Arquivo da tag: Presidente

Secretário de Saúde de Solânea é eleito presidente da Comissão Intergetores Piemont da Borborema

Durante a 7ª Reunião de Assembléia Ordinária da Comissão Intergetores Piemont da Borborema 2019, que aconteceu ontem (04) na cidade de Casserengue, foi eleito o novo presidente do colegiado o Secretário Municipal de Saúde de Solânea, João Elísio da Rocha Neto, por um período de dois anos.

O colegiado é composto por representantes de 25 cidades que compõem a 2° Regional de Saúde, entre elas Solânea, Bananeiras e Casserengue. Na reunião foram debatidos diversos assuntos sobre a saúde da região. “É uma honra poder representar as 25 cidades que compõem a 2° Regional de Saúde. É nesse espaço onde debatemos os problemas e vivências dos municípios e encaminhamos para a CIB – Comissão Intergestores Bipartite”, contou o Secretário.

Esta é a primeira vez que um representante de Solânea ocupa o cargo. Atualmente João Rocha Neto também ocupa o cargo de Diretor de Regionalização da Saúde no Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS) e tem assento fixo na Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

 

Assessoria

 

 

Ramalho Leite é eleito e empossado novo presidente do IHGP

O historiador e cronista Ramalho Leite foi eleito na manhã deste sábado (30) presidente do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano (IHGP), para um mandato de três anos, tendo como vice-presidente o professor e historiador Jean Patrício.

Ramalho obteve 33 votos, dos 37 aptos para votar, dos quais quatro não compareceram.

Ao final da votação, após assembleia extraordinária que aprovou a antecipação, Ramalho tomou posse. Eleito numa votação que teve comparecimento recorde nas últimas duas décadas, candidato único depois de desistência do sócio Guilherme D’ávila Lins.

O novo presidente do IHGP, que também integra os quadros de imortais da Academia Paraibana de Letras, disse que estava cercado de gente nova e também experiente, e esperara que, juntos, poderá melhorar a imagem do Instituto e “fazer com que não seja apenas um depósito da história, mas seja a história viva que nós amamos e apreciamos”.

A mais antiga casa da memória e da cultura da Paraíba, com 114 anos, em seus amplos salões estão guardados valiosos documentos referentes à Colônia, ao Império e a República, com mapas, jornais e revistas antigos fora de circulação, além de livros raros.

 

clickpb

 

 

Presidente da Câmara celebra sanção da Lei que isenta taxa de religação de água em Solânea

A sanção da lei que proíbe a cobrança de taxa de religação de água em caso de suspensão do fornecimento por falta de pagamento voltou a ser destaque na Câmara Municipal de Solânea durante a sessão de terça-feira (13). O presidente da Casa, Flávio Evaristo, usou a tribuna para agradecer ao prefeito Kayser Rocha por ter sancionado a lei e aos colegas vereadores por terem aprovado a proposta.

Flávio Evaristo lembrou a importância do projeto, principalmente para as famílias mais carentes da cidade. “Muitas vezes, pela necessidade financeira, muitas famílias terminam atrasando o pagamento de conta de água e tendo os serviços suspensos. Quando conseguem dinheiro pra pagar a conta ainda tem a taxa de religação, isso dificulta ainda mais, mas graças ao apoio dos companheiros, do prefeito e do próprio diretor da Cagepa, esse será um empecilho a menos para as famílias solanenses”, comentou Flávio.

Vale lembrar que a isenção da taxa é apenas para casos de religação por corte do fornecimento.

Lei-n-010-2019

Pauta da sessão

Esse, contudo, não foi o único assunto abordado na Câmara de Solânea. A pauta da sessão como sempre foi recheada de requerimentos apresentados pelos vereadores que visam o benefício da população. Foram aprovados os requerimentos do vereador Márcio Prudêncio de nº 053 e 054/2019 que solicitam pavimentação na rua Projetada I em Santa Fé e das ruas Roberto Medeiros Santos e Alfredo Fabrício de Oliveira no conjunto Epifânio Plácido da Silva.

Ainda do expediente:

Projeto de Lei nº 013/2019, vereador Jucian Jad, que denomina de “Praça Valmir Silva” a praça pública situada no início do Binário, nas proximidades do portal da universidade Federal.

Projeto de Lei nº 014/2019, do vereador Flávio Evaristo, que denomina de rua Maria Alves Simão a atual travessa Arlindo Dantas.

Requerimento nº 055/2019, do vereador Jucian Jad, que solicita ao prefeito a drenagem e pavimentação da Travessa Manoel Gomes de Araújo.

Requerimento nº 056/2019, do vereador Jucian Jad, que solicita ao prefeito a drenagem e pavimentação da rua Santa Luzia no Baixiu.

Requerimento nº 056/2019, do vereador Luís Carlos Dantas, subscrito pelo vereador Jucian Jad, que solicita ao prefeito a drenagem e pavimentação da rua Imaculada Conceição, no Baixiu.

Requerimento nº 057/2019, do vereador Josenildo Costa, que solicita da Mesa Diretora, realização de Sessão Especial, a ser realizada dia 26 de agosto do corrente ano, com a finalidade de apresentação e posse da diretoria da associação dos Marchantes e Afins do município de Solânea.

Veja mais requerimentos:

Fotos da sessão:

Ascom-CMS

 

 

Presidente da ALPB sobre Bolsonaro: “Quando ele abre a boca é um desastre”

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino (PSB), afirmou que o presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) demonstra a cada dia que não possui preparação para estar no cargo que ocupa.

Galdino destacou que a Paraíba precisa ser respeitada e ter os recursos que necessita, bem como os estados do Sul e do Sudeste.

– Cada vez mais a gente percebe que o presidente Bolsonaro não está preparado para o cargo que assume. Quando ele abre a boca é um desastre. Não queremos nada além dos nossos direitos, investimentos do governo federal para com a Paraíba – disse.

*As informações foram veiculadas na Rádio Caturité FM

Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

 

Presidente da Câmara protocola Lei que proíbe cobrança da taxa de religação de água 

O presidente da Câmara Municipal de Solânea, Flávio Evaristo, protocolou na última quarta-feira (31), junto ao diretor  da (Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) de Solânea, Valdeci Andrade, a Lei Municipal de N° 10/2019 de 30 de maio do corrente ano, que dispõe sobre a proibição de cobrança de taxa de religação de água em caso da suspensão do fornecimento por falta de pagamento.

Flávio havia apresentado a proposta em março deste ano e ela foi aprovada na Câmara. O parlamentar acredita que a aplicação dessa Lei vai garantir ao consumidor um gasto menor facilitando o fornecimento regular após já ter passado pelo constrangimento da perda do fornecimento de água muitas vezes pelas dificuldades financeiras.

“O consumidor já passa pelo constrangimento de ficar sem o fornecimento de tais serviços, e ainda pagar a mais por isso só dificulta mais a vida do cidadão, que na maioria das vezes atrasa suas contas por dificuldades financeiras”, comentou o vereador Flávio.

 

Redação FN

 

 

Bolsonaro: ‘Se o presidente da OAB quiser saber como o pai desapareceu no período militar, eu conto para ele’

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (29) que “um dia” contará ao presidente da Ordem do Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, como o pai do jurista desapareceu na ditadura militar, caso a informação interesse ao filho.

Segundo Bolsonaro, Santa Cruz “não vai querer saber a verdade” sobre o pai, Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira, que desapareceu no período na ditadura militar (1964-1985).

O presidente deu a declaração ao comentar o desfecho do processo judicial que considerou Adélio Bispo, autor da facada em Bolsonaro durante a campanha eleitoral, inimputável (isento de pena devido a doença mental). Por isso, ele ficará em um manicômio em vez de um presídio.

Antes de falar sobre o pai de Santa Cruz, Bolsonaro criticou a atuação da OAB no caso de Adélio Bispo e perguntou qual era a intenção da entidade. Segundo o presidente, a ordem teria impedido o acesso da Polícia Federal ao telefone de um dos advogados do autor da facada.

“Por que a OAB impediu que a Polícia Federal entrasse no telefone de um dos caríssimos advogados [do Adélio]? Qual a intenção da OAB? Quem é essa OAB?”, questionou o presidente.

Sem ser questionado, Bolsonaro falou na sequência sobre o pai do presidente da OAB.

“Um dia se o presidente da OAB [Felipe Santa Cruz] quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, eu conto para ele. Ele não vai querer ouvir a verdade. Eu conto para ele”, disse Bolsonaro.

“Não é minha versão. É que a minha vivência me fez chegar às conclusões naquele momento. O pai dele integrou a Ação Popular, o grupo mais sanguinário e violento da guerrilha lá de Pernambuco, e veio a desaparecer no Rio de Janeiro”, complementou.

G1 procurou o presidente da OAB para ouvi-lo sobre a declaração de Bolsonaro e aguardava resposta até a última atualização desta reportagem.

Conforme informou o colunista do G1 Matheus Leitão, o pai do presidente da OAB militou no movimento estudantil e participou da Juventude Universitária Católica (JUC), movimento da Igreja reconhecido pela hierarquia eclesiástica, e depois integrou a Ação Popular (AP), organização de esquerda contrária ao regime.

Fernando desapareceu em um encontro que teria no Rio de Janeiro, em 1974, com um colega militante, Eduardo Collier Filho, da mesma organização. Segundo o livro “Direito à memória e à verdade”, produzido pelo governo federal, Fernando e o colega foram presos juntos em Copacabana por agentes do DOI-CODI-RJ em 23 de fevereiro daquele ano.

‘Ato abominável’

Em abril de 2016, dias depois de aberto o processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), a seccional da OAB do Rio de Janeiro, comandada à época por Felipe Santa Cruz, protocolou na Câmara dos Deputados um requerimento pedindo a cassação do mandato do então deputado Jair Bolsonaro por quebra de decoro parlamentar e apologia à tortura.

Na oportunidade, Bolsonaro, ao declarar seu voto favorável à abertura do impeachment, homenageou Carlos Alberto Brilhante Ustra, condenado por tortura durante a ditadura militar.

“Pela memória do Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff”, disse o então deputado ao votar pela abertura do processo.

A seccional da OAB do Rio também enviou um ofício ao então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, classificando a declaração como um “ato abonminável” e pedindo providência do Ministério Público.

Ustra foi condenado na área cível a pagar indenização por danos morais por tortura. O relatório final da Comissão Nacional da Verdade afirma que Ustra cometeu crimes de tortura e execuções.

OAB no caso Adélio

Em março, o desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) Néviton Guedes atendeu a pedido Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB) e da OAB de Minas Gerais e suspendeu apurações sobre a suposta participação do advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, que defendeu Adélio, no atentado contra o presidente.

Em dezembro, sob justificativa de tentar identificar quem estaria financiando a defesa do autor do atentado, a PF em Minas Gerais cumpriu dois mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao advogado.

Foram apreendidos na ocasião livros caixa, recibos e comprovantes de pagamento de honorários e de seu aparelho telefônico. Na ocasião, a OAB disse que ação da PF em locais ligados a Zanone “viola prerrogativas da advocacia”.

‘Maluco até morrer’

Bolsonaro também comentou a decisão da Justiça Federal de considerar Adélio inimputável e impor medida de segurança de internação por prazo indeterminado. O presidente e o Ministério Público Federal não recorreram da decisão e o processo foi encerrado.

Com a decisão, após análises de laudos psiquiátricos, Adélio não poderá ser punido criminalmente após facada contra Bolsonaro.

Bolsonaro explicou que, como não recorreu, Adélio será considerado “maluco até morrer”, detido em um manicômio judicial. O presidente disse desejar que Adélio revele mais informações sobre o atentado.

“Como não recorri, agora ele é maluco até morrer. Vai ficar em um manicômio judicial, uma prisão perpétua. Estou sabendo que ele está aloprando lá. Abre a boca, pô. Ah, não tem valor porque é maluco, abre a boca, pô! Quem sabe dê o fio da meada”, disse o presidente.

G1

 

“Um presidente não é dono do Brasil e não pode discriminar nenhum Estado”, diz RC sobre declaração de Bolsonaro

O ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB) saiu em defesa dos estados nordestinos após um áudio polêmico do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que em evento com a imprensa, não percebeu que estava sendo gravado e teceu declarações xenofóbicas contra os estados do Nordeste.

De acordo com RC, qualquer brasileiro após ter ouvido o que o presidente disse deve estar se questionando sobre a insensatez do fato.

“Qualquer brasileiro minimamente consciente deve estar se questionando como um Presidente da República consegue ser tão insensato quanto o Sr. Bolsonaro. Cada opinião consegue ser mais estapafúrdia que a outra” disparou.

Ricardo ainda disse que enquanto cidadão paraibano não poderá admitir qualquer retaliação contra o estado apenas porque o governo não segue as ideias do atual presidente.

“Um presidente não é dono do Brasil e não pode discriminar nenhum Estado. Tenho certeza que falo em nome da imensa maioria do povo paraibano apesar de não ser mais governador, mas na condição de brasileiro e paraibano, só posso dizer a Bolsonaro que não admitiremos qualquer tipo de retaliação contra um Estado que não siga suas ideias” pontuou.

PB Agora

 

 

João Azevêdo rebate declarações de Bolsonaro contra a PB e condena postura do presidente

O governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), usou seu perfil numa rede social para debater as declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) contra os estados da Paraíba e do Maranhão. João declarou que condena a postura do governo federal em relação aos estados do Nordeste.

Em vídeo divulgado no final da tarde desta sexta-feira (19), O presidente aparece em um café da manhã ao lado do ministro Onix Lorenzoni e demais membros da gestão e dispara contra os governadores Flávio Dino e João Azevêdo: “O governador de Paraíba é pior que esse do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”.

A atitude não foi bem recebida pelo gestor paraibano que rebateu: “Condenamos toda e qualquer postura que venha ferir os princípios básicos da unidade federativa e as relações institucionais deles decorrentes”, publicou João.

O chefe do Executivo paraibano acrescentou ainda que os estados da Paraíba e do Maranhão “precisam da atenção do Governo Federal independentemente das diferenças políticas existentes”.

Confira postagens do governador:

Foto: reprodução / twitter
Foto: reprodução / twitter
Foto: reprodução / twitter

 

PB Agora

 

 

Presidente da Aesa comemora chuvas, mas se diz preocupado com outras regiões

Em entrevista à rádio Campina FM, o presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Porfírio Catão Cartaxo, comentou sobre as últimas chuvas do Estado.

Segundo a Aesa, nos últimos dias as chuvas no causaram uma grande recarga nos reservatórios que ficam na região litorânea da Paraíba, porém no Agreste e Brejo a situação é totalmente contrária, e as regiões seguem sofrendo com a estiagem.

As últimas chuvas na faixa leste foram de fato muito importantes. Vários reservatórios vieram a transbordar. Porém, o que precisássemos era que essas chuvas descessem para o Agreste e Brejo, pois é lá que precisamos abastecer as barragens – explicou.

Segundo Porfírio, as últimas chuvas no Estado somaram quase 1 bilhão de metros cúbicos de água acumulados no armazenamento geral.

De acordo com o presidente, existem algumas barragens específicas que necessitam com mais urgência de abastecimento por meio de chuvas.

Temos uma preocupação com as barragens de Capivara, Acauã, e todas as do Brejo, já que abastecem uma grande quantidade de cidades – afirmou.

Ainda segundo o representante da Aesa, a interrupção no bombeamento de água do Rio São Francisco para o açude Epitácio Pessoa dificilmente será regularizado no prazo de 15 dias.

– Nós temos uma tranquilidade em relação ao abastecimento de Campina Grande e as outras cidades que são abastecidas pelo açude de Boqueirão, porém, o prazo deverá ser um pouco maior – contou.

 

paraibaonline

 

 

Presidente do BNDES pede demissão após ameaça de Bolsonaro

O presidente do BNDES, Joaquim Levy, pediu demissão do cargo. “Solicitei ao ministro da Economia, Paulo Guedes, meu desligamento do BNDES. Minha expectativa é que ele ceda”.

“Agradeço ao ministro o convite para servir ao País e desejo sucesso nas reformas. Agradeço também, por oportuno, a lealdade, dedicação e determinação da minha diretoria”.

Em nota, Levy agradeceu especialmente aos inúmeros funcionários do BNDES, “que têm colaborado com energia e seriedade para transformar o banco, possibilitando que ele responda plenamente aos novos desafios do financiamento do desenvolvimento, atendendo às muitas necessidades da nossa população e confirmando sua vocação e longa tradição de excelência e responsabilidade”.

Na tarde de sábado, o  presidente Jair Bolsonaro criticou e ameaçou demitir Levy. Bolsonaro disse estar “por aqui” com o chefe do banco, que estaria “com a cabeça a prêmio”.

Desde o início do governo, a relação entre os dois foi marcada por divergências. O episódio mais recente foi a escolha de Marcos Barbosa Pinto para a diretoria da área de Mercado de Capitais, do BNDES, responsável pelos investimentos do BNDESPar, braço de participações acionárias do banco de fomento, que administra carteira superior a R$ 100 bilhões. O presidente exigiu que Levy demitisse o diretor.

Na noite de sábado, Barbosa Pinto entregou uma carta de renúncia ao cargo. Ele foi chefe de gabinete de Demian Fiocca, na presidência do BNDES, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista ao “G1”, Guedes destacou ainda que é natural Bolsonaro se sentir “agredido”.

O próprio Levy também participou de governos petistas. Foi secretário do Tesouro no governo Lula e ministro da Fazenda na gestão de Dilma Rousseff.

 

O Globo