Arquivo da tag: parceiros

AFINK e parceiros desenvolvem ações para promover um Natal solidário para a população carente de Araruna e região

Desde o último dia 15 de novembro diversas entidades não governamentais, a exemplo dos bombeiros civis de Araruna (Araras Negras), realizam uma força tarefa na arrecadação de alimentos não perecíveis.

As ações ocorrem em Araruna e diversas cidades da região, o objetivo é proporcionar um natal diferente para diversas famílias que vivem em extrema carência.

Muitos tem acolhido de forma satisfatória os voluntários que estão realizando visitas e efetuando esse trabalho especial e isto é mais clara realidade de que a nossa gente se preocupa com o bem-estar do próximo.




Por: Marcos Lima

 

 

Segundo estudo, parceiros sabem quando orgasmo é fingido

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Há muito tempo, todos dizem que as mulheres conseguem com facilidade fingir orgasmo, mas um novo estudo canadense mostra que a história não é bem essa. Os especialistas dizem que a maioria das pessoas, independente do sexo, é capaz de perceber o nível de satisfação do parceiro, o que leva a crer que fingir ter prazer não convence tanto assim. As informações são do site inglês Daily Mail.

Os pesquisadores da Universidade de Waterloo, em Ontario, no Canadá, concluíram ainda que homens e mulheres têm o mesmo nível de percepção em relação à satisfação sexual do parceiro, façam eles parte de um casamento de muito tempo e tenham uma grande carga de intimidade ou tenham acabado de se conhecer.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Descobrimos que ter uma boa comunicação sobre os problemas na cama ajuda ainda mais as pessoas a verem o quanto o parceiro está feliz, mas mesmo quem tiver deficiência nesse quesito, ainda assim é possível avaliar a felicidade do outro apenas observando suas emoções”, explica Erin Fallis, estudante PhD do Departamento de Psicologia da universidade responsável pelo estudo.

Os profissionais entrevistaram separadamente homens e mulheres que responderam sobre suas satisfações na relação amorosa, sobre satisfação sexual e ainda sobre a comunicação sobre sexo e compararam os resultados.

 

TERRA

 

Sebrae e parceiros discutem Programa de Bovinocultura Leiteira e convívio com a seca

Projetos atendem a 228 produtores de leite de 58 municípios da Paraíba, com assistência em gestão, qualidade do leite e da reprodução animal

 

VacasO longo e agravante período de estiagem no ano passado, que deixou 171 cidades paraibanas em estado de emergência, diminuiu em torno de 50% o rebanho bovino da Paraíba. Com isso, a capacidade de produção leiteira também foi reduzida. Para que os produtores do Estado possam conviver com essa situação, técnicos do Sebrae, da Emepa, do IBS (Instituto Biosistêmico) e consultores, discutiram as estratégias de projetos e ações para um programa sustentável e rentável de convívio com a seca. As ações envolvem o mercado de lácteos, capacitação dos produtores em gestão das propriedades e da atividade leiteira, bem como as tecnologias de produção de palma forrageira, de nutrição animal, de silagem, de gestão estratégica dos recursos hídricos e de melhoramento genético e inseminação artificial dos rebanhos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Atualmente, o Sebrae Paraíba atua com cinco projetos, ao longo do Estado, atingindo 58 municípios das regiões de Pombal, Patos, Sousa, Guarabira e Campina Grande. Esses projetos atendem juntos a 228 produtores dessas regiões, que produziram cerca de 10 milhões de litros de leite no ano de 2012, cuja destinação divide-se entre agroindústrias de beneficiamento de leite e produção de derivados, como queijos, iogurtes, bebidas lácteas e também as pequenas queijeiras produtoras de queijos de coalho, manteiga e manteiga da terra.

“Apesar da estiagem, o mercado de lácteos continua aquecido e as agroindústrias paraibanas, se não conseguirem leite in natura no estado, continuarão adquirindo leite em pó, de outras regiões e do exterior” destacou o gerente de Agronegócios do Sebrae Paraíba, Antônio Felinto Neto.

Em uma das maiores áreas de gado leiteiro do Estado, o Cariri Oriental, ainda não houve grande diminuição da produção, no entanto, as reservas já estão se exaurindo, conforme relatou o gestor do projeto Leite e Derivados do Sebrae em Campina Grande, Rodrigo Azevedo. “Apesar das dificuldades, temos casos de sucesso na região de Barra de Santana, com alguns produtores incorporando tecnologia, diminuindo custos e evitando os prejuízos”, disse o gestor.

Nesse sentido foi destacada a construção de parceria com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap) para a doação de raquetes de palma, para a constituição de um campo de palma resistente à colchonilha do carmim em cada uma das áreas dos projetos.

Além dessas questões, os técnicos discutiram outras relativas à organização desses produtores para a aquisição de insumos como rações concentradas e sal mineral, a organização de mecanismos de negociação do mercado de bezerros, a recomposição de rebanhos por meio de métodos artificiais de inseminação e o acesso a crédito para investimento e custeio da produção.

“Na bovinocultura leiteira, precisamos trabalhar com um grande programa e não apenas com ações pontuais”, ressaltou o consultor do IBS, Fernando Gomes que atua na região da cidade de Pombal.

 

 

assessoria Sebrae para o Focando a Notícia

IBGE: 69% escolhem parceiros da mesma cor

O Censo Demográfico 2010 divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aponta que a maioria dos brasileiros prefere se casar com alguém da mesma cor ou raça. Ao todo, são 69,3% dos brasileiros de dez anos ou mais nesse grupo de pessoas. Em 2000, o índice era de 70,9%.

De acordo com o IBGE, esse comportamento foi constatado de forma mais forte dentre os grupos de brancos, com 74,5%. Entre os que se declaram pardos o percentual é de 68,5% e indígenas 65,0%.

Por fim, o instituto revela que entre os que se declaram pretos o percentual de homens que escolhem mulheres da mesma cor é de 39,9%, contra 50,3% de mulheres que escolhem os homens da mesma cor.

Band.com.br

Casamento pode revelar defeitos que parceiros não percebiam durante o namoro

Transformar uma pessoa carinhosa, por quem nos apaixonamos, em marido ou mulher continua sendo o caminho mais natural para muita gente. No entanto, dividir o mesmo teto não significa romance eterno. Pior: em alguns casos, o parceiro acaba mostrando um lado nada atraente, o que desperta a questão: “Foi com essa pessoa que eu me casei?”.

Há uma explicação para tamanha transformação: a atração inicial acontece, principalmente, inconscientemente. “Durante o namoro, em especial em seu início, existe a tendência em mostrarmos o que temos de melhor. Ou seja, agimos de maneira que, no nosso entendimento, o outro gostaria que agíssemos”, explica a psicóloga Juliana Morillo, especialista em terapia familiar e de casal pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica).

Para a psicóloga Marcella Almeida, da Clínica de Especialidades Integrada, muitas razões podem nos impedir de notar as verdadeiras características de um parceiro. “A mais comum é a necessidade de, durante o relacionamento, só enxergarmos aquilo que se deseja e criar uma fantasia ideal do ser amado, baseado no amor romântico”, diz. Por isso, ela afirma que a fase do namoro é fundamental para que um conheça bem o outro, as família e suas histórias. “Quando você percebe na pessoa amada algo divino, mesmo que os amigos e os parentes não vejam o mesmo, é uma boa dica para avaliar se estamos ou não fantasiando”, diz.

Além disso, ao iniciar um romance, buscamos características no outro que, por razões pessoais, são desejáveis e importantes existir. “É natural começar uma relação com a visão ofuscada pela empolgação de estar com alguém que nos atrai”, diz Juliana. Portanto, não se pode afirmar que uma pessoa omite más qualidades, afinal, o outro também não as quer enxergar. “Os defeitos e as virtudes já estavam ali, só não foram avaliados por quem idealizou algo diferente ou alimentou a crença de que alguma característica poderia ser mudada”, afirma a psicóloga Triana Portal.

O perfil real de uma pessoa só é realmente descoberto quando o casal passa por uma situação de estresse, segundo o psicólogo Maurício Pinto. “Com o tempo e de acordo com as circunstâncias, as pessoas podem mudar para melhor ou para pior, e é fundamental estar preparado para isso”, diz.

Convivência significa intimidade, o que faz com que você mostre quem realmente é. Com qualidades, aquelas que fizeram o outro se apaixonar, mas com defeitos também, não tão apaixonantes assim.

Uol