Arquivo da tag: ouvido

Menino suspeito de planejar ataque a escola no Sertão da Paraíba é ouvido pela polícia

A Polícia Civil ouviu em depoimento um menino suspeito de ameaçar atacar uma escola particular em Cajazeiras, no Sertão paraibano, nesta quarta-feira (11). A informação foi repassada ao ClickPB pela assessoria de comunicação da Polícia Militar da Paraíba.

O assunto teria viralizado no WhatsApp e chamado atenção das autoridades policiais e da população do Sertão.

O delegado Glauber Fontes, que comanda a 24º Área Integrada de Segurança Pública (AISP), informou ao ClickPB que o diretor da escola esteve na delegacia de Cajazeiras para falar sobre o caso.

As primeiras informações são de que a instituição suspendeu as aulas de hoje. Os pais do menino teriam sido chamados à escola para conversar sobre a situação.

 

 

clickpb

 

 

Hábito de usar fone de ouvido pode levar adolescente à perda auditiva

fone-de-ouvidoQualquer som que esteja em volume alto pode ocasionar o que os especialistas chamam de perda auditiva induzida por ruído, que é a diminuição da audição por contato com barulhos intensos e frequentes. Antes, o problema era mais diagnosticado em profissionais que trabalhavam em áreas que contavam com equipamentos emissores de ruídos. Porém, na atualidade, especialistas identificam um novo público vulnerável à perda auditiva: os adolescentes e jovens.

Nessa história, há mais de um vilão: as baladas com música alta, os shows e –o mais preocupante de todos– o fone de ouvido, que costuma ser utilizado para ouvir música no transporte para a escola, na academia ou mesmo para caminhar por uma rua movimentada.

“Esses locais normalmente possuem um nível de ruído alto, que compete com a música. Por isso, a tendência é aumentar ainda mais o volume”, afirma o médico otorrinolaringologista Fausto Nakandakari, do hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

“Para ter uma ideia, o ruído de um ônibus gira em torno de 85 decibéis. Então, para ouvir música de forma confortável dentro dele, é preciso colocar o som 20 decibéis acima, chegando perto dos 105 decibéis. Os nossos ouvidos suportam com segurança 30 minutos diários de exposição a esse volume. O problema é que esse tempo costuma ser bem maior no dia a dia do jovem”, diz Nakandakari.

Quando esse limite é ultrapassado com frequência, começa a ocorrer uma degeneração das células localizadas na cóclea, parte auditiva do ouvido interno.

“Quando o ruído cessa, as células voltam ao estado normal, mas esse processo de degenerar e recuperar não resiste muito tempo. Em um período de cinco a dez anos, em média, essas células morrem e acontece a perda auditiva permanente”, explica a fonoaudióloga Daniela Dalapicula Barcelos, especialista em audiologia pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia.

Segundo Daniela, anos atrás, o problema era atenuado por conta da própria tecnologia dos dispositivos de música, que funcionavam por pouco tempo entre uma troca de pilha e outra. O mesmo não acontece com os gadgets modernos, que podem ficar ligados durante o dia inteiro antes de serem carregados. O design do fone também influencia: os que são colocados dentro do ouvido são os mais prejudiciais.

Para perceber se o adolescente está com algum nível de perda auditiva, alguns sinais devem ser observados: necessidade de aumentar o volume da televisão para ouvir, dificuldade de entender o que as pessoas falam em ambientes amplos, ansiedade e irritação causados por não ser compreendido e até alterações no sono e nos batimentos cardíacos.

A perda auditiva só pode ser confirmada por meio de exames médicos e, uma vez constatada, não pode ser revertida. “O tratamento é a colocação de aparelhos auditivos”, fala otorrinolaringologista Nakandakari.

Cuidados necessários

A melhor saída, então, é prevenir. Os especialistas garantem que é possível levar uma vida social ativa sem prejudicar a audição. “Não precisa deixar de ir a festas, basta fazer uma compensação. Se o adolescente é assíduo em casas de show, deve evitar o fone de ouvido. Se ficou exposto a sons elevados por muito tempo em um dia, pode fazer repouso auditivo nos dias seguintes”, afirma Daniela.

Sempre que possível, deve-se preferir o som ambiente –no computador, no celular ou ao jogar games. Ao usar fones, o volume médio do dispositivo não pode ser ultrapassado.

“Uma dica prática para saber se o som está trazendo riscos à audição é verificar se outra pessoa consegue ouvir o ruído do fone. Mesmo estando ao lado de quem escuta uma música, o ideal é não ouvir nada”, declara a fonoaudióloga Isabela Papera de Carvalho, responsável pelo setor de audiologia de uma empresa de aparelhos auditivos com sede na cidade do Rio de Janeiro.

Um som com intensidade acima de 80 decibéis já é considerado alto. “É a intensidade do som de um secador de cabelos e de um liquidificador”, diz Isabela.

Exames preventivos, como a audiometria, também são importantes para diagnosticar precocemente problemas auditivos e devem ser feitos a cada dois anos.

“Se a pessoa trabalha em um local que tem muito ruído, como uma casa noturna ou uma academia, ou se faz uso diário de fones de ouvido, deve reduzir esse intervalo para um ano ou até seis meses, conforme recomendação médica”, afirma a fonoaudióloga Daniela.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Como retirar a cera do ouvido de maneira natural?

ouvidoRegularmente o canal auditivo externo (CAE) se obstrui pelo acúmulo de mucosidade de cheiro desagradável, o que comumente denominamos “cera de ouvido“. Em consequência, as nossas capacidades auditivas reduzem e, caso não seja tratada com a brevidade necessária, esta condição pode levar a perfurar o tímpano.

Este fenômeno costuma aparecer junto com um resfriado ou alergia, o que aumenta os níveis de secreção nasal. Neste artigo te mostramos como combater de modo eficaz este incômodo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Existe um grande número de soluções naturais para eliminar a cera de ouvido. Com o objetivo de lutar contra este fenômeno habitual tão indesejado, em seguida listamos os melhores segredos e métodos que a natureza nos oferece:

Infusão de plantas antissépticas

A melhor neste caso é a camomila. Faça um chá de camomila com uma colher de suas flores secas e uma xícara de água fervente, deixe repousar a infusão por aproximadamente dez minutos (tampe a xícara para que se possa conservar os óleos essenciais da flor). Em seguida, coe a infusão e lave os ouvidos com o líquido obtido.

Infusão a base de sabugueiro e eufrásia

Este chá é muito recomendável para a cera de ouvido que é associada aos processos catarrais. Antes de preparar a infusão, ambas as flores devem ser guardadas em um recipiente hermético que esteja protegido da luz. Depois coloque as ervas em água fervente e deixar repousar por dez minutos, procure tomar 3 xícaras da infusão por dia (depois de cada refeição).

Azeite de Oliva

Beneficios-de-aceite-de-oliva-3

 

Este é um método simples, por meio do qual se deve esquentar o azeite até chegar a uma temperatura morna. Depois, coloque-o gota a gota no ouvido para conseguir amolecer a cera. Isto pode levar alguns dias de tratamento e a cera geralmente sai naturalmente do canal auditivo.

Infusão a base de equinácea

Este chá deve ser preparado caso exista uma infecção, já que a equinácea é uma planta com propriedades antibióticas naturais. O processo para preparar a infusão é idêntico ao das anteriores e o seu consumo deve ser de duas a três vezes por dia.

Conclusões

Não se esqueça que a cera nos ouvidos é um mecanismo de defesa que o nosso corpo apresenta naturalmente. Não obstante, é recomendável lavar os ouvidos uma vez por mês para evitar complicações nos canais auditivos.

Ainda que seu uso seja generalizado, não devemos colocar em nossos canais nenhum tipo de objeto como os cotonetes, já que eles tendem a endurecer e empurrar a cera para dentro do ouvido, colocando o tímpano em risco.

 

 

melhorcomsaude

Após tiroteio ouvido em casa na Flórida, família de 5 é achada morta

Um tiroteio ocorrido no interior de uma casa situada em Port St. John, na costa leste da Flórida, deixou cinco pessoas mortas nesta terça-feira (15), informou o escritório do xerife do condado de Brevard.

Após serem alertados, soldados de uma equipe do corpo de elite Swat entraram na casa por volta das 7h locais (8h de Brasília). Policiais do condado de Brevard disseram que uma mulher chamada Tanya Thomas, de 33 anos, disparou contra seus quatro filhos, de idades entre 12 e 17 anos, logo antes de tirar a própria vida.

“A investigação está em andamento”, informou em comunicado o xerife John Mellick. O oficial acrescentou que não foram detectadas outras ameaças para a comunidade.

Carros policiais são vistos em frente à casa onde ocorreu o tiroteio em Port St. John nesta terça (15) (Foto: AP/Tim Shortt/Florida Today)Carros policiais são vistos em frente à casa onde ocorreu o tiroteio em Port St. John nesta terça (15) (Foto: AP/Tim Shortt/Florida Today)
G1