Arquivo da tag: nome

Partidos aliados já discutem o nome do sucessor de Temer

Partidos aliados do governo Michel Temer (PMDB) avaliam que o presidente perdeu as condições de ficar no cargo.

Liderados pelo PSDB, principal sigla da base, eles já transmitiram reservadamente a conclusão ao peemedebista, informa o jornal Folha de São Paulo.

Foto: Montagem/ Paraibaonline

Como ele resiste a renunciar após a crise desencadeada pela delação do grupo JBS, a solução será contar com a cassação da chapa de Temer e Dilma pelo Tribunal Superior Eleitoral.

O processo começa a ser julgado no dia 6.

A solução resolveria o impasse político e o livraria da “confissão de culpa”, como ele chama a hipótese de renúncia.

Os partidos trabalham com o cenário de eleição indireta 30 dias depois da saída do presidente.

As diretas dependeriam de interpretação inusual do TSE ou de emenda constitucional.

Dois nomes, ainda conforme o jornal, lideram a bolsa de apostas para o pleito no Congresso: o ex-ministro Nelson Jobim (PMDB) e o senador tucano Tasso Jereissati.

*fonte: uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Dois em cada dez inadimplentes foram negativados por emprestarem o nome

inadimplenciaUma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com consumidores negativados, ou que estiveram nesta situação nos últimos 12 meses, mostra que 17% dos entrevistados ficaram inadimplentes por terem emprestado o nome para terceiros

– principalmente para amigos (31%) e irmãos (22%).

 

Apesar dessa prática não ser considerada adequada para as finanças, mais da metade dos entrevistados (51%) afirmou que o principal motivo para emprestar seus dados, cartão ou cheque foi o de ajudar. Para o educador financeiro do SPC Brasil e do portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli, o dilema de quem empresta o nome a terceiros é compreensível, mas a situação raramente termina bem: “É difícil dizer não a amigos ou parentes, mas é preciso lembrar que talvez essa pessoa esteja pedindo ajuda porque não pôde comprovar sua renda ou então porque não conseguiu pagar uma dívida anterior. Seja qual for o motivo, o risco de que não consiga honrar o compromisso sempre existe”, afirma.

 

A pesquisa mostra que 49% dos entrevistados sabiam o valor que seria gasto em seu nome por terceiros e outros 18% tinham acordado um valor, porém a pessoa ajudada utilizou mais do que o acordado inicialmente. Já 32% não tinham conhecimento do valor utilizado. Em 41% dos casos a dívida foi paga exclusivamente pela pessoa que emprestou o nome e em apenas 3% as pessoas que usaram o nome pagaram integralmente a dívida deixada por terceiros.

 

Considerando os inadimplentes que emprestaram o nome e pagaram ao menos parte da dívida (47%), 56% deles tiveram que fazer algo para conseguir limpar o nome, principalmente economizar e cortar alguns gastos (36%) e usar parte da reserva financeira (11%), sendo que a média da dívida corresponde a R$ 1.215. A pesquisa ainda mostra que 43% dos entrevistados que emprestaram o nome e fizeram ao menos parte do pagamento não cobraram o devedor.

 

De acordo com o levantamento, a principal justificativa de quem não devolveu a quantia que pegou emprestado é a falta de dinheiro (33%) – já em 19% dos casos a pessoa desapareceu e não tem como ser cobrada. A relação pessoal ficou abalada em pelo menos 69% desses casos.

 

Apesar dos transtornos gerados pela atitude de emprestar o nome para terceiros, 24% dos entrevistados que fizeram isto voltaram a emprestar o nome a outras pessoas, principalmente para evitar mágoas (11%).

 

Vignoli acrescenta que é importante pensar bem antes de aceitar o pedido: “Não se deve tomar uma decisão dessas sem antes considerar cuidadosamente a questão. Você tem o dinheiro para honrar a dívida, caso a pessoa que pediu seu nome não possa pagar? Do contrário, você é que ficará inadimplente, tendo de

 

enfrentar a restrição ao crédito e todos os transtornos relacionados a essa situação.”

 

Para refletir antes de emprestar o nome

 

– O Inadimplente não pode financiar veículo ou imóvel, fazer um empréstimo, adquirir cartão de crédito e contratar serviços como plano de TV por assinatura ou celular pós-pago;

 

– Não há garantias legais para quem empresta o nome. A dívida, perante a justiça, pertence a quem emprestou e não a quem realizou a compra de produtos ou serviços;

 

– A inadimplência pode causar danos emocionais e prejuízos à saúde física, incluindo estresse, alterações no sono e no apetite, dentro outras consequências;

 

– O inadimplente pode ser acionado judicialmente, o que resultará em custos processuais, além da dívida propriamente dita;

 

– O país atravessa a mais grave recessão de sua história recente, com alto índice de desemprego e endividamento das famílias. Pessoas que atualmente atravessam dificuldade financeira para se recuperar. Isso significa que este é um momento especialmente desfavorável para emprestar o nome.

 

 

Metodologia

 

A pesquisa entrevistou 602 consumidores residentes em todas as regiões brasileiras, com idade igual ou superior a 18 anos, de ambos os sexos e de todas as classes sociais, atuais inadimplentes ou ex-inadimplentes há no máximo 12 meses. A margem de erro é de 3,99 pontos percentuais para uma confiança de 95%.

SPC Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Maranhão coloca nome à disposição para disputa em 2018

MaranhãoApós reunião realizada na manhã desta segunda-feira (27), o PMDB definiu  por candidatura própria da legenda para o governo em 2018 e o nome a ser trabalhado para a disputa é o do senador José Maranhão, presidente estadual do partido. Maranhão já colocou seu nome para concorrer a eleição.

Em entrevista logo  depois do encontro, Maranhão lembrou da candidatura de 2014 quando ele conseguiu se eleger senador mesmo em um momento em que as circunstâncias políticas pareciam desfavoráveis.

“Sou um homem de luta. Não estou reivindicando isso como uma obsessão mas  coloco meu nome para a disputa  da mesma forma da eleição passada quando tive que aceitar uma candidatura a senador em circunstância difíceis”, afirmou.

Já em relação ao aliança com o prefeito de Luciano Cartaxo (PSD), Zé Maranhão disse que o PMDB levará o apoio com o gestor até onde for possível.

maispb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Cássio descarta disputar o governo em 2018 e se oferece como ‘mediador’ na escolha de um nome

cassioO senador Cássio Cunha Lima (PSDB) descartou praticamente a possibilidade de disputar o cargo a governador nas eleições de 2018. Ele se colocou, inclusive, a disposição para ser mediador na indicação de um nome entre as diversas correntes da oposição.

“Eu me disponho a fazer isso”, declarou o Cássio Cunha Lima em entrevista ao programa “Correio Verdade” ao considerar legítimas as especulações em torno de um nome das oposições, principalmente do arco de alianças de 2016, para o Palácio da Redenção.

O tucano argumenta que os prazos eleitorais já começam a contar a partir de abril do ano que vem com a desincompatibilização de cargos públicos.

O vice-presidente do Senado não vê nas ações dos prefeitos de João Pessoa e de Campina Grande, Luciano Cartaxo (PSD), e Romero Rodrigues (PSDB), respectivamente, que têm se reunido com políticos de diversos segmentos, antecipação de campanha eleitoral. “Não está explícito pré-candidaturas”.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Servidores de Pilõezinhos podem ficar com “nome sujo”; ex-prefeito não repassou empréstimos

nadoOs servidores do município de Pilõezinhos podem ter seus nomes incluídos no SPC e Serasa a qualquer momento. O fato é que o ex-prefeito Nado Mendes (PMDB) não teria repassado os valores descontados dos empréstimos consignados contraídos pelos funcionários junto as instituições bancárias nos últimos meses de sua gestão. As informações foram repassadas pelo jornalista Rafael San.

O Banco está cobrando as parcelas em atraso dos empréstimos, mesmo com os valores já previamente descontados pela Prefeitura nos contracheques dos funcionários. Em comunicado, o Bradesco informou que há um débito de que ultrapassa 75 mil.

A instituição bancaria comunicou ainda que está suspensa a concessão de novos empréstimos e financiamentos a servidores, aposentados e pensionistas da Prefeitura de Pilõezinhos. O convênio entre as instituições foi firmado na administração do ex-prefeito Nado Mendes.

O não repasse dos descontos relativo às operações de empréstimos consignados às instituições financeiras, para atender qualquer outro fim, fere o princípio da moralidade administrativa e pode ser investigado por apropriação indébita.

Juridicamente, o ato de deixar de repassar valores descontados nos contracheques dos funcionários, referentes à empréstimos consignados em folha de pagamento, constitui crime de apropriação indébita, crime funcional de Prefeito e ato de improbidade administrativa.A prefeita Mônica Cristina (PSDB) antecipou que só poderá sanar o problema quando tiver acesso a prestação de contas do ex-prefeito para identificar o que foi pago e o que deixou de ser pago.

PB agora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Liderança nacional do PSDB referenda nome de Cássio para vice do Senado: “Estaríamos bem representados”

senador-paulo-roberto-bauerO senador Paulo Roberto Bauer (PSDB-SC) – que liderou a bancada tucana no segundo semestre de 2016 no Senado – referendou, nessa terça-feira (10), o nome do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) para a vice-presidência do Senado. Ao Blog do Gordinho, Paulo Bauer declarou que a bancada tucana estaria bem representada através do paraibano. A informação de que o PSDB vai indicar o nome para vice-presidente do Senado com o nome Cássio como o mais cotado para assumir o cargo foi antecipada pelo Blog do Gordinho na semana passada.

“Sem dúvidas nenhuma um dos grandes nomes que o PSDB tem é o do senador Cássio Cunha Lima, que foi um grande líder, é um nome histórico dentro do partido, tem uma biografia política bastante consistente e importante. Por isso ele é um dos nomes, mas sem dúvida se destaca, e se aceitar, e a bancada decidir pelo nome dele, nos estaríamos muito bem representado na Mesa Diretora”, disse.

Segundo ele, pela regra, o partido de maior representatividade indica o nome para a presidência da Casa, o que ficaria a cargo do PMDB. O PSDB tradicionalmente ocupou a primeira-secretaria, terceiro cargo mais relevante. O senador afirmou também que, sendo a partir do próximo mês a bancada com o segundo maior número de integrantes, o partido garante a condição de pleitear a segunda posição mais importante do Senado.

O PMDB ainda não se posicionou formalmente, mas a indicação da legenda gira em torno do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE). O PSDB trabalha para apoiar a candidatura de Eunício para presidência e vai defender que a vaga de vice seja ocupada pelo PSDB.

Apesar de ainda não ter ocorrido reuniões formais em torno de um nome para disputar a vaga de vice, o senador relevou que há comentários internos em favor de Cássio, mas que normalmente as decisões só são tomadas na semana anterior aos inícios dos trabalhos.

Paulo Bauer é vice-líder do PSDB e ocupou durante os últimos quatro meses o cargo de líder no Senador, com a licença médica do senador Cássio.

Blog do Gordinho

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Aumenta o uso do nome social por travestis e transexuais no Enem 2016

enemO número de travestis e transexuais que vão usar o nome social nesta edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é quatro vezes maior do que em 2014, primeiro ano da entrada em vigor da medida. Em 2014, 102 pessoas trans usaram o nome social durante a aplicação da prova, em 2015 esse número passou para 278 e nesta edição do Enem serão 407, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A transexual Bruna Benevides, que aos 36 anos vai fazer pela primeira vez a prova do Enem, solicitou o uso do nome social, que não consta no documento de identidade. Ela disse que a medida permite que as pessoas trans tenham a cidadania garantida na hora da prova e incentiva esse grupo a se inscrever para o exame.

Bruna disse que, caso não pudesse usar o nome social, não faria o Enem, para evitar passar por constrangimentos, como o de ter registrado no documento um nome que não condiz com o gênero do candidato que se apresenta para a prova. “O nome social facilita que tenhamos nossa cidadania garantida na hora da prova. Já é uma batalha fazer o Enem, imagina ter que passar por constrangimentos. Em alguns lugares têm pessoas que fazem comentários preconceituosos, o que pode até prejudicar o desempenho na hora da prova, quando a pessoa já está ansiosa”, disse.

Seguindo a tendência dos últimos anos, as mulheres são maioria (58%) entre os inscritos para o Enem, assim com os candidatos que já concluíram o ensino médio (57%). Os que vão concluir o ensino médio em 2016 são 21%, percentual igual ao do Enem de 2015.

A Região Sudeste concentra 35% dos 8,6 milhões de inscritos, seguida pela Região Nordeste (32%). Os estados que mais tiveram inscritos foram São Paulo (1.404.362), Minas Gerais (948.545) e Bahia (664.698).

Em relação a faixa etária, 31% dos candidatos têm entre 21 e 30 anos, 14,5% é maior de 30 anos, 14,1% tem idade igual a 17 anos e 12% tem idade igual a 18 anos. Esses percentuais também se mantém estáveis em relação aos dois anos anteriores.

Foram recebidos 68.907 pedidos de atendimento especializado, que é garantido, por exemplo, aos participantes com baixa visão, cegueira, deficiência física, auditiva, surdez, deficiência intelectual, dislexia, déficit de atenção, autismo, entre outros. Eles vão contar com recursos como sala de mais fácil acesso, prova superampliada e auxílio para transcrição.

Os atendimentos específicos, que incluem gestantes, idosos, lactantes, estudantes em classe hospitalar e os sabatistas, que por convicção religiosa guardam os sábados, serão 101.896.

As provas do Enem serão aplicadas nos dias 5 e 6 de novembro.

Agência Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Pe. Silva se irrita e desautoriza políticos a usarem seu nome e o da igreja em Alagoinha

(foto: Cristiano Alves)
(foto: Cristiano Alves)

O pároco da cidade de Alagoinha, no Brejo paraibano, Padre Silva, se irritou, neste final de semana, ao ver o seu nome e o da igreja sendo mencionado em campanha eleitoral nas redes sociais.

De acordo com informações levantadas pelo Portal MaisPB, estariam divulgando na internet que a Prefeitura de Alagoinha tinha tomado um terreno pertencente a igreja. No entanto Padre Silva reagiu as afirmações e desautorizou qualquer pessoa a tocar no seu nome ou mencionar a igreja em material político na internet.

“Não me envolva em política porque não sou politiqueiro. Desautorizo qualquer pessoa que utiliza o meu nome ou as redes sociais para colocar o nome do Padre ou da igreja com relação  à política”, desabafou o religioso.

O Portal MaisPB levantou ainda que uma fazendeira teria a sinalizado para a doação do terreno em questão para a igreja, mas o mesmo foi desapropriado pela Prefeitura de Alagoinha para a construção de escola e que  cedeu outra área para ser erguido uma capela.

Roberto Targino –  MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Couto alega veto do PT a reeleição de deputado e coloca nome à disposição para o Senado

luizcoutoO deputado federal Luiz Couto (PT) já está no seu quarto mandado de deputado federal e já manifestou algumas vezes o interesse de não disputar mais cargos eletivos. Para o mesmo cargo no Congresso Federal, ele já deixou claro que não concorrerá novamente, mas colocou o seu nome à disposição do partido para eleição de senador em 2018.

Segundo o deputado petista, o PT tem uma resolução que limita os deputados federais a terem no máximo quatro mandados. O parlamentar, que já venceu por quatro vezes a Câmara, estaria impedido de disputa para o mesmo cargo.

“Temos uma resolução do partido que depois do quarto mandados não se pode mais disputar o mesmo cargo, a não ser que o partido queira”, disse.

Couto afirmou, que caso o PT lhe dê “as condições necessárias”, ele entrará nas eleições de 2018 para senador. “Acho que venho desempenhando um bom trabalho. Se o partido me der as condições necessárias e me chamar poderei colocar meu nome para o Senado”, declarou.

blogdogordinho

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Projeto faz 14 mil crianças terem nome do pai na PB

Pai-presentePor meio do projeto Pai Presente, 13.921 crianças e adolescentes da Paraíba foram reconhecidas pelo pai. Esse número reflete o resultado de cinco anos da iniciativa que constatou, em 2011, que 89.489 jovens na Paraíba não possuíam a identificação paterna no registro de nascimento. Atualmente, esse número foi reduzido para 75.568 registros.

Somente em João Pessoa, em que a população se aproxima dos 800 mil habitantes, o número de registros sem o nome do pai é de 17.325. Esse número é maior que o registrado em 2011, de 16.351. “Mas temos que considerar que crianças continuam nascendo”, ressaltou a secretária da Comissão Estadual de Adoção (Ceja), Ana Cananéa, responsável pelo desenvolvimento do projeto.

Em Campina Grande, Cabedelo, Santa Rita, Guarabira e Patos, a quantidade de certidões de nascimento sem o nome do pai é menor do que os registros de cinco anos atrás. “Com o projeto, muitos pais começaram a se interessar e viram que era boa ideia tomar essa atitude”, explicou a secretária.

Para o juiz Silvanildo Torres, coordenador do projeto, a escolha do pai em reconhecer formalmente o filho traz benefícios para todos os envolvidos. “Além de resguardar o bem estar da criança, os pais vão trazer um bem maior para eles”. O magistrado informou que desde que o projeto foi implantado, os pais estão fazendo mais reconhecimentos espontaneamente.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br