Arquivo da tag: Ocupar

Servidores ameaçam ocupar novamente gabinete de Romero em protesto contra atraso salarial

protestoOs servidores municipais de Campina Grande estão ameaçando uma nova ocupação da sede da prefeitura, caso o prefeito Romero Rodrigues (PSDB) não os receba ou não apresente uma proposta até as 11h desta terça-feira (13). Os manifestantes realizaram protesto ontem e ocuparam o gabinete do prefeito, na prefeitura, para pressionar o governo municipal.

O movimento dos servidores é em prol do Fundeb, dos vales-transportes e contra o atraso salarial que acomete a categoria da saúde.

Apesar do protesto, o prefeito Romero Rodrigues não estava presente nessa segunda-feira. O chefe de Gabinete Fábio Tabosa recebeu uma comissão especial para apresentar suas demandas, entre eles o vice-presidente do Sintab Giovanni Freire, o vereador e diretor do Sintab Napoleão Maracajá, os diretores Franklyn Barbosa e Leandro Morais, além dos servidores Giovana Tinto, Rejane Oliveira e Joaquim Dias.

De acordo com o Sindicato, estava programada para esta terça-feira decisão da Justiça a respeito do que estabelece a lei sobre o Fundeb, ou seja, repassar 60% para os professores e 40% para a educação.

Inconformados com a situação de mais um mês com atrasos salariais, a categoria da saúde compareceu em peso. “Somos a única categoria que recebe com atrasos”, reclamou Dias.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Preso em PE suspeito de articular ataques a bancos da PB e ocupar lugar de ‘Beira-Mar’

Divulgação/ Secom PB Operação foi comandada pelo GOE
Divulgação/ Secom PB
Operação foi comandada pelo GOE

A Polícia Civil da Paraíba, por meio do Grupo de Operações Especiais (GOE), prendeu, nessa quarta-feira (22), em operação realizada na cidade de Santa Cruz do Capibaribe (Agreste pernambucano, a 190 km de Recife), um homem suspeito de chefiar uma quadrilha especializada em assaltos a bancos.

Segundo a polícia, José Ricardo de Souza Silva, conhecido como ‘Seu Chico’ ou ‘Nogueira’, ocupava o espaço deixado por um criminoso conhecido como Gilson Beira-Mar, atualmente recluso em presídio federal e investigado por vários crimes, dentre eles ataques à instituições bancárias e tráfico de drogas.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O trabalho da equipe do GOE contou com dois meses de investigações e desarticulou a organização criminosa que atuava sob a liderança de Seu Chico, um dos principais articuladores de explosões a banco na Paraíba. Antes da prisão de José Ricardo, outros integrantes da quadrilha foram presos no dia 15 de julho, na Paraíba e nos estados do Maranhão e Piauí.

Ainda conforme a polícia, José Ricardo é apontado como um dos assaltantes mais procurados do Nordeste. Ele é investigado desde 2008, porém nunca havia sido preso. A operação que prendeu o suspeito recebeu o nome ‘Phantom’, que significa ‘fantasma’, em inglês.

Nesta quinta-feira (23), o delegado geral de Polícia Civil da Paraíba, João Alves, o delegado titular do GOE, Allan Terruel, e a adjunta Karina Torres apresentam detalhes da investigação e prisão do suspeito, em coletiva na sede do Grupo de Operações Especiais, em João Pessoa.

Portal Corrreio

Ministro paraibano do STJ articula para ocupar a vaga de Joaquim Barbosa no STF

herman-benjaminO ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Herman Benjamin, natural do município de Catolé do Rocha, está se movimentando para ser o escolhido da presidente Dilma Rousseff (PT) para a vaga de Joaquim Barbosa no Supremo Tribunal Federal (STF). A informação é da coluna Radar Online, da revista ‘Veja’.

Ele ocupa o cargo de ministro do STJ desde setembro de 2006. Além disso, ele já atuou como membro substituto do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e membro do Conselho da Justiça Federal.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ele também desempenhou as funções de membro do Ministério Público do Estado de São Paulo, promotor de Justiça e procurador de Justiça.

 

 

BlogdoGordinho

Edvaldo Rosas é nomeado por Ricardo Coutinho para ocupar cargo no estado

Edvaldo-rosasO Diário Oficial do Estado publicou em sua edição desta quinta-feira (9) vários atos de nomeações do governador Ricardo Coutinho (PSB).

Dentre as nomeações, destaca-se a do presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas, que obteve 50.171 votos nas eleições do último domingo (5) e não conseguiu conquistar o mandato de deputado federal. Ele foi nomeado para Assessoria do gabinete do governador.

O chefe do executivo estadual também promoveu mudanças em direções de escolas, de penitenciárias e nas Secretarias de Recursos Hídricos, de Saúde e de Comunicação.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

BlogdoGorinho

Donas de casa vencem 26 prefeituras e vão ocupar 449 cargos de vereador

 

Donas de casa eleitas prefeitas em 2012 (Foto: Reprodução/TSE)

Apenas 2% das 22.789 donas de casa que disputaram as eleições municipais, realizadas no último domingo (8), foram eleitas no país. De acordo com levantamento do G1, as candidatas vitoriosas vão comandar 26 prefeituras e ocupar 449 vagas em câmaras municipais.

As eleições de 2012 foram as primeiras com a lei que exige 30% de candidaturas de mulheres nos partidos e coligações na disputa para vereador.

A validade da cota obrigatória aumentou em 131% o número de donas de casa candidatas em relação ao pleito de 2008. Elas representaram 4,8% do total de candidatos, atrás apenas dos servidores públicos municipais (39.268), agricultores (38.655) e comerciantes (35.160).

Apesar de o número de mulheres eleitas prefeitas no 1º turno ter aumentado 31,5% em comparação a 2008 – são 663 eleitas, 12,03% do total no país –, o número de donas de casa vitoriosas representa apenas 4% desse montante.

Natália de Dr. Júnior venceu a disputa no município de Ouro Velho (PB) e será, aos 28 anos, a dona de casa mais jovem a assumir o cargo. Aos 67 anos, Socorro Cardoso foi eleita em São Sebastião de Lagoa de Roça (PB) e será a dona de casa mais velha a comandar uma prefeitura no país.

Além das duas cidades paraibanas, também serão comandadas por donas de casa as prefeituras de Olho D’Água Grande (AL), Ituberá (BA), Barroquinha (CE), São José do Calçado (ES), Cuparaque (MG), Estrela Dalva (MG), Volta Grande (MG), Deodápolis (MS), Poxoréu (MT), Caldas Brandão (PB), Juarez Távora (PB), Afrânio (PB), Currais (PB), Abatiá (PR), Bituruna (PR), Sapiranga (RS), Santa Rosa de Lima (SC), Auriflama (SP), Indiaporã (SP), Macedônia (SP), Augustinópolis (TO), Combinado (TO), Lagoa do Tocantins (TO) e Cantá (TO).

2008 2012
Nº de mulheres concorrendo a prefeituras 1.670 2.026
Nº de mulheres eleitas prefeitas 504 663
Nº de donas de casa candidatas a prefeita 102 97
Nº de donas de casa eleitas prefeitas 30 26

 “Mudar a vida das pessoas”
Eleita com 5.912 votos, o equivalente a 62,95% dos votos válidos, Ivanilde Rodrigues (PMDB), de 54 anos, comandará Auriflama, município com 14,2 mil habitantes, no noroeste do estado de São Paulo. (Veja a apuração completa para prefeito e vereador em Auriflama)

Ela afirma que já era vereadora e que ser dona de casa não foi empecilho para se candidatar. “Sou dona de casa. E daí? Me dediquei a criar minhas filhas, tenho uma neta. Decidi que agora foi o momento de me dedicar à minha cidade, acreditei que eu poderia acrescentar. Posso fazer um bom trabalho, nunca colocaria meu nome se não pudesse”, afirma a prefeita eleita.

Sou dona de casa. E daí? […] Fui candidata para realmente mostrar um trabalho, para mudar a vida das pessoas”
Ivanilde Rodrigues,
prefeita eleita de Auriflama (SP)
ivanilde_montagem_300 (Foto: Reprodução/TSE)Ivanilde Rodrigues foi eleita prefeita do município de
Auriflama, em São Paulo (Foto: Reprodução/TSE)

“Fui candidata para realmente mostrar um trabalho, para mudar a vida das pessoas. Com muita humildade, concorri com dois médicos, respeitadíssimos na cidade, e tive uma votação que eu considero expressiva”, completa.

Ivanilde é uma das 97 candidatas donas de casa que disputaram o cargo em todo o país. As prefeituras conquistadas pelas donas de casa estão em cidades com menos de 200 mil habitantes. Nenhuma foi eleita para comandar uma capital.

[Meu marido] me colocou lá e a população elegeu, né”
Maria Suzanice Higino Bahe,
prefeita eleita de Olho D’Água Grande (AL)

Primeira vez
Maria Suzanice Higino Bahe, a Suzi, de 34 anos, foi eleita prefeita pelo Partido Progressista (PP). Ela vai administrar o município de Olho D’Água Grande, em Alagoas, depois de ter recebido 1.755 votos, o equivalente a 53,92% dos votos válidos. (Veja a apuração completa para prefeito e vereador em Olho D’Água Grande)

suzi_montagem_300 (Foto: Reprodução/TSE)Maria Suzanice vai comandar a prefeitura de Olho
D’Água Grande, em Alagoas (Foto: Reprodução/
TSE)

A futura nova prefeita afirma que nunca havia concorrido a um cargo público e que foi o marido que a incluiu na chapa. “Ele me colocou lá e a população elegeu, né.”

Segundo ela, o marido atualmente é prefeito de uma cidade vizinha, Campo Grande (AL), mas ambos moram em Olho D’Água Grande. “Meu marido é prefeito. Eu e ele vamos administrar”, diz Maria Suzanice ao G1.

Vereadoras
Nas câmaras municipais, o aproveitamento das donas de casa foi semelhante. De 22.536 inscritas, 449 foram eleitas vereadoras (2,1%). Elas representarão 5,8% do total de mulheres que ocuparão cargos no Legislativo municipal.

Em comparação com outras ocupações declaradas pelos candidatos – e levando em conta o grande número de candidatas donas de casa inscritas -, o percentual é baixo. Entre os que se disseram “vereador”, por exemplo, 55% conseguiram a reeleição, o maior aproveitamento entre as profissões. Em seguida aparece o candidato com ocupação “prefeito” (56%).

O partido que mais elegeu mulheres nestas eleições foi o PMDB: 42,3% do total de candidatas, seguido do PT do B (41,6%), PR (41,3%) e PSDB (41,2%). Os partidos que lançaram mais donas de casa nas chapas foram o PMDB (2.251 candidatas), à frente do PT (2.001), PSDB (1.905), PP (1.525) e PDT (1.375).

Dados
Apesar de o G1 ter contabilizado 26 prefeitas vitoriosas cruzando os registros de candidaturas e o resultado das eleições, o sistema de estatísticas do TSE informa um outro número: 28. A assessoria de imprensa do tribunal, no entanto, diz não possuir a relação das candidatas vencedoras.

G1

Ocupar uma propriedade que não cumpre sua função social é exigir a lei, diz MST

Advogado do MST, Ney Strozake, afirma que o movimento busca forçar o Poder Executivo a fazer valer a Constituição Federal

 

Ocupar uma propriedade que não cumpre sua função social é exigir a lei, diz MST “O movimento social precisa ir no limite da lei”, diz coordenador da área jurídica do MST (Foto: Camila Rodrigues/Divulgação)

 

O advogado Ney Strozake, coordenador da área jurídica do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), afirmou que a ocupação de terras ocorre para demandar do Poder Executivo o cumprimento da lei. Em um evento na Faculdade Cásper Líbero, na quarta-feira (30/5), ele disse que a Constituição Federal de 1988 determina que a União deve desapropriar a propriedade rural que não cumpre sua função social. Para Strozake, as ações do movimento seriam noticiadas pelos veículos de comunicação como crimes, pois eles seguiriam a opinião do poder político dos proprietários de terra.

“Ocupar uma propriedade que não cumpre sua função social é exigir a lei”, disse ele. No artigo184 da Constituição Federal é dito: “Compete à União desapropriar por interesse social, para fins de reforma agrária, o imóvel rural que não esteja cumprindo sua função social”. E a função social, especificada logo em seguida na Carta Magna, no artigo 186, é cumprida quando, simultaneamente, há o aproveitamento racional e adequado da terra, a utilização adequada dos recursos naturais e preservação do meio ambiente, quando as relações de trabalho são respeitadas, e quando a exploração favorece o bem-estar dos proprietários e dos trabalhadores. Quando uma propriedade não cumpre uma dessas exigências, de acordo com Strozake, o MST a ocupa com a perspectiva que a União a desaproprie e, dela, faça um assentamento.“Enquanto o Estado não desapropriar, ele está desrespeitando a lei”, disse.

Para o advogado, os movimentos sociais devem pressionar para causar mudanças. “O movimento social precisa ir no limite da lei, isto é, fazer ações, no caso do MST, fazer ocupações de terras e de espaço público, que é forçar a sociedade a debater aquele assunto. Não há avanço social político-econômico se o movimento social não for no limite da lei. Não fossem as ocupações do MST, não teríamos os assentamentos que nós temos hoje”, afirmou.

Para ele, o fato de os governos estaduais, os ministérios e os partidos políticos não respeitarem a Constituição Federal mostra como a sociedade é incapaz de manter um acordo. Strozake afirma que a grande imprensa tampouco é capaz de fazê-lo, já que faz-se uma cobertura tendenciosa de todo acontecimento relacionado ao MST, a ocupações de terra e à Reforma Agrária. “Os meios de comunicação tradicionais são sempre porta-vozes do poder econômico, que estão relacionados ao poder político, e terra é poder – não é à toa que mais de 50% da Câmara dos Deputados é composta pela bancada ruralista.”

Procura-se transmitir uma imagem violenta, segundo Strozake. “O aspecto socioeconômico não é trabalhado. O assentamento onde minha família mora produz para a comunidade local e exporta, e os assentados têm um padrão de vida razoável. Alguém aqui viu em algum telejornal nacional uma reportagem sobre os aspectos positivos de um assentamento?”, questionou.

Segundo Strozake, quase todas as informações veiculadas no Brasil são criadas por empresas comunicação pertencente a poucas famílias, mas que a internet vem derrubando esse conglomerado familiar.

Strozake nasceu no Rio Grande do Sul em uma família de agricultores. Seus pais perderam sua média propriedade rural no Paraná, na década de 1970. Naquela época, eles haviam perdido parte da colheita por conta de uma seca e pediram um empréstimo ao banco. Não tiveram, contudo, recursos para pagar a dívida. À época, a produção de soja começava a tomar conta da região. Sua  família se envolveu com o MST, pouco tempo depois de ter de imigrar a São Paulo.

Strozake é mestre pela Universidade de São Paulo e doutor pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e atua junto ao movimento desde antes de sua graduação.

 

Rede Brasil Atual
Focando a Notícia