Arquivo da tag: Nordeste

Secretários de Saúde do Nordeste divulgam carta contra fala de Bolsonaro

Após o polêmico pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro transmitido em cadeia nacional na noite dessa terça-feira (24), os secretários de Saúde do Nordeste, incluindo o da Paraíba, Geraldo Medeiros divulgaram uma carta aberta, onde disseram que o presidente da República “desfaz todo o esforço e nega todas as recomendações para combate à pandemia do coronavírus”.

O texto ainda ressalta que os secretários de Saúde percebem, “com espanto”, os “graves desencontros entre o pronunciamento do presidente e as diretrizes cotidianas do Ministério da Saúde”.

“Esta fala atrapalha não só o ministro, mas todos nós!”

Confira:

PB Agora

 

 

STF suspende cortes no Bolsa Família no Nordeste enquanto durar pandemia

Após ação judicial protocolada pelo governador da Paraíba, João Azevêdo, e mais seis governadores do Nordeste, o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), ordenou nesta segunda-feira (23) que a União apresente dados que indiquem o motivo de cortes realizados até o momento. O ministro proibiu cortes no Bolsa Família na região Nordeste.

Além da Paraíba, entraram com a ação judicial os governos de Bahia, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte. A decisão é liminar (provisória).

“Os dados sinalizam a tese jurídica veiculada e o dano de risco irreparável a ensejar desequilíbrio social e financeiro, especialmente considerada a pandemia que assola o país”, diz o ministro na liminar. A ação ainda terá julgamento definitivo, mas não há data prevista.

Em nota (veja íntegra abaixo), o Ministério da Cidadania informou que uma portaria publicada na última sexta (20) suspendeu os bloqueios e cancelamentos dos benefícios por 120 dias, e que há previsão de incluir 1,2 milhão de famílias no programa. O Palácio do Planalto não quis comentar a decisão.

Os estados alegaram que a diminuição dos recursos na Região retira a efetividade do programa e aumenta a desigualdade no Nordeste. Segundo os dados apresentados, o Nordeste recebeu, entre maio e dezembro de 2019, 3% das concessões de novos benefícios. Já os estados do Sul e do Sudeste concentraram 75% dos novos recebedores.

Com o início da pandemia do coronavírus, os estados fizeram um novo pedido. Segundo a ação, em março, 158 mil bolsas foram cortadas – 61% delas no Nordeste.

Para o ministro Marco Aurélio, “não se pode conceber tratamento discriminatório da União em virtude do local onde residem os brasileiros”.

“A postura de discriminação, ante enfoque adotado por dirigente, de retaliação a alcançar cidadãos – e logo os mais necessitados –, revela o ponto a que se chegou, revela descalabro, revela tempos estranhos. A coisa pública é inconfundível com a privada, a particular. A coisa pública é de interesse geral. Deve merecer tratamento uniforme, sem preferências individuais. É o que se impõe aos dirigentes. A forma de proceder há de ser única, isenta de paixões, especialmente de natureza político-governamental”, destacou o ministro.

Marco Aurélio ordenou que a liberação de recursos para novas bolsas deve ser “uniforme” considerados os estados da federação.

Veja a íntegra da nota do Ministério da Cidadania:
O Ministério da Cidadania, por meio da Portaria Nº 335 – publicada na sexta-feira (20) – já havia estabelecido medidas emergenciais para o Programa Bolsa Família, entre elas a suspensão de bloqueios e cancelamentos dos benefícios pelo prazo de 120 dias.

Segundo o ministro Onyx Lorenzoni, titular da pasta, o programa “é muito importante para as famílias mais vulneráveis do país”. Além disso, Onyx destaca que “com a inserção de mais 1,2 milhão de famílias, teremos cerca de 14 milhões de famílias beneficiadas, o maior número da história do programa”, enfatizou.

O ministro destacou também que a portaria soma-se a outras ações que o presidente Jair Bolsonaro está realizando para o enfrentamento da situação emergencial do Covid-19. “O presidente tem agido para reduzirmos os danos da crise e protegermos os idosos e os mais vulneráveis”, assegurou. “Essa portaria garante que nenhuma família será excluída do programa nos próximos 120 dias e reafirma o compromisso do presidente Bolsonaro com o Bolsa Família”, completou. 

 

 G1

 

 

Belo vence Imperatriz-MA e fica próximo da classificação na Copa do Nordeste

Em um jogo de início eletrizante e fim de pressão para o torcedor que estava no Almeidão, o Botafogo-PB venceu o Imperatriz-MA por 2 a 1 e voltou para a liderança do Grupo A da Copa do Nordeste. Caso o ABC-RN não vença o Vitória amanhã, o resultado classifica o Belo antecipadamente para o mata-mata do torneio regional.

Em um lance de bola parada, o Botafogo-PB mostrou que não estava para brincadeira. Logo aos 2 minutos, Cássio Gabriel cobrou escanteio da esquerda e, após desvio no primeiro pau, Mário apareceu na segunda trave para escorar e marcar o primeiro do Belo.

No minuto seguinte, em um lance bobo, pênalti para o Imperatriz. Cesinha invadiu a área e foi atropelado por Mário. Na cobrança, o próprio Cesinha mandou no canto esquerdo e Felipe, na sua estreia, defendeu a batida.

O jogo era insano e, aos 8 minutos, Cássio Gabriel foi derrubado na área e o árbitro assinalou a marca da cal. Na cobrança do pênalti, Rodrigo Andrade bateu firme no canto esquerdo do arqueiro maranhense e fez o segundo gol botafoguense no jogo.

Com a vantagem de 2 a 0, o Botafogo-PB passou a cadenciar o jogo e administrar o resultado, deixando o adversário com a bola e tentando encaixar algum contra-ataque com a velocidade de Dico e Cássio Gabriel.

Mas o Belo provou de seu próprio veneno aos 31 minutos. Após cobrança de escanteio de Madson pela direita, Renan Dutra subiu livre e cabeceou sem chances para Felipe e diminuiu o placar.

No último lance antes do intervalo, Rodrigo Andrade cobrou falta da direita na cabeça de Everton Heleno, que não acertou firme a bola, que saiu pela linha de fundo.

Segundo tempo

Na volta para a segunda etapa, assim como na primeira, o Botafogo-PB foi para a frente. Logo aos 2 minutos, Cássio Gabriel enfiou a bola para Rodrigo Andrade, que bateu de canhota na saída do goleiro, mas a bola bateu na trave. Na sobra, o camisa 10 tentou empurrar de cabeça opara o gol, mas a defesa afastou o perigo.

O ritmo do jogo era mais lento e as bolas paradas eram de onde saíam as oportunidades de ataque. Aos 17, Cássio Gabriel cobrou falta da meia esquerda e mandou a direita da meta de Waldson. Dois minutos mais tarde, Cássio Gabriel cobrou escanteio da direita, Fred desviou de cabeça e, por pouco, Mário não chegou para completar.

Na sequência, a melhor chance do segundo tempo. Pimentinha recebeu na direita, invadiu a área livre e, na saída do goleiro, nem chutou nem cruzou, e o arqueiro maranhense defendeu com o peito. Lucas Simón, sozinho no meio da área, ficou na bronca com o baixinho.

Em sua primeira estocada após o intervalo, o Imperatriz contou com a ajuda da zaga botafoguense para quase empatar. Aos 26, Lorran cruzou da esquerda, Marcelo Xavier tentou cortar e a bola por muito pouco não entrou no canto esquerdo de Felipe.

A torcida botafoguense estava na bronca com o recuo do time e a atuação, que caiu bastante. E quase teve mais motivos para se irritar porque aos 41, após cruzamento da esquerda, Matheus João cabeceou livre, com muito perigo, quase empatando a peleja.

Com a vitória no sufoco, o Botafogo-PB voltou para a liderança do Grupo A, com 12 pontos e muito próximo da classificação antecipada. No próximo sábado (14), o Belo visita o Santa Cruz, em Recife. No meio da semana a equipe da Maravilha do Contorno joga pelo estadual, em casa, contra o Sousa, na quarta-feira (12). O Imperatriz segue com 7 pontos, na quinta posição do Grupo B. Os maranhenses voltam a campo no Nordestão no sábado (14), quando vai receber o ABC-RN.

 

Fonte: A voz da Torcida

 

 

Sífilis congênita: Paraíba possui taxas menores que o Brasil e o Nordeste

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou boletim epidemiológico da sífilis, nesta sexta-feira (28), segundo o qual a Paraíba tem taxas menores que o Brasil e o Nordeste em casos de sífilis congênita (em bebês). Enquanto no Brasil, no ano de 2018, a incidência de sífilis congênita era de 9,6 casos por 1.000 nascidos vivos, no Nordeste era 9,0 e na Paraíba, 6,7. No entanto, houve aumento no número de casos no ano de 2019, quando as taxas foram 7,4 casos. A sífilis congênita é uma das três fases da doença, tendo também a adquirida – na população em geral e em gestantes.

Crianças que nascem com sífilis ficam com sequelas graves para o resto da vida. “A infecção pode causar má-formação do feto, aborto ou morte do bebê, quando este nasce gravemente doente. Ainda há outras consequências da sífilis congênita, a exemplo de cegueira, surdez, problemas cardíacos, neurológicos, na dentição, na fala, entre outras”, disse a chefe do Núcleo de IST/Aids, Joanna Ramalho.

Joanna explica que a sífilis congênita é transmitida da mãe para o filho. “Por isso, a maior estratégia da SES é junto às gestantes que devem fazer o pré-natal na Atenção Básica (AB), e logo na primeira consulta é feito o exame rápido (15 minutos), que detecta a doença. Caso dê positivo, o tratamento é iniciado, imediatamente, com penicilina, na própria AB”, explicou.

Em 2019, na Paraíba, observou-se uma taxa de detecção de 17,1% de casos de sífilis em gestantes, para cada 1.000 nascidos vivos (3% superior a taxa observada no ano anterior).

Ainda de acordo com o boletim, quando analisada a idade gestacional de detecção de sífilis em gestante, observou-se que, em 2019, a maior proporção das mulheres (43,1%) foi diagnosticada no terceiro trimestre; 21,45% representaram diagnósticos no segundo trimestre e 26,7% no primeiro trimestre. “Este é um dado preocupante já que o desejável é a realização dessa detecção, o mais precoce possível, ao iniciar o pré-natal”, falou.

Em relação à sífilis adquirida, em 2019, foram notificados 1.923 casos. A 1ª Região de Saúde é a que concentra o maior percentual, com mais de 70%, sendo João Pessoa, Santa Rita, Bayeux e Cabedelo com o maior número de casos. A faixa etária com a maior taxa de detecção de sífilis adquirida é entre 20 a 39 anos e mais de 68% dos casos são do sexo masculino.

“Vivemos uma epidemia de sífilis, em todo país. Daí a necessidade de estar sempre monitorando e tratando. É bom lembrar que se trata de uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), de fácil transmissão, mas que pode ser evitada com o uso de preservativo”, ressaltou.

De acordo com Joanna Ramalho, a SES já desenvolve uma política em relação à sífilis, em todas as suas fases, que vai desde a distribuição de preservativos; o diálogo com profissionais de saúde da AB, para atuarem no sentido do diagnóstico precoce da doença e a distribuição e treinamento de teste rápido junto aos municípios.

Confira o boletim

Secom-PB

 

 

Com Léo Moura em campo, Botafogo-PB sofre, mas vence Náutico pela Copa do Nordeste

Botafogo-PB e Náutico se enfrentaram, em João Pessoa, pela terceira rodada da primeira fase da Copa do Nordeste de 2020 na tarde deste sábado (08). Em um jogo bastante agitado e com duas expulsões no time pernambucano, o Belo contou com um gol anulado no fim do segundo tempo para segurar a vitória por 2 a 1, na estreia de Léo Moura com a camisa botafoguense.

Evaristo Piza, muito pressionado durante a semana por parte da torcida, decidiu arriscar na escalação inicial. Apesar de manter Juninho, bastante contestado, no meio-campo, o treinador, além da estreia de Léo Moura, colocou como titular o atacante Pimentinha, na vaga de Cássio Gabriel, retornando seu esquema clássico com três atacantes.

Nos primeiros minutos, a partida foi muito brigada e disputada no meio-campo. O Náutico buscava sair em velocidade pelos lados, e chegou com perigo aos 3 minutos, quando Erick fez boa jogada pela direita e cruzou para o meio. A bola passou por toda pequena área, mas ninguém empurrou para as redes, e Léo Moura saiu jogando.

A primeira chegada de mais perigo da partida veio aos 19 minutos, quando Pimentinha fez jogada pela direita e a bola sobrou na entrada da área, do lado esquerdo, para Kelvin, que bateu de direita no canto esquerdo de Jefferson, que fez ótima defesa mandando pela linha de fundo.

Na cobrança de escanteio, aos 20, Rodrigo Andrade mandou na área e Luís Gustavo subiu no terceiro andar para mandar firme, de testa, e estufar a rede alvirrubra para fazer a festa botafoguense na arquibancada. 1 a 0.

Paraíba Online • Com Léo Moura em campo, Botafogo-PB sofre, mas vence Náutico pela Copa do Nordeste
Foto: Josemar Gonçalves/ Botafogo-PB

O Timbu tentou a reação dois minutos depois. Jean Carlos cobrou escanteio na área e Diego cabeceou firme. Samuel Pires triscou na bola, que foi por cima da meta.

A partida ficou corrida e o Belo quase chega ao segundo. Após passe de Rogério, Mário recebeu na meia esquerda, penteou a bola para passar por Diego e bateu de bico, de pé esquerdo, mas a bola foi passou sobre o travessão.

Com o forte calor, somado ao pouco tempo de temporada das equipes, o ritmo caiu e novas chances não foram criadas até o intervalo, mas o Náutico tomou dois cartões amarelos, com Lucas e Diego.

Segundo tempo

Logo aos 6 minutos o Belo mostrou que veio para matar o jogo. Pimentinha entortou Diego e tocou para Lohan, que foi desarmado na hora do chute. No rebote, o camisa 9 foi calçado por Ronaldo Alves e o árbitro Denis da Silva Ribeiro marcou pênalti.

Na cobrança, aos 8, Rodrigo Andrade esbanjou categoria, esperando Jefferson cair do lado esquerdo e só rolar a bola, que entrou mansamente no canto direito, e anotou o segundo tento botafoguense.

Paraíba Online • Com Léo Moura em campo, Botafogo-PB sofre, mas vence Náutico pela Copa do NordesteA resposta pernambucana foi imediata. Um minuto depois, Jean Carlos recebeu na intermediária e chutou forte no canto esquerdo, sem chances para Samuel Pires, e diminuiu o placar.

Aos 11, a coisa se complicou para o Timbu. Diego fez falta dura em Lohan no meio-campo, recebeu o segundo amarelo e foi expulso.

Com um a mais em campo, o time paraibano ainda assim foi encurralado pelo Timbu em alguns momentos, como próximo aos 30 minutos, quando cobrou quatro laterais seguidos dentro da área em sequência, todos pela esquerda, com Willian Simões, e a zaga tinha dificuldade para afastar.

Aos 31, Simões cruzou da esquerda com a bola rolando, a bola passou por todo mundo e chegou em Jefferson Nem, que bateu de primeira. A pelota atravessou toda pequena área e assustou a torcida na arquibancada.

O Náutico ainda teve o lateral-direito Bryan expulso por falta em Kelvin que lhe rendeu o segundo amarelo.

Foto: Josemar Gonçalves/ Botafogo-PB

Foto: Josemar Gonçalves/ Botafogo-PB

Ainda assim, com dois a menos, o alvirrubro ficava inteiro no campo de ataque e o Belo se defendia de qualquer maneira, fazendo faltas bobas na entrada da área. O Náutico chegou a ter um gol anulado aos 48, quando a auxiliar Fernanda Felix marcou falta de ataque no goleiro Samuel Pires.

Com a primeira vitória na Copa do Nordeste, o Botafogo-PB chega a 5 pontos e fica na terceira posição do Grupo A. O Belo volta a campo na quarta-feira (12), pela Copa do Brasil, contra o Atlético-BA. No dia 16, em Maceió, o time paraibano enfrenta o CSA-AL, pelo torneio regional.

O Náutico segue com 4 pontos, na liderança do Grupo B. Seu próximo compromisso no Nordestão será no sábado (15), no clássico pernambucano contra o Sport.

Ficha técnica

Botafogo-PB 2 x 1 Náutico

Copa do Nordeste 2020
3ª rodada – primeira fase
Estádio Almeidão (João Pessoa)

Arbitragem: Denis da Silva Ribeiro; Maxwell Rocha da Silva e Fernanda Felix da Silva. Todos de Alagoas.

Gols: Luís Gustavo (B)
Cartões amarelos: Mário, Fred (B); Lucas, Diego, Dumas, Bryan, Rhaldney, Salatiel, Jean Carlos (N)
Cartões vermelhos: Diego, Bryan (N)

Botafogo-PB: Samuel Pires, Léo Moura, Fred, Luís Gustavo (Marcelo Xavier), Mário; Rogério, Juninho (Marcos Vinicius), Rodrigo Andrade; Kelvin, Pimentinha e Lohan (Mário Sérgio). Técnico: Evaristo Piza.

Náutico: Jefferson, Bryan, Ronaldo Alves, Diego, Willian Simões; Luanderson, Rhaldney, Jean Carlos; Erick (Dumas), Lucas (Jefferson Nem) e Paiva (Salatiel). Técnico: Gilmar dal Pozzo.

 

paraibaonline

 

 

MTur aponta Nordeste como principal região para turismo religioso

O Ministério do Turismo vai lançar um guia de destinos e eventos religiosos pelo país. O Nordeste, com 30 roteiros e 19 eventos religiosos é a região que mais alternativas oferece aos turistas.

Aproximadamente um milhão de pessoas participam da transladação em Belém durante a quarta romaria que antecede a procissão do Círio de Nazaré

 

Veja

 

 

Verão começa hoje no Hemisfério Sul; Nordeste terá chuva acima da média

O verão no Hemisfério Sul começa oficialmente neste domingo (22), às 1h19 (horário de Brasília) e vai até 20 de março de 2020. A estação mais quente do ano, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), é marcada pela elevação de temperatura em todo o país, devido à posição da Terra em relação ao Sol, tornando os dias mais longos que as noites

O verão se caracteriza também pelas mudanças rápidas nas condições de tempo, com chuvas fortes, queda de granizo, ventos com intensidade variando de moderada à forte e descargas elétricas, principalmente nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país.

Em 2020, o verão não terá a influência dos fenômenos El Niño (aquecimento das águas do Oceano Pacífico) e La Niña (fenômeno caracterizado esfriamento das águas do Pacífico). Segundo o Inmet, os principais centros internacionais de meteorologia indicam probabilidade elevada de neutralidade e se mantenha ao longo de toda a estão.

“Com a neutralidade do Pacífico Equatorial, outras regiões oceânicas devem ter influência sobre o regime de chuvas durante os primeiros meses de 2020 no Brasil, como a temperatura na superfície do Oceano Atlântico Sudoeste junto à costa do Rio Grande do Sul, Uruguai e norte da Argentina, e o Atlântico Subtropical, próximo à costa do Nordeste brasileiro”, informou o Inmet.

Região Norte

As condições climáticas para este verão, segundo o Inmet, são de probabilidades de chuvas dentro da faixa do normal ou abaixo, especialmente em áreas dos estados do Pará e Amazonas. No Tocantins, há uma indicação de chuvas dentro da faixa normal.

Região Nordeste

Na Região Nordeste, a previsão para o verão 2020, indicam que maior probabilidade de chuvas acima da média nos estados da Bahia, Alagoas e Pernambuco, assim como no sul dos estados do Maranhão e Piauí. Nas demais áreas, há um risco de as chuvas ficarem abaixo da média.

“Vale lembrar que temperaturas serão predominantemente elevadas na região, porém, nas localidades onde há a probabilidades de chuvas acima da média, os termômetros devem registrar temperaturas levemente inferiores à média”, destacou o Inmet.

Região Centro-Oeste

Para o Centro-Oeste, as previsões para o verão são de probabilidade de que o acumulado de chuvas seja dentro da faixa normal ou acima em grande parte da região, exceto no centro-sul do Mato Grosso, sul de Goiás e parte de Mato Grosso do Sul, onde há probabilidade de chuvas inferiores.

“As previsões indicam que as mesmas devem ultrapassar a média ao longo da estação” informou o instituto.

Região Sudeste

A Região Sudeste tem previsões para o verão, de chuvas variando dentro da faixa normal ou acima em grande parte de Minas Gerais e no centro-norte do Espírito Santo. Nas demais áreas, as probabilidades indicam chuvas abaixo da média.

Região Sul

No Sul do país, há probabilidade de chuvas dentro da faixa normal ou acima em praticamente toda a região, principalmente no Rio Grande do Sul e parte de Santa Catarina. As temperaturas devem ser predominantemente elevadas, porém dentro da normalidade do verão na região.

 

Agência Brasil

 

 

Mais da metade das grávidas do Nordeste têm dúvidas sobre mitos da amamentação

Pesquisa aplicada pelo IBOPE Conecta, a pedido de Pfizer e Nestlé, mostra que 61% das gestantes do Nordeste[1] têm dúvidas sobre a influência de mitos, como o consumo de canjica, na produção do leite materno

Não é à toa que as gestantes ficam tão preocupadas com a produção do leite: o alimento é principal fonte de nutrientes para os bebês até os 6 meses de idade, além de atuar na prevenção de doenças nos recém-nascidos. Em meio a tanta informação, o aleitamento materno pode gerar dúvidas nas mães, levando-as a crer, muitas vezes, em falsas estratégias para aumentar a quantidade de leite produzido.

A pesquisa “Como vai a alimentação das gestantes brasileiras? A mãe moderna e o desafio da nutrição equilibrada”, conduzida pelo IBOPE Conecta, a pedido de Pfizer e Nestlé, para entender os hábitos alimentares e nutricionais das gestantes do País, mostra que mais da metade das grávidas entrevistadas no Nordeste acredita ou não sabe que algumas crenças populares sobre o aleitamento materno são falsas. Entre as gestantes consultadas na região, 61% acreditam ou não sabem se comer canjica aumenta a quantidade do leite.
Já 45,7% acreditam ou se questionam sobre a influência da cerveja preta na amamentação.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), não há evidências científicas que comprovem que determinados alimentos aumentem a produção de leite[2]. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda, ainda, que o consumo de bebidas alcoólicas seja suspenso durante a gravidez, a fim de prevenir o parto prematuro e a síndrome fetal[3]. A SBP reforça também que, para a manter a saúde de mãe e bebê durante a gravidez, é essencial manter uma alimentação saudável[4], já que há um aumento do gasto de energia para a produção do leite e um incremento na intensidade da atividade fisiológica e necessidades nutricionais para o desenvolvimento da criança.

No Nordeste, 88% das grávidas entrevistadas desconhecem a importância da suplementação vitamínica para suprir as necessidades do corpo durante a gestação, 5 pontos acima da média nacional (83%).
A OMS recomenda que as grávidas adotem a suplementação diária de ácido fólico e de ferro[5]. O primeiro atua no desenvolvimento placentário[6] e na formação do tubo neural do bebê[7], prevenindo possíveis malformações, como coluna aberta e anencefalia[8]. Já o ferro contribui para a produção de hemoglobinas e proteínas responsáveis pelo suprimento de oxigênio do organismo[9], além de auxiliar na prevenção da anemia na mãe e no bebê. A demanda pelo mineral crescerá cinco vezes do início ao fim da gestação[10].

Larissa Ribeiro

 

João Pessoa é segunda cidade do Nordeste onde mais há traição, aponta ranking

João Pessoa é a segunda cidade onde há mais traição no Nordeste, perdendo apenas para Recife, em Pernambuco. É o que aponta o ranking enviado ao ClickPB pelo site de relacionamentos extraconjugais Ashley Madison.

No ranking Brasil, João Pessoa é a 15ª colocada. Recife é a 12ª com mais traição entre parceiros.

A pesquisa é baseada no número de inscritos no site entre dezembro de 2018 e fevereiro de 2019. Três cidades do estado de São Paulo lideram o ranking: Santo André, São Bernardo do Campo, e Guarulhos.

Veja a lista das cidades com mais traição

1 – Santo André (SP)

2 – São Bernardo do Campo (SP)

3 – Guarulhos (SP)

4 – Nova Iguaçu (RJ)

5 – São Gonçalo (RJ)

6 – Campinas (SP)

7 – Porto Alegre (RS)

8 – Curitiba (PR)

9 – São Paulo (SP)

10 – Goiânia (GO)

11- Belo Horizonte (MG)

12 – Recife (PE)

13 – Brasília (DF)

14 – Rio de Janeiro (RJ)

15 – João Pessoa (PB)

 

clickpb

 

Paraíba tem 16 praias atingidas por manchas de óleo; número sobe para 132 no Nordeste

Já são 132 praias atingidas por manchas de óleo no Nordeste, segundo o balanço do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) divulgado neste domingo (6).

No total, 61 municípios foram afetados em 9 estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

O último estado a ser atingido foi a Bahia, na última quinta-feira (3).

O governo de Sergipe decretou situação de emergência em razão das manchas de óleo. Nesta segunda (7), o ministro Ricardo Salles visitará o estado. O projeto Tamar suspendeu a soltura de filhotes de tartarugas marinhas por conta do problema.

No sábado (5), o presidente Jair Bolsonaro determinou uma investigação sobre as origens do óleo.

Petróleo cru acumulado em ponto do litoral de Sergipe (SE) — Foto: Reprodução/TV Sergipe

Petróleo cru acumulado em ponto do litoral de Sergipe (SE) — Foto: Reprodução/TV Sergipe

O Ibama informou que desde o dia 02 de setembro vem estabelecendo uma série de ações, juntamente com o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (DF), Marinha e Petrobras, com o objetivo de investigar as causas e responsabilidades do despejo, no meio ambiente, do petróleo cru que atingiu o litoral nordestino.

O resultado conclusivo das amostras, solicitadas anteriormente pelo Instituto e pela Capitania dos Portos, e cuja análise foi feita pela Marinha e pela Petrobras, apontou que a substância encontrada nos litorais trata-se de petróleo cru, ou seja, não se origina de nenhum derivado de óleo.

Investigação do Ibama com apoio dos Bombeiros do DF aponta que o petróleo que está poluindo todas as praias seja o mesmo. Contudo, a sua origem ainda não foi identificada. Em análise feita pela Petrobras, a empresa informou que o óleo encontrado não é produzido pelo Brasil. O Ibama requisitou apoio da Petrobras para atuar na limpeza de praias. Os trabalhadores que estão sendo contratados pela petrolífera são agentes comunitários, pessoas da população local, que recebem treinamento prévio da empresa para ocasiões em que forem necessários os serviços de limpeza. No entanto, o número efetivo de mão-de-obra dependerá da quantidade de pessoas treinadas disponíveis nas áreas.

Segundo o relatório do Ibama, dentre as 132 praias afetadas em todo o Nordeste desde o início de setembro, 11 estão em processo de limpeza, 74 ainda tem manchas visíveis e 48 estão livres da substância na areia.

Pelo menos 12 animais foram atingidos pelo óleo – nove tartarugas e uma ave foram encontradas mortas ou morreram após o resgate.

Uma investigação do Ibama aponta que as manchas são de petróleo puro e que todas as amostras têm a mesma origem, mas ainda não é possível afirmar de onde ele veio. Em nota, a Petrobras afirma que o material não é produzido pela companhia.

A suspeita é que o petróleo tenha vindo de navios que passam pela região, segundo a Agência Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco (CPRH), que está analisando imagens de satélite da costa. A pesquisa, no entanto, ainda está em estágio inicial.

As manchas começaram a aparecer no início de setembro. Até quinta-feira (26), eram 99 localidades atingidas. Na sexta (27), o número subiu para 109. No domingo (29), chegou a 113 e na terça-feira (1) foi para 115. Agora, já são 124 praias afetadas.

A lista completa de municípios e praias atingidos está disponível no site do Ibama.

Origem da substância

Manchas voltaram a se encontradas na praia de Pirambu — Foto: Ibama/SE

Manchas voltaram a se encontradas na praia de Pirambu — Foto: Ibama/SE

Na terça-feira (1) uma reunião foi realizada no Recife com representantes de seis dos nove estados nordestinos para discutir estratégias para diminuir os impactos das manchas de óleo. A Bahia foi o único estado da região que não foi afetado.

Na reunião, os estados decidiram protocolar, em conjunto, uma denúncia sobre o caso, a ser enviada à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal.

Nesta quarta-feira (2) a Polícia Federal do Rio Grande do Norte comunicou que um inquérito foi instaurado para investigar a origem das manchas. A apuração sobre a possibilidade da ocorrência de dano ambiental começou no mês passado.

Manchas sendo recolhidas por equipes da Adema na Atalaia Nova, Barra dos Coqueiros (SE) — Foto: Adema/Divulgação

Manchas sendo recolhidas por equipes da Adema na Atalaia Nova, Barra dos Coqueiros (SE) — Foto: Adema/Divulgação

Há suspeita de que a contaminação tenha relação com navios petroleiros. A hipótese é que algum deles tenha efetuado uma limpeza nos tanques e despejado os rejeitos no mar.

Segundo o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, José Bertotti, os responsáveis pelo problema podem pagar uma multa que vai de R$ 5 milhões a R$ 50 milhões pelo crime ambiental, que é considerado gravíssimo. O governo do estado se preocupa com a repercussão no turismo.

Em entrevista ao G1 na última sexta (27), o diretor da Agência Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco, Eduardo Elvino, disse que o órgão está atuando em conjunto com a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) para identificar possíveis fontes do vazamento.

O trabalho envolve analisar imagens de satélite que abrangem 187 quilômetros do litoral dos estados de Pernambuco e Paraíba. Segundo Elvino, ainda não é possível apontar quais navios podem ser responsáveis pela tragédia ambiental porque a análise está em estágio inicial.

“Com essa varredura das imagens de satélite a gente identificou os pontos no mapa que podem ser navios, e aí estamos analisando a existência de pontos pigmentados ao lado desses possíveis navios. Esses pontos coloridos podem ser realmente manchas de óleo, mas também podem ser cardumes de peixe ou concentrações de alga, por exemplo. São várias possibilidades”, explica Elvino.

Segundo o coordenador do sindicato dos trabalhadores na indústria do petróleo de Pernambuco e Paraíba (Sindipetro PE/PB), Rogério Almeida, a prática é proibida, mas ainda é realizada.

“É um óleo grosso, quase um piche. Pode ser rejeito de um navio após a limpeza dos tanques. Muitos navios continuam fazendo isso e deve ter caído em uma corrente marítima”, disse Almeida.

De acordo com Elvino, com a identificação das correntes marinhas, “existe a possibilidade de identificar o navio que fez a referida rota” e tentar rastrear se “o piche encontrado nas praias faz parte do combustível dos navios”. Segundo o analista, pela legislação, o produto deve ser descartado nos portos, onde empresas especializadas recolhem o material.

Animais afetados

Tartaruga foi encontrada no litoral do RN coberta de óleo e limpa pela equipe do Aquário de Natal — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

Tartaruga foi encontrada no litoral do RN coberta de óleo e limpa pela equipe do Aquário de Natal — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

O número de animais afetados também é computado pelo Ibama. Segundo o último balanço do órgão, publicado na segunda-feira (30), o óleo já atingiu ao menos 11 tartarugas e uma ave bobo-pequeno ou furabucho (Puffinus puffinus), conhecida pela longa migração. Quatro tartarugas foram encontradas vivas e sete foram encontradas mortas ou morreram após o resgate. A ave também não resistiu ao óleo.

  • 1/9 – 1 tartaruga marinha – Praia de Sabiaguaba, Fortaleza (CE) – morta
  • 4/9 – 2 tartarugas marinhas – Praia do Paiva, Cabo de Santo Agostinho (PE) – mortas
  • 7/9 – 1 ave bobo pequeno – Praia de Cumbuco, Caucaia (CE) – morta
  • 11/9 – 1 tartaruga marinha – Praia de Jacumã, Ceará-Mirim (RN) – viva
  • 16/9 – 1 tartaruga marinha – Ilha dos Poldos, Aroises (MA) – morta
  • 22/9 – 1 tartaruga marinha – Praia de Itatinga, Alcântara (RN) – viva
  • 22/9 – 1 tartaruga marinha – Praia da Redinha Nova, Extremoz (RN) – morta
  • 23/9 – 1 tartaruga marinha – Praia da Redinha Nova, Extremoz (RN) – viva
  • 24/9 – 1 tartaruga marinha – Jericoacoara, Jijoca de Jericoacoara (CE) – morta
  • 28/09 – 1 tartaruga marinha – Ilha Grande, Ilha Grande (PI) – morta
  • 29/09 – 1 tartaruga marinha – Praia do Serluz, Fortaleza (CE) – viva
  • Localidades atingidas (PDF –  5,23 MB  – Atualizado em 06/10/2019)
  • Fauna atingida (PDF – 2,11 MB – Atualizado em 30/09/2019)

G1