Arquivo da tag: Polônia

Brasil surpreende a Polônia e estreia com vitória no handebol masculino

imagem: REUTERS/Marko Djurica
imagem: REUTERS/Marko Djurica

A seleção brasileira masculina de handebol estreou bem na Olimpíada e surpreendeu a Polônia, neste domingo, na Arena do Futuro. Empurrado pela torcida, o Brasil contou com excelentes atuações dos goleiros Bombom e Maik e bateram os poloneses, que desembarcaram no Rio de Janeiro de olho em uma vaga no pódio, por 34 a 32.

Enquanto a equipe feminina de handebol é apontada como uma das potências da modalidade atualmente, o time masculino iniciou a disputa como azarão. O Brasil ficou fora dos Jogos de Londres e conta com uma geração de jovens promissores, que encara essa primeira experiência olímpica como uma oportunidade de ganhar rodagem para Tóquio, em 2020. A Polônia, em contrapartida, desembarcou no Rio embalada pela medalha de bronze no último Mundial.
Na terça-feira, às 16h40, o Brasil enfrenta a Eslovênia pelo grupo B da Olimpíada. Suécia, Alemanha e Egito completam a chave.

Bombom brilha no 1º tempo

Inspirado, o goleiro Bombom fez defesas importantes e chegou a marcar um gol, o sétimo da equipe na partida. As boas intervenções do jogador colocaram o Brasil na frente no primeiro tempo.

A Polônia, mais organizada em relação ao início da partida, cresceu de produção no ataque durante o primeiro tempo e encostou no placar.

O Brasil finalizou o primeiro tempo vencendo por 16 a 13.

Defesas de Maik e atuação segura do Brasil animam o público

Após o intervalo, a torcida seguiu apoiando o Brasil com a mesma intensidade do início da partida. O time respondeu aos estímulos e conseguiu manter a vantagem na casa dos quatro gols.

O goleiro Maik, que substituiu Bombom no decorrer da partida, levou o público à loucura ao aproveitar um vacilo da defesa polonesa e marcar um gol por cobertura.

Sem desperdiçar chances cara a cara com o goleiro polonês, o Brasil se manteve firme e administrou o placar até o fim do duelo.

Hino à capela e “cheerleaders” polonesas: as reações da torcida

A torcida brasileira encheu a Arena do Futuro para acompanhar o time do técnico Jordi Ribera. Participativos, os fãs cantaram o hino nacional à capela e abafaram os canticos poloneses.

Mesmo em pequeno número, os poloneses tentaram incentivar seus atletas nos primeiros minutos de jogo. Um grupo de quatro jovens vestidas de branco e vermelho, cores do país europeu, roubou a cena e chamou a atenção dos brasileiros ao agitar pompons na arquibancada.

No segundo tempo, a torcida brasileira festejava as defesas do goleiro Maik como se fossem gols do time verde e amarelo. Ao fim da partida, até os torcedores poloneses se entusiasmaram com a festa e gravaram

UOL
imagem: UOL

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Papa Francisco cai durante missa em Cracóvia, na Polônia

(Foto: G1)
(Foto: G1)

O Papa Francisco caiu durante uma missa em Cracóvia, na Polônia, nesta quinta-feira (28), segundo a Associated Press. Ele foi socorrido por padres e bispos que participavam da cerimônia no santuário de Jasna Góra, em Czestochowa. Aparentemente, ele não se machucou e continuou a celebração.

Francisco chegou nesta quarta-feira (27/07) à Polônia. Ele ficará na cidade polonesa até o próximo domingo para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de 2016.

Em seu primeiro ato, que aconteceu na quarta-feira (27), ele foi ao Castelo Real para uma reunião com o presidente polonês, Andrzej Duda.

Ele pediu ao governo do país para se mostrar disposto a receber “aqueles que fogem da guerra e da fome”, no seu primeiro discurso em Cracóvia, perante autoridades polonesas, no Castelo Real de Wawel.

Durante o voo até a Cracóvia, o pontífice disse que a série de ataques recentes, incluindo o assassinato de um padre na França, é a prova de que o “mundo está em guerra”. No entanto, ele destacou que culpar a religião por isso não é responsável, segundo a Reuters.

Para o pontífice, os conflitos são motivados pela disputa pela dominação de povos e por interesses econômicos. As declarações foram dadas a bordo de um avião que o levará à Polônia.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Leão mata leoa na frente de visitantes de zoológico na Polônia

leãoAs crianças que visitaram o zoológico de Gdansk, na Polônia, ficaram traumatizadas quando viram um leão atacar violentamente e matar uma leoa. As famílias ficaram horrorizadas ao verem o macho Arco se lançar contra Berghi e prender sua garganta até ela não conseguir mais respirar e morrer. Confira aqui o vídeo. As informações são do jornal Austrian Times.

Mãe de uma das crianças que presenciaram a cena, Anna Malkowska, de 28 anos, disse que achou que os animais estavam brincando. “Mas depois ficou bem claro que o macho não estava. De repente, tudo virou um show de horrores. Minha filha começou a chorar e nós conseguimos ver que a fêmea estava sangrando”, lembrou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com o diretor do zoo, Michal Targowski, afirmou que não esperava que algo tão terrível pudesse acontecer. “Esse foi o mais trágico e infeliz incidente da história do zoológico e nós pedimos desculpas às famílias que o testemunharam. Nós gastamos os últimos meses preparando a jaula para a chegada dos leões, mas não previmos isso. Infelizmente, trabalhar com animais é sempre imprevisível”, lamentou.

Os leões foram levados ao zoo de Gdansk para comemorar o aniversário de 60 anos do parque. Arco viera de um outro zoológico de Portugal, enquanto outras duas leoas, da França.

 

radioglobo

Mulher entra nua e compra bebida em lanchonete na Polônia

Foto: Reprodução/Daily Mail
Foto: Reprodução/Daily Mail

Uma mulher entrou completamente nua na lanchonete de um posto de combustíveis na Cracóvia, Polônia. Ela comprou uma bebida como se nada estivesse acontecendo, de acordo com informações do Daily Mail.

De acordo com Cezar Zawadzki, 34 anos, que estava abastecendo seu carro no mesmo posto, a mulher entrou na lanchonete, pegou uma bebida e um lanche, esperou na fila do caixa, pagou pelos produtos e foi embora.

Para o espanto do cliente, as demais pessoas que estavam na lanchonete agiram normalmente, sem ligar para o fato de a mulher sem roupa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Os funcionários a atenderam como se nada estivesse acontecendo e os frentistas também a ignoraram, eles nem ao menos deram uma espiada”, disse Zawadzki. “Depois, ela saiu da loja e voltou para a estrada como se isso fosse a coisa mais normal do mundo”.

 

Terra

Inglaterra vence Polônia por 2 a 0 e garante vaga na Copa do Mundo

alemanhaA nação que inventou o futebol jogará a Copa do Mundo de 2014 no país que o aprimorou. A Inglaterra garantiu classificação para o Mundial do Brasil ao bater a Polônia por 2 a 0 nesta terça-feira, no estádio de Wembley. Gols de Rooney, no final do primeiro tempo, e Gerrard, quase no término da partida, evitaram que o English Team fosse à repescagem europeia.

Com a vitória, a Inglaterra terminou na primeira colocação do Grupo H, com 22 pontos. Ficou um ponto à frente da Ucrânia, que vai à repescagem. Se não tivesse vencido, a equipe de Gerrard e Rooney não teria a vaga direta.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A classificação não foi fácil. A Inglaterra jogou melhor, mas chegou a ser ameaçada pela Polônia, que já foi a campo eliminada.

Pressão e gol

O jogo começou equilibrado. A Polônia, sem a pressão pelo resultado e apoiada por mais de 10 mil torcedores em Londres, jogou com leveza e incomodou os donos da casa. Lewandowski teve duas chances de marcar um gol que seria trágico para os ingleses. Com o tempo, porém, os donos da casa conseguiram se organizar e passaram a pressionar.

Ficou evidente que o gol estava em vias de nascer. Townsend, muito bem na partida, acertou o travessão polonês. Welbeck perdeu gol feito, na pequena área, quando a bola sobrou para ele. Era preciso que aparecesse alguém que tem o gol em seu DNA. Aconteceu aos 40 minutos, quando Baines cruzou da esquerda e Rooney cabeceou com precisão matemática: certeiro, no canto esquerdo do goleiro Szczesny, indefensável.

Vaga garantida: 2 a 0

A Polônia voltou ameaçadora nos primeiros minutos do segundo tempo. A entrada de Klich deu efeito imediato. Ele assustou duas vezes em um minuto. Aos poucos, porém, a Inglaterra reequilibrou a partida e soube usar a vantagem no placar. Mesmo assim, a Polônia ameaçou – quando Lewandowski recebeu às costas da zaga e parou em Hart, por exemplo.

Até o final da partida, a Inglaterra lidou com a dualidade de atacar e poder ampliar o placar, mas também ceder espaços atrás. A manutenção do 1 a 0 deixou o jogo tenso. Lampard entrou para dar mais cadência ao time. A Polônia, mesmo sem ser muito agressiva, sempre representou uma ameaça. Mas os ingleses tiveram sucesso em sua empreitada. Abraçaram-se ao relógio e garantiram a vitória. Melhor: com outro gol. Gerrard, quase no final, partiu em disparada, se livrou da marcação e fez o gol da classificação inglesa.

 

Globo.com

Papa encerra jornada conclamado jovem a evangelizar; em 2016 JMJ será na Polônia

Reprodução/TV
Reprodução/TV

Uma multidão lotou toda a praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, na manhã deste domingo (28), para participar da missa de encerramento da Jornada Mundial da Juventude (Missa de Envio).

O papa Francisco conclamou a população serem genorosas. “Rezamos para Nossa Senhora que nos ajude a transmitir alegria de Jesus a todas as pessoas. Não tenha medo de ser generoso”, disse o Papa Francisco.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Papa Francisco anunciou a cidade de Cracóvia como sede da próxima Jornada Mundial da Juventude, em 2016. Os jovens que poloneses que foram a Copacabana comemoraram muito. Cracóvia é cidade próxima a Wadowice, terra natal do Papa João Paulo II, criador da JMJ.

Jornada Mundial da JuventudeFoto: Jornada Mundial da Juventude
Créditos: Reprodução/TV

O papa Francisco disse aos jovens peregrinos que não tenham medo de evangelizar outros jovens e de levar sua fé para outros lugares. Ele afirmou que a evangelização é um dos caminhos para “derrubar as barreiras do egoísmo, da intolerância e do ódio” e incentivou os presentes a “construir um novo mundo”.

“Queridos jovens, regressando as suas casas, não tenham medo de ser generosos com Cristo, de testemunhar o seu Evangelho. (…) Levar o Evangelho é levar a força de Deus para extirpar e destruir o mal e a violência; para devastar e derrubar as barreiras do egoísmo, da intolerância e do ódio”, afirmou Francisco.

Pedindo à juventude católica que siga no sentido de “construir um novo mundo”, o pontífice disse que a Igreja precisa “do entusiasmo, da alegria e da criatividade” dos jovens. “Jesus Cristo conta com vocês, a Igreja conta com vocês, o papa conta com vocês”, disse Francisco.

A presidente Dilma Rousseff chegou ao setor reservado às autoridades junto ao palco de Copacabana acompanhada pela presidente da Argentina, Cristina Kirschner. O presidente da Bolívia, Evo Morales, também esteve presente.

Dilma Rousseff, Cristina Kirschner e Evo MoraleFoto: Dilma Rousseff, Cristina Kirschner e Evo Morale
Créditos: TVNBR

 

 

portalcorreio

No Dia da Rússia, empate com Polônia na nova batalha de Varsóvia

A conturbada relação entre russos e poloneses começou na Idade Média. Depois, se agravou no fim da Primeira Guerra Mundial, na Batalha de Varsóvia, se estendeu pela Segunda Grande Guerra e deixou muitas cicatrizes. Nesta terça-feira, justamente no Dia da Rússia, as duas seleções se confrontaram no estádio de Varsóvia, pela segunda rodada da Eurocopa, em clima muito tenso fora de campo. Em passeata antes da partida para comemorar o Dia da Rússia, tudo começou na paz, mas depois hooligans dos dois países acabaram brigando. O saldo foi de três feridos e mais tensão para a partida. Em campo, no entanto, a briga foi apenas pela vitória. E na nova batalha de Varsóvia, ficou tudo igual. O empate por 1 a 1, com cada seleção dominando um tempo, adiou a definição do Grupo A da Eurocopa 2012 para a terceira e última rodada.

Dzagoev, autor de dois gols na vitória na estreia sobre os tchecos por 4 a 1, marcou o gol russo, no primeiro tempo, e se isolou na artilharia da competição. Na segunda etapa, Blaszczykowski, o Kuba, empatou a partida, aos 11 minutos, tornando o resultado final mais justo.

Jakub Blaszczykowski e Sergei Ignashevich, Polônia x Russia (Foto: Agência Reuters)Jakub Blaszczykowski, o Kuba, e Ignashevich: partida é marcada por muita luta (Foto: Agência Reuters)

O time russo, comandado pelo camisa 10 Arshavin e com outras boas atuações individuais no primeiro tempo, mostrou superioridade técnica e tática nos primeiros 45 minutos, mas foi dominado pelos poloneses na segunda etapa Comandados pela garra de Polanski, Lewandowski e Kuba, por pouco não saíram com a vitória.

Na terceira e última rodada da primeira fase, no próximo, sábado, os russos, com quatro pontos ganhos, encaram os gregos e precisam de apenas um empate para ficar com uma das vagas. Os poloneses, que na primeira rodada empataram com a Grécia, pegam os tchecos precisando vencer. As duas partidas serão no mesmo horário, às 15h45.

Um dado curioso no Estádio Nacional de Varsóvia: na segunda etapa, o sistema de som mandou um recado aos russos de que eles ficariam 20 minutos no estádio após o fim da partida, por motivos de segurança, para evitar confrontos. Só que o anúncio foi em polonês.

Rússia sai na vantagem

A batalha da Varsóvia no Estádio Nacional começou com empenho e velocidade tanto de russos como de poloneses. Se a Rússia forçava as jogadas pela direita com um Arshavin cada vez tomando as rédeas para comandar as ações do time, a Polônia tinha no grito de seu povo na arquibancada o estímulo para se atirar ao ataque. E foram justamente os anfitriões que mandaram o primeiro torpedo para a área. Aos seis minutos, o camisa 10, Obraniak, levantou na área para Boenisch mergulhar de cabeça. O triunfo parou na grande defesa de Malafeev, veloz e com reflexo apurado.

A Rússia buscava a penetração tocando a bola até encontrar espaços para o lançamento perfeito. A Polônia, não. Era mais ação. Pintava brecha, era só soltar o foguete. Lewandowski tentou, aos 10, mas a bola subiu. Pouco depois, surgiu a inspiração em toque de bola que lembrou até o Barça. Polanski marcou, mas estava impedido, e o lance foi marcado em cima pela arbitragem. Uma pena, pela beleza da jogada.

Os poloneses descobriram a brecha na marcação russa e repetiram o bom toque de bola. Sempre sob a regência de Obraniak, bem acompanhado por Polanski. Mas a bola fugiu do domínio de Lewandowski. Do lado russo, Arshavin começava a apelar para as jogadas individuais. E se saía bem.

Aos 27 minutos, a Rússia ficou a um centímetro do tiro fatal. Kerzhakov fez boa jogada pela direita e centrou rasteiro para a entrada de Arshavin, que por pouco, muito pouco, pouco mesmo não tocou na bola para completar para as redes.

A partir daí, o contra-ataque russo começou a entrar. Kershakov começou a se redimir da má atuação na primeira partida. Zhirkov, pelo lado esquerdo, já começava a subir bem para o ataque, aumentando as opções. O toque de bola e a boa organização tática voltaram a conter a empolgação polonesa.

Em falta pela esquerda, o camisa 10 encontrou o caminho do gol russo. Arshavin bateu cirurgicamente na área. Dzagoev, que vinha de trás, levou a melhor sobre a zaga polonesa e testou firme, sem defes para Tyton, aos 36, abrindo o placar e marcando seu terceiro gol na Eurocopa, disparando na artilharia. Como ponto negativo, dois sinalizadores foram jogados ao campo pela torcida russa. O fato deverá gerar punição para a Federação Russa.

Os poloneses quase devolveram o gol na mesma moeda dois minutos depois, em petardo de Dudka bem defendido por Malafeev. Fora isso, o domínio russo ficou evidente. O time encaixou as jogadas, com Shirokov, Ziryanov e Denisov acertando o toque de bola com Arshavin. Na frente, os deslocamentos de Kerzhakov e o sempre perigoso Dzagoev por pouco não levaram a equipe a ampliar o placar. Fim do primeiro tempo, era justíssima a vantagem.

Empate polonês

O segundo tempo começou fervendo, com a Polônia partindo com tudo. Logo com 5 minutos, Lewandowski, lançado na área, só não empatou porque Malefeev saiu bem e impediu a finalização do atacante.

Os russos repetiram a tática do primeiro tempo. Procuravam, no toque de bola, conter o ímpeto polonês e dar o contra-ataque mortal. Arshavin era sempre o pensador, mas já começava a abusar do excesso de toques. E foi o preciosismo do camisa 10 ao tentar fazer o passe que iniciou o contra-ataque mortal polonês. Em jogada pela direita, Blaszczykowski, o Kuba, bem lançado, cortou para o meio e fuzilou, de canhota, num golaço que levou o estádio Nacional à euforia, aos 11 minutos.

A partida cresceu em emoção. Denisov e Lewandowski se estranharam numa jogada, mas não houve nada mais sério. Polanski teve a chance de desempatar, mas Malefeev fez outra grande defesa.

Dick Advocaat, técnico holandês que comanda a Rússia, trocou Kerzhakov por Pavlyuchenko. Smuda tirou Dudka e pôs Mierzejewski, deixando a Polônia mais ofensiva ainda. Kuba e Lewandowski ganhavam na velocidade. Os russos, cansados, tentavam a vitória no contra-ataque. A torcida empurrava os poloneses, que perderam Polanski. O camisa 7 saiu machucado. Mas o time buscou a vitória até o fim. Obraniak, substituído aos 47 minutos, chutou o ar protestando pela substituição. Queria bater a falta no último lance. Era a luta pela vitória. Mas a torcida saiu satisfeita com o empenho da equipe. Pelo menos, a batalha não foi perdida.

polônia 1x 1 rússia
Tyton; Piszczek, Wasilewski, Perquis e Boenisch; Dudka (Mierzejewski) Polanski, Murawski, Blaszczykowski Kuba e Obraniak (Brozëk); Lewandowski Malafeev; Anyukov, Ignashévich, Berezutsky e Zhirkov; Shirokov, Denisov, Ziryanov e Dzagoev (Izmailov); Arshavin e Kerzhakov (Pavlyuchenko)
Técnico: Franciszek Smuda Técnico: Dick Advocaat
Gols: no primeiro tempo, Dzagoev, aos 36 minutos. No egundo tempo, Blaszczykowski Kuba, aos 11 minutos.
Cartões amarelos: Lewandowski (POL) e Denisov e Dzagoev (RUS).
Local: Estádio de Varsóvia. Data: 12 de junho de 2012. Arbitragem: Wolfgang Stark (Alemanha), auxiliado pelos compatriotas Jan-Hendrik Salver e Mike Pickel.

Fonte