Arquivo da tag: presídio

Suspeita de matar marido a facadas vai para presídio feminino, em Campina Grande

A mulher de 32 anos presa suspeita de matar o marido a facadas na frente dos filhos foi detida no Presídio Regional Feminino, no Complexo do Serrotão, em Campina Grande, nesta quinta-feira (12). A detenção aconteceu por meio de uma determinação do juiz Horácio Ferreira, que revogou a prisão domiciliar a que ela foi submetida em janeiro deste ano.

Conforme o juiz, a mulher descumpriu condições da prisão domiciliar. De acordo com ele, ela não estava cumprindo com as obrigações de mãe, principal critério que a fez receber o benefício e ameaçou a família do ex-companheiro.

O crime aconteceu no dia 19 de janeiro, no bairro das Três Irmãs, em Campina Grande. De acordo com relato da suspeita à polícia, a motivação do crime teria sido a troca de mensagens do então companheiro com outra mulher.

Em um áudio enviado pela suspeita a uma amiga, ela pede que a amiga pegue os filhos na casa dela, porque seguiria para o presídio ainda no domingo. Ela diz que, em seguida, mataria o marido.

Ao chegar no local em que o crime aconteceu, a polícia encontrou Joselito dos Santos Montenegro, de 40 anos, com cerca de cinco ferimentos de faca. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas a vítima já estava morta quando a equipe chegou para socorrê-la.

Suspeita de matar marido a facadas estava em prisão domiciliar

De acordo com a assessoria de comunicação do Fórum Afonso Campus, a determinação da prisão domiciliar foi expedida no dia 20 de janeiro deste ano com base na justificativa de que a mulher tem filhos com menos de 12 anos.

A prisão domiciliar é cedida desde 2018, conforme orientação do Supremo Tribunal Federal (STF), para presas sem condenação, gestantes ou que forem mães de filhos com até 12 anos.

Em audiência de custódia, mulher confessa que matou marido, em Campina Grande

Em audiência de custódia, mulher confessa que matou marido, em Campina Grande

 

G1

 

 

Operação Calvário: radialista tem prisão mantida e vai para presídio do Róger, na PB

O radialista Fabiano Gomes teve a prisão temporária mantida após audiência de custódia nesta quarta-feira (11). Ele será encaminhado ao Presídio do Róger, onde deve ficar preso, pelo menos, até o sábado (14), caso a prisão não seja revogada ou convertida em preventiva. Fabiano Gomes foi preso nesta terça-feira (10) na oitava fase da Operação Calvário, em João Pessoa. Ele é suspeito de atrapalhar as investigações solicitando dinheiro aos investigados para não divulgar informações sigilosas.

Fabiano Gomes denunciou ao juiz que, em prisão anterior, houve problemas com agentes penitenciários no presídio do Róger. Como medida de cautela, o juiz definiu que ele não tenha contato pessoal com o diretor do presídio. O radialista ficará, durante os cinco dias, na cela do seguro no Róger. Ele só poderá receber visita da esposa, dos filhos, pais e avós.

Segundo o blog de Matheus Leitão, do G1, o radialista também vai responder por porte ilegal de arma. Outros nove mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em João Pessoa e Bananeiras, na Paraíba. Um auditor também é investigado.

A defesa do radialista Fabiano Gomes informou que via estudar nesta quarta-feira a necessidade ou não de um recurso, já que o radialista só deve ficar preso, por enquato, até o sábado.

Arma apreendida na casa do radialista Fabiano Gomes; ele foi preso na oitava fase da Operação Calvário e também vai responder por porte ilegal de arma — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Arma apreendida na casa do radialista Fabiano Gomes; ele foi preso na oitava fase da Operação Calvário e também vai responder por porte ilegal de arma — Foto: Polícia Federal/Divulgação

A 8ª fase da Operação Calvário e investiga a lavagem de dinheiro de recursos desviados de organizações sociais da área da saúde, por meio de jogos de apostas autorizados pela Loteria do Estado da Paraíba (Lotep).

De acordo com as investigações, parte dos recursos teriam sido desviados com a participação do auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Richard Euler Dantas de Souza. Ele teria recebido uma valor para atrapalhar a fiscalização nas organizações sociais. O TCE-PB não se posicionou sobre o caso.

Além disso, também com o objetivo de impedir a investigação da Operação Calvário, o radialista Fabiano Gomes estaria utilizando canais da imprensa para constranger os investigados ou potenciais investigados. Ele teria solicitado a eles uma quantia em dinheiro para não revelar nenhum conteúdo sigiloso sobre eles.

Ao todo, 55 policiais federais e cinco auditores da Controladoria Geral da União participaram do cumprimento dos mandados, que aconteceram nas residências dos investigados e no Tribunal de Contas do Estado da Paraíba.

As ordens foram expedidas pelo Desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba.

Outros envolvidos na oitava fase

Foram alvos de busca e apreensão na oitava fase da Operação Calvário o irmão do ex-governador da Paraíba, Coriolano Coutinho, acusado de ser sócio oculto do Paraíba de Prêmios (jogo de oposta); Mayara de Fátima Martins de Souza, chefe de gabinete de Estela Izabel, e secretária-geral da Cruz Vermelha Brasileira (CVB); e Denylson Oliveira Machado, um dos responsáveis pelo Paraíba de Prêmios.

A defesa de Coriolano Coutinho disse que não sabe ainda do que se trata, pois não teve acesso a informações da operação. O G1 não conseguiu contato com as outras defesas.

Gaeco e Polícia Federal desencadeiam 8ª Fase da Operação Calvário

Gaeco e Polícia Federal desencadeiam 8ª Fase da Operação Calvário

Vídeo mostra negociação de propina feita por auditor

Um vídeo, que faz parte do processo da Operação Calvário, mostra o que seria um encontro entre o auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Richard Euler Dantas de Souza, e o ex-superintendente da Cruz Vermelha, Ricardo Elias Antônio, ambos denunciados pelo Ministério Público. No encontro os dois, segundo o Ministério Público, tratariam do pagamento de R$ 200 mil ao auditor para “esfriar” as fiscalizações em contratos da Saúde do Estado. O vídeo faz parte da denúncia.

  • Ricardo Elias: Eu só deixa… Se tá no meu bolso, vamos lá. Isso aqui é o…
  • Richard: (inaudível) aquele negócio.
  • Ricardo Elias: (inaudível) aquele negócio lá.
  • Richard: Beleza.
  • Ricardo Elias: Você me pediu, tá! Tá resolvido.
  • Richard: (inaudível)
  • Ricardo Elias: Aí… Deixa… É que eu tô hoje… Nem tô com muito tempo de folga, tô ferrado de correria. Só mau notícias (inaudúvel) que que aconteceu? Você…
Policiais federais cumpriram mandado de busca e apreensão no Palácio da Redenção, durante sétima fase da Operação Calvário, em João Pessoa — Foto: Divulgação/PF

Policiais federais cumpriram mandado de busca e apreensão no Palácio da Redenção, durante sétima fase da Operação Calvário, em João Pessoa — Foto: Divulgação/PF

Operação Calvário

A Operação Calvário foi desencadeada em dezembro de 2018 com o objetivo de desarticular uma organização criminosa infiltrada na Cruz Vermelha Brasileira, filial do Rio Grande do Sul, além de outros órgãos governamentais. A operação teve oito fases, resultando na prisão de servidores e ex-servidores de alto escalão na estruturado governo da Paraíba.

A investigação identificou que a organização criminosa teve acesso a mais de R$ 1,1 bilhão em recursos públicos, para a gestão de unidades de saúde em várias unidades da federação, no período entre julho de 2011 até dezembro de 2018.

Na sétima fase, o governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), e o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), se tornaram alvos, no dia 17 de dezembro de 2019. Um mandado de prisão foi expedido contra o ex-governador. Em relação ao atual governador, houve somente mandados de busca e apreensão, determinados para o palácio de governo e para a residência oficial.

Também foram expedidos mandados de prisão contra a deputada estadual Estela Bezerra (PSB) e a prefeita do município paraibano de Conde, Márcia Lucena (PSB). Ao todo, a “Operação Calvário – Juízo Final” expediu 17 mandados de prisão preventiva e 54 de busca e apreensão.

O ex-governador Ricardo Coutinho foi preso no fim da noite do dia 19 de dezembro e teve a prisão preventiva mantida no dia 20 de dezembro após audiência de custódia. Ele foi encaminhado para a Penitenciária de Segurança Média Juiz Hitler Cantalice, no bairro de Mangabeira, na capital paraibana, onde também foram os demais presos na sétima fase da Operação Calvário com prerrogativa de prisão especial. Ele deixou o presídio no dia 21 de dezembro de 2019.

G1

 

Governo Federal cria comissão para inspecionar presídio da Paraíba

Os presídios da Paraíba vão passar por inspeções realizadas por representantes do Ministério da Justiça e Segurança Pública, comandado pelo ex-juiz Sérgio Moro.

De acordo com Portaria publicada, nesta sexta-feira (7), no Diário Oficial da União, o presidente do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, Cesar Mecchi Morales, nomeou os representantes da comissão que deverá se encarregar da visita as casas de detenção no Estado.

A comissão na Paraíba será composta por Juliana Zappalá Porcaro Bisol e Wilson Salles Damazio. Os conselheiros designados deverão apresentar relatório circunstanciado sobre a visita de inspeção que será encaminhado ao Departamento Penitenciário Nacional, do Ministério da Justiça.

Além da Paraíba, presididos de Alagoas, Pernambuco, Acre, Sergipe, Pará, Ceará, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Goiás, Santa Catarina, Maranhão, Bahia, Mato Grosso, São Paulo, Amapá, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Paraná, Piauí, Amazonas, Rondônia, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Tocantins passarão pelas inspeções.

Roberto Targino -MaisPB

 

 

Polícia apreende celulares e droga que seriam arremessados para interior de presídio em Guarabira

Na madrugada desta quarta-feira (22), policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) apreenderam uma sacola contendo 15 aparelhos de telefone celular, nove carregadores, três baterias, dez fones de ouvido e dez cartelas de comprimido Artane, além de 700g de substância análoga à maconha e aproximadamente 15g de substância similar a crack, que seriam arremessados para o interior da Penitenciária João Bosco Carneiro, em Guarabira.

O policial militar que realizava a vigilância em uma das guaritas visualizou uma pessoa se arrastando próximo ao muro do estabelecimento prisional. O militar ordenou para que ele parasse, mas ele conseguiu fugir na direção de um matagal, deixando no local o material ilícito. A sacola foi apreendida e repassada aos agentes penitenciários para fazerem o encaminhamento para a Polícia Civil.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Jovem é preso suspeito de tentar arremessar celulares e drogas para dentro de presídio na Paraíba

Um jovem de 18 anos foi preso, na madrugada desta segunda-feira (2), suspeito de tentar arremessar celulares e drogas para dentro do presídio de Catolé do Rocha, na Paraíba. Um policial militar que estava em uma das guaritas do presídio flagrou dois indivíduos tentando arremessar objetos para dentro da unidade prisional.

Uma guarnição foi solicitada para dar apoio e chegando ao local encontrou um dos suspeitos já contido ao solo pelo guariteiro.

Com o jovem foram encontrados três celulares, três carregadores e uma porção de substância análoga à maconha. O outro suspeito conseguiu fugir antes da chegada das viaturas.

O jovem e o material apreendido foram encaminhados para a delegacia de Polícia Civil.

 

 

clickpb

 

 

Homem é preso suspeito de tentar arremessar 26 celulares para o presídio de Cajazeiras, na PB

Um homem foi preso em flagrante na manhã deste sábado (2), suspeito de tentar arremessar 26 celulares para o presídio de Cajazeiras, no Sertão da Paraíba. Segundo informações da Polícia Civil, ele negou que jogaria o material para dentro da unidade penitenciária.

Ainda de acordo com a polícia, agentes penitenciários que trabalham na guarita da penitenciária haviam notado a intenção do suspeito. Como ele estava sendo monitorado, foi perseguido e conseguiu fugir em uma motocicleta sem placa.

Por volta das 5h o suspeito foi localizado. Na mochila que ele carregava estavam 26 celulares, dez carregadores de celular e três facas. À polícia, ele contou que recebeu uma ligação para transportar o material, mas que não seria ele que arremessaria para dentro do presídio.

O delegado Francisco Filho informou que a moto utilizada na fuga do homem havia sido roubada no Ceará. Ele também negou que tivesse cometido o roubo. Por isso, foi autuado pelos crimes de receptação e tentativa de entrar com celulares no presídio.

O homem está detido na Delegacia de Polícia Civil de Cajazeiras. Ele deve ser encaminhado ainda na tarde deste sábado para o presídio da cidade.

Foto: Direção do presídio de Cajazeiras/Divulgação

G1

 

Suspeita de aplicar golpes em pessoas e empresas vai para presídio feminino

Uma empresária, de 38 anos, suspeita de aplicar golpes em dezenas de pessoas e empresas passou por uma audiência de custódia, nesta quarta-feira (23), em João Pessoa. Após se recusar a pagar uma fiança, a mulher foi encaminhada para o Centro de Reeducação Feminino Maria Júlia Maranhão, no bairro Mangabeira.

A mulher foi presa na noite da terça-feira (22) em um hotel de luxo, localizado no bairro do Cabo Branco. A prisão aconteceu através de denúncias de pessoas que informaram que a mulher apresentava falsos comprovantes de pagamentos para encomendas e serviços utilizados por ela.

À TV Cabo Branco, os advogados da empresária disseram que ela passou por uma crise financeira, que a impediu de saldar as dívidas com as vítimas. Eles disseram ainda que ela pretende pagar a todos.

Mulher suspeita de aplicar golpes em pessoas e empresas é presa

Uma mulher foi presa no início da noite desta terça-feira (22), suspeita de aplicar golpes em pessoas e empresas, em João Pessoa. De acordo com a Polícia Militar, a suspeita simulava falsos pagamentos para produtos e serviços encomendados e utilizados por ela.

A mulher foi encontrada em um hotel de luxo, localizado na orla da capital. Segundo informações da PM, os funcionários do local suspeitavam que ela também aplicaria um golpe no estabelecimento.

Entre as vítimas estão noivas, empresas de alimentação e de festas, de serviços médicos, salões de beleza e hotéis.

Foto: Inaê Teles/G1

G1

 

Suspeito de estuprar e engravidar filha em João Pessoa vai para o presídio PB1

O homem de 36 anos preso suspeito de estuprar e engravidar a filha foi encaminhado para o presídio PB1, em João Pessoa. Segundo a diretoria do Fórum Criminal da capital, ele passou por uma audiência de custódia na tarde desta sexta-feira (6) e foi detido após cumprimento de um mandado de prisão.

O homem foi preso na quinta-feira (5). Segundo a delegada Amindonzelle Oliveira, foi a vítima, que tem 18 anos, quem fez a denúncia. Ela relatou que os abusos começaram ainda criança, quando tinha 10 anos de idade, pouco tempo depois da morte da mãe dela. O suspeito justificou os abusos para a jovem dizendo que ela se parecia com a mãe.

Quando a vítima engravidou, aos 15 anos, a família da mãe dela desconfiou da situação e a tirou da casa do suspeito. O homem foi submetido ao exame de DNA. A criança, filha dele com a vítima, também passará pelo exame. De acordo com a delegada, o resultado do laudo deve ser a maior prova de que o crime tenha acontecido.

A delegada informou que já havia um inquérito policial na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, na Zona Sul da capital. Por isso, o homem foi preso por meio de um mandado de prisão e levado para a carceragem da Central de Polícia Civil, no bairro do Geisel, onde aguardou pela audiência de custódia.

Foto: Walter Paparazzo/G1

G1

 

Rebelião deixa 52 mortos no presídio de Altamira, sudoeste do Pará

Detentos do Centro de Recuperação Regional de Altamira, no sudoeste do Pará, fizeram uma rebelião por cerca de cinco horas na manhã desta segunda-feira (29). De acordo com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), 52 detentos foram mortos, sendo 16 deles decapitados e o restante asfixiado. Dois agentes penitenciários, que chegaram a ficar reféns, foram liberados.

Uma briga entre organizações criminosas provocou a rebelião. Segundo a Susipe, internos do bloco A, onde estão custodiados presos de uma organização criminal, invadiram o anexo onde estão internos de um grupo rival. A Superintendência ainda não identificou os grupos.

Posteriormente, a sala foi trancada e os presos atearam fogo no local. A fumaça invadiu o anexo e alguns detentos morreram por asfixia, de acordo com a Susipe. A ação começou às 7h e terminou por volta das 12h.

Uma cúpula da Segurança Pública do Pará viaja para Altamira, para acompanhar o caso, na tarde desta segunda. A unidade prisional tem capacidade para 200 detentos, mas era ocupado por 311 presos.

Esse é o segundo maior massacre em presídios de 2019. Em maio, 55 presos foram mortos sob custódia do estado no Amazonas.

Altamira - Rebelião em presídio no sudoeste do Pará faz reféns e deixa mortos.

Altamira – Rebelião em presídio no sudoeste do Pará faz reféns e deixa mortos.

 

G1

 

 

Homem é preso tentando arremessar celulares e droga para dentro de presídio em Guarabira

Policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) prenderam, na noite desse domingo (7), um homem que estava tentando arremessar aparelhos de telefone celular, acessórios e droga para o interior do Presídio João Bosco Carneiro, na cidade de Guarabira. Com ele foram apreendidos 25 aparelhos celulares de diversas marcas e os seguintes acessórios: 26 carregadores, cinco fones de ouvido, três cabos USB, três baterias, três cartões de memória, três chips e duas capinhas para celular, além de 11 pacotes de uma substância semelhante à maconha, totalizando aproximadamente 1 kg.

O policial que estava trabalhando de sentinela na penitenciária solicitou apoio ao Copom pois havia visualizado uma pessoa em atitudes suspeitas próximo ao muro da unidade prisional. As guarnições comandadas pelo cabo Gutemberg e cabo Andrade foram designadas para irem até o local e conseguiram capturar o suspeito e apreender o material ilícito. Ele foi preso e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, onde foi autuado em flagrante.

Assessoria 4º BPM