Arquivo da tag: Operário

Operário morre após ser atingido por máquina em fábrica de João Pessoa

samuUm funcionário de uma fábrica de tecidos morreu após um maquinário cair em cima dele durante o serviço na manhã desta segunda-feira (8) no Distrito Industrial, em João Pessoa. De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social (Seds), a Polícia Militar recebeu o chamado por volta das 10h. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser chamado, mas o homem não resistiu e morreu no local.

Ainda segundo a Seds, uma equipe da Polícia Civil e do Instituto de Polícia Científica (IPC) estavam no local por volta das 11h30 para realizar uma perícia. O G1 tentou entrar em contato com a fábrica, mas as ligações não foram atendidas até as 11h45.

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Adversário do Campinense, Operário-PR é gerido por grupo de 42 empresários

operarioFundado em 1º de maio de 1912, o Operário Ferroviário Esporte Clube, Alvinegro da cidade de Ponta Grossa-PR, será o adversário do Campinense nas oitavas de final da Série D do Campeonato Brasileiro. A agremiação é gerida atualmente por um grupo de 42 empresários, dentre os quais dois deputados, um estadual e outro federal.

O time paranaense ficou na segunda colocação do Grupo A-7, com 16 pontos distribuídos em cinco vitórias, um empate e duas derrotas, um aproveitamento de 66%. Seu último jogo foi ontem, em casa: vitória por 3 a 1 sobre o Resende-RJ.

Mesmo com uma campanha melhor do que a Raposa, o Fantasma, como vice-líder de chave, vai ter que fazer a primeira partida em casa e decidir a sorte jogando Amigão, em Campina Grande.

O duelo entre alvinegros e rubro-negros vai marcar o único choque de campeões estaduais em 2015 das oitavas. Se por um lado o Campinense conquistou o Paraibano no ano do seu centenário, do outro o Operário surpreendeu e atropelou o Coritiba no Paranaense, sagrando-se pela primeira vez campeão da elite daquele Estado.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Sediado numa cidade com 350 mil habitantes, o Fantasma tem uma torcida presente e manda seus jogos no estádio Germano Krüger, que hoje tem capacidade para 8.620 expectadores. A praça esportiva tem gramado de boa qualidade, medindo 109m x 72m. Lá o Operário ganhou os quatro jogos que mandou nessa Série D: 2 a 1 no RB Brasil, 1 a 0 no Ypiranga-RS, 1 a 0 no Inter de Lages-SC e 3 a 1 no Resende.

O técnico da equipe é o catarinense Itamar Shülle, de 48 anos, que iniciou seu trabalho no OFEC em outubro de 2014. Em maio, o treinador chegou até a ser especulado no Grêmio, que acabara de demitir Felipão. O profissional trabalhou no futebol paraibano em 2010, quando comandou o Botafogo-PB.

Do time campeão paranaense nesse ano, além de Itamar, mais de 10 jogadores permaneceram no alvinegro, dentre eles o goleiro Guilherme, o lateral Peixoto, os zagueiros Juan Sosa, Micael e Douglas Mendes, ex-Treze, os volantes Chicão, Lucas e Jhonathan Silva, os atacantes Peixinho e Paulinho, além do meia Eliomar.

No nacional, Shülle tem escalado a equipe no esquema 4-4-2, utilizando a seguinte base: Paulo Sérgio, Fagner, Juan Sosa, Douglas e Edson; Chicão, Lucas, Julinho e Rennan; Gilvan e Rossi.

O meia Renatinho, campeão paraibano pelo Campinense, chegou a iniciar a competição como camisa 10 do Operário-PR, mas hoje é uma das alternativas do técnico no banco.

Atual gestão

O Fantasma de Vila Oficina (nome do bairro onde o clube foi fundado) é gerido por 42 empresários da cidade de Ponta Grossa através de uma associação chamada Amigos do Operário, que é presidida por José Álvaro Goes Filho, tendo Antonio Luis Mikulis como vice-presidente.

Entre esses colaboradores estão os parlamentaresPlauto Miró Guimarães Filho (primeiro secretário da Assembleia Legislativa do Paraná) e radialista e advogado Sandro Alex, deputado federal.

O grupo comanda os destinos do Operário-PR desde o início do ano passado.

No modelo de gestão adotado, a associação propõe que cada um dos 42 membros adquiram uma espécie de plano especial de sócio-torcedor, o qual custa R$ 2 mil por mês. Além disso, cada integrante precisa ainda angariar mais cinco sócios para pagar mensalmente R$ 500,00.

Fora isso, o Operário-PR conta com os planos para os sócios-torcedores comuns.

Histórico no Campeonato Brasileiro

Esta é a terceira participação do OFEC na quarta divisão nacional. Em 2010 a equipe ficou na sexta colocação, saindo para o Madureira-RJ nas quartas de final. No ano seguinte, o Operário-PR ficou na 24ª posição.

Atual 136º colocado no Ranking Nacional de Clubes da CBF, o time de Ponta Grossa-PR acumula ainda três participações na Série A do Brasileiro (1979, 1980 e 1989), duas na Série B (1990 e 1991) e duas na Série C (1992 e 1993).

 

paraibaonline

Operário fica ferido ao cair do terceiro andar de prédio em obras na Paraíba

Operário se feriu ao cair do terceiro andar de prédio em obras (Foto: Walter Paparazzo/G1)
Operário se feriu ao cair do terceiro andar de prédio em obras (Foto: Walter Paparazzo/G1)

Um operário caiu do terceiro andar de um prédio em obras no bairro do Bessa, em João Pessoa, na tarde desta quinta-feira (27). De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, na hora do acidente, a vítima de 32 anos trabalhava em cima de andaimes que estavam sem amarração e também não usava equipamento de segurança, como cinto e capacete.

 

O sargento Batista, da equipe de resgate do Corpo de Bombeiros, informou que o homem fraturou a clavícula e o punho esquerdos e ainda estava com um edema atrás da cabeça. Ele foi estabilizado pelos Bombeiros e transferido para uma unidade do Samu, que concluiu o socorro. De acordo com o Hospital de Emergência e Trauma, onde a vítima foi atendida, o estado dele é regular e às 17h30 estava passando por exames.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Este foi o terceiro caso de acidente de trabalho em prédios em obras na Região Metropolitana de João Pessoa neste mês de novembro. No dia 19, um jovem de 24 anos morreu após um elevador despencar de um prédio residencialno bairro de Cabo Branco, em João Pessoa. Já terça-feira (25), dois operários de uma fábrica de cimento morreram na queda de um elevador de obras no município do Conde.

 

 

G1

Operário morre na Arena Pantanal, sede da Copa do Mundo em Cuiabá

arena-pantanalMorreu nesta quinta-feira (8) um operário que trabalhava na Arena Pantanal, estádio que sediará jogos da Copa do Mundo de 2014 em Cuiabá. Mohamed Ali Maciel Afonso, 32, foi vítima de uma descarga elétrica, recebeu atendimento no local e não resistiu. Uma equipe de perícia técnica está avaliando o local do acidente no momento, e a construção foi interrompida apenas na área.

A 35 dias do início da Copa do Mundo, a Arena Pantanal tem 98% de conclusão. Mohamed Ali Maciel Afonso era funcionário da Etel, empresa que faz parte do consórcio responsável por telecomunicações no estádio, e trabalhava com acabamento na parte elétrica do aparato. Ele sofreu a descarga quando instalava uma luminária no corredor de acesso aos camarotes do setor leste.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O acidente aconteceu por volta de 11h desta quinta-feira. O Samu e o Corpo de Bombeiros foram acionados, chegaram em poucos minutos e tentaram reanimar o operário. Mohamed Ali Maciel Afonso chegou a voltar a ter batimentos, mas não ficou estável. O óbito foi decretado às 11h40.

A repercussão que a morte ainda dependem do resultado da perícia. Faltam 3 mil cadeiras e uma série de ajustes de pequeno porte para a conclusão do estádio – a parte elétrica, por exemplo.

Também na tarde desta quinta, a Etel fará um pronunciamento oficial sobre a morte do operário.

“Como aconteceu agora, estamos priorizando os procedimentos de atendimento à família. As atividades estão paralisadas, mas ainda não temos informações ou prazos”, disse um funcionário da Secopa-MT.

Até 14h30, o corpo do operário ainda estava no estádio. A família já foi avisada, e a Secopa disse que ele usava todo o equipamento de proteção necessário.

O operário de Cuiabá é o nono a morrer em obras de estádios para a Copa do Mundo de 2014.

Em 11 de junho de 2012, o ajudante de carpinteiro José Afonso de Oliveira Rodrigues, 21 anos, caiu de uma laje no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Em 27 de novembro de 2013, dois trabalhadores morreram após a queda do guindaste que levantava uma peça da cobertura do estádio corintiano: o operador Fábio Luiz Pereira, de 42 anos, e o montador Ronaldo Oliveira dos Santos, de 44.

O primeiro óbito em Manaus aconteceu em 28 de março de 2013, quando o corpo do pedreiro Raimundo Nonato Lima Costa, de 49 anos, foi encontrado por trabalhadores do turno noturno da obra. Segundo testemunhas, Costa caiu enquanto caminhava sobre uma viga a 4 metros de altura.

Outros dois acidentes aconteceram no Amazonas em 14 de dezembro. Marcleudo de Melo Ferreira, 22 anos, que trabalhava na instalação dos refletores do estádio no turno da madrugada também sofreu uma queda e morreu. Horas depois, o operário José Antônio da Silva Nascimento, de 49 anos, que trabalhava no serviço de limpeza e terraplanagem, teve um infarto enquanto trabalhava.

A lista de mortes em obras da Copa ainda tem Antônio José Pita Martins, que trabalhava na desmontagem de um guindaste em terreno vizinho à Arena da Amazônia, e Fabio Hamilton Cruz, que caiu enquanto montava plataformas na estrutura móvel do Itaquerão.

 

Guilherme Costa e Vinicius Segalla

Operário da Arena da Amazônia sofre grave acidente e vai para o hospital

Na manhã desta sexta-feira, a Arena da Amazônia, estádio de Manaus para a Copa 2014, teve mais um capítulo ruim. O operário Antônio José Pita Martins, de 55 anos, sofreu um grave acidente e foi encaminhado ao Pronto Socorro 28 de Agosto, na Zona Centro-Sul de Manaus. O trabalhador estava desmontando um dos guindastes da cobertura quando uma peça caiu em sua cabeça, segundo informações de operários.

Operário Arena da Amazônia (Foto: Camila Henriques)Operário teve traumatismo craniano (Foto: Camila Henriques)

A assessoria de imprensa da Unidade Gestora do Projeto Copa no Amazonas (UGP Copa) confirmou o acidente com o operário e informou que o trabalhador era de uma empresa terceirizada. Apesar do fato, a UGP confirmou que o rapaz está vivo, foi levado para o Pronto-Socorro 28 de agosto, e, em seguida, foi transferido para outro Pronto-Socorro, o João Lúcio, na Zona Leste.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo informações do secretário de saúde do Estado, Wilson Alecrim, o operário está com escoriações no ombro direito, alterações na respiração e traumatismo craniano. No momento está sedado, passando por tomografias, para avaliar se será necessário realizar cirurgia e encaminhá-lo para UTI.

Info ACIDENTE ARENA DA AMAZÔNIA (Foto: Infoesporte)Local onde Antônio trabalhava no momento do acidente (Foto: Infoesporte)

De acordo com um dos operários que presenciou o acidente, mas que nãos quis se identificar, o episódio ocorreu por volta das 8h (10h de Brasília). Ele informou que o socorro demorou por volta de 40 minutos para chegar. Um dos diretores do sindicato dos trabalhadores, Francisco Sarmento, tentou entrar no estádio, mas foi impedido pelos seguranças.

Logo após o acidente, peritos do Ministério Público do Trabalho do Amazonas visitaram o local onde ocorreu o acidente. De acordo com a assessoria do órgão, ainda nesta sexta deverá ser dado um posicionamento.

O coordenador da UGP Copa, Miguel Capobiango, informou que o acidente não alterará o cronograma das obras do estádio. Isso porque o fato ocorreu fora do estádio, na área do sambódromo. Nesta manhã, um dos representantes da empresa Martfer, responsável pelo setor de guindastes entrou no estádio, mas não quis falar com a imprensa. Já a Andrade Gutierrez, responsável pela obra da Arena da Amazônia, disse, por meio da assessoria de imprensa, que encaminhará nota.

Histórico de acidentes

No ano passado, a Arena da Amazônia teve duas mortes de operários. A primeira ocorreu no dia 28 de março. O operário Raimundo Nonato Lima Costa morreu após ter caído de uma altura aproximada de 5 metros, após tentar passar de uma coluna para um andaime. A outra morte ocorreu no dia 14 de dezembro do mesmo ano. O operário Marcleudo de Melo Ferreira, de 22 anos,caiu de uma altura aproximada de 40 metros, quando trabalhava no guindaste que fazia a instalação da cobertura.

Visita do governador cancelada

Na manhã desta sexta-feira, estava prevista uma vistoria do governador do Amazonas, Omar Aziz. No entanto, com a notícia do acidente, a visita foi cancelada. A Arena da Amazônia está com 98,58% das obras concluídas e deverá ter as obras finalizadas no dia 14 de fevereiro.

Por Alírio Lucas (com supervisão de Silvio Lima) e colaboração de Camila Henriques, do G1 Amazonas

Desabamento na obra da Arena Palestra mata um operário

arenaO desabamento de três vigas na obra da Arena Palestra, na zona Oeste de São Paulo, na manhã desta segunda-feira, deixou uma pessoa morta e outra ferida, que foi levada com ferimentos leves para a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros.

O acidente ocorreu pouco depois das 11h, no setor onde a nova arquibancada seria erguida sobre a estrutura da antiga, na área em frente à Avenida Francisco Matarazzo. Marco Aurelio Batista, delegado do 23º DP, está no local.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A vítima se chama Carlos de Jesus, tinha 34 anos e ainda está debaixo da viga de concreto. O corpo só será retirado depois que um guindaste chegar ao local para retirar a viga. Pelo menos cinco pessoas trabalhavam na área afetada. O operário levado para a Santa Casa se chama Crispiniano Santos. Ele teve uma contusão no ombro e escoriações na região lombar, e está sendo submetido a exames.

– Foi um efeito dominó. Quando uma viga caiu, outras começaram a cair. As pessoas que trabalhavam no local conseguiram fugir, menos essa que faleceu – relatou o médico Maurício Minari, do Corpo de Bombeiros.

Chorando muito, um operário deu entrevistas dizendo que o acidente ocorreu enquanto parte dos trabalhadores ouvia uma palestra sobre segurança no trabalho. Rogério Pereira dos Santos se disse amigo de Carlos de Jesus.

 

A WTorre, empresa responsável pela obra, se pronunciou por volta das 13h:

A WTorre Engenharia e Construção S/A lamenta informar que na manhã desta segunda-feira um acidente nas instalações da Nova Arena Palmeiras causou a morte de um operário vinculado a uma das empresas prestadoras de serviço no empreendimento. Na oportunidade, um outro trabalhador teve escoriações leves e está sob cuidados médicos. A WTorre Engenharia e Construção S/A já colocou à disposição dos familiares das vítimas todo a assistência necessária. As causas do acidente estão sob investigação, e ainda não é possível apontar os motivos da ocorrência. Tão logo tenha informações mais detalhadas sobre o fato, a WTorre Engenharia e Construção S/A vai torná-las disponíveis à opinião pública“.

Segundo Jair Pacca de Lima, coordenador da Defesa Civil, uma área de 4.800 metros quadrados foi interditada para averiguação do ocorrido. Ele disse que o acidente foi uma “fatalidade”, e que o Palmeiras nada tem a ver com o assunto – a WTorre é a responsável pela obra. Os funcionários que chegaram para o turno da tarde foram proibidos de entrar.

O Ministério Público vinha tentando embargar a obra desde 2011, questionando, além de impacto ambiental e no trânsito na região, a utilização de notas frias nos períodos entre 2002 e 2008. O órgão questiona se a obra se trata de uma reforma ou uma construção nova – o atual alvará que o clube possui, de 2002, é de reforma, e por isso não foram demolidas as arquibancadas da entrada da Rua Francisco Matarazzo, local do acidente.

  • Arena Palestra (Foto: Divulgação / WTorre)Arena Palestra, em foto datada do último dia 21 de março (Foto: Divulgação / WTorre)

O processo de construção da nova Arena Palestra teve início em outubro de 2010, com a demolição de parte do antigo estádio, fundado em 1902 e que passou a ser do Verdão em 1920, e a construção de dois edifícios. Em um deles funcionará o setor administrativo do clube, a academia e o salão de festas. No outro, ficam as quadras poliesportivas, que substituem o antigo ginásio.

Arena Palmeiras acidente cobertura reprodução (Foto: Felipe Zito)Foto tirada da tela do celular do médico mostra viga
retorcida à direita (Foto: Marcelo Prado)

Há exatamente um ano, com o local “limpo”, iniciou-se a construção da nova casa alviverde, que terá capacidade para 45 mil torcedores em dias de jogos. Hoje, o local encontra-se com 63% das obras concluídas, restando apenas a colocação das arquibancadas em cima do pedaço mantido do antigo estádio – e foi justamente ali o local do desabamento. A construção por cima do trecho antigo foi uma exigência da Prefeitura de São Paulo, que concedeu alvará apenas de reforma e não de construção de um novo estádio.

A inauguração estava prometida para entre outubro e dezembro deste ano. No entanto, como o processo atual de construção por cima do velho Palestra leva mais tempo do que o esperado, existe a possibilidade de a inauguração ocorrer apenas em 2014, ano do centenário do clube.

Arena Palestra (Foto: Felipe Zito)Suposta área onde teria ocorrido o desabamento na Arena Palestra (Foto: Felipe Zito)

Além de sediar os jogos do Verdão, o estádio também funcionará como uma arena multiuso para sediar shows e outros eventos, com capacidade para até 55 mil pessoas. O custo da obra é de R$ 350 milhões. O Palmeiras terá direito a 100% da renda dos jogos e a uma porcentagem de outros espetáculos. Estudos iniciais apontam que o clube, em 30 anos, período do contrato com a WTorre, pode faturar até R$ 2 bilhões com receitas geradas pelo estádio.

Ambulância Arena Palmeiras acidente (Foto: Felipe Zito)Ambulância deixa a Arena Palestra após o acidente (Foto: Felipe Zito)
Ambulância Arena Palmeiras acidente (Foto: Felipe Zito)Corpo de Bombeiros está no local (Foto: Felipe Zito)
Arena Palmeiras acidente (Foto: Felipe Zito)A área do acidente foi isolada (Foto: Felipe Zito)

Arena Palmeiras acidente carro de bombeiros (Foto: Nelson Antoine / Ag. Estado)Obra foi paralisada após o acidente (Foto: Nelson Antoine / Ag. Estado)

 

acidente Arena Palmeiras (Foto: Felipe Zito)Local do acidente na Arena Palestra (Foto: Felipe Zito)
médico acidente Arena Palmeiras (Foto: Felipe Zito)Médico Maurício Maniri, que atendeu o operário ferido (Foto: Felipe Zito)

.

 

Globoesporte.com

Operário sobrevive após ter cérebro atravessado por um vergalhão de 2m de comprimento

Imagem mostra vergalhão do crânio de um operário, que sobreviveu após cirurgia Pablo Jacob / Agência O Globo

RIO – Um operário da construção civil de 24 anos foi atingido nesta quarta-feira por um vergalhão numa obra em Botafogo, Zona Sul do Rio, e sobreviveu. O pedaço de ferro, de dois metros de comprimento, atravessou o capacete do rapaz, perfurou seu cérebro e saiu pela região entre os olhos. Os bombeiros cortaram uma parte do vergalhão no local do acidente e levaram o ferido para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea. A equipe cirúrgica operou a vítima ainda ontem, durante cinco horas. Segundo os médicos, o operário – cujo nome não foi divulgado – chegou ao hospital falando e consciente. Três médicos participaram da cirurgia, que reconstruiu o cérebro do rapaz, que, aparentemente, não apresenta sequelas.

A vítima está internada no Centro de Tratamento Intensivo (CTI), mas acordada e falando. De acordo com o diretor do hospital, Luiz Alexandre Essinger, o risco agora é que o paciente contraia uma infecção:

— Quando o vergalhão entrou no cérebro, levou também muita poeira. Os cirurgiões limparam a área e cauterizaram os vasos sanguíneos afetados. O risco agora é ter uma infecção. Para evitar uma contaminação de secreções dos seios da face, o vergalhão foi puxado para baixo durante a cirurgia.

Segundo os médicos, a área afetada do cérebro é responsável pela parte das emoções. A vítima poderia ficar desorientada ou ter perda de memória, o que não aconteceu. Ele ainda deu mais sorte: se o vergalhão tivesse entrado três centímetros mais para o lado, teria atingido a parte do cérebro responsável pela coordenação motora. A vítima não estaria conseguindo mexer pernas e braços. Se tudo der certo, o paciente terá alta em uma semana.

Em 2009, o mergulhador Emerson de Oliveira Abreu, de 36 anos, foi atingido por um arpão que perfurou o lado esquerdo de seu crânio durante uma pesca submarina na Baía de Guanabara, na altura da Ilha do Governador. Ele foi ferido pelo próprio equipamento, que resvalou em uma pedra e retornou em sua direção. A arma, de 70 centímetros, não chegou a atravessar o crânio de Abreu, que chegou consciente ao hospital.

À época, os médicos disseram que por alguns milímetros não alcançou a artéria carótida. Ele teve alta do hospital alguns dias depois, sem sequelas. Segundo os médicos, 25 centímetros do arpão penetraram na região frontal direita do cérebro de Emerson.

O Globo