Arquivo da tag: paralisam

Professores da UEPB paralisam atividades nesta quarta-feira

Professores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) anunciaram, através de comunicado emitido na tarde desta terça-feira (3), que irão paralisar as atividades nesta quarta-feira (4) em manifestação para “obrar do Governo do Estado reposição salarial de 26,42% e respeito a autonomia da instituição”.

De acordo com o comunicado divulgado pela Associação dos Docentes da ADUEPB, além dos professores, o ato ambém terá a participação dos técnico-administrativos da instituição.

Confira trexto na íntegra:

PROFESSORES DA UEPB PARALISARÃO AMANHÃ (04/04) POR REPOSIÇÃO SALARIAL E RESPEITO A AUTONOMIA DA UNIVERSIDADE

Os professores da Universidade Estadual da Paraíba – UEPB paralisarão amanhã (04/04) suas atividades para cobrar do Governo do Estado reposição salarial de 26,42% e respeito a autonomia da instituição. A Associação dos Docentes da ADUEPB – ADUEPB realizará amanhã, a partir das 9h, um ato público na Praça dos três poderes, em João Pessoa, para cobrar as reivindicações.

A paralisação e o ato público de amanhã serão resultados de uma intensa mobilização dos professores que a ADUEPB vem realizando nas últimas semanas, nos oito campi da universidade. A atividade também terá a participação dos técnico-administrativos da instituição.

Os professores decidiram aderir à proposta de paralisação apresentada pela diretoria da ADUEPB após várias tentativas de abertura de diálogo com o Governo do Estado, que até agora não resultaram em nenhum encontro.

Desde o início de janeiro a ADUEPB apresentou sua pauta de reivindicações, na data base dos servidores estaduais, a Secretaria de Planejamento e Gestão e ao Gabinete do Governador, mas não recebeu nenhuma resposta.

Data Base

Na pauta de reivindicações da data-base, também entregue a Reitoria da Universidade, está inclusa a defesa inalienável da educação pública superior; Defesa da autonomia Administrativa e financeira da UEPB em conformidade com a lei 7.643 de 04 de agosto de 2004; Respeito ao orçamento da UEPB por parte do poder do governo Estadual e Investimento do governo Estadual na infraestrutura da UEPB.

Técnicos

Além dos técnico-administrativos da UEPB também participarão da paralisação e do ato público de amanhã, os técnico-administrativos de várias secretarias e órgãos da administração indireta do Governo do Estado, que desde o dia 28 de março estão em greve por tempo indeterminado, também por reposição salarial.

 

PB Agora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Servidores da justiça paralisam atividades na PB

Foto: Ednaldo Araújo/Divulgação/TJPB

Os servidores da justiça estadual paralisarão suas atividades, em toda a Paraíba, nesta segunda-feira  (12) e terça-feira (13), em protesto contra o não pagamento do reajuste salarial da categoria, pelo Tribunal de Justiça, referente à data-base de janeiro de 2018. A decisão de suspender as atividades foi tomada em assembleia geral realizada pelos servidores, no dia 27 do mês passado.

Com essa paralisação de advertência, ficam suspensos o cumprimento de mandados judiciais, as audiências e o atendimento aos advogados e ao público, em todo o estado. A partir das 14h, os servidores realizarão atos públicos nesta segunda-feira e amanhã, na Praça João Pessoa, na capital.

Amanhã haverá uma audiência entre os representantes das entidades que representam os servidores do Poder Judiciário, a exemplo da Associação dos Técnicos, Auxiliares e Analistas do Judiciário Estadual (Astaj) e a Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça (ASSTJE), com a presidência do Tribunal de Justiça (TJ/PB). Segundo o presidente da Astaj, José Ivonaldo, se não houver nenhum avanço nas negociações, os servidores poderão decidir por uma paralisação por tempo indeterminado.

José Ivonaldo disse ainda que a paralisação dos servidores também é contra o pagamento do auxílio moradia a juízes e desembargadores. “A reposição salarial dos servidores não aconteceu em consequência do auxílio-moradia dos juízes e desembargadores estaduais, na ordem de R$ 14 milhões por ano. O impacto é tão elevado que chega a comprometer os pleitos financeiros dos servidores, que ficaram prejudicados sem rereceber reajuste na data base”, disse Ivonaldo.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Servidores do Poder Judiciário paraibano paralisam atividades nos dias 12 e 13

A decisão foi deliberada em assembleia extraordinária das entidades representativas da categoria (Foto: Walla Santos)

Os servidores do Poder Judiciário paraibano paralisam as atividades nas próximas segunda e terça-feira, dias 12 e 13 de março. A decisão foi deliberada em assembleia extraordinária das entidades representativas da categoria.

A ASSTJE/PB e ASTAJ/PB comunicaram sobre a paralisação ao Tribunal de Justiça, ás diretorias das unidades judiciárias do estado, à Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional da Paraíba, Ministério Público Estadual e Governo do Estado da Paraíba. “Amanhã será comunicada a Defensoria Pública Estadual e solicitada à Prefeitura a utilização da Praça João Pessoa para a montagem das tendas que servirão de apoio para a concentração dos servidores durante a paralisação”, informou a ASSTJE (Associação dos Servidores da Secretaria do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba).

De acordo com a categoria, a mobilização se deve à “indefinição da presidência do Tribunal de Justiça quanto ao cumprimento do que determina a Lei da Data-Base”.

ClickPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Professores paralisam atividades contra reforma da Previdência

Os professores da UFCG paralisarão suas atividades no dia 19 de fevereiro em protesto contra a reforma da Previdência do Governo Temer. A decisão foi tomada em assembleia geral da categoria, realizada simultaneamente nos campi de Campina Grande, Sumé e Cuité. Os professores também participarão de várias atividades de mobilização durante o Carnaval e de um ato público, pela manhã, na Praça da Bandeira, em Campina Grande, a partir das 9h, no dia 19 deste mês.

A deliberação dos professores ocorreu após avaliação da conjuntura política pela diretoria da ADUFCG e por vários participantes da assembleia. A entidade sustenta que é necessário ampliar o esclarecimento e o alerta para os prejuízos que serão causados pela reforma, tanto aos trabalhadores da iniciativa privada quanto aos servidores públicos.

Sumé

No Campus de Sumé, os professores realizar atividades em conjunto com os movimentos sociais da região, com intervenções nas ruas da cidade e um ato público na feira, no dia 19. Também foi deliberado a organização de um comitê local de mobilização, a produção de um panfleto de esclarecimento a população sobre a reforma, a produção de áudios para a veiculação em carros de som e de faixas.  Será incorporada ao movimento a luta contra o fechamento das escolas rurais.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Bancários de agências de banco privado em João Pessoa paralisam atividades

(Foto: Walter Paparazzo/G1)

Oito agências do banco Santander em João Pessoa estão com os atendimentos paralisados nesta quarta-feira (20), segundo o Sindicato dos Bancários da Paraíba. De acordo com os grevistas, a paralisação é contra as medidas tomadas pelo banco de maneira unilateral que descumprem o acordo coletivo, em vigor até o dia 31 de agosto de 2018.

Em nota, o Banco Santander confirmou que uma manifestação sindical realizada esta manhã, tendo como pauta a reforma trabalhista e que essa paralisação “impediu a abertura de algumas agências e áreas administrativas do Banco. A instituição acrescenta que a situação está sendo normalizada”.

A partir das 8h (horário local), os bancários do Santander em João Pessoa realizaram uma concentração na superintendência do banco, na agência localizada na avenida Epitácio Pessoa, no Bairro dos Estados, na capital paraibana.

“Dentre as medidas prejudiciais à categoria bancária estão: o banco de horas ilimitado, a mudança na data de pagamento dos bancários do dia 20 para o dia 30, a partir de março de 2018 e também a alteração do pagamento do décimo terceiro salário”, informou o sindicato em nota.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Bancários da Paraíba aderem à Greve Geral e paralisam atividades no dia 28 de abril

(Foto: André Resende/G1)

Em assembleia realizada na noite desta quarta-feira (19), as bancárias e os bancários da Paraíba aprovaram, por unanimidade, a adesão da categoria à Greve Geral de 28 de abril, convocada pelas centrais sindicais, federações, a Frente Brasil Popular e a Frente Povo sem Medo.  A Greve Geral é contra as reformas trabalhista e previdenciária, a terceirização irrestrita, a reestruturação e o desmonte dos bancos públicos.

Bastante participativa, a assembleia congregou dirigentes e delegados sindicais, bancários comprometidos com a luta da categoria e representantes de outros sindicatos de trabalhadores, que vieram reforçar a mobilização rumo à Greve Geral do dia 28 de abril.

O presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcelo Alves, alertou que a adesão à greve geral é a única forma de tentar barrar os retrocessos promovidos pelo atual governo.

“Estamos nos preparando para fazermos uma das maiores greves já protagonizadas pela classe trabalhadora. Essa luta é geral e vem sendo construída com muita mobilização para que, através da pressão, possamos barrar esse retrocesso histórico, que compromete o emprego, a aposentadoria e o futuro dos nossos filhos e netos. A hora é agora; as bancárias e os bancários não aceitam nenhum direito a menos”, concluiu Marcelo Alves.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Servidores de cartórios paralisam serviços no dia 28 de abril em toda Paraíba

Também no dia 28 de abril estão previstos atos públicos no Fórum Cível Desembargador Mário Moacyr Porto​, em João Pessoa (Foto: Walla Santos)
Também no dia 28 de abril estão previstos atos públicos no Fórum Cível Desembargador Mário Moacyr Porto​, em João Pessoa (Foto: Walla Santos)

Os servidores de cartórios decidiram em assembleia paralisar suas atividades por três horas no dia 28 de abril. A assembleia aconteceu nesta segunda-feira (17) convocada pela Associação dos Técnicos e Analistas Judiciários da Paraíba (Astaj-PB).

De acordo com José Ivonaldo, presidente da Astaj-PB, A paralisação acontece como forma de adesão à Greve Geral dos Trabalhadores contra a Reforma da Previdência e a Trabalhista, propostas pelo governo de Michel Temer. O movimento grevista foi convocado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e por centrais sindicais que são contrários às propostas.

No dia 28 de abril o expediente nos cartórios em todo o Estado será pela manhã. A paralisação acontece das 10h às 13h. Também neste dia estão previstos atos públicos no Fórum Cível Desembargador Mário Moacyr Porto, em João Pessoa, e no Fórum Afonso Campos, em Campina Grande.

Ainda ficou determinado pelos servidores em assembleia que será feita uma campanha midiática contra a reforma. O movimento grevista dos trabalhadores é nacional e promete paralisação de várias categorias durante o dia 28 de abril, uma sexta-feira.

ClickPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Com salários atrasados e crise na empresa, funcionários da Rádio Rural paralisam atividades

radio-ruralSem receber salários desde novembro, os funcionários do departamento de jornalismo da Rádio Rural de Guarabira paralisam suas atividades durante toda esta quarta-feira (28) e a programação jornalística da emissora não deverá ir ao ar.

A informação foi confirmada na noite desta terça-feira (27) ao CartaPB por uma pessoa ligada à Rádio que informou que a decisão da paralisação foi tomada pois, além dos vencimentos atrasados, os profissionais não receberam o 13º salário e sofrem constantes “humilhações” por parte da direção da emissora.

Entretanto, a fonte – que pediu para não ser identificada – não quis revelar que tipos de “humilhações” são submetidos os profissionais, mas destacou, segundo ela, “incompetência” da atual gestora. “De nada sabe de nada entende”, disse apontando-a como “sem traquejo” para gerenciar a emissora.

Além disso, a fonte destacou que a Rádio Rural enfrenta uma crise administrativa e financeira, exemplificando pela falta de equipamentos e manutenção no prédio sede da emissora.

blogdoleoferreira

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Professores da UFPB paralisam atividades nesta quarta-feira (24)

ufpbOs professores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) paralisam suas atividades nesta quarta-feira (24). A decisão foi tomada pela maioria da categoria em rodada de assembleias realizada nos campi de João Pessoa, Areia, Bananeiras e Litoral Norte na última terça-feira (16).

Segundo o sindicato da classe, a paralisação é contra o golpe, pela saída do presidente em exercício Michel Temer e pela construção da greve geral, que é uma bandeira nacional que vem sendo discutida por sindicatos e centrais sindicais do País, apontando uma data de paralisação da comunidade da UFPB (professores, servidores técnico-administrativos e estudantes). A data ainda não foi definida.

Os professores também protestarão contra os possíveis cortes de verbas, que somados reduzirão em 55% os recursos destinados ao orçamento de 2017 da instituição.

manchetepb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Professores da rede estadual paralisam atividades nesta terça-feira

sala_de_aulaCerca de 450 mil estudantes da rede estadual de ensino vão ficar sem aula nesta terça-feira (23) devido à paralisação dos professores.

A categoria decidiu cruzar os braços por 24 horas como parte do calendário de luta dos docentes. Estão previstas ainda outras três paralisações neste ano: nos dias 21 de setembro e 26 e 27 de outubro.

O movimento, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Educação, tem a intenção de chamar a atenção do governo para o pagamento do piso nacional da categoria e pela aprovação do Plano de Cargos Carreira e Remuneração (PCR).

Já a Associação dos Professores de Licenciatura Plena da Paraíba (APLP-PB) organiza uma manifestação amanhã às 09h30,  em frente à Assembleia Legislativa.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br