Arquivo da tag: paulista

Ato na Paulista pede veto à Lei de Abuso de Autoridade

Manifestantes foram à avenida Paulista neste domingo, 25, protestar em defesa da operação Lava Jato e pelo veto ao projeto de lei contra o abuso de autoridade aprovado pela Câmara. A manifestação foi convocada por grupos como Nas Ruas e Vem Pra Rua e reuniu um número bem menor de pessoas do que atos anteriores.

Em faixas e cartazes os manifestantes demonstraram apoio ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, que vem sofrendo desgaste no governo, e mandaram um recado direto ao presidente Jair Bolsonaro: “veta tudo”.

Outros defenderam a indicação do procurador Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato, para a Procuradoria Geral da República. Dallagnol vem sendo alvo de críticas de alas do bolsonarismo depois de fazer críticas ao governo.

Do alto do carro de som do Vem Pra Rua, o empresário Rogerio Chequer, que concorreu ao governo de São Paulo pelo Novo, fez um alerta ao presidente.

“Existem alguns políticos que a gente torce para que mudem o Brasil que estão caindo nesta roubada. Bolsonaro não pode continuar se aproximando de (David) Alcolumbre (presidente do Senado, do DEM-AP) e do (Dias) Toffoli (presidente do Supremo Tribunal Federal)”, disse Chequer, fundador do Vem Pra Rua.

Ele fez questão de ressaltar que falava em nome próprio e não do movimento e disse ver um descolamento de Bolsonaro em relação à pauta do combate à corrupção.

“As atitudes recentes indicam um descolamento. Há ingerências na Receita Federal, na Polícia Federal, no Coaf”, disse Chequer.

Ao lado dele, Adelaide de Oliveira, coordenadora do Vem Pra Rua, disse que as palavras de Chequer refletiam a posição do movimento.

“Estamos vivendo o momento de maior ameaça ao combate à corrupção. Maior até do que em outros governos”, disse o empresário.

“Maior do que no governo do PT”, completou Adelaide.

Parlamentares da base do governo como o senador Major Olímpio (PSL-SP) e a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), discordaram da tese de que Bolsonaro está se descolando da Lava Jato. Olímpio disse que o foco da manifestação é o Congresso. “Vamos começar o veto (ao projeto contra o abuso de autoridade) no Senado. Já temos 33 senadores e vamos pedir que a votação seja nominal”, disse ele. “Neste momento temos que dar força ao presidente Bolsonaro, aos 22 ministros e ao ministro Moro”, completou.

Zambelli tirava selfies com fãs na avenida quando foi interpelada por um eleitor: “Carla, segure o Moro lá”.

E respondeu: “isso não depende de mim”.

Segundo ela, existe muito ruído provocado pela imprensa na relação entre Moro e Bolsonaro mas nenhum motivo real que dê margem às especulações sobre a fritura do ministro. A deputada disse que o presidente já sinalizou que vai vetar ao menos parcialmente o projeto e que também vai pedir votação nominal caso a Câmara tente derrubar o veto.

A grande maioria dos manifestantes, no entanto, era de eleitores de Bolsonaro que foram às ruas reiterar o apoio ao presidente.

Foram colocados cinco carros de som na Avenida Paulistas. Os que atraíram mais gente foram os do Vem Pra Rua e Nas Ruas. Os manifestantes se aglomeravam em torno dos carros e havia vários espaços sem pessoas entre eles. Segundo organizadores, o baixo comparecimento refletiu a falta de tempo para convocação do ato. Do carro patrocinado por grupos minoritários como Ativistas Independentes, São Paulo Conservador e Avança Brasil, discursos atacavam os grupos que faziam algum tipo de crítica a Bolsonaro.

O Movimento Brasil Livre (MBL), que vem se afastando de Bolsonaro, não participou da manifestação. Vários manifestantes pediram o impeachment de Dias Toffoli.

Cidades do interior também têm atos

As principais cidades do interior de São Paulo também registraram atos pedindo que o presidente Jair Bolsonaro vete a Lei de Abuso de Autoridade. Houve também manifestações em defesa da Lava Jato e ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em Campinas, os participantes vestiram verde e amarelo e usaram um carro de som para criticar o Supremo. Um dos oradores defendeu a indicação de Deltan Dallagnol à Procuradoria-Geral da República. A mobilização foi feita pelo movimento Vem Pra Rua, através de redes sociais.

Em São José do Rio Preto, os manifestantes foram escoltados por uma viatura da Polícia Militar durante caminhada pela avenida 9 de Julho. Cartazes traziam os dizeres “Pacote anticrime Já” e “Fora STF”. Os oradores defenderam o governo de Jair Bolsonaro. O ato foi convocado por grupos ligados ao movimento Direita São Paulo. O grupo se reuniu avenida Alberto Andaló, vestindo verde e amarelo e carregando cartazes. Uma faixa da avenida foi interditada. Durante os discursos, também houve a defesa do procurador Dallagnol.

Em São José dos Campos, um grupo fez caminhada pela avenida 9 de Julho em apoio à Lava Jato e pedindo “veto total” à Lei de Abuso de Autoridade.

 

Foto: Bruno Rocha/FotoArena / Estadão

Estadão

 

 

Mulher empurra Padre Marcelo Rossi de altar durante missa em Cachoeira Paulista

Uma mulher invadiu o altar e empurrou o padre Marcelo Rossi durante uma missa em Cachoeira Paulista neste domingo (14). A mulher furou a segurança, invadiu o palco durante a celebração que acontecia na Canção Nova e empurrou o padre de cima da estrutura. Apesar da queda, ele não ficou ferido e a mulher foi contida pela Polícia Militar.

O padre estava no local para a missa de encerramento do acampamento ‘Por Hoje Não’ (PHN). Por volta das 14h50 a mulher, que participava do evento, conseguiu furar a segurança, invadiu o palco por trás e empurrou o padre, que caiu da estrutura.

No momento, pelo menos 50 mil pessoas participavam da celebração. Apesar da queda, o padre voltou ao palco minutos depois e continuou a celebração.

De acordo com a Polícia Militar, a mulher está sendo encaminhada para a delegacia de Lorena para o registro do caso. A PM informou que a ocorrência está sendo feita pela Canção Nova porque o Padre Marcelo Rossi decidiu não registrar a agressão.

A polícia informou que a mulher tem 32 anos e que fazia parte de um grupo que veio do Rio de Janeiro para o evento. Os acompanhantes informaram à PM que ela sofre de transtornos mentais.

Em nota a Canção Nova informou que lamenta o incidente ocorrido com o padre Marcelo Rossi durante a missa e informou que ele foi atendido pela equipe médica do evento e, após ser liberado, seguiu com a celebração até o fim.

Vídeo

Em um vídeo divulgado após a agressão, o Padre Marcelo Rossi diz que ‘Maria passou na frente e pisou na cabeça da serpente’. A imagem foi divulgada pela Canção Nova, ao final da celebração.

“Maria passou na frente, pisou na cabeça da serpente, estou ótimo”, disse. “Fiquem tranquilos, só umas dorzinhas, não quebrou nada”, acrescentou.

G1

 

Corinthians vence Santos e fica em vantagem no paulista

Em um clássico com três falhas do setor defensivo, venceu quem errou menos. O Corinthians aproveitou melhor as oportunidades e derrotou o Santos por 2 a 1 neste domingo, em Itaquera, no jogo de ida das semifinais do Campeonato Paulista.

O zagueiro Manoel apareceu entre os zagueiros adversários e abriu o placar para o time da casa. Mas Cássio falhou e permitiu o Santos empatar com Derliz González com sete minutos de partida. Ainda na etapa inicial, Luiz Felipe afastou mal e a bola sobrou para Clayson garantir a vitória.

O resultado deixa a equipe de Fábio Carille com a vantagem do empate no duelo de volta, marcado para segunda-feira, às 20h, no Pacaembu. Se o Santos ganhar por um gol de diferença a decisão da vaga vai para os pênaltis. Na outra semifinal, Palmeiras e São Paulo empataram o primeiro jogo sem gols no Morumbi e jogam novamente no domingo, no Allianz Parque.

O Corinthians volta a campo na quarta-feira, quando receberá o Ceará na partida de volta da terceira fase da Copa do Brasil. O time paulista venceu a ida, fora de casa, por 3 a 1. Pela mesma competição, o Santos visitará o Atlético-GO na quinta-feira no primeiro confronto entre as equipes.

Em Itaquera, quem esperava o Santos tocando de um lado ao outro e o Corinthians com suas duas linhas de quatro esperando a falha do adversário teve de esperar os surpreendentes dez minutos iniciais. Sornoza cruzou da esquerda logo aos três, Manoel apareceu livre entre os zagueiros adversários e mandou de cabeça para as redes.

A resposta do Santos veio em seguida também na bola parada. Jean Mota cobrou escanteio da direita, Cássio saiu mal e deixou a bola escapar. Derliz González aproveitou e fez: 1 a 1. Só a partir daí as coisas voltaram ao normal. O Corinthians adotou o mesmo padrão dos jogos com a Ferroviária, postura diferente do duelo com o Santos pela primeira fase. Em vez de marcar sob pressão, esperava o adversário em seu campo de defesa.

O Santos era o mesmo, girava a bola com passes curtos até chegar aos pés do goleiro Vanderlei, deixando seu torcedor sem ar. Faltava um finalizador no ataque. As equipes tinham dificuldade para criar até que veio mais uma falha. O zagueiro Luiz Felipe afastou de cabeça nos pés de Clayson, que cortou Victor Ferraz na esquerda e bateu cruzado no canto oposto de Vanderlei para marcar.

Nos minutos finais da primeira etapa, o zagueiro Felipe Aguilar se chocou com Danilo Avelar e desmaio na pequena área. O jogador deixou o campo de ambulância e deu lugar a Lucas Veríssimo. De acordo com a assessoria de imprensa do Corinthians ele recebeu atendimento no posto médico do estádio e depois foi encaminhado “consciente e responsivo” ao Hospital Sírio Libanês.

No segundo tempo, Sampaoli colocou Rodrygo na vaga de Cueva para tentar dar mais mobilidade ao ataque. O Santos até tentou esboçar uma pressão. Mas o Corinthians era mais eficiente. Clayson mandou de bicicleta e Vanderlei quase soltou nos pés de Vagner Love.

O Corinthians não deixava o Santos criar. Apesar de ter menos posse de bola, a equipe de Carille segurava o adversário na intermediária. O time visitante passou a tentar mais as laterais do campo, mas não tinha um centroavante para finalizar. Luiz Felipe teve a chance de se redimir nos minutos finais, mas cabeceou por cima garantindo a vitória aos anfitriões.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 2 X 1 SANTOS

CORINTHIANS – Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Junior Urso e Sornoza (Richard); Vagner Love (Pedrinho), Gustagol e Clayson (Mateus Vital). Técnico: Fábio Carille.

SANTOS – Vanderlei; Victor Ferraz, Aguilar (Lucas Veríssimo), Luiz Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca, Carlos Sánchez (Soteldo), Jean Mota e Cueva (Rodrygo); Derliz González. Técnico: Jorge Sampaoli.

GOLS – Manoel, aos 3, Derliz González, aos 7, e Clayson, aos 31 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO – Vinícius Gonçalves Dias Araújo.

CARTÕES – Sornoza (Corinthians); Vanderlei e Alison (Santos)

PÚBLICO – 39.919 pagantes.

RENDA – R$ 2.467.185,50.

LOCAL – Arena Corinthians, em São Paulo.

 

 

Estadão

 

 

Botafogo-SP e Corinthians empatam pelas quartas do Paulista

Foto: LANCE!
Foto: LANCE!

Emoção, diversas oportunidades e passes certos, movimentações táticas surpreendente, times agressivos, futebol vistoso, substituições produtivas… em jogaço no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, Botafogo-SP e Corinthians ficaram no empate em 0 a 0 pela ida das quartas de final do Campeonato Paulista. Com tamanha qualidade dos dois lados, era improvável que só um saísse vencedor. Tudo isso em pleno dia… primeiro de abril.

No Dia da Mentira, a única verdade do parágrafo acima é o resultado. Porque o jogo foi chato, arrastado, com poucas finalizações certas, muitos erros técnicos e falta de produtividade dos dois lados. A expectativa por futebol de verdade é no duelo de volta, no próximo dia 9, na Arena Corinthians, que decidirá um dos semifinalistas do Estadual.

O primeiro tempo da partida correu em ritmo sonolento. Os donos da casa até tentaram algumas soluções nos primeiros minutos de bola rolando, especialmente em erros de passe da defesa do Corinthians, mas não conseguiram passar por Cássio. Foi só no finzinho da etapa que os torcedores puderam sentir alguma emoção: Jô recebeu de Jadson e cruzou na área para Maycon, que viu Bileu salvar Neneca. No contra-ataque, Balbuena levou a melhor em dividida dentro da área do Timão.

O Corinthians tinha dificuldades claras, especialmente para criar chances. O time de Fabio Carille tinha mais posse de bola que o de Moacir Júnior, mas era um domínio absolutamente improdutivo: quase 10% de passes errados, muita demora entre a recuperação da posse de bola e o início do ataque e pouco uso das laterais e das costas da marcação. Reativo, o Botafogo também não mostrou muita qualidade na hora das conclusões.

Por pelo menos dez minutos, o segundo tempo deu impressão que ia ser melhor que o primeiro. Arana afastou uma chance do Botafogo pela linha de fundo, Cássio fez uma defesaça em cabeceio de Filipe, Francis assustou em batida da entrada da área e Romero retribuiu após enfiada de Jô. Depois destes quatro lances, o jogo voltou ao normal: uma chatice.

Romero perdeu chances, Marcão perdeu chances, Clayton e Bernando entraram pra tentar algo, mas… nada de gol. Era decisão de verdade, mas o futebol foi de mentira.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO-SP 0 X 0 CORINTHIANS

Local : Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP)
Data : 1/4/17 – 18h30
Árbitro : Flávio Rodrigues de Souza
Assistentes : Hernan Brumel Vani e Mauro André de Freitas
Público/renda : não disponíveis
Cartões amarelos : Gualberto, Rafael Bastos (Botafogo-SP); Jadson (Corinthians)

BOTAFOGO-SP : Neneca, Samuel Santos, Filipe (Matheus Mancini – 38’/2ºT), Gualberto e Fernandinho; Bileu, Marcão Silva, Diego Pituca e Rafael Bastos (Bernardo – 46’/2ºT); Francis (wesley – 28’/2ºT) e Marcão.Técnico : Moacir Júnior.

CORINTHIANS : Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Camacho (Clayton – 25’/2ºT); Romero (Léo Jabá – 37’/2ºT), Jadson e Maycon; Jô. Técnico : Fabio Carille.

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Ponte bate Santos e fica em vantagem nas quartas do Paulista

A Ponte Preta saiu na frente na disputa pela semifinal do Campeonato Paulista. Pressionando nos minutos iniciais e contando com a lentidão do Santos, a Macaca venceu por 1 a 0, com gol do artilheiro William Pottker, na tarde deste sábado, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, e assegurou a vantagem para o duelo de volta contra os santistas.

Willian Pottker (C), jogador da Ponte Preta, comemora seu gol durante a primeira partida contra o Santos FC, válida pelas quartas de final do Campeonato Paulista 2017.
Willian Pottker (C), jogador da Ponte Preta, comemora seu gol durante a primeira partida contra o Santos FC, válida pelas quartas de final do Campeonato Paulista 2017.

Foto: Ale Cabral/ Agif/Gazeta Press

Com a vitória, a Macaca precisa somente de um empate no jogo de volta para alcançar a classificação às semifinais do Paulistão. O Santos, por sua vez, se vê obrigado a vencer por dois gols de diferença para conquistar a vaga direta. Caso o alvinegro vença por apenas um gol, o confronto será decidido na disputa de pênaltis.

As duas equipes voltam a se enfrentar apenas no próximo dia 10, uma segunda-feira às 20h (de Brasília), no Pacaembu.

Ponte começa em cima e abre o placar

O duelo começou movimentado no Moisés Lucarelli, com as duas equipes buscando o ataque. Porém, a Ponte rapidamente dominou as ações e teve a primeira grande oportunidade com o artilheiro William Pottker. Aos 6 minutos, o atacante aproveitou indecisão de David Braz e Lucas Veríssimo para avançar dentro da área e encobrir o goleiro Vanderlei. A bola até tocou na rede, mas pelo lado de fora.

Logo na sequência, Clayson deu lindo drible em Jean Mota e cruzou para Pottker. Mas antes da redonda chegar no centroavante, Lucas Veríssimo antecipou-se e salvou o alvinegro.

Mesmo após sofrer com duas oportunidades claras, o Santos não conseguia achar os espaços no meio de campo e sofria com a velocidade do time de Campinas. E foi justamente em uma jogada rápida que a Ponte abriu o placar.

Aos 20 minutos, Clayson lançou para Nino Paraíba dentro da área. Aproveitando-se da marcação atrasada da defesa santista, o lateral tocou para Pottker apenas empurrar para o fundo das redes e deixar a Macaca na frente.

O tento ‘acordou’ a equipe comandada por Dorival Júnior, que chegou duas vezes após os 30 minutos. A primeira chance foi com Ricardo Oliveira. O centroavante recebeu de Bruno Henrique dentro da área. Livre, ele soltou uma bomba, que parou nas mãos de Aranha.

No lance seguinte, Vitor Bueno tentou cruzamento pela esquerda e a bola desviou no defensor da Ponte. Porém, lá estava Aranha, que no reflexo, fez outra bela defesa e impediu o empate santista no primeiro tempo.

Peixe melhora, mas não alcança empate

Após Vitor Bueno passar a etapa inicial apagado e com a equipe sofrendo pelo lado esquerdo, o técnico Dorival Júnior resolveu tirar o camisa 7 para promover a entrada de Copete. A mudança surtiu efeito nos minutos iniciais e o Santos voltou do intervalo ligeiramente melhor que a Ponte.

Aos cinco minutos, o colombiano avançou pela esquerda, driblou Fernando Bob e cruzou para Ricardo Oliveira. O centroavante bateu de primeira, mas a bola foi alta demais e passou por cima do gol de Aranha.

Apesar do domínio no meio, o alvinegro não conseguia traduzir o melhor momento em chances claras de gol. A Ponte Preta, por sua vez, apostava nos contra-ataques e quase ampliou o marcador em uma jogada dessas. Aos 17 minutos, David Braz falhou e deixou Pottker completamente livre para cabecear. O goleiro Vanderlei pegou, mas deu rebote e o atacante encheu o pé. A bola bateu em cheio no rosto do camisa 1 e foi afastada na sequência.

Depois da grande chance desperdiçada, a Macaca diminuiu o ritmo novamente e apenas esperava o Santos no campo de defesa. Os comandados de Dorival Júnior, porém, seguiram sem conseguir assustar o goleiro Aranha e o duelo terminou mesmo com a triunfo da Ponte em Campinas.

FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA 1 X 0 SANTOS

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)

Data: 01 de abril de 2017, sábado

Horário: 15h (de Brasília)

Árbitro: Salim Fende Chavez

Assistentes: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa e Bruno Salgado Rizo

Público: 11.545

Renda: R$ 227.280,00

Cartões amarelos: PONTE PRETA: Jadson e Fernando Bob.

GOLS:

PONTE PRETA: William Pottker, aos 20 do 1ºT;

PONTE PRETA: Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Yago e Reynaldo; Fernando Bob, Elton e Jadson (Renato Cajá); Clayson, Lucca (Wendel) e Pottker (Lins).

Técnico: Gilson Kleina

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato (Rafael Longuine), Thiago Maia e Lucas Lima; Bruno Henrique, Vitor Bueno (Copete) e Ricardo Oliveira (Kayke).

Técnico: Dorival Júnior

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

“Dama Vermelha”: a história da mulher que enfrentou o ódio na Paulista

dama“Putinha do Lula, putinha do Lula”. Mais respeito, minha filha, mais respeito. “Vagabunda, vagabunda!!!” Não, minha filha, você não me conhece… “Velha doida, velha doida!”.

Não, vocês são irracionais, precisam conhecer nossa história. “Deve ser filha de ladrão!!” Não, rapaz, vivi a época da ditadura, vou morrer lutando contra ela. Você não sabe o que está dizendo… vocês são formados pela televisão. Sem encostar, não tenho medo de nada, já enfrentei coisa pior, você não sabe de nada, é preguiçoso!! Encosta que eu devolvo!!! “Filha da puta!!” Me respeite, eu vivi a história, você é um desinformado.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

E foi assim que conheci uma heroína a ponto de entender com quantos filamentos se faz a fibra de uma grande mulher. Por falta de melhor nome, anotei na caderneta de fotos: agosto de 2015, Avenida Paulista, A GRANDE DAMA VERMELHA, a quem devo uma lição de extrema coragem, paciência e lucidez, em São Paulo.

 

 

revistaforum

Se promovendo em manifestação socialite Ju Isen faz topless na Avenida Paulista, SP

juJu Isen repetiu o feito no início do ano e tirou a roupa novamente durantes as manifestações que aconteceram neste domingo, 16. A socialite chegou na Avenida Paulista, em São Paulo, vestindo uma camiseta branca que já evidenciava a ausência de sutiã. Depois de assinar algumas edições da revista Sexy, da qual foi capa, Ju seguiu para a frente do MASP, onde tirou a camiseta.

Desta vez, a socialite dispensou os adesivos que colou nos seios em sua primeira aparição nos protestos. Enquanto outros manifestantes filmavam e tiravam fotos, Ju exibia as páginas de sua revista e segurava a bandeira do Brasil. Muitos pediram para tirar foto ao lado de Ju.meuip

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

oparalelocampestre

Capital paulista registra mais cinco mortes por dengue

dengueA Secretaria Municipal da Saúde confirmou nesta quinta-feira, 21, mais cinco mortes por dengue na cidade, o que eleva para 13 o número total de óbitos no ano. De 1º de janeiro ao dia 8 de maio, 57.794 paulistanos foram infectados pela doença, quase o triplo de registros do mesmo período do ano passado. A secretaria anunciou, no entanto, que o pico da doença foi superado e que já se observa redução no número de casos semanais.

“A queda da temperatura e, principalmente, nosso trabalho conjunto com o exército e com a sociedade na eliminação dos criadouros do mosquito teve esse impacto de diminuição dos casos”, explicou Paulo Puccini, secretário municipal adjunto da Saúde.

Ele afirmou que as ações de controle da epidemia permitiram que se invertesse a tendência de crescimento da doença já na 14ª semana epidemiológica, o que costuma ocorrer somente na 16ª.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

“Apesar dessa queda, não podemos baixar a guarda na prevenção. A crise hídrica deverá se agravar no inverno e as pessoas vão continuar armazenando água. Temos que continuar o trabalho de conscientização para termos um quadro mais brando de dengue no ano que vem”, disse.

Entre as novas vítimas fatais da dengue estão três homens, de 56, 69 e 79 anos, e duas mulheres, de 32 e 55 anos. Dois eram moradores do Rio Pequeno (zona oeste) e os demais viviam nos bairros da Brasilândia, Pirituba (zona norte) e Itaim Paulista (zona leste).

Cerca de 37% dos casos foram registrados na zona norte da cidade, região mais afetada. Apesar da redução de casos, a cidade tem, no acumulado do ano, recorde de bairros com índice de incidência da doença no nível de epidemia. Dos 96 distritos paulistanos, 54 têm taxa superior a 300 casos por 100 mil habitantes.

Como a incidência da doença começou a cair, a secretaria decidiu encerrar gradativamente o funcionamento das dez tendas emergenciais de atendimento. Três já foram fechadas na semana passada e outras duas serão desativadas nesta sexta-feira, 22. “No período de pico tínhamos até 200 atendimentos por dia em cada tenda. Agora, o número caiu para 60 em algumas, o que não justifica a manutenção desse serviço. Essa demanda pode ser facilmente absorvida pela nossa rede”, disse Puccini.

 

Estadão Conteúdo

Ativista fica nua na Avenida Paulista em ato pela descriminalização do aborto

ativistaUma ativista feminista ficou completamente nua em um dos pontos mais movimentados da Avenida Paulista, região central de São Paulo, em um protesto pela descriminalização do aborto no Brasil, realizado neste domingo (8), Dia Internacional da Mulher.

O ato, realizado na Praça do Ciclista, ao lado do acesso à Rua Augusta, foi protagonizado por Sara Winter, ativista que ficou conhecida no País por ter feito parte do grupo ucraniano Femen, há anos adepto da tática que batizou como “sextremismo”, na qual utilizam seus corpos nus e manifestações teatrais para chocar e atrair atenção para suas causas. Winter é fundadora do grupo Bastardxs, a quem representou neste domingo.

Ao lado de Sara, um outro ativista, um homem não identificado, usava uma máscara do rosto do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), um dos membros da bancada evangélica no Congresso Nacional que é publicamente contra a prática de aborto no País.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Simbolicamente, o manifestante pisoteava e chutava Winter, que estava com o corpo pintado de vermelho, simbolizando a violência sofrida pela mulher, e esparramada no chão em meio a flores e a uma placa com os dizeres “Feliz Dia Internacional das Mulheres”.

 

iG

Paulista preso tinha plantação de maconha em sítio no sertão da Paraíba

Divulgação/ PM
Divulgação/ PM

Mais de 200 pés de maconha, quase 3kg da droga pronta para consumo, duas espingardas e vários quilos de sementes do entorpecente para serem cultivadas foram apreendidos na manhã desta sexta-feira (26) na cidade de Juru, no Sertão paraibano, durante uma operação. A ação contou com cerca de dez policiais da Ronda Ostensiva Tática com Apoio de Motocicletas (Rotam) da 5ª Companhia Independente da Polícia Militar e da Polícia Civil de Princesa Isabel, que chegaram até o sítio de Antônio Burgos de Campos, de 45 anos.

Ele é natural da cidade de São Paulo, onde já responde por latrocínio e tráfico de drogas. Antônio Burgo, como é conhecido na região, vinha sendo monitorado pelos policiais que receberam denúncias sobre o cultivo da droga. O entorpecente foi encontrado em um sítio.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com o tenente Fábio Cassiano, que comandou a operação, o suspeito não quis revelar para onde a droga seria fornecida. “Ele alegou que era pra consumo próprio, mas a Polícia Civil vai investigar o destino das drogas cultivadas por ele. Encontramos também vários quilos de sementes, o que mostra que a plantação seria renovada e conseguimos desarticular esse local de cultivo.”, detalhou.

O suspeito foi autuado por tráfico de drogas e porte ilegal de armas na Delegacia da Polícia Civil, em Princesa Isabel. Ele deve ser encaminhado ainda nesta sexta-feira para a cadeia Pública no município.

 

Portal Correio