Arquivo da tag: participação

‘Peguei coronavírus dentro de casa’, conta Sikêra Jr. em participação ao vivo no ‘Alerta Nacional’

O apresentador Sikêra Jr. confirmou, em participação ao vivo no ‘Alerta Nacional’ nesta quarta-feira (29), que seu exame deu positivo para o novo coronavírus.

Ele contou que foi contaminado mesmo sem ignorar o isolamento social.

“A enfermeira que estava cuidado da minha esposa aqui estava com COVID, ela que passo pra nós. Aí tudo mundo pegou! O que vou fazer agora? O que deu devo fazer? Não tem pra onde correr, peguei dentro de casa!”, contou Sikêra Jr.

Sikêra Jr. desmentiu os rumores de que estaria com os dois pulmões comprometidos.

Na semana passada, ele passou mal e foi substituído na apresentação do Alerta Nacional, da RedeTV!. Na ocasião, ele fez um primeiro teste de covid-19 e obteve resultado negativo. Nesta quarta, ele apresentou o resultado da contraprova.

Sikêra Jr. pediu que o brasileiro “não subestime o coronavírus, como eu fiz, é mais sério do que eu imaginava”.

“É uma surpresa, né? A gente acha que só pega fogo na casa do vizinho, né? E a vida me deu essa lição. A gente não acredita enquanto não acontece com a gente, né? A gente não acredita. Enquanto acontece com o nosso vizinho, normal. Mas quando acontece conosco, a história é outra. E é isso. Estou aqui, apesar de tanta especulação”, disse ele, em entrevista ao “Alerta Nacional”.

“Agora estou bem, estou bem acompanhado. Estou tomando a medicação, seguindo à risca o que eles me orientaram. Pedi a Deus que eu passe por essa. É um vírus longo, a ciência está brigando para conseguir uma fórmula nova”, concluiu.

 

clickpb

 

 

Eleição 2020 eleva expectativa de participação das mulheres no processo eleitoral

O debate público a respeito dos obstáculos à representação feminina em espaços políticos decisórios tem crescido, especialmente, após interpretações recentes do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para além de reafirmar o imperativo da “Lei de Cotas”, que impôs aos partidos o mínimo de 30% e o máximo de 70% de candidaturas de cada sexo, determinou-se que os recursos do fundo eleitoral e o tempo de propaganda às mulheres sejam proporcionais à quantidade de postulantes. Para as pesquisadoras que compõem a Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (ABRADEP), é fundamental que os partidos estejam comprometidos com as candidaturas femininas, não só porque há um critério legal, mas porque este é um fator indispensável ao aperfeiçoamento e consolidação da democracia.

A acadêmica Ana Claúdia Santano, doutora em Direito, coordenadora regional para o Brasil da organização internacional Transparencia Electoral e membro fundadora da ABRADEP, reconhece avanços, embora destaque os desafios a enfrentar. “Mesmo em âmbito latino-americano, com histórico marcado pelo machismo, algumas políticas afirmativas de inclusão de gênero foram bem sucedidas na Argentina e no México, países com praticamente a paridade de gênero dentro das Casas Legislativas. No Brasil, dificilmente ultrapassamos 15% de representação, percentual muito abaixo da parcela feminina na população, que corresponde a mais da metade dos brasileiros”, avalia.

Ana Cláudia Santano ainda pondera que a sub-representação das mulheres no Parlamento, dentre outros fatores, decorre da ausência de oportunidades em espaços decisórios no interior dos partidos. “A Lei de Cotas é insuficiente quando as expectativas de candidaturas femininas não se convertem em candidaturas reais.  Mesmo com mais de 50% de filiadas dentro das agremiações, as mulheres ocupam posições de menor prestígio. É preciso democratizar a própria estrutura partidária para que as mulheres alcancem posições de destaque em órgãos diretivos, construam lideranças sólidas e consigam suporte para candidaturas viáveis”.

Incentivar a efetiva participação feminina nas eleições é uma preocupação compartilhada pela acadêmica Valéria Dias Paes Landim, professora, advogada, membro da ABRADEP, fundadora e presidente do Observatório de Candidaturas Femininas, projeto iniciado no Piauí e ampliado para outros estados do Brasil. “O Observatório é fruto da minha pesquisa de mestrado e configura-se como um instrumento de apoio à chegada de mais mulheres na política brasileira. Um dos maiores problemas que nós identificamos, referente à baixa representatividade feminina na política, é a ausência de informação no que diz respeito às campanhas eleitorais competitivas para mulheres. Nosso primeiro objetivo, portanto, é cumprir essa lacuna de formação, oferecendo cursos e treinamentos para capacitá-las como candidatas viáveis”.

Além de apoiar as pré-candidatas que têm o desejo de participar da disputa política, o Observatório de Candidaturas Femininas constitui-se como um canal para denúncias de candidaturas fraudulentas. “Nós precisamos, sim, aperfeiçoar a legislação eleitoral, mas não adianta criar normas se não há um trabalho de formação social coletiva. A observância ao cumprimento da lei deve ser acompanhada de um debate contundente, de forma a buscar resultados mais imediatos, pelo menos nessa década, em torno do aumento do número de mulheres na política brasileira. Independente das opções ideológicas ou pautas defendidas por cada partido, nós acreditamos que se a mulher tiver apoio, ela se insere. E isso é fundamental para podermos oxigenar o nosso sistema”, analisa Valéria Dias Paes Landim.

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), por intermédio da advogada e professora Daniela Borges, presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada (CNMA), reafirma a importância de estimular a capilaridade de iniciativas semelhantes. Destaca, neste sentido, o projeto Elas na Política, promovido na OAB Nacional e em várias de suas seccionais. “Nosso intuito é enfatizar a importância da presença de mais mulheres na política, especialmente, no Legislativo.  Além disso, estamos atentas aos partidos, para que eles cumpram as cotas, e aos projetos de lei que afetam a presença feminina nos espaços decisórios”, informa Daniela Borges.

A acadêmica Polianna Pereira dos Santos, presidente da Associação Visibilidade Feminina, mestre em Direito, assessora no Tribunal Superior Eleitoral e membro fundadora da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (ABRADEP), ressalta que a identificação histórica da mulher ao ambiente doméstico, aliado ao mito de que mulheres não são vocacionadas para a política, são desafios fundamentais a enfrentar.  “A presença da mulher no ambiente político diz respeito ao reconhecimento de que as instituições devem efetivamente representar a diversidade da população. Paralelo a isso, é necessário superar a identificação histórica do feminino à cultura do cuidado, associada apenas ao papel da mãe, tutora, encerrando a mulher em áreas específicas identificadas com o âmbito privado. Há demandas das mulheres que se tornam invisíveis no debate público justamente pela ausência feminina em espaços políticos”.

Para as eleições municipais de 2020, a expectativa é de aumento de efetivas candidaturas femininas. “A lei de cotas sozinha não resolve o problema, mas quando conciliada ao medo dos partidos de terem uma sanção semelhante a que o TSE deu no caso de Valença do Piauí, isso pressiona os partidos a adotarem um outro tipo de ação. Afinal de contas, se o partido não estiver atento para apresentar candidaturas de fato, e não candidaturas fictícias, ele corre o risco de ter toda a sua bancada prejudicada”, destaca a acadêmica Polianna Pereira dos Santos. No julgamento ocorrido em 2019, o Tribunal Superior Eleitoral, ao analisar caso específico em cidade no interior do Piauí, determinou a cassação de toda a chapa beneficiada com candidaturas femininas fraudulentas. Na ocasião, os ministros destacaram que a decisão abre um precedente que pode ser aplicado às eleições de 2020.

Quem Somos

Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político – ABRADEP – foi fundada no dia 20 de março de 2015, em Belo Horizonte-MG. Com sede em Brasília-DF, é formada por diversos profissionais das mais variadas formações (advogados, professores, juízes eleitorais, membros do ministério público, profissionais da comunicação social, cientistas políticos, entre outros) e tem como propósito fomentar um debate equilibrado, transparente, objetivo e qualificado sobre a reforma política, promovendo a difusão de temas referentes ao direito eleitoral e a intersecção entre direito e política.

 

Assessoria de Imprensa

 

 

Março tem previsão de queda de 34% no Fundo de Participação dos Municípios

A Secretaria do Tesouro Nacional (STN) prevê uma queda de 34% nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para o mês de março. Com isso, os 223 municípios paraibanos devem receber um total de R$ 226.174.548 já deduzidos os recursos destinados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Observando a situação fiscal do Brasil, o presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), George Coelho, destacou que o superávit de R$ 44 bilhões anunciado pelo Governo Federal no início do ano não se reflete nos repasses constitucionais.

“As contas do governo registraram superávit primário de R$ 44 bilhões em janeiro e na prática não estamos vendo isso nos repasses constitucionais, principalmente no FPM. Segundo o Tesouro Nacional, esse foi o maior superávit fiscal, para meses de janeiro, de toda a série histórica, que teve início em 1997, em valores corrigidos pela inflação. Ficamos felizes pela recuperação econômica do País, mas fazemos esse questionamento diante de uma realidade de dificuldades por que passam as prefeituras de todo o Brasil”, destacou George Coelho.

George afirmou ainda que a Federação atua com o objetivo de concentrar esforços, formar parcerias e criar condições para que os gestores possam desenvolver as ações necessárias ao exercício da plena cidadania. A redução do FPM preocupa a entidade que prevê ainda mais dificuldades financeiras neste início de ano.

A STN também prevê um aumento para o FPM de abril, mas os valores não superam a queda registrada em março. Para abril o crescimento é de apenas 5%. “Os aumentos não superam as constantes quedas dos repasses e precisamos estar sempre atentos aos gastos para garantir a manutenção dos serviços essenciais nos municípios. Está cada dia mais difícil administrar as finanças municipais e por isso, defendemos um novo pacto federativo”, destacou George Coelho.

 

Assessoria

 

 

Sessão Itinerante na Vila do Jaracatiá contou com grande participação popular

A Câmara Municipal de Bananeiras iniciou na última sexta (30), o projeto de Sessões Itinerantes do Biênio 2019/2020, um importante instrumento utilizado pelo Legislativo na promoção das ações dos parlamentares e na interação com a comunidade. As Sessões Itinerantes serão desenvolvidas ao longo do ano, atendendo as mais diversas comunidades, aproximando o Legislativo dos munícipes.

Na popularização das ações dos trabalhos legislativos, os vereadores Biu do Tabuleiro (PSB), Gilson Rosário (PP), Kilson Dantas (PSB) e Ramom Moreira (DEM) apontaram os requerimentos direcionados para aquela comunidade, especialmente os que foram atendidos, destacando a Unidade Básica de Saúde (UBS), a implantação da Coleta de Exames e calçamento.

Na Vila do Jaracatiá, os presidentes das Associações Severino e Ieda de Lima Nunes, o suplente de vereador Irajá e grande público da comunidade estiveram presentes, oportunidade que colocaram em pauta as questões que consideram prioridades para que a Câmara de Bananeiras passe a reivindicar.

Os problemas que envolvem a comunidade foram discutidos e quesitos a serem cobrados pelos parlamentares para aquela região são: o pleno funcionamento do hospital, melhorias no atendimento da UBS, manutenção das estradas vicinais, abastecimento de água e coleta de lixo.

“Pela primeira vez a Câmara de Bananeiras se instalou no Jaracatiá, oportunidade de documentar as opiniões e anseios da comunidade. Os encaminhamentos serão realizados e o Poder Legislativo irá cobrar para que os serviços sejam realizados”, disse Kilson Dantas.

Ascom-CMB

 

Deputado Chió destaca participação do Poder Legislativo em Missão na China

Durante participação em programas de televisão, na capital João Pessoa, nesta quinta-feira, 18 de Julho, o deputado Estadual Chió (REDE) destacou a participação do Poder Legislativo Estadual na missão paraibana que viajou à China, em cumprimento a um protocolo de intenções junto a grandes investidores.

O parlamentar foi o único deputado estadual a integrar a delegação paraibana, liderada pela vice-governadora Lígia Feliciano (PDT), que durante dez dias cumpriu extensa agenda nas cidades chinesas de Zhoushan, Hangzhou e Pequim. Além de buscar investimentos nas áreas de inovação, energias renováveis e tecnologia, a missão potencializou o turismo, e a produção agrícola e pesqueira paraibana.

“A presença do Poder Legislativo participando dessa construção foi e é muito importante. O nosso mandato segue com a responsabilidade de pautar nas Comissões e com os demais pares da Casa, a elaboração de todo um arcabouço legal que ofereça condições para a efetivação desses grandes investimentos, que irão gerar emprego e renda para o nosso povo”, avaliou o deputado Chió.

A missão paraibana cumpre um protocolo assinado pelo Governo Estadual junto aos chineses, que aguardavam uma delegação para visita técnica ao maior e mais produtivo estaleiro de reparos navais do mundo – o IMC YY, semelhante ao que deve ser implantado em Lucena, litoral norte do estado.

“A visita técnica foi essencial para que o Estado testemunhasse as condições essenciais de operacionalização e infraestrutura para um investimento desse porte. Além disso, o mapeamento das cadeias produtivas e do tipo de mão de obra necessária permitirá ao Estado investir em capacitações que garantam empregabilidade e renda local, a partir dos potenciais paraibanos em tecnologia e inovação”, acrescentou Chió.

Intercâmbio Estudantil

Nas entrevistas, o parlamentar, que é vice-presidente da Comissão de Educação da Assembleia, revelou que a missão concentrou esforços na efetivação de parcerias para intercâmbio estudantil. “Ficamos muito felizes ao constatar que os chineses estão interessados em incentivar estudantes brasileiros, inclusive, com custeio de bolsas de mestrado e doutorado. A delegação paraibana aproveitou para pautar a possibilidade de criação do Gira Mundo China, beneficiando também, alunos de nível médio e técnico em todo o estado”, concluiu o deputado Chió.

Fonte: Ascom Dep. Estadual Chió (REDE)

 

 

Projeto Academia de Lideranças debate participação das mulheres na política paraibana

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) apresentou, nesta segunda-feira (06), o projeto Academia de Lideranças – II Seminário A Política e as Mulheres, que visa promover a formação de políticas públicas na Paraíba e incentivar pessoas a entrar na política e participar de disputas eleitorais. A iniciativa foi do deputado Chió (Rede). Segundo ele, a ideia é qualificar os quadros que vão participar das eleições em 2020.

Chió explicou que o projeto teve início no município de Areia, no interior da Paraíba, e afirmou que o debate será realizado em outros municípios. Ele ressaltou a necessidade de discutir o tema para incentivar que mais mulheres participem da política no Estado.

“Esse encontro é essencial para que tenhamos uma política igualitária. A ideia da Academia de Lideranças é que a gente possa qualificar cada vez mais os quadros, que vão participar da política no próximo ano. Iniciamos essa formação em Areia com mais de 50 mulheres e temos visto que o problema é que falta suporte, falta incentivo para o engajamento delas”, disse o parlamentar.

Durante o evento, a coordenadora de Organização da Executiva Nacional da Rede Sustentabilidade, a ex-senadora Heloisa Helena, proferiu palestra para os participantes. Ela discutiu sobre estratégias partidárias para ampliar a participação do público feminino na política, falou sobre os desafios da mulher e o impacto da representação feminina na política.

“A gente sonha e luta todos os dias para que mais mulheres participem das instâncias de decisão política dos espaços de poder. Do mesmo jeito que tantas mulheres abriram caminhos para que muitas estivessem aqui, a gente continua lutando para garantir que mais delas participem da política. Sabemos que é muito difícil, porque há preconceito e machismo em todos os partidos. A dupla, tripla jornada de trabalho também impedem essa participação”, ressaltou Heloisa Helena.

Também participaram do encontro a vereadora Sandra Marrocos; a secretária executiva da Mulher e da Diversidade Humana, Lídia Moura; a prefeita de Pilões, Socorro Brilhante; a secretária das Mulheres da Fetag, Ivonete Leandro. O evento contou com líderes estudantis, integrantes de movimentos femininos, sindicalistas, donas de casa, servidoras públicas, vereadoras, empresárias e prefeitas, que compartilharam temas, dilemas e perspectivas de proposituras políticas femininas.

 

 

agenciaalpb

 

 

Prefeituras recebem R$ 43 mi de repasse do fundo de participação dos municípios

fpmAs 223 prefeituras paraibanas receberam ontem a terceira parcela do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) no valor de R$ 43.152.474,52. A antecipação contribuiu para que diversos prefeitos pagassem suas folhas de pessoal antes do Carnaval. Em valores brutos, isto é, incluindo a retenção do Fundeb, o montante é R$ 67.425.741,43. No mesmo período de 2016, os municípios receberam R$ 67.839.573,86.

De acordo com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) neste decêndio foi de R$ 13.485.148,29. Para a Saúde a destinação foi de R$ 10.113.861,21 e para o Pasep foi de R$ 674.257,41.

As mais cinco mil prefeituras brasileiras receberam R$ 1.717.144.413,09, já descontada o Fundeb. Em valores brutos, o valor repassado foi de R$ 2.146.430.516,36. De acordo com a série histórica do FPM, o 3º decêndio de fevereiro de 2017, comparado ao mesmo período de 2016, teve um crescimento bastante expressivo: 6,73% em termos nominais, ou seja, comparando os valores sem considerar os efeitos da inflação.

Conforme a CNM, quando se considera o valor real total dos repasses em fevereiro de 2017, levando em conta as consequências da inflação, o crescimento foi de 3,21% em relação ao mesmo período do ano anterior.

André Gomes /Correio da Paraíba

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Vital do Rêgo nega participação em atividades investigadas pela Lava Jato

vital-do-regoO ministro Vital do Rêgo (TCU) se manifestou nesta segunda-feira (5) sobre a ação da Polícia Federal, com apoio da Procuradoria Geral da República (PGR) e da Receita Federal,  que realizou mandados de busca e apreensão em sua casa e escritório.

O ministro  nega participação em qualquer atividade investigada pela Operação Lava Jato.

Na nota divulgada pela Secretaria de Comunicação do TCU, Vital do Rêgo disse que está  informando e vem colaborando com as autoridades.

Confira a nota na íntegra:

Com relação à diligência ocorrida na manhã de hoje, quero manifestar meu respeito e compreensão ao trabalho das autoridades competentes no exercício de suas funções legais.

Tenho certeza que a medida, cumprida com eficiência e urbanidade, vai confirmar que jamais tive qualquer participação nos fatos em apuração.

Quero renovar meu compromisso de irrestrita colaboração com as autoridades, naquilo que for necessário, dentro do que determina o devido processo legal e as regras que regem o Estado Democrático de Direito.
Atenciosamente,

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Repasse à PB do Fundo de Participação dos Estados cresce R$ 7 mi em 2016

dinheiroSegundo o Sindifisco-PB, de janeiro a outubro de 2015, a Paraíba recebeu do governo federal R$ 2 bilhões e 416 milhões, relativos às transferências do Fundo de Participação dos Estados (FPE). No mesmo período de 2016, as transferências relativas ao Fundo de Participação dos Estados totalizaram R$ 2 bilhões 423 milhões, um crescimento nominal superior a R$ 7 milhões de reais.

A Constituição Federal de 1988 determina que 21,5% da receita arrecadada com IR (Imposto Sobre a Renda e Proventos de Qualquer Natureza) e IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) sejam repassados pela União aos Estados e ao Distrito Federal. A distribuição dos recursos do FPE deve ser proporcional ao coeficiente individual de participação resultante do produto do fator representativo da população de cada Estado.

Os índices de repasse desse fundo são calculados pelo Tribunal de Contas da União.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

9º Encontro de Líderes conta com a participação do prefeito paraibano Douglas Lucena

douglasO Prefeito de Bananeiras, Douglas Lucena está em São Paulo onde participou nessa sexta-feira (25) do 9º Encontro de Líderes promovido pela Comunitas. Organização da sociedade civil brasileira, a Comunitas, tem como objetivo contribuir para o aprimoramento dos investimentos sociais corporativos e estimular a participação da iniciativa privada no desenvolvimento social e econômico do país.

Neste encontro, Douglas está representando os municípios de Bananeiras, Areia, Remígio, Solânea e Conde, juntamente com outros líderes para discutir os desafios na gestão pública municipal e a construção de uma Agenda Brasil.

O 9º Encontro de Líderes conta com a participação de líderes públicos, como Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República, e de vários importantes prefeitos do país, além disso, alguns dos maiores líderes empresariais, como Carlos Jereissati Filho, presidente do Iguatemi; Jorge Gerdau, presidente do conselho de administração do Grupo Gerdau; José Roberto Marinho, vice-presidente do Grupo Globo; Pedro Paulo Diniz, da Península Participações; Ricardo Villela Marino, vice-presidente executivo e membro do conselho do Itaú Unibanco; Roberto Setúbal, presidente do Banco Itaú; e Rubens Ometto, presidente do Conselho de Administração da Cosan, que participarão de rodas de conversa sobre “competitividade e planejamento de longo prazo nas cidades” e “inovação e engajamento da sociedade na gestão pública”.

Além de todos esses nomes de peso político e empresarial, o evento também traz Jan Gehl, arquiteto e urbanista dinamarquês especialista em criar “cidades para pessoas”. Ele construiu a sua carreira com base no princípio da melhora da qualidade de vida urbana através da reorientação do planejamento das cidades em favor de pedestres e ciclistas.

Para Douglas Lucena esse encontro propicia uma integração de altíssimo nível entre prefeitos e alguns dos atores econômicos mais importantes e influentes do país, que auxiliam gestões municipais com um modelo de governança que serve de exemplo para o país. Diretamente, por meio do Programa Juntos, mais de 48 milhões foram investidos nos últimos 4 anos em 12 municípios. É uma parceria muito promissora e os horizontes de nossa região se ampliam certamente. Nosso povo sentirá os efeitos positivos dessa articulação. Buscando sempre melhorias para a qualidade na gestão em meio ao processo de crise em que o país se encontra nos mostra o compromisso que a gestão tem com a população de Bananeiras.

Ascom-PMB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br