Arquivo da tag: ocupação

Ocupação da Prefeitura de Santa Rita completa três dias e servidores dizem que só saem com salários

servidores-santa-ritaHá três dias o prédio da Prefeitura da cidade de Santa Rita, na Grande João Pessoa, está ocupada  por servidores municipais que reivindicam salários atrasados.

Os servidores ocuparam as dependências da sede do Poder Executivo Municipal na tarde da segunda-feira (28)  e passam a noite em colchonetes no chão.

De acordo com a categoria, a Prefeitura está devendo quatro folhas de pagamento. Eles afirmam que só vão deixar o prédio quando a situação for resolvida.

O prefeito Netinho de Várzea Nova disse em nota que não efetuou o pagamento dos servidores por conta do bloqueio nas contas da Prefeitura.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Ocupação veta realização do Enem nos Campi da UFPB de Areia e Bananeiras neste fim de semana

(Foto: Volney Andrade/TV Cabo Branco)
(Foto: Volney Andrade/TV Cabo Branco)

Estudantes de quatro instituições da Paraíba, que iriam fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste final de semana foram afetados pela ocupação de estudantes que protestam contra a reforma na educação proposta pelo Governo Federal. Significa que 1,11% dos estudantes inscritos só farão as provas nos dias 3 e 4 de dezembro, conforme divulgado nesta terça-feira (01) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Em todo o País, foram afetados 191.494 alunos.

Estão ocupados, no Estado, os prédios dos Campi II e IV da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em Areia e Bananeiras, respectivamente. E do Instituto Federal da Paraíba, em Cabedelo. Ao todo, na Paraíba, devem fazer o Enem, 221.945 alunos distribuídos em 478 locais.

Os inscritos afetados pelas ocupações serão avisados pelo Inep por meio de SMS, e-mail e divulgação no site. Será possível, ainda, acessar o aplicativo Enem 2016 ou se informar pelo 0800 616161.

Segundo o Inep, a mudança dos locais de prova na véspera da aplicação coloca em risco a segurança do Enem. O exame exige um plano logístico de distribuição do material, com rotas pré-definidas, escoltas policiais e efetivo policial destacado para a operação. A alteração desses locais implica em reprocessar todo o material para readequação da nova logística. O local requer, ainda, estrutura mínima para receber a aplicação, ter acessibilidade para deficientes físicos (banheiros adaptados, mobiliário adequado para cadeirantes, surdos, cegos e à faixa etária), além de salas extras e estudo de plano de risco.

A nova aplicação será em tempo hábil para a utilização dos resultados no SISU, Fies e Prouni. Do ponto de vista da prova, os novos itens serão equivalentes, de modo a garantir a isonomia do Enem.

Novos locais de prova – O Inep está preparando um plano logístico para garantir a segurança e tranquilidade da aplicação das provas no início de dezembro. Os novos locais de prova serão divulgados oportunamente.

correiodaparaiba

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Ministério Público abre inquérito para investigar ocupação de TVs por igrejas

bispo_macedoO procurador da República Sérgio Suiama instaurou um inquérito para investigar a ocupação de horários por igrejas nas grades da Record, Band, RedeTV! e TV Gazeta. Suiama, que atua no Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, quer saber se os espaços são arrendados ou se são tratados como publicidade ou como programação. O inquérito foi aberto com base em estudo da Ancine (Agência Nacional de Cinema) que revelou, em junho, que cultos, missas e pregações já tomam mais tempo nas grandes redes do que telejornais.

A legislação brasileira proíbe a locação de horários. A televisão, como uma concessão de serviço público, não pode ser subconcedida. Também por lei, as redes não podem superar 25% do tempo que ficam no ar com publicidade.

As emissoras não admitem oficialmente que vendem horários para igrejas. Elas preferem tratar a cessão de espaço como “coproduções”, o que caracteriza programação e não é ilegal. Mas, reservadamente, seus executivos confessam que a cessão de espaço às igrejas não é gratuita e que, muito pelo contrário, o púlpito eletrônico é uma das principais fontes de receitas. Na crise, com a queda dos investimentos dos grandes anunciantes e redução de programas de televendas, as igrejas se tornaram ainda mais importantes.

Na Record, a Igreja Universal do Reino de Deus aporta mais de R$ 500 milhões por ano, um quarto do faturamento declarado da rede de Edir Macedo. Em junho, a RedeTV! cortou uma hora de um telejornal vespertino que havia acabado de estrear para exibir conteúdo da Universal. O espaço foi vendido por cerca de R$ 2,5 milhões mensais e salvou algumas dezenas de empregos.

De acordo com o estudo da Ancine, o tempo tomado pelas igrejas na TV cresceu 55% de 2012 para o ano passado. Em 2015, de cada cem minutos de programação de TV aberta, 21 foram estrelados por padres e pastores. Nessa mesma comparação, os telejornais ocuparam 13 de cada cem minutos de transmissão de TV no ano passado. Em algumas emissoras, como na CNT, as igrejas ocupam até 90% do espaço. Na RedeTV!, quinta maior rede do país, o conteúdo religioso é o principal segmento de programação _ocupa 43,4% da grade. O SBT é a única emissora que não tem programação religiosa.

O procurador Suiama excluiu a CNT e a Rede 21 do inquérito porque essas emissoras já são alvo de uma ação civil pública, protocolada no final de 2014, pedindo a cassação das concessões. Suiama já enviou questionários às emissoras e requisitou documentos, como contratos. Dependendo do resultado da apuração, o inquérito poderá virar uma ação na Justiça Federal.

Procuradas pelo Notícias da TV, Record, Band e Gazeta preferiram não se pronunciar. A RedeTV! enviou a seguinte nota:

“A RedeTV!, assim como o Brasil, é laica em sua programação, transmitindo programas de diversas Igrejas evangélicas e a missa da Catedral da Sé da Igreja Católica, dentre outras. Seus programas discutem abertamente temas de todas as religiões, do espiritismo, do candomblé e de qualquer outra motivação religiosa. Entende que como agente de comunicação não tem o direito, nem a vontade, de cercear ou discriminar qualquer manifestação religiosa, garantindo a mais ampla liberdade de expressão.

Programas religiosos existem em todos os países democráticos, sendo vistos por milhões de telespectadores. No Brasil, as coproduções, religiosas ou não, são agentes fundamentais na garantia da pluralidade das comunicações.

A RedeTV! respeita integralmente toda a legislação do setor e sempre esteve à disposição para prestar qualquer esclarecimento.”

 

noticiasdatv

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Ocupação continua na sede do IPHAN PB; órgão deve decidir posição na segunda

Créditos: Fabrícia Oliveira / WSCOM
Créditos: Fabrícia Oliveira / WSCOM

No início da tarde desta quinta-feira (19), vários artistas e produtores culturais paraibanos ocuparam a sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), localizado na Praça Antenor Navarro, Centro Histórico de João Pessoa. As atividades no órgão estão paradas, inclusive o protocolo, devido à mobilização em protesto à decisão do Governo interino de Michel Temer de acabar com o Ministério de Cultura.

O IPHAN é um órgão do extinto Ministério da Cultura, que tem a missão de preservar o patrimônio cultural brasileiro. Com base neste objetivo, os artistas devem tratar pautas relacionadas não só ao patrimônio histórico, mas reivindicar a posição do órgão, com intenção de agregar todos os funcionários à causa.

Durante a ocupação, foi aberto o momento para falas dos participantes, que defendiam que era necessário desinstitucionalizar para humanizar. “De acordo como as coisas estão andando ou pára tudo agora com a ocupação ou depois não vai mais ser possível. O Estado da Paraíba já recebe verbas menores que outros estados menores que ela. É preciso atender às nossas demandas porque também somos população”, ressaltaram.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Eles discutiram ainda sobre como podem usar o espaço do IPHAN para levar informação à população que ainda desconhece a luta de protesto pelo fim do Ministério da Cultura. “Estamos sendo taxados de vagabundos, de que queremos ‘mamar nas tetas’ do Governo e essa não é a realidade, poucos conhecem nossos trabalhos. Isso precisa ser urgentemente esclarecido”, afirmaram.

Outra questão levantada pelos artistas, foi de que a reivindicação parte do pessoal da Cultura porém não se restringe somente a ela, mas sim aos demais Ministérios que também foram extintos e estão entrelaçados de alguma forma.

Em votação conjunta com os artistas e funcionários do IPHAN, ficou decidido que na próxima segunda-feira (23), às 14h, haverá uma audiência especifica sobre o Patrimônio Histórico, na qual os servidores devem tomar uma posição mais clara se apoia ou não a mobilização. 

Por Fabrícia Oliveira – WSCOM

Rede hoteleira paraibana registra ocupação média de 70,82% em maio

passaportO fluxo de turistas na rede hoteleira paraibana apresentou um aumento de 6,33% em maio deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. De acordo com a pesquisa mensal sobre a ocupação hoteleira em João Pessoa e demais cidades turísticas do Estado divulgada pelo setor de Estatística da diretoria de Fomentos da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), 120.544 pessoas se hospedaram nos hotéis do litoral, Campina Grande e Sertão. No ano passado, o número foi de 113.368. No mês passado, foi registrada uma ocupação de 61,04% dos quartos. No acumulado do ano, esse índice sobe para 70,82%.

Os dados divulgados nesta quarta-feira (18) apontam que o fluxo global estimado para João Pessoa foi de 85.078 pessoas em maio, resultado 6,32% superior a maio de 2013. No acumulado do ano, a estimativa chegou a 498.965 turistas ou visitantes, o que representa um índice 7,31% acima do mesmo período passado e superior a média dos últimos 10 anos, que foi de 6,18%. Para o total do Estado, o acumulado do ano foi de 708.372.00 pessoas, um crescimento de 7,31%. Nos últimos 10 anos, o crescimento médio anual foi de 6,19%, o que representa que o crescimento deste ano foi de 1,12% acima da média.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A pesquisa mensal da PBTur confirma que a região Nordeste se mantém como a maior emissora de turistas para o ‘Destino Paraíba’ e, em especial, para a capital paraibana com 44,74%. Os destaques ficam para Pernambuco (16,92%), seguido de Rio Grande do Norte (10,69%). A região Sudeste contribui com 33,01%, com destaque para São Paulo (18,39%) e Rio de Janeiro (8,51%). A região Centro-Oeste vem em seguida com 11,31%, sobressaindo o Distrito Federal (7,57%) e Goiás (1,99%). A região Sul contribui com 8,80%, destaque para Rio Grande do Sul (4,16%) e Paraná (4,01%). O Norte contribui com 2,13% dos turistas, destaque para o Pará (0,86%) e Amazonas (0,52%).

Aeroporto – O movimento de passageiros (embarques + desembarques) nos aeroportos de João Pessoa e Campina Grande registrou no mês de maio um número de 112.872 passageiros, resultado 0,54% superior ao mesmo mês do ano passado. No acumulado do ano, o número foi de 607.317.00, alta de 10,14%.

Secom-PB

Mulheres são mais instruídas e ampliam o nível de ocupação, revela pesquisa

Em dez anos, o nível de instrução das mulheres continuou mais elevado que o dos homens e elas ganharam mais espaço no mercado de trabalho

Divulgação / EBC O nível de instrução das mulheres ficou mais elevado que o dos homens assim como grupo feminino registrou crescimento mais acentuado no ambiente de trabalho

  • O nível de instrução das mulheres ficou mais elevado que o dos homens assim como grupo feminino registrou crescimento mais acentuado no ambiente de trabalho

Pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE) revela, a partir do Censo 2010, que o nível de instrução das mulheres continuou em maior crescimento que o dos homens e elas ganharam mais espaço no mercado de trabalho.

Entre o percentual considerado e o período entre 2000 a 2010, foi constatado que o nível de ocupação das mulheres de 10 anos ou mais passou de 35,4% para 43,9%, enquanto o dos homens foi de 61,1% para 63,3%. Na faixa etária de 25 anos ou mais, o percentual de homens com pelo menos o nível superior foi de 9,9%, e das mulheres, de 12,5%;

A pesquisa demonstra que as taxas de escolaridade e o nível de instrução tiveram elevação com o aumento do rendimento mensal domiciliar per capita no período avaliado. A taxa de abandono escolar precoce, também teve redução de 48,0% para 36,5% entre o período. Essa taxa também é maior entre os homens (41,1%) que entre as mulheres (31,9%).

Os dados mostraram, ainda, que, em dez anos, houve desconcentração em todos os tipos de rendimento: todas as fontes, domiciliar e de trabalho. Neste último caso, os maiores aumentos foi para aqueles que ganhavam menos. O rendimento médio mensal de todos os trabalhos dos 10% da população com as maiores remunerações caiu 5,3% em 2010, enquanto para os 10% com as menores remunerações o crescimento real foi de 35,9%.

Além de educação e trabalho, os últimos resultados do questionário da Amostra do Censo 2010 trazem informações mais detalhadas também sobre rendimento e deslocamento para estudo e trabalho.

Educação

Nas faixas etárias de 18 ou 19 anos e de 20 a 24 anos a escolarização era menor que nas faixas mais jovens e a das mulheres superou a dos homens. Na parcela feminina, o percentual de mulheres que não frequentavam escola foi de 54,6%, no grupo etário de 18 ou 19 anos, e de 73,2%, no de 20 a 24 anos, enquanto na masculina esses indicadores foram 55,4% e 76,5%, respectivamente. Na área urbana, o percentual de pessoas que não frequentavam escola foi 54,2%, no grupo etário de 18 ou 19 anos, e de 73,6%, no de 20 a 24 anos, enquanto que na área rural, esses indicadores foram 59,0% e 82,3%, respectivamente.

Nível de instrução

O nível de instrução das mulheres ficou mais elevado que o dos homens. Na população masculina de 25 anos ou mais de idade, o percentual de homens sem instrução ou com o fundamental incompleto foi de 50,8% e o daqueles com pelo menos o superior de graduação completo, 9,9%, enquanto que, na população feminina, esses indicadores foram 47,8% e 12,5%, respectivamente. O contingente feminino com pelo menos o curso superior de graduação completo foi inferior ao do masculino somente nas faixas a partir dos 60 anos de idade.

A saída precoce de jovens na escola é maior na população masculina. Entre os jovens de 18 a 24 anos que não haviam completado o ensino médio houve uma queda de 11,5 pontos percentuais dessa taxa de 2000 para 2010, passando de 48,0% para 36,5%, respectivamente. Entre os homens esa taxa foi de 41,1% enquanto as mulheres, 32,0%.

Trabalho

Embora o nível de ocupação entre os homens tenham sido mais altos que o das mulheres em todos os grupos etários, o grupo feminino registrou crescimento mais acentuado, visto que passou de 35,4% para 43,9%, enquanto os homens registraram aumento de 61,1% para 63,3%.

No contingente de homens ocupados, 60,1% estavam concentrados em quatro seções de atividade: agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, indústrias de transformação e construção. Já na população feminina, 61,5% estavam ocupadas em cinco seções de atividade: comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas, serviços domésticos, educação, indústria de transformação e agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura.

A seção de atividade com maior a predominância feminina foi a dos Serviços domésticos, em que as mulheres constituíram 92,7%, vindo, em seguida, as seções da Educação (75,8%) e da Saúde humana e serviços sociais (74,2%). A participação feminina ainda foi mais elevada que a masculina na seção das outras atividades dos serviços (62,5%), Alojamento e alimentação (54,9%), sendo pouco mais da metade na das Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (50,3%).

Rendimento

Considerando a posição na ocupação das pessoas avaliadas, o rendimento médio mensal do trabalho principal dos empregadores foi o mais elevado (R$ 4.994). O segundo mais elevado foi o dos trabalhadores por conta própria (R$ 1.317), destacando-se a diferença acentuada entre os contribuintes e não contribuintes de instituto de previdência oficial. Os trabalhadores por conta própria não contribuintes (R$ 986) ganhavam 43,4% do rendimento dos contribuintes (R$ 2.272). Em relação ao rendimento real médio mensal de todas as fontes, de 2000 para 2010, verificou-se crescimento de 6,9%, passando de R$ 1.254 para R$ 1.340.

Fontes:
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
Agência Brasil

‘Abril vermelho’: MST mantêm ocupação de 3 fazendas no sertão, 25 famílias lutam por terra

As 250 famílias que ocupam três fazendas; uma no Município de Bonito de Santa Fé e duas em Olho D’água, no Alto Sertão da Paraíba, continuam dentro das propriedades e por enquanto não existe perspectiva de saída. As ocupações fazem parte da programação do “abril vermelho”, realizado pelo Movimento dos Trabalhadores sem Terra – MST.

A informação é de Juliane Carneiro, dirigente do MST, as fazendas possuem mais de 800 hectares que é área definida para desapropriação de terras na região do sertão, onde a estimativa de área para a sobrevivência de que família é de 50 hectares.

Ela explicou que as ocupações fazem parte do movimento “abril vermelho”, que foi uma forma de protestar conta as 21 mortes de Eldorado dos Carajás, quando os agricultores foram mortos aconteceram vários protestos em nível nacional.por policiais militares e até hoje o coronel e o major que comandaram a operação não foram presos.

Na Paraíba além da ocupação das três fazendas do Sertão, eles fizeram um protesto na Avenida Epitácio Pessoa paralisando o transito por 21 minutos.

Jonas Batista