Arquivo da tag: Obra

DNIT publica edital para obra de implantação da terceira faixa da BR-230

raimundoliraO Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT) publicou, nesta sexta-feira (12), o edital de licitação para a contratação da obra de implantação da terceira faixa na BR-230, entre a cidade de Cabedelo e o Viaduto do Oitizeiro, na entrada de João Pessoa (PB), trecho que é conhecido como “Estrada de Cabedelo”.

A informação foi confirmada pelo diretor geral do DNIT, Valter Casimiro Silveira, ao senador Raimundo Lira (PMDB).

A terceira faixa da Estrada de Cabedelo, considerada uma obra de extrema importância não apenas para a capital, João Pessoa, mas para todo o estado, por ser um corredor de escoamento do Porto de Cabedelo, será viabilizada graças a uma Emenda de Bancada, que tem a participação dos parlamentares da bancada paraibana no Congresso Nacional.

A outra informação do DNIT diz respeito a uma luta que o Senador Raimundo Lira abraçou desde o início de seu mandato: a duplicação da BR 230, trecho compreendido entre as cidades de Campina Grande e Cajazeiras. Segundo Lira, a informação do DNIT dá conta de que o Ministério dos Transportes aguarda, tão somente, a Licença Ambiental, para licitar a obra, pois todos as outras etapas anteriores já foram concluídas.

o senador Raimundo Lira, na condição de relator do Orçamento do Ministério dos Transportes, conseguiu viabilizar a aprovação, no Orçamento Geral da União – OGU, de uma dotação orçamentária no valor de R$ 165 milhões, para o início da duplicação.

Raimundo Lira confirmou que o Estudo de Impacto Ambiental já foi feito e que a obra será licitada logo após a publicação da Licença Ambiental, e que, quando tiver a sua execução iniciada, começará pelo primeiro trecho, considerado o de maior movimentação de veículos, que compreende Campina Grande e a Comunidade Farinha (Praça do Meio do Mundo).

“Sem dúvidas, duas importantes notícias para a Paraíba e para os paraibanos. Vamos continuar atentos e dando nossa contribuição para que estas obras se tornem realidade”, destacou Lira, que tem dedicado uma atenção especial para estas duas intervenções rodoviárias.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Governo federal vai apurar se vereador usou carro-pipa do PAC para obra em casa

Foto:Reprodução Carro-pipa do PAC teria sido usado indevidamente
Foto:Reprodução
Carro-pipa do PAC teria sido usado indevidamente

O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) informou nessa quarta-feira (7) que vai enviar a Delegacia Federal do MDA à cidade de Mamanguape, a 62 km de João Pessoa, para fiscalizar se há utilização de equipamentos do Programa de Aceleração do Desenvolvimento (PAC) de forma indevida. O aviso foi dado após o MDA receber a informação de que um vereador estaria usando um caminhão-pipa do programa para uma obra em casa.

O MDA informou que se for comprovado que houve uso indevido do caminhão, tal situação poderá implicar na extinção da doação e reversão automática do bem ao patrimônio da União e o vereador poderá ser punido com medidas na justiça.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Conforme o MDA, o equipamento recebido deve ser utilizado em obras de interesse social, agricultura familiar, reforma agrária, recuperação de estradas vicinais e de obras de captação e armazenamento de água para o abastecimento humano e animal.

Apesar de ter dito que não recebeu nenhuma denúncia formal sobre o caso antes da matéria do Portal Correio, o MDA disse que tem reforçado a fiscalização para combater uso indevido de máquinas do PAC no país.

O presidente da Câmara Municipal de Mamanguape, Joãozinho da Estaca, teria utilizado um carro-pipa de forma irregular. Internautas postaram vídeos nas redes sociais que mostram o momento em que o veículo está parado na frente da casa dele, repassando água para a residência.

Inicialmente, a água teria sido usada para encher uma piscina, porém, o vereador disse ao que consumiu 400 litros da água do carro-pipa para a construção de uma laje na residência dele. Veja aqui a matéria com o caso.

Portal Correio

Principal via de Santa Rita ganha novo asfalto e prefeito Reginaldo inspeciona a obra

sr_asfaltoUma das principais vias de Santa Rita está ganhando um novo asfalto.  Na manhã desta segunda-feira (06) foram reiniciados os trabalhos de asfaltamento do anel viário, que dá acesso aos principais bairros da cidade. A previsão é de que essa parte da obra seja concluída em até uma semana, dependendo das condições do tempo, por conta do inverno. São mais de mil metros de asfalto renovados.

O prefeito Reginaldo Pereira fez questão de ir pessoalmente até o local inspecionar a obra considerada de grande importância para os moradores e visitantes do município, já que irá beneficiar milhares de pessoas que trafegam na Avenida Arnóbio Maroja.

Elaborada e executada na gestão do prefeito Reginaldo essa nova etapa compreenderá desde a entrada de Tibiri II, na Avenida Arnóbio Maroja, ao lado da Praça do Chafariz, até o giradouro do mesmo bairro.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A Avenida Arnóbio Maroja é uma das principais vias de locomoção na cidade, especificamente para os moradores de Tibiri II, Marcos Moura, Heitel Santiago e adjacências.

Por ser considerada uma obra importante para o município, muitas pessoas acompanharam o reinício dos trabalhos e se mostraram satisfeitas com o andamento da obra o trabalho das máquinas. Os populares elogiaram a ação administrativa do prefeito Reginaldo Pereira por ele ter determinado o recomeço do asfaltamento que vai trazer melhoria de vida para todos que trafegam na área beneficiada e desenvolvimento para a cidade.

Secom

Advogado de lobista diz que não se faz obra pública no Brasil sem propina

fernando-lobistaA Polícia Federal deve retomar nesta quinta-feira (20) os depoimentos dos presos na Operação Lava Jato. A agenda dos depoimentos ainda não foi divulgada.

A expectativa é pelo depoimento do lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano, que se entregou à polícia na terça-feira (18). O depoimento dele tinha sido marcado para quarta-feira (19), mas foi adiado para sexta-feira (21).

Treze suspeitos continuam presos na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. A Polícia Federal continua procurando pelo último foragido, Adarico Negromonte Filho, irmão do ex-ministro das Cidades Mario Negromonte.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A Justiça ainda analisa o pedido de revogação da prisão temporária de Adarico. As informações obtidas pela Polícia Federal na Operação Lava Jato vão ser compartilhadas com outras instituições de fiscalização.

O juiz Sérgio Moro autorizou o envio de provas dos processos para a Receita Federal, o Tribunal de Contas da União, a Controladoria Geral da União e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

O juiz afirma que a cooperação entre instituições de fiscalização e prevenção é importante para a eficácia das investigações nos crimes de colarinho branco ou praticados por organizações criminosas.

Desde as prisões da sétima fase da Operação Lava Jato, foram cinco dias de movimentação intensa e de depoimentos dos 24 investigados.

Mas um dos depoimentos mais esperados até agora foi adiado. Fernando Soares, o Fernando Baiano, apontado como operador do PMDB no esquema de propina investigado na Petrobras, só vai ser ouvido nesta sexta-feira (21). A Polícia Federal não informou o motivo do adiamento.

O advogado do lobista fez um desabafo ao negar que Fernando Baiano tenha participado do esquema de corrupção na Petrobras.

“O empresário se porventura faz uma composição ilícita com algum político para pagar alguma coisa, se ele não fizer isto, e quem desconhece isso, desconhece a história do país. Não tem obra. Pode pegar aí uma prefeitura do interior, uma empreiteirinha com quatro funcionários. Se ele não fizer acerto, ele não põe um paralelepípedo no chão”, diz Mário Oliveira Filho, advogado de Fernando Baiano.

Três representantes da construtora Camargo Corrêa foram ouvidos. Dois deles, Dalton dos Santos Avancini, presidente da empresa, e João Ricardo Auler, presidente do Conselho de Administração, tiveram as prisões temporárias transformadas em preventivas. Eles ficaram calados por orientação do advogado.

Eduardo Leite, vice-presidente da Camargo Corrêa, que já estava com a prisão preventiva decretada desde sexta-feira (14), também não respondeu às perguntas dos delegados.

O advogado de Eduardo Leite disse que o cliente só vai falar quando tiver acesso a todas as informações do inquérito.

“Não tem corrupção nenhuma.  Ele não participa de corrupção.  Ele é diretor, diretor técnico. Vai negar qualquer tipo de corrupção”, diz o advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, de Eduardo Leite.

A Justiça Federal negou pedido de habeas corpus de dois executivos da construtora OAS: José Aldemário Pinheiro Filho e Mateus Coutinho de Sá Oliveira, que permanecem presos.

A Polícia Federal informou nesta quarta-feira (19) que errou ao citar o atual diretor de abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza, como beneficiário do esquema de corrupção.

O nome de Cosenza apareceu em uma pergunta feita pelos delegados a vários executivos de empreiteiras. Nessa pergunta, os delegados diziam que Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef mencionaram o pagamento de comissões para Cosenza.

O juiz Sérgio Moro questionou a Polícia Federal sobre provas concretas contra Cosenza.

E a Polícia Federal respondeu dizendo que não há qualquer elemento que evidencie a participação do atual diretor no esquema de distribuição de vantagens ilícitas na Petrobras.

A assessoria da estatal informou que Cosenza não vai se pronunciar.

O PMDB tem declarado que Fernando Soares nunca teve nenhum vínculo com o partido nem autorização para arrecadar recursos.

Bom Dia

 

Prefeito oferece carro de presente a quem mostrar uma obra de Cássio em sua cidade

JuncoA falta de obras e ações durante a gestão do ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) tem provocado as mais diversas reações entre as lideranças políticas da Paraíba. Desta vez, foi o prefeito de Junco do Seridó, Branco Simões (PSD), que aproveitou a passagem da Caravana do Trabalho por sua cidade, na tarde desta quinta-feira (25), para lançar um desafio aos aliados do tucano.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Lancei um desafio aqui no meu município, e que agora eu amplio. Se alguém me mostrar uma obra feita por Cássio em Junco do Seridó, eu dou o meu carro de presente pra essa pessoa. Até agora ninguém venceu esse desafio e ninguém vencerá, porque ele não entregou uma única obra na cidade, enquanto o governador Ricardo Coutinho entregou mais de R$ 6 milhões em obras e ações”, disse Branco.

O prefeito revelou que não votou no governador Ricardo Coutinho (PSB) nem no primeiro nem no segundo turno das eleições de 2010, mas que não poderia deixar de votar no socialista agora pelo trabalho que ele vem desenvolvendo na Paraíba. “Tenho visto o trabalho que Ricardo tem realizado, e não estou nem um pouco arrependido do meu apoio. Meu partido está em outra coligação, me convidaram a apoiar Cássio, mas eu sou um homem trabalhador e só posso votar em um homem trabalhador como Ricardo”, finalizou.

A educação foi a área que mais recebeu investimentos da gestão de Ricardo em Junco do Seridó, com a entrega de 58 tablets e aquisição de dois ônibus escolares, além da construção da escola Ezequiel Fernandes e de um ginásio de esportes, no valor de R$ 4 milhões. O governo socialista ainda investiu no apoio à mineração, no Sítio Chorão, beneficiando 160 famílias.

Através do Pacto Social, Junco do Seridó recebeu recursos de mais de R$ 1milhão para a aquisição de uma ambulância, construção de uma escola municipal e de uma passagem molhada na estrada de acesso ao Distrito de Bom Jesus, além da reforma e ampliação da Escola Santo Onofre.

Da Redação com Assessoria

Queda de viga mata um e fere dois na obra do monotrilho em São Paulo

monotrilhoA queda de uma viga em uma obra do monotrilho da Linha 17-Ouro do Metrô, na Avenida Washington Luís, Zona Sul de São Paulo, deixou uma pessoa morta e outras duas feridas na tarde desta segunda-feira (9). Quatro equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas.

Segundo a Polícia Militar, o acidente ocorreu na esquina da Rua Vieira de Moraes com a Avenida Washington Luis. As causas do acidente ainda serão investigadas. A viga caiu sobre a rua e a bloqueava às 17h20.

O primeiro trecho da Linha 17 deverá ter 7,7 km e será composto pelas estações Jardim Aeroporto, Congonhas, Brooklin, Vereador José Diniz, Água Espraiada, Vila Cordeiro, Chucri Zaidan e Morumbi.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Inicialmente, a expectativa era que os trens começassem a circular entre Congonhas e o bairro do Morumbi, na Zona Sul, antes da Copa. Segundo o governo, a demora na obtenção de licenças ambientais, porém, atrasou o andamento das obras.

local de acidente em obra do monotrilho
Queda de uma viga em uma obra do monotrilho da Linha 17 Ouro do Metrô, deixa uma pessoa morta e outras duas feridas, na Avenida Washington Luís, zona sul de São Paulo (Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press)
Queda de viga em obra do monotrilho da Linha 17 Ouro do Metrô. (Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press)

G1

Obra do Itaquerão gerou aumento de abuso infantil em Itaquera, conclui CPI

protesto-reune-mil-no-itaquerao-contra-a-exploracao-sexual-infantilO bairro de Itaquera, na zona leste da capital paulista, onde está instalado o recém-construído estádio do Corinthians – palco da cerimônia de abertura da Copa do Mundo –  registrou aumento de casos de abusos sexuais contra crianças e adolescentes no período de construção da arena.

A conclusão é da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que foi instalada no ano passado na Câmara dos Vereadores de São Paulo. O relatório final do trabalho dos parlamentares traz depoimentos de meninas moradoras de uma favela do bairro que tratam abertamente dos abusos ocorridos.

Depoimentos de um grupo de meninas, prestados no início do mês de abril a um comitê de defesa dos direitos da criança atestam que o canteiro de obras do estádio fez intensificar a exploração na região.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“A gente colheu depoimentos de meninas que foram vitimizadas durante o período [de construção do estádio, iniciado em 2011]. É fato que existe e existiu a exploração sexual naquele momento e nas imediações do Itaquerão”, destaca a vereadora Patrícia Bezerra (PSDB), relatora da CPI que apurou a exploração infantil no município.

Em um dos depoimentos, a menina B., de 13 anos, conta que foi assediada e abusada sexualmente por um dos trabalhadores do canteiro de obras do Itaquerão e que engravidou.

“Um rapaz sempre dava em cima de mim na rua quando eu passava. Isso começou a me incomodar por ele ser bem mais velho. Meu pai sabia que ele dava em cima de mim e não fazia nada. Ele foi tentando se aproximar várias vezes. Até que um dia saí com ele e fui abusada. Engravidei. Depois de um tempo ele disse que me assumiria. Meu pai não se importou muito. Até parece que para ele isso foi bom, porque era uma boca a menos para alimentar. Pode ter sido bom para ele, não para mim”, disse a menina, moradora de uma comunidade próxima ao Itaquerão.

A Prefeitura de São Paulo reconhece a região do estádio como um dos pontos vulneráveis a esse tipo de crime e acionou uma rede de proteção, que inclui assistência social, conselhos tutelares e escolas, para que a prática de abuso sexual infantil não seja repetida durante a Copa do Mundo, que começa no próximo dia 12, exatamente no Itaquerão.

A medida integra a Agenda de Convergência, estratégia do governo federal, por meio da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, no enfrentamento à violação dos direitos da criança e do adolescente durante grandes eventos.

“Essa ação mobiliza os atores sociais das redes locais e foi implantada na capital paulista. Não só lá na região de Itaquera, mas em outros pontos de concentração onde as pessoas vão assistir aos jogos”, informou Fábio Silvestre, coordenador de políticas para crianças e adolescentes da Secretaria Municipal de Direitos Humanos.

De acordo com Silvestre, a prefeitura reforçou também a campanha de divulgação do Disque Direitos Humanos – Disque 100, que recebe esse tipo de denúncia.
Avisos em aeroportos

A Secretaria Nacional de Direitos Humanos (SDH) irá pregar nos principais portos, aeroportos e terminais rodoviários das 12 cidades-sede da Copa do Mundo do Brasil cartazes em inglês e espanhol convidando os turistas estrangeiros a denunciar casos de abuso ou exploração sexual infantil de que tenham conhecimento durante sua estada no país.

Além dos cartazes, serão distribuídos adesivos e folders aos turistas nos principais pontos de aglomeração de pessoas durante o Mundial de futebol, como entorno dos estádios, locais onde serão realizados eventos relacionados à Copa e centros hoteleiros.

A ação faz parte da campanha “Entre em Campo pelo Direito das Crianças”, executada pela SDH em parceria com conselhos municipais dos direitos da criança e do adolescente e entidades da sociedade civil. Quem banca o projeto é a Fundação Itaú Social.

De acordo com a secretária Nacional de Direitos Humanos, Angelica Goulart, além da divulgação e distribuição dos cartazes e adesivos, a ação inclui a criação, em cada cidade-sede da Copa, de espaços temporários de abrigo para crianças em situação de vulnerabilidade ou que tenham sofrido qualquer tipo de violência.

* Com informações da Agência Brasil

‘Gente que nunca fez nada’ critica obra do São Francisco, diz Dilma

A presidente Dilma Rousseff rebateu nesta terça-feira (13) críticas sobre atrasos nas obras de transposição do rio São Francisco e disse que “quem nunca fez nada, desanda a cobrar”. A presidente realiza visita a estados do Nordeste para  vistoriar as obras do rio e deu a declaração em conversa com jornalistas em São José de Piranhas (PB).

Dilma posa para foto com operários no túnel Túnel Cuncas II, nas obras do Rio São Francisco  (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)Dilma posa para foto com operários no túnel Túnel Cuncas II, nas obras do Rio São Francisco (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

A construção começou em 2007. O projeto de integração do São Francisco tem extensão total de 469 quilômetros e a estimativa é que 11,6 milhões de pessoas sejam atendidas com fornecimento de água em cidades do Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A previsão do governo federal, segundo o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, é que as obras fiquem prontas até dezembro do ano que vem.

“Acontece uma coisa engraçada no Brasil, não sei se vocês já notaram. Quem nunca fez, desanda a cobrar de quem fez. Então é isso que nós estamos assistindo. Gente que nunca fez quando pôde, cobrar de quem está fazendo quando pode”, criticou.

 fez uma comparação com o sistema Cantareira, que abastece a cidade de São Paulo. Para Dilma, a capital paulista passa por uma situação “difícil”. O nível da represa chegou a 8,6% nesta terça.

“O rio São Francisco é o rio que beneficia mais a população nordestina e que vai garantir uma diferença de qualidade, principalmente quando nós estamos vendo, hoje, uma situação muito, muito difícil sendo passada no estado mais rico da federação, que é São Paulo. É a falta de água na barragem da Cantareira, lá do reservatório da Cantareira”, disse.

Em seguida, Dilma elogiou o planejamento dos estados no Nordeste no que diz respeito a abastecimento de água. “Você veja que o Nordeste teve esse mérito. Ele teve essa consciência e esse planejamento. Não é de hoje que você faz isso”, pontuou.

Momentos mais tarde, já em Jati (CE), Dilma voltou a mencionar a situação do estado de São Paulo, ao dizer que, no Nordeste houve “previsão” e que lá nenhum líder foi “surpreendido pela seca”.

“Vejam vocês que o Brasil está passando por um período de estiagem e hoje, no Sudeste, nos estados mais ricos da federação, especialmente em São Paulo, estamos enfrentando uma seca de todas proporções. Mas lá não tem obra dessa proporção para garantir segurança hídrica”, disse.

Ela completou que os trabalhadores que participaram da obra deveriam estar de “queixo erguido” porque, segundo ela, a transposição vai mudar as “condições” para o Nordeste se desenvolver.

Agenda
A presidente Dilma Rousseff vai fazer nesta terça vistoria em trechos da obra de transposição do Rio São Francisco em cidades de Pernambuco, Paraíba e Ceará.

Primeiro ela vai passar pelas obras do Túnel Cuncas II, próximo a São José de Piranhas (PB) – segundo o Ministério da Integração, o túnel possui quatro quilômetros de extensão e foi concluído em março deste ano. Em seguida, a presidente vai visitar a barragem construída em Jati (CE), responsável por levar a água do rio São Francisco ao estado do Ceará.

A última vistoria de Dilma nesta viagem será em Cabrobó (PE), onde visitará a Estação de Bombeamento 1, responsável por levar a água do rio a localidades com altitude elevada. De acordo com o ministério, a etapa está 83,8% concluída.

De acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), o custo total previsto da obra de transposição é de R$ 8,2 bilhões e, até março deste ano, R$ 4,6 bilhões já haviam sido executados (valor sem correção monetária).

Cobranças
Na segunda-feira (12), em cerimônia na ciadade de Ipatinga (MG), Dilma também reclamou das críticas de cobranças feitas por conta de atrasos na execução do Anel Rodoviário de Belo Horizonte. “Por que na hora de a gente fazer o acordo e passar os recursos todo mundo quer, e na hora de cobrar só nós somos cobrados? Que história é essa? Eu respondo pelos meus atos, mas não respondo pelos dos outros”, disparou.

O governo mineiro rebateu a crítica e disse em nota que a responsabilidade pela obra é do governo federal. Disse ainda que a obra não foi iniciada porque o DNIT – estatal ligada ao Ministério dos Transportes – ainda não liberou o projeto para o estado fazer a licitação.

 

Juliana Braga

Ministério Público aponta superfaturamento em obra de CT da Copa

ctO Ministério Público Federal do DF (MPF/DF) anunciou nesta quinta-feira que pediu à Justiça a condenação de três pessoas acusadas de superfaturamento e alteração de mercadorias nas obras de construção, reforma e ampliação do Complexo Esportivo do Gama, em 2007. No local fica o Estádio Bezerrão, escolhido pela Fifa para ser centro de treinamento das equipes que jogarem em Brasília durante a Copa do Mundo, o chamado COT (Centro Oficial de Treinamento).

De acordo com o MPF/DF, um cálculo realizado por peritos criminais apontou que o prejuízo aos cofres públicos atingiu, no mínimo, R$ 2,5 milhões. O custo inicial do projeto, financiado em sua maior parte pelo ministério do Esporte, era de R$ 6 milhões e os desvios, segundo o Ministério Público, aconteceram durante a execução de contrato firmado entre a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) e a construtora Atlanta.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O projeto previa a demolição do ginásio existente e a construção de um espaço multiuso e de um complexo aquático na região administrativa. Entre as falhas apontadas estão “o pagamento de serviços extra e não executados, aumento arbitrário dos preços, alteração da substância, qualidade e quantidade da mercadoria fornecida tornando-a mais onerosa injustamente, e utilização de material com qualidade inferior à pactuada”, aponta o MPF/DF.

São acusados pelas práticas ilícitas Antônio Carlos Porto Almeida, Agenor Santana Reis Júnior e Ferola Torquato da Silva, sócios e administradores da construtora Atlanta. — Todos os denunciados atuavam efetiva e diretamente na gestão da empresa, inclusive no que tange ao acompanhamento dos procedimentos licitatórios, definição de preços e execução das obras —, destaca o MPF.

Se condenados, eles podem pegar de três a seis anos de prisão, além de multa. A ação também pede o ressarcimento do prejuízo em valores atualizados na data da sentença. O caso será apreciado pela 10ª Vara Federal do DF.

Zero Hora

Barreira cai em obra e funcionários ficam soterrados em João Pessoa

barreiraUm acidente em um canteiro de obras deixou três funcionários soterrados no início da tarde desta terça-feira (25) no bairro do Altiplano, em João Pessoa. Segundo informações do major Marcelo Lins, do Corpo de Bombeiros, eles estavam cavando um buraco de 10 metros de largura por 8 metros de profundidade, quando a barreira caiu sobre eles.

Até as 14h15, dois dos funcionários já haviam sido resgatado por equipes dos Bombeiros, ainda de acordo com informações do major Lins. Ainda não há informações sobre o estado de saúde deles.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

No local, está sendo construído um prédio da Vertical Engenharia. O gerente de obras da construtora, Jorge Saback, disse ao G1 que ainda não tem informações sobre como o acidente aconteceu porque ainda estava chegando ao local. Ele ainda informou que ia verificar o estado de saúde dos funcionários para determinar o que deve ser feito.

Blog de Batista Silva