Arquivo da tag: obriga

Crise econômica obriga brasileiro a bater recorde na frente da TV

TV AddictionNunca se viu tanta televisão no Brasil como agora. O telespectador brasileiro passou 6 horas e 17 minutos na frente do televisor em cada dia do ano passado, 16 minutos a mais do que em 2015, segundo dados inéditos da Kantar Ibope Media. É uma marca recorde no consumo de TV no país. Seis anos atrás, em 2010, o brasileiro via uma hora a menos de TV por dia.

Os dados da Kantar Ibope consideram todo o tempo em que os televisores permanecem ligados nos domicílios, sejam conectados a emissoras abertas, em canais pago ou plataformas de vídeo online, como Netflix e YouTube.

A crise econômica que abateu o país nos últimos anos é a principal responsável pelo disparo no crescimento do consumo de televisão. Com menos dinheiro para se gastar na rua e com maior oferta de mídia, os televisores estão tendo que “trabalhar” mais.

“Por conta do momento econômico, muitos brasileiros têm dado preferência aos momentos de lazer em casa. Desde 2015, percebemos um aumento de atividades realizadas nos domicílios, incluindo o consumo de mídia em geral (TV, internet, video on demand etc.)”, diz Fábia Juliasz, diretora de medição de audiência de TV da Kantar Ibope.

Foi o que aconteceu com a professora de inglês Claudia Gomes, de 39 anos. “Eu adoro ir ao teatro, ao cinema. Mas, no segundo semestre de 2016, que foi um dos piores para mim, parei. Você tem que escolher: Ou gasta com lazer ou paga suas contas”, diz ela.

Claudia, então, passou a ficar mais tempo na frente da TV. Acompanha assiduamente os telejornais da Globo, o Roda Viva, da Cultura, e as séries e filmes da Netflix. “Meus fins de semana são sagrados. Chego em casa do trabalho na sexta, me jogo na cama, ligo a TV e fico lá. Já passei mais de dez horas em esquema de maratona”, conta.

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Adriana Esteves em Justiça: minissérie foi um dos programas mais vistos na TV em 2016

Quem manda no controle remoto?
O consumo de mídia vem crescendo igualmente entre ambos os sexos, mas as mulheres passam 37 minutos a mais na frente do televisor _por dia. Em 2016, segundo a Kantar Ibope, as mulheres consumiram 6 horas e 34 minutos de TV, contra 5 horas e 57 minutos dos homens. São elas, de fato, que mandam no controle remoto.

Além da grande oferta de novelas, um gênero com público mais feminino, a companhia dos filhos também justifica a maior intimidade das mulheres com o televisor.

Na casa de Anne Fonseca, 32 anos, em Barueri (Grande São Paulo), a TV também está substituindo outras formas de lazer. “Cada ida ao cinema é uma facada de R$ 100. Não tenho condições. Com R$ 100 eu pago a TV a cabo”, diz ela, que assiste aos canais Nickelodeon, Cartoon Network e Gloob com os filhos, de 5 e 2 anos. “Eles ficam numa boa com a TV”.

A família de Anne não tem carro. “A primeira coisa com que nos comprometemos quando nos mudamos para esta casa foi internet e TV de qualidade. Porque não temos como sair de fim de semana, não temos carro, os parques [infantis dentro] de shopping e o cinema são caríssimos”, complementa.

Jovem também vê TV
O consumo de TV vem crescendo inclusive entre as faixas de público mais jovens, invertendo uma tendência que se verificava até 2013, quando a economia brasileira ainda ia bem. No ano passado, a faixa etária com maior crescimento de consumo de mídia foi a de 18 a 24 anos, com aumento de 6,7%. Crianças (4 a 11) e adolescentes (12 a 17) ampliaram o tempo na frente da TV em 3%.

Os dados da Kantar Ibope incluem todas as mídias, mas a TV aberta ainda é, disparadamente, a mais consumida no televisor _até porque a TV por assinatura está em crise desde 2014.

“É possível dizer que a televisão mantém seu papel de destaque devido ao seu alto poder de alcance: está presente em praticamente todos os lares brasileiros, impactando um número considerável de pessoas. De 2012 para cá, vemos crescimento tanto no percentual de aparelhos ligados quanto no tempo médio diário dedicado à atividade de ver televisão. Mesmo com consumo de mídia sendo diversificado em outras telas e plataformas, a TV mantém o crescimento”, afirma Fabia Juliasz.
noticiasdatv

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Proposta pode alterar lei que obriga uso do farol ao dia em rodovias

farol-baixo-ligadoA recente alteração no Código de Trânsito que obriga os motoristas a usarem faróis baixos durante o dia nas rodovias brasileiras motivou a apresentação de outro projeto de lei no Senado (PLS 262/2016). O texto, do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), busca eliminar a necessidade de acender os faróis durante o dia em vias urbanas e liberar do uso do farol baixo os veículos equipados com luzes diurnas.

De acordo com o texto, o uso dos faróis baixos durante o dia será obrigatório nas vias rurais, que compreende estradas e rodovias. Nas vias urbanas, ainda que sejam consideradas rodovias, o uso será dispensado. De acordo com o autor da proposta, em condições de tráfego pesado, com a presença de motociclistas, manter todos os faróis acesos pode piorar as condições de segurança.

Valadares também lembra que, embora não seja um item obrigatório, muitos veículos em circulação no país já são equipados com luzes de circulação diurna, que servem para deixar o veículo mais visível. “O equipamento cumpre exatamente a mesma função para a qual tornou-se obrigatório o acendimento da luz baixa”, explicou.

O texto, apresentado em junho deste ano, vai ser analisado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Ainda não foi designado relator para o projeto.

Lei

A Lei 13.290/2016, que determina o uso obrigatório de farol baixo durante o dia em rodovias, teve origem no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 156/2015, do deputado Rubens Bueno (PPS-PR), aprovado no Senado no final de abril.

Durante a análise pelo Senado, a medida, instituída para aumentar a segurança nas estradas, foi defendida pelo relator da matéria, senador José Medeiros (PSD-MT), que atuou como policial rodoviário federal por 20 anos. Para ele, trata-se de um procedimento bastante simples que deve contribuir para a redução das mortes nas rodovias.

PortalCorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Crise política obriga Dilma a negociar ajuste fiscal com presidente da Câmara

Presidente Dilma Rousseff concede entrevista, em Brasília
Presidente Dilma Rousseff concede entrevista, em Brasília

A presidente Dilma Rousseff entrará pessoalmente na articulação para tentar aprovar as medidas de ajuste fiscal no Congresso. Pressionada por dificuldades na política, à espera da CPI da Petrobrás e com a economia em apuros, Dilma decidiu abrir diálogo com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e vai chamá-lo para uma conversa, nos próximos dias.

O aceno para a trégua com Cunha, desafeto do Planalto, também será a senha para Dilma se reaproximar do vice-presidente Michel Temer, afastado das decisões do núcleo político.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A cruzada para salvar o governo de outro vexame no Congresso inclui o titular da Fazenda, Joaquim Levy, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que chegará a Brasília na quarta-feira, além de vários outros ministros.

Levy participará hoje de jantar com Temer, Cunha, o presidente do Senado, Renan Calheiros, ministros do PMDB e a cúpula do partido, no Palácio do Jaburu.

O ministro explicará ao PMDB a necessidade de medidas impopulares, como corte de subsídios, redução de incentivos e mudanças nos benefícios previdenciários e trabalhistas, para a economia voltar a crescer. O PMDB ameaça, por exemplo, derrubar o veto da presidente à correção de 6,5% na tabela do Imposto de Renda, que entrará amanhã na pauta de votações.

Dilma enviará outra medida provisória ao Congresso, propondo reajuste de 4,5%. “Queremos saber do ministro da Fazenda o tamanho dessa crise econômica e verificar se há margem de negociação”, disse o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE).

Foi Lula quem aconselhou Dilma a ouvir o PMDB, negociar com Cunha e a matar “dois coelhos com uma só cajadada”, fazendo com que o armistício seja pelas mãos de Temer.

O vice-presidente está isolado e não participa das reuniões do chamado G-6, grupo composto por seis ministros do PT que semanalmente se reúne com Dilma para avaliar as estratégias do governo. A presidente quer fazer um gesto pedindo ajuda de Temer para enfrentar a crise.

Lista de Janot. Na semana em que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, promete enviar ao Supremo Tribunal Federal pedido de investigação de políticos citados pela Operação Lava Jato no esquema de corrupção na Petrobrás, Lula desembarcará em Brasília disposto a articular a defesa do governo e do PT. Na quarta-feira, véspera da instalação da CPI da Petrobrás, Lula jantará com senadores petistas. Além disso, pretende se reunir com Temer, Renan e Eunício.

O governo está preocupado com a “lista de Janot”, que deve atingir deputados e senadores de partidos da base aliada, como PT, PMDB e PP, mas tenta desviar o foco, apontando o dedo para a oposição. Na sexta-feira, Dilma seguiu a estratégia combinada com seu núcleo duro e disse que a corrupção na estatal foi ignorada no governo Fernando Henrique Cardoso, do PSDB. O ex-presidente reagiu, afirmando que ela lançara mão de uma tática “infamante”.

“Nós vamos entrar na guerra contra os que tentam nos empurrar para o corner”, disse Jorge Viana (PT-AC), vice-presidente do Senado que será anfitrião do jantar com Lula.

Na tentativa de criar uma “agenda positiva”, Dilma anunciará, na quinta-feira, novas regras para o regime Simples. Depois virão o pacote anticorrupção, o Plano Brasil Exportador, a terceira etapa do Minha Casa Minha Vida e o Mais Especialidades. Tudo acompanhado por mais viagens e entrevistas. No diagnóstico de Lula, Dilma só vai superar a turbulência com a tática “olho no olho”.

Estadão

 

Luiz Couto denuncia que milícia obriga moradores a votar para garantir emprego no interior da PB

LUIZ COUTOO deputado Luiz Couto (PT) voltou a contestar, da tribuna da Câmara Federal, algumas ações ocorridas no pleito do último dia 5.

“Pessoas chegaram às casas antes das urnas e pagaram contas, combustível. Trouxeram candidatos de grandes fazendas e vilarejos já com o santinho na mão e a promessa de que se votar neste você ganhará um prêmio ou garantirá seu emprego”.

Luiz Couto ressaltou que o cabresto de hoje envolve também o uso do poder de milicianos e do crime organizado nas comunidades pobres, que obrigaram moradores locais a votar em quem eles querem.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 

“Se a população não cumpre o determinado, a milícia pode abusar do poder e causar mortes ou parar de oferecer ajuda”, disse, acrescentando em seguida: “ainda vivemos um curral eleitoral sem limites e isso é vergonhoso”.

Depois de lembrar que a mídia registrou o envolvimento de autoridades públicas ou de filhos desses figurões com a compra de votos, o parlamentar afirmou que “esse mecanismo muito recorrente nos rincões mais pobres do Brasil como característica do coronelismo, não acabou”.

Luiz Couto defendeu que o Brasil precisa mudar a forma de fazer política e de governar. “Mudar o sistema eleitoral, que hoje favorece o poder econômico, e fazer uma reforma política republicana para inibir a ação dos aproveitadores”.

Assessoria

Justiça da PB obriga réus condenados por mortes no trânsito a pagar até R$ 500 mil de indenização

Diego Nóbrega (Jornal Correio da Paraíba)
Diego Nóbrega (Jornal Correio da Paraíba)

Em média, a cada oito horas, uma família paraibana é destroçada por um acidente de transporte (foram 1.072 mortes ano passado). E isso tem se tornado cada vez mais frequente. Há 10 anos, era uma tragédia a cada dois dias. Além de causar dor ao partir inesperadamente, muitas vítimas deixam famílias desamparadas, filhos sem sustento.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A maioria dos parentes não vai atrás dos seus direitos, por ignorá-los ou por achar que estariam negociando as mortes de seus queridos. Muita gente nem sabe que, além do seguro Dpvat e dos benefícios do INSS, a Justiça da Paraíba tem obrigado réus condenados por mortes no trânsito a pagar indenizações de até R$ 500 mil.

O problema é o acesso aos direitos. A dona de casa Maria Karla da Conceição, 29, não teve nem mesmo uma ajuda para o caixão do companheiro, atropelado na BR-230. A mulher mora na Vila Feliz, em Cabedelo, uma comunidade que guarda muitas infelicidades causadas pelo tráfego inseguro de pedestres na BR-230.

 

Jornal Correio da Paraíba

Saúde e projeto que obriga equipe médica em eventos são temas de debates na ALPB

saudeSaúde, segurança pública e a apresentação de Projeto de Lei Ordinária (PLO), que determina a obrigatoriedade de ambulância com equipe médica completa em eventos esportivos, foram os principais temas debatidos, na sessão ordinária da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), desta quarta-feira (20).

O projeto que dispõe sobre a obrigatoriedade da manutenção de equipe médica completa, com ambulância equipada em eventos esportivos, determina que a obrigação seja atribuída à entidade organizadora do evento. A ausência dos socorristas impedirá o acontecimento da atividade.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ainda durante a sessão, os parlamentares debateram sobre unidades hospitalares da Paraíba. Eles destacaram o trabalho da ALPB, através da “Caravana da Saúde”.

Também foi abordada a situação da segurança pública nos Estados e municípios brasileiros.


PBAgora com Assessoria

Aprovada PEC que obriga nomeação de servidor como procurador-geral

Assembleia-LegislativaAssembleia Legislativa da Paraíba aprovou, em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que modifica as regras para nomeação do procurador-geral do Estado. De autoria do deputado estadual Raniery Paulino (PMDB), a medida obriga o governador do estado a nomear um servidor de carreira para o cargo.

A proposta passou com uma ampla maioria de votos favoráveis, foram 26 pela aprovação e cinco contra. O deputado Raniery Paulino justificou a medida com o argumento de que era preciso adequar a Constituição da Paraíba com a legislação vigente, e consolidada, em outros estados brasileiros.

Segundo Raniery, a PEC 17/2013, que altera o artigo 138, tem também a intenção de evitar conflitos de interesses , pois com ela, advogados estranhos ao serviço público, que podem inclusive ter causas contra o Estado, não poderão mais atuar como procurador-geral.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro, foi procurado pela reportagem, mas não atendeu as ligações telefônicas. Quando a matéria foi apresentada, em 2013, ele disse que há alguns anos havia sido apresentada iniciativa parecida e que já existe um precedente no Tribunal de Justiça da Paraíba contra a medida. Carneiro ressaltou que o cargo de procurador é de livre provimento e a mudança na forma da escolha seria um retrocesso.

Matérias tributárias e tramitação de MPs

A Assembleia Legislativa aprovou outras duas PECs de autoria de Raniery Paulino. A 14/2013 modifica o artigo 63 da Constituição, assegurando o direito também ao Poder Legislativo de apresentar matérias no campo tributário. O placar foi de 24 votos favoráveis contra sete.

“É uma forma de valorizar o Poder Legislativo estadual, nos garantindo esse direito. Isso não mudará a metodologia utilizada pela Casa de Epitácio Pessoa, mas nos repassará também a competência de propor matérias nesta seara, assim também como o Poder Executivo”, explicou Raniery.

Os deputados ainda aprovaram a PEC 18/2013, pelo placar de 23 contra oito. A proposta altera o artigo 4º da Constituição Estadual e estabelece o prazo de vigência de 60 dias das Medidas Provisórias (MP), contados a partir de sua publicação. De acordo com a proposta, a validade pode ser prorrogado uma única vez por igual período.

 

Lei federal muda e obriga instituições a conceder bolsas filantrópicas só pelo Prouni

Reitora explicou as ações que o Unipê adotará
Reitora explicou as ações que o Unipê adotará

Uma alteração na lei federal nº 12.868 de 2013, obrigou todas as instituições de ensino do país que, na sua personalidade jurídica, também se enquadram em ações de filantropia, a alterarem os critérios para distribuição de bolsas de estudos. No Estado, o Centro Universitário de João Pessoa (Unipê) já fez um levantamento sobre essa situação que afetará diretamente os alunos, a partir do segundo semestre deste ano.

Com essa mudança na legislação federal, todas as instituições de ensino que se encaixam nesses padrões têm que conceder uma bolsa integral para cada cinco alunos pagantes. No caso de bolsas parciais, será uma para cada nove alunos pagantes. “Somos agora obrigados a fazer a distribuição das bolsas, sejam integrais ou parciais, somente a quem aderir e preencher todos os critérios do Prouni”, mostrou o assessor jurídico do Unipê, Marcelo Weick.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Unipê tem 9.627 alunos de graduação. Para esse contingente, são 1.016 bolsas dentro dos critérios do Prouni (o que equivale a R$ 9 milhões, 472 mil e 26, ao ano); e 1.260 bolsas filantrópicas (o equivalente a R$ 7 milhões, 44 mil e 861, por ano). No total, os gastos do Unipê com as bolsas chegam a R$ 16 milhões.

Do total de alunos do Unipê, 1.061 têm bolsas integrais, 8.566 são pagantes. Com os novos critérios, o Unipê terá que conceder mais 895 bolsas integrais, dentro dos critérios para seleção do Prouni.

A reitora Ana Flávia Pereira da Fonseca enfatiza que as 1.200 bolsas de filantropia já existentes (que equivalem a um custo de R$ 12 milhões, 736 mil e 203) serão bancadas pela instituição até o seu término. “Nenhum aluno será prejudicado”, garantiu.

Além das bolsas, o Unipê mantém gastos de R$ 2 milhões e 273 mil com ‘incentivos estudantis’, que atendem alunos selecionados por mérito. “O aluno recebe uma bolsa de R$ 450,00 por mês para monitoria, pesquisa e extensão. Não é bolsa filantropia. Segue também um edital rigoroso para seleção dos beneficiados. É investimento com dinheiro da instituição”, explicou a reitora.

A reitora lembrou que o Governo sabe que mesmo oferecendo 100% de bolsas integrais as instituições particulares não preenchem essas metas.

Marcelo Weick destacou que o Unipê não é uma associação beneficente. “Apenas somos detentora de personalidade jurídica para filantropia. Nós somos uma entidade educacional”, salientou.

Por Hermes de Luna

ALPB promulga lei que obriga instalação de placas em braille nos terminais rodoviários da PB

Assembleia-LegislativaOs administradores dos terminais rodoviários urbanos e interurbanos do Estado da Paraíba estão obrigados a instalar placas em Braille contendo a relação das linhas de ônibus e seus respectivos itinerários para atendimento das pessoas com deficiência visual. A obrigatoriedade está expressa na Lei nº 10.297, de 07 de maio de 2014, criada por meio do projeto de lei nº 1.745/2013, de autoria do deputado estadual Ivaldo Moraes (PMDB). O prazo para instalação das placas expira no dia 09 de agosto (90 dias contados da publicação da Lei no Diário Oficial do Estado).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A Lei nº 10.297/2014 foi promulgada pela Assembleia Legislativa do Estado, em razão de sanção tácita por parte do governador do Estado, nos termos do § 1º do art. 196 da Resolução nº 1.578/2012 (Regimento Interno da ALPB), combinado com o § 7º do art. 65 da Constituição Estadual, e publicada no Diário do Poder Legislativo, edição de 07 de maio de 2014, e no Diário Oficial do Poder Executivo, edição de 09 de maio de 2014.

A não obediência ao disposto na nova Lei implicará em pena de suspensão por um período de 15 dias, com o consequente desconto nos salários, contra os administradores dos terminais rodoviários, mediante instauração de processo administrativo.

*Alcance social –* Para criar a nova Lei em, benefício das pessoas com deficiência visual, a Assembleia Legislativa teve que se contrapor à resistência do Poder Executivo, que chegou a vetar o projeto de lei nº 1.745/2013, de autoria do deputado Ivaldo Moraes. Na sessão do dia 29 de abril (uma terça-feira), a ALPB rejeitou veto nº 239/2013 pelo placar de 21 votos contra três. O entendimento quase unânime teve base no grande alcance social que a iniciativa proporciona.

“A Constituição Federal garante, em seu art. 5º, inciso XV, o direito de ir e vir a todos os brasileiros, e a obrigação de placas em braille contendo a relação das linhas de ônibus e seus respectivos itinerários para atendimento das pessoas com deficiência visual assegura a esta parcela da sociedade o cumprimento do que preconiza a Carta Magna”, afirmou o autor do projeto, deputado Ivaldo Moraes.

Ele acrescentou que as pessoas com deficiência visual têm demonstrado que, independente da sua limitação física, estão sempre em busca de independência, autonomia e integração social. Todavia, segundo o parlamentar, há ainda um longo caminho a ser percorrido para que o Brasil possibilite a este segmento da sociedade o efetivo exercício da cidadania.

“Com a promulgação desta Lei – comentou o deputado –, a Assembleia Legislativa do Estado está contribuindo para o avanço da Paraíba no respeito ao direito desta parcela da sociedade que foi privada da visão e que precisa do acesso às informações em braille para poder se locomover utilizando o transporte coletivo de passageiros, tanto urbano quanto interurbano e interestadual”.

Para Ivaldo, quando tentou vetar o PL nº 1.745/2013, o Governo do Estado cometeu uma injustiça contra as pessoas com deficiência visual. “O argumento foi de que ‘a matéria fere a Constituição por criar despesas para ao Estado e por ser de competência do Executivo’. Mas haveremos de convir que os gastos ínfimos com a confecção e instalação de placas informativas já devem estar naturalmente previstos nos orçamentos dos terminais rodoviários. Portanto, a tentativa do governo de impedir este beneficio à pessoas com deficiência foi motivada por razões estritamente políticas, por fazermos parte da bancada de oposição a este governo na Assembleia Legislativa”, enfatizou.

Ascom

Projeto que obriga enfermeiro em escola municipal é apresentado na CMJP

Com a proximidade do ‘Dia da Enfermagem e o do Enfermeiro’, 12 de maio, a Câmara Muncicipal de João Pessoa(CMJP), recebeu na sessão desta quinta(10), o projeto de indicação de autoria do vereador Raoni Mendes(PDT), que estabelece a obrigatoriedade da presença de um profissional da área de Enfermagem nas escolas da rede municipal que tenham no mínimo 300 alunos, com o objetivo de levar informações sobre profilaxia de doenças, bem como prestar assistência e serviços de primeiro socorros aos alunos e funcionários.

Defensor de um serviço de saúde pública mais humanizado, o vereador disse que foi à tribuna para prestar uma justa homenagem àqueles que assumiram a nobre missão profissional de cuidar integralmente do ser humano. “Reconhecemos a importância dos profissionais de Enfermagem quando nos deparamos com a experiência da nossa própria doença ou de uma pessoa próxima, ou melhor, a imobilidade e a incapacidade geradas pelas enfermidades”, frisou Raoni.

Comemora-se o Dia da Enfermagem e o do Enfermeiro no dia 12 de maio, em referência a Florence Nightingale, enfermeira britânica, um marco da enfermagem moderna no mundo. Nascida em Florença, em 12 de maio de 1820, ficou famosa por seu pioneirismo e extrema dedicação ao tratar dos feridos de guerra.

A função específica do enfermeiro é cuidar do ser humano, em sua totalidade, desenvolvendo ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo.

Importante destacar a abrangência do seu exercício profissional: instituições de saúde públicas, privadas e filantrópicas; programas de atenção a grupos comunitários; órgãos governamentais e não-governamentais de saúde; instituições de formação e de capacitação de recursos humanos de enfermagem/saúde e programas de pós-graduação. Esse profissional também pode atuar em órgãos e instituições de pesquisa e prestar consultoria em assuntos da área.

Como católico praticante, Raoni Mendes concluiu seu discurso expressando toda sua gratidão pelos profissionais de enfermagem, citando o trecho do evangelho de João, “ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos”.

Assessoria de Imprensa para o Focando a Notícia