Arquivo da tag: país

Casos de dengue crescem aproximadamente 432% no País

Mesmo dois meses após o fim do verão, a doença no País ainda preocupa: do início do ano até o último dia 11, o total de registros foi 432% maior, ante o mesmo período de 2018. O salto foi de 144 mil casos prováveis de infecção para 767 mil suspeitas reportadas. As mortes pelo vírus também saíram de 88 a 222. O número de infectados explodiu em 20 Estados e no Distrito Federal.

Há quatro sorotipos do vírus. A epidemia e a incidência maior nesses Estados são explicadas pela disseminação do tipo 2, diz o coordenador-geral dos Programas Nacionais de Controle e Prevenção da Malária e das Doenças Transmitidas pelo Aedes do Ministério da Saúde, Rodrigo Said. “As últimas epidemias foram pelos vírus 1 ou 4”, diz.

“Esse sorotipo (2), que circulava pouco e por isso havia pequena proteção imunológica, voltou agora e deixou a população mais suscetível.”

O clima, segundo Said, também tem papel importante. Chuvas intensas nas últimas semanas fizeram larvas do mosquito transmissor, o Aedes aegypti, eclodirem. Além disso, temperaturas mais altas criam condições favoráveis ao inseto.

“Enquanto não esfriar para valer, os casos vão continuar”, diz Regiane de Paula, do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde de São Paulo. O fenômeno climático El Niño, segundo ela, está fazendo com que o frio demore mais a entrar este ano no Sudeste.

Com a expectativa de inverno tardio e curto, cresce a necessidade de manter ações contra criadouros de Aedes. Segundo o ministério, mais de 80% dos mosquitos vêm de áreas residenciais. Outras cidades mantiveram no outono o uso do inseticida (fumacê). A estratégia, para matar o Aedes adulto, é considerada menos eficaz que eliminar a água parada, que evita o nascimento do transmissor.

O ministério diz ter 300 mil litros de inseticida vencidos e que, segundo informações preliminares recebidas esta semana, não estão adequados para uso. Segundo Said, as amostras desse produto foram encaminhadas a um laboratório credenciado, mas as respostas recebidas esta semana não foram favoráveis ao uso do produto.

Distrito Federal

Tão logo apareceram os primeiros sintomas, a ex-senadora Marina Silva (Rede) procurou um hospital em Brasília. As dores fortes pelo corpo e na cabeça ajudaram a antecipar o diagnóstico confirmado mais tarde por exame: dengue. Na capital do País, onde as ocorrências aumentaram mais de 1.200%, o governo espalhou seis postos temporários em áreas de maior incidência. Lá, são aplicados testes e há assistência prestada por médicos, enfermeiros e técnicos.

Infectada pela segunda vez por dengue, Marina ficou três dias internada na última semana. No Twitter, lembrou ser “mais uma entre milhares”. Segundo a assessoria de imprensa da ex-senadora, ela passa bem.

A nova infecção, como ocorreu com Marina, traz risco ainda maior. “A disposição sucessiva ao vírus e uma segunda infecção podem ocasionar manifestações mais graves e até óbito”, alerta Said, do ministério.

Cuidado e riscos

Prevenção: A maioria dos focos de Aedes está em casas. É importante evitar acúmulo de água em garrafas, vasos, calhas, lajes e piscinas, onde ele coloca ovos.

Condições: A permanência de chuvas e temperaturas mais altas favorece a reprodução do mosquito e leva à necessidade de ficar atento aos criadouros mesmo após o verão.

Sintomas: Dores no corpo e de cabeça, cansaço, febre alta e manchas na pele são comuns entre os infectados. Em casos mais graves, pode haver sangramento por nariz ou boca, além de vômito contínuo.

Outras doenças: Aedes também transmite os vírus da zika e da chikungunya, cujos sintomas podem se confundir com os sinais da dengue.

 

 

wscom

 

 

Pais de bebê de nove meses estuprada na Paraíba são presos

Foram presos na tarde desta quinta-feira (30), os pais da criança de 9 meses  que morreu após ser estuprada, em Soledade, no Cariri paraibano. Eles foram presos no município de São José do Sabugi.

Segundo informações policiais, eles foram  levados para a delegacia de Polícia Civil de Soledade para que o delegado responsável tome as providências cabíveis.

A criança morreu após ter convulsões e ser levada para o Hospital de Soledade. Exames cadavéricos apontaram que ela foi estuprada antes de morrer.

 

Portal WSCOM

 

 

Parceria entre a Casa do Empreendedor e Banco Itaú é a primeira do tipo para a concessão de microcrédito no País

Uma parceria inovadora em comemoração aos seis anos de atividades da Casa do Empreendedor foi marcada por parcerias. A união com o Banco Itaú, anunciado na ultima sexta (26) em Bananeiras, torna-se pioneira  no País, onde a concessão  do microcrédito será realizado por um banco privado a uma instituição pública, fomentando ainda mais a economia local.

Com o intuito de fortalecer a economia do município através do apoio aos micro e pequenos empreendedores, foi criado um ambiente favorável a esses negócios, através da qualificação profissional, da desburocratização dos serviços, da facilitação do acesso ao crédito e à informação. Aplicando cerca de R$ 2 milhões na microeconomia local, contemplou 648 micro empreendedores em diversos segmentos durante este tempo.

A Gerente Nacional do Micro crédito do Banco Itaú, Simone Gallo esteve no evento que consolidou a parceria com a Casa e fortalecendo juntamente com o Empreender Paraíba e o Sebrae  o fomento econômico na região.

O Prefeito Douglas Lucena, destacou que em seis anos a Casa do Empreendedor tem dado a possibilidade de muitas pessoas se tornarem independentes e construírem seus negócios de forma sólida. Destacou ainda, que a Parceria com o Governo do Estado da Paraíba e agora com o Banco Itaú tem sido o fator determinante para o sucesso das ações da Casa do Empreendedor.

Ascom PMB

 

 

Quatro idosos são maltratados por hora no país

Falta de políticas públicas, valorização do idoso e capacitação profissional são algumas causas apontadas por especialistas

Nos últimos 77 anos, a expectativa de vida do brasileiro aumentou 30,5 anos. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país tem hoje mais de 30 milhões de idosos e projeções do órgão apontam para um aumento ainda mais significativo nas próximas décadas, fazendo com que a pirâmide etária brasileira se altere e faça da população idosa maioria.

Com isso, para atender plenamente os idosos, se faz necessário corrigir estruturas do estado brasileiro como a Previdência Social e o Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, mais do que as reformas, é preciso uma discussão ampla sobre a importância dos idosos para o país. É exatamente isso que propõe um estudo científico desenvolvido pelas alunas Letícia Staroski Machado e Letícia Costa de Oliveira, do curso de Direito do Centro Universitário Uninter.

As autoras constataram um dado alarmante de que, em média, quatro idosos são maltratados por hora no Brasil. Segundo o professor de Direito Internacional da Uninter, Eduardo Gomes, orientador do estudo, isso acontece pois, “além dos problemas demográficos já conhecidos, falta consciência da sociedade civil e fiscalização do poder público”.

Além dos maus-tratos e ineficiência do estado, especialistas apontam a falta de profissionais capacitados como um dos motivos para essa realidade. O curioso é que o mercado para cuidador de idosos, segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), foi o que mais cresceu no Brasil, passando de 5.263 em 2007 para 34.051 em 2017 – o que representa uma alta superior a 500%.

De acordo com o professor Cristiano Caveião, coordenador do curso de Gerontologia (Cuidador de Idosos), apesar do aumento de profissionais, a necessidade de mais especialistas fica evidente a cada dia que passa. “O número de cuidadores não acompanha o aumento de idosos e cada vez mais precisamos de gente capacitada para, além de cuidar, também orientar, proteger e reinserir essa população na sociedade”, explica Cristiano.

O professor esclarece que o curso aborda temas que formarão um profissional com as necessidades do mercado de trabalho. “Alguém que, além de cuidados básicos, possa orientar quanto à qualidade de vida, direitos, promoção de saúde, e também ser gestor de instituições de serviços voltados a esse público”, diz.

O curso

Com duração de dois anos e na modalidade EAD, o curso de Gerontologia possui em sua grade matérias voltadas para o processo de envelhecimento humano (anatomia, fisiologia e epidemiologia) entre outras, como psicologia, ética e fundamentos de direito. Um destaque especial ocorre para a matéria de empreendedorismo, que estimulará o profissional a inovar na área com a criação de novos negócios para o público idoso.  Acesse www.uninter.com.br e saiba mais.

Sobre o Grupo Uninter

O Grupo Uninter é o maior centro universitário do país, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e a única instituição de ensino a distância (EAD) do Brasil recredenciada com nota máxima pelo Ministério da Educação (MEC).  Sediado em Curitiba (PR), já formou mais de 500 mil alunos e, hoje, tem mais de 210 mil alunos ativos nos mais de 200 cursos ofertados entre graduação, pós-graduação, mestrado e extensão, nas modalidades presencial, semipresencial e a distância. Com mais de mil polos de apoio presencial, estrategicamente localizados em todo o território brasileiro, mantém cinco campi no coração de Curitiba. São 2 mil funcionários trabalhando todos os dias para transformar a educação brasileira em realidade. Para saber mais, acesse uninter.com.

Na foto, da esquerda para direita: Letícia Costa de Oliveira e Letícia Machado.

 

Assessoria de imprensa 

 

Brasil é o país com o maior nº de mortos por arma de fogo

O Brasil é o país com o maior número de mortos por arma de fogo no mundo, totalizando 42 mil casos em 2016, revelou uma pesquisa da Universidade de Washington, nos Estados Unidos.

O estudo, intitulado “Global Mortality From Firearms”, analisa todas as mortes causadas por armas de fogo no mundo (homicídios, suicídios e incidentes) entre os anos de 1990 e 2016, baseando-se nos dados do Estudo Global da Carga de Doenças, programa sobre mortalidade realizado pela mesma universidade.

O Brasil é o país com o maior número de mortos por arma de fogo no mundo, totalizando 42 mil casos em 2016, revelou uma pesquisa da Universidade de Washington, nos Estados Unidos
O Brasil é o país com o maior número de mortos por arma de fogo no mundo, totalizando 42 mil casos em 2016, revelou uma pesquisa da Universidade de Washington, nos Estados Unidos

Foto: Markus Schnessl / iStock

A análise afirma que, nos últimos anos, os mortos por arma de fogo no mundo aumentaram, e mais da metade dos casos (51%) se concentram em seis países: Brasil, Estados Unidos, México, Colômbia, Venezuela e Guatemala.

Calcula-se que que 251 mil pessoas morreram por armas de fogo em 156 países recenseados durante o ano de 2016, contra 209 mil mortes em 1990. O Brasil lidera a classificação de 2016, com 42 mil mortos, seguido pelos Estados Unidos, com mais de 37 mil. Já o México, Colômbia e Venezuela contabilizam entre 10 e 20 mil cada, e a Guatemala conta pouco mais de 5 mil.

No geral, 64% dessas mortes foram causadas por homicídio (sendo que o Brasil contabiliza um quarto desse total), 27% por suicídio e 9% por incidentes.

De acordo com os pesquisadores, a maioria das mortes se deu em países onde não há guerra em território nacional. “Ainda que pelo aumento da população, a taxa de mortes a cada 100 mil habitantes tenha ligeiramente caído, o número absoluto continua muito alto”, explicou Mohsen Naghavi, um dos estudiosos. “As mortes por arma de fogo são um problema de saúde pública”, concluiu.

Ansa

Bancários de todo o país entrarão em greve na segunda-feira

Segundo o sindicato, 88% dos bancários votaram por participar de paralisação (Marcelo Camargo/Agência Brasil/Agência Brasil)

Os bancários anunciaram uma greve na segunda-feira (19) em uma mobilização contra a retirada de direitos trabalhistas e o fim da aposentadoria. Na capital paulista, há um ato público marcado para às 16h, em frente ao Masp, na Avenida Paulista.

“Bancários aprovaram, em assembleias, a participação na greve contra a retirada de direitos. Vamos às ruas lutar contra o fim da aposentadoria e flexibilização das leis trabalhistas”, disse Ivone Silva, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região.

Durante os dias 8, 9, 14 e 15 de fevereiro o Sindicato informou ter percorrido centenas de locais de trabalho com o objetivo de realizar assembleias nas quais os bancários definiram posição sobre paralisar as atividades no dia 16.

Segundo o Sindicato, 88% dos votantes disseram sim para a paralisação que atingirá agências em todo o Brasil.

Centrais sindicais confirmam greve geral no dia 19 contra reforma da Previdência

CUT afirma que agora é a hora de intensificar a pressão, apesar de a reforma na aposentadoria ter sido praticamente engavetada no Congresso por causa da intervenção no Rio de Janeiro (na Gazeta do Povo)

As centrais sindicais não cogitam cancelar a greve geral de segunda-feira (19), apesar de a reforma da Previdência ter sido praticamente engavetada no Congresso após o anúncio da intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro nesta sexta-feira (16). Pelo contrário, a ordem é intensificar a pressão sobre o governo de Michel Temer.

“A pressão precisa ser ampliada neste momento, pois essa é única maneira de garantir que não mexam na aposentadoria dos trabalhadores e trabalhadoras”, disse, em nota, o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas. “A nossa luta é para enterrar de vez a reforma. E uma das estratégias é realizar uma forte mobilização no dia 19, com greves e paralisações, além de intensificar as ações nas ruas e nas redes”, completou.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC paulista, por exemplo, anunciou que a paralisação está mantida para o dai 19, já que o “risco da reforma persiste” e a mobilização se mantém, principalmente após Temer afirmar que, quando a reforma da Previdência estiver pronta para ser votada no Congresso, pretende cessar a intervenção.

A PEC da reforma previdenciária estava na pauta da Câmara da próxima semana, mas foi retirada depois do protocolo do decreto de Temer, já que a Constituição não pode ser emendada na vigência de intervenção federal, de estado de defesa ou de estado de sítio.

Segundo o presidente do sindicato Wagner Santana, a orientação é “para os trabalhadores não irem às fábricas na próxima segunda-feira”. “Vamos mostrar a resistência da classe trabalhadora e impedir a aprovação dessa reforma”, afirmou o dirigente sindical. “Temos de dar o recado de que essa proposta não interessa aos trabalhadores e não pode ser feita por um governo sem nenhuma legitimidade. Não vamos permitir esse desmonte”, acrescentou.

O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região também decidiu paralisar suas atividades na segunda-feira. Maior central do país e historicamente ligada ao PT, a CUT garante que a adesão à greve geral está aumentando e que o movimento deverá ser mais robusto desta vez. Principalmente porque servirá, também, para defender o direito do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se candidatar nas eleições de outubro.

Condenado pela Justiça em segunda instância no caso do tríplex do Guarujá (SP), Lula virou “ficha suja” e não poderá concorrer à Presidência da República ou a qualquer outro cargo eletivo com base na Lei da Ficha Limpa – exceto se obtiver uma decisão favorável na Justiça.

Histórico de fracassos

As greves gerais contra as reformas estão sendo realizadas pelas centrais desde o ano passado, com maior ou menor adesão. A última promessa de paralisação total do Brasil foi um fiasco: virou apenas um amontoado de atos em diversas cidades. O primeiro protesto de 2018 vem na esteira da condenação de Lula no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em 24 de janeiro.

O presidente da CUT, Vagner Freitas, prometeu paralisar o Brasil caso o petista seja impedido de ser candidato. Segundo ele, quanto mais cresce as intenções de voto em Lula nas pesquisas e ele acena que, se eleito, revogará, com o apoio do povo brasileiro, as medidas que retiram direitos, mais ele é perseguido pela mídia e setores do Judiciário. “Por isso, garantir Lula candidato e apoiar a sua eleição será fundamental. Faz parte da nossa estratégia de resistência e defesa dos direitos”, disse.

Confira os atos que devem ocorrer na segunda-feira em todo o Brasil, segundo a CUT

BAHIA

Em Salvador, terá manifestação no Iguatemi, a partir das 7h. No período da tarde, a concentração começa às 15h para o ato no Campo da Pólvora.

CEARÁ

Em Fortaleza, haverá atos e paralisações em todas as regiões, sendo a maior delas marcada no centro, a partir das 9h. Haverá uma caminhada pelas ruas do centro com concentração na Praça da Bandeira.

DISTRITO FEDERAL

Em Brasília, além das ações durante o dia, tem ato às 17h, no Museu da República.

MATO GROSSO

Em Cuiabá, às 8h, tem ato no INSS da Avenida Getúlio Vargas.

PARÁ

Em Belém, às 7h, ação nas agências bancárias da Avenida Presidente Vargas; às 11h, ato no Mercado São Brás. Em Marabá, às 7h30, panfletagem em frente a agencia do INSS; às 9h, audiência pública na Câmara Municipal.

PARANÁ

Em Curitiba, às 8h, panfletagem no Terminal Guadalupe – esquina das Ruas Marechal Deodoro e João Negrão; 9h, panfletagem em frente a agência do INSS; 10h, concentração na Boca Maldita; 11h, aula pública na Boca Maldita; 14h, panfletagem na Assembleia Legislativa.

PERNAMBUCO

Em Recife, às 15h, tem ato público no Parque 13 de Maio.

PIAUÍ

Em Teresina, tem ato marcado para às 8h, na Praça Rio Branco. No período da tarde, a partir das 14h, terá ato no Aeoroporto de Teresina.

RIO DE JANEIRO

No Rio de Janeiro, tem ação no aeroporto Santos Dumont de manhã, no embarque dos deputados; e, às 16h, tem ato na Candelária. Em Campo dos Goytacazes, terá concentração a partir das 8h, no Sindicato dos Bancários. De lá, os manifestantes sairão em caminhada até o calçadão para o ato público.

RIO GRANDE DO NORTE

Em Natal, tem ato a partir das 14h, em frente a Agência do INSS, Rua Apodi, 2150 – Tirol.

RIO GRANDE DO SUL

Em Porto Alegre, às 5h, marcha do Laçador até o aeroporto; às 7h, concentração na rodoviária; às 9h, ato em frente a agencia do INSS; às 17h, ato na esquina Democrática.

SANTA CATARINA

Em Florianópolis, o transporte coletivo ficará paralisado durante todo o dia 19. A partir das 9h, a CUT e demais centrais sindicais e entidades farão um arrastão no centro da capital para fechar o comércio e os bancos. E, a partir das 16h, acontecerá um ato na Praça de Lutas, que terminará com uma passeata até a agência do INSS.

SÃO PAULO

Na capital São Paulo, às 16h, tem ato público em frente ao MASP, na Avenida Paulista.

Fonte: Reuters/GAZETA DO POVO

IBGE: 59,6% dos municípios da PB apresentam menores PIB do país

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira (14) o Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios brasileiros. Na Paraíba o maior PIB foi registrado em João Pessoa (R$ 10.843.958.000). Por outro lado, 59,6% das cidades paraibanas figuram entre os menores PIB.

Conforme o IBGE, em 2015, os 1.353 municípios do país com os menores PIB responderam por aproximadamente 1,0% do PIB nacional e concentraram 3,2% da população. Nessa faixa, estavam 73,2% dos municípios do Piauí, 59,6% dos municípios da Paraíba, 51,8% dos municípios do Tocantins e 48,5% dos municípios do Rio Grande do Norte.

Entre os municípios que apresentaram maiores PIB na Paraíba estão Campina Grande (R$4.992.962.000), Cabedelo (R$ 1.564.376.000) e Santa Rita (1.244.883.000).

Em mais de de 90% dos municípios da Paraíba, a atividade econômica predominante era a Administração, defesa, educação e saúde públicas e seguridade social.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

20% das crianças nascidas no país são filhas de meninas de 10 a 19 anos

Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) indicam que uma em cada cinco crianças brasileiras são filhas de mães que engravidaram entre os 10 e os 19 anos. Além disso, 76% das adolescentes que engravidam abandonam a escola e 58% não estudam nem trabalham fora de casa.

Os dados foram mostrados em reportagem do programa Profissão Repórter, da rede Globo, desta quarta-feira (6).

A agente de saúde Lidiane Pereira Brito, da Ilha de Marajó (PA), revela um pouco de sua rotina com os casos de gravidez na adolescência. Ultimamente, as jovens estão ficando grávidas muito crianças. A gente recebe criança de 12 anos. A gente conversa com as adolescentes, faz palestras, mas o índice é muito grande. E nessa faixa etária muitas se recusam a fazer o pré-natal porque têm vergonha”, conta.

No Acre, a Secretaria de Saúde implementou para conscientização nas escolas. O projeto conseguiu reduzir em 11% os casos de gravidez entre adolescentes nos centros de ensino do estado. A iniciativa também tenta conscientizar os homens. “O moralismo e o machismo entram forte. O menino é incentivado a ter várias parceiras e não a ser pai”, diz Antônio de Oliveira, criador do projeto.

NM

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Quase metade dos municípios do país decretou emergência de 2003 a 2016

Entre os anos de 2003 e 2016, praticamente metade dos 5.570 municípios do país foi obrigada a decretar, pelo menos uma vez em sete anos diferentes, situação de emergência ou estado de calamidade pública em virtude de secas e estiagens. De acordo com o relatório pleno de Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil 2017, divulgado nesta segunda-feira (4) pela Agência Nacional de Águas (ANA), do total de cidades afetadas por longos períodos sem chuva, 1.794 são da Região Nordeste.

No mesmo período, de acordo com o relatório, 48 milhões de pessoas foram afetadas por secas (duradoura) ou estiagens (passageiras) no Brasil. Ao todo, foram registrados 4.824 eventos de seca com danos humanos. Somente no ano passado, 18 milhões de habitantes do país foram afetados por fenômenos climáticos que provocaram escassez hídrica. Desse total, 84% viviam na Região Nordeste.

Ainda conforme o relatório, o Nordeste registrou 83% dos 5.154 eventos de secas registrados no país entre os anos de 2003 e 2016, que prejudicam a oferta de água para abastecimento público, geração hidrelétrica, irrigação, produção industrial e navegação.

Em sua terceira edição, o relatório pleno de Conjuntura dos Recursos Hídricos é composto por dados de mais de 50 instituições parceiras da ANA e faz uma radiografia da situação das águas do país.

Conforme o levantamento, secas e cheias representaram 84% dos quase 39 mil desastres naturais entre 1991 e 2012, afetando cerca de 127 milhões de brasileiros. No período de 1995 a 2014, as perdas decorrentes desses problemas chegaram a R$ 182,7 bilhões. Em media, os prejuízos são de R$ 9 bilhões por ano ou aproximadamente R$ 800 milhões por mês.

Enxurradas

Se a seca causou impacto nas cidades nordestinas, o relatório mostra que as fortes chuvas e as cheias atingiram especialmente municípios do Sul do país. Entre 2003 e 2016, 47,5% dos municípios do país declararam situação de emergência ou estado de calamidade pelo menos uma vez por causa de cheias. Desses, 55% (1.435) ficam no Sudeste ou no Sul.

“Ao contabilizar eventos de cheia, o Conjuntura informa que entre 2013 e 2016 um total de 7,7 milhões de brasileiros sofreram com os impactos dos diferentes tipos de cheias: alagamentos, enxurradas e inundações. Apenas em 2016, cerca de 1,3 milhão de habitantes sofreram com a água em excesso” diz trecho do relatório.

No período, Santa Catarina e o Rio Grande do Sul tiveram 44% dos registros de eventos de cheias associados a danos para pessoas no país.

Consumo

De acordo com o relatório, em média, por ano, do total de água retirada dos rios, córregos, lagoas, lagos e reservatórios no país, 46,2% vão para irrigação, 23,3% para abastecimento urbano, 10,3% para termoelétricas, 9,2% para a indústria, 7,9% para abastecimento animal, 1,6% para abastecimento rural e o mesmo percentual para mineração.

Do total de água consumida no país, 67,2% são utilizadas para irrigação, 11,1% no abastecimento animal, 9,5% na indústria, 8,8% no abastecimento urbano, 2,4% no abastecimento rural, 0,8% na mineração e 0,3% nas termoelétricas.

Segundo o estudo, a demanda por uso de água no Brasil é crescente, com aumento estimado de aproximadamente 80% no total retirado de água nas últimas duas décadas. “Até 2030, a previsão é de que a retirada aumente em 30%”, mostra o relatório. De acordo com a ANA, a evolução do uso da água está diretamente relacionada ao desenvolvimento econômico e ao processo de urbanização do país.

Agência Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

PF prende na PB servidor público considerado o maior traficante de animais do país

A Polícia Federal cumpriu, nesta terça-feira (12), mandados de busca e apreensão e realizou condução coercitiva contra um servidor público apontado como o maior traficante de animais do país. Além dele, outras três pessoas também foram detidas suspeitas de atuarem no esquema de venda ilegal de animais silvestres.


Os mandados foram cumpridos nas cidades de Junco do Seridó e Patos, ambas no Sertão da Paraíba. Durante as buscas, foram encontrados jabutis e aves na casa de um dos suspeitos.

A condução tem por objetivo evitar que os investigados combinem versões para seus crimes e, ao mesmo tempo, retirar-lhes dos locais de busca para impedir manipulação do material recolhido.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), o funcionário público responde a sete processos judiciais pelo crime de tráfico de animais, na Paraíba e no Paraná. Segundo a investigação, ele já foi autuado e preso 14 vezes, ao longo de mais de vinte anos.

Ainda de acordo com a investigação, o Ibama já apreendeu 3.775 animais (principalmente aves) com o suspeito, destinados ao abastecimento do mercado ilegal de animais silvestres. Se considerar os animais não apreendidos, estima-se que o número de animais traficados por ele atinja cem vezes mais a quantidade de animais apreendidos.

Portal Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br