Arquivo da tag: Nosso

Cássio coordena bancada e pede derrubada de veto dos Royalties, ‘o petróleo também é nosso’

“Votei pela urgência na apreciação e votarei pela derrubada do veto de Dilma (…). A Paraíba também é Brasil”. Foi o que declarou o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), coordenador da bancada paraibana no Senado Federal. E complementou: “O petróleo também é nosso”.

O plenário do Congresso Nacional aprovou o requerimento de urgência para apreciação da proposta de derrubada do veto da presidente Dilma ao projeto da Lei dos Royalties.

A sessão foi tensa e foi suspensa em duas ocasiões pela vice-presidente da mesa, a deputada federal Rose de Freitas (PMDB-ES). O senador Cássio elogiou a atitude dela: “Quero registrar a postura ética com que Vossa Senhoria conduziu esta tensa e apaixonante sessão, que há muito tempo não ocorria aqui, desde a Assembleia Nacional Constituinte”.

A votação da derrubada do veto deve acontecer somente na próxima terça-feira.

Marcone Ferreira com Assessoria

Pão Nosso de cada dia ficará mais caro 10% a partir de Setembro

O aumento sucessivo da saca do trigo nas últimas semanas deve refletir nos bolsos dos consumidores cearenses logo no início do próximo mês, segundo a avaliação dos dois presidentes das entidades que representam os industriais de massas e trigo, assim como os da indústria de panificação do Estado. A expectativa anunciada por eles é que o pão carioquinha salte, “pelo menos”, 10%, enquanto massas e biscoitos fiquem entre 6% e 10%.

“Nós estamos esperando estabilizar a situação, pois os aumentos da farinha de trigo vêm sendo gradativos há três semanas e ainda devem permanecer acontecendo nas próximas duas”, contou o presidente do Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Estado do Ceará (Sindipan-CE), Lauro Martins.
Todo o reajuste da saca do trigo, segundo ele, deve somar 45% de alta, o que, na previsão de Lauro, deve resultar em, no mínimo, 10% de reajuste (para mais) no preço do pão carioquinha no Ceará. “E o nosso (aumento), infelizmente, é de uma vez só, pois não dá para esperar ou ter um desgaste de aumento gradual”, afirmou. Atualmente, o preço do quilo do pão mais barato, o carioquinha, em Fortaleza, gira entre R$ 5,50 e R$ 10,29 (variação de 87%), de acordo com pesquisa direta feita pela reportagem, ontem.
Justificativa
A justificativa para a subida em cadeia dos produtos deste setor, de acordo com o presidente do Sindipan, é desconhecida. “O trigo usado no Ceará é todo importado e não existe falta de trigo no mercado internacional, além do mais, o dólar está estabilizado”, argumentou Martins.
Massas entre 6% e 10%
O repasse para o consumidor final no que diz respeito às massas e biscoitos, no entanto, tem previsão de ficar entre 6% e 10%, na avaliação do presidente do Sindmassas-CE. Já sobre quando isso vá ocorrer, ele não arrisca uma data, alegando a instabilidade do mercado atualmente.
“Em cerca de 60 e 90 dias, a saca do trigo passou de US$ 240 para US$ 360 e o dólar passou de R$ 1,80 a R$ 2,00″, destacou.
R$ 330 mi para trigo
Na noite de ontem, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou a aplicação de R$ 330 milhões “para a realização de leilões públicos de equalização dos preços do trigo com o objetivo de contemplar a Política de Garantia de Preço Mínimo (PGPM) para o produto”. A nota ainda afirma que a decisão “foi tomada de forma preventiva para tranquilizar os produtores frente a possíveis oscilações futuras”. O secretário de Política Agrícola, Caio Rocha, explica que os leilões só serão realizados caso o preço de mercado fique abaixo do valor mínimo (fixado pelo governo federal). Ele informou que, nos últimos anos, o Rio Grande do Sul foi o mais contemplado.
Da Redação
Com Diário do Nordeste via Folha do sertão