundo o dentista Milton Sabino Fernandes, uma boa escovação deve ser feita de preferência olhando para o espelho para não deixar escapar nenhum detalhe, não é bom se distrair durante a higienização bucal. “Temos que ser rápidos e efetivos para a higiene não tomar muito tempo nas três ou quarto vezes ao dia que devemos higienizar nossa boca”, diz.

 

Escova limpa
Na hora de lavar a escova, é preciso usar bastante água corrente – sem passar o dedo nas cerdas – e retirar o excesso de água. O professor Paulo Nelson, da Faculdade de Odontologia USP, também recomenda borrifar antisséptico bucal, usado em bochechos, na cabeça da escova. Após a higienização, o ideal é guardar a escova em suportes abertos que fiquem em locais secos e ventilados. “Apenas quando borrifamos um antisséptico nas cerdas, a escova pode ser guardada no armário do banheiro”, indica Paulo Nelson.

 

Data de validade
Estima-se que a escova de dentes precisa ser trocada de três em três meses, mas esse prazo é completamente variável. Quando as cerdas estão gastas e abertas podem passar a machucar a gengiva. “É muito comum receber pacientes com problemas de retração gengival causada pelo uso de escovas de dente gastas”, diz a dentista Tatiane Machado Buscarilli, da clínica Sorridents. Quando isso ocorre, a gengiva se desloca e deixa a raiz dos dentes exposta. A consequência é a sensibilidade dentinária.

 

Beta
Terra

Bons hábitos alimentares ajudam a prevenir até mesmo doenças crônicas

Ter uma boa alimentação é sinônimo de vida saudável. Por meio da Política Nacional de Alimentação e Nutrição, o governo incentiva a população a ter bons hábitos e conscientiza sobre os riscos de doenças causadas pela ingestão prolongada de alguns tipos de produtos.

Muitos componentes da alimentação dos brasileiros são associados ao desenvolvimento de doenças, como o câncer, problemas cardíacos, obesidade e outras enfermidades crônicas, como o diabetes. Por isso, alimentos ricos em gorduras, como carnes vermelhas, frituras, molhos com maionese, leite integral e derivados, bacon, presuntos, salsichas, linguiças, mortadelas, entre outros, devem ser ingeridos com moderação.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O tipo de preparo do alimento também influencia no risco de doenças. Ao fritar, grelhar ou preparar carnes na brasa a temperaturas muito elevadas, por exemplo, podem ser criados compostos que aumentam o risco de câncer de estômago. Por isso, métodos de cozimento que usam baixas temperaturas são escolhas mais saudáveis, como vapor, fervura, ensopados, guisados, cozidos ou assados.

Ministério do Desenvolvimento Agrário Alimentar-se de maneira correta significa prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida

  • Alimentar-se de maneira correta significa prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida

Vida saudável

A adoção de uma alimentação saudável previne o surgimento de doenças crônicas e melhora a qualidade de vida. Frutas, verduras, legumes e cereais integrais contêm vitaminas, fibras e outros compostos, que auxiliam as defesas naturais do corpo e devem ser ingeridos com frequência.

As fibras, apesar de não serem digeridas pelo organismo, ajudam a regularizar o funcionamento do intestino, reduzindo o tempo de contato de substâncias nocivas com a parede do intestino grosso.

A ingestão de vitaminas em comprimidos não substitui uma boa alimentação. Os nutrientes protetores só funcionam quando consumidos por meio dos alimentos. O uso de vitaminas e outros nutrientes isolados na forma de suplementos não é recomendável para prevenção do câncer.

Os bons hábitos alimentares vão funcionar como fator protetor se forem adotados ao longo da vida. Nesse aspecto devem ser valorizados e incentivados antigos hábitos alimentares do brasileiro, como o consumo de arroz com feijão.

O Ministério da Saúde lançou o Guia da Alimentação Saudável. Na publicação estão os dez passos para uma alimentação saudável. São eles:

• Coma feijão com arroz todos os dias ou, pelo menos, cinco vezes por semana. Esse prato brasileiro é uma combinação completa de proteínas e faz bem à saúde.

• Consuma diariamente três porções de leite e derivados e uma porção de carnes, aves, peixes ou ovos. Retirar a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes da preparação torna esses alimentos mais saudáveis.

• Consuma, no máximo, uma porção por dia de óleos vegetais, azeite, manteiga ou margarina.

• Evite refrigerantes e sucos industrializados, bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas e outras guloseimas como regra da alimentação.

• Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa.

• Beba pelo menos dois litros (seis a oito copos) de água por dia. Dê preferência ao consumo de água nos intervalos das refeições.

• Torne sua vida mais saudável. Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física todos os dias e evite as bebidas alcoólicas e o fumo.

• Faça pelo menos três refeições (café-da-manhã, almoço e jantar) e 2 lanches saudáveis por dia. Não pule as refeições.

• Inclua diariamente seis porções do grupo dos cereais (arroz, milho, trigo, pães e massas), tubérculos como as batatas e raízes como a mandioca nas refeições. Dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos em sua forma mais natural.

• Coma diariamente pelo menos três porções de legumes e verduras como parte das refeições e três porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches.

Fonte
Ministério da Saúde

Cuidados com alimentação rica em ferro ajuda a prevenir anemia

Thinkstock
Thinkstock

Baixo desempenho no trabalho, dificuldade de concentração, excesso de sono, tontura, palpitações, falta de ar, perda de apetite. Você se sente assim? Cuidado, pois você pode estar com anemia.

Existem vários tipos de anemia, mas a mais comum é a ferropriva, ou seja, pela deficiência de ferro no organismo. Ela é caracterizada pela deficiência no tamanho ou no número de células sanguíneas (glóbulos vermelhos) ou, ainda, na quantidade de hemoglobina que elas contêm, trazendo como consequência a limitação das trocas de oxigênio e gás carbônico entre o sangue e as outras células do corpo – o que acaba trazendo uma série de problemas, como os citados acima.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Um dos testes mais comuns para checar a presença de anemia é verificar a parte interna no olho: se ela estiver pálida, é melhor procurar um especialista para confirmar o diagnóstico e receber o tratamento adequado.

Mas, como diz o velho ditado, é melhor prevenir do que remediar. E para tanto basta investir em uma dieta equilibrada, rica em nutrientes – especialmente ferro, é claro. Existem dois tipos de ferro nos alimentos: o heme e o não heme. O primeiro é encontrado nas carnes, principalmente as vermelhas, e é absorvido de modo mais eficaz pelo organismo. O segundo é encontrado nos vegetais (verduras, leguminosas, cereais e frutas), porém, tem uma absorção menor pelo organismo.

Assim, é importante garantir a ingestão da quantidade ideal de ferro nas refeições, consumindo especialmente carne vermelha, a maior fonte de ferro. Feijão, beterraba e vegetais de folhas escuras, como brócolis, espinafre e agrião, também são ricos no nutriente.

Algumas pessoas têm que ficar mais atentas à possibilidade de desenvolver anemia. Entre elas, estão as mulheres com fluxo menstrual intenso, assim como quem tem úlcera, gastrite ou crises com hemorroida. Gestantes também precisam de cuidado especial. Na gravidez, mais ferro é necessário para a maior produção de hemoglobina.

Vegetarianos correm o risco de desenvolver anemia e, além do ferro, precisam receber periodicamente a vitamina B12, cuja deficiência pode levar a outro tipo de anemia, a perniciosa. “As fontes alimentares que fornecem a vitamina B12, obrigatoriamente, têm que ser as de alimentos de origem animal, pois essa vitamina não existe no reino vegetal”, alerta Júlio Sérgio Marchini, professor de Nutrologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP.

 

Ricos em ferro

“A dieta para prevenir anemia tem que conter alimentos ricos em ferro, como carnes, feijão, folhas verdes escuras, como brócolis. Alimentos enriquecidos também são importantes para contribuir com o consumo adequado”, diz a nutricionista Márcia Regina Vítolo, professora da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA).

Porém, se a pessoa já tem anemia, muitas vezes apenas a alimentação não basta para repor o nutriente, sendo necessário complementá-lo. “Se uma pessoa já tem anemia deve obrigatoriamente consultar um médico para descobrir a causa e fazer o tratamento específico. Muitas vezes somente a alimentação é incapaz de tratar a anemia, sendo necessária a suplementação terapêutica por dois ou três meses”, diz Marchini.

Ele enfatiza ainda que, mesmo com a suplementação, a alimentação não pode ser negligenciada, para que não ocorra mais perda de ferro.

Aproveitando ao máximo

A absorção de ferro pelo organismo pode ser potencializada pela ingestão de outros alimentos. A vitamina C, por exemplo, auxilia a absorção e mobilização do ferro armazenado. Além disso, ela transforma o ferro não heme em heme, aumentando sua absorção. Assim, beber suco de laranja durante uma refeição, ou então temperar uma salada de folhas verdes escuras com limão, vai fazer com que o organismo aproveite muito mais o ferro dos alimentos.

Alimentos amargos – como jiló, agrião e chicória – também auxiliam o organismo a aproveitar melhor o nutriente, pois estimulam a secreção de enzimas digestivas, facilitando a absorção do ferro.

Por outro lado, existem alimentos que prejudicam essa absorção. É o caso do cálcio, que pode diminuir em até 60% a absorção do ferro pelo organismo. Assim, deve-se evitar consumir leite e derivados em uma refeição rica em ferro. “Por exemplo, num bife à parmegiana, o cálcio do queijo prejudicará a absorção do ferro da carne. O mesmo acontece se ingerir iogurte, queijo branco, milk shake, em uma mesma refeição com fontes de ferro”, explica o nutrólogo e clínico geral Roberto Navarro, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

Não é só o cálcio que prejudica a absorção de ferro. As fibras, assim como os taninos e fitatos (encontrados no café, chá preto ou chá mate) também diminuem o aproveitamento do nutriente. Portanto, é necessário evitar o consumo excessivo de pães e massas integrais na mesma refeição que contenha fontes ricas em ferro.

A conduta mais perigosa, no entanto, é ter uma alimentação pouco saudável, muito gordurosa e pobre em variedade e nutrientes. “O que está errado, por exemplo, são os hábitos alimentares inapropriados, como se alimentar somente de um tipo de alimento, não tendo variedade de fontes de nutrientes diferentes necessários para o bom funcionamento do organismo”, afirma Marchini.

Perigos da anemia

O ferro atua no processo respiratório de transporte de oxigênio e dióxido de carbono no organismo e faz parte do processo de respiração celular.  “Os glóbulos vermelhos precisam de ferro para se formar. E eles são responsáveis por levar o oxigênio através do organismo”, explica Navarro. Segundo o nutrólogo, os anêmicos possuem menos formação de glóbulos vermelhos, então, sua oxigenação será menor. As consequências disso são os problemas citados no início do texto.

Se não tratada, a anemia pode evoluir e levar a problemas mais sérios, como déficit de crescimento, diminuição do sistema imunológico, dor nas pernas, queda de cabelo, unhas frágeis e infecções frequentes. “Casos de anemia profunda podem levar a óbito, pois a falta de oxigenação prejudica o coração, que é um músculo que também precisa de força para se contrair”, explica Navarro.

Assim como a deficiência de ferro pode causar anemia, o excesso do nutriente também pode ser prejudicial ao organismo. O nível recomendado de ferro no sangue em um adulto saudável é de 40 a 160 microgramas. Índices acima disso são um sinal de problema e podem provocar vômitos, diarreia, lesões intestinais e até problemas cardíacos. “Vários estudos apontam que o excesso de ferro pode aumentar a incidência de doenças cardíacas, além de lesões no fígado”, aponta Vitolo.

GRUPOS DE RISCO

Algumas pessoas têm que ficar mais atentas à possibilidade de desenvolver anemia. Entre elas, estão as mulheres com fluxo menstrual intenso, assim como quem tem úlcera, gastrite ou crises com hemorroida. Isso porque essas pessoas sofrem com sangramento crônico (contínuo ou repetido), e acabam perdendo mais ferro do que a alimentação pode repor. Por isso é preciso consumir mais ferro nas alimentações, ou alimentos enriquecidos com o nutriente, e, em alguns casos, é necessário o uso de suplementos.
Gestantes também precisam de cuidado especial. Na gravidez, mais ferro é necessário para a maior produção de hemoglobina. Portanto, além dos alimentos, recomenda-se suplementação durante o segundo e o terceiro trimestre de gestação.
Os vegetarianos também correm o risco de desenvolver anemia. “Em função de não consumirem as carnes que possuem o ferro de alta biodisponibilidade (alto aproveitamento), sua alimentação deve ser mais planejada e cuidadosa”, explica Vitolo. Nesse caso, é necessário procurar fontes vegetais ricas em ferro e, é recomendável, conversar com nutricionista para ver a necessidade ou não da suplementação do elemento.
Além do ferro, os vegetarianos precisam receber periodicamente a vitamina B12, cuja deficiência pode levar a outro tipo de anemia, a perniciosa. “As fontes alimentares que fornecem a vitamina B12, obrigatoriamente, têm que ser as de alimentos de origem animal, pois essa vitamina não existe no reino vegetal”, alerta Marchini.

 

 

Uol