Arquivo da tag: Pólio

Campanha contra pólio e sarampo será prorrogada até sábado (01)

A Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo e a Poliomielite, que teve início no dia 6 de agosto, encerra nesta sexta-feira (31). Até o momento, a Paraíba tem a cobertura total de 84,15% para pólio e 83,79% para sarampo, ambas com mais de 190 mil doses aplicadas.

A recomendação do Ministério da Saúde (MS) é que os municípios que não atingirem a meta de 95% das doses aplicadas deverão abrir os postos de vacinação no sábado, 1° de setembro, para a realização de um segundo Dia D. Dos 223 municípios do estado, 126 ainda estão com a cobertura abaixo da meta estabelecida pelo MS.

“Diante deste cenário, é fundamental que os municípios dediquem-se ao máximo a fim de aproveitarem esta nova oportunidade, no sentido de alcançarem as metas estabelecidas e proteger a população alvo da campanha. Nove municípios ainda apresentam uma cobertura menor que 70%”, explica a técnica do Núcleo de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Márcia Fernandes.

Ela afirma que o MS não fala em prorrogação e pontua a importância de levar a criança para se vacinar até o final da campanha. “A SES recomenda intensificar a busca ativa para a vacinação contra o sarampo e a poliomielite. No Brasil, depois do sarampo ter sido eliminado em 2016, já foram confirmados mais de 1.400 casos em oito estados, com a ocorrência de sete óbitos em crianças até cinco anos”, informa.

Márcia lembra que a alimentação do sistema de informação em campanhas de vacinação é necessária e deve ser feita diariamente. “O acompanhamento da cobertura é em tempo real. Alertamos os gestores de saúde para que intensifiquem esta ação em seus municípios. O monitoramento oportuno é muito importante para o acompanhamento do alcance da meta estabelecida”, pontua.

 

pbagora

Campanha de vacinação contra pólio e sarampo na Paraíba encerra dia 31

vacinaA campanha de vacinação contra poliomielite e sarampo foi prorrogada até o dia 31 de dezembro em virtude do não alcance da meta no Estado. Até então, a cobertura vacinal da Paraíba contra pólio é de 92,83% (243.232), já contra o sarampo é de 89,68% (209.459). Ambas superam o percentual nacional, que hoje totalizam 90,98% e 85,17% para pólio e sarampo, respectivamente. A meta a ser alcançada é de 95%.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com o enfermeiro do Núcleo de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), Edson Lira, 62 municípios paraibanos ainda se encontram abaixo da meta para pólio e 70 para sarampo. “A data final da campanha não será prorrogada. Diante disso e do pouco que falta para atingirmos a meta de 95%, o Estado está junto às gerências e municípios revendo  estratégias para o alcance da meta”, disse ele.

Edson afirmou, ainda, que é preciso que haja a conscientização da população para a importância da vacinação. “É necessário que os municípios realizem busca ativa e que os responsáveis compareçam às unidades de saúde com suas  crianças de seis meses a cinco anos, que ainda não tomaram a vacina,  o mais breve possível”

A campanha foi lançada, inicialmente, no período de 8 a 28 de novembro, com a promoção de dois dias D: um no dia 8, em João Pessoa, e outro no dia 22, na cidade de Cajazeiras. A meta é vacinar contra a pólio, em todo Estado, 262.008 crianças com idade entre seis meses e cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias). Já contra o sarampo, a meta é vacinar 233.567 crianças de um a cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias).

Oficialmente, as atividades da campanha serão encerradas no próximo dia 31 de dezembro e, diante disso, a SES-PB reforça aos municípios que alimentem o sistema com os números das doses que já foram aplicadas e ainda não foram inseridas, ao mesmo tempo em que o Núcleo Estadual de Imunização da SES se coloca à disposição dos municípios para esclarecer qualquer dúvida e dar o apoio técnico necessário.

Entre 2013 e 2014, foram registrados 596 casos de sarampo no País, com maior concentração nos estados do Ceará (365) e Pernambuco (224). Quanto à poliomielite, desde 1990 que não são registrados casos em todo País. Por conta disso, em 1994 o Brasil recebeu da OPAS a certificação de área livre de circulação do poliovirus selvagem, juntamente com os demais países das Américas.

Poliomielite

A poliomielite (paralisia infantil) é uma doença causada pela infecção pelo poliovírus. O vírus se espalha por contato direto pessoa a pessoa, por contato com muco, catarro ou fezes infectadas. O vírus entra através da boca e do nariz e se multiplica na garganta e no trato intestinal, sendo absorvido e espalhado pelo sangue e pelo sistema linfático. O período da infecção pelo vírus até que surjam os sintomas da doença (incubação) varia de cinco a 35 dias (em média de sete a 14 dias).

Sintomas – Na maioria dos casos, a infecção pelo vírus da poliomielite pode ser assintomática. Isso não impede sua transmissão, pois é eliminado pelas fezes e pode contaminar a água e os alimentos. Quando se manifestam, os sintomas variam de acordo com a gravidade da infecção.

Sarampo

O sarampo é uma doença infecto-contagiosa provocada pelo morbili vírus e transmitida por secreções das vias respiratórias, como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse. O período de incubação, ou seja, o tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas, é de aproximadamente 12 dias e a transmissão pode ocorrer antes do aparecimento dos sintomas e estender-se até o quarto dia depois que surgiram placas avermelhadas na pele. É uma doença potencialmente grave. Em gestantes, pode provocar aborto ou parto prematuro.

Sintomas – Além das manchas avermelhadas na pele (exantema maculopapular eritematoso), que começam no rosto e progridem em direção aos pés, podemos citar os seguintes sintomas: febre, tosse, mal-estar, conjuntivite, coriza, perda do apetite e manchas brancas na parte interna das bochechas (exantema de Koplik). Otite, pneumonia, encefalite são complicações graves do sarampo.

 

nordeste1

Vacinação contra polio e sarampo passa de 80% na Paraíba e supera média no país

vacina-polioA cobertura vacinal contra pólio e sarampo na Paraíba está ultrapassando a média nacional. Até o fim da manhã desta sexta-feira (12), dia oficial de encerramento da campanha, o Estado havia vacinado 89,39% (234.199) do público alvo contra pólio, e 85,68% (200.125) contra sarampo, enquanto as médias do Brasil eram 86,17% e 80,96%, respectivamente. A meta a ser alcançada é de 95%.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Oficialmente, a campanha termina nesta sexta-feira (12), e, diante disso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) reforça aos municípios que alimentem o sistema com os números das doses que já foram aplicadas e ainda não foram inseridas, ao mesmo tempo em que o Núcleo Estadual de Imunização da SES se coloca à disposição dos municípios para esclarecer qualquer dúvida e dar o apoio técnico necessário.

A meta é vacinar contra a polio, em todo estado, 262.008 crianças com idade entre seis meses e cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias). Já contra o sarampo, a meta é vacinar 233.567 crianças de um a cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias).

Entre 2013 e 2014, foram registrados 596 casos de sarampo no país, com maior concentração nos estados do Ceará (365) e Pernambuco (224). Quanto à poliomielite, desde 1990 que não são registrados casos em todo país. Por conta disso, em 1994 o Brasil recebeu da OPAS a Certificação de área livre de circulação do poliovirus selvagem, juntamente com os demais países das Américas.

 

portalcorreio

Termina hoje campanha de vacinação contra sarampo e pólio em todo o país

vacina-polioA campanha de vacinação contra o sarampo e a poliomielite termina hoje (28) em todo o país. O objetivo  é imunizar 12,7 milhões de crianças contra a pólio e 10,6 milhões contra o sarampo.

No caso da pólio, devem tomar a vacina crianças entre 6 meses e 5 anos incompletos. O objetivo é manter a erradicação da doença no Brasil. O país não registra casos de pólio desde 1990. O Ministério da Saúde disponibilizou mais de 17,8 milhões de doses e a meta é vacinar ao menos 95% do público-alvo – cerca de 12 milhões de crianças.

A recomendação é que todas as crianças na faixa etária estabelecida sejam imunizadas contra a pólio, já que a dose oral vale tanto para colocar em dia a vacinação atrasada quanto para reforço de quem está com o calendário em dia.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Já a vacinação contra o sarampo é feita em crianças entre 1 ano e 5 anos incompletos. Cerca de 10 milhões de crianças devem ser vacinadas com a tríplice viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba. Ao todo, foram distribuídas mais de 11,8 milhões de doses da vacina.

Para crianças com alergia ao leite de vaca, a vacinação contra o sarampo será feita posteriormente. O ministério orientou as secretarias estaduais e municipais de saúde que evitem imunizar essas crianças com a vacina fornecida pelo laboratório Serum Institutte of India Ltd, devido à presença do componente lactoalbumina hidrolisada nas doses.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave e a única forma de prevenção é por meio da vacina. Na maioria dos casos, a criança não morre quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada pelo poliovírus e a infecção se dá, principalmente, por via oral.

Já o sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa, por meio de secreções expelidas ao tossir, falar ou respirar. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de 1 ano. A única forma de prevenção também é por meio da vacina.

Agência Brasil

Campanha de vacinação contra polio e sarampo começa neste sábado

vacinaA Secretaria de Saúde do Estado (SES), em parceria com a Secretaria de Saúde de João Pessoa, abre oficialmente neste sábado (8), às 9h, na Unidade de Saúde da Família do Bairro São José, na Capital, a campanha de vacinação contra polio e sarampo na Paraíba. Durante todo o dia serão realizadas brincadeiras com banda marcial e outras atividades.

No dia 22, está programado outro “Dia D”. A Campanha segue até o dia 28 deste mês e a meta é vacinar contra a polio 262.008 crianças com idade entre seis meses e cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias) e contra o sarampo, 233.567 crianças de um a cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“O objetivo de unir as campanhas é resgatar os menores de 5 anos não vacinados e corrigir falhas primárias de vacinação, garantindo altas coberturas vacinais e mantendo o estado de eliminação do sarampo no país”, explicou a chefe do Núcleo de Imunização, da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Isiane Queiroga.

Entre 2013 e 2014, foram registrados 596 casos da doença no país, com maior concentração nos estados do Ceará (365) e Pernambuco (224). Na Paraíba, neste ano, até agora, não houve registro de nenhum caso. Já em 2013, foram 33 casos suspeitos, desses, um foi confirmado.

Desde 1990 não são registrados casos de poliomielite, em todo país. Por conta disso, em 1994 o Brasil recebeu a Certificação de área livre de circulação do poliovírus selvagem, juntamente com os demais países das Américas.

A vacina será oferecida em todas as Unidades de Saúde da Família dos 223 municípios paraibanos. Isiane lembra aos responsáveis pelas crianças que levem o cartão de vacina para ser avaliado e colocado em dia, caso haja vacina atrasada.

Poliomielite e Sarampo – A poliomielite (paralisia infantil) é uma doença causada pela infecção pelo poliovírus. O vírus se espalha por contato direto pessoa a pessoa, através do contato com muco, catarro ou fezes infectadas.

O vírus entra através da boca e do nariz e se multiplica na garganta e no trato intestinal, sendo absorvido e espalhado pelo sangue e pelo sistema linfático. O período da infecção pelo vírus, até que surjam os sintomas da doença (incubação), varia de 5 a 35 dias (em média de 7 a 14 dias).

Na maioria dos casos, a infecção pelo vírus da poliomielite pode ser assintomática. Isso não impede sua transmissão, pois é eliminado pelas fezes e pode contaminar a água e os alimentos. Quando se manifestam, os sintomas variam de acordo com a gravidade da infecção.

Já o sarampo é uma doença infecto-contagiosa provocada pelo Morbili vírus e transmitida por secreções das vias respiratórias como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse. O período de incubação, ou seja, o tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas, é de cerca de 12 dias e a transmissão pode ocorrer antes do aparecimento dos sintomas e estender-se até o quarto dia depois que surgiram placas avermelhadas na pele.

É uma doença potencialmente grave. Em gestantes, pode provocar aborto ou parto prematuro. Além das manchas avermelhadas na pele, que começam no rosto e progridem em direção aos pés, podemos citar os seguintes sintomas: febre, tosse, mal-estar, conjuntivite, coriza, perda do apetite e manchas brancas na parte interna das bochechas.

Otite, pneumonia, encefalite são complicações graves do sarampo.O diagnóstico é feito através de exames clínicos e, quando necessário, confirmado por exame de sangue.

 

portalmidia

Paraíba é o segundo no Nordeste com melhor cobertura de Vacinação de Pólio

vacinaA Paraíba é o segundo Estado com melhor cobertura de Campanha de Vacinação de Pólio no Nordeste, ficando atrás apenas de Sergipe, que alcançou 97,32% da meta, de acordo com levantamento do Ministério da Saúde. A Paraíba conseguiu superar a meta de imunização estipulada para a Campanha, que era de 95% de cobertura vacinal, imunizando 252 mil 230 crianças com idade entre seis meses e cinco anos incompletos. Segundo dados do Programa Nacional de Imunização (PNI), até a manhã desta segunda-feira (8) foram vacinadas 257 mil 611 crianças contra a doença, o que representa 97,01% da meta.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com a chefe do Núcleo de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Isiane Queiroga, 31 municípios do Estado ainda não atingiram a meta, mas os números são considerados bons. “Consideramos os números satisfatórios e acreditamos que, todos os municípios conseguirão atingir a meta de 95% de cobertura, pois a vacinação continua”, disse.

O sistema do PNI ainda está aberto e podem ser colocadas demais doses aplicadas, já que a nível nacional a Campanha ainda não alcançou a meta de 95%, estando com 94,32% e com 11 Estados sem atingir cobertura.

A campanha foi aberta oficialmente no dia 8 de junho. Em todo o Estado, são 2.377 postos de vacinação, com a participação de 6.650 pessoas. No ano passado, 295 mil 190 crianças foram vacinadas, o que representa 97,95% da população-alvo, superando o índice da meta prevista.

A vacina é recomendada mesmo para as crianças que estejam com tosse, gripe, coriza, rinite ou diarreia. Ela é extremamente segura e não há contraindicações, sendo raríssimas as reações associadas à vacina. Em alguns casos, como em crianças com infecções agudas, com febre acima de 38ºC ou com hipersensibilidade a algum componente da vacina, recomenda-se que os pais consultem um médico para avaliar se a vacina deve ser aplicada.

A doença – Também conhecida como paralisia infantil, a doença não tem cura e a vacina é a única forma de prevenção. A aplicação das gotinhas permite também a disseminação do vírus vacinal no meio ambiente, ajudando assim a criar a imunidade de grupo, reforçando a proteção em todas as crianças. O último caso registrado de poliomielite no Brasil foi há 24 anos e, desde 1994, o país mantém o certificado emitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de erradicação da doença.

A vacinação contra a paralisia infantil é administrada via oral, e é oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), durante todo o ano, nos postos de saúde para as vacinações de rotina.

Secom-PB