Arquivo da tag: Poluição

Cagepa promove ação educativa com crianças da LBV, no Dia de Combate à poluição

Dezenas de recursos educativos foram utilizados nos cuidados com a água

Nessa última quarta-feira, 14 de agosto, dezenas de crianças e adolescentes assistidas pela Legião da Boa Vontade – LBV no Bairro de Jaguaribe, foram sensibilizadas por ação educativa desenvolvida pela Gerência de Meio Ambiente e Educação Ambiental da Cagepa, o tema foi os cuidados para a não poluição das águas, em referência ao Dia de Combate à Poluição, celebrado anualmente em 14 de agosto.

A ação educativa alertou sobre o grave problema ambiental que enfrentamos, como a falta de chuvas que provoca o racionamento de água, com isso, despertar mudanças de hábitos, como o descarte corretamente do lixo, para que não polua rios, mares e o uso correto da água, para não haver o desperdício.

Os pequenos da LBV, ficaram entusiasmados com as atividades desenvolvidas, pela Gerência de Meio Ambiente e Educação Ambiental da Cagepa, que utilizou recursos educativos como filme, jogos interativos, cartilhas e panfletos sobre o tratamento de água e esgoto.

O menino Antônio Victor, 9 anos, afirmou que é importante aprender a cuidar do planeta. “Não devemos poluir os rios, precisamos economizar água, consertar os vazamentos em casa, por que precisamos da natureza”, disse. A menina Ana Betriz, 8 anos, ressaltou que a água é vida, por isso, que se precisa saber utilizá-la corretamente.

Para a gestora administrativa da LBV, Ana Paiva, parcerias como essa com a Cagepa, empodera os assistidos da instituição. “A ação é de grande relevância, as crianças e adolescentes, aprendem e levam para o seu dia a dia. São pequenas ações que tem o poder de gerar novos comportamentos e mudanças de hábitos, ampliam o aprendizado para seus familiares, a fim de sensibilizá-los do compromisso com o meio ambiente”, afirmou.

A LBV em João Pessoa, desenvolve serviços de proteção básica, através do Criança Futuro no Presente! (crianças e adolescentes), Vivência Solidária (grupo de mulheres) e Vida Plena (idosos), na qual é oferecida dezenas de oficinas como música, arte e cultura, cidadania irrestrita, dança, ballet, artesanato e atividades esportivas. São centenas de crianças, adolescentes, mulheres, idosos e adultos, assistidos diariamente, oriundos de comunidades em situação de vulnerabilidade social e de pobreza. Todo o trabalho empreendido é mantido financeiramente com a generosidade da sociedade civil paraibana.

Sua Sede está localizada à Rua das Trincheiras, 703 – Jaguaribe, visite, colabore e se apaixone pelo trabalho da Legião da Boa Vontade na capital paraibana.

Informação sobre o Dia de Combate à Poluição

O Dia do Combate à Poluição é comemorado em 14 de agosto e tem por objetivo alertar todas as esferas da população sobre o grave problema ambiental que enfrentamos e buscar medidas para conter a degradação do nosso planeta. A poluição é geralmente definida como a degradação física e química do meio ambiente.

 

Assessoria LBV

 

 

PM registrou mais de 1 mil ocorrências de poluição sonora no carnaval; multas chegam a R$ 50 mil

 (Foto: divulgação/BPAmb)
(Foto: divulgação/BPAmb)

Somente no período do carnaval, a Polícia Militar recebeu 1.008 chamados para ocorrências de poluição sonora na Paraíba. De acordo com PM, 859 ocorrências foram registradas em João Pessoa e em cidades do Litoral Norte e Sul.

Outros 133 registros ocorreram na região de Campina Grande. Em relação ao crime de poluição sonora, o Batalhão de Polícia Ambiental apreendeu 10 paredões de som durantes as festas de carnaval. O valor das multas aplicadas chega a R$ 50 mil.

Entre a sexta-feira (24) e as 7h desta quarta-feira (1), a PM prende 30 pessoas por porte ilegal de arma, 25 por roubo, 21 com drogas, 15 por furto, 13 por homicídio ou tentativa, 10 por crime ambiental, duas em cumprimento a mandado de prisão, uma por estelionato e uma por contrabando de cigarros.

Veja os dados da ‘Operação Carnaval’

– 3.338 solicitações atendidas pela PM;

– 118 suspeitos presos/apreendidos;

– 38 armas apreendidas;

– 18 veículos roubados recuperados;

– 15 kg de drogas (maconha, crack e cocaína) e 6 litros de loló apreendidos;

– 10 ‘paredões’ de som apreendidos;

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Poluição eletrônica traz grande perigo à saúde humana

 

celularAs ondas eletromagnéticas chegaram para ficar. Elas alimentam os 3 ou 4 bilhões de telefones celulares que estão por aí. São a alma da internet banda larga que faz a alegria dos viciados em downloads. De tão atraentes, muitas cidades decidiram universalizar o acesso gratuito e sem fios à web, no esforço de democratizar essa tecnologia. Mas quão arriscado é viver em um mundo em que, graças ao bombardeio eletromagnético, o celular é onipresente e pode-se mandar e receber mensagens ou pode-se consultar o Google à beira de um rio ou no meio de uma floresta? Cresce o número de pessoas que se sentem acuadas e dizem sofrer as consequências de uma atmosfera tão carregada de radiações artificiais.

Veredicto nebuloso

A suspeita de que as ondas eletromagnéticas podem ser nocivas à saúde não é novidade. Já foi inclusive cunhado o termo “eletrosmog” – combinação dos termos ingleses electric (elétrico) e smog (nevoeiro) – para designar o problema. A Organização Mundial da Saúde lançou em 1996 um programa destinado a investigar a possibilidade Dops efeitos nocivos do eletrosmog.

Jacqueline McGlade, diretora-executiva da Agência Ambiental Europeia, declarou que “pesquisas recentes sugerem que seria prudente que as autoridades sanitárias recomendassem ações que reduzissem a exposição, especialmente de grupos vulneráveis, como as crianças”. Ela lembrou os casos do amianto, do chumbo na gasolina e do tabaco – substâncias de uso difundido que só com o passar do tempo tiveram seus riscos comprovados. No futuro, os campos eletromagnéticos poderiam integrar essa lista.

Mas afinal, o que é o eletrosmog? Os especialistas o definem como uma “forma de poluição eletromagnética não ionizante”. Em outras palavras, aquela produzida pelas emissões radiofônicas, pelos fios elétricos percorridos pela corrente elétrica de grande intensidade, pelas radio-ondas dos telefones celulares e do wi-fi (wireless fidelity), ou seja, os dispositivos que podem ser coligados a redes locais (telefonia, Internet, etc.), por meio de ondas de rádio.

Eletrosmog e ondas eletromagnéticas são, portanto, perturbações causadas por fontes artificiais produzidas pelo homem, que se propagam no espaço, invadindo inclusive o habitat onde vivemos.

O corpo humano e todos os seres vivos são formados de células que nascem, vivem e se reproduzem graças a um perfeito equilíbrio eletromagnético natural. As interferências externas influem no sistema vital das células e, consequentemente, na saúde física do ser vivente. Seu efeito se relaciona à modalidade de exposição (intensidade das radiações, duração das exposições, partes do corpo expostas, etc). As radiações são capazes de modificar a estrutura química das substâncias sobre as quais incidem e podem produzir efeitos biológicos a longo prazo sobre os seres vivos, interagindo com o DNA das células.

Acredita-se que as radiações possam ter efeitos sobre os seres vivos não apenas devido à sua ação térmica, mas também por causa do seu potencial cancerígeno. Nesse sentido, os sintomas das moléstias causadas pelo eletrosmog costumam aparecer súbita e inexplicavelmente. Tratam-se em geral de insônia, dor de cabeça, inquietude, cansaço, falta de iniciativa, problemas de concentração, perda de memórias, tensão nervosa sem motivo definido. Nos casos mais graves: hipertensão, taquicardia, distúrbios da visão e da audição, estado de espírito que local onde a pessoa permanece.

As pessoas que manifestam distúrbios por causa da influência do eletrosmog são chamadas de pessoas eletrossensíveis, e seu número se encontra em constante aumento.

Como se defender? O uso de roupas feitas com tecidos capazes de bloquear, pelo menos em parte, as radiações eletromagnéticas, é um dos paliativos que estão sendo estudados. Na Itália, o Grupo Creamoda, fundado em 1993, surgiu exatamente com essa finalidade. A instituição conta já com vários tecidos feitos com um fio extremamente fino, feito de ligas metálicas capazes de bloquear boa parte das ondas eletromagnéticas. Esse fio é inserido nos tecidos através de processos de alta tecnologia, respeitando o princípio da gaiola de Faraday.

Vários outros estudos estão sendo feitos a respeito, mas a verdade é que encontrar-se uma solução definitiva parece, por enquanto, coisa impossível. Criamos e estamos desenvolvendo uma inteira civilização baseada no uso de equipamentos e tecnologias que se sustentam a partir dos princípios da eletrônica. As consequências disso ainda são imprevisíveis, não apenas em relação ao nosso corpo físico – e o de todos os demais seres vivos -, mas também quanto à nossa saúde e comportamentos psíquicos e mentais.

Por Correio Braziliense

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Secretaria de Meio Ambiente de Solânea reuni proprietários de carros de som para tratar sobre poluição sonora

No último dia 16 estiveram reunidos na Câmara Municipal de Solânea os proprietários de carros de som juntamente com a Vereadora Giseliane Azevedo e o Secretário do Meio Ambiente Sérgio Tomé. O objetivo foi para tratarem da lei que será criada para disciplinar sobre a poluição sonora em nosso município.

431778_153111941532544_1817762325_n

O secretário expôs aos proprietários parte da lei trata sobre carros de som, que fará parte do Código Ambiental Municipal que está sendo elaborado pela secretaria. Foram ouvidas as opiniões e discutido em conjunto com a categoria a construção de uma lei que atenda os interesses da população e que também não venha causar prejuízos para os donos de carros de som e ambulantes que trabalham com divulgação e venda de Cd´s.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Como resultado da reunião, ficou acordado entre as partes que a Lei limitará o horário dos carros de som como segue: DIAS DA SEMANA – 08:00 às 12:00 e 14:00 às 19:00 SÁBADOS 07:00 às 12:00 e 14:00 às 18:00 DOMINGOS E FERIADOS 09:00 Às 12:00 e 14:00 às 18:00. Os proprietários de carros de som se comprometeram em seguir estes horários mesmo antes da Lei ser aprovada, será um tempo de adaptações.
Ficara limitada a altura de 80 decibéis, além de respeitarem ambientes como hospitais, repartições públicas, escolas.

Solanea Online

Cientistas alertam que poluição pode reduzir órgão sexual

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Uma entidade de proteção às lontras do País de Gales afirma que o órgão sexual do animal vem diminuindo de tamanho. E, segundo a Cardiff University Otter Project, o alerta vale para os seres humanos também. As informações são do jornal Daily Mail.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Desde os anos 1990 a instituição analisa os animais e associa as mudanças observadas a substâncias químicas, conhecidas por provocarem alterações no sistema endócrino. “Se queremos proteger a natureza, precisamos ter informações sobre a saúde sexual das espécies. As descobertas mostram que é tempo de acabar a complacência sobre os efeitos da poluição sobre o sistema reprodutor masculino. Os efeitos encontrados nas lontras podem ser causados pelas mesmas substâncias suspeitas de contribuir para a queda na saúde do sistema reprodutivo masculino, câncer de testículos, baixa contagem de espermas”, disse Gwynne Lyons, diretora da entidade.

 

Nas lontras, pesquisadores perceberam redução no peso do osso na região peniana, bem como cistos e a ausência dos testículos. O estudo foi realizado em parceria com a entidade ambiental Chemicals, Health and Environment Monitoring (CHEM).

 

Ponto a Ponto Ideias

Poluição expõe grávidas a doença fatal pré-eclâmpsia

De acordo com novo estudo, mães asmáticas estão mais propensas a sofrer de pré-eclâmpsia ou de terem bebês prematurosFoto: Getty Images
De acordo com novo estudo, mães asmáticas estão mais propensas a sofrer de pré-eclâmpsia ou de terem bebês prematuros
Foto: Getty Images

Pesquisadores descobriram que a exposição à poluição pode desencadear a doença fatal pré-eclâmpsia em mulheres grávidas. As informações são do site do jornal britânico Daily Mail.

 

Mais do que isso, eles concluíram que as mulheres asmáticas são especialmente vulneráveis ao problema, associado à pressão alta e retenção de líquido. O novo estudo atribui aos níveis altos de poluição por ozônio o aparecimento da doença em cada 20 casos, durante os três primeiros meses de gestação; assim como um aumento no número de nascimentos prematuros.

 

Este índice significa que a poluição pode ser a causa do problema em 2 mil casos anuais da doença no Reino Unido. Além disso, estima-se que problemas por pressão alta da mãe tiram a vida de 600 bebês por ano. O único tratamento para combater o mal é a cesariana de emergência. A pesquisa reforça a conclusão de outros estudos, que relacionam a poluição ao nascimento de bebês abaixo do peso, ou prematuros.

 

Foram analisados cerca de 121 mil nascimentos em Grande Estocolmo, na Suécia, entre 1998 e 2006. Eles compararam os registros que traziam a prevalência de asma entre as mães e os níveis de fatores poluentes da região.

 

Ao todo, 4,4% das gestações resultaram em nascimentos prematuros e na prevalência de pré- eclâmpsia em 2,7%. Mães com asma se mostraram 25% por cento mais propensas a ter um filho nascido de forma prematura e 10% a sofrer de pré-eclâmpsia.

 

Ao todo, 4,4% das gestações resultaram em nascimentos prematuros e na prevalência de pré- eclâmpsia em 2,7%

​O efeito da poluição sobre os processos de inflamação no organismo pode ser um mecanismo potencial, acreditam os pesquisadores suecos. A asma é uma doença inflamatória e o ozônio pode, portanto, agravar os sintomas respiratórios e inflamação sistêmica. Dessa forma, aumenta o risco de parto prematuro entre as mães com asma.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Os pesquisadores afirmam que, embora seja difícil colocar em prática medidas que reduzam o risco, os resultados podem ajudar no desenvolvimento de um controle maior entre as mães asmáticas durante a gestação.

 

Terra