Arquivo da tag: praticamente

Seca se agrava e açudes de 24 municípios paraibanos estão praticamente secos

secaAumentou o número de reservatórios em situação crítica na Paraíba. Dos 127 açudes monitorados pela Agência Executiva de Gestão das Aguas do Estado (Aesa), 67 estão com menos de 5% do seu volume.

Desse total, 24 açudes estão praticamente secos. A situação mais grave é nos reservatórios Algodão, em Algodão de Jandaíra; Poleiro e Tapera, em Barra de Santa Rosa; Campos, em Caraúbas; Bichinho, em Barra de São Miguel; Gurjão, em Gurjão; Cachoeira dos Alves, em Itaporanga; Carneiro, em Itaporanga; Carneiro, Jericó; São Mamede, São Mamede; Olivedo, em Olivedos; Ouro Velho, em Ouro Velho.

Os açudes de Caraibeiras, em Picuí; Riacho de Santo Antônio, em Riacho de Santo Antônio; Jenipapeiro, em São José da lagoa Tapada, Serra Branca I, em Serra Branca; São José IV, em São José de Sabugi; Pilões, em São João do Rio do Peixe, Lagoa do Meio, Manoel Marcionilo e Novo II, em Taperoá, e Sabonete, em Teixeira, também estão praticamente secos.

Ainda de acordo com a Aesa, outros 31 reservatórios em observação têm menos de 20% de seu volume. Apenas 29 reservatórios, estão com suas capacidades de armazenamento superior a 20%.

O açude com maior volume é o de São Salvador, em Sapé. O reservatório tem capacidade de armazenamento de  12.657,20 m3, e está com 88,6% de seu volume total.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Presidente da Famup diz que municípios estão praticamente ‘quebrados’ financeiramente

tota-guedesO presidente da Federação das Associações dos Municípios do Estado da Paraíba (Famup) Tota Guedes, disse, em entrevista ao Sistema Arapuan de Comunicação,  que os municípios paraibanos estão passando por um das piores crises financeiras dos últimos tempos e com isso estão praticamente ‘quebrados’ financeiramente.

Tota Guedes revelou que este mês os municípios vão receber 26, 5% a menos da receita e que no mês junho a queda foi de 10,7% “ e com isso está subindo tudo, o salário mínimo, os combustíveis, o piso salarial dos professores aumentou e o mesmo aconteceu com a inflação, ou seja, o gestor está administrando com mais despesas e menos receita”, lamentou, ao destacar que para superar a crise, os prefeitos estão sendo obrigados a cortar gastos.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Somando a isso, o presidente da Famup afirmou que houve redução de investimentos em vários programas sociais como também na Educação e na Saúde.

Para alertar sobre essa situação e cobrar providências, no próximo dia 5 estará acontecendo, em Brasília, uma grande mobilização dos prefeitos brasileiros. “ Esperamos que o Governo Federal trate os municípios com mais respeito e mais dignidade, pois o que está acontecendo é que a palavra está sendo dada, mas não está sendo cumprida”, lamentou o presidente da Famup.

Paulo Cosme\Adelton Alves

Brasil praticamente eliminou a pobreza extrema segundo Banco Mundial

pobrezaUm novo relatório do Banco Mundial – “Prosperidade Compartilhada e Erradicação da Pobreza na América Latina e Caribe” – mostra que o Brasil conseguiu praticamente erradicar a extrema pobreza. O percentual de brasileiros vivendo em extrema pobreza caiu de 10% para 4% entre 2001 e 2013. A mudança aconteceu mais rápido do que nos países vizinhos.

“De 1990 a 2009, cerca de 60% dos brasileiros passaram a um nível de renda maior. Ao todo, 25 milhões de pessoas saíram da pobreza extrema ou moderada. Isso representa uma em cada duas pessoas que saíram da pobreza na América Latina e no Caribe durante o período”, diz o relatório. O país acabou puxando para cima o desempenho da região como um todo.

 

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Os autores do estudo lembram que, até 1999, os índices de extrema pobreza no Brasil e no resto da região eram parecidos: em torno de 26%. Foi em 2012 que se observou uma redução maior no percentual brasileiro: 9,6%, ante os 12% regionais. Também chamam a atenção os indicadores de mobilidade social nesse período. Atualmente, os do Brasil ficam em terceiro lugar na região, atrás do Chile e da Costa Rica.

Segundo o estudo, o bom desempenho brasileiro se explica por três motivos. Primeiro, graças ao crescimento econômico a partir de 2001, bem mais estável que o registrado nas duas décadas anteriores. Segundo, pelas políticas públicas com foco na erradicação da pobreza, como Bolsa Família e Brasil sem Miséria.

Terceiro, pelo mercado de trabalho nacional: no período da pesquisa, aumentaram as taxas de emprego e o percentual de empregos formais (60% em 2012). O relatório ainda aponta a evolução do salário mínimo, que fortaleceu o poder decompra dos brasileiros.

O site do Banco Mundial diz que enfrentar a pobreza em meio ao atual baixo crescimento econômico é um desafio não só para o Brasil, mas para o resto da região.

“Uma reforma tributária também favoreceria os mais pobres porque, no país, muitas taxas estão embutidas nos preços dos produtos, tornando-os mais caros. Como a maior parte da renda dessas pessoas é gasta com a compra de itens básicos, o fardo dos impostos acaba pesando ainda mais”, diz o site do Banco Mundial.

Jornal do Brasil

Praticamente em silêncio, R10 chega a BH, após servir a seleção brasileira

Ronaldinho Gaúcho já está de volta a Belo Horizonte, após defender a seleção brasileira, na derrota para a Inglaterra, por 2 a 1, no estádio Wembley, em Londres, na última quarta-feira. O jogador teve atuação apagada e ainda perdeu um pênalti, no primeiro tempo, quando a partida estava empatada em 0 a 0. O meia chegou ao Brasil na madrugada desta sexta-feira, quando desembarcou em São Paulo. Em seguida, se dirigiu a Belo Horizonte.

Ronaldinho gaucho atlético-mg desembarque (Foto: Leonardo Simonini)Ronaldinho Gaúcho desembarca no aeroporto de Confins (Foto: Leonardo Simonini / Belo Horizonte)

Acompanhado de dois seguranças particulares, o jogador deixou rapidamente o saguão do aeroporto e pediu para não falar com a imprensa. Limitou-se a dizer que concederia entrevista na Cidade do Galo, centro de treinamentos do Atlético-MG.

– Me desculpem, mas combinei de não falar aqui, apenas lá, referindo-se ao CT do clube alvinegro.

A saída do jogador do aeroporto foi tão rápida que passou quase despercebida. Apenas um fã conseguiu tirar uma fotografia ao lado do ídolo, quando ele estava prestes a entrar no carro em que deixaria o local.

Ronaldinho Gaúcho e os demais companheiros retornarão aos trabalhos às 16h (de Brasília), quando darão início à preparação para encarar o São Paulo, na próxima quarta, às 22h, em jogo válido pela primeira rodada do Grupo 3 da Taça Libertadores. A partida será realizada no Independência, em Belo Horizonte.

 

 

Globoesporte.com

Coritiba bate Galo, se garante na Série A e praticamente dá título ao Flu

O Atlético-MG mostrou que em casa é um leão, mas fora não passa de um gato indefeso. Em mais uma partida longe de BH, o time foi derrotado pelo Coritiba, e viu a diferença para o líder Fluminense aumentar para nove pontos. O revés por 1 a 0, gol de Deivid, de pênalti, foi apenas mais um fora de casa, onde a equipe não vence há dois meses e que ainda não triunfou durante todo o segundo turno. Já pelo lado paranaense o resultado só veio a confirmar a permanência da equipe na elite do Brasileirão, após um ano conturbado.

O resultado deixa o Atlético-MG nove pontos atrás do Fluminense, virtual campeão. O lado bom é que Botafogo e Internacionasl tropeçaram na rodada, o que garante ao Alvinegro pelo menos o quarto lugar no Brasileirão, o que lhe garante vaga na Libertadores do ano que vem. Ao Coritiba o alívio por alcançar o número mágico de 45 pontos, agora em décimo lugar, garantindo-se na Série A.

Na próxima rodada, o Coritiba vai a São Paulo, onde encara o Corinthians, no sábado, a partir das 21h (de Brasília), no Pacaembu. Já o Galo viaja para o Rio de Janeiro para duelar com o Vasco, no domingo, às 17h, em São Januário.

Gol do Fluminense…

A partida valia mais para o Galo, que na disputa pelo título da competição, entrou em campo já sabendo do empate do líder Fluminense com o São Paulo, no Morumbi. Um triunfo alvinegro no Alto da Glória significaria a diminuição da diferença de oito para seis pontos do Tricolor carioca.

Mesmo sem ter o que disputar no campeonato, já que estava praticamente livre do rebaixamento com os 43 pontos, o Coritiba entrou de olho em Ronaldinho Gaúcho. William era o encarregado de vigiar o craque alvinegro de perto e logo no primeiro lance mostrou o cartão de visitas ao dar um toque no calcanhar de R49, que sentiu o golpe, caiu, mas foi prontamente atendido pelo médico alvinegro, que o liberou para voltar ao campo.

Deivid comemora gol do Coritiba sobre o Atlético-MG (Foto: Heuler Andrey / Ag. Estado)Deivid comemora gol do Coritiba sobre o Atlético-MG (Foto: Heuler Andrey / Ag. Estado)

Melhor em campo, o Coritiba tratou de deixar o Galo mais nervoso logo aos sete minutos. Everton Ribeiro invadiu a área e foi derrubado por Fillipe Soutto. Pênalti, que Deivid cobrou com maestria para enlouquecer o Couto Pereira com a abertura do placar.

Perdido por um, perdido por dez. A partir de então, o Galo foi com tudo para o ataque. Nada mais importava a não ser a virada. E chegou a exercer uma pressão no ataque, tanto que o goleiro Vanderlei e o zagueiro Escudero apareceram bem e contiveram as investidas do Galo.

Mas a melhor chance da primeira etapa veio dos pés de Lincoln, que recebeu livre de Everton Ribeiro e tocou na saída de Victor. A bola caprichosamente bateu na trave, sobrou no pé de Rafinha, que errou o alvo. Na sequência, Lincoln voltou a acertar a trave, mas o impedimento já havia sido corretamente marcado.

O primeiro tempo terminou com vitória do Coxa e com o técnico Cuca nada satisfeito com o time do Galo. Na saída para o vestiário, o treinador alvinegro gesticulou bastante com os próprios jogadores, demonstrando que não gostou nada da postura da equipe.

Pressão do Galo, mas sem efetividade

Os dois times voltaram sem alterações para a segunda etapa. E o meio-campo do Atlético-MG seguia destoando na partida. Mais pelos volantes Serginho e Fillipe Soutto, que pareciam perdidos no confronto. Depois de ceder espaços e com muitos erros de passe, Serginho deu lugar ao meia Guilherme. Cuca ainda resolveu tirar Jô, pouco municiado, para colocar Leonardo, autor de quatro gols na competição, mesmo na condição de reserva.

Mas as alterações não surtiram efeito. O Galo nem de longe mostrava o futebol que deu a condição de um postulante ao título. Já o Coritiba jogava com o tempo e o nervosismo atleticano ao seu favor.

Ronaldinho Gaúcho era vaiado a cada toque na bola. E ia à loucura com os erros de passe dos companheiros. Ele tentava puxar o time para o ataque, mas até Bernard estava em noite apagada.

Por sua vez, o técnico Marquinhos Santos nitidamente orientou os comandados para atuarem no contra-ataque. E quase deu o bote com Deivid, mas Victor saiu nos pés do atacante e salvou o Galo.

O time alvinegro tentou a todo custo o gol que ao menos evitaria o vexame de deixar a diferença para o Fluminense aumentar ainda mais. Mas o Coxa foi mais competente e saiu com os três pontos, graças também ao goleiro Vanderlei, em noite inspirada. Se serve de consolo, o Atlético-MG garantiu matematicamente a classificação para a Taça Libertadores com a derrota do Internacional para o Náutico. O time colorado não pode mais alcançar o Galo na classificação.

Globoesporte.com

Mais de 100 mil já dependem de carros pipas na Paraíba; 27 açudes estão praticamente secos

Portal Correio

Dos 121 açudes monitorados pela Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado(Aesa), 27 estão secos ou quase secos na Paraíba. A estiagem, que castiga quatro das cinco regiões do Estado,  já deixou 22,3% desses reservatórios com, no máximo, 20% de sua capacidade total. Em cinco deles, segundo a Agência, o acumulado é apenas de 5% e a situação é considerada “crítica”.

Municípios inteiros dependem exclusivamente da distribuição de água através de carros pipas. A maioria dos 195 municípios onde foi decretado estado de calamidade pública soma mais de 118 mil pessoas dependendo da distribuição de água feito pelo Exército.

Os mananciais de municípios do Sertão como Teixeira e São José do Sabugi, e da região do Cariri, a exemplo de Ouro Velho, secaram completamente. A população só tem água quando faz fila à espera dos caminhões que se transformam na salvação principalmente para matar a sede e para preparar a comida, que também é escassa.

Em Teixeira, cidade a 320 quilômetros de João Pessoa, que tem uma área de 114,43 e fica na transição entre o Sertão e o Cariri, os 14 mil habitantes da zona rural e urbana estão dependendo do abastecimento de carros pipa. Exército está abastecendo a zona rural e levando água a 6 mil e 206 pessoas. O restante da população do município está recebendo água nos carros-pipa de uma parceria entre a Prefeitura e o Governo do Estado.

Os açudes que abastecem a população de Teixeira, o Bastiana e o São Francisco II, estão praticamente secos. O primeiro deles, que tem capacidade para acumular quase 1,3 milhão de metros cúbicos, está com um volume atual de apenas 38 mil 330 metros cúbicos. Ou seja, 3% da sua capacidade de armazenamento. No caso do açude São Francisco II, a situação é ainda pior. Dos quase 5 milhões de metros cúbicos de capacidade de acúmulo só restam 26,7 mil metros cúbicos. Ou seja, 0,5% do total.

No município de Ouro Velho, no Cariri paraibano, mais de 2 mil pessoas, ou seja quase toda população da cidade, está recebendo água dos carros-pipa do Exército. O açude, que tem o mesmo nome da cidade, tem capacidade de acumular 1,6 milhão de metros cúbicos de água, mas está com apenas 48,2 mil metros cúbicos (2,9%) de sua capacidade de acúmulo de água.
Mas é na cidade de São José do Sabugi que a situação chegou ao limite zero. O açude São José IV que tem capacidade para acumular 554 mil metros cúbicos de água está completamente vazio. O município tem uma população de 4 mil e 98 habitantes e, desse total, 1.431 pessoas estão na zona rural. O abastecimento d’água está sendo feito de carros pipas, patrocinados pela prefeitura e pelo Governo do Estado.

Na maior cidade do Sertão, Patos (com uma população de pouco mais de cem mil habitantes), a população da zona rural também está na dependência dos carros pipas para abastecimento d’água. O município fica às margens da BR 230 e que interliga a Paraíba aos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará

Patos tem um potencial de consumo de mais de um R$ 1 bilhão em 2012 e entrou no mapa das 20 cidades do interior do país com as maiores taxas de consumo. Contudo, os dois mananciais que abastecem o município estão com capacidade considerada crítica, abaixo dos dez por cento. Para suprir as necessidades da população urbana, o abastecimento da cidade está sendo feito do açude de Capoeira, localizado no município vizinho de Santa Terezinha.

De acordo com a técnica da Gerência de Operações de Mananciais da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado, Itamara Mary, o açude está abastecendo exclusivamente a população da cidade de Patos. Está sendo proibida a utilização das águas do açude de Capoeira para a irrigação ou qualquer outra atividade que não seja abastecimento humano.

Ela explicou que isso é necessário para que o açude possa ter condições de levar água para o consumo doméstico em Patos por pelo menos mais 20 meses. “A esperança é de que antes de vir a acontecer um colapso no abastecimento em Patos, as chuvas caiam e os dois açudes da cidade retomem a capacidade de abastecimento”, disse.

O açude Capoeira também não está numa situação muito boa. O manancial tem capacidade para 53, 4 milhões de metros cúbicos, mas está com apenas 12,9 milhões – 24,3% da capacidade.

O açude da Farinha, também em Patos, segundo dados mais recentes da Agência Executiva de Gestão das Águas,  tem capacidade para acumular 25,7 milhões de metros cúbicos e possui apenas 2,4 milhões (9,4% de sua capacidade). No açude Jatobá I, a capacidade é de 17,5 milhões de metros cúbicos e tem hoje apenas 1,5 milhão ( 8,7%).

Na zona rural de Patos, segundo o presidente do sindicato rural e secretário de Agricultura do município, Sebastião Lima, 3 mil e 500 pessoas estão recebendo água em quatro carros pipas, um da Prefeitura e três do Governo do Estado. O abastecimento é feito somente de segunda-feira até a sexta-feira. No fim de semana não tem abastecimento d’água.

O número de caminhões pipas não são suficientes, segundo Sebastião Lima e a quantidade de cisternas de placas – cerca de 495 existentes na zona rural – também não são atendem a população nos períodos de estiagem, que são frequentes na região.Os 90 poços artesianos também secaram. “Seria preciso mais cisternas para levar cada uma a cada três famílias, pelo menos”, explicou Sebastião.

O secretário executivo de Infraestrutura do Governo, Carlos Alberto Dantas, informou que o Estado adotou ações complementares em 100 cidades que estão sofrendo com a estiagem. Disse que, nos municípios onde o Exército não está abastecendo, a Prefeitura pode solicitar a parceria do governo estadual, que pode repassar recursos para a contratação de pipeiros. “A Secretaria de Infraestrutura repassa até R$ 45 mil para um período de 90 dias”, informou.

No município de Triunfo, no Sertão do Estado, cerca de 9.220 pessoas estão sofrendo com a falta de água nas torneiras. De acordo com moradores, o nível de água do Açude das Gamelas, responsável pelo abastecimento da região, chegou a um estado alarmante, e há duas semanas os moradores precisam comprar carroças de água ao custo de R$ 12.

Nesta sexta-feira (26), a população realizará uma manifestação pública que sairá do bairro Luiz Gomes de Brito até a unidade da Cagepa.

Luciana Rodrigues

Portalcorreio

Cidade da região de Sousa tem número de eleitores praticamente igual ao de habitantes

A cidade de São Francisco, na região de Sousa possui o número de eleitores praticamente igual ao número de eleitores, é o que atesta o último Censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, realizado no ano 2010.

De acordo com o Censo, o município sertanejo possui 3.364 habitantes e 3.332 eleitores, com uma diferença de apenas 32 pessoas que não são aptas a votar.

O fato tem chamado a atenção da justiça, pois é como se na cidade só tivessem 32 crianças e adolescentes e todos os outros habitantes tivessem a partir de 16 anos, pois a partir dessa idade são considerados eleitores.

A preocupação da justiça é que para transferir o título, o eleitor precisa apresentar comprovante de residência, que não precisa estar no nome dele e muitos eleitores não moram no município onde votam.

DIÁRIO DO SERTÃO