Arquivo da tag: Presidente

Presidente da Aesa comemora chuvas, mas se diz preocupado com outras regiões

Em entrevista à rádio Campina FM, o presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Porfírio Catão Cartaxo, comentou sobre as últimas chuvas do Estado.

Segundo a Aesa, nos últimos dias as chuvas no causaram uma grande recarga nos reservatórios que ficam na região litorânea da Paraíba, porém no Agreste e Brejo a situação é totalmente contrária, e as regiões seguem sofrendo com a estiagem.

As últimas chuvas na faixa leste foram de fato muito importantes. Vários reservatórios vieram a transbordar. Porém, o que precisássemos era que essas chuvas descessem para o Agreste e Brejo, pois é lá que precisamos abastecer as barragens – explicou.

Segundo Porfírio, as últimas chuvas no Estado somaram quase 1 bilhão de metros cúbicos de água acumulados no armazenamento geral.

De acordo com o presidente, existem algumas barragens específicas que necessitam com mais urgência de abastecimento por meio de chuvas.

Temos uma preocupação com as barragens de Capivara, Acauã, e todas as do Brejo, já que abastecem uma grande quantidade de cidades – afirmou.

Ainda segundo o representante da Aesa, a interrupção no bombeamento de água do Rio São Francisco para o açude Epitácio Pessoa dificilmente será regularizado no prazo de 15 dias.

– Nós temos uma tranquilidade em relação ao abastecimento de Campina Grande e as outras cidades que são abastecidas pelo açude de Boqueirão, porém, o prazo deverá ser um pouco maior – contou.

 

paraibaonline

 

 

Presidente do BNDES pede demissão após ameaça de Bolsonaro

O presidente do BNDES, Joaquim Levy, pediu demissão do cargo. “Solicitei ao ministro da Economia, Paulo Guedes, meu desligamento do BNDES. Minha expectativa é que ele ceda”.

“Agradeço ao ministro o convite para servir ao País e desejo sucesso nas reformas. Agradeço também, por oportuno, a lealdade, dedicação e determinação da minha diretoria”.

Em nota, Levy agradeceu especialmente aos inúmeros funcionários do BNDES, “que têm colaborado com energia e seriedade para transformar o banco, possibilitando que ele responda plenamente aos novos desafios do financiamento do desenvolvimento, atendendo às muitas necessidades da nossa população e confirmando sua vocação e longa tradição de excelência e responsabilidade”.

Na tarde de sábado, o  presidente Jair Bolsonaro criticou e ameaçou demitir Levy. Bolsonaro disse estar “por aqui” com o chefe do banco, que estaria “com a cabeça a prêmio”.

Desde o início do governo, a relação entre os dois foi marcada por divergências. O episódio mais recente foi a escolha de Marcos Barbosa Pinto para a diretoria da área de Mercado de Capitais, do BNDES, responsável pelos investimentos do BNDESPar, braço de participações acionárias do banco de fomento, que administra carteira superior a R$ 100 bilhões. O presidente exigiu que Levy demitisse o diretor.

Na noite de sábado, Barbosa Pinto entregou uma carta de renúncia ao cargo. Ele foi chefe de gabinete de Demian Fiocca, na presidência do BNDES, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista ao “G1”, Guedes destacou ainda que é natural Bolsonaro se sentir “agredido”.

O próprio Levy também participou de governos petistas. Foi secretário do Tesouro no governo Lula e ministro da Fazenda na gestão de Dilma Rousseff.

 

O Globo

 

 

Depois de demitir três generais em menos de uma semana, Bolsonaro ameaça presidente do BNDES

Depois de demitir três generais em uma semana, Jair Bolsonaro ameaçou o presidente do BNDES, Joaquim Levy, com a exoneração já na próxima segunda-feira. A ameaça pública foi feita neste sábado (15), nos portões do Palácio do Alvorada. Bolsonaro acusou Levy de desleal, disse que o presidente do BNDES “está com a cabeça a prêmio há algum tempo” e explicitou o motivo da possível demissão: “Eu já estou por aqui com o [Joaquim] Levy [nesse momento levou a mão ao pescoço, como se estivesse cortando-o]. Falei pra ele demitir esse cara [Marcos Barbosa Pinto] na segunda-feira ou eu demito você, sem passar pelo Paulo Guedes”.

“Governo tem que ser assim: quando coloca gente suspeita em cargos importantes e essa pessoa, como Levy, já vem há algum tempo não sendo leal àquilo que foi combinado e àquilo que ele conhece a meu respeito, ele (Levy) está com a cabeça a prêmio há algum tempo”, continuou Bolsonaro, visivelmente alterado.

Barbosa Pinto foi assessor do BNDES no governo do PT e, segundo reportagem do jornal Valor Econômico, voltaria ao banco para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do BNDES. Levado por Guedes para a presidência do BNDES durante a atual gestão, Levy foi ministro da Fazenda de Dilma Rousseff (PT).

Bolsonaro deu a declaração ao sair do Palácio do Alvorada em direção à base militar. Ele viaja na tarde deste sábado para Santa Maria (RS), onde participa de uma cerimônia militar à noite.

Nesta semana, foram demitidos por Bolsonaro: o presidente da Funai, general Franklimberg Ribeiro de Freitas, por considerá-lo amistoso com os indígenas; o presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha, por tirar fotos com parlamentares de esquerda  durante uma visita à Câmara, e o secretário de Governo, general Santos Cruz, por opor-se à ordem unida na comunicação governamental, que Bolsonaro pretende ver controlada pela extrema-direita.

 

Brasil 247

 

 

‘Venda direta do etanol vai baratear o preço’, afirma presidente da Asplan

O presidente da Associação de Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio, comentou a respeito da Audiência Pública que acontece nesta terça-feira (11), na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados com a participação da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana).

Em contato com o Portal Paraíba.com.br, José Inácio, afirmou que a consequência imediata da venda direta do Etanol, que é a que se propõe a agenda em Brasília, é o barateamento do combustível.

Inácio exemplificou afirmando que o álcool sai de uma destilaria no interior, vai as vezes até Suape em Pernambuco e volta para um posto ‘ao lado’ da destilaria. “Tudo isso encarece. Com a liberação da venda direta, o caminho diminui e vai beneficiar”, disse.

Além disso, o presidente comentou que há um cartel de venda de álcool e acredita que a concorrência também vai beneficiar na queda dos preços. “Mais gente vendendo a tendência é baixar”, afirmou e completou que além do “passeio” que o combustível dá também tem a tributação.

Marília Domingue

 

 

Presidente do Senado acha pouco provável a prorrogação dos mandatos prefeitos

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado, colocou um ´balde de gelo´ no tocante à possibilidade de prorrogação dos mandatos de prefeitos e vereadores no ano que vem.

“Não está em pauta a prorrogação dos mandatos. As pessoas foram eleitas para um mandato determinado. Esperamos que se essa mudança acontecer, que ela comece a valer para um período mais à frente”, discorreu o senador em sua visita neste final de semana a Campina Grande.

*fonte: coluna Aparte, com o jornalista Arimatéa Souza

 

 

Presidente da FPF considera ‘graves’ as suspeitas de manipulação de resultado em jogo do Campinense

A vitória do Campinense sobre o Vitória-PE na noite da última quinta-feira (6) foi colocada em xeque por torcedores e apostadores. Em aplicativos de mensagens, áudios relataram a atuação de uma rede de manipulação de resultados na partida. A presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michele Ramalho, classificou como “graves” as suspeitas e pede que o caso seja investigado pelas autoridades competentes. A informação é do repórter Sérgio Rangel, do UOL Esporte.

Dentro de campo, a Raposa goleou o Vitória-PE por 4 a 0, em partida válida pela sexta rodada da fase de grupos do Campeonato Brasileiro da Série D. A partida foi antecipada para a noite de quinta-feira a pedido do Campinense que, assim como o Vitória-PE, já estava eliminado da competição. Nos aplicativos de mensagens, porém, apostadores relataram que integrantes de uma rede de manipulação de resultados “compraram o jogo do Campinense” (sic).

Divulgação

Na conversa de áudio, um torcedor diz que a partida seria 4 a 0 e citou José Pereira, o Pezão, homem forte do departamento de futebol rubro-negro, como um dos responsáveis pelo esquema. Pezão, assumirá, na próxima semana, oficialmente o cargo de diretor de futebol do clube de Campina Grande. Ele não foi encontrado pela reportagem do UOL Esporte para comentar a denúncia.

Em um dos áudios obtidos pelo UOL Esporte, uma outra pessoa informa que a partida estava bloqueada para apostas nos sites baseados em Campina Grande e comentava que um amigo jogou em uma casa de apostas no Pará e ganhou “dinheiro com força”.

Em um comunicado emitido na noite de quinta, a casa de apostas “Bets Esportes” informou que o resultado do jogo foi manipulado e informava aos seus clientes que devolveria o valor das apostas.

O “Bets Esportes” é mais uma das dezenas de bancas de apostas que operam ilegalmente no país. O domínio da empresa está registrado no Maranhão. A reportagem tentou obter contato com a empresa, mas não teve sucesso.

Nota divulgada pela “Bets Esportes”

O Campinense é patrocinado por um site de apostas. O principal parceiro do clube é a “MixBet”, empresa hospedada no Arizona, nos EUA.

Procurada pela reportagem, a presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michele Ramalho, que chefia a delegação brasileira na Copa do Mundo de Futebol Feminino, na França, afirma que a suspeita deve ser investigada pelas autoridades locais.

– Se trata de denúncias graves e devem ser investigadas e apuradas pelos órgãos competentes – disse a mandatária do futebol paraibano.

Organizadora da competição, a CBF informou à reportagem que está apurando as informações antes de se manifestar.

Outro lado

O Campinense não se pronunciou sobre o caso. Os dirigentes do Vitória também foram procurados, mas não responderam aos contatos da reportagem do UOL Esporte.

Credibilidade em xeque na Paraíba

A suspeita de manipulação de resultados em Campina Grande agrava a credibilidade do futebol da Paraíba, que atravessa a maior crise da sua história.

No ano passado, dirigentes da federação, de Botafogo-PB e Campinense, além de árbitros, foram banidos do futebol pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, acusados de integrarem um esquema de manipulação de resultados, através da compra de árbitros.

A Operação Cartola, conduzida pela Polícia Civil da Paraíba e Ministério Público do Estado, revelou que dirigentes negociavam pagamentos para árbitros e adversários. Willian Simões, então presidente do Campinense, foi um dos banidos do futebol no ano passado pelo STJD. O caso segue na Justiça Comum, onde no mês passado foram ouvidas as primeiras testemunhas em audiência no Tribunal de Justiça da Paraíba.

Jogos vazios são alvos preferidos

Jogos sem apelo de público e com pouca importância na tabela da competição são os preferidos das máfias de manipulação de resultados. Com o estádio praticamente vazio, a partida de quinta-feira, em Campina Grande, teve apenas 305 pagantes e não mexeu na tabela da competição. Os dois times já estavam eliminados da Série D.

A equipe pernambucana terminou a competição sem nenhum ponto. Já o Campinense deixou a Série D com sete pontos.

A goleada foi a única do time paraibano no torneio. Em seis partidas, a equipe venceu somente duas e ainda teve um empate e três derrotas.

O mercado de apostas esportivas online foi liberado em dezembro do ano passado e aguarda a regulamentação no Congresso Nacional. Apesar de ser proibido no país, cerca de 500 sites baseados no exterior recebem apostas de brasileiros. Estima-se que as apostas feitas no Brasil movimentaram cerca de R$ 4 bilhões neste ano.

Equipe @VozdaTorcida com UOL Esporte

 

 

Presidente da OAB critica elevado número de cursos de Direito na PB

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Paraíba (OAB-PB), Paulo Maia, criticou a quantidade de cursos de graduação em Direito nas universidades atualmente. O desabafo foi feito nas redes sociais, nessa quarta-feira (05), em um texto onde o advogado vê a ‘criação indiscriminada e irresponsável’ de cursos jurídicos.

A foto compartilhada por Paulo mostra um homem ao lado de uma placa, que diz: “Preciso de emprego, sou formado em Direito, tenho carteira da OAB, experiência na área jurídica e administrativa. Por favor, me dê uma oportunidade”.

“Esse é um dos lamentáveis efeitos da criação indiscriminada e irresponsável de cursos jurídicos e da ampliação de vagas nos cursos de graduação em Direito”, comenta o advogado sobre a imagem.

Maia diz receber constantemente pedidos de oportunidade de trabalho, vindos de colegas que estão desempregados mas afirma não ter como ajudá-los. No mesmo texto, ele reconhece que não há vagas para todos, mas estimula que os profissionais não desistam dos seus objetivos.

“Iniciar sempre é difícil e hoje está mais ainda, mas nunca foi fácil para ninguém. O importante é, certo de sua vocação, não desistir nunca que a nossa hora chegará”, finalizou.

Confira publicação:

MaisPB

 

 

Presidente da Câmara pretende votar reforma da Previdência até julho

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), informou nesta segunda-feira (3) que pode pautar a proposta de reforma da Previdência (PEC 6/2019) para votação no plenário da Casa no mês de julho. Para garantir quórum alto de presença, Maia está barrando pedidos de viagem de deputados após o feriado de Corpus Christi, no dia 20 deste mês.

Segundo o deputado, o quórum da Casa terá que estar perto de 500 deputados. Maia disse que todos os pedidos de viagem após 20 de junho estão sendo negados para que se possa, a partir dessa data, voltar a atingir o quórum de 500, 505 deputados. “Hoje estamos na média com 475, 480, e a gente precisa recuperar esses 20 para ter uma margem tranquila para aprovar a Previdência já no final do mês ou no início do mês que vem”, afirmou o presidente da Câmara.

Além do feriado, os meses de junho e julho são marcados pelas festas juninas, que costumam atrair os parlamentares para suas bases políticas e, assim, esvaziam as votações do plenário. A perspectiva de Rodrigo Maia é garantir a votação antes do recesso legislativo, que começa no dia 18 de julho. Por ser tratar de proposta de emenda à Constituição (PEC), o texto precisa ser aprovado em dois turnos por 308 deputados antes de seguir para o Senado.

“A gente tem que ter 350 [votos] prontos para votar para ter a garantia que vão sobrar uns 320, 330. Se a gente conseguisse uma pactuação com todos os governadores, do PSB, do PT, do DEM, do MDB, do PSDB, aí, sim, a gente poderia estar sonhando com o número de 400 deputados. Seria uma sinalização histórica, uma votação histórica, com uma sinalização muito forte para toda a sociedade [de] que nós vamos tirar os temas que são da questão fiscal, previdenciária, do nosso embate ideológico, vamos racionalizar esse tema”, afirmou.

Tramitação

Nesta terça-feira (4), a comissão especial que analisa a proposta que altera as regras de aposentadoria promoverá um seminário com pesquisadores de diversos países para troca de experiências em previdência social. Depois disso, o relatório já poderá ser votado no colegiado.

A proposta de reforma da Previdência recebeu 277 sugestões de alteração ao texto. As emendas serão analisadas pelo relator da comissão, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), que pode acatá-las, ou não, no todo ou em parte. Moreira tem afirmado que apresentará o relatório até o dia 15 de junho. O relator, no entanto, declarou que pode antecipar a conclusão do trabalho.

“Nós continuamos com o prazo até o dia 15, mas estamos também no esforço de ajudar o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a cumprir o cronograma que ele deseja. Portanto, nós podemos até adiantar um pouco, mas sempre dentro desse prazo de, no máximo, até o dia 15. Mas é possível que até o final da semana que vem, no começo da outra, a gente entregue esse relatório”, disse Moreira.

 

Agência Brasil

 

 

Presidente do TCE apresenta programa Decide na Câmara de Solânea 

O presidente da Câmara Municipal de Solânea, vereador Flávio Evaristo, está convidando toda a população para participar de uma sessão especial, onde o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Arnóbio Viana, fará a apresentação do programa DECIDE (Defesa do Estatuto das Cidades).

O projeto propõe a formação de um fundo comum com o qual as prefeituras poderão fornecer projetos de arquitetura voltados para famílias de baixa renda, fruto de uma parceria entre os Poderes Executivo e Legislativo e o Tribunal de Contas do Estado.

A sessão especial vai acontecer nesta terça-feira (04) às dez horas da manhã na Câmara Municipal.

 

Ascom-CMS

 

 

Manifestantes fazem ato em apoio ao presidente Jair Bolsonaro na Paraíba

Manifestantes foram às ruas da duas maiores cidades da Paraíba, João Pessoa e Campina Grande, em ato público de apoio ao presidente da república Jair Bolsonaro (PSL) na tarde deste domingo (26). As duas manifestações começaram por volta das 15h e a dispersão aconteceu por volta das 18h30. Em João Pessoa os manifestantes ocuparam o Busto de Tamandaré, na orla da praia de Tambaú, enquanto em Campina Grande, a manifestação foi na Praça da Bandeira, no Centro.

Por volta das 17h, os organizadores da manifestação de apoio ao presidente Jair Bolsonaro informaram que cerca de cinco mil pessoas participaram do ato. A Polícia Militar informou que não vai emitir estimativas de público.

A manifestação teve início por volta das 15h20, quando os primeiros manifestantes e um trio elétrico chegaram ao Busto de Tamandaré, no final da Avenida Epitácio Pessoa. Os integrantes do ato se espalharam pela área do busto e pelas avenidas Cabo Branco e Almirante Tamandaré, até as 18h30, quando a mobilização terminou.

Campina Grande

Em Campina Grande, munidos de cartazes e camisas amarelas, os manifestantes pediam uma investigação no poder judiciário, ao que eles chamam de “Lava-Toga” e da implementação da medida provisória 870.

CAMPINA GRANDE, 16H: Ato concentrou manifestantes na Praça da Bandeira — Foto: Reprodução/Sílvio S. Medeiros

CAMPINA GRANDE, 16H: Ato concentrou manifestantes na Praça da Bandeira — Foto: Reprodução/Sílvio S. Medeiros

De acordo com a organização, cerca de 600 pessoas participaram do protesto e defenderam a aprovação da reforma da Previdência e do pacote anticrime, proposto pelo ministro da Justiça Sérgio Moro.

A maior parte dos manifestantes vestiu verde e amarelo e usou bandeiras do Brasil. Também foram usados um carro de som e faixas com frases de apoio ao presidente. O trânsito ficou bloqueado em algumas vias por conta do protesto, que terminou por volta das 17h30.

Foto: Antônio Vieira/TV Cabo Branco

G1