Arquivo da tag: Padre

Padre que largou a batina para se casar se separa em menos de 2 meses

O casamento do ex-padre Everson Danilo Vasconcelos não durou sequer dois meses. As especulações de que o casamento já chegou ao fim foram confirmadas à editoria do Portal25horas por pessoas próximas ao casal.

Natural de Alagoa Grande, o religioso, que era vigário da paróquia da Santíssima Trindade, se apaixonou por uma moça de Guarabira e resolveu largar a batina para realizar o sonho de viver um grande amor.

Everson e a jovem Anália trocaram alianças diante do juiz, no fórum da comarca de Guarabira, no começo de julho passado e não chegaram a se casar na igreja.

O bispo da diocese de Guarabira, dom Aldemiro Sena dos Santos, acolheu oficialmente no dia 10 de junho o pedido de demissão definitiva do estado clerical encaminhado livremente pelo padre Everson Danilo Vasconcelos Santos. O padre estava atuando na paróquia da Santíssima Trindade, em Guarabira.

O então padre Everson assim escreveu ao bispo:

“O motivo pelo qual ocorreu minha saída da Paróquia da Santíssima Trindade, foi devido ao cansaço pastoral que já vinha sendo sentido pela comunidade, pois já era do conhecimento de todos da Paróquia esta realidade; além disso, após uma caminhada de quase dois anos me vi na necessidade de reavaliar minha vocação. Feita a devida reflexão, vi que o ministério ordenado não estava compatível comigo. Portanto, pensando no bem da Igreja e buscando ser coerente, estarei me ausentando definitivamente do exercício do ministério ordenado. Espero contar com a compreensão e caridade pastoral de todos. Rezemos uns pelos outros e pela paz. A todos, que o Senhor nos proteja e nos guarde.” (Pe. Everson).

Embora não tenha informado a verdadeira razão do abandono da batina, dias depois a imprensa noticiou que Everson largou a missão de religioso para se casar.

A reportagem tentou ouvir os dois para saber o que levou ao desgaste do relacionamento e consequente desfecho, com o fim do casamento meteórico, mas não obteve êxito.

 

portal25horas

 

 

Padre Moisés é empossado como administrador paroquial em Arara

A Paróquia Nossa Senhora da Piedade, em Arara, já tem novo administrador paroquial. O padre Moisés Rodrigues do Nascimento, da ordem dos Cônegos Regulares Lateranenses, tomou posse canônica na noite desta sexta-feira (19).

O rito aconteceu durante a Celebração Eucarística na Matriz da Piedade, que foi presidida pelo bispo da diocesano de Guarabira, Dom Aldemiro Sena dos Santos, concelebrada pelos padres José Floren (Santuário Memorial Pe. Ibiapina), Ednaldo (Caiçara) e Neto (Solânea), contando com a participação de dezenas de fiéis católicos oriundos de várias comunidades.

A posse canônica teve início com a leitura da Provisão de nomeação seguida do juramento do Pe. Moisés.

Os grupos, movimentos, pastorais e serviços, além das autoridades constituídas, recepcionaram com alegria o novo padre. “Espero corresponder com as expectativas do povo no serviço fraterno em favor do Reino de Deus”, declarou Pe. Moisés.

PASCOM – PASTORAL DA COMUNICAÇÃO
DIOCESE DE GUARABIRA

 

 

Mulher empurra Padre Marcelo Rossi de altar durante missa em Cachoeira Paulista

Uma mulher invadiu o altar e empurrou o padre Marcelo Rossi durante uma missa em Cachoeira Paulista neste domingo (14). A mulher furou a segurança, invadiu o palco durante a celebração que acontecia na Canção Nova e empurrou o padre de cima da estrutura. Apesar da queda, ele não ficou ferido e a mulher foi contida pela Polícia Militar.

O padre estava no local para a missa de encerramento do acampamento ‘Por Hoje Não’ (PHN). Por volta das 14h50 a mulher, que participava do evento, conseguiu furar a segurança, invadiu o palco por trás e empurrou o padre, que caiu da estrutura.

No momento, pelo menos 50 mil pessoas participavam da celebração. Apesar da queda, o padre voltou ao palco minutos depois e continuou a celebração.

De acordo com a Polícia Militar, a mulher está sendo encaminhada para a delegacia de Lorena para o registro do caso. A PM informou que a ocorrência está sendo feita pela Canção Nova porque o Padre Marcelo Rossi decidiu não registrar a agressão.

A polícia informou que a mulher tem 32 anos e que fazia parte de um grupo que veio do Rio de Janeiro para o evento. Os acompanhantes informaram à PM que ela sofre de transtornos mentais.

Em nota a Canção Nova informou que lamenta o incidente ocorrido com o padre Marcelo Rossi durante a missa e informou que ele foi atendido pela equipe médica do evento e, após ser liberado, seguiu com a celebração até o fim.

Vídeo

Em um vídeo divulgado após a agressão, o Padre Marcelo Rossi diz que ‘Maria passou na frente e pisou na cabeça da serpente’. A imagem foi divulgada pela Canção Nova, ao final da celebração.

“Maria passou na frente, pisou na cabeça da serpente, estou ótimo”, disse. “Fiquem tranquilos, só umas dorzinhas, não quebrou nada”, acrescentou.

G1

 

Falso padre é preso em João Pessoa suspeito de estelionato

Um homem foi preso na tarde desta sexta-feira (28) acusado de aplicar golpes em bairros da Zona Sul de João Pessoa. O suspeito se passava por padre para sensibilizar as vítimas.

De acordo com a polícia, mais de dez empresas que atuam no ramo de locações e organizações de eventos teriam sido lesadas pelo suspeito.

Após a prisão do falso padre, a polícia convoca os empresários que teriam sido lesados por ele para comparecem à Central de Polícia, no bairro do Geisel, na Capital.

Confira vídeo do momento da prisão:

PB Agora

 

 

Padre da Diocese de Guarabira larga a batina para se casar

Como noticiado pelo Portal25horas, o padre Everson largou definitivamente a batina. Ele pediu demissão das atividades e o pedido foi acolhido pelo bispo da Diocese de Guarabira.

O padre se envolveu afetivamente com uma jovem de Guarabira, se apaixonou e decidiu não mais exercer as funções de pastoreio para conviver maritalmente com a moça, que ainda não tem 18 anos.

O religioso alegou que está cansado e que reavaliou sua vocação e “feita a devida reflexão, vi que o ministério ordenado não estava compatível comigo”, disse Everson em seu pedido de desligamento da igreja.

O site oficial da Diocese de Guarabira publicou matéria no começo da noite de hoje (10), confirmando a saída definitiva de Everson dos quadros da igreja católica.

O bispo da Diocese de Guarabira, Dom Aldemiro Sena dos Santos, acolheu oficialmente nesta segunda-feira (10), o pedido de demissão definitiva do estado clerical encaminhado livremente pelo padre Everson Danilo Vasconcelos Santos. O padre estava atuando na Paróquia Santíssima Trindade, em Guarabira.

Alegando cansaço pastoral e a necessidade de reavaliar sua vocação sacerdotal, em face de incompatibilidade com o ministério ordenado, o padre Everson pediu desligamento.

O padre Everson assim escreveu ao bispo diocesano:

“O motivo pelo qual ocorreu minha saída da Paróquia da Santíssima Trindade, foi devido ao cansaço pastoral que já vinha sendo sentido pela comunidade, pois já era do conhecimento de todos da Paróquia esta realidade; além disso, após uma caminhada de quase dois anos me vi na necessidade de reavaliar minha vocação. Feita a devida reflexão, vi que o ministério ordenado não estava compatível comigo. Portanto, pensando no bem da Igreja e buscando ser coerente, estarei me ausentando definitivamente do exercício do ministério ordenado. Espero contar com a compreensão e caridade pastoral de todos. Rezemos uns pelos outros e pela paz. A todos, que o Senhor nos proteja e nos guarde.” (Pe. Everson).

O Código de Direito Canônico, cân. 292, prevê que o clérigo que, segundo as normas do direito, perder o estado clerical, perde com ele os direitos próprios desse estado, e não fica sujeito às obrigações do estado clerical, sem prejuízo do prescrito no cân. 291; fica proibido de exercer o poder de ordem, salvo o prescrito no cân. 976, e pelo mesmo fato fica privado de todos os ofícios e cargos bem como de qualquer poder delegado.

Emergencialmente, conforme divulgado anteriormente, Dom Aldemiro Sena designou o padre Adauto Tavares Gomes e demais padres da Forania de Guarabira para assistirem o povo de Deus na Paróquia Santíssima Trindade.

portal25horas com Pascom

 

 

Governo de Solânea entrega quase 3 mil metros de pavimentação no Conjunto Padre Cícero

O Prefeito Kayser Rocha e o Vice-prefeito Edvanildo Junior entregaram na sexta-feira (10) à comunidade do Conjunto Padre Cícero quase 3 mil metros de pavimentação em ruas do conjunto. Foram pavimentadas as ruas Santo Antônio e as Travessas 1 e 3. Além da complementação do calçamento da rua José Soares da Silva.

A comunidade festejou a conquista e recebeu a visita do Deputado Federal Efraim Filho, autor da emenda que financiou as pavimentações. O Prefeito Kayser, disse durante a solenidade de entrega que estava feliz com a conquista da comunidade e ainda mais com as mudanças e a qualidade de vida que a ação irá proporcionar. “Era um sofrimento nessas ruas para a comunidade. O que conseguimos trazer não é apenas um calçamento, mas dignidade e qualidade de vida para a população. E essa é a maior conquista de todos”, comemorou.

A dona de casa Isaura da Silva, 62, que mora na Rua Santo Antônio contou da dificuldade e da espera para que o calçamento chegasse. “Essa era uma espera de muitos anos. Agente vivia aqui na lama, principalmente quando chovia. Agora é só beleza para as crianças, os idosos e todos.” comemorou. Centenas de moradores e visitantes estiveram presentes durante a solenidade de entrega e festejaram junto com a população.

Ascom-PMS

 

O padre que pediu socorro ao imperador para a obra de Ibiapina

Ao pesquisar a origem dos Ramalho no brejo deparei-me com a figura do padre José Euphrosino Maria Ramalho, nascido no vale do Piancó, mas vigário colado de Bananeiras até o início do século XX. Sob a jurisdição da Freguesia de Bananeiras estava a Casa de Caridade de Santa Fé, localizada à chegada de Arara, hoje território de Solânea. A dedicação do pároco ao empreendimento do padre-mestre Ibiapina, levou-o a deixar aos próximos seu desejo de ser sepultado ao lado do mestre e, assim foi feito. Às vésperas da República, o vigário revelou ao Imperador Pedro II sua preocupação com as dificuldades financeiras do empreendimento social e rogou de sua majestade ajuda fi nanceira para a manutenção do lar das órfãs. Sua carta ao Imperador merece ser transcrita:

A S. M. Imperador, Senhor: O padre José Euphrosino Maria Ramalho, párocho collado da egreja de Nossa Senhora do Livramento de Bananeiras, director e encarregado da casa de caridade ou recolhimento de Santa Fé, fundada pelo benemérito missionário apostólico Rvm padre Dr.José Antonio de Maria Ibiapina, em a sua referida parochia, bem como da de Cabaceiras, pelo mesmo Rvm missionário fundada na Villa e freguezia deste nome,ambas na província  da Parahyba do Norte,profundamente compenetrado da situação afflictiva, em que actualmente permanecem as órphãs na sobreditas casas recolhidas, e cujo numero attinge a cento e  sessenta na primeira mencionada e a sessenta na segunda as quaes inevitavelmente succumbirã o pelo rigores da fome, se uma mão bemfazeja não lhes vierem em auxilio;por isso que por sua natural condicção e educação não podem absolutamente concorrer aos logares em que são dispensados soccorros públicos, vem com o mais respeitoso acatamento, em nome da pátria, que V.M I. tanto estremece como em nome da caridade, que tão felizmente enobrece o magnânimo coração de V.M.I. pedir que se digne em sua alta munificência imperial arbitrar mensalmente uma pensão pecuniária para as referidas casas ou recolhimentos, até que melhorem os tempos, afim de serem soccorridas tão desprotegidas creaturas, as quaes, falhando as contribuições que lhes dispensam os fies, em virtude da desastrada crise que a todos affecta,arrostam o mais imminente perigo, não só proveniente de fome e nudez, como por falta d´água potá ;vel que para o recolhimento de Santa Fé em Bananeiras, é procurada na distancia de três léguas, sem que tenha recurso para acquisição e condução desse elemento tão indispensável.

Senhor, o humilde e obscuro párocho de Bananeiras recorrendo à magnanimidade de V.M.I. em favor de  suas infelizes jurisdiccionadas, victimas do mais desastrado e atterrador flagello, nutre a mais doce e a mais lisongeira esperança de ser attendido;pelo muito que respeitosamente ousa declinar nesta humilde supplica os nomes das respectivas superioras encarregadas pelo benemérito dr.Ibiapina na direção interna e da economia dos ditos estabelecimentos pios, as quaes V.M.I. dignar-se-há mandar, com a presteza que o caso exige, endereçar o que houver por bem arbitrar:D.Felismina da Rocha Ibiapina, superiora do recolhimnento de Santa Fé em Bananeiras ; D. Veneranda de S.José Ibiapina, superiora do recolhimnento de Cabaceiras.
Assim, P.E. deferimento, Vigário José Euphosino de Maria Ramalho.

Padre Euphosino foi deputado provincial em 1884-1886 mas seu nome foi grafado como padre José Euphosino Maria de Carvalho, no livro de Celso Mariz sobre o legislativo paraibano. Um equívoco que Deudedith Leitão não corrigiu ao continuar a história até os anos 1980. A petição ao Imperador está publicada na edição de domingo, dia 1º. de setembro de 1889, do jornal católico O Apóstolo, editado no Rio de Janeiro.

Não posso dizer se o padre de Bananeiras foi atendido. Creio que não. Para viajar à Parahyba do Norte consta que D. Pedro II teria tomado  um empréstimo ao cofre da Imperatriz, mas assim mesmo, fez doação de algum à Santa Casa da Misericórdia. Destinou também um dinheiro para a remoção do Matadouro Público que achou em lugar impróprio. Não preciso dizer que todo esse dinheiro foi desviado para despesas mais urgentes. Esse vício vem de longe…

P.S. A citada Dona Felismina da Rocha Ibiapina, chamava-se na verdade Felismina Maria dos Santos Peregrino, conhecida como Formiguinha, e vem a ser filha do Barão de Araruna.

 

 

 

Padre de MT causa polêmica após postar foto com arma em rede social

(Foto: Reprodução)

Uma postagem do padre Thiago Bruno da Paróquia de São José dos Quatro Marcos, município a 343 km de Cuiabá, causou polêmica nesta terça-feira (2). Numa foto publicada no WhatsApp Status, o padre aparece deitado numa cama apontando uma arma e a mensagem #2018 escrita. A foto circula nas redes sociais.

Procurado pelo G1, o sacerdote afirmou que ainda deve se manifestar sobre o caso através de uma nota.

Após a repercussão da polêmica, um suposto amigo do padre afirma que a foto foi tirada na casa dele no dia 1º de janeiro. O homem alega que a arma usada na foto é um artigo de decoração e foi trazida junto com outros objetos da Espanha.

“São armas de decoração, que não dão tiro. São apenas armas do estilo faroeste daqueles filmes que comprei para fazer decoração”, declara o homem no vídeo.

Nas redes sociais, internautas repercutiram a foto com cometários a favor e contra o padre.

“Não importa se a arma é de brinquedo ou não! O que importa é a mensagem que ele passa, que não é nenhuma mensagem de paz”, diz um comentário.

Em outro texto, um internauta critica a atitude. “A atitude dele não condiz com a imagem que ele tem que passar para sociedade. Sem contar que armas não trazem a paz”, diz trecho de uma declaração.

Já em defesa do padre, alguns usuários da rede social dizem não ver maldade na foto. “Que mal tem isso? Uma pessoa de bem com uma arma? Ele também pode ter carro, faca, moto, etc”, diz o comentário.

Padre Thaigo Bruno de São José dos Quatro Marcos (Foto: Facebook/Reprodução)

Padre Thaigo Bruno de São José dos Quatro Marcos (Foto: Facebook/Reprodução)

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Padre larga a batina para viver uma história de amor

O padre Valdir Valdick de Araújo Dantas, da paróquia de Lagoa Nova, renunciou a batina neste domingo, 10/12, para viver um caso de amor: “Tenho um filho e uma mulher que os amo, e quero recomeçar minha vida junto a eles sem deixar de ser cristão e amar esta igreja que a tenho como mãe e mestra”, escreveu em nota a comunidade católica.

Segue-a na íntegra

Querida comunidade Paroquial de São Francisco de Assis em Lagoa Nova paz e bem.

O zelo por tua casa me consumirá, foi com essa inspiração bíblica que disse sim ao chamado que o senhor fez por vocação sacerdotal. Sou Grato ao Senhor da missão que me ungiu para este serviço exercido com muita dedicação e zelo que fiz por quase 23 anos. Quantas graças recebidas e compartilhadas tudo isso porque Deus é bom e é confiando em sua misericórdia e depois de um longo período de discernimento feito em oração, cheio de angústia e sofrimento mas convicto do sentimento que invade minha alma, que deixo o ministério sacerdotal, para viver uma história de amor em família. Tenho um filho e uma mulher que os amo, e quero recomeçar minha vida junto a eles sem deixar de ser cristão e amar esta igreja que a tenho como mãe e mestra.

Acredito que a família é o santuário da ida, eis o motivo da minha decisão, pois havia uma inquietação no meu coração, e o que vos peço humildemente agora é que rezem por esse servo do Senhor que seguirá seu novo estado de vida e que no ano nacional do laicato, sejamos o sal da terra e Luz do Mundo, Cristãos leigos e leigas, sujeitos na igreja em saída a serviço do rei, abraço fraterno em Cristo e Maria.

Lagoa Nova, em 10 de dezembro de 2017

Pe Valdir Valdick de Araújo Dantas

portalmidia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Polícia reabre investigações sobre a morte do padre Pedro de Borborema

Em vídeo divulgado em seu perfil no Facebook nesta segunda-feira, 6, o deputado federal Luiz Couto (PT-PB) registrou a providência tomada pelo secretário de Segurança e Defesa Social do Estado da Paraíba de reabrir as investigações relativas ao assassinato do Padre Pedro Gomes, ocorrido em Borborema. Uma nova equipe foi designada para apurar os fatos depois que Couto intermediou o contato da família da vítima com o secretário. Na conversa, foram entregues dados que apontam a existência de um empréstimo de R$ 50 mil feito em nome do religioso para uma terceira pessoa que não honrou a dívida e estava sendo cobrada por Pedro. Os parentes do pároco acreditam que esse elemento pode ser crucial para desvendar o real motivo do crime.

“Nós levamos o relatório ao secretário junto com a família dele. A mãe do padre, dona Creuza, disse que queria a verdade e justiça para o filho. Esperamos que essa investigação possa desvendar a questão do empréstimo que o Padre Pedro estava cobrando a uma pessoa próxima. É preciso ouvir todas as pessoas, desde um adolescente que foi apreendido e um homem por nome de Raul, além de outras pessoas citadas pela família do padre. Não podemos aceitar informações desencontradas. Queremos uma investigação com profundidade que o laudo cadavérico da vítima conste no processo, o que não aconteceu ainda. Inclusive, cinco dias depois foi encontrada uma faca ensanguentada e amarrada debaixo de uma pia. Significa que a perícia não foi bem feita”, argumentou Couto.

O deputado garantiu que permanecerá buscando a verdade em relação ao crime do qual foi vítima o Padre Pedro.

No dia 23 de agosto, por volta das 22h, um adolescente e outro jovem, maior de idade, tentaram roubar uma quantia em dinheiro guardada na residência da vítima. O padre Pedro Gomes Bezerra foi morto com pelo menos 29 golpes de faca e seu corpo deixado enrolado em um lençol na casa paroquial.

Assessoria 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br