Arquivo da tag: PB

Segunda morte por H1N1 é confirmada em Guarabira, PB, diz Saúde

Vacina é importante medida de prevenção contra ocorrência de novos casos de influenza (Foto: Romero Mendonça/Secom)

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) confirmou, nessa quarta-feira (25), o segundo caso suspeito de morte por gripe H1N1, subtipo da Influenza A. Esse caso mais recente aconteceu em Guarabira, no Agreste paraibano. A SES não informou detalhes sobre a vítima.

Na última sexta-feira (20), a Secretaria da Saúde já havia confirmado uma morte ocorrida em Cabedelo, na Grande João Pessoa. No mesmo dia, o órgão informou também tinham sido notificados 51 casos para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), uma doença respiratória que pode levar a morte.

Desde a segunda-feira (23), unidades de saúde dos 223 municípios do estado vão estar vacinando contra o vírus Influenza, que engloba H1N1 e SRAG. A meta é vacinar 90% dos grupos prioritários: pessoas com 60 anos da idade ou mais, crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, profissionais de escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de Doenças Crônicas Não Transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade que estão sob medidas socioeducativas, e a população privada de liberdade.

Recomendações para evitar a infecção

Segundo a Saúde, a população deve adotar hábitos de higiene simples para evitar infecção pelo vírus como: lavar as mãos com água e sabão antes das refeições e após tossir ou espirrar; cobrir a boca ou nariz com lenço descartável ou o braço ao tossir ou espirar; não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal; não levar as mãos sujas aos olhos, nariz e boca; utilizar álcool gel quando não puder lavar as mãos e evitar contato próximo com pessoas que apresentam sintomas de gripe.

Portal  Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Jovem desaparecido há mais de 20 dias é encontrado morto em Areia na PB

Um jovem de Campina Grande que havia saído para entregar drogas em boca de fumo em Areia, e estava desaparecido há mais de vinte dias, foi encontrado morto neste domingo (15). O corpo da vítima estava enterrado em uma cova rasa na periferia da cidade do Brejo Paraibano.

Desde a semana passada, equipes das polícias Civil e Militar da cidade de Areia, no Brejo do estado, estavam trabalhando a procura de localizar um jovem natural de Campina Grande, que segundo as informações fornecidas pela própria família do rapaz, na última terça-feira (26), Mikael Henrique da Silva, 20 anos, saiu de sua casa no bairro das Malvinas em Campina Grande, com destino a comunidade da Jussara, área da periferia da cidade de Areia.

“Ele saiu de casa para entregar um pacote com drogas lá em Areia. Não tem porque esconder. Desde então, ele desapareceu” comentou uma das irmãs do rapaz. Os investigadores acreditam que ele foi assassinado por traficantes.

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Fisco Estadual cumpre determinação judicial e retoma atividades nesta quinta na PB

Em cumprimento à decisão de liminar do Desembargador, Leandro dos Santos, as auditoras e os auditores fiscais tributários retornam ao trabalho, a partir das 7 horas desta quinta-feira (12).
A greve dos servidores fiscais está suspensa por decisão de assembleia geral extraordinária, realizada nesta terça-feira (11), na sede do Sindifisco-PB, em João Pessoa, com uma expressiva participação dos filiados ao Sindicato.
O Desembargador concedeu liminar e declarou, provisoriamente, a ilegalidade da greve do Fisco, iniciada em 28 de março. No despacho, segunda-feira última (10), ele determinou o retorno dos auditores fiscais ao exercício das funções e a continuidade dos serviços, no prazo de 24 horas, após a notificação, sob pena de multa pecuniária.
Em sua decisão preliminar, o Desembargador reconheceu que o auditor fiscal exerce atividades que nenhum outro órgão da iniciativa privada pode suprir.  Segundo ele, se entra em greve, não há como a sua função ser substituída. “Vale ressaltar que a exação fiscal, além de ser importante por si só, pois responsável pela Administração Tributária do Ente Federado, se for paralisada, afetará, também, as atribuições de outros agentes públicos, como, por exemplo, dos procuradores de Estado, que ficarão impedidos de manejar as competentes Ações de Execução Fiscal”, disse.
Na avaliação do presidente do Sindifisco-PB, Manoel Isidro, o Fisco Estadual fez uma greve consciente, tranquila, madura, e auditoras e auditores decidiram cumprir, integralmente, a decisão judicial. “Temos a plena convicção de que decisão judicial é pra ser cumprida. Podemos até discutir o teor, mas temos a obrigação de acatar”, enfatizou.
Isidro afirmou ainda que o Fisco Estadual passou 15 dias em greve, mas infelizmente o governo não abriu o canal de diálogo. “Sem contar que nestes mais de sete anos, tentamos o diálogo. Decidimos entrar em greve no dia 28 de fevereiro, e iniciar o movimento um mês depois. Tempo hábil para que o Governo pudesse dialogar, mesmo assim não sinalizou”, concluiu ele.
Bananeiras Online com Assessoria

Defesa Civil começa a cadastrar CEPs da PB para alertar sobre desastres

Defesa Civil começa a enviar mensagens por celular (Foto: Portal Correio)

A população da Paraíba já está recebendo mensagens de texto no celular para ver alertas sobre risco de desastres naturais. O serviço é coordenado pela Defesa Civil Nacional e só chegaria à Paraíba em junho, mas desde 26 de fevereiro deste ano que a nacionalização foi antecipada.

Para participar, é necessário enviar o CEP de seu endereço para o número 40199. O serviço não tem custo. Ao fim do cadastro, o usuário é informado se o celular está apto a receber alertas de  inundações, alagamentos, temporais, perigo de deslizamentos de terra, entre outros, e recomendações da Defesa Civil. Se o usuário desejar, é possível cancelar o recebimento dos alertas por mensagem de celular.

Os alertas são enviados pelo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) e pelas Defesas Civis dos estados. Também será realizada campanha informativa nos meios de comunicação. O acompanhamento executivo do serviço de alertas por SMS é feito pela ABR Telecom.

O sistema foi desenvolvido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em parceria com os órgãos de Defesa Civil e as operadoras de telefonia móvel.

Expansão

Depois de um período de testes, o grupo coordenado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), e que conta com representantes do Cenad, definiu a expansão do serviço de alerta de desastres naturais para  todo o Brasil. Cerca de 20 países contam com serviços semelhantes, como Canadá, Chile, Bélgica, Filipinas e Japão.

O projeto piloto começou em fevereiro de 2017 em 20 municípios de Santa Catarina. O sistema também foi implantado, em junho, em cinco cidades do Paraná. Desde outubro, todos os moradores dos estados do Paraná e de Santa Catarina podem cadastrar as linhas móveis para receber mensagens de alerta de desastres naturais enviadas por SMS para celulares. O serviço foi implantado no Estado São Paulo em novembro de 2017.

No dia 15 de janeiro deste ano, os moradores de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás passaram a receber o SMS de alerta de riscos e em 19 de fevereiro, o projeto teve início no Distrito Federal, Mato Grosso e Tocantins.

 Portal Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

PB terá mais de 3 milhões de vacinas para febre amarela

A vacina contra febre amarela fará parte da rotina da Paraíba a partir de março de 2019. A decisão foi anunciada, na terça-feira (20), pelo Ministério da Saúde, que passa a recomendar a vacina para todo o Brasil. A resolução foi tomada para que a vacina chegue a alguns estados do Nordeste, Sul e Sudeste que não faziam parte das áreas de recomendação. A ampliação irá ocorrer de forma gradual em todo o país. Apenas São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia manterão a campanha com base nas doses fracionadas.

Na Paraíba, a meta é vacinar 3.085.988 pessoas dos 223 municípios. De acordo com o Ministério da Saúde, a estratégia de ampliação é uma medida preventiva e tem como objetivo antecipar a proteção contra a doença para toda a população em caso de um aumento na área de circulação do vírus. A Secretaria de Estado da Saúde lembra que a Paraíba segue sendo território livre de febre amarela, sem circulação viral. Porém, é necessário que os serviços de saúde públicos e privados estejam atentos a possíveis casos suspeitos.

De acordo com a portaria nº 204/2016 e definição do Ministério da Saúde, indivíduo que apresente quadro febril agudo (até sete dias), de início súbito, acompanhado de icterícia e/ou manifestações hemorrágicas, residente ou precedente de área de risco para febre amarela ou de locais com ocorrência de epizootias em primatas não humanos ou isolamento de vírus vetores nos últimos 15 dias, não vacinado contra febre amarela ou com estado vacinal ignorado, deve ser notificado à Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria de Estado da Saúde em até 24 horas.

A vacina contra febre amarela não é recomendada para todos, pois pode causar eventos adversos. São contraindicados à vacina pacientes em tratamento de câncer, pessoas com imunossupressão, além de pessoas que apresentam reação alérgica grave à proteína do ovo. Além disso, a vacinação contra febre amarela impede a doação de sangue por um período de quatro semanas.

O Ministério da Saúde recomenda que as pessoas realizem a doação de sangue antes da vacinação, para a manutenção dos estoques de hemocomponentes.

Portal Correioeio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Suspeito de manter mulher e filha em cárcere privado por 5 anos é preso na PB

(Foto: Polícia Civil de São Bento/Divulgação)

Um homem de 58 anos foi preso em flagrante suspeito de manter a mulher e a filha em cárcere privado por 5 anos na cidade de São Bento, no Sertão da Paraíba. A informação foi repassada pela Polícia Civil e a prisão aconteceu na manhã desta terça-feira (20).

De acordo com as investigações policiais, o homem agredia as vítimas e as deixava sem comida. Mãe e filha só conseguiram se libertar do cárcere após uma vizinha ter percebido a situação e jogado um aparelho celular pelo muro para que a mulher chamasse a polícia e pedisse ajuda. Em depoimento à polícia, o suspeito negou todas as acusações.

O delegado Sheldon Andrius Fluck, responsável pelas investigações, disse que o casal morava junto há 5 anos e que desde então a mulher, uma pedagoga de 29 anos, teria sido submetida ao cárcere. Eles tiveram uma filha que atualmente está com 2 anos, que não teria sequer sido registrada e que também era vítima de todas as agressões. Ainda conforme o delegado, um laudo médico comprovou as agressões na mulher e na criança.

Conforme o delegado, ele “alegou que ela foi para colação de grau em João Pessoa ano passado. Eu questionei ela e ela disse que fez uma faculdade à distância e que realmente foi para a colação em João Pessoa, mas não procurou ajuda porque ele tava com a filha deles em casa e ela não tinha nem registro. Se ele fizesse algo com ela não teria nem como provar a existência da filha”.

“Ela [a mulher] disse que ele as agredia constantemente e as deixava passando fome. Quando ele saía de casa cortava a energia e ameaçava a mulher de morte caso ela contasse a alguém. Ela não mantinha contato com ninguém, nem com a família. Os vizinhos, que moravam na região há cerca de três anos, nunca tinham visto a mulher nem a criança. Elas só saíram de casa para ir ao médico e mesmo assim eram enroladas com um cobertor, como foi no dia do parto”, detalhou o delegado ao falar sobre o que a vítima relatou à polícia durante o depoimento.

Bebê nasceu durante cárcere privado da mãe e não era registrado, na Paraíba (Foto: Polícia Civil de São Bento/Divulgação)

Bebê nasceu durante cárcere privado da mãe e não era registrado, na Paraíba (Foto: Polícia Civil de São Bento/Divulgação)

Sheldon Andrius acrescentou que uma mulher que mora ao lado da casa onde as vítimas estavam sendo mantidas em cárcere privado ouvia barulhos e escutava o choro da criança, de modo que decidiu ajudar as vítimas arremessando o celular pelo muro para que a mulher pudesse pedir socorro para sair do cárcere.

A vítima procurou a polícia e, ao chegarem no local, os policiais constataram o fato. “O lugar estava todo revirado, bagunçado e sem comida”, pontuou o delegado.

O homem preso trabalha em uma empresa de materiais de construção. Ele vai ser autuado por cárcere privado e encaminhado para a penitenciária de Catolé do Rocha, também no Sertão.

A mulher foi ouvida e liberada. Segundo a polícia, ela iria voltar para a casa onde teria sido mantida em cárcere privado, pois a família dela é do estado de Pernambuco.

G1 procurou o Conselho Tutelar da cidade de São Bento para saber quais os procedimentos que vão ser adotados com a criança, mas o órgão informou que até as 14h56 ainda não havia sido notificado sobre o caso.

Lugar onde mulher e bebê viviam em cárcere privado estava revirado e não tinha comida, na PB (Foto: Polícia Civil de São Bento/Divulgação)

Lugar onde mulher e bebê viviam em cárcere privado estava revirado e não tinha comida, na PB (Foto: Polícia Civil de São Bento/Divulgação)

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Promotor pede reabertura de escolas fechadas na zona rural de Areia, PB

O Ministério Público entrou com ação civil pública pedindo a reabertura de escolas fechadas no ínicio do ano letivo na zona rural de Areia, no Brejo paraibano. No entanto, de acordo com o promotor de Justiça Nilton Chagas, a medida foi tomada devido ao não cumprimento de requisitos para o fechamento das escolas na zona rural do município.

A prefeitura fechou as escolas alegando que a quantidade de alunos não seria suficiente para formar turmas. Segundo o Prefeito de Areia, João Francisco, o fechamento das escolas faz parte de um processo da Secretaria Municipal de Educação para acabar com o sistema de ensino multiseriado, onde alunos de séries diferentes estudam juntos numa mesma sala de aula.

“Estamos guiados em indicações do Ministério da Educação, no pedido de fechamento das escolas multiseriadas pela Câmara Municipal, Conselho Municipal de Educação e também por documentos da Associação Municipal dos Professores. Todos esses orgãos nos deram indição que a escola multiseriada não é uma escola justa, quando podemos oferecer aos nossos alunos uma educação seriada, onde cada aluno tem sua condição apropriada com colegas de mesmo nível intelectual”, explicou o prefeito.

Nove escolas da zona rural de Areia já passaram pelas medidas da Secretaria de Saúde, desde o ano passado. Após o fechamento das escolas, a prefeitura ofereceu a transferência dos alunos para uma escola e para uma creche na zona urbana, com cerca de 2 km de deslocamento, mas os pais dos alunos não aceitaram a mudança. Por isso, cerca de 49 alunos estavam assistindo aulas nos fundos da escola Maria Emília Maracajá, em barracos improvisados com lonas.

Caso o pedido de liminar do promotor Nilton Chagas seja aceito, as escolas fechadas devem ser abertas imediatamente, até que a Juíza apresente o parecer final sobre a situação.

Ministério Público pede reabertura das escolas da zona rural de Areia

Ministério Público pede reabertura das escolas da zona rural de Areia

 G1

 FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Carros são incendiados no pátio do Fórum em São Bento na PB

Carros pegaram fogo no pátio do Fórum de São Bento (Imagem compartilhada no WhatsApp)

Seis carros que estavam no pátio do Fórum de São Bento, Sertão paraibano, foram incendiados na madrugada desta terça-feira (14). Os veículos tinham sido apreendidos em operações policiais e estavam à disposição da Justiça. Esse é o segundo caso de incêndio de veículos na cidade no período de 24 horas.

De acordo com a Polícia Militar, o incêndio foi registrado por volta das 2h. Um vigilante do Fórum informou que estava cochilando no prédio e só percebeu o fogo quando ele já tinha atingido grandes proporções. Seis veículos foram destruídos pelo incêndio.

Carros-pipas da prefeitura e particulares foram usados no combate ao fogo, uma vez que São Bento não possui unidade do Corpo de Bombeiros e a ação precisava ser rápida para evitar maiores danos. Ainda assim, bombeiros de Catolé do Rocha foram enviados ao local para realizar perícia.

Ao Portal Correio, a Polícia Civil adiantou que os dois incêndios não estão relacionados. O primeiro caso teria sido acidental. Conforme a Polícia Civil, um motorista relatou que guardou um ônibus na garagem tarde da noite e sentiu cheiro de queimado vindo do motor veículo, mas decidiu só verificar o que estava acontecendo no dia seguinte.

A Polícia Civil acredita que o fogo tenha iniciado nesse ônibus e outros tenham sido atingidos por estarem muito próximos. Já no caso desta madrugada, a polícia não descarta a hipótese de incêndio criminoso. Câmeras de segurança no fórum podem ajudar nas investigações.

Portal Correio

Servidores da justiça paralisam atividades na PB

Foto: Ednaldo Araújo/Divulgação/TJPB

Os servidores da justiça estadual paralisarão suas atividades, em toda a Paraíba, nesta segunda-feira  (12) e terça-feira (13), em protesto contra o não pagamento do reajuste salarial da categoria, pelo Tribunal de Justiça, referente à data-base de janeiro de 2018. A decisão de suspender as atividades foi tomada em assembleia geral realizada pelos servidores, no dia 27 do mês passado.

Com essa paralisação de advertência, ficam suspensos o cumprimento de mandados judiciais, as audiências e o atendimento aos advogados e ao público, em todo o estado. A partir das 14h, os servidores realizarão atos públicos nesta segunda-feira e amanhã, na Praça João Pessoa, na capital.

Amanhã haverá uma audiência entre os representantes das entidades que representam os servidores do Poder Judiciário, a exemplo da Associação dos Técnicos, Auxiliares e Analistas do Judiciário Estadual (Astaj) e a Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça (ASSTJE), com a presidência do Tribunal de Justiça (TJ/PB). Segundo o presidente da Astaj, José Ivonaldo, se não houver nenhum avanço nas negociações, os servidores poderão decidir por uma paralisação por tempo indeterminado.

José Ivonaldo disse ainda que a paralisação dos servidores também é contra o pagamento do auxílio moradia a juízes e desembargadores. “A reposição salarial dos servidores não aconteceu em consequência do auxílio-moradia dos juízes e desembargadores estaduais, na ordem de R$ 14 milhões por ano. O impacto é tão elevado que chega a comprometer os pleitos financeiros dos servidores, que ficaram prejudicados sem rereceber reajuste na data base”, disse Ivonaldo.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

PB apresenta maior renda familiar per capita do Nordeste, diz IBGE

A Paraíba apresentou no ano passado a maior renda familiar per capita (por membro da família) do Nordeste. Conforme pesquisa divulgada nesta quarta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que o rendimento na Paraíba chegou a R$ 928 no ano passado, ultrapassando os outros oito estados da região.

Apesar do bom desempenho no Nordeste, quando comparada a média nacional, a renda familiar per capita na Paraíba é 26,8% inferior. A segunda maior renda na região ficou com Pernambuco, em R$ 852. No país, a maior renda familiar per capita foi registrada no Distrito Federal, com R$ 2.548.

O rendimento domiciliar per capita é calculado como a razão entre o total dos rendimentos domiciliares (em termos nominais) e o total dos moradores. São considerados os rendimentos de trabalho e de outras fontes de todos os moradores, inclusive os classificados como pensionistas, empregados domésticos e parentes dos empregados domésticos.

Os valores são calculados com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) e enviados ao Tribunal de Contas da União (TCU). A renda familiar per capita é usada para se estabelecer os critérios de rateio do Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal (FPE).

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br