Arquivo da tag: Oração

Na Serra do Monte Santo, pastor morre durante oração na PB

O pastor da igreja evangélica morreu na manhã deste domingo (15) durante a realização de um culto no município de Cuité, na Paraíba. A cerimônia acontecia ao ar livre em uma serra conhecida como Monte Santo.

José Aparecido tinha 63 anos e estava no Monte por volta das 5h da manhã de hoje quando passou mal no momento que fazia uma oração em conjunto com os religiosos presentes.

Os fieis acionaram uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) que foi até o local, mas infelizmente não conseguiu reanimar o pastor.

No momento do óbito familiares do religioso também estavam no local.

A serra é um local de difícil acesso utilizado pela comunidade evangélica para cerimônias.

A causa da morte não foi divulgada.

PB Agora

 

 

Pe Luciano fala da “oração permanente e solidária, mas nunca fruto do egoísmo”, durante celebração na Catedral de Campina  

pe-lucianoO Padre Luciano Guedes da Silva, pároco da Catedral Diocesana de Nossa Senhora da Conceição, no centro de Campina Grande, destacou, durante as celebrações deste domingo (16), a importância da oração para os cristãos. Ele aproveitou o Evangelho de São Lucas para dizer aos fiéis o quão importante é perseverar na oração.

No Evangelho, São Lucas fala de um juiz nada justo, que cede aos apelos de uma viúva para lhe fazer justiça, após esta ter insistido no pedido ao magistrado. No Evangelho, Jesus diz, ao final da história, que se o juiz, injusto, atendeu aos apelos da viúva, imagine Deus em relação à perseverança de seus filhos.

Padre Luciano disse que o Evangelho é exemplo para que os cristãos também perseverem na oração, pedindo com insistência, até que os pedidos sejam aceitos. “Mas Deus vai nos atender não no momento que queremos. Ele atenderá tudo a seu tempo”, destacou o pároco da Catedral.

As Consequências da Oração – Ainda de acordo com Padre Luciano, a oração tem que ser perseverante, mas também feita sempre pensando nas suas consequências em relação aos que vivem ao nosso redor. Segundo o pároco, quando pedimos algo a Deus, temos que fazer uma profunda reflexão sobre as consequências desse nosso pedido.

É que, de acordo com o Padre, é preciso que façamos nossos pedidos imaginando se este pedido, realmente, é bom para nós e também para as pessoas com quem convivemos diariamente, seja no seio das nossas famílias, junto aos amigos, aos vizinhos, aos companheiros de trabalho ou em qualquer outro ambiente.

“Toda oração deve ser solidária, nunca fruto do egoísmo”, destacou Padre Luciano, reforçando que esse desejo deve ser permanente nos cristãos, em suas orações. “Já pensou se Deus atendesse a todos os pedidos que fazemos a Ele diariamente? Com certeza muitas injustiças poderiam ser cometidas, conosco e com os nossos irmãos”, justificou.

Padre Luciano finalizou dizendo que uma das principais características do cristão é a oração perseverante e pediu para que os fiéis nunca desanimem diante de um pedido que ainda não foi atendido. “Certo dia alguém me procurou para dizer que Deus tinha ‘tapado os ouvidos’ para as suas orações e eu sempre digo: ele atenderá de acordo com os critérios Dele e no tempo Dele. Se for bom para nós, Ele atenderá, no tempo certo”.

Pascom – Catedral

 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Pe Luciano diz que fiéis devem pregar com oração e atitudes solidárias, ajudando os que sofrem

 

Padre_LucianoO padre Luciano Guedes da Silva, pároco da Catedral de Nossa Senhora da Conceição, no centro de Campina Grande, afirmou, durante Missa celebrada neste domingo (08) que os fiéis devem evangelizar com muita oração e, acima de tudo, atitudes solidárias, ajudando os irmãos que sofrem. Esta foi a mensagem contida no Evangelho de São Marcos, na Liturgia da Palavra deste domingo.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Nós somos pregadores de uma palavra abstrata. A nossa evangelização não pode ser um discurso que passa por cima da cabeça das pessoas. Nossa palavra pregada precisa ser uma palavra que toca a realidade interior, vivida por cada pessoa. Uma evangelização que vai ao encontro dos pequenos, dos que sofrem”, destacou o padre.

 

Segundo ele, a nossa pregação “precisa ser acompanhada pela atitude solidária de irmos ao encontro das pessoas, ir à casa das pessoas, ir à habitação das pessoas”. Padre Luciano alertou para o fato de que o Evangelho de São Marcos aponta para uma igreja sempre missionária, pronta para evangelizar. “Quando Jesus é procurado pelos discípulos, avisa a eles: ‘é preciso ir a outras aldeias, porque foi para isto que eu vim’”.

 

O pároco lembra que os sinais de Jesus contidos no Evangelho deste domingo, como a cura da sogra de Pedro e de tantas outras pessoas em Cafarnaum, e a presença de Jesus no meio do povo, nos sugerem o que devemos ser enquanto seguidores de Cristo.

 

“Vamos rezar para que nossa vida, nosso testemunho de fé seja sempre marcado pela nossa solidariedade com os que estão doentes, com os que estão enfermos, cansados, com toda a humanidade que está ferida de dor e que deseja abrir-se para a fé em Deus, porque toda pessoa que é curada por Jesus é curada para servir, para tornar-se também um discípulo, um missionário, um proclamador da Sua palavra”, disse Pe Luciano.

 

Poder da Oração – Pe Luciano lembrou que é através da oração que conseguimos realizar o que Jesus nos pediu. “Vamos rezar neste domingo pela nossa evangelização, nossa necessidade de ir ao povo que sofre. Que nossa evangelização seja marcada pela força do Evangelho, que dá às pessoas a percepção de que Deus as acompanha e as cura de seus males e as faz servidoras e evangelizadoras dos povos”.

 

Ele alertou para a falta de oração, que pode prejudicar a vida dos cristãos. “Não nos esqueçamos da necessidade sempre de rezar. Sem a oração, aquele que prega a palavra pode se tornar tentado a ser ele mesmo o centro da ação. E o centro da ação é Deus. A oração é condição indispensável para redobrar as forças e partir sempre para a missão”.

 

Ele lembrou palavras do papa João Paulo II, em exortação à oração. “Para João Paulo II, a oração era o primeiro serviço. Vamos, com a vida alimentada pela Palavra, pela Eucaristia, redobrar as forças dos que estão doentes, dos que estão sofrendo, dos que estão enfermos. Sejamos bons evangelizadores nesta semana, para que se fortaleça em nós a força de Deus, que nos faz levantar para servir a Deus e ao Seu reino”.

 

Pascom – Catedral

Na oração do Angelus, papa ressalta a situação de famílias refugiadas

papa“José, Maria e Jesus experimentam a condição dramática de refugiados, marcada pelo medo, pela incerteza e pelo incômodo. Infelizmente, em nossos dias, milhões de famílias podem se identificar com esta triste realidade”, disse o papa Francisco, durante a Oração do Angelus, realizada neste domingo, 29, dia dedicado à Sagrada Família.

Segundo o papa, “quase todos os dias, a televisão e os jornais transmitem notícias de refugiados, que fogem da fome, das guerras e de outros graves perigos, à busca de segurança e de uma vida digna, para si e para suas famílias”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Francisco lembra que, em terras distantes, quando refugiados e imigrantes encontram trabalho, nem sempre têm uma boa acolhida. “Por isso, quando fixamos nosso olhar na Sagrada Família de Nazaré, quando é obrigada a se refugiar, pensemos no drama daqueles migrantes e refugiados que são vítimas da rejeição e da exploração, que são vítimas do tráfico de pessoas e do trabalho escravo. Pensemos também nos ‘exilados’ – e eu os chamaria de ‘exilados escondidos’ – aqueles exilados que podem existir no âmbito das próprias famílias: os idosos, por exemplo, que, às vezes, são tratados como presenças incômodas. Muitas vezes, penso que um sinal, para saber como vai uma família, é ver como são tratados as crianças e os idosos”, acrescentou.

O papa afirmou que Jesus quis pertencer a uma família e que passou por essas dificuldades. “A Fuga para o Egito, por causa das ameaças de Herodes, nos mostra que Deus se encontra onde o homem corre risco, onde o homem sofre, onde é fugitivo, onde experimenta a rejeição e o abandono; mas é também o lugar onde o homem sonha, espera de voltar à sua terra natal, em liberdade, faz projetos e escolhas para a sua vida e a sua dignidade e a dos seus familiares”, explicou.

Ainda, durante o Angelus, o papa convidou os fieis a olhar a Sagrada Família e lembrou três palavras importantes para se viver em paz e alegria em família: dá licença, obrigado e perdão. “Quando em uma família não se é um intruso e se pede ‘com licença’, quando em uma família não se é egoísta e se aprende a dizer ‘obrigado’, e quando em uma família alguém se dá conta que fez uma coisa errada e pede ‘perdão’, então nesta família existe paz e alegria. recordemos estas três palavras: ‘com licença, obrigado, perdão'”.

Ao final do Angelus, o papa Francisco recitou uma oração dedicada à Sagrada Família, escrita por ele.
ORAÇÃO À SAGRADA FAMÍLIA

Jesus, Maria e José,
em Vós, contemplamos
o esplendor do verdadeiro amor, a Vós, com confiança, nos dirigimos.

Sagrada Família de Nazaré,
tornai também as nossas famílias
lugares de comunhão e cenáculos de oração,
escolas autênticas do Evangelho
e pequenas Igrejas domésticas.

Sagrada Família de Nazaré,
que nunca mais se faça, nas famílias, experiência
de violência, egoísmo e divisão:
quem ficou ferido ou escandalizado
depressa conheça consolação e cura.

Sagrada Família de Nazaré,
que o próximo Sínodo dos Bispos
possa despertar, em todos, a consciência
do caráter sagrado e inviolável da família,
a sua beleza no projeto de Deus.

Jesus, Maria e José,
escutai, atendei a nossa súplica.

 

CNBB

Feministas protestam durante oração do Papa Bento 16

 

O grupo feminista Femen realizou um protesto na manhã deste domingo (13) na Praça de São Pedro, no Vaticano, enquanto o Papa Bento 16 fazia a tradicional benção dominical da oração do Ângelus da janela de seu apartamento.

Relatos contam que quando o Papa apareceu em sua janela para a oração, elas começaram a se despir, e em segundos mostraram os seios no meio dos fiéis, na Praça São Pedro.

As feministas exibiam  a expressão “Calem-se” e

no peito e nas costas “Em gays confiamos” (‘In gay we trust’) uma alusão a ‘In god we trust’ (Em Deus confiamos, lema oficial dos Estados Unidos). A ação durou apenas alguns minutos, mas o suficiente para causar espanto entre os fiéis. Imediatamente policiais as abordaram e elas foram rapidamente detidas.

O Femen é conhecido desde 2010 por suas ações de ‘topless’, principalmente na Rússia, Ucrânia e Inglaterra, mas já espalham para outros países. Em setembro, elas criaram em Paris “o primeiro centro de treinamento” do “novo feminismo”. Essas feministas defendem também a democracia e o combate à corrupção.

No Brasil

Na noite de terça-feira (8), quando a 13ª edição do reality show Big Brother Brasil estava prestes a estrear, três feministas do Femen Brazil realizaram um protesto contra o programa no shopping Santana, zona norte de São Paulo.

Com os seios à mostra, elas exibiam mensagens de protestos escritas em seus corpos. Entre as frases estava “Acorda povo”. O grupo explica que o ato teve o propósito de lutar contra a alienação e destaca que mais importante que criar um “zoológico humano” é preocupar-se com os graves problemas sociais que o Brasil enfrenta.

O protesto das garotas foi rapidamente interceptado pelos seguranças do shopping, que imediatamente as agarraram pelo pescoço, cobriram seus rostos e as levaram para uma sala fechada. As feministas permaneceram trancadas cerca de uma hora e depois foram levadas à 72º delegacia policial, localizada na zona norte, onde foram acusadas de ato obsceno.

Com agências

Fundador da Comunidade Doce Mãe de Deus, estará em Bananeiras-PB nesta quinta, lançando o caderno de oração “Meu Encontro 2012”

 

Inaldo Alexandre, fundador da Comunidade Doce Mãe de Deus estará na cidade de Bananeiras-PB nesta quinta feira (29). Na ocasião ele estará lançando o caderno de oração Meu Encontro 2013.

“Meu Encontro” é um caderno de oração que foi cuidadosamente preparado para promover um encontro diário com o Senhor, através da Palavra de Deus pela liturgia diária, direcionamentos semanais e frases de autoria de Inaldo Alexandre, Fundador e Moderador Geral da Comunidade Doce Mãe de Deus, com o objetivo de nortear nossa oração pessoal.

O evento será realizado a partir das 19:30 na casa de Missão Bananeiras no antigo Carmelo, ao lado da Escola municipal Emília Neves.

André Alexsandro ( Comunidade Doce Mãe de Deus) para o Focando a Notícia

Católicos franceses fazem polêmica oração contra casamento gay

Milhares de católicos franceses rezaram nesta quarta-feira pela família e pelo direito das crianças de ter um pai e uma mãe tradicionais, causando polêmica em relação à disposição do governo socialista de legalizar o casamento e a adoção por parte de casais homossexuais.

Por ocasião do Dia da Assunção, festa católica que celebra a ascensão aos céus da Virgem Maria, cerca de 20 mil fiéis rezaram em Lourdes, famoso local de peregrinação dedicado à mãe de Jesus, e outros milhares na catedral Notre-Dame de Paris e nas demais igrejas da França.

Os bispos católicos franceses criaram polêmica ao pedir aos fieis que fizessem essa determinada oração, o que foi interpretado como uma tomada de posição contra o casamento entre homossexuais.

A Igreja francesa pediu aos fieis que orassem para que as crianças “deixem de ser objeto dos desejos e conflitos dos adultos para se beneficiarem plenamente do amor de um pai e de uma mãe”.

O direito ao casamento e à adoção para casais homossexuais são compromissos de campanha do presidente François Hollande. Segundo uma pesquisa do Ifop publicada nesta terça, 65% dos franceses são favoráveis ao casamento homossexual, em avanço de dois pontos em relação a uma pesquisa realizada há um ano. Em relação à adoção, 53% dos franceses seriam favoráveis, ou seja, cinco pontos a menos em relação a 2011.

Terra

CNBB convoca para Vigília de Oração pela Vida

Na próxima quarta-feira, dia 11/04, o Supremo Tribunal Federal (STF) realiza o julgamento sobre a descriminalização do aborto de anencéfalos – casos em que o feto tem má formação no cérebro. A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) enviou nesta Sexta-feira Santa, 06/04, uma carta a todos os bispos do país, convocando para uma Vigília de Oração pela Vida às vésperas do julgamento.

Em agosto de 2008, por ocasião do primeiro julgamento do caso, a CNBB publicou uma nota que explicita a sua posição. “A vida deve ser acolhida como dom e compromisso, mesmo que seu percurso natural seja, presumivelmente, breve. (…)Todos têm direito à vida. Nenhuma legislação jamais poderá tornar lícito um ato que é intrinsecamente ilícito. Portanto, diante da ética que proíbe a eliminação de um ser humano inocente, não se pode aceitar exceções. Os fetos anencefálicos não são descartáveis.  O aborto de feto com anencefalia é uma pena de morte decretada contra um ser humano frágil e indefeso. A Igreja, seguindo a lei natural e fiel aos ensinamentos de Jesus Cristo, que veio “para que todos tenham vida e vida em abundância” (Jo 10,10), insistentemente, pede,  que a vida seja respeitada e que se promovam políticas públicas voltadas para a eficaz prevenção dos males relativos à anencefalia e se dê o devido apoio às famílias que convivem com esta realidade”.

A seguir, a íntegra da carta da presidência da CNBB, bem como o texto completo da nota sobre o assunto.

Brasília, 06 de abril de 2012
P – Nº 0328/12

Exmos. e Revmos. Srs.

Cardeais, Arcebispos e Bispos
Em própria sede
ASSUNTO: Vigília de Oração pela Vida, às vésperas do dia 11/04/12, quarta feira.
DGAE/2011-2015: Igreja a serviço da vida plena para todos (nn. 65-72)
“Para que TODOS tenham vida” (Jo 10,10).
CF 2008: “Escolhe, pois, a vida” (Dt 30,19).
CF 2012: “Que a saúde se difunda sobre a terra” (Eclo 38,8).

Irmãos no Episcopado,

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil jamais deixou de se manifestar como voz autorizada do episcopado brasileiro sobre temas em discussão na sociedade, especialmente para iluminá-la com a luz da fé em Jesus Cristo Ressuscitado, “Caminho, Verdade e Vida”.

Reafirmando a NOTA DA CNBB (P – 0706/08, de 21 de agosto de 2008) SOBRE ABORTO DE FETO “ANENCEFÁLICO” REFERENTE À ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL Nº 54 DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, a presidência solicita aos irmãos no episcopado:
  • Promoverem, em suas arqui/dioceses, uma VIGÍLIA DE ORAÇÃO PELA VIDA, às vésperas do julgamento pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a possibilidade legal do “aborto de fetos com meroanencefalia (meros = parte), comumente denominados anencefálicos” (CNBB, nota P-0706/08).

Informa-se que a data do julgamento da ADPF Nº 54/2004 será DIA 11 DE ABRIL DE 2012, quarta feira da 1ª Semana da Páscoa, em sessão extraordinária, a partir das 09 horas.

Com renovada estima em Jesus Cristo, nosso Mestre Vencedor da morte, agradecemos aos irmãos de ministério em favor dos mais frágeis e indefesos,

Cardeal Raymundo Damasceno Assis          Dom José Belisário da Silva          Dom Leonardo Steiner
Arcebispo de Aparecida                               Arcebispo de São Luiz               Bispo Auxiliar de Brasília
Presidente da CNBB                                  Vice Presidente da CNBB                 Secretário Geral da CNBB

Nota da CNBB sobre Aborto de Feto “Anencefálico”

Referente à Argüição de Descumprimento de Preceito Fundamental n. 54 do Supremo Tribunal Federal

O Conselho Episcopal Pastoral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, em reunião ordinária, vem manifestar-se sobre a Argüição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF n° 54/2004), em andamento no Supremo Tribunal Federal, que tem por objetivo legalizar o aborto de fetos com meroanencefalia (meros = parte), comumente denominados “anencefálicos”, que não têm em maior ou menor grau, as partes superiores do encéfalo e que erroneamente, têm sido interpretados como não possuindo todo o encéfalo, situação que seria totalmente incompatível com a vida, até mesmo pela incapacidade de respirar. Tais circunstâncias, todavia, não diminuem a dignidade da vida humana em gestação.

Recordamos que no dia 1° de agosto de 2008, no interior do Estado de São Paulo, faleceu, com um ano e oito meses, a menina Marcela de Jesus Galante Ferreira, diagnosticada com anencefalia. Quando Marcela ainda estava viva, sua pediatra afirmou: “a menina é muito ativa, distingue a sua mãe e chora quando não está em seus braços.” Marcela é um exemplo claro de que uma criança, mesmo com tão malformação, é um ser humano, e como tal, merecedor de atenção e respeito. Embora a Anencefalia esteja no rol das doenças congênitas letais, cursando com baixo tempo de vida, os fetos portadores destas afecções devem ter seus direitos respeitados.

Entendemos que os princípios da “inviolabilidade do direito à vida”, da “dignidade da pessoa humana” e da promoção do bem de todos, sem qualquer forma de discriminação, (cf. art. 5°, caput; 1°, III e 3°, IV, da Constituição Federal) referem-se também aos fetos anencefálicos. Quando a vida não é respeitada todos os outros direitos são menosprezados. Uma “sociedade livre, justa e solidária” (art. 3°, I, da Constituição Federal) não se constrói com violências contra doentes e indefesos. As pretensões de desqualificação da pessoa humana ferem sua dignidade intrínseca e inviolável.

A vida deve ser acolhida como dom e compromisso, mesmo que seu percurso natural seja, presumivelmente, breve. Há uma enorme diferença ética, moral e espiritual entre a morte natural e a morte provocada. Aplica-se aqui, o mandamento: “Não matarás” (Ex 20,13).

Todos têm direito à vida. Nenhuma legislação jamais poderá tornar lícito um ato que é intrinsecamente ilícito. Portanto, diante da ética que proíbe a eliminação de um ser humano inocente, não se pode aceitar exceções. Os fetos anencefálicos não são descartáveis.  O aborto de feto com anencefalia é uma pena de morte decretada contra um ser humano frágil e indefeso.

A Igreja, seguindo a lei natural e fiel aos ensinamentos de Jesus Cristo, que veio “para que todos tenham vida e vida em abundância” (Jo 10,10), insistentemente, pede,  que a vida seja respeitada e que se promovam políticas públicas voltadas para a eficaz prevenção dos males relativos à anencefalia e se dê o devido apoio às famílias que convivem com esta realidade.

Com toda convicção reafirmamos que a vida humana é sagrada e possui dignidade inviolável. Fazendo, ainda, ecoar a Palavra de Deus que serviu de lema para a Campanha da Fraternidade, deste ano, repetimos: “Escolhe, pois, a vida” (Dt 30,19).

Dom Geraldo Lyrio Rocha – Arcebispo de Mariana – Presidente da CNBB

Dom Luiz Soares Vieira Arcebispo de Manaus – Vice Presidente da CNBB
Dom Dimas Lara Barbosa – Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro – Secretário Geral da CNBB