Arquivo da tag: por

Após ser agredido, árbitro de futebol atira em jogador e por pouco não é linchado

JOGOO ex-vereador de Taperoá, Salomão Marinho, quase foi linchado, na tarde deste domingo (06), durante uma partida de futebol no estádio municipal O Ribeirão. A confusão aconteceu, quando Salomão, que apitava o jogo, foi agredido.  Depois de ser agredido, o árbitro Salomão Marinho teria pegado uma arma, que estava em sua bolsa, e começou a briga. Na briga, ocorreu um disparo, que atingiu uma das pernas do atleta, que agrediu o árbitro. O jogador demorou a perceber que havia sido atingido (no vídeo abaixo é o de camisa vermelha que ferido é carregado por colegas). Nas imagens do vídeo é possível notar que jogadores encurralam o ex-legislador depois do tiro e que ele teria sofrido várias agressões. A vítima do disparo foi levado para o Hospital Geral de Taperoá e o ex-vereador teria sido encaminhado direto para unidade de tratamento fora da cidade.

MaisPB com Taperoá em Foco

Confusão no STF: advogado de Genoino é expulso do plenário por Joaquim Barbosa

Joaquim Barbosa (Foto Nelson Jr./SCO/STF)
Joaquim Barbosa (Foto Nelson Jr./SCO/STF)

O advogado Luiz Fernando Pacheco, que representa o do ex-presidente do PT José Genoino foi expulso do plenário do STF (Supremo Tribunal Federal) pelo presidente da corte, Joaquim Barbosa.

O imbróglio teve início quando Barbosa chamou a julgamento as ações que tratam do número de cadeiras que os Estados têm direito no Legislativo.

Antes de Barbosa dar a palavra ao relator de uma das ações, ministro Gilmar Mendes, Pacheco foi à tribuna e disse que processos com réu preso devem ter prioridade em sua tramitação. Por isso, queria que a o pedido de prisão domiciliar de Genoino fosse analisado pelo plenário imediatamente.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ontem, Pacheco tinha enviado uma petição ao STF solicitando urgência na análise do caso de Genoino. Ele anexou exames médicos ao pedido e disse que poderia haver complicações no quadro de saúde do réu caso seguisse na cadeia.

Ao pedir que o processo de Genoino fosse analisado, ouviu de Barbosa que o advogado não era o responsável pela pauta da corte. Nesse momento, replicou: “Não venho pautar, venho rogar a vossa excelência que coloque em pauta. Há parecer do PGR (procurador-geral da República, Rodrigo Janot) favorável a prisão domiciliar deste réu. E vossa excelência ministro Barbosa, deve honrar esta Casa e trazer a seus pares o exame da matéria”.

Neste momento, Barbosa cortou o microfone de Pacheco, que seguiu pedindo que o caso fosse analisado. Devido à insistência, o presidente ameaçou chamar os seguranças.

Pacheco seguiu gritando com os microfones desligados e dois seguranças, a pedido de Barbosa, o retiraram do plenário.

Folha

Professora cai da moto e morre atropelada por ônibus escolar no Vale do Piancó

Caso ocorreu em Pedra Branca
Caso ocorreu em Pedra Branca

Uma professora de 53 anos morreu atropelada por um ônibus escolar, na manhã desta sexta-feira (30), em Pedra Branca, a 445 km de João Pessoa, no Vale do Piancó.

De acordo com a polícia, ela seguia para o trabalho na garupa da moto do marido quando o veículo teria tombado em um buraco e a vítima caído, sendo atropelada pelo ônibus que não teve tempo de frear. O condutor do coletivo teria fugido do local com medo de ser agredido.

O corpo da professora foi levado por equipes do Instituto Médico Legal de Patos, no Sertão, e a polícia ainda vai ouvir o motorista do ônibus, que já foi identificado, apesar de não ter ficado no local da ocorrência. Uma investigação será aberta para identificar quem provocou o acidente.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O marido da professora não teve ferimentos graves.

 

portal correio

Igreja Universal aluga duas redes de TV por R$ 12 milhões

IURDA partir de junho, a Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) ocupará praticamente toda a programação de duas importantes redes de TV aberta: a Rede 21 e a CNT.

Profissionais da CNT estão sendo dispensados e programas de televendas que ocupavam espaço no canal já buscam horários em outras emissoras, pois foram comunicados da chegada do novo inquilino.

A Universal, que ocupava cerca de 11 horas diárias na CNT, vai passar a ter 22 horas diárias no canal, pagando cerca de R$ 5 milhões mensais pela locação. A emissora, que pertence a família Martinez, está em operação desde 1979.

Em 2013, a Iurd realizou operação similar, envolvendo a Rede 21, do Grupo Bandeirantes. Por falta de pagamento, Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial, perdeu as 22 horas de programação do 21 para Edir Macedo, líder da Igreja Universal. O valor do aluguel do 21 está na casa dos R$ 7 millhões/mês.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com investimento mensal de R$ 12 milhões, a Universal terá dois canais de TV operando em regiões importantes do país. A Rede 21 é forte em São Paulo e interior, enquanto a CNT tem boa penetração em Salvador, Curitiba e Rio de Janeiro.

Procuradas, a direção da CNT e da Iurd não se manifestaram sobre o assunto.

por Davi Lambertine

Dilma lança pacote de R$ 8 bi com uma licitação ‘por dia’ e prioriza a Paraíba

ROBERTO STUCKERT FILHO/PLANALTO
ROBERTO STUCKERT FILHO/PLANALTO

Na reta final de seu mandato, a presidente Dilma Rousseff lançará 400 licitações para tentar tirar do papel 100 obras em todas as regiões do País. O “plano de metas” do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) prevê investimento de R$ 8 bilhões em estradas, duplicações, contornos, anéis rodoviários, pontes, viadutos e travessias urbanas. Serão, ao todo, mais de 6,4 mil km de obras.

Boa parte dos projetos está localizada em cidades de regiões metropolitanas das capitais do Sul, Sudeste e do Nordeste, bastante populosas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O “mapa da mina” das obras, que movimentará empreiteiras, projetistas e consultorias, além de estimular empréstimos no mercado financeiro, está preservado do risco de paralisação no período eleitoral, a partir de julho. Como é dinheiro federal para obras públicas, sem a necessidade de assinatura de convênios com Estados e municípios, Dilma Rousseff poderá lançar os editais e as obras antes das eleições.

Licitações. Os novos projetos vão compor a robusta carteira do Dnit, hoje com R$ 10 bilhões de obras em andamento. Serão lançadas licitações para a obra, a supervisão do projeto e a gestão ambiental do conjunto. “Isso dá mais do que uma licitação por dia até o fim do ano”, diz o diretor-geral do Dnit, general Jorge Fraxe, ao Estado.

Parte dessas licitações será descentralizada às superintendências do Dnit nos Estados, o que pode reforçar a influência de políticos locais, muitos deles candidatos a deputado federal, senador ou governador. “Mas as obras complexas vão ficar aqui na sede”, rebate o general.

No orçamento do Dnit para 2014, cujo valor supera R$ 14 bilhões, também estão procedimentos de recuperação e manutenção de rodovias federais no valor de R$ 6 bilhões. “Estamos fazendo um revolução aqui no Dnit. Há pessoas insatisfeitas, erros se cometem, mas vamos acertando. O pior erro é a omissão”, diz Fraxe.

Obras. Entre as principais obras, estão os anéis viários do Recife e de Belo Horizonte, o Arco Sul da capital mineira, entre Betim e Nova Lima, e duplicações de rodovias em todas as regiões do País.

Na lista das prioridades, estão trechos da BR-101 na Paraíba, na área das divisas Bahia-Sergipe e Rio-São Paulo (Mangaratiba), além do interior do Paraná, entre Toledo e Marechal Cândido Rondon.

Também estão previstos editais para “melhorias” na região metropolitana de Porto Alegre, a construção de túnel na congestionada BR-101 no litoral de Santa Catarina, uma ampliação e implantação da via expressa de acesso a Florianópolis, a segunda ponte sobre o Rio Paraná, na fronteira Brasil-Paraguai, e as travessias urbanas de Santarém, Uberaba e Rondonópolis.

Na lista, figuram dezenas de pontes na rodovia Transamazônica, a ponte sobre Rio Araguaia, em Xambioá (TO), a duplicação e pavimentação da BR-163 (Cuiabá-Santarém).

Além disso, há licitações previstas para obras em áreas urbanas próximas a Fortaleza, Natal, Porto Velho, Vilhena, Altamira e Macapá, Ubatuba, Cachoeiro do Itapemirim, Juiz de Fora, Itaperuna, Ponta Grossa, Paranaguá, São Miguel do Oeste, Santa Maria, Santo Ângelo e Novo Hamburgo.

Minas. Nesta segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff anunciou a liberação de R$ 2,5 bilhões para a duplicação da BR-381, no trecho entre Governador Valadares e Belo Horizonte. Ao lado do provável candidato do PT ao governo de Minas e seu ex-ministro Fernando Pimentel, ela criticou o governo mineiro e disse que o Estado precisa ser cobrado pelos atrasos nas obras do anel rodoviário de Belo Horizonte.

A presidente rebateu críticas de adversários pelas várias promessas de que iniciaria a duplicação da BR-381. Ela justificou que o governo pensou em conceder a rodovia, mas o alto preço do pedágio tornou essa opção inviável. “Mudamos para obra pública e isso explica o ano de atraso”, disse Dilma.

Estadão

Preso por espancar mulher no litoral se recusa a colaborar com a polícia

Homem agrediu vítima com  pedaço de madeira (Foto: Reprodução / TV Globo)
Homem agrediu vítima com pedaço de madeira
(Foto: Reprodução / TV Globo)

A Polícia Civil em Guarujá, no litoral de São Paulo, apreendeu nesta quarta-feira (7) a bermuda usada, no momento do crime, pelo suspeito de participar da morte de Fabiane Maria de Jesus, espancada após um boato em uma rede social. O homem, que foi preso nesta terça-feira (6), se negou a dar informações sobre outros envolvidos no espancamento, mesmo após a polícia lhe oferecer o benefício de ficar em uma cela isolada.

O delegado Luiz Ricardo Lara afirma que o caso continua sendo investigado, e que dois moradores do bairro Morrinhos, local onde Fabiane Maria de Jesus foi espancada no último sábado (3), iriam comparecer à delegacia nesta quarta-feira para contar o que viram.  “Hoje a Polícia Civil deu continuidade às diligências que acontecem desde a morte da Fabiane. Enquanto algumas equipes vão a campo em busca de testemunhas presenciais, outras equipes analisam as imagens com o intuito de individualizar as pessoas que aparecem. Hoje vou ouvir duas testemunhas do crime”, explica Lara.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ainda dando continuidade à investigação, a polícia apreendeu a bermuda do suspeito de ter participado do espancamento. Ele está cumprindo prisão temporária. “Retornamos ao imóvel onde ele morava e conseguimos apreender a bermuda que Valmir usava na ação criminosa. A apreensão dessa bermuda, somada a confissão e aos reconhecimentos são provas inequívocas da sua participação no espancamento. Ele afirmou ser usuário de drogas e disse que diante do clamor público foi empurrado pela multidão. Ele afirmou estar arrependido e alegou  que agiu pensando que ela fosse uma criminosa”, afirma o delegado.

A polícia diz ainda que o homem preso temporariamente preferiu não identificar demais envolvidos no espancamento. “Ele apontou a participação de pelo menos 100 pessoas que agrediram Fabiane, mas que se sentia temeroso em apontar essas pessoas. Demos a oportunidade dele ficar em uma cela chamada de seguro, isolado, mesmo assim ele preferiu ficar em silêncio. Nós dependemos agora da ajuda da população local. Que procurem a polícia para dar outras informações”, finaliza o delegado.

Prisão
O delegado Claudio Rossi, da Delegacia Sede de Guarujá, informou que cinco pessoas suspeitas de participação no linchamento de Fabiane estão sendo identificadas.Segundo Rossi, um suspeito detido na terça-feira (6) já teve a prisão temporária decretada e foi encaminhado à Delegacia Sede.

Valmir Dias Barbosa, de 48 anos, foi detido no bairro Morrinhos, a mesma região onde a vítima vivia e foi atacada. Segundo a polícia, o homem confessou a participação na agressão que acabou resultando na morte de Fabiane. O homem foi reconhecido após as imagens do linchamento terem sido entregues à polícia. Outras duas pessoas foram levadas à delegacia. Segundo a polícia, elas testemunharam os fatos, conheciam a dona de casa e o homem que foi preso.

Barbosa alegou que tem filhos e que participou da ação por acreditar que as acusações à vítima – de que ela sequestrava crianças para rituais de magia negra – fossem verdadeiras. “Aconteceu e aconteceu. Não posso fazer mais nada”, disse o suspeito.

Familiares e amigos carregaram caixão de mulher espancada (Foto: Anna Gabriela Ribeiro / G1)
Familiares e amigos carregaram caixão de mulher
espancada (Foto: Anna Gabriela Ribeiro / G1)

Enterro
Centenas de pessoas acompanharam, na manhã desta terça-feira, o enterro de Fabiane, que deixa marido e dois filhos, um de 12 anos e outro de 1 ano. A cerimônia reuniu familiares e amigos que não se conformam com a crueldade do crime.

O enterro foi realizado no cemitério Jardim da Paz, no bairro Morrinhos. O marido de Fabiane, Jaílson Alves das Neves, disse que não sente ódio dos suspeitos. “Para mim a ficha não caiu. Apesar da brutalidade, não guardo ódio, não guardo esse sentimento ruim no coração. Espero que não aconteça com mais famílias. Essas pessoas que agrediram ela e as que assistiram e não tiveram a coragem de salvar uma pessoa inocente não deram nem tempo de defesa para minha esposa. Quero que eles reflitam e que isso não aconteça nunca com a família deles”, explica.

Protesto
Após o enterro de Fabiane Maria de Jesus, dezenas de amigos e familiares realizaram uma passeata no bairro Morrinhos. A população não quer que a imagem do local fique manchada por causa do crime brutal.

Maria José Dias era amiga da vitima há 25 anos e foi a última a ver Fabiane ainda com vida. “Ela foi buscar uma bíblia que tinha esquecido na igreja. Tinha pedido para que eu não esquecesse de rezar por ela. Ela estava bonita no sábado, tinha acabado de cortar e pintar o cabelo. Ela se despediu e disse que ia ao médico. A Fabiane nunca fez mal a ninguém. Tiraram o direito de uma bebê crescer ao lado da mãe. Isso não se faz. Essas pessoas chutaram uma mãe indefesa”, afirma.

Os manifestantes levaram faixas e cartazes com pedidos de justiça. “Minha maior revolta é que eles fizeram com que a imagem do meu bairro fosse destruída. Eles acabaram com a imagem das pessoas que moram aqui e que são honestas e de bem”, explica.

Internautas criticaram administrador de página Guarujá Alerta (Foto: Reprodução / Facebook)
Internautas criticaram administrador de página
Guarujá Alerta (Foto: Reprodução / Facebook)

Revolta de internautas
Dezenas de usuários da rede social criticaram duramente o administrador da página e um deles chegou a dizer que a página seria tão culpada quanto os agressores.

Em uma postagem feita no fim da tarde de segunda-feira, o dono da página afirma que está colaborando com as investigações e que não irá se pronunciar a respeito do caso para não atrapalhar o trabalho da polícia. Em alguns comentários, os usuários condenaram a publicação do retrato falado, mesmo sabendo que se tratava apenas de um boato.

De acordo com o delegado Luiz Ricardo Lara, que está à frente do caso, ainda é cedo para apontar a responsabilidade do administrador da página Guarujá Alerta. “Caso, durante a instrução do inquérito policial, seja vislumbrado que, de alguma forma, ele colaborou com o crime, na medida em que propalou esses boatos, enfim, que praticou uma infração penal, ele será responsabilizado por aquele ato”, afirma.

Retrato falado foi divulgado em 2012 (Foto: Divulgação / Polícia Civil)
Retrato falado foi divulgado em 2012
(Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Confusão
De acordo com o inquérito, o retrato falado atribuído a Fabiane havia sido feito por policiais do Rio de Janeiro, da 21ª DP (Bonsucesso), em agosto de 2012. Na ocasião, uma mulher foi acusada de tentar roubar um bebê do colo da mãe em uma rua de Ramos, na Zona Norte da cidade.

Imagens de câmeras de segurança divulgadas na época mostraram uma mulher passando com a filha de 15 dias no colo e sendo seguida pela suspeita. A vítima estava levando o bebê para fazer o teste do pezinho em um posto de saúde. Ao sair da unidade, foi surpreendida pela mulher.

 

 

Por unânimidade, Câmara de Santa Rita afasta prefeito Reginaldo Pereira pela 3ª vez

reginaldo-pereiraA Câmara Municipal de Santa Rita votou na manhã desta terça-feira (1), pela 3ª vez, o afastamento do prefeito de Santa Rita, Reginaldo Pereira. Todos os presentes votaram acompanhando o relator do processo. Um parlamentar, sobrinho do prefeito, não estava presente.

Na galeria da Câmara, dezenas de cidadãos acompanhavam a votação e vibravam a cada voto positivo pelo afastamento.

O afastamento tem efeito de 90 dias ou até a conclusão do processo. Dentre diversas acusações, Reginaldo é denunciado por nepotismo, o qual ele admitiu, já que esposa, cunhada, e genro ocupam secretarias na Prefeitura.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O vice-prefeito Netinho deve assumir novamente a Prefeitura, pela 3ª vez.

Pedro Callado

Deputada entra em ‘fogo cruzado’ por pedir inquérito contra Sheherazade e suspensão de verba publicitária do SBT

Adriano Vizoni/Folhapress
Adriano Vizoni/Folhapress

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) está sob fogo cruzado desde que pediu a suspensão da verba publicitária federal do SBT e a abertura de inquérito contra a apresentadora Rachel Sheherazade e a emissora por incitação ao crime. Nas últimas semanas, a líder do PCdoB na Câmara virou alvo de milhares de comentários nas redes sociais, alguns bastante virulentos, que apoiam a jornalista e acusam a parlamentar de tentar promover censura.
Em entrevista ao Congresso em Foco, Jandira diz que o que está em questão não é o direito de Rachel Sheherazade fazer comentários na TV, mas a impossibilidade de uma empresa, que explora uma concessão pública, continuar recebendo verba publicitária mesmo após ter cometido um crime. Só em 2012, o SBT recebeu R$ 153 milhões do governo federal. O objetivo da ação, segundo ela, é que a eventual punição ao SBT sirva de exemplo para outras redes.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Não estamos provocando a Rachel Sheherazade, é o SBT que está em questão. Não é uma questão dela especificamente, mas dela vinculada ao canal. A gente espera que isso sirva de parâmetro para outras TVs”, afirma. “A emissora vai ter de assumir”, acrescenta.

“Ação orquestrada”

A deputada afirma que não se sente intimidada com as críticas que passou a receber desde que denunciou Rachel Sheherazade e o SBT em razão dos comentários feitos por ela em defesa de um grupo de pessoas que espancou, tirou a roupa e acorrentou ao poste um adolescente acusado de furto no Rio. Ela vincula os ataques à realização da marcha de setores da direita que pede a volta dos militares ao poder, que será realizada neste sábado.

Jandira acredita que há uma “ação orquestrada” na internet contra defensores dos direitos humanos. Na opinião dela, a proliferação de comentários contrários à sua iniciativa não é espontânea, nem se deve apenas às pessoas que concordam com a apresentadora.

“Nós mesmos apagamos uma das mensagens, que era de muito baixo nível. A pessoa respondeu: ‘Não adianta me apagar, pois tenho 200 perfis fakes, meu IP está na Holanda. Não vão me identificar’. Ou seja, há uma ação orquestrada. Agora mesmo vão fazer uma marcha em São Paulo, orquestram fakes, tem muito texto igual, as agressões são muito parecidas”, conta a deputada.

Pauta da mídia

A líder do PCdoB na Câmara também anuncia que vai propor a votação de uma “pauta da mídia”, que contemple desde a regionalização da programação até a redefinição de critérios para a distribuição da verba publicitária, passando pela regulamentação do direito de resposta. “Alguém tem de enfrentar a grande mídia naquilo que é prejudicial à sociedade. Uma coisa é a opinião. Outra coisa é incitar à ação criminosa.”

Jandira Feghali trabalha em duas frentes contra o SBT. Além do ofício enviado diretamente à Secom, no dia 20 de fevereiro, ela também apresentou um requerimento à Procuradoria-Geral da República (PGR) em que pede a abertura de inquérito contra a TV e Rachel Sheherazade e o corte da verba enquanto durarem as investigações. Como mostrou o Congresso em Foco, em caso de condenação, Jandira solicita que o SBT perca até o direito à concessão pública. Caberá ao procurador-geral, Rodrigo Janot, dar andamento ou não aos pedidos. “Acho mais fácil tirarem a Rachel do ar do que cassar a concessão”, diz Jandira.

Procurados pela reportagem ainda na última terça-feira (18), a apresentadora, o SBT e a Secretaria de Comunicação da Presidência da República não se manifestaram sobre o assunto.

Leia a íntegra da entrevista da deputada:

Congresso em Foco – Como surgiu a ideia de pedir a suspensão da verba publicitária do SBT? Jandira Feghali – Quando eu presidia a Comissão de Cultura, uma das pautas que tratamos com a então ministra da Secretaria de Comunicação, Helena Chagas, foi sobre a distribuição de verbas publicitárias do governo. Para nós, é óbvio que a verba publicitária não pode subsidiar canais de comunicação que pregam preconceito e violam os direitos humanos. A ministra disse que, se tivéssemos alguma denúncia, ela interromperia a verba. Como o governo pode subsidiar um canal que tem uma editorialista que incita à violência e à justiça com as próprias mãos? Logo após o comentário da Rachel Sheherazade, apresentamos um ofício na Secretaria de Comunicação na Presidência da República, pedindo a suspensão da verba para o SBT. Mas fomos orientados de que seria importante que o próprio Ministério Público abrisse um processo penal para reforçar a provocação ao Executivo, no caso, a Secom. Com isso, teríamos um caminho próprio. A Secom me deu primeiro retorno de conteúdo, dizendo que concorda com o pedido, mas que está estudando que providências tomar.

Quais os procedimentos agora?

A entrada da PGR acelera a solução no Executivo. Estou para fazer uma visitar ao procurador-geral, aguardo uma audiência com ele [Rodrigo Janot]. Alguém tem de enfrentar a grande mídia naquilo que é prejudicial à sociedade. Uma coisa é a opinião. Outra coisa é incitar à ação criminosa. Como o SBT tem muita audiência, isso impacta a própria guerra num terreno livre que é o da internet. Como é livre, é de todas as opiniões, concordando-se ou não.

Impressionou a senhora a repercussão ao seu pedido nas redes sociais? O que chama a atenção é a agressividade com que isso ocorre. Quem se confronta conosco, geralmente, vem com um nível de agressividade muito grande, reafirmando a posição de “mata mesmo, agride mesmo”. Uma coisa muito odiosa, preconceituosa, agressiva.

Por que isso ocorre?

Nós mesmos apagamos uma das mensagens, que era de muito baixo nível. A pessoa respondeu: “Não adianta me apagar, pois tenho 200 perfis fakes, meu IP está na Holanda. Não vão me identificar”. Ou seja, há uma ação orquestrada. Agora mesmo vão fazer uma marcha em São Paulo, orquestram fakes, tem muito texto igual, as agressões são muito parecidas. Alguém que fale em IP não é povão, tem conhecimento de tecnologia, comunicação. Tem ações que se multiplicam mesmo não sendo majoritárias. Essa violência que está nas ruas se reflete na comunicação. Há um grande preconceito.

Mas há muita gente que se identifica com os comentários dela por não acreditar mais no Estado… Tem quem se identifique com ela. Fui testemunha, no Carnaval, de um espancamento num bloco no Rio. De repente, gritaram “pega ladrão”. Aí três caras enormes espancaram um moleque mulato, que caiu desmaiado. Quebraram dedo da mão dele. Tive de atendê-lo na hora, como médica que sou. Eles também queriam deixá-lo nu e amarrá-lo num poste. O que esse tipo de programa e afirmação dela defendem pega em alguns segmentos que se sentem legitimados para agir dessa forma. Isso é barbárie.

Mas não há também uma descrença das pessoas no Estado?

Tudo bem que as pessoas tenham desconfiança da polícia, não aguentem mais a impunidade. Mas quem tem poder de julgar? Não pode ser um segmento da sociedade. Deviam pegar o moleque que estava roubando e entregá-lo para a polícia. Mas o gosto era de matar mesmo. Isso é terrível.

Na internet, há quem diga que a representação que a senhora move representa uma censura e que Rachel Sheherazade manifestou apenas o que eles também pensam…

Temos de enfrentar o debate sem nenhuma conivência com o crime, com quem rouba ou assassina. Mas é preciso compreender que as heterogeneidades sociais estão por trás disso. Os espancados, muitas vezes, não são bandidos profissionais, mas um garoto novo que não tem conhecimento. Um menino que rouba um celular, e não um que cometeu estupro. Não podemos ser coniventes com nenhum dos crimes. O único poder capaz de julgar a proporcionalidade da punição é a Justiça, que dá direito de defesa. Temos de defender o Estado democrático de direito.

O que representará uma eventual punição ao SBT nesse caso?

É uma simbologia para outras TVs não reproduzirem essa atitude. É garantir que as instituições funcionem. Há projetos que queremos puxar para a pauta do Congresso, como a redistribuição da verba publicitária, o direito de resposta, a regionalização da comunicação, a chamada lei das antenas. Tem uma pauta da comunicação que a gente precisa dar curso para garantir maior acesso da população e fortalecer uma mídia que nos permita um debate mais aberto.

Quais os próximos passos do pedido feito na Secom e da representação na PGR contra Rachel e o SBT? Vou pedir reunião com os dois, o ministro e o procurador-geral. Thomas Traumann [ministro da Secom] disse que concordava com o conteúdo e ia pensar nas providências. A ação da PGR fortalece esse nosso pedido.

A senhora propõe, em seu pedido ao procurador-geral, até a retirada da concessão pública do SBT em caso de condenação. Há alguma possibilidade de isso acontecer?

Acho mais fácil tirarem a Rachel do ar do que cassar a concessão. A emissora vai ter de assumir. Não estamos provocando a Rachel Sheherazade, é o SBT que está em questão. Não é uma questão dela especificamente, mas dela vinculada ao canal. A gente espera que isso sirva de parâmetro para outras TVs.

Congresso em Foco 

Cássio diz que “a Paraíba não foi inventada nos últimos 3 anos” por Ricardo Coutinho

O senador Cássio Cunha Lima desabafou na manhã desta sexta-feira (21) na reunião da executiva do PSDB, em Patos, sertão da Paraíba. Durante o encontro, Cássio foi enfático ao afirmar que “a Paraíba não foi inventada nos últimos 3 anos”.

Em tom de indiretas, Cássio criticou o governo de Ricardo Coutinho ao afirmar que a falta de diálogo é “coisa do século passado, de coronelismo, de ditador”. Ainda alfinetando, o senador destacou em seu discurso que “quem governa respeitando a dignidade humana faz mais e faz melhor”.

Na reunião da executiva do partido, foi aprovada por unanimidade a tese de candidatura própria do PSDB para o governo do Estado. Foram feitas três perguntas aos filiados presentes no evento: se aprovavam a continuidade da aliança com o PSB, se aprovavam a candidatura própria do partido e qual seria a cor da campanha. Os tucanos reprovaram a continuidade da aliança, aprovaram a candidatura própria e escolheram amarelo como cor de campanha.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O deputado estadual Antônio Mineral, único tucano na Assembleia Legislativa, não compareceu ao evento de seu partido. Antônio Mineral tem seu reduto eleitoral na região de Patos e alegou que tinha outro compromisso.

 

click pb

 

Carro fica esmagado por ônibus na Av. Vereador José Diniz

Veículo esmagado por ônibus no acidente é um táxi preto de placa vermelha (Foto: Letícia Macedo/G1)
Veículo esmagado por ônibus no acidente é um táxi preto de placa vermelha (Foto: Letícia Macedo/G1)

Duas pessoas morreram e oito ficaram feridas em um acidente na Avenida Vereador José Diniz, Zona Sul de São Paulo, na manhã desta quarta-feira (12). Um táxi executivo ficou prensado por um ônibus articulado, que bateu na traseira de outro coletivo. Sete viaturas do Corpo de Bombeiros foram deslocadas para o local. O acidente ocorreu na altura da Rua Joaquim Nabuco, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

As duas pessoas que morreram estavam no carro que foi esmagado, um Corolla preto com placa vermelha. Os bombeiros não descartam a possibilidade de haver uma terceira pessoa no banco traseiro do táxi.

Os oito feridos tiveram ferimentos leves. Quatro deles foram encaminhados para o Pronto-Socorro Bandeirantes e quatro, para o Pronto-Socorro do Servidor Público.

A CET recomenda aos motoristas que busquem caminhos alternativos. Às 10h, a Avenida Vereador José Diniz tinha 2,5 km de lentidão no sentido Centro, da Rua da Fraternidade até a Rua Joaquim Nabuco.

O analista Tadeu Menezes passava pelo local do acidente e filmou o estado em que ficou o carro. Ele enviou o vídeo ao lado para o VC no G1.

Carro fica prensado entre dois ônibus na Avenida Vereador José Diniz nesta quarta-feira (12) (Foto: Aline Raquel Guilherme/VC no G1)
Carro fica prensado entre dois ônibus na Avenida
Vereador José Diniz nesta quarta-feira (12)
(Foto: Aline Raquel Guilherme/VC no G1)

Às 8h10, a faixa da esquerda estava totalmente bloqueada no sentido Centro, segundo a enfermeira Aline Raquel Guilherme, que passou pela região no sentido contrário.

“Estava tudo parado, o pessoal estava descendo dos ônibus e continuando a pé”, disse Aline, que tirou a foto ao lado e a enviou pelo VC no G1.

Por volta das 9h15, os passageiros ainda caminhavam a pé pela via, devido à falta de transporte.

G1