Arquivo da tag: Peru

Brasil supera expulsão, faz 3 a 1 no Peru e conquista título

A Copa América é do Brasil pela nona vez na história. Para colocar a mão na taça continental depois de 12 anos a equipe do técnico Tite sofreu contra o Peru para vencer por 3 a 1, no Maracanã, neste domingo. O time levou o primeiro gol na competição, teve Gabriel Jesus expulso, atuou com um a menos por mais de 20 minutos, porém se mostrou eficiente como sempre e merecedor da taça.

A seleção brasileira ganha mais uma vez a Copa América em casa e compensa, inclusive, a ausência de Neymar. Três nomes lapidados e consolidados ao longo da competição decidiram a final. Richarlison converteu o pênalti decisivo, Éverton marcou mais um gol e Gabriel Jesus deu assistência, fez gol e foi expulso.

O reencontro com o Brasil na final após a partida na fase de grupos fez os peruanos repetirem a proposta de jogo. Marcação adiantada, bom toque de bola e dois chutes a gol antes dos dez primeiros minutos mostraram um time confiante. Com Guerrero centralizado no ataque e um pelotão de cinco meias, a marcação era caprichada e os visitantes deixavam o Brasil com menos posse de bola.

Paciente, o Brasil encontrou o caminho ao gol aos 14 minutos ao se aproveitar da maior debilidade peruana nesta Copa América, as laterais. Daniel Alves lançou pelo alto, por cima do bloco peruano de marcação no meio-campo e deixou Gabriel Jesus livre para superar Trauco e cruzar. Advíncula errou o posicionamento e deixou Everton aparecer livre para completar a gol.

A expectativa de abrir uma nova goleada não se confirmou. O Brasil continuava com dificuldades para passar pela marcação. Os peruanos tiveram o mérito de manter a calma após a desvantagem e acabaram premiados pelo esforço. Cueva tentou um passe dentro da área e a bola bateu na mão de Thiago Silva, que tentava um carrinho. O árbitro chileno Roberto Tomar marcou pênalti, depois consultou o vídeo e na sequência, manteve a decisão. Guerrero cobrou e empatou.

O Maracanã ficou mudo. O primeiro gol sofrido pelo Brasil no torneio fez os jogadores em campo gesticularem entre si com o pedido para não se abater. Deu certo. Aos 47, Arthur recuperou uma bola, conduziu e contou com o escorregão de um peruano para deixar Gabriel Jesus livre para tirar de Gallese. O desempate era o calmante necessário para o Brasil terminar o primeiro tempo livre de qualquer agonia.

O Peru voltou para o segundo tempo com os pontas Carrillo e Flores invertidos de posição. A postura mais ofensiva deu trabalho para o Brasil, mas por outro lado abriu mais espaço para Coutinho aparecer. A seleção não aproveitou duas boas chances para fazer o terceiro e recebeu um duro golpe aos 24 minutos. Irritado com a marcação, Gabriel Jesus fez falta em Tapia, levou o segundo amarelo e foi expulso.

A vantagem numérica em campo fez o Peru arriscar mais. A torcida sentiu o momento delicado e começou a se agitar mais depois de Flores quase empatar de fora da área. O técnico Tite foi outro a acusar a expulsão, ao tirar Coutinho e colocar o lateral Éder Militão. A mudança deixou o Brasil com a defesa reforçada e fez Daniel Alves ser posicionado como meio-campista.

A parte final do segundo tempo teve o Brasil com dois objetivos: segurar o jogo e provocar a expulsão de algum peruano. A cada falta ou dividida, a reclamação brasileira para cobrar cartão faziam os cerca de 70 mil presentes gritarem. O jogo ficou travado, tenso e aos 41 minutos, viveu um novo momento decisivo. O árbitro marcou pênalti em Éverton na área, consultou o árbitro de vídeo e assim como no primeiro tempo, manteve a decisão.

A bola decisiva caiu para Richarlison, aos 45 minutos do segundo tempo. O atacante que teve caxumba durante a Copa América cobrou no canto de Gallese e fez o estádio aliviar a preocupação. Teve gritos de “campeão”, sinalizador e o coro de “o campeão voltou” para coroar o encerramento da campanha vitoriosa.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 3X1 PERU

BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho (Éder Militão); Gabriel Jesus, Éverton (Allan) e Roberto Firmino (Richarlison). Técnico: Tite.

PERU: Gallese; Advíncula, Zambrano, Abram e Trauco; Yotún (Ruidiaz), Tapia (Gonzales), Carrillo (Polo), Cueva e Flores; Paolo Guerrero. Técnico: Ricardo Gareca.

Gols: Everton, aos 14, Guerrero, aos 43, e Gabriel Jesus, aos 47 minutos do primeiro tempo. Richarlison, aos 45 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Roberto Tobar (Chile)

Cartões amarelos: Gabriel Jesus, Tapia, Thiago Silva, Zambrano, Advíncula, Richarlison

Cartão vermelho: Gabriel Jesus

Público: 58.584 pagantes (69.986 no total)

Renda: R$ 38.769.850,00

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro

 

 

Estadão

 

 

Peru vence Chile e chega à final da Copa América após 44 anos

Peru será o adversário da Seleção Brasileira na final da Copa América. Com gols de Flores e Yotún, a equipe comandada por Ricardo Gareca venceu o Chile, por 3 a 0, nesta quarta-feira, na segunda semifinal do torneio. Surpreendendo os torcedores que encararam o frio de Porto Alegre para ir até a Arena do Grêmio, os peruanos chegam à grande decisão continental, depois de 44 anos.

A briga pelo título será no próximo domingo, no Maracanã, às 17h (de Brasília). Chile e Argentina viajam até São Paulo para a disputa do terceiro lugar, no sábado. A partida será realizada às 16h, na Arena Corinthians.

Domínio peruano

Contrariando as expectativas, o Peru começou a partida em alta intensidade, marcando a saída de bola do Chile. Logo nos primeiros minutos, Cueva desperdiçou ótima chance em jogada iniciada por Guerrero. Surpreendidos, os chilenos não conseguiam criar e sair para o jogo, com exceção de uma triangulação que resultou em chute de Aránguiz para fora. E a pressão peruana deu resultado. Aos 20, Cueva cruzou da direita, Carrillo desviou e Flores, de trivela, abriu o placar na Arena do Grêmio.

Lambança de Arias

Mesmo depois do gol, a seleção peruana manteve o controle das ações. E a boa atuação foi premiada com um “presente” do goleiro rival. Arias abandonou o gol para buscar bola lançada na lateral-esquerda, mas acabou driblado por Carillo. Yotún, ex-Vasco, recebeu o passe e encheu o pé em direção ao gol aberto para ampliar a vantagem. O Chile teve a chance de diminuir no final da primeira etapa com Fuenzaliza, que pegou de primeira a sobra de escanteio, mas Gallese faz uma grande defesa e salvou os peruanos.

Atrás do prejuízo

Na volta do intervalo, Rueda lançou o atacante Saga no lugar de Fuenzalida e o Chile mudou de postura. Mais agressivo, o Chile foi em busca do gol e chegou perto com Sánchez, que mandou uma bola na trave. Aránguiz, Sánchez e Isla pararam nas boas defesas de Gallese, que se redimiu da má atuação contra o Brasil. O Peru esperava as chances de contra-ataque, puxados por Carillo e ficou perto do terceiro duas vezes com Cueva e Yotún.

Festa peruana

A noite não era chilena. O amplo domínio da posse de bola e mais que o dobro das finalizações que os rivais não surtiram efeito e a bola insistiu em não entrar. Os peruanos souberam administrar a vantagem nos minutos finais. Para coroar a festa da animada torcida alvirrubra, com direito a gritos de Olé, Guerrero fez o terceiro e decretou a classificação para uma decisão de Copa América, depois de quatro décadas para torna-se o maior artilheiro do torneio em atividade, com 13 gols. Antes do fim, Gallese ainda defendeu pênalti cobrado por Vargas, com paradinha, para delírio da Arena.

FICHA TÉCNICA

CHILE 0 x 3 PERU

Data/Hora: 03/07/2019, às 21h30 (de Brasília)

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

Gramado: Razoável

Público/Renda: Total: 33.058, pagantes: 29.895/ R$ 8.305.120

Árbitro: Wilmar Roldan (COL) Nota L! – 6,5: Atuação segura, sem erros.

Auxiliares: Alexander Guzman (COL) e Wilmar Navarro (COL)

VAR: Andres Rojas (COL)

Assistentes de VAR: Nicolás Gallo (COL) e John León (COL)

Cartões amarelos: Pulgar, Sagal (CHI); Advíncula (PER)

Cartão vermelho: Não houve

Gols: Flores (20’/1ºT, 0-1), Yotún (37’/1ºT, 0-2), Guerrero (45’/2ºT, 0-3)

CHILE: Arias; Isla, Maripán (Castillo, 43’/2ºT), Medel e Beausejour; Pulgar, Vidal, Aránguiz e Fuenzalida (Saga, intervalo); Alexis Sánchez e Eduardo Vargas. Técnico: Reinaldo Rueda

PERU: Gallese; Advíncula, Zambrano, Abram e Trauco; Tapia, Yotún, Carrillo (Polo, 25’/2ºT), Cueva (Ballón, 34’/2ºT) e Flores (Christofer Gonzáles, 3’/2ºT); Guerrero. Técnico: Ricardo Gareca

 

Lance

 

 

Peru vence Nova Zelândia e leva última vaga para a Copa

O Peru está de volta à Copa do Mundo após 38 anos. Em uma partida emocionante em Lima, na madrugada desta quarta para quinta-feira, os peruanos venceram a Nova Zelândia por 2 a 0, pelo segundo jogo da repescagem das Eliminatórias para o Mundial da Rússia, e garantiram sua classificação na última vaga do torneio.

Jogadores do Peru comemoram um dos gols da vitória de 2 a 0 sobre a Nova Zelândia, em Lima.

Jogadores do Peru comemoram um dos gols da vitória de 2 a 0 sobre a Nova Zelândia, em Lima.

Foto: Reuters

Horas antes da partida, a emoção já tomava conta dos presentes no Estádio Nacional de Lima. Sem disputar uma Copa do Mundo desde 1982, a torcida compareceu em peso e alguns já se comoveram antes de a bola rolar, com a chegada da bandeira do país, trazida por um helicóptero.

Maior ídolo da torcida, Paolo Guerrero, suspenso por doping, não pôde atuar, mas foi um dos personagens do confronto. Além de seu nome estar estampado em diversas camisas nas arquibancadas, o camisa 9 também figurou no uniforme de aquecimento de todos as atletas, que homenagearam o jogador com uma imagem do companheiro e os dizeres “Força, Paolo!”.

Em campo, Ruídiaz foi o escolhido pelo técnico argentino Ricardo Gareca para substituir Guerrero, mas foi com Advíncula que o Peru quase abriu o placar, logo aos dois minutos. Em uma amostra do bombardeio que seria a partida, o camisa 17 arriscou de fora da área a acertou o travessão de Marinovic.

Após o primeiro lance de perigo, a Nova Zelândia repetiu o feito na partida na Oceania e se fechou em seu campo. Na metade da primeira etapa, os neozelandeses chegaram a ter 10 atletas dentro de sua área em um ataque dos mandantes.

Assim, o Peru precisou de uma jogada individual para conseguir furar o bloqueio e inaugurar o marcador. Aos 27 minutos, o são-paulino Cueva recebeu lançamento pela esquerda, fez boa jogada individual e, entre três marcadores, rolou para Farfán dentro da área. O camisa 10 dominou e chutou muito forte, no alto, para abrir o placar.

Na comemoração, Farfán, amigo de Guerrero desde a juventude, pegou uma camisa do centroavante e celebrou com os companheiros. Depois, sozinho, caiu no gramado e chorou muito com o uniforme do camisa 9.

Antes do intervalo, na marca dos 40 minutos, a Nova Zelândia chegou a assustar em um cabeceio de Reid, enquanto Trauco e Farfán quase marcaram para o Peru, mas Marinovic fez uma incrível sequência de defesas.

Toda a pressão peruana no primeiro tempo se tornou apreensão na segunda etapa. Precisando de um tento e com a vantagem em caso de empate com gols, a Nova Zelândia se lançou ao ataque.

Com apenas quatro minutos, Gallese impediu a igualdade no placar. Após boa jogada de Colvey, Wood recebeu cruzamento na área e cabeceou firme para o gol, mas o goleiro peruano fez uma defesa espetacular.

O alívio, porém, saiu aos 19 minutos. Após a cobrança do escanteio, Farfán desviou e a bola ficou viva na área, sem que a zaga da Nova Zelândia conseguisse cortar. Na sobra, o zagueiro Christian Ramos apareceu livre e soltou uma bomba para estufar as redes e definir a classificação.

Assim, a relação de 32 equipes classificadas para a Copa do Mundo do próximo ano está totalmente preenchida. Após longas eliminatórias, todos os participantes do Mundial foram definidos, assim como os potes do sorteio do dia 1º de dezembro. Serão cinco participantes da América do Sul, 14 da Europa, cinco da Ásia, cinco da África e três das Américas Central e do Norte.

Terra 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Argentina volta a tropeçar no Peru em La Bombonera e se complica

Um 1969, a Argentina precisava de uma vitória em cima do Peru do técnico brasileiro Didi para ir à Copa do Mundo do ano seguinte. À época, resolveu levar o confronto para o mítico estádio de La Bombonera. Porém, um empate por 2 a 2 acabou com o sonho argentino em plena Buenos Aires. Desde então, os Hermanos nunca mais ficaram de fora de um Mundial.

A noite desta quinta-feira certamente trouxe lembranças ruins para os argentinos mais velhos. De novo a pressão da casa do Boca Juniors foi a aposta dos albicelestes diante da seleção que carrega um uniforme semelhante ao do River Plate. E, como em 69, a ideia não surtiu efeito. Messi e companhia não passaram de um empate por 0 a 0 na penúltima rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia e tornaram a situação dos atuais vice-campeões do mundo em um drama inimaginável há pouco tempo.

Já são quatro jogos seguidos sem um triunfo, e a última chance de ir à Copa será disputada dia 10, na altitude de 2.850 metros de Quito, contra o Equador. Em sexto lugar, com 25 pontos, a Argentina estaria fora do Mundial hoje.

E quis o destino que Ricardo Gareca fosse um dos responsáveis por jogar mais lenha na fogueira argentina. Autor do gol que colocou a Argentina na Copa do Mundo de 1986, de novo depois de um empate por 2 a 2 com o Peru no ano anterior, nesta quinta o ex-treinador do Palmeiras levou os peruanos à quinta colocação, posição que leva a equipe à repescagem, com os mesmos 25 pontos, mas com um saldo de gols melhor.

Invicta há cinco rodadas, a seleção do Peru terá contra a Colômbia, em Lima, também dia 10, o jogo mais importante de sua história recente. Um resultado positivo e Paolo Guerrero e seus companheiros estarão na Copa do Mundo, o que não acontece desde 1982.

Bastou o primeiro apito do árbitro brasileiro Wilton Sampaio para o panorama do que viria pela frente ficar evidenciado. Sem qualquer constrangimento, o Peru, com quatro desfalques, um deles o meia são-paulino Christian Cueva, deixou claro que se concentraria na marcação atrás do meio de campo, apostando na eficiência defensiva e na perda de paciência dos argentinos, que por sua vez fizeram o que lhe cabia: foram para cima, muitas vezes com os dez homens de linha no campo de ataque.

Dominante, mas com dificuldade de encontrar os espaços tendo Messi tão bem marcado, a primeira oportunidade clara veio aos 13 minutos, justamente com o camisa 10, após jogada ensaiada em cobrança de escanteio. A zaga peruano afastou o perigo no susto.

Dez minutos depois, Di Maria ficou com sobra de bola na entrada da área e buscou o ângulo oposto, mas isolou, para desespero da Bombonera. Aos 33, o único ataque mais incisivo do Peru gerou alguns segundos de silêncio no estádio xeneize. O lateral flamenguista Trauco cruzou rasteiro e Farfán teve liberdade dentro da área para finalizar, mas errou o alvo.

Pouco antes do intervalo, Messi despertou. Primeiro executou sua típica jogada: recebeu na entrada da área, cortou para a esquerda e mandou a bomba, de “rosca”. A bola raspou a trave. Na sequência, o craque achou Benedetto nas costas da zaga adversária, mas o centroavante do Boca Juniors testou por cima do travessão.

Jorge Sampaoli, então, decidiu sacar Di Maria para apostar em Rigoni. Além da troca, a postura da equipe em campo mudou, com mais agressividade e Messi inspirado. Antes do primeiro minuto, o capitão argentino deixou Benedetto na cara do gol mais uma vez. Gallese defendeu com o peito e o próprio Messi pegou o rebote. De primeira, do jeito que deu, mandou a bola na trave.

Foi só uma amostra do que o goleiro peruano estaria por fazer. Aos 2 minutos, Biglia arriscou de longe e Gallese buscou a bola no ângulo. Antes da metade da etapa final, Lionel Messi usou toda sua inteligência para colocar Gómez, Benedetto e Rigoni em situações claras de acabar com o drama dos donos da casa. Em todas elas, Gallese foi melhor que os atacantes.

O enredo ganhou ainda mais cara de drama quando Sampaoli resolveu apostar em Gago, mesmo ciente de que o veterano jogador não tinha 100% das condições físicas. A torcida cantou o nome do volante ex-Boca Júniors, mas em apenas quatro minutos Gago sentiu uma lesão no joelho e precisou sair para a entrada de Pérez.

Já sem muita organização, apelando para jogadas individuais e bolas aéreas, a Argentina até tentou sufocar os peruanos. A torcida, que apoiou o jogo todo, não conseguiu esconder a apreensão e a impaciência nos minutos finais. No fim, o drama virou melancolia na Bombonera assim que Wilton Sampaio soou o apito pela última vez.

FICHA TÉCNICA

ARGENTINA 0 X 0 PERU

Local: La Bombonera, em Buenos Aires (Argentina)

Data: 5 de outubro de 2017 (Quinta-feira)

Horário: 20h30 (de Brasília)

Árbitro: Wilton Sampaio (Brasil)

Assistentes: Kleber Lúcio Gil (Brasil) e Bruno Boschilia (Brasil)

Cartões amarelos: ARGENTINA: Biglia, Mascherano. PERU: Farfán, Tapia, Guerrero

ARGENTINA: Romero, Otamendi, Mascherano e Mercado; Acuña, Lucas Biglia, Ever Banega (Gago) (Pérez), Lionel Messi e Angel Di María (Rigoni); Gómez e Benedetto

Técnico: Jorge Sampaoli

PERU: Gallese, Aldo Corzo, Miguel Araujo, Alberto Rodríguez e Miguel Trauco; Renato Tapia, Yoshimar Yotún, Peña (Cartagena), Farfán (Andy Polo) e Édison Flores; Paolo Guerrero

Técnico: Ricardo Gareca

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Ex-presidente do Peru é preso por escândalo da Odebrecht

Um juiz peruano decretou nesta quinta-feira (13/07) a prisão preventiva do ex-presidente Ollanta Humala e sua esposa, Nadine Heredia, investigados sob suspeita de terem recebido milhões de dólares da Odebrecht em propina. Acusados de lavagem de dinheiro e conspiração, ambos devem ficar presos preventivamente por 18 meses. O casal já se apresentou à Justiça peruana.

O magistrado Richard Concepción Carhuancho aceitou o pedido de prisão preventiva feito pelo Ministério Público. O juiz afirmou que existem evidências substanciais contra o político esquerdista e a esposa sobre o crime de lavagem de dinheiro.

Segundo o juiz, as provas apresentadas pela promotoria permitem presumir que o casal recebeu dinheiro da embaixada da Venezuela e da construtora brasileira Odebrecht e, com alto grau de probabilidade, colocou a quantia nas campanhas eleitorais de 2006 e 2011, respectivamente.

Um total de 3 milhões de dólares teria sido pago pela Odebrecht em troca de um contrato para construir um oleoduto no país. Além de financiar as campanhas, o dinheiro ilícito proveniente do Brasil e da Venezuela teria sido usado para lucro pessoal.

O juiz considerou sua decisão “idônea e necessária”, e “proporcional” aos crimes praticados. A prisão preventiva evitará que o casal dificulte a coleta de provas. A acusação havia argumentado que os dois podiam fugir do Peru.

A defesa de Humala, por sua vez, considerou a decisão arbitrária. Mesmo assim, o ex-presidente e a esposa se apresentaram à Justiça para cumprir a pena.

Outros presidentes com problemas na Justiça

A Odebrecht admitiu perante as autoridades dos Estados Unidos ter entregado subornos de 29 milhões de dólares no Peru entre 2005 e 2014, período que abrange os governos de Alejandro Toledo (2001-2006), Alan García (2006-2011) e Ollanta Humala (2011-2016).

O mesmo juiz que decidiu pela prisão preventiva de Humala e da esposa havia ordenado a detenção de Toledo em conexão com o caso Odebrecht. O ex-presidente se encontra nos EUA e contesta uma ordem de deportação. Ele é acusado de receber 20 milhões de dólares da Odebrecht para facilitar os negócios da construtora no país.

Humala também passou a ser o segundo ex-presidente do país detido, após Alberto Fujimori, que governou de 1990 a 2000, ser condenado a 25 anos de prisão por vários casos de corrupção e violações aos direitos humanos cometidos em seu mandato.

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Justiça do Peru manda prender governador acusado de receber propina da Odebrecht

odebrecht-peruA Justiça do Peru decretou a prisão preventiva do governador da região de Callao, Félix Moreno, pelo suposto recebimento de propina da Odebrecht. Moreno é acusado de favorecer a empresa na construção de uma rodovia e responde pelos crimes de lavagem de dinheiro e tráfico de influência. O prazo da prisão preventiva é de 18 meses.

De acordo com o procurador anticorrupção, Hamilton Castro, responsável pela investigação do caso Odebrecht no Peru, a empresa pagou US$ 4 milhões para vencer a licitação da estrada Costa del Callao, próxima a Lima, capital do país.

Segundo as investigações, Félix Moreno recebeu 60% do valor da propina. Os demais 40% foram destinados ao empresário israelense Gil Shavit, que foi preso na semana passada e decidiu delatar o suposto esquema de corrupção.

Para embasar as acusações, o procurador local apresentou documentos apreendidos no Escritório de Operações Estruturadas da Odebrecht, conhecido como “Departamento da Propina”, que, além do Brasil, também atuava no Peru. As planilhas indicam os dois pagamentos para as obras da rodovia.

Durante a audiência na qual a prisão foi determinada, Moreno negou ter recebido propina da Odebrecht e disse que deseja cooperar com as investigações. “Eu não me escondo. Se eu tiver cometido um crime, vou ter que enfrentá-lo, mas não me beneficiei. Tampouco posso sair ou desaparecer porque me tiraram os passaportes e todo mundo sabe que vivo em Callao”, disse o governador.

Após a decisão do juiz, a defesa de Moreno recorreu da decisão. O governador está sob custódia da Polícia Nacional do Peru e deve ser encaminhado a um presídio nas próximas horas.

No Peru, as investigações sobre a Odebrecht apuram cerca de US$ 29 milhões em pagamento de propina a funcionários do governos dos ex-presidentes Alejandro Toledo (2001-2006), Alan García (2006-2011) e Ollanta Humala (2011-2016).

*Com informações da EFE

Folha de São Paulo

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Jogador morre no Peru e família tenta juntar R$ 20 mil para custear traslado

jogado basqueteUm jogador de basquete morreu há oito dias no Peru, mas o corpo ainda não foi enterrado porque a família afirma que não tem condições financeiras para fazer o traslado do corpo para o Brasil.

Luis Bobina nasceu na cidade de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, mas morava em São Paulo. Ele foi a Lima para acertar questões contratuais com um time de basquete e, dias depois, a família recebeu a notícia da morte dele, em decorrência de um infarto.

O pai do atleta disse que a família recebeu a notícia da morte por telefone. “Minha esposa recebeu o telefonema de São Paulo. A esposa dele reside lá. Ela falava naquele momento, para minha esposa, que o nosso filho tinha falecido e foi desespero total”, conta Luiz da Silva, pai do jogador.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A família foi informada pela Embaixada do Brasil no Peru que o transporte do corpo deve custar R$ 20 mil. A embaixada informou que não dispõe de recursos o traslado. Com isso, amigos e conhecidos do jogador estão reunidos para arrecadar o dinheiro.

“Difícil para a família porque nós já tínhamos feito anteriormente uma despesa, ajudamos esse dinheiro para pagar o seguro lá. A minha esposa, ultimamente, teve também que solicitar um empréstimo a fim de que ele pagasse o passaporte. Então, tudo isso onera”, disse o pai. Já mãe de Luis, que já não o via há três anos, se emocionou ao falar que sentia muita saudade do filho. “É muita dor, muita saudade do meu filho”, afirma.

A vítima tinha 40 anos e chegou a integrar a equipe de basquete do Esporte Clube Bahia, clube onde conquistou diversas vitórias.

 

 

Do G1 BA, com informaçõe da TV Bahia

Sem tempo para respirar, Seleção sub-20 decide vaga contra o Peru

A vitória por 1 a 0 sobre a Venezuela trouxe alívio, mas já é passado. Dois dias após conseguir seu primeiro triunfo no Sul-Americano sub-20,  a seleção brasileira volta a campo nesta sexta-feira para definir o seu futuro no torneio, contra o Peru, às 21h (de Brasília), no Estádio Bicentenário, em San Juan, na Argentina. O GLOBOESPORTE.COM acompanha em Tempo Real, enquanto o SporTV transmite ao vivo.

Bruno Mendes titular no treino da seleção sub-20 (Foto: Marcelo Baltar )Técnico Emerson Ávila conversa com os jogadores durante o treino (Foto: Marcelo Baltar )

É tudo ou nada. Um resultado positivo assegura a classificação ao Brasil. Se perder, por sua vez, a garotada dará adeus à competição, sem ao menos chegar à fase final, que acontece em Mendoza, a partir de domingo. O empate só serve caso a Seleção consiga dois gols ou mais.

O Grupo B está todo embolado. Uruguai e Equador lideram com cinco pontos, mas os equatorianos não jogam mais na primeira fase. Com quatro pontos cada, Brasil e Peru têm campanhas quase idênticas, mas, por ter um gol a mais, o adversário desta sexta-feira está à frente na tabela de classificação. A Seleção entra em campo sabendo do resultado que precisa, já que uruguaios e venezuelanos fazem a preliminar, no Bicentenário. A vaga pode até mesmo ser definida por meio de sorteio, dependendo de uma combinação de resultados.

O time que venceu a Venezuela agradou, mas pode haver mudanças. Émerson Ávila revelou que, por conta do desgaste dos últimos jogos, o condicionamento físico dos jogadores será determinante para a escalação. Igor Julião foi bem na lateral-direita, agradou e pode ser mantido, mesmo com que Wallace retornando de suspensão. Na frente, Ademílson pode dar lugar a Marcos Júnior.

A responsabilidade é grande, e o grupo sabe que terá pela frente um adversário complicado, que empatou com o Uruguai, venceu a Venezuela e perdeu de virada para o Equador, em seu último jogo. Todos na Seleção estão cientes de que uma eliminação precoce no Sul-Americano seria uma grande decepção, como falou o presidente da CBF, José Maria Marin. Ele acompanhou o jogo contra a Venezuela ao lado de Bebeto, no Bicentenário, mas já retornou ao Brasil.

Técnico Émerson Ávila durante treino em San Juan (Foto: Marcelo Baltar/Globoesporte.com)Técnico Émerson Ávila durante treino em San Juan
(Foto: Marcelo Baltar/Globoesporte.com)

– Voltamos a ter possibilidade de estar na etapa final em Mendoza. Temos quatro pontos. Temos um jogo difícil contra o Peru, que joga em futebol ofensivo, sempre buscando o gol e tem bons jogadores. Sabemos que será uma partida difícil. Porém, os garotos estão mais confiantes e esperamos melhorar cada vez mais dentro da competição – disse o técnico brasileiro Émerson Ávila.

Há 38 anos o Peru não vence o Brasil pelo Sul-Americano sub-20. No retrospecto no torneio, a Seleção leva a melhor. Venceu sete e perdeu dois. Houve dois empates.

BRASIL X PERU
Luiz Gustavo; Igor Julião (Wallace), Luan, Dória e Mandur; Misael, Lucas Cândido, Rafinha e Felipe Anderson; Ademílson (Marcos Jr.) e Bruno Mendes Campos; Torrejón, Tapia, Max Barrios e Cartagena; Gómez, Guarderas, Cristian Benavente, Victor Cedrón; Polo e José Reyna
Técnico: Émerson Ávila Técnico: Daniel Ahmed
Local: Estádio Bicentenário, San Juan, Argentina
Hora: 21h (de Brasília)
Árbitragem: não divulgada pela Conmebol
Transmissão: O GLOBOESPORTE.COM acompanha em Tempo Real. O SporTV transmite ao vivo.

Globoesporte.com

Estudante brasileira de 24 anos cai de trilha e morre no Peru

A estudante de medicina Paula Sibov, 24, morreu após cair de um penhasco no vale do Colca, próximo a Arequipa, região sul do Peru, por volta das 8h do último domingo (22).

Paula fazia uma trilha montada em uma mula e estava numa estrada de pedras com largura para três pessoas no momento do acidente.

Segundo o casal de brasileiros que viajava com ela, Rafael Magnani, 25, estudante de engenharia, e Lilian Marçal, 25, estudante de medicina, os guias informaram que o animal escorregou e caiu na ribanceira.

A estudante rolou entre 50 e 100 metros e caiu num penhasco. A altura da queda, segundo os guias turísticos, pode variar de 20 a 70 metros.

Arquivo Pessoal
A estudante de medicina Paula Sibov, 24, durante a viagem ao Peru
A estudante de medicina Paula Sibov, 24, durante a viagem ao Peru; corpo da jovem deve chegar a SP na quinta

O trio contratou a agência South American Explorers para fazer o passeio. Eles saíram de Arequipa no sábado e foram de van até uma cidade no topo do vale do Colca. De lá, eles desceram uma trilha de cerca de três horas para pernoitar numa cabana. No domingo, às 6h, retornaram pelo mesmo caminho.

O acidente ocorreu no topo do vale do Colca.

Os amigos de Paula contam que ela tinha asma e estava cansada após o percurso da noite anterior. “A trilha é muito cansativa e ninguém avisou”, afirma Rafael.

Lilian e Rafael esperavam Paula no fim da caminhada, quando um dos guias veio comunicar o acidente.

“Eles escondem as informações. Falaram que a mula tinha caído do abismo e a Paulinha tinha rolado. Eu achei que ela tinha quebrado uma perna”, conta Lilian.

“Comecei a olhar em volta e duas francesas estavam desesperadas. Aí que a gente se desesperou. Não tinha com quem falar. Eu nem lembro mais o que aconteceu depois”, completa.

Paula era estudante de medicina na PUC-Campinas. “Ela não era aventureira, mas não imaginava que seria tão perigoso assim”, diz Jullyana Sant’Anna, amiga da jovem.

O guia responsável pelo passeio, Sabino Cudipa, 24, conta que Paula fez o percurso mais curto (de cerca de quatro horas) e não avisou que tinha asma. No momento do acidente, ele diz que estava com Rafael mais adiante na trilha.

Editoria de arte/Folhapress

RESGATE

A polícia precisou chamar um praticante de rapel para resgatar o corpo, que só foi levado no domingo à tarde à cidade de Chivay. A autópsia e a documentação só começaram a ser feitas ontem.

O corpo da jovem foi transportado para Arequipa ontem durante a tarde e de lá irá para Lima. A previsão é que chegue em São Paulo a partir desta quinta-feira.

Segundo Cudipa, nunca houve antes um acidente com mula no local, mas há dois meses um turista desacompanhado desapareceu.

O guia diz que o destino não é muito procurado por brasileiros.

Folha.com

Prefeito é declarado autor de assassinato de jornalista no Peru

Marco Rivero Huerta, prefeito do município de Comandante Noel, no Peru, foi apontado pela polícia local como autor intelectual do assassinato do jornalista Pedro Flores Silva, morto em setembro de 2011, no município de Casma no país.

Segundo o Blog Jornalismo nas Américas, antes de sua morte Flores Silva havia denunciado ameaças feitas contra ele por divulgar atos de corrupção do prefeito.
O prefeito negou participação mesmo após o assassinato em 16 de abril deste ano do fiscal Luis Sánchez Colona, investigador do homicídio do profissional.
Portal IMPRENSA