Arquivo da tag: penitenciária

Ricardo faz novas mudanças na Segurança e Administração Penitenciária

(Foto: Wallison Bezerra)

O governador Ricardo Coutinho (PSB) promoveu novas mudanças em cargos estratégicos das Secretarias de Administração Penitenciária e Segurança e Defesa Social. As alterações foram publicadas na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira (18), a partir da página 2.

O ex-secretário da Administração Penitenciária, Wagner Dorta, foi nomeado para ocupar o cargo em comissão de delegado titular de Delegacia Especializada. Dorta havia pedido exoneração do cargo de secretário no início do mês.

A direção de alguns presídios também passou por mudanças. O Complexo Agroindustrial de Mangabeira, em João Pessoa, passa a ser comandado por Breno Cavalcanti Cunha. O novo diretor assume o posto em substituição a Micheline Sena de Araújo Lima. A diretoria adjunta do complexo também sofreu mudanças, ficando agora sob a responsabilidade de Daniel Lima de Sousa.

Na Penitenciária de Regime Especial Desembargador Francisco Espínola, localizada também em Mangabeira, a diretoria adjunta fica, a partir de agora, a cargo de Pericles Henrique Ramos da Silva. Ele substitui Alexandre Rodrigues Gomes da Costa.

O Diário Oficial desta sexta-feira também traz atos de exonerações e nomeações no âmbito de outras secretarias.

Portal Coreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Governador anuncia novo secretário de Administração Penitenciária

O governador Ricardo Coutinho anunciou em sua conta pessoal no Twitter, os novos nomes na Secretaria de Administração Penitenciária. São eles, o Tenente-Coronel Sérgio Fonseca, para o cargo de Secretário e o Agente Penitenciário João Paulo Ferreira Barros, para o cargo de Secretário Executivo.

O anúncio ocorreu após o delegado Wagner Dorta ter se desligado do cargo. Foram três anos e quatro meses à frente da Secretaria.

“Quero agradecer aos guerreiros que estivem ao meu lado, porquanto, só pude exercer um bom papel, em virtude de possuir uma equipe competente e movida pelo mesmo espírito que me move, qual seja, trabalhar sempre em busca dos melhores resultados”, afirmou Dorta na sua carta-renúncia.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Bayeux, na PB, vai receber penitenciária federal de segurança máxima, diz Depen

A cidade de Bayeux, na Grande João Pessoa, vai receber uma penitenciária federal, segundo confirmou o agente federal de execução penal do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério de Justiça (MJ), Felipe Abath. Uma audiência preliminar foi realizada nesta quinta-feira (25) para esclarecer dúvidas da população sobre os benefícios econômicos e sociais da implantação para a cidade, mas uma audiência pública oficial ainda vai acontecer no dia 1º de junho.

De acordo com Abath, a penitenciária vai ter capacidade para 208 internos, entre presos condenados e provisórios, em quatro pavilhões. A estrutura deve ser construída na saída da cidade, na zona rural, no sentido João Pessoa – Natal. Após a fase licitatória para a obra, de dois meses, a construção do prédio deve durar mais dois anos.

O município de Bayeux foi escolhido porque atende aos 11 requisitos técnicos elencados na Portaria 98/2017 do Depen, para construção de cinco novas Penitenciárias Federais de Segurança Máxima Especial.

“Entre os requisitos, estão a distância de até 50km da unidade para um aeroporto de nível regional, logística e fácil acesso a órgãos públicos como órgãos de segurança e hospitais, a infraestrutura da cidade tem que colaborar com a chegada da unidade, fácil lotação para os 250 novos agentes federais e a cidade tem que oferecer condições mínimas para atendimento de serviços para a unidade”, explicou o agente federal.

Abath explicou que a cidade escolhida precisava ter uma boa estrutura de empresas de prestação de serviços, ou condições para recebê-las ou criá-las, devido à demanda da penitenciária.

“Essa unidade é muito diferente dos presídios estaduais. Temos um aporte inicial de R$ 45 milhões e ela deixa R$ 7 milhões para a cidade que a recebe, em contratos de prestações de serviço, por ano. Precisamos de empresas de fornecimento de alimentação, rouparia, lavanderia, manutenção predial, apoio administrativo, limpeza e conservação, entre outros. Então a cidade tem que ter condições de receber essa demanda”, exemplificou.

A penitenciária de segurança máxima deve ter uma estrutura “à prova de fuga”, com estrutura de concreto armado, sem riscos de escavação de túneis, por exemplo, e “ à prova de rebeliões”, conforme explicou o agente federal.

Bayeux concorreu com outras cinco cidades pela implantação da penitenciária: Serra Talhada, Petrolina, Araçoiaba, Itaquitinga e Ipojuca, todas em Pernambuco. Porém, segundo Felipe Abath, a cidade paraibana atendeu a todos os requisitos, enquanto que as pernambucanas deixaram a desejar em alguns pontos. Também se candidataram cidades do Maranhão e Bahia, mas não entraram na concorrência porque as condições de terreno não atenderam aos requisitos.

Concurso e emprego

O Ministério da Justiça ainda prevê um concurso público para preencher as vagas dessas novas unidades. “Será um grande concurso porque são cinco penitenciárias no Brasil todo. Entretanto, é praxe que os agentes com mais experiência lotem as unidades mais novas. Então primeiro vamos ter um processo de transferência dos agentes já concursados”, explicou Abath.

Além dos servidores concursados, a implantação da penitenciária deve gerar cerca de 400 empregos diretos durante os dois anos de construção e, depois da inauguração, outros 80 empregos diretos por meio da terceirização, fora os indiretos, por meio da contratação de empresas de prestação de serviços.

Benefícios sociais

Além dos benefícios econômicos, Abath também explicou que a penitenciária vai trazer vantagens no campo social. “Em Mossoró, por exemplo, equipamos as polícias locais, treinamos a guarda municipal, que hoje é referência no Brasil, demos viaturas, fizemos doação de livros, além da assistência pedagógica, jurídica e social que oferecemos”, comentou.

A penitenciária também faz convênios com universidades locais e prepara internos que têm aptidão para fazer vestibular e reingressar na sociedade por meio dos estudos. “Incentivamos que eles voltem a estudar, de acordo com a necessidade e disponibilidade deles”, disse.

Outras penitenciárias

Além da Penitenciária Federal em Bayeux, o Depen vai instalar outras quatro penitenciárias federais pelo país. Uma delas vai ser em Eldorado do Sul, no Rio Grande do Sul. As outras três cidades ainda estão em fase de definição.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Paraíba reforça policiamento na divisa com o RN após fuga em massa de Penitenciária

O comando da Polícia Militar enviou as tropas especiais para apoiar as ações nas divisas (Foto: Walla Santos)

Na manhã desta quinta-feira (25) a Polícia Militar deflagrou uma operação de reforço nas 36 cidades que fazem divisa com o Estado do Rio Grande do Norte. A intenção da operação é impedir a entrada na Paraíba dos presos que fugiram durante a madrugada da Penitenciária Estadual de Parnamirim, na Grande Natal.

Penitenciária de Parnamirim registra fuga em massa na madrugada desta quinta-feira

A PM paraibana já montou vários pontos de bloqueio nas cidades e intensificou as abordagens em veículos que vêm do estado vizinho, já que, segundo a direção do presídio, pelo menos dois veículos deram apoio resgatando os presos. O Serviço de Inteligência também está atuando para colher informações sobre a presença de pessoas suspeitas nos municípios.

O comando da Polícia Militar enviou as tropas especiais para apoiar as ações nas divisas, inclusive com o Grupamento Especializado de Operações em Área de Caatinga (GEOsAC) pronto para realizar buscas em áreas de vegetação que possam ser usadas como rota de fuga. O mesmo esquema de segurança foi adotado todas as vezes em que foram registradas fugas ou rebeliões nos presídios dos estados vizinhos.

ClickPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Penitenciária de Parnamirim registra fuga em massa na madrugada desta quinta-feira

Penitenciária Estadual de Parnamirim, no Rio Grande do Norte (Foto: Reprodução)

A direção da Penitenciária Estadual de Parnamirim confirmou na manhã desta quinta-feira (25) a fuga de detentos através de um buraco escavado sob o muro. Ainda não se sabe a quantidade de presos que conseguiu escapar. Oito foram recapturados nas imediações da unidade.

A Polícia Militar foi acionada por volta das 4h e reforça a segurança ao redor do presídio. Segundo Adailton Pessoa, diretor da PEP, somente após a recontagem será possível afirmar o número de detentos que conseguiu escapar.

A PM informou que, pelo menos dois veículos deram apoio resgatando os presos. Os fugitivos também trocaram de roupa para dificultar a identificação. No estado, o sistema penitenciário adotou camisa branca e bermuda azul como uniforme padrão dos presos.

No dia 7 de janeiro, 14 presos escaparam da unidade. Segundo a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) os detentos escaparam usando um túnel.

Fuga em massa

Apesar de a direção da Penitenciária Estadual de Parnamirim ainda não confirmar a quantidade exata de fugitivos, policiais militares estimam que mais de 50 detentos teriam escapado.

No Rio Grande do Norte, a maior fuga já registrada no sistema penitenciário, aconteceu em janeiro deste ano durante as rebeliões de Alcaçuz. Segundo a Sejuc, 56 detentos fugiram na ocasião. Durante os motins, pelo menos 26 detentos foram assassinados durante um confronto envolvendo membros de duas facções rivais.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Eike Batista é transferido para a penitenciária Bangu 9, no Rio de Janeiro

eikeO empresário Eike Batista, preso na manhã desta segunda-feira pela Polícia Federal, foi transferido para a penitenciária Bandeira Stampa, na zona oeste do Rio de Janeiro. A cadeia é conhecida como Bangu 9 e integra o complexo de Gericinó. Antes da transferência, ele ficou por cerca de duas horas no presídio Ary Franco, na zona norte da capital fluminense, e teve a cabeça raspada.

No período da manhã, Eike Batista passou por triagem no presídio Ary Franco. A Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária) informa o empresário foi transferido para Bangu 9 porque a unidade, de acordo com a pasta, atende a seu perfil. “Ele ingressou na porta de entrada para presos federais e, após ser avaliado, foi transferido para uma unidade de acordo com o perfil”, diz nota enviada pela secretaria.

Eike foi preso por policiais federais quando desembarcava no Aeroporto Internacional Tom Jobim, mais conhecido como Galeão, após voltar de Nova York. O avião da American Airlines pousou às 9h54. De lá, ele foi levado para passar por exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico-Legal). A chegada ao presídio Ary Franco foi por volta de 11h20.

O pedido de prisão preventiva contra o empresário foi emitido pela Justiça Federal do Rio de Janeiro na última quinta-feira (26). Como Eike estava fora do Brasil, a Polícia Federal requereu a inclusão do nome dele na lista internacional de procurados pela Interpol .

Operação Eficiência

O ex-magnata, que já foi considerado como o homem mais rico do Brasil e sétimo mais rico do mundo, é investigado pela Operação Eficiência, que é um desdobramento da Lava Jato .  Proprietário do grupo EBX, é suspeito de lavagem de dinheiro em um esquema de corrupção que também atinge o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB), que também está preso.

Eike Batista e o executivo Flávio Godinho, seu braço direito no grupo EBX e vice-presidente do Flamengo, são acusados de terem pago US$ 16,5 milhões a Cabral em troca de benefícios em obras e negócios do grupo , usando uma conta fora do Brasil. Os três também são suspeitos de terem obstruído as investigações.
* Com informações da Agência Brasil

iG

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Em meio a crise penitenciária, ônibus é incendiado e carro do governo leva tiros em Natal

onibus-incendiadoUm ônibus e um carro do governo do Rio Grande do Norte foram alvos de ataques no início da tarde desta quarta-feira (18) na Zona Leste de Natal.

Segundo o major Eduardo Franco, da assessoria de comunicação da PM, a Secretaria de Segurança investiga se os ataques têm relação com a crise no sistema penitenciário do estado.

Os ataques acontecem no mesmo momento em que a PM faz a remoção de presos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz. No local, 26 detentos morreram durante uma rebelião no final de semana. Destes, segundo o governo, 15 foram decapitados. Alcaçuz fica em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal.

A remoção dos presos é uma nova tentativa de o Estado retomar o controle da unidade. Para a retirada dos detentos o governo está usando ônibus de turismo locados.

Ataques
Comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar, o major Soares disse ao G1 que o carro do governo estava estacionado na frente da casa de um servidor que mora no bairro de Mãe Luíza. Seis pessoas teriam se aproximado a pé e atirado contra o veículo, que em seguida pegou fogo.

Ônibus foi destruído pelas chamas, ninguém se feriu (Foto: PM/Divulgação)Ônibus foi destruído pelas chamas, ninguém se feriu (Foto: PM/Divulgação)

Já na comunidade de Brasília Teimosa, que fica perto de Mãe Luíza, um ônibus da empresa Santa Maria foi incendiado.

Após ser baleado, carro do governo pegou fogo (Foto: PM/Divulgação)Após ser baleado, carro do governo pegou fogo (Foto: PM/Divulgação)

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Detento é espancado dentro de cela penitenciária em Guarabira

presosUm detento da Penitenciária João Bosco Carneiro, em Guarabira, no Agreste da Paraíba, foi espancado dentro da cela em que estava detido, segundo o diretor da unidade prisional, Henrique Elias. Ele segue internado na Ala Vermelha do Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa em estado grave.

A agressão aconteceu por volta das 21h30 da segunda-feira (7), quando outros detentos informaram que a vítima estava doente. Os agentes e o diretor da penitenciária encontraram o homem desmaiado, com um corte na cabeça e várias lesões no corpo.

O diretor explicou que os outros 12 detentos que estavam na mesma cela que ele relataram que o apenado caiu da cama. Porém, segundo Henrique Elias, era impossível que uma queda da cama resultasse em lesões tão graves.

Ele foi levado para o Hospital Regional de Guarabira, porém, diante da gravidade do quadro de saúde dele, o detento foi transferido para o Hospital de Trauma de João Pessoa, onde deu entrada às 0h54 e passou por procedimentos médicos de emergência.

Henrique Elias informou o caso à Vara de Execuções Penais, à Polícia Civil e à Gerência do Sistema Penitenciário (Gesipe). Uma sindicância vai ser aberta para apurar o caso, mas, já que nenhum detento assumiu a autoria do crime, todos devem ser indiciados, segundo o diretor.

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Em Campina Grande, detento é morto dentro da penitenciária Padrão

sireneUm detento foi morto dentro da penitenciária Padrão, em Campina Grande, no Agreste paraibano, na manhã desta segunda-feira (10). A informação foi confirmada pela direção do presídio, mas outros detalhes só vão ser divulgados durante uma coletiva de imprensa ainda nesta tarde. As informações divulgadas inicialmente são de que o detento tenha sido agredido até a morte.

A morte do presidiário foi registrada por volta das 9h30. Até 13h50 desta segunda-feira a Polícia Civil e Instituto de Polícia Científica seguia dentro do presídio, realizando procedimentos. O Centro Integrado de Operações da Polícia Militar (Ciop) não confirmou ter recebido solicitação de apoio para a ocorrência no presídio.

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Agentes encontram ‘caverna’ debaixo da maior penitenciária do RN

tunel-rnUma galeria escavada sob o piso de um dos pavilhões da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, na Grande Natal, foi descoberta na manhã desta terça-feira (9). Segundo a direção, o local seria utilizado para a fuga dos detentos do Pavilhão 1, o maior da unidade. “Isso aqui é uma verdadeira caverna. Eles planejavam a maior fuga da história do presídio”, afirmou o diretor Ivo Freire. Alcaçuz fica no município de Nísia Floresta. Com mais 900 presos, é a maior unidade prisional do Rio Grande do Norte.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Pavilhão 1, o maior de Alcaçuz, abriga parte dos presos investigados na Operação Alcatraz, deflagrada no início do mês e que aponta a existência de facções ditando regras e comandando crimes a partir de presídios do Rio Grande do Norte.

Ainda de acordo com o diretor de Alcaçuz, os agentes chegaram à galeria por meio de uma denúncia anônima. Ivo explicou que recebeu a informação de que haveria um resgate dos detentos. “Eles planejavam uma grande operação para realizar a fuga. O que soubemos é que a galeria seria usada como um local onde eles aguardariam o resgate. Certamente uam equipe viria pelo lado de fora e daria o sinal para a debandada. Acreditamos que seriam usadas cordas e escadas para que eles pudessem passar por cima dos muros. Seria a maior fuga da história de Alcaçuz”, acrescentou.

Maior fuga da história
A maior fuga da história da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, aconteceu no dia 20 de janeiro de 2012. Ao todo, 41 detentos escaparam das celas, que estavam sem cadeados, e passaram por cima do muro do chamado Pavilhão 5 da unidade, onde hoje funciona o Presídio Estadual Rogério Coutinho Madruga. Quando inaugurado, em dezembro de 2010, o pavilhão era considerado de segurança máxima. Dos que escaparam, 28 foram recapturados e 9 morreram em ações criminosas. Quatro continuam foragidos.

Presos usaram sacos de areia e piso para cobrir túnel no Pavilhão 4 de Alcaçuz (Foto: Divulgação/Sejuc-RN)Presos usaram sacos de areia e piso para cobrir
túnel no Pavilhão 4 de Alcaçuz
(Foto: Divulgação/Sejuc-RN)

Segunda tentativa de fuga em menos de uma semana
Na última quarta-feira (3), uma revista realizada no Pavilhão 4 de Alcaçuz encontrou um túnel na quadra usada pelos detentos para o banho de sol. Na ocasião, o diretor da penitenciária explicou que os presos utilizaram sacos de areia e o próprio piso de pedra da quadra para esconder o túnel. “Fizeram um corte naquele espaço e camuflaram com pedras. O local é usado pelo menos quatro vezes por semana para banhos de sol e visitas íntimas. São momentos em que os presos sabem que não há uma segurança mais enérgica”, ressalta o diretor. Freire acredita que vários detentos se revezaram para cavar o túnel.

Alcaçuz
Alcaçuz foi inaugurada em 1998. Quando erguida, chegou a ser considerada pelo Estado como unidade de segurança máxima. Em 2012, a unidade passou dois meses interditada por condições degradantes de estrutura.

Penitenciária Estadual de Alcaçuz (Foto: Ricardo Araújo/G1)Penitenciária Estadual de Alcaçuz (Foto: Ricardo Araújo/G1)

G1