Arquivo da tag: pequeno

5 falhas que devem ser evitadas no pequeno negócio

A maioria das pequenas empresas fecha as portas antes dos primeiros cinco anos de vida 
Em pesquisa realizada pelo Sebrae, 30% das empresas brasileiras não conseguem vingar logo no primeiro ano de vida, e 96% desses negócios fazem parte do segmento de micro e pequenas empresas. O que acontece que pode levar as pequenas empresas a fecharem as portas? Saiba quais são as falhas que se deve evitar no pequeno negócio.

Segundo o estudo mencionado, apenas no Brasil, por ano, surgem mais de 1,2 milhão de novos empreendimentos formais e mais de 99% se referem às micro e pequenas empresas. Estes segmentos de negócio são os responsáveis por mais da metade dos empregos com carteira assinada no país.

consultor empresarial, Adriano Nodari, esclarece que, dentre as principais queixas que recebe está a do empreendedor não conseguir lidar com a entrada e saída de dinheiro ou a reclamação de que o negócio não sai do vermelho:

“Esses problemas são decorrentes do básico que é a falta de cuidado no momento de realizar o planejamento. Essa é também a parte que mais demanda tempo e dedicação, mas garanto que vale muito a pena e pode evitar muitos problemas e até mesmo o fechamento do negócio em longo prazo.”

Fique por dentro das 5 falhas que se deve evitar no pequeno negócio

Confira as principais falhas que se deve evitar no pequeno negócio, que segundo Nodari, podem ‘prevenir’ uma quebra nos primeiros cinco anos (tempo estimado para que muitas das micro e pequenas empresas fechem as portas):

1 – Falta de planejamento estratégico – Como já foi mencionado pelo consultor, essa é uma das principais falhas que se deve evitar no pequeno negócio. Antes de começar, é essencial realizar uma análise minuciosa do mercado, do segmento em que se pretende atuar. “É importante ter um plano de negócios que vai ajudar o empreendedor a seguir com a empresa, e o que vale ser lembrado é que mesmo que a empresa não tenha um plano, pode consertar o erro a qualquer momento”, orienta Nodari;

2 – Não se atentar às metas e prazos – Para a rotina saudável de um negócio é essencial estabelecer e cumprir metas dentro de prazos estipulados. “Aqui é fundamental que se pense em um eficaz plano de ação que vai ajudar o negócio a caminhar de maneira fluida. E claro, é importante que o empreendedor tenha disciplina, porque metas representam ações de longo prazo”, esclarece;

3 – Não ter um planejamento financeiro – Essa é outra das falhas mais comuns que se deve evitar no pequeno negócio. O empreendedor precisa ter um controle detalhado de todas as receitas do negócio, de todas as despesas e valores de investimentos. “Um dos problemas mais comuns dentre os empreendedores é não separar as finanças pessoais das finanças do negócio. Isso gera um grande descontrole nas finanças e até mesmo consequências graves”, alerta;

4 – Ignorar a importância da tecnologia nos processos – A tecnologia existe principalmente para facilitar e otimizar o tempo. Dentre os principais erros nas empresas está o de ignorar o papel da tecnologia na facilitação dos processos de produção em um negócio. Esse recurso bem aplicado pode aumentar a produtividade em um negócio, gerar agilidade na realização das atividades. Softwares de gestão, por exemplo, ajudam grandemente os negócios a se organizarem e evitam erros que podem causar prejuízos;

5 – Não pensar na divulgação do negócio – Em um mercado tão competitivo é fundamental que se pense em como pode fazer o pequeno negócio se tornar visível e ganhar espaço entre a concorrência. O marketing digital é essencial nesse processo, as pessoas estão em cada vez mais número no mundo virtual, portanto, é preciso estar onde elas estão. A divulgação é o que fará a diferença e o que ajudará a trazer os resultados mais depressa. “Empreendedores que ignoram a importância do marketing digital, estão na verdade, perdendo dinheiro, porque ao ser visto, um negócio terá maiores chances de lucros e, além disso, estará construindo uma reputação dentro o seu público e mercado”, finaliza o consultor.

Assessoria Adriano Nodari

 

Governo deve anunciar reajuste de servidores até dia 27; aumento deve ser pequeno, afirma secretário

tarcioO governador Ricardo Coutinho (PSB) tem até a próxima terça-feira (27) para apresentar o percentual do reajuste dos servidores do estado. Quem revelou a data foi o secretário de Planejamento, Gestão e Finanças, Tárcio Pessoa.

 

“Temos até este dia para fechar a folha. O salário de janeiro já tem que entrar na conta do servidor com o reajuste dado”, explicou o secretário.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Desde 2011 o mês de janeiro é a data-base do serviço público estadual para a concessão de reajustes. Tárcio explicou que, para conseguir cumprir esta data-base, o governador está negociando pessoalmente com os representantes das categorias dos servidores.

 

“Alguns segmentos já se reuniram com o governador. No entanto, nada ficou definido até agora, pois a perspectiva de crescimento da receita do estado é bastante restritiva”, lamentou.

 

 

No ano passado o reajuste mínimo anunciado pelo governador foi de 5% para os servidores, e também foi anunciado na data de 27 de janeiro. Em 2013 o aumento tinha sido menor.

 

A expectativa para 2015 não é das melhores, explica o secretário. “Estamos promovendo cortes na carne. Não temos uma situação econômica muito positiva e temos que pensar no crescimento do estado, não nas categorias. Infelizmente as pessoas não pensam assim”, concluiu.

João Thiago

Parada gay de JP não empolga e pequeno público comparece ao evento na concentração

Reprodução/ Renato Brito
Reprodução/ Renato Brito

A 13ª Parada do Orgulho LGBT de João Pessoa, popularmente conhecida como Parada Gayparece não ter conquistado um grande número de participantes este ano. Pela primeira vez, o evento acontece neste sábado (6), na Avenida Ruy Carneiro, em Tambaú, e na concentração foi registrado um público pequeno. O tema deste ano é ‘Somos muitos nas ruas e milhões nas urnas’.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Portal Correio esteve presente na concentração e constatou a presença de grupos pequenos de ativistas homossexuais. Três trios elétricos animaram os participantes durante o percurso. Apenas parte da via foi interditada. A organização apostava na participação de mais de 30 mil pessoas. A baixa no público está sendo atribuída a mudança do local e problemas na divulgação do novo percurso por setores da imprensa.

A concentração começou por volta das 16h. A caminhada aconteceu na Avenida Ruy Carneiro, com percurso programado para ir até o Largo da Gameleira, onde um show com a cantora Gaby Amarantos vai animar os presentes. Além do palco principal, vários Dj’s animarão o público em trios elétricos, são eles: DJ Edu Tronic, DJ Jully Mermaid, DJ Raphael Fraga e DJ Ronaldo.

O movimento também pede o respeito ao amor e a diversidade, criminalização da homofobia e a igualdade dos direitos civis da população LGBT do estado.

Este ano a parada contou com o apoio de alguns movimentos, como o Grupos Mães pela Igualdade, a Igreja Cristã Metropolitana, a Igreja Comunidade Metropolitana Independente (ICMI), a Comissão de Diversidade Sexual da OAB-PB e a festa Mustache também estará apoiando o evento.

 

portalcorreio

Governo realiza seminário sobre Violência Sexual Infantil em parceria com a Casa Pequeno Davi

estuproO Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano, realiza nesta quinta-feira (1 ), a partir das 9h, no auditório do Sesi, em João Pessoa, o Seminário ´Exploração Sexual de Crianças, Adolescentes e Jovens’. A ação acontece em parceria com a Casa Pequeno Davi.

A expectativa da organização é reunir mais de 300 pessoas do Sistema de Garantia de Direitos de Crianças e Adolescentes. Uma das palestras será realizada pela gerente de proteção social especial da Sedh, Gabrielle Tayanne Vasconcelos e a gerente executiva da Assistência Social, Mayara Martins.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Entre os assuntos abordados estão os programa de enfrentamento realizados pelo Governo do Estado contra à Violência Sexual Infantil, com destaque para algumas ações como a importância dos Planos Estaduais que foram lançados na Paraíba. Outra ação que também será divulgada é o Disque Estadual 123, implantado em fevereiro deste ano, que recebe denúncias de todo tipo de direito violado, entre eles casos de exploração sexual infantil.

Também serão divulgado dados sobre exploração sexual infantil em municípios do Estado.

Secom-PB

 

Morre aos 66 anos “o pequeno gigante da canção”, Nelson Ned

nelson nedO cantor Nelson Ned d’Ávila Pinto, mais conhecido como Nelson Ned, morreu na manhã deste domingo (5) em Cotia, na grande São Paulo. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Hospital Regional de Cotia, em que estava desde a tarde de sábado. Ele morreu em decorrência de “complicações clínicas”. O horário do óbito não foi confirmado.

Ele foi internado em “estado grave”, mas “estável”, com uma “infecção respiratória aguda”, pneumonia e problemas na bexiga. Com problemas financeiros e de saúde, Ned vivia em uma casa de saúde em São Roque, interior de São Paulo desde o dia 24 de dezembro.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“O pequeno gigante da canção”, apelido que recebeu por seu 1,12m de altura, se consagrou na década de 60 como uma das vozes românticas mais famosas do Brasil, e seu sucesso internacional veio com a gravação de vários discos em espanhol.

Ídolo em países como Argentina, México e Colômbia, entre outros, Nelson Ned enfrentava problemas de saúde há vários anos e que se agravaram em 2003 quando sofreu um acidente vascular cerebral (AVC).

Como consequência do AVC, o intérprete de “Tudo passará” perdeu a visão de um olho e precisava se locomover com a ajuda de uma cadeira de rodas, além de enfrentar diabetes, hipertensão arterial e foi diagnosticado também com Mal de Alzheimer em fase inicial.

Ned se converteu nos anos 90 à religião evangélica e, desde então, interpretava com sucesso músicas do gênero religioso, também em português e espanhol.

Com 45 milhões de cópias de discos vendidos em todo o mundo, Ned foi o primeiro latino-americano a vender um milhão de discos no mercado dos Estados Unidos, onde se apresentou junto com o espanhol Julio Iglesias e o americano Tony Bennett e no qual encheu três vezes o mítico Carnegie Hall, em Nova York. Ainda na Big Apple, ele se apresentou no famoso Madison Square Garden.

UOL com agência EFE

Em julho de 2013, a TV Record fez um especial no programa Domingo Espetacular um especial sobre o cantor.

maispb

Tamanho é documento: Veja 4 dicas para mandar bem, mesmo com pinto pequeno

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Onze em cada dez homens, se tivessem a possibilidade de moldar uma parte do corpo antes de vir ao mundo, escolheriam esculpir um pau grande e grosso. Bem grande e bem grosso. Infelizmente, o processo de manufatura humana ainda não funciona assim. Então, quando chegamos à Terra, precisamos nos virar com o que temos. Se você nasceu com um pau grande – segundo dados médicos, acima de 17 centímetros – considere-se um homem de muita sorte.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Se o seu é médio – entre 11 e 17 centímetros, de acordo com a mesma fonte – não se preocupe,mas use-o com sabedoria. Agora, se o seu pau ereto mede menos de 11 centímetros, a Rapidinha de hoje é especial para você, meu amigo, que está no rol dos caras com pinto pequeno. Tudo está perdido? A gente vai mostrar que não. Basta saber driblar a falta de centímetros.

1. Vai ter que rebolar

A vagina de uma mulher tem entre 9 e 13 centímetros de profundidade, com direito a uma expansão de alguns centímetros dependendo do nível de tesão. E a parte com mais sensibilidade é justamente a que fica na entrada da vagina. Por isso, você, amigo de pau pequeno, não precisa se desesperar. É só saber como comparecer. Rebolar na hora da penetração, por exemplo, é uma boa ideia, já que, quando o homem mexe o quadril, ele consegue explorar melhor as paredes vaginais da parceira.

2. Seja o deus do sexo oral

Embora a maioria das mulheres tenham dificuldades de gozar somente com penetração, é verdade que há poucas sensações no mundo melhores do que um pau grande e grosso entrando e saindo. Como nesse quesito você, invariavelmente, sai perdendo, compense nos outros. Nunca, jamais tenha nojinho de fazer sexo oral. Aprenda a diferenciar o clitóris dos grandes lábios. Coma bastante Danoninho sem colher. E, para arrasar, siga as nossas dicas de como fazê-la chegar lá com os dedos [inserir link] e de como ser um expert em chupá-la.

3. Aproveite a grande vantagem da falta de centímetros

Na hora do sexo anal, do que as mulheres mais reclamam? Do tamanho e da grossura. Como o ânus geralmente é mais apertadinho do que a vagina, introduzir algo grande e grosso lá pode ser deveras doloroso. E é aí que você sai no lucro: com um pau pequeno e não tão grosso, o acesso à porta dos fundos pode ser mais fácil pra você e mais prazeroso pra ela. Aprenda um pouquinho mais sobre a prática [inserir link] e vá fundo – ou nem tão fundo assim…

4. Alie-se ao inimigo

Em vez que ficar maldizendo o inventor do vibrador e declarar aos quatro ventos que instrumento é o seu inimigo mortal, alie-se a ele. Existem vários modelos de vibradores, desde os mais discretos até os mais assustadores, que você pode escolher para dividir a cama com vocês. Uma língua poderosa + dedos de pianista + um vibrador é felicidade feminina. Na certa.

180 Graus

Obsessão por malhação pode ser sinal de pênis pequeno, mostra pesquisa

malhaçãoA causa pela busca excessiva do corpo perfeito pode ter uma explicação. Segundo o Instituto de Psicologia de Victoria, na Austrália, uma obsessão por malhação pode significar uma frustração nos homens quanto ao tamanho do pênis.

“A preocupação dos homens com o tamanho pouco tem a ver com o desempenho sexual. Na verdade, tem muito mais a ver com competição entre outros homens. A maioria sente insegurança em lugares que outros homens possam ver seu pênis, como em vestiários, mas se sentem seguros na cama”, afirmou a doutora Annabel Chan Feng Yi, responsável pela pesquisa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O estudo entrevistou 738 homens entre 18 e 76 anos. A maioria admitiu que são inseguros em relação a forma física e ao tamanho do pênis.

Com Revista A CAPA

Mulher mata o filho de 9 anos por ter o pênis pequeno

indonesiaUma mulher indonésia afogou seu filho de nove anos na banheira alegando que estava preocupada de que seu “pênis pequeno” afetasse suas perspectivas para o futuro, afirmou um porta-voz da polícia nesta quinta-feira.

 

A mulher, 38 anos e moradora da capital Jacarta, disse à polícia que seu filho tinha um pênis pequeno antes de ser circuncidado, mas que parecia ter encolhido ainda mais após a operação, informou o porta-voz da polícia Rikwanto à AFP.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Ela disse aos investigadores da polícia que o matou porque ele teria um futuro sombrio com seu pênis pequeno”, disse Rikwanto. “Ela afogou o filho em uma banheira cheia de água. Depois o vestiu e colocou seu corpo na cama. E então foi a uma delegacia de polícia próxima para relatar o crime”.

 

Rikwanto disse que a mulher estava totalmente consciente do que tinha feito, mas a polícia ordenou a realização de um teste psicológico para avaliar sua condição mental.

 

 

AFP

Síndrome do pequeno poder é consequência de chefe omisso

sindromeAté ontem, ele era apenas um colega de trabalho. Mas bastou receber uma pequena promoção para que o poder lhe subisse à cabeça. Mesmo não sendo seu chefe, ele passa a lhe pedir tarefas que não são de sua obrigação, começa a te tratar com arrogância e não perde uma oportunidade de vangloriar-se de seu novo status. Esse comportamento é conhecido como a “síndrome do pequeno poder”.

“Isso acontece com alguém que perde a razão e passa a agir como um imperador, ultrapassando os limites da autoridade”, diz a professora Janaina Ferreira, especialista em gestão de equipes e pessoas do Ibmec do Rio de Janeiro.

E esse poder nem sempre é real. É o caso do funcionário que está no cargo hierárquico mais baixo da empresa, mas abusa de estagiários ou colegas recém-contratados. “É um desvio de comportamento. A pessoa não tem poder nenhum, mas ao fantasiar ter, age como se tivesse e acaba puxando o próprio tapete, pois mostra que é inadequada para ocupar um cargo de liderança”, diz Janaina.

Quando a síndrome do pequeno poder toma conta de alguns funcionários, é sinal de que falta um chefe que encare o problema. “O líder que não gosta de tomar decisões ou de delegar tarefas adora que alguém assuma suas funções. Quando ele se omite, aquele que gosta de poder assume suas atribuições e um terceiro fica oprimido”, afirma Janaina. “Isso causa conflitos e deteriora relacionamentos interpessoais”, diz.

Quem sofre da síndrome

O tipo de funcionário que está sujeito a sofrer da síndrome do pequeno poder é aquele com baixa inteligência emocional, pouco autoconhecimento e que está insatisfeito com a posição que ocupa. “Se o que ele deseja não lhe é concedido por meio de uma promoção, ele faz sua fantasia de autoridade virar real ao oprimir alguém”, explica Janaina.

Segundo a professora Renata Maglioca, do Progep (Programa de Estudos em Gestão de Pessoas) da FIA (Fundação Instituto da Administração), há pessoas que têm como grande propósito profissional ter status e usar o trabalho como forma de vivenciar o poder.

“Por ter tanta ânsia por comandar, quando consegue, não sabe fazê-lo de maneira madura e segura”, diz Renata. A exposição e as cobranças que vêm junto com a autoridade podem perturbar o recém-promovido, que tenta camuflar o problema fazendo com que os outros também se sintam inseguros.

A prepotência também pode ser consequência da influência de referências ultrapassadas sobre hierarquia: aquela em que o chefe é a pessoa que não pode ser questionada e sempre tem razão. “Hoje, o mercado de trabalho não espera esse tipo de liderança”, afirma Renata.

Como lidar com colega assim?

Se o colega lhe pede para fazer determinada tarefa, vale ser cooperativo e ajudá-lo. Mas se a situação se repete com frequência e ele age com arrogância ao pedir auxílio, é preciso saber dizer que você não pode ajudá-lo em alguns momentos –mesmo que esteja com tempo sobrando. “Se ele não é seu chefe, não determina quando você deve fazer algo ou não”, afirma Janaina. “Só existe um opressor se o oprimido permitir. Você não pode acatar ordens descabidas. Gentilezas todos fazemos, mas há limites”, diz ela.

 

A princípio, Renata, do Progep, acredita que é necessário mostrar para o colega autoritário que você está do lado dele, sem se afastar. Se nada mudar, proponha uma conversa franca. Se ainda assim a questão não for resolvida, leve o problema ao superior ou RH. “Tem gente que diminui a autoestima do outro para poder crescer. E não dá para ficar passivo se a situação te incomoda ou é destrutiva para a equipe”, diz ela.

Você sofre da síndrome?

Como são raras as empresas que preparam o funcionário para a promoção, ninguém está livre de ser acometido pela síndrome do pequeno poder. Para administrar bem uma posição de liderança, os especialistas recomendam buscar cursos de gestão.

Para Renata, a primeira coisa que se deve fazer ao conquistar um cargo mais alto é ter consciência de que há um risco de mais cobranças e que é normal sentir insegurança. “Se você tem essa clareza, terá tranquilidade de dizer ao outro que precisa de ajuda. Você não precisa saber tudo e deve reconhecer isso”, afirma.

Para a psicóloga Ana Cristina Limongi-França, professora do departamento de administração da FEA-USP, diretora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gestão da Qualidade de Vida no Trabalho e coordenadora da FIA, entender a cultura da empresa, saber interagir com seus subordinados e ter diálogo com um chefe, para pedir orientações, são medidas fundamentais.

 

 

Andrezza Czech
Do UOL

Nice Almeida – Meu pequeno grande Lucas

 

Há exatos 11 anos a minha vida começava a operar de forma inversa. Tudo passou a funcionar ao contrário. Depois de um parto muito complicado, pela interseção de Nossa Senhora e a misericórdia de Deus, eu recebia a graça de ir para casa levando nos braços o meu pequeno Lucas. Naquele momento, vendo aquele ser tão frágil achei que começaria em minha vida o momento onde eu iria ensinar. Foi o contrário!

Foi ele quem passou a me dar lições diárias de como a vida deve ser vivida.

Ele me ensinou a apagar a luz ao sair do quarto;

Ele me ensinou a desligar o computador ao terminar de usá-lo;

Ele me corrigiu quando soltei uma frase gramaticalmente errada;

Ele deu um ‘tapinha’ na minha boca quando eu falei um palavrão;

Ele passou praticamente a noite inteira acordado verificando a minha temperatura quando estive doente;

Ele me ligou pedindo pra eu não me preocupar, pois já havia tomado remédio, feito compressas e controlado a própria febre;

Ele me liga várias vezes por dia pra saber se está tudo bem enquanto estou no trabalho;

Ele me ensinou a dizer ‘eu te amo’ dezenas de incansáveis vezes ao dia;

Ele me ensinou que o lixo pode ser reciclado e me deu uma tremenda bronca quando joguei um papel no chão;

Ele me ensinou que aquelas coisas velhas que a gente não usa mais podem ser doadas para quem precisa;

Ele olhou pra mim e disse: “mãe a senhora é a melhor cozinheira do mundo”, mesmo quando estávamos comendo apenas arroz com feijão;

Ele me ensinou a juntar as minhas mãos e rezar, e dizer a Deus o quando somos gratos por termos um ao outro, o quanto somos gratos pela nossa existência e pelos nossos dias de vida.

O meu pequeno grande Lucas é o responsável pelo meu crescimento, pela minha maturidade adquirida. Foi ele quem me ensinou o verdadeiro e mais sublime amor. Aquele que só mãe e filho sabem sentir.

O texto é de inteira responsabilidade do assinante