Arquivo da tag: presidência

Evo Morales renuncia à presidência da Bolívia

Evo Morales renunciou neste domingo (10) ao cargo de presidente da Bolívia, após uma escalada nas tensões no país. O anúncio foi feito em rede nacional, pela televisão.

O vice-presidente, Álvaro García Linera, também apresentou a renúncia.

“Decidi, escutando meus companheiros, renunciar ao meu cargo da presidência”, disse Evo.

Logo em seguida, ele atacou seus opositores Carlos Mesa e Luis Fernando Camacho.

“Por que tomei essa decisão? Para que Mesa e Camacho não sigam perseguindo meus irmãos dirigentes sindicais. Para que Mesa e Camacho não sigam queimando a casa dos governadores de Oruro e Chuquisaca.”

Evo ainda classificou a situação como um golpe:

“Lamento muito esse golpe cívico, e de alguns setores da polícia que se juntaram para atentar contra a democracia, contra a paz social com violência, com amedrontamento para intimidar o povo boliviano.”

Depois de acusar a oposição de atos violentos, ele terminou: “Por essas e muitas razões, estou renunciando, enviando a minha carta renúncia à Assembleia Legislativa Plurinacional da Bolívia. Muito obrigado”.

Evo havia dito, mais cedo neste domingo (10), que convocaria novas eleições, após a Organização dos Estados Americanos, OEA, divulgar que as eleições de 20 de outubro haviam sido fraudadas. Ele lembrou isso em seu pronunciamento de renúncia: “De manhã cedo estivemos reunidos com alguns ministros e decidimos, inclusive, renunciar ao nosso triunfo para que novas eleições ocorram em toda a amplitude”.

Não está claro como vão acontecer as novas eleições e nem se ele mesmo será candidato. Mais cedo, ao anunciar a nova votação, Evo disse que elas são importantes para que o povo boliviano possa eleger novas autoridades, “incorporando novos atores políticos”.

Opositores de Evo Morales comemoram renúncia do presidente neste domingo (10) nas ruas de La Paz — Foto: Juan Karita/AP

Opositores de Evo Morales comemoram renúncia do presidente neste domingo (10) nas ruas de La Paz — Foto: Juan Karita/AP

Pouco antes da renúncia, os chefes das Forças Armadas e da Polícia, além da oposição, haviam pedido que Evo Morales deixasse o cargo para “pacificar” o país.

Nas últimas horas, ao menos três ministros também entregaram seus cargos.

Carlos Mesa, um dos principais opositores, se pronunciou em uma rede social.

“À Bolívia, ao seu povo, aos jovens, às mulheres, ao heroísmo da resistência pacífica. Nunca me esquecerei este dia único. O fim da tirania. Agradecido como boliviano por essa lição. Viva a Bolívia!”

Evo perdeu o apoio das forças de segurança e de seus principais aliados

Evo perdeu o apoio das forças de segurança e de seus principais aliados

Outras renúncias

Além de Evo Morales e do vice, Álvaro García Linera, outros dois na linha de sucessão renunciaram: Adriana Salvatierra, a presidente do Senado, e Víctor Borda, presidente da Câmara de deputados. De acordo com o jornal “El Deber”, não se sabe quem assumirá o poder.

A presidente do Supremo Tribunal Eleitoral da Bolívia, Maria Eugenia Choque Quispe, que havia deixado seu cargo na manhã de domingo, foi detida pela polícia após a renúncia do presidente.

Na noite de domingo, o chanceler mexicano Marcelo Ebrard anunciou em rede social que 20 integrantes do Executivo e Legislativo da Bolívia foram abrigados na residência oficial do embaixador mexicano em La Paz, e que ofereceria asilo a Evo se ele quisesse.

Nas fileiras do partido de Evo, o Movimento ao Socialismo, houve dezenas de renúncias a cargos públicos. Os prefeitos de Sucre, Potosí e Oruro deixaram seus cargos, bem como os governadores de Oruro, Potosí, Cochabamba, Bení, além dos ministros de Turismo, Tesouro, Mineração e Segurança, e vários deputados e senadores.

Evo Morales, pouco antes de anunciar as novas eleições, na manhã de  10 de novembro de 2019 — Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Evo Morales, pouco antes de anunciar as novas eleições, na manhã de 10 de novembro de 2019 — Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Governo de 13 anos

Evo Morales venceu as primeiras eleições presidenciais em 2005 e assumiu em 2006.

Ele foi o primeiro presidente de origem indígena da Bolívia, fato que ele mesmo lembrou em seu pronunciamento de renúncia: “Nesse momento é importante dizer ao povo boliviano, é minha obrigação, como primeiro presidente indígena e presidente de todos os bolivianos, buscar essa pacificação”.

Evo foi eleito pela segunda vez em 2009, pela terceira em 2014 e, então, decidiu disputar um quarto mandato seguido em 2019.

Após renunciar, ele disse que ficará na cidade de El Chapare, em Cochabamba –ele negou rumores de que vai sair do país.

Eleições tumultuadas

Manifestantes tomam as ruas de La Paz para denunciar 'fraude eleitoral' nesta sexta-feira (25) após apuração indicar vitória de Evo Morales nas eleições presidenciais da Bolívia — Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters

Manifestantes tomam as ruas de La Paz para denunciar ‘fraude eleitoral’ nesta sexta-feira (25) após apuração indicar vitória de Evo Morales nas eleições presidenciais da Bolívia — Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters

A crise na Bolívia tomou maiores proporções após as eleições de 20 de outubro deste ano, quando Evo foi reeleito em primeiro turno.

Depois de uma apuração problemática, o órgão responsável por computar os votos apontou o seguinte resultado final:

  • Evo Morales: 47,07% dos votos
  • Carlos Mesa: 36,51%

Como a diferença entre Morales e Mesa foi de mais de 10 pontos percentuais, o foi reeleito para seu quarto mandato.

O resultado foi contestado pela oposição e, no dia 30 de outubro, a Bolívia e a OEA concordaram em realizar uma auditoria.

Antes desses números serem publicados houve uma indefinição: inicialmente, havia um método mais rápido e preliminar de apuração, e um outro, definitivo e mais lento, onde se conta voto a voto. Os números dessas duas contagens começaram a divergir, e a apuração mais rápida, que indicava que haveria um segundo turno, foi suspensa.

Desde que Evo ganhou, a oposição tem ido às ruas em protestos. A polícia parou de reprimir as manifestações, e houve motins em quartéis do país.

Na sexta (8) e no sábado (9) policiais bolivianos se amotinaram. O governo respondeu com um comunicado no qual denunciava um plano de golpe de estado.

G1

 

Ramalho Leite confirma candidatura à presidência do IHGP

“Estou fora da política partidária e da administração pública, por isso estou com tempo para me dedicar à gestão do Instituto”, revelou o escritor, jornalista e historiador Ramalho Leite ao confirmar em contato com o Portal WSCOM, que será candidato a presidente do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano (IHGP). Ele deve disputar com o atual presidente Guilherme Ávila Lins.

A eleição acontecerá no dia 31 de agosto e deve contar com a participação de 37 integrantes do IHGP.

Segundo fontes ligadas ao Instituto, Ramalho Leite indicava inicialmente o interesse em apoiar o atual presidente, que não assumiu candidatura à reeleição, mas começou a pedir votos no paralelo quebrando pacto.

 

Portal WSCOM

 

 

Audiência Pública na Câmara de Solânea debate a Reforma da Presidência

A Câmara Municipal de Solânea realizou na manhã dessa sexta-feira (29) uma audiência pública para debater a Reforma da Previdência. A audiência foi uma propositura do vereador Josenildo Costa para poder debater junto com a população as mudanças que ocorreram com a aprovação da Reforma.

A audiência Pública contou com a presença de diversas representações sindicais, políticas e da sociedade civil. Entre elas o Deputado Federal Frei Anastácio, Nelson Ferreira do Polo Sindical, Rosivaldo da FETAG, do vereador Ramom Moreira da cidade de Bananeiras, entre outros representantes.

O presidente da Casa Antônio Melo de Azevedo, vereador Flávio Evaristo, destacou a importância dos debates e ressaltou que a Câmara estará sempre de portas abertas para receber a população quando algo for de interesse social. “É sempre com alegria que recebemos a população para discutir assuntos de interesse coletivo na Câmara Municipal, essas portas sempre estarão abertas enquanto aqui estiver como presidente e o que for de nosso alcance estaremos sempre prontos para atender”. Comentou Flávio.

Autor da propositura para realização da Audiência Pública, o vereador Josenildo Costa, agradeceu aos companheiros que lotaram as dependências da Câmara para mais um debate de interesse do povo. “Fico muito feliz em saber que muitos ainda estão dispostos a debater assuntos que são de interesse do nosso povo, agradeço também ao nosso presidente Flávio Evaristo por disponibilizar a Câmara Municipal para tratar de um assunto tão importante”. Destacou Josenildo Costa.

Ascom-CMS

 

 

Sheyner Asfóra registra chapa para concorrer à presidência da OAB-PB

Foi registrada na tarde desta segunda-feira (29), na sede da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Paraíba, centro de João Pessoa, a chapa 2 Nova OAB. Encabeçada pelo advogado e candidato da oposição à presidência, Sheyner Asfóra, a chapa tem como vice,  Renata Torres Mangueira, Secretária Geral, Luciana de Albuquerque Cavalcanti Brito, Secretário Geral Adjunto, Rômulo Leal Costa e Tesoureira, Marina Lacerda Cunha Lima.

Segundo Asfóra, este é um momento de mudança. “Estávamos observando a movimentação do atual gestor. A situação se dividiu e não poderíamos deixar que eles continuassem a brigar por espaços e esquecer o que realmente importa.  Atendendo a convites, aceitamos a missão. Ouvi muito que Sheyner não formaria chapa. Isso foi me dando mais ânimo para lutar. Queremos resgatar a autoestima da categoria para que o advogado volte para a OAB e retome a participação em temas importantes da sociedade.”

A candidata a vice-presidente, Renata Mangueira, fez questão de se comprometer em lutar por uma nova OAB: “Quero agradecer o convite honroso. Este é um grupo de pessoas honestas que confiaram em nós. Quando vencermos, vou defender com unhas e dentes a nossa ordem.”

 “Enxerga na renovação e na mudança uma grande oportunidade para oxigenar a nossa Ordem. Só assim a OAB-PB vai retomar sua força e a sua credibilidade, e sobretudo, sua capacidade de representar bem a todos nós”, afirmou Asfóra.

Chapa 2 Nova OAB

Presidente: Sheyner Asfóra

Vice: Renata Torres Mangueira

Secretária Geral: Luciana de Albuquerque Cavalcanti Brito

Secretário Geral Adjunto: Rômulo Leal Costa

Tesoureira: Marina Lacerda Cunha Lima

Assessoria

Manuela desiste da Presidência e apoia Lula

O PCdoB desistiu da candidatura própria à Presidência da República, com a deputada estadual do Rio Grande do Sul,Manuela D’Ávila, para se coligar ao PT nas eleições deste ano.

Na última quarta-feira (1º), a deputada chegou a ser confirmada pelo partido como candidata à Presidência da República. No final da convenção, entretanto, ela já havia adiantado que abriria mão de disputar o carto caso houvesse unidade de outros partidos da esquerda que pretendessem concorrer ao pleito.

Nas negociações feitas neste domingo (5) com o PT, ficou acordado que Manuela irá viajar o país junto com o candidato Fernando Haddad, escolhido para vice na chapa petista, para fazer campanha em nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aclamado no sábado como candidato.

Segundo a presidente do PCdoB, Luciana Santos, a decisão do partido foi tomada em nome da unidade. “Manuela disse que nunca foi óbice a qualquer tipo de unidade política. Nós estamos construindo a unidade política que foi possível construir no primeiro turno, com a participação e liderança de Lula. Isso por uma circunstância objetiva, até que se definam as pendências legais”, destacou Luciana.

A presidente do PT, Gleisi Hoffman, disse que a decisão de escolher um candidato a vice-presidente do próprio partido foi para garantir que a representação de Lula seja feita por um de seus membros. “[Isso foi decidido] na avaliação que fizemos para assegurar a manifestação do presidente Lula. E vamos com a candidatura de Lula até as últimas consequências: a vocalização de sua campanha será feita com um companheiro do PT”, afirmou.

Agência Brasil

Justiça determina retorno de Gustavo Santos para presidência da Câmara de Santa Rita

Gustavo Santos foi citado para apresentar sua defesa e tem um prazo de dez dias para se pronunciar (Foto: Reprodução)

A Justiça determinou o retorno do presidente da Câmara de Vereadores de Santa Rita ao cargo por meio de uma liminar concedida na última terça-feira (10). Gustavo Santos havia sido afastado do cargo no dia 3 de abril para que denúncias contra sua gestão fossem apuradas em uma comissão instalada na Câmara.

Os próprios vereadores decidiram afastar Gustavo Santos por 14 votos a 3. Com a decisão em plenário, foi instalada uma comissão processante e as investigações começaram no processo que poderia cassar seu mandato.

De acordo com Anésio Miranda, presidente da comissão processante instalada, “a 5ª Vara Mista da Comarca de Santa Rita concedeu a liminar com a condição do presidente não interferir no trabalho da comissão processante”. Gustavo Santos foi citado para apresentar sua defesa e tem um prazo de dez dias para se pronunciar.

Após todo o trâmite previsto na comissão processante, deve ser elaborado um relatório sobre o caso para votação no plenário. A Câmara apura denúncias de descumprimento da tramitação de projetos e leis, além de gratificação indevida.

De acordo com a denúncia, Gustavo Santos teria atrasado por até seis meses a tramitação de projetos de lei que não tinham sua aprovação política. Ele ainda teria recebido R$ 5 mil referente a uma gratificação indevida.

ClickPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Rede lança pré-candidatura de Marina Silva à Presidência da República

A Rede Sustentabilidade lançou oficialmente neste sábado (7) a pré-candidatura da ex-senadora e ex-ministra Marina Silva à Presidência da República. A pré-candidatura de Marina foi aprovada no congresso nacional do partido.

Ainda não há definições sobre chapa e coligações, que serão feitas na convenção partidária prevista para o final de julho.

Em seu discurso, Marina lembrou que é a terceira vez que se coloca como candidata à Presidência e que o momento político do Brasil torna sua decisão necessária.

“Nunca foi tão necessária a decisão de estar aqui hoje, pelo momento que estamos vivendo. Momento que não é de celebração, mas de tristeza por um lado. Um ex-presidente da República, que poderia estar apto para fazer o que quisesse na política, estar sendo interditado pela Justiça por erros que cometeu”, disse.

Para ela, a decretação de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é uma esperança de que, agora, a lei passará a valer para todos.

“Isso não deve ser motivo de celebração, mas por outro lado é uma sinalização de que podemos começar a ter esperança de que está se iniciando um tempo de que a lei será igualmente para todos”, afirmou.

A ex-ministra também criticou nominalmente alguns políticos e o foro privilegiado, que permite a autoridades e congressistas serem julgados somente no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Que não se permita mais que os Renans, os Aécios, os Padilhas e os Temers fiquem impunes sob o manto do foro privilegiado. Não podemos ter uma justiça que tenha dois pesos e duas medidas”, disse.

Negociações

Durante coletiva de imprensa, Marina Silva afirmou que a Rede vai continuar dialogando com outros partidos e que a negociação não exige que as legendas não tenham suas candidatos.

“Não precisamos colocar como ponto de partida que os outros partidos não tenham suas candidaturas. Eu sempre digo que, quanto mais estrelas no céu, mais claro é o caminho”, disse.

Sobre a negociação com o PSB e uma possível candidatura do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa, que se filiou ao partido, Marina elogiou o ex-ministro e disse que ele é bem-vindo “para melhorar a qualidade da política brasileira”.

Economia

Marina defendeu o controle das contas públicas e a estabilidade jurídica como forma de atrair investimentos para o país.

“Só vamos recuperar a nossa economia recuperando a credibilidade. O Brasil é um país que tem grandes possiblidades de investimentos, mas não tem segurança jurídica, não tem segurança política e não tem segurança ética diante de tudo que está acontecendo hoje”, disse.

Sobre a reformas econômicas, como a da Previdência, afirmou que são necessárias, mas não como estão sendo feitas pelo presidente Michel Temer, que, segundo ela, só dialoga com os empresários e não com trabalhadores.

Biografia

Acreana, Maria Silva nasceu em 8 de fevereiro de 1958. Junto com o seringueiro Chico Mendes foi uma das fundadoras da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em seu estado.

Marina foi vereadora em Rio Branco, deputada estadual, senadora por dois mandatos e ministra do Meio Ambiente durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Foi filiada ao PT e passou por PV e PSB antes de criar a Rede Sustentabilidade.

Em 2010, Marina Silva concorreu à Presidência da República como candidata do PV. Recebeu 19,6 milhões de votos e ficou em terceiro. Em 2014, pelo PSB, ela repetiu o terceiro lugar, desta vez com 22,1 milhões de votos.

 

Foto: Laís Lis / G1

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Meirelles anuncia renúncia do ministério da Fazenda para viabilizar candidatura à Presidência

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, decidiu renunciar ao cargo para se filiar ao MDB e tentar viabilizar sua candidatura para o Palácio do Planalto. Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, o ministro bateu o martelo em conversa com o presidente Michel Temer na última sexta-feira (23).

Meirelles vai migrar para o partido de Temer mesmo sem a garantia de que será o nome da sigla ao Planalto. Na conversa com o presidente, de acordo com aliados, o ministro disse saber que não tem a preferência dentro do MDB para a candidatura, mas que quer tentar se viabilizar até a decisão final do inquilino do Palácio do Jaburu, em junho.

Caso a candidatura não decole, Meirelles também cogita fazer parte da chapa encabeçada por Temer como candidato a vice. Quem ecoa a tese de uma chapa puro sangue no MDB admite que hoje não há outro nome que queira compor com Temer e sua baixíssima popularidade, de 6%. Em entrevista à revista “IstoÉ”, neste fim de semana, o presidente reforçou sua disposição de concorrer em outubro para, segundo ele, defender o legado de seu governo.

Meirelles ainda indicou como possíveis nomes para sua sucessão os secretários da pasta Mansueto Almeida (Acompanhamento Fiscal) e Eduardo Guardia (Secretaria-Executiva). Guardia tem mais simpatia da equipe econômica e é o favorito para o cargo.

ClickPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Cássio assume Presidência do Senado nesta quinta

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) assumirá a Presidência do Senado Federal por uma semana a partir da próxima quinta-feira (05).

De acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de São Paulo, o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), vai se ausentar devido a uma viagem para comemorar os 60 anos da esposa.

Confira a publicação:

Beijo, tchau Em meio à polêmica, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), avisou que vai se ausentar da Casa por uma semana. A partir de quinta (5), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), primeiro-vice-presidente, assume o posto.

Limpar o terreno Eunício fará uma viagem para comemorar os 60 anos da mulher. Para evitar especulações, auxiliares de Cunha Lima pediram que ele comande a sessão em que será votada a suspensão de Aécio.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Senadora afirma que nome de Ricardo Coutinho é natural, caso PSB decida por candidatura à Presidência

Em discurso na tribuna do Senado, senadora Lídice da Mata (PSB-BA)

Mais um membro da bancada do PSB no Senado considera o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), uma possibilidade do partido para disputar a eleição presidencial no próximo ano. De acordo com a senadora Lídice da Mata (PSB-BA), se o partido tiver candidatura própria, Ricardo Coutinho “é um nome natural” do PSB para ocupar a vaga.

Em entrevista ao Blog Política e ETC, Lídice avalia que PSB está enfraquecido e que precisa reorganizar seu plano político nacional. “Eu, pessoalmente, acho que o PSB – com a morte de Eduardo (Campos) e todo esse processo que vivemos – tem que reorganizar seu plano político nacional, porque – objetivamente – nós enfraquecemos em tese, mas creio que ainda assim o nome de Ricardo Coutinho é um grande nome com possibilidade de, se o PSB tiver candidatura própria à Presidência da República, o nome de Ricardo seria um nome natural”, disse.

O governador Ricardo Coutinho disse em entrevista na última quinta (4) que vai à Brasília na próxima semana para se reunir com o senador João Capiberibe (PSB-AM) e lideranças do PSB para conversar conversar com senadores e deputados outras coisas que são importantes, como uma leitura do próprio cenário”, afirmou.

blogdogordinho

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br