Arquivo da tag: polêmica

Polêmica sobre Previdência Municipal de Bananeiras é esclarecida e oposição se cala

Bancada de oposição

Na Sessão Ordinária da Câmara de Bananeiras, dessa terça-feira (09), o vereador Paulo Brito, representando os vereadores da base de sustentação do governo municipal, trouxe dados esclarecedores sobre o Instituto Bananeirense de Previdência Municipal, tendo em vista as inúmeras denúncias divulgadas pela bancada de oposição de Bananeiras.

O vereador apresentou a informação que o município encontra-se em dia, no que se refere as contribuições descontadas dos servidores municipais e apresentou uma nota expedida pela municipalidade, que relata e rebate os argumentos dos denunciantes referente a previdência municipal (IBPEM).

O parlamentar fez questão de destacar que “Douglas é um prefeito responsável e zeloso com o patrimônio público e muito trabalhador, conforme se verifica em várias ações nas zonas urbana e rural de Bananeiras”, frisou.

A Câmara de Bananeiras se reúne sempre ás terças feiras, as 17 horas.

Ofarolpb.com

 

 

Prefeita de Duas Estradas esclarece polêmica sobre ser convocada como concursada por ela mesma

A prefeita de Duas Estradas Joyce Renally Felix Nunes realizou um concurso para ser psicóloga antes de assumir a gestão e foi convocada por ela mesma, agora prefeita, para atuar na saúde da cidade. No entanto, ela negou que tenha sido empossada. Ela destacou que um mês após sua convocação ela apresentou o termo de desistência dia 19 de fevereiro de 2018.

No entanto, ao ser questionada durante entrevista a Correio FM, a prefeita não negou a prática de nepotismo na gestão. Onde vários familiares ocupam cargos de secretários, como irmão, namorado, tios.

“Não havia interesse meu de assumir o cargo, até porque já sou aprovada em outra cidade e por ser prefeita da cidade não ia assumir esse cargo. Eu desisti de assumir, mas eu tinha que me convocar, para poder chamar os próximos da lista de aprovados. Sobre meus familiares, são cargos de confiança e eles estão lá trabalhando. O Tribuna de Contas sabe de todas as contratações. Estamos pagando em dia, contratando concursados, trabalhando pelo povo e não estamos cometendo ilegalidades”, observou a prefeita.

 

pbagora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Padre de MT causa polêmica após postar foto com arma em rede social

(Foto: Reprodução)

Uma postagem do padre Thiago Bruno da Paróquia de São José dos Quatro Marcos, município a 343 km de Cuiabá, causou polêmica nesta terça-feira (2). Numa foto publicada no WhatsApp Status, o padre aparece deitado numa cama apontando uma arma e a mensagem #2018 escrita. A foto circula nas redes sociais.

Procurado pelo G1, o sacerdote afirmou que ainda deve se manifestar sobre o caso através de uma nota.

Após a repercussão da polêmica, um suposto amigo do padre afirma que a foto foi tirada na casa dele no dia 1º de janeiro. O homem alega que a arma usada na foto é um artigo de decoração e foi trazida junto com outros objetos da Espanha.

“São armas de decoração, que não dão tiro. São apenas armas do estilo faroeste daqueles filmes que comprei para fazer decoração”, declara o homem no vídeo.

Nas redes sociais, internautas repercutiram a foto com cometários a favor e contra o padre.

“Não importa se a arma é de brinquedo ou não! O que importa é a mensagem que ele passa, que não é nenhuma mensagem de paz”, diz um comentário.

Em outro texto, um internauta critica a atitude. “A atitude dele não condiz com a imagem que ele tem que passar para sociedade. Sem contar que armas não trazem a paz”, diz trecho de uma declaração.

Já em defesa do padre, alguns usuários da rede social dizem não ver maldade na foto. “Que mal tem isso? Uma pessoa de bem com uma arma? Ele também pode ter carro, faca, moto, etc”, diz o comentário.

Padre Thaigo Bruno de São José dos Quatro Marcos (Foto: Facebook/Reprodução)

Padre Thaigo Bruno de São José dos Quatro Marcos (Foto: Facebook/Reprodução)

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Lulu Santos cria polêmica: ‘Impressão é que a MPB regrediu para fase anal’

Foto: Leo Aversa / Agência O Globo

Lulu Santos entrou numa polêmica ao compartilhar um desabafo no Twitter nesta segunda-feira(18). O cantor escreveu em seu perfil na rede social: “Caramba! É tanta bunda, polpa, bum bum granada e tabaca que a impressão que dá é que a MPB regrediu pra fase anal. Eu, hein?”.

O post levou os internautas a associarem a crítica do jurado do “The voice Brasil” a Anitta. Em “Vai Malandra”, música que a artista lançou hoje, ela conta com a parceria de MC Zaac, intérprete dos funks “Vai Embrazando” e “Bumbum Granada”.

Em instantes, dezenas de seguidores opinaram sobre o post do cantor, e levaram seu nome aos assuntos mais comentados do dia. Pela internet, o artista chegou a discutir com um fã e rebateu, dizendo que não estava se referindo à Anitta:

“Se você vê ódio numa opinião, você está paranoico. Não me refiro exclusivamente ao funk muito menos a Anitta, que admiro. Também não falo da dança mas das letras sexistas, derrogatória e babonas”.

Em outro momento, Lulu Santos usou sua rede social para lembrar que na carreira já gravou alguns batidões, entre eles, canções com funkeiros famosos do Rio de Janeiro: “Levei o Mr Catra pro Rock in Rio, toquei três anos com SanyPitbull, gravei Marcinho e com Buchecha (que aliás RT neste post). Agora senta.

Caramba! É tanta bunda, polpa, bum bum granada e tabaca q a impressão q dá é q a MPB regrediu pra fase anal. Eu, hein?

Mesmo com os argumentos, os internautas criticaram a postura do cantor de soltar a crítica no dia em que Anitta divulgou sua nova música de trabalho:

Lulu Santos não falou mal da Anitta apenas, falou mal do Funk em geral… a pergunta é; Alguém tá te obrigando a ouvir lindo ?

Após a repercussão, Lulu Santos usou a ironia para encerrar o assunto e chegou a xingar uma seguidora de “Otária”.

Nesta tarde, o cantor voltou a enfatizar que suas críticas não foram direcionadas a Anitta, e postou conteúdos marcando MC Buchecha e mencionando os tipos de funks que aprova:

Extra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Em coletiva, prefeito de Bananeiras fala sobre polêmica com a Justiça Eleitoral

O prefeito de Bananeiras Douglas Lucena (PSB) concedeu uma coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (06). O objetivo da entrevista foi esclarecer o processo eleitoral que a cidade vem vivenciando nos últimos dias.

Durante a coletiva, o prefeito destacou alguns pontos daquilo que ele vê como armação contra seu nome, citando pressões por parte da Justiça Eleitoral contra sua coligação durante o período eleitoral, a presença do desembargador José Ricardo Porto como presidente do Tribunal de Justiça em exercício para comandar pessoalmente as eleições na cidade. Ele citou as entrevistadas concedidas pela promotora antes e após a sentença de cassação. Falou também sobre a conversa com o juiz após a sentença e o motivo da gravação.

Douglas ainda destacou alguns pontos do processo que gerou sua cassação e se defendeu afirmando que foi uma decisão equivocada da Justiça Eleitoral. Todo o teor da coletiva está no vídeo abaixo.

Focando a Notícia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

PM e UEPB fazem acordo de aproximação após polêmica entre policial e professora

Uma reunião entre o comandante-geral da Polícia Militar na Paraíba, coronel Euller Chaves, e o Reitor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), professor Rangel Júnior, procurou colocar fim a uma polêmica que aconteceu na última terça-feira (31), envolvendo uma professora de processo civil e uma policial militar aluna do 7º período de direito, que foi impedida de fazer uma prova por estar fardada e armada, dentro do campus da UEPB de Guarabira, no Brejo, a 98 km de João Pessoa. O encontro para apaziguar a situação aconteceu no próprio campus, nesta sexta-feira (3), onde as duas instituições fizeram um acordo para desenvolver atividades para aproximar integrantes da universidade e da PM, a exemplo de especializações e um curso de direito penal militar que a UEPB vai oferecer.

Antes de chegar ao campus, coronel Euller se reuniu por mais de uma hora com a aluna policial militar envolvida no fato, a quem prestou solidariedade e apoio por causa da repercussão que o episódio teve. Em seguida, o comandante-geral participou de um encontro com todos os policiais militares do 4º Batalhão que estudam na Universidade Estadual da Paraíba, onde reafirmou a importância da qualificação profissional e acadêmica e conversou sobre a rotina deles na UEPB.

“Houve uma repercussão muito grande acerca do fato. Optamos por ir pessoalmente conversar com a nossa policial, escutamos atentamente as palavras dela e prestamos todo o apoio necessário. Conversamos também com os policiais que estudam no campus da UEPB e, em seguida, fomos a uma reunião com o reitor e professores. O caso está superado, colocamos nossas posições acerca do episódio na discussão e ficou decidida essa parceria para engrandecer as duas instituições, pois temos na educação e segurança a esperança de dias melhores e, quando esses dois campos estão em conflito, a sociedade é quem perde,” destacou Euller. 

O Reitor da UEPB, Rangel Júnior, falou que o fato vai aproximar ainda mais a universidade da Polícia Militar. “Foi um fato isolado, que já foi resolvido e o que ficou de importante foi a disposição das duas partes em promover parcerias para aproximar mais ainda as duas instituições”, disse.

A reunião contou também com o comandante do Policiamento Regional I, coronel Almeida Martins; comandante do 4º Batalhão, Tenente-Coronel Gilberto Felipe; do chefe adjunto do departamento de direito do campus da UEPB em Guarabira, Agassiz Almeida; representantes dos alunos da universidade e professores.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Interação de criança com homem nu gera polêmica após abertura de exposição no MAM

A participação de uma criança em uma performance protagonizada por um homem nu deu início a nova polêmica sobre a liberdade artística nas redes sociais, desde a noite desta quinta-feira, 28. Fotos e vídeos registrados no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) mostram uma menina, que aparenta ter em torno de cinco anos, tocando os pés de um artista nu que estava imóvel e deitado sobre o chão.

Em nota divulgada no Facebook, o MAM ressalta que a criança estava acompanhada da mãe e que a sala onde ocorria a performance estava “devidamente sinalizada sobre o teor da apresentação, incluindo a nudez artística”. O museu também garante que o trabalho, entitulado “La Bête”, não tem qualquer conteúdo erótico.

A apresentação ocorreu na abertura da Mostra Panorama da Arte Brasileira, realizada na última terça-feira, 26. Trata-se de uma leitura interpretativa da obra “Bicho”, de Lygia Clark, segundo o MAM. O coreógrafo Wagner Schwartz se posiciona nu sobre um tatame, manipulando um origami de papel, de forma a sugerir a interação. Em fotos de divulgação, participantes o abraçam, o mudam de posição e grande parte o filma.

Já as imagens da interação da menina com a apresentação foram divulgadas por fontes desconhecidas na internet – e, por isso, não são publicadas nesta reportagem. A criança parece mostrar curiosidade enquanto engatinha pelo tatame, vendo uma mulher adulta tocar os pés do artista. A mulher a incentiva a participar, a menina ri, toca rapidamente os dedos dos pés dele, e volta à plateia diante de sorrisos do público.

Críticas. As críticas, que se multiplicaram em publicações durante a madrugada, acusam o museu de “incentivo à pedofilia”. O teor dos comentários é o mesmo daqueles que levaram o Santander Cultural a encerrar a exposição Queermuseu, alvo de protesto ligado ao Movimento Brasil Livre (MBL) em Porto Alegre. O MAM não mostra qualquer intenção de cancelar a mostra ou a performance. “As referências à inadequação da situação são fora de contexto”, diz a nota do museu.

Estadão

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

‘Um ano passando necessidade mesmo’, diz Ed Motta sobre período após polêmica com fãs brasileiros

Ed Motta revelou que passou por dificuldades financeiras após polêmica com fãs brasileiros. Em 2015, o cantor criticou o seu público brasileiro de shows na Europa e foi duramente hostilizado.

“Eu errei feio na forma como eu reagi com as pessoas na internet, isso eu me arrependo amargamente”, confessou o cantor ao programa Pânico da rádio Jovem Pan.

Perguntado se os artistas não devem ser honestos com o seu público, Ed respondeu que no “Brasil não vale a pena” ser honesto, pois ele recebeu muita represália pela atitude que teve. Chegou a confessar que ficou um ano sem conseguir pagar o condomínio de seu apartamento.

“Um ano passando necessidade mesmo, as pessoas fecharam todas as portas para mim. Agora as pessoas estão dando uma esquecidinha, mas eu virei uma espécie de Hitler assim”, desabafou o cantor.

“Eu fiquei numa situação financeira difícil mesmo, para a alegria da imprensa que fez aquilo”, ainda acusou Ed. No entanto, fez um mea culpa e concordou que reagiu mal ao comportamento do público que o estava incomodando.

Ele explicou que escreveu, na internet, que fez um show no interior da Inglaterra e que a audiência só era composta de “pedreiros”. Segundo ele, esse teria sido o estopim para que começasse a ser criticado.

“Aí é que está o mea culpa: isso não aconteceu tantas vezes para eu ficar mal humorado daquele jeito. É que eu sou um perfeccionista”, disse. E ainda justificou que o comportamento do público brasileiro lhe tirava a concentração durante suas apresentações.

Com relação à mudança de comportamento do público, afirma que não teve mais esse tipo de problema e considera isso algo positivo. “Mas não foi legal, foi bem ruim para mim”, finalizou.

Reprodutor de vídeo de: YouTube
MSN

Em meio a polêmica, Victor posta letra de música e ganha apoio de seguidores

victor-chavesEm meio à suspeita de agressão, Victor Chavez publicou uma foto em seu Instagram na noite desta última segunda-feira (27) com a letra da música ‘Momento’, da dupla com Leo.

Há momentos inevitáveis
Que o coração da gente pede resposta
É nessa hora
Que a gente diz que não entende a vida e chora

Se a gente soubesse
O quanto merece cada um
O que cada um tem
A gente nada pediria
Simplesmente o bem faria
Para merecer o bem

Eu, que sempre tive o que dizer
Hoje, ouço em silêncio
Levei tempo pra entender
Que só o tempo
Apenas o tempo nos ensina a viver
“.

O cantor recebeu o apoio dos fãs. “Força @victorchaves o tempo é o melhor remédio, todos em sã consciência acreditam em você”, escreveu um usuário. Outro registrou: “Força estamos com vc”. “Estamos com vc querido poeta! Muita paz em seu coração!”, escreveu uma internauta.

Victor falou ao Fantástico, da TV Globo, sobre a acusação de ter agredido a mulher, Poliana Chaves, que está grávida. De acordo com o sertanejo, a suspeita é infundada. “Nunca agredi ninguém na minha vida”, disse em matéria veículada na noite de domingo (26).

revistaquem

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Polêmica cirurgia de Romário rende processos a médico, mas não é ilegal

romarioA cirurgia para controle de diabetes, pela qual passou o senador Romário (PSB-RJ), gerou muito debate depois que o ex-atacante postou uma foto na praia, visivelmente mais magro e abatido, no início de ano. Além de gerar polêmica entre os especialistas, interposição ileal é alvo de processos na Justiça e questionamento de órgãos representativos.

O responsável pelo procedimento é o médico Áureo Ludovico de Paula. Familiares de sete pacientes de Ludovico alegam que os parentes morreram em decorrência de complicações da cirurgia, e outras sete declaram ter ficado com sequelas graves. O MPF (Ministério Público Federal) e o CFM (Conselho Federal de Medicina) receberam as reclamações e pedem que a técnica seja proibida até que estudos científicos comprovem a eficácia e segurança do procedimento.

Apesar desses questionamentos, o médico pode realizar normalmente o procedimento, pois tem amparo judicial para isso. Em sua defesa, Áureo Ludovico de Paula afirma que “centenas e centenas de pessoas foram beneficiadas pelo procedimento”, sem citar um número preciso. Entenda a polêmica:

Repercussão começou com cirurgia em Faustão

Áureo ficou nacionalmente famoso depois que a revista Veja publicou uma reportagem de capa com o médico, em 2007, em que afirmava que uma cirurgia experimental desenvolvida por ele poderia ser uma revolução no tratamento do diabetes tipo 2. Em 2009, ele ganhou novamente visibilidade depois de realizar uma outra cirurgia: a de redução de estômago no apresentador Fausto Silva, da Rede Globo. No caso do apresentador, o objetivo da operação era a perda de peso.

Em 2010, MPF e CFM entraram com uma Ação Civil Pública na Justiça Federal em Goiás (o médico atua em Goiânia) para proibir de Paula de fazer a interposição ileal. O procedimento assemelha-se a uma cirurgia bariátrica convencional. A diferença da técnica está na recolocação do íleo (fim do intestino delgado) entre o duodeno e o jejuno, o que aumentaria a produção de hormônios da saciedade e melhoraria o diabetes.

Para o médico, o motivo da técnica ser tão procurada é sua taxa de sucesso. “Existe um problema: diabetes. Você pode ir no melhor clínico do mundo. Ele vai dar remédios para controle, mas você terá zero por cento de cura. Aí você vai ao meu consultório e a cirurgia que eu faço dá de 85% a 90% de cura. É claro que o paciente vai tender para cá. Claro que o risco com a cirurgia é maior do que com o remédio. Afinal, não tem procedimento cirúrgico sem risco algum. Mas a pessoa que sofre da doença consegue balancear os prós e contras e acaba optando pela cirurgia, pois a chance de se curar e resolver o problema é maior”, explica.

Por que MPF e CFM querem barrar a cirurgia?

De acordo com a ação movida pelo MPF, o procedimento nunca passou pelos protocolos de aprovação necessários no país, não é reconhecido pelo CFM e pelo CNS (Conselho Nacional de Saúde) e deveria ser classificado e feito de forma experimental –o que submeteria o trabalho a uma série de regras de controle e análise de resultados antes de ser aprovado e oferecido sem controvérsias. Mais do que isso, considerada experimental, a cirurgia deveria ser oferecida gratuitamente (com o paciente também sem receber nada). Ainda em 2010, a Justiça concedeu uma liminar proibindo Áureo de realizar o procedimento, sob pena de multa de R$ 1 milhão por cada operação ilegal.

Em entrevista ao UOL, de Paula afirma que a cirurgia sempre foi legal e nunca experimental. “Até porque a cirurgia de interposição ileal foi descrita e publicada na revista “Annals of Surgery”, em 1928. A interposição ileal, como tratamento para obesidade, foi realizada inicialmente em 1985. Então esse termo experimental sofreu um alargamento impreciso, talvez tenha sido utilizado para chocar: ‘Fulano fez algo experimental em pleno século 21”, diz.

O CFM explicou, em nota à reportagem, como configura como experimental a cirurgia. “Essa técnica, que pode ser empregada no tratamento de casos de obesidade mórbida, no entanto, não é reconhecida pelo CFM para tratamento de doenças metabólicas. Com essa finalidade, ela pode ser realizada apenas em caráter experimental”, afirma a posição do conselho.

No entanto, o médico não vê a atitude do CFM como algo negativo. “Prefiro acreditar que foi uma avaliação conservadora do assunto, não quero ficar vendo coisas ocultas negativas. Já o MPF comprou essa ideia do experimental que veio do conselho, por isso, entraram com essa ação contra. Os médicos da câmara técnica do CFM viraram peritos judiciais e embasaram a decisão dos juízes federais dizendo que não era experimental”, explica.

Proibição foi suspensa e o médico voltou a fazê-la em 2014

Em 2014, no julgamento do mérito da questão, o juiz substituto da 8ª Vara Federal, Felipe Andrade Gouvêa, suspendeu a proibição e deu ganho de causa ao médico e ao CRM-GO (Conselho Regional de Medicina de Goiás), que também era alvo da ação por permitir o trabalho experimental do cirurgião sem restrições. Em sua sentença, o juiz alega que um comitê de especialistas chegou à conclusão que a cirurgia não é experimental, pois combina várias técnicas já aprovadas, e que Áureo é reconhecido com citações em mais de 400 publicações científicas internacionais. O MPF e CFM recorreram, pois o procedimento não passou pelo protocolo de aprovação, e ainda não há nova sentença. O conselho federal segue recusando-se a reconhecer a cirurgia.

“A Câmara Técnica de Cirurgia Bariátrica, criada pelo CFM especialmente para analisar os trabalhos desenvolvidos na área, continuará ativa”, diz nota divulgada pela entidade na época. “O grupo avaliará estudos e pesquisas, sendo que se os resultados indicarem eficácia e segurança de técnicas analisadas, o debate poderá ser reaberto de forma a oferecer ao brasileiro novas opções terapêuticas.”

Após a repercussão da cirurgia feita por Áureo no senador Romário, a SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) divulgou nota endossando a posição do CFM: “É importante deixar claro à população que o procedimento pelo qual Romário passou, que foi a cirurgia de interposição ileal, ainda está em fase experimental no Brasil e não deve ser indicada fora de um protocolo de estudo aprovado pelo Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP).”

Processos contra o médico

De acordo com o advogado Marcelo de Resende, o doutor Áureo não explica aos pacientes que sua técnica cirúrgica é experimental e, portanto, dos riscos adicionais envolvidos no procedimento. “Ele realiza essas cirurgias sem nunca ter submetido o procedimento aos órgãos de regulamentação e o pior, sem explicar isso para os pacientes”, diz o advogado. “São dezenas de vidas destruídas. Tem muito mais vítimas que estas do processo do MPF e do CFM. Semana passada mesmo eu fiquei sabendo que morreu mais um”, afirma Resende.

Em um dos casos denunciados pelo advogado e familiares ao CRM-GO e ao MPF, uma paciente de 54 anos que sofria de diabetes viu uma entrevista do médico na TV e resolveu tentar. Ela teve uma perfuração de divertículo, passou por outras três cirurgias, mas morreu em 2006. Em outro caso, um paciente fez o procedimento com o médico em 2009. Após complicações na operação, ficou em estado vegetativo até o ano passado, quando morreu.

Segundo o advogado, quando a Justiça liberou o procedimento em 2014, o CRM-GO encerrou todas as investigações que estavam em curso no órgão depois de denúncias de supostas vítimas ou familiares. “Hoje, defendo dois clientes na Justiça Civil de Goiás. Em um processo, onde o operado ficou inválido, ganhamos uma indenização de R$ 50 mil e estamos recorrendo. No outro não há sentença até hoje.”

A reportagem do UOL não conseguiu contato com a assessoria de imprensa do CRM-GO para comentar a polêmica e explicar os procedimentos a respeito do doutor Áureo.

Em sua defesa, de Paula destaca que foi absolvido de todos os processos relacionados à técnica. “Eles já foram julgados e fui absolvido por unanimidade. Os riscos são inerentes ao procedimento. Não há nenhuma chance de um procedimento médico ser sem risco algum. E os pacientes diabéticos, por si só, já são pacientes de risco. Os problemas com as operações foram expostos, julgados e absolvidos. O procedimento é eficaz, mas tem um risco a ser considerado”, explica.

Romário está bem? O que ele diz?

O ex-jogador não se pronunciou publicamente até agora sobre a repercussão. Chegou a colocar algumas fotos mais magro em seu Instagram, mas depois as retirou. De acordo com sua assessoria de imprensa, o senador Romário “está ótimo” depois de passar pelo procedimento cirúrgico e se sente muito bem.

De Paula afirma que segue acompanhando o senador rotineiramente e que ele encontra-se bem, “curado ou em remissão do diabetes, colesterol elevado e outros problemas”. Segundo o médico, o ex-jogador está com peso ideal para sua altura e tem jogado futebol desde o 12º dia após a cirurgia por via laparoscópica.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 


INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627