Arquivo da tag: paraibanos

AL realiza sessão remota para aprovar calamidade pública em mais de 50 municípios paraibanos

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) vai realizar, nesta quarta-feira (8), às 10h, sessão extraordinária, de forma remota, para apreciar decretos de Calamidade Pública e de emergência encaminhados à Casa pelos municípios paraibanos, em virtude da pandemia do coronavírus (Covid-19). Os deputados também vão analisar e votar projetos de Lei relacionados a pandemia.

Mais de 50 municípios já decretaram situação de calamidade pública durante a pandemia, mas precisam da autorização da ALPB para homologar os atos. Os prefeitos que ainda não enviaram o decreto, podem encaminhar para o e-mail da presidência da Assembleia Legislativa com a seguinte descrição no título: DECRETO DE CALAMIDADE PÚBLICA – MUNICÍPIO (NOME DO MUNICÍPIO). O endereço do e-mail é o: presidencia@al.pb.leg.br

Entre o municípios que já enviaram o decreto de calamidade pública e de emergência para ser apreciados estão: Princesa Isabel, Camalaú, Alcantil , Alagoa Nova, Fagundes, Massaranduba, Junco do Seridó, Salgadinho, Boa Ventura, São Sebastião do Umbuzeiro, Catingueira, Lagoa Seca, Bayeux, Assunção, Desterro, Cabaceiras, Parari, Riacho de Santo Antônio, Pedra Lavrada, Alagoa Grande, Água Branca, Monteiro, Livramento, Brejo do Cruz, Pedras de Fogo, São José de Brejo do Cruz, São Sebastião de Lagoa de Roça, Cacimba de Areia, São Miguel de Taipu, Passagem, Umbuzeiro, Vieirópolis, São José dos Cordeiros, Caaporã, São João do Tigre, Paulista, Condado, Aroeiras, Belém de Brejo do Cruz e Jericó.

“O Poder Legislativo continua desempenhando suas atividades e se reunindo de forma remota. Esta semana vamos analisar projetos que possam amenizar os problemas do povo paraibano durante a pandemia. Iremos promover debates importantes para que possamos apreciar as matérias constantes na nossa pauta, fazendo a nossa parte”, disse o presidente da ALPB, Adriano Galdino.

A Casa ainda está recebendo mais pedidos, o que pode aumentar o número de cidades que devem declarar situação de calamidade pública. Adriano Galdino destacou que a ALPB cumpre seu papel em prol dos paraibanos e lembrou que neste momento de crise mundial é importante que todos deem as mãos. “Este é o momento de unirmos as nossas forças para combater o coronavírus”, ressaltou o presidente.

 

agenciaalpb

 

 

Prefeitos Paraibanos cancelam Circuito Junino do Brejo em decorrência de pandemia da Covid 19

Os Prefeitos das cidades de Bananeiras, Solânea, Belém, Borborema, Serraria e Caiçara decidiram em conjunto na manhã desta segunda (06) pelo cancelamento do Circuito Junino do Brejo 2020, em decorrência da pandemia causada pela Covid 19.

O aumento gradativo de casos em proporção mundial e seguindo o protocolo da Organização Mundial de Saúde (OMS), para que não haja aglomerações por no mínimo mais três meses à frente, foram abordados para que a decisão fosse tomada protegendo a população.

O cancelamento dos festejos acompanha outros municípios que com medidas similares, estão agindo com ações de prevenção para evitar a proliferação do vírus na região.

Ascom- Circuito Junino do Brejo

 

 

Prefeitas comandam 41 municípios paraibanos e entidade destaca qualidade de atuação das gestoras

A região Nordeste é a maior do Brasil com percentual de prefeitas (16%) e com o maior número absoluto: 288 prefeitas, diante de 1.505 prefeitos, conforme levantamento do Instituto Alziras. Os dados mostram que as mulheres representam 51% da população brasileira, mas apenas 12% governam prefeituras. Na Paraíba, dos 223 municípios, as mulheres comandam apenas 41, o que representa 18,4% do total. Diante dessa realidade, o Estado ocupa a quarta posição entre os estados nordestinos no número de mulheres à frente dos Executivos.

Nesse domingo (8), Dia Internacional da Mulher, a Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) destacou a capacidade e compromisso das gestoras com a população e reafirmou apoio por meio do Movimento de Mulheres Municipalistas (MMM).

“A Famup articulou a criação do Movimento de Mulheres Municipalistas e vem colaborando com a formação de novas lideranças. Precisamos de igualdade, de mais mulheres comandando municípios paraibanos, por isso, essa é bandeira que defendemos, principalmente para as eleições deste ano”, disse o presidente da Famup, George Coelho.

A prefeita de Monteiro e presidente do MMM, Anna Lorena, disse que o objetivo é fortalecer as práticas e ações que garantam um maior número de mulheres na política, principalmente nas eleições deste ano. “É preciso que as mulheres participem da política de forma direta, para que essa realidade no nosso Estado possa mudar. Hoje somos 41 prefeitas no Estado, mas nosso objetivo é mudar essa realidade nas próximas eleições. Precisamos ocupar os nossos espaços dentro da política e faremos, principalmente a partir de agora com a criação do Movimento de Mulheres Municipalistas”, afirmou.

Pesquisa – De acordo com o levantamento do Instituto Alziras, o número de prefeitas eleitas no Brasil caiu em comparação com as eleições anteriores. Foram 640 gestoras eleitas em primeiro e segundo turnos, 3% a menos que nas eleições de 2012. Do total de 5.568 municípios brasileiros, 68% não tiveram nem mesmo candidaturas de mulheres ao cargo de chefe do poder executivo local.

Atualmente, com 11,7% de mulheres à frente das prefeituras, o Brasil segue abaixo da média de 14,6% de Prefeitas nos países da América Latina, Caribe e Península Ibérica, de acordo com indicador calculado pelo Observatório de Igualdade de Gênero da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal).

A pesquisa, que ouviu 45% das 649 das prefeitas eleitas em 2016, mostra que as mulheres que estão à frente das prefeituras acumulam experiência na política em sua trajetória, têm mais anos de estudo do que os prefeitos homens e superam enormes desafios em municípios pequenos e sem recursos.

O Instituto – O Alziras é uma organização que tem o objetivo de desenvolver ferramentas para contribuir para o aumento da participação das mulheres na política. Para isso, entendemos ser fundamental compreender as experiências das mulheres na política municipal, pois ela é a porta de entrada e a base da construção de parte significativa das carreiras políticas.

Eleições – Em 2012, na Paraíba foram 49 mulheres eleitas para as prefeituras de suas cidades. Ou seja, de 2012 para 2016, dez mulheres deixaram de ocupar o cargo de prefeita nos municípios. O último pleito interrompe a sequência de crescimento da presença feminina nos poderes executivos municipais. Em 2004, foram eleitas 27 mulheres (12,1%) do total. Em 2008, este número cresceu para 36 (16,2%) e, em 2012, aumentou para 49 (22%), o maior índice da série histórica.

A primeira mulher eleita para comandar um município da Paraíba foi Dulce Barbosa, ex-prefeita de Queimadas, eleita na década de 1960. De lá para cá, houve uma evolução na participação feminina, porém, bem aquém do que seria adequado.

Confira as mulheres prefeitas na Paraíba:
Algodão de Jandaíra – Maricleide Izidro da Silva
Alagoinha – Maria Rodrigues de Almeida Farias
Areia de Baraúnas – Maria da Guia Alves
Barra de Santana – Cacilda Farias Lopes de Andrade
Belém – Renata Christinne Freitas de Souza Lima
Boa Ventura – Maria Leonice Lopes
Borborema – Gilene Cândido da Silva Leite Cardoso
Caldas Brandão – Nelma Rolim
Carrapateira – Marineide da Silva Pereira
Conde – Márcia Lucena
Coremas – Francisca das Chagas Andrade de Oliveira
Diamante – Carmelita de Lucena Mangabeira
Duas Estradas – Joyce Renally Félix
Fagundes – Magna Danas
Itapororoca – Elissandra Maria Conceição de Brito
Juarez Távora – Maria Ana Farias dos Santos
Livramento – Carmelita Ventura
Logradouro – Célia Maria de Queiroz Carvalho
Joca Claudino – Jordhanna Lopes dos Santos
Mamanguape – Maria Eunice do Nascimento Pessoa
Marcação – Eliselma Silva de Oliveira
Matinhas – Fátima Silva
Monteiro – Anna Lorena de Farias Leite Nóbrega
Natuba – Janete Santos
Ouro Velho – Natália Carneiro Nunes de Lira
Pilões – Socorro Brilhante
Pilõezinhos – Mônica de Sandro
Poço de José de Moura – Aurileide Egídio de Moura
Quixaba – Cláudia Marcário Lopes
Riachão do Poço – Maria Auxiliadora Dias Rego
São Bentinho – Giovana Leite Cavalcanti Olímpio
São Domingos de Pombal – Odaisa de Cassia Queiroga da Silva
São Domingos do Cariri – Inara Marinho Ferreira da Silva
São José de Princesa – Maria Assunção
São José do Bonfim – Rosalba Mota
São José do Brejo do Cruz – Ana Maria
São Vicente do Seridó – Maria Graciete do Nascimento Dantas
Santa Teresinha – Terezinha Lúcia Alves de Oliveira
Santo André – Silvana Fernandes Marinho
Serra da Raiz – Adailma Fernandes da Silva Lima
Sossêgo – Lusineide Oliveira Lima

 

pbagora

 

 

ALPB inicia trabalhos de 2020 com mensagem do governador e intensifica foco na relação com paraibanos

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) iniciou, nesta quarta-feira (5), a 2ª Sessão Legislativa da 19ª Legislatura. O presidente da Casa de Epitácio Pessoa, Adriano Galdino, anunciou que o parlamento estadual, em 2020, manterá o foco na proximidade com a população paraibana, através de eventos itinerantes, na eficiência da produção de matérias e na transparência pública.

Adriano Galdino afirmou que o trabalho do Poder Legislativo continuará sendo feito com o objetivo de trazer benefícios à população. Segundo o presidente, o foco também será em medidas que visam mais transparência para as ações da Casa. “Tivemos o ano de 2019 de muita produtividade e muito compromisso com a Paraíba. Os deputados demonstraram muito trabalho e determinação. Este ano não será diferente. Nós queremos competitividade, eficiência e transparência”, ressaltou.

Adriano Galdino garantiu pautar mais um ano de gestão na modernização do Legislativo Estadual, além da interação com os demais poderes. O deputado agradeceu aos parlamentares pela confiança e garantiu que permanecerá mantendo a boa relação com todos. “Vamos procurar o diálogo permanente com os poderes, pois são independentes e harmônicos, por isso precisamos estar juntos dialogando, ouvindo e aprendendo para que possamos enfrentar e solucionar os problemas do nosso estado”, disse.

O presidente disse ainda que a Casa continuará a realizar sessões itinerantes em todo o Estado para mostrar à população a função da Assembleia. “Esse ano estaremos presentes em diversas regiões do estado, com as sessões itinerantes para prestar conta do nosso trabalho e para que o povo paraibano conheça de perto o trabalho dos deputados”, afirmou o parlamentar.

Durante discurso, Galdino parabenizou os estudantes da Escola do Legislativo da Paraíba (Elegis) e destacou que este ano ocorreu uma aprovação recorde. Foram aprovados 60 % dos alunos do cursinho preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “Fico muito feliz em ver o curso do Poder Legislativo aprovar tantos alunos, com tanta eficiência, inclusive dois em medicina, um em sétimo lugar. Fico feliz porque sou fruto da educação e tenho muita consciência de que a arma que o pobre tem na vida é o saber, é o conhecimento”, comemorou.

Já o governador João Azevêdo, em sua mensagem ao Poder Legislativo, destacou que o Governo do Estado tem procurado caminhar ao lado da população e, segundo ele, o parlamento estadual, como representante do povo, tem acompanhado as ações desenvolvidas pela gestão nos âmbitos da Educação, Saúde, Segurança Pública e o desenvolvimento humano. “Contamos com esta Casa para muito mais realizações que tragam desenvolvimento ao Estado. O Poder Legislativo se materializa por meio da força das decisões de deputados e deputadas eleitos pela população, para que se estabeleça na convergência dos Poderes o necessário pacto pela governabilidade”, pontuou o chefe do Executivo estadual.

De acordo com João Azevêdo, o desenvolvimento da Paraíba em 2020 está assegurado com a aprovação da proposta orçamentária pelo Poder Legislativo. “A conquista da governabilidade pactuada com a Assembleia Legislativa é necessária para que possamos, através da estabilidade política, social, financeira e de gestão, continuarmos criando oportunidades para todos em nosso território. O financiamento de uma ação com planejamento e integrada de longo alcance já está assegurado, pois esta Casa aprovou a nossa proposta orçamentária a ser investida ao longo de 2020 em ações que fomentem o desenvolvimento”, analisou o governador.

Além da presença dos demais deputados e secretários estaduais, também estiveram na solenidade o presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), desembargador Márcio Murilo; o representante do Ministério Público da Paraíba (MPPB), sub-procurador geral de Justiça Álvaro Gadelha Campos; o defensor geral do Estado, Ricardo Barros; e o vice-presidente da Ordem do Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), João de Deus.

 

agenciaalpb

 

 

Quase um terço dos paraibanos tem alto risco de desenvolver doenças cardiovasculares

Por conta do estresse, da falta de dieta e obesidade, quase um terço dos paraibanos tem alto risco de desenvolver doenças cardiovasculares. É o que aponta uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Regional Paraíba.

Conforme o estudo, 32% dos paraibanos entrevistados possuem grandes chances de apresentarem problemas no coração. Estão representados na pesquisa 186 municípios paraibanos.

O levantamento, coordenado pelo médico cardiologista Antonio Eduardo Monteiro de Almeida, indica que outros 35,3% possuem risco intermediário e 32,7% apresentam risco baixo de algum problema cardíaco. As informações foram coletadas em quatro mesorregiões do estado: Agreste, Borborema, Mata e Sertão.

O levantamento registrou características sociais e comportamentais, fatores biológicos e hábitos nutricionais dos participantes. Na primeira fase, que se concentrou na aplicação de questionários, participaram cerca de 2.170 pessoas. Já na segunda etapa, aproximadamente 1.400 pessoas foram submetidas a exames clínicos.

A pesquisa também indica que o sedentarismo é o principal fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares entre paraibanos. Conforme o estudo, 65,6% dos entrevistados possuem maior probabilidade de apresentarem problemas no coração por não praticarem atividades físicas.

Entre as principais causas de problemas cardíacos também estão o histórico familiar, o tabagismo, o alto nível de colesterol ruim no sangue, obesidade, alterações da pressão arterial e doenças como a diabetes.

pbagora

 

 

Juízes paraibanos recebem mais de um salário mínimo em vale refeição

Levantamento feito pelo Jornal  ‘O Estadão’ aponta que os juízes paraibanos recebem mensalmente R$ 1.200 em vale refeição.

De acordo com o Estadão, o valor é bem acima do vigente no país para o Judiciário, que é de R$ 910 mensais.

Este valor também é bem acima ao que a União paga aos seus funcionários, que é de R$ 458 mensais, e ao salário mínimo de R$ 998, renda de muitos brasileiros.

Além da Paraíba, juízes de outros 23 estados ganham em vale refeição bem acima de um salário mínimo. Apenas Rio Grande do Sul, Paraná e Maranhão pagam abaixo desse valor.

MaisPB

 

 

Mais de 40 municípios paraibanos não conseguirão fechar as contas deste ano

Levantamento da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), publicado nesta sexta-feira (13), aponta que pelo menos 44 municípios paraibanos não conseguirão fechar as contas deste ano. Outros 67 ainda não sabem se fechar as contas será possível, pois estão dependendo de receitas extras. O levantamento considera 160 municípios paraibanos que responderam a pesquisa, sem revelar quais foram eles.

Pelo menos 86 municípios paraibanos deixarão restos a pagar para o próximo ano. As dificuldades financeiras também refletem no pagamento de fornecedores, que está atrasado em 104 dos 160 municípios pesquisados.

Para se adequar à crise, os municípios já tomaram diversas providências, conforme aponta o levantamento: 125 deles reduziram as despesas de custeio, 102 reduziram cargos comissionados e 99 reduziram o quadro de funcionários.

Além disso, 55 municípios desativaram veículos; 51 alteraram o horário de expediente dos órgãos municipais; 37 desativaram equipamentos; 13 reduziram salários de prefeitos e vereadores e 12 suspenderam a prestação de alguns serviços.

Veja a pesquisa completa aqui.

 

clickpb

 

 

LBV mobiliza Paraibanos em prol de famílias pobres neste Natal

Instituição promove ação solidária para arrecadar alimentos
A Legião da Boa Vontade promove, anualmente, a sua tradicional campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!. A iniciativa visa angariar alimentos para compor as cestas que serão entregues a milhares de famílias em situação de vulnerabilidade social nas cinco regiões brasileiras.
A ação complementa o trabalho que a LBV realiza ao longo do ano, por meio de serviços e programas socioeducacionais que promovem diariamente o desenvolvimento de crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos.
Neste ano, a nossa meta é entregar mais de 40 mil cestas, e temos a certeza de que, com a sua doação, a LBV garantirá o alimento na mesa dessas famílias, proporcionando a elas um Natal digno, sem fome e feliz. Por isso, a sua Solidariedade é o maior presente que essas famílias podem receber, pois, em cada cesta, além do alimento fundamental para o sustento delas, há sorriso, amor e esperança, para que elas se sintam fortalecidas e possam lutar pelos seus direitos.
 
No Estado da Paraíba, a LBV vai assistir mais de mil famílias em situação de pobreza da zona rural de Alagoa Grande, Dona Inês, Sapé e centenas de pessoas assistidas pela Instituição em Campina Grande e João Pessoa.
Quer saber como ajudar? Acesse agora www.lbv.org e doe quantas cestas puder! Informações pelo telefone (83) 3198.1500, unidade da Instituição em João Pessoa.
Siga, curta e compartilhe as ações da LBV nas redes sociais no endereço: LBVBrasil no Facebook, no Instagram e no YouTube.

 

Por dia, três paraibanos descobrem que têm tuberculose e especialista afirma que doença não só atinge ‘grupo de risco’

Transmitida pelo ar por meio da tosse, a tuberculose, doença causada pelo microorganismo chamado Mycobacterium tuberculosis, também conhecido como bacilo de koch, fez três vítimas por dia na Paraíba. Um total de 1.104 pessoas foi diagnosticado com a doença no ano passado, segundo a Secretaria de Estado da Saúde. Neste domingo (17), Dia Nacional de Combate à Tuberculose, o infectologista do Hapvida em João Pessoa, Fernando Chagas, aproveita a data para desmistificar algumas questões sobre a patologia e alertar que o tratamento deve começar de imediato e que a doença não atinge só “grupos de risco” como ainda está presente no imaginário das pessoas.

“A tuberculose é uma doença muito presente, que carrega muitos rótulos baseados em preconceitos e estigmas. A melhor forma de acabar com isso é, realmente, identificar e tratar quem está acometido. A doença pode acometer qualquer pessoa”, afirma o especialista que explicou ainda que a doença tem cura, sendo o mais importante iniciar o tratamento assim que for diagnosticado e permanecer em uso da medicação pelo tempo necessário.

Fernando Chagas esclarece que o diagnóstico é dado pela análise do escarro. “Existe um exame barato e rápido chamado baciloscopia de escarro, na qual é detectado na análise do escarro. O diagnóstico também pode ser feito pela biopsia e exames de imagem, como radiografia e tomografia computadorizada”, elenca.

A tuberculose pulmonar causa uma infecção que pode durar meses ou anos e vai destruindo, pouco a pouco, o pulmão. O médico esclarece que os sintomas iniciais podem ser tosse prolongada, durando mais de 30 dias, que pode ser seca, mas na maioria das vezes é produtiva, ou seja, com secreção. Surgimento de febre no final da tarde – esta também pode durar meses –, perda de pesa, podendo o indivíduo perder 10 kg em seis meses ou até mais. Além de fraqueza e falta de apetite.

Consequências – O médico infectologista Fernando Chagas destaca que a tuberculose acometendo os pulmões pode deixar sequelas. Dentre as quais o risco de sangramento, destruição do tecido pulmonar e cavitações nos pulmões. “Todos estes refletem uma vida de acompanhamento e cuidados do paciente com a saúde, porque fragiliza muito o sistema respiratório”, afirma.

Além disso, o especialista alerta: “Todo paciente com tuberculose deve fazer o exame do HIV, porque a tuberculose é ainda a doença que mais mata entre os portadores desse vírus”, conclui.

 

Assessoria de Imprensa

 

 

Compras de Natal: 66% dos paraibanos pretendem presentear na data

O Natal é época de se confraternizar e de presentear também. É o que pretende fazer 66,27% dos paraibanos entrevistados pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas Econômicas e Sociais da Paraíba. A Pesquisa de Intenção de Compras para as Festas de Fim de Ano 2019 mostrou que houve um aumento de 3,47p.p. em relação ao Natal do ano passado, quando a intenção de presentear foi de 62,80%. O resultado deixa o comércio otimista para a data considerada a mais importante para o setor.

Segundo o Presidente da Fecomércio Paraíba, Marconi Medeiros, a economia brasileira vem apresentando sinais de recuperação. “A queda nas taxas de juros e na inflação, junto com as medidas que vêm sendo tomadas pelos governantes, nos últimos meses, está trazendo de volta o otimismo de consumidores e empresários e boa parte deste otimismo deve ser direcionado para as compras neste Natal”, ressaltou.

Para este ano, os que mais receberão presentes serão os filhos, indicados por 50,54% dos consumidores, seguidos pelos namorados ou cônjuge (44,80%). Também têm aqueles que vão se presentear (37,28%), os que vão dar presentes à mãe (32,62%), ao pai (15,41%) e a amigos (11,11%).

Produtos, gastos e formas de pagamento

Por mais um ano, as peças de vestuário e os calçados ficaram como as principais opções de presente, citados por 65,38% e 25,74% dos entrevistados. Em seguida aparecem eletrodomésticos e eletroeletrônicos (17,75%), brinquedos (15,98%) e perfumes (10,36%). Em média, o gasto com presentes de fim de ano deve ficar em torno de R$279,55, por consumidor, uma leve retração de 1,35% em comparação ao ano passado. A maioria dos entrevistados (29,29%) pretende gastar em torno de R$100 com as compras, já 26,92% preferem comprar presentes entre R$101 e R$ 250. Nota-se que apenas 6,51% dos entrevistados pretendem gastar acima de R$ 800. E em relação à forma de pagamento, a preferência dos consumidores é o pagamento a prazo, citado por 60,06%. Destes, a maioria (98,52%) utilizará o cartão de crédito. O pagamento à vista foi citado por 39,05%, sendo que 63,64% destes pretendem pagar em espécie, dependendo do desconto oferecido pelo lojista.

Local, período de compras e situação financeira

            As compras em shoppings centers, mais uma vez, apareceu como as preferidas, apontadas por 64,79% dos entrevistados, enquanto 52,96% buscarão os presentes nas lojas do Centro da capital. As compras via internet obtiveram a terceira maior indicação, com 13,61% do total de local citado para efetuar as compras natalinas. Esta preferência pela internet vem crescendo a cada ano e apresentou alta de 3,10 p.p.

A maioria dos consumidores realizará suas compras em dezembro, sendo 45,27% no início e 19,53% na semana do Natal. Esse grupo afirma que deixará as compras para uma data mais próxima do Natal na expectativa que aumentem as ofertas. Já 31,66%, que buscam lojas mais vazias, realizarão as compras ainda no mês de novembro ou antes, também por já aproveitarem a Black Friday. Por outro lado, 2,96% de respondentes vão aguardar as liquidações que normalmente acontecem em janeiro para realizarem as compras.

Quando questionados sobre a situação financeira, 42,35% dos respondentes afirmaram estar em situação financeira semelhante a que tinha em 2018. Já um grupo de 32,55% de respondentes afirmou se encontrar em situação financeira pior, devido à queda na renda (43,37%), desemprego do próprio entrevistado ou de algum membro da família (34,34%) e dívidas (30,12%).  Por outro lado, 25,10% afirmaram estar em situação melhor, pois houve aumento da renda (88,28%) e surgimento de novos empregos para algum membro da família (11,72%).

13º salário

As compras natalinas devem ser o principal destino do 13º salário da maioria dos consumidores este ano, totalizando 50,17% dos entrevistados, resultado superior ao do ano passado em 13,02p.p. Em seguida, aparecem os que pretendem usar o dinheiro para o pagamento de dívidas (30,80%) ou que pretendem economizar (43,25%). Como é possível a utilização do 13º para diferentes fins, o somatório das respostas ultrapassa os 100%.

Perfil do consumidor

A maioria dos consumidores respondentes é do sexo feminino (50,98%). Em relação ao estado civil, os solteiros aparecem em maioria, com 44,12%, seguidos pelos casados ou em regime de união estável (41,96%). Os entrevistados têm, em sua maioria, entre 21 e 26 anos (21,96%), seguidos por aqueles com idades entre 33 e 38 anos (18,04%). A maior parte dos entrevistados possui Ensino Médio completo (37,45%), seguidos pelos que possuem Superior completo (27,25%) e Superior incompleto (19,80%).

No que diz respeito à faixa de renda, os que recebem entre um e dois salários mínimos aparecem na frente, com 30,98% do total, seguidos por quem recebe até um salário mínimo (22,55%) e os que não possuem renda (17,65%), que são as pessoas que estão fora do mercado ou não possuem ocupação remunerada, dependentes financeiros ou estudantes. O menor número de entrevistados tem renda maior que dez salários mínimos (2,34%).

A maior parte dos entrevistados trabalha em empresas privadas (36,08%), seguidos pelos autônomos/profissional liberal (14,31%), estudantes (12,35%), funcionários públicos (10,98%), aposentados e pensionistas (9,02%) e desempregados (8,82%).

Metodologia

            Foram entrevistadas, aleatoriamente, 510 pessoas (maiores de 18 anos e residentes) nos pontos onde há um maior fluxo de consumidores na Região Metropolitana de João Pessoa, entre os dias 17 e 25 de outubro. A pesquisa tem um índice de confiança de 95% e um erro amostral de 4,33%. A sondagem se baseia em questionário estruturado, constituído, em sua maioria, por questões fechadas. A Pesquisa de Intenção de Compras para as Festas Natalinas é realizada pela Fecomércio desde 2004.

 

Assessoria de Comunicação