Arquivo da tag: Neymar

Com direito a “olé” e gol 50 de Neymar, Brasil faz 3×0 e afunda a Argentina

Um espetáculo canarinho. Nesta quinta-feira (10), num Mineirão pulsante, o Brasil fez 3 a 0 sobre a Argentina com direito a “olé” pela 11ª rodada das Eliminatórias da Copa da Rússia. Philippe Coutinho, com golaço, Neymar e Paulinho definiram a vitória da seleção brasileira, que segue na liderança da competição, com 24 pontos.

No retorno da seleção brasileira ao palco do maior vexame de sua história, 7 a 1 para a Alemanha, foi a Argentina que viu fantasma. Com a derrota, a seleção albiceleste permanece com 16 pontos, na sexta posição das Eliminatórias, fora até mesmo da zona de repescagem para a Rússia.

O clássico no Mineirão também ficou marcado, além do show de bola, pela bela festa da torcida mineira, que não parou de provocar Messi e Maradona em cantos

Em 1º tempo truncado, Coutinho, Jesus e Neymar decidem

EVARISTO SA/AFP

Com dez minutos, Brasil x Argentina no Mineirão tinha oito faltas marcadas. Jogo tenso, brigado, muito disputado no meio de campo. Com início de primeiro tempo irregular, as duas equipes tiveram dificuldades para criar oportunidades e levar perigo à meta rival. A primeira boa chance de gol veio em chute de fora da área de Biglia, que parou em ótima defesa de Alison. Logo depois, no entanto, quem chegou foi o Brasil – e para abrir o placar.

Escalado pela meia direita, Philippe Coutinho inverteu de lado, confundiu a marcação argentina e marcou um golaço. Arrancou da meia esquerda, cortou para o meio e fuzilou no ângulo. Após Coutinho desafogar o clássico, Neymar ampliou para o Brasil em grande jogada de Gabriel Jesus, que estava apagado até então no jogo. O atacante do Palmeiras recebeu de costas, girou sobre Zabaleta e enfiou bola perfeita para Neymar – que só deslocou Romero.

‘O campeão voltou’

Leo Correa/AP

“Ohhh, o campeão voltou, o campeão voltou, o campeão voltou…” Assim a torcida embalou a seleção brasileira no segundo tempo de show no Mineirão. Coma vantagem de 2 a 0 no placar, Tite chamou Bauza para o jogo. O treinador tirou o meia Pérez e lançou o atacante Agüero. Deu espaços e o Brasil passeou. Primeiro, Paulinho driblou o goleiro, mas teve chute cortado em cima da linha.

Na segunda chance não teve jeito. Ele aproveitou bola cruzada na área por Renato Augusto e completou as redes, para levar à loucura Tite – que saiu do banco de reservas e foi abraçar os jogadores. A partir daí, foi um show no Mineirão com direito a olé e festival de dribles de Neymar. Se não tivesse desperdiçado pelo menos duas boas chances, com Jesus e Firmino, o Brasil ainda poderia ter aplicado um goleada história no Mineirão, mas parou no 3 a 0.

Messi amarela Fernandinho com chapéus…

EVARISTO SA/AFP

Dois chapéus em cinco minutos de jogo. Foi o suficiente para Lionel Messi amarelar Fernandinho, velho conhecido dos confrontos entre Barcelona e Manchester City. O brasileiro costuma sofrer com o talento do argentino nas partidas pelo futebol europeu. Os dois, inclusive, já chegaram a se estranhar em campo no Velho Continente. Após uma das faltas sofridas, aliás, Messi ficou caído no chão e com a boca sangrando. Ainda no primeiro tempo, com medo da expulsão de Fernandinho, Tite colocou Paulinho para perseguir “La Pulga”.

… e pede pênalti de Neymar

REUTERS/Ricardo Moraes

Quando o Brasil vencia a partida por 1 a 0, Messi sofreu falta de Miranda na entrada da área. O próprio argentino cobrou a falta, buscando o canto do goleiro Alison, mas a bola ficou na barreira. Mais especificamente, no braço de Neymar, que estava colado ao corpo. Polêmica! O camisa 10 argentino pediu pênalti do companheiro de Barcelona, mas o juiz ignorou. Segue o jogo!

Amigos, amigos, negócios à parte

Leo Correa/AP

Antes do clássico no Mineirão, Messi e Neymar se abraçaram e beijaram com carinho na entrada de campo. Logo que o jogo começou, no entanto, deixaram as carícias de lado. Num lance com poucos minutos de jogo, o argentino perseguiu o brasileiro por alguns metros com marcação dura no setor defensivo da seleção argentina. Mas apesar do bom início de Messi, quem brilhou foi Neymar. Além de fazer o segundo gol e participar taticamente do primeiro, Neymar regeu a orquestra no espetáculo.

Mosaico incompleto não atrapalha espetáculo da torcida 

Pedro Ivo Almeida/UOL

A CBF contratou designer gráfico, investiu, mobilizou profissionais, mas não viu a festa perfeita que queria na entrada dos times em campo no Mineirão. Por conta dos lugares vazios na parte superior central das arquibancadas, o inédito mosaico em jogos da seleção ficou incompleto. Apesar disso, a torcida fez uma bela festa nas cadeiras do Gigante da Pampulha. Os torcedores brasileiros cantaram muito, principalmente com provocações a Messi e Maradona.

Bauza, freguês de Tite, fica na berlinda

AFP PHOTO / VANDERLEI ALMEIDA

Em três confronto até então, Tite tinha duas vitórias e um empate contra Edgardo Bauza. Agora, com nova derrota contra o professor Adenor, o ex-técnico do São Paulo virou freguês de vez. Para completar, a derrota da Argentina coloca Bauza de vez na berlinda. Em cinco jogos, venceu apenas um, contra o Uruguai. Empatou contra Peru e Venezuela e perdeu de Paraguai e Brasil. “Olê, olê, olê, olê, Tite, Tite”, cantou a torcida no Mineirão.

BRASIL 3 x 0 ARGENTINA

Data e hora: 10 de novembro de 2016, às 21h45 (horário de Brasília)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Julio Bascuñam (Chile)
Auxiliares: Christian Schiemann e Marcelo Barraza (ambos do Chile)
Público: 53.490
Renda: R$ 12.726.250,00
Gols: Philippe Coutinho, 26′, e Neymar, 46′ do 1º tempo; Paulinho, 15′ do 2º tempo

Brasil
Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda (Thiago Silva) e Marcelo; Fernandinho, Paulinho, Renato Augusto, Philippe Coutinho (Douglas Costa) e Neymar; Gabriel Jesus (Roberto Firmino).
Técnico: Tite

Argentina
Romero; Zabaleta, Otamendi, Funes Mori e Más; Mascherano, Biglia, Enzo Pérez (Kun Agüero) e Di María (Ángel Correa); Messi e Higuaín
Técnico: Edgardo Bauza

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Comitê Olímpico Internacional fará reclamação por faixa religiosa de Neymar no pódio

Na festa após a conquista da inédita e tão esperada medalha de ouro pelo futebol brasileiro, uma coisa chamou mais a atenção de dirigentes do Comitê Olímpico Internacional (COI) do que a felicidade da torcida e dos jogadores da Seleção: a faixa religiosa que Neymar ostentava na cabeça durante a cerimônia de premiação.

O adereço com os dizeres “100% Jesus” fere o regulamento do COI, que não permite manifestações de cunho comercial, político ou religioso nos pódios olímpicos. Em virtude disso, o Comitê prometeu enviar uma carta de reclamação à missão brasileira, segundo o Estadão. Apesar disso, nenhuma punição está prevista tanto para o atleta como para a delegação nacional.Neymar com a faixa no pódio olímpico após a conquista do ouro inédito

Neymar com a faixa no pódio olímpico após a conquista do ouro inédito

Foto: EFE

Para a entidade, a atitude de Neymar ao usar a faixa foi apenas um deslize cometido pelo jogador e demais membros da seleção que não o alertaram para o descumprimento da regra. Ainda segundo o jornal, o COI também acredita que uma sanção mancharia a medalha de ouro conquistada pela Seleção, o que não é a intenção do Comitê.

A “vista grossa” feita pelo COI no caso de Neymar é mais um momento em que a entidade abriu mão de seu rigor contra mensagens consideradas alheias ao esporte durante os Jogos do Rio. Desde o início das Olimpíadas, a organização vem aceitando as mensagens políticas e religiosas de torcedores nas arenas olímpicas, algo comumente proibido pelo Comitê em suas competições. A Justiça brasileira foi responsável pela decisão de permitir o pleno exercício da liberdade de expressão pelo público nas praças esportivas.

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Atuações: Zaga vai bem, e Neymar e Luan decidem jogo para o Brasil

Houve pouco jogo na Arena Corinthians entre Brasil e Colômbia. Na partida mais física e tensa que teve na Olimpíada, a seleção oscilou, sofreu, mas conseguiu a vitória numa atuação mais pragmática e com o brilho individual de seus atletas – Neymar e Luan fizeram belos gols no triunfo por 2 a 0. Veja as notas:

Weverton (goleiro): Começou inseguro, tanto com os pés quanto nas saídas de gol. Melhorou no segundo tempo e fez duas importantes defesas. Nota: 6,0

Zeca (lateral-direito): Tímido no apoio. Um pouco nervoso, exagerou nos lançamentos longos, em vez de trocar passes, como pedido por Micale. Na defesa, não comprometeu. Nota: 5,5

Marquinhos (zagueiro): Teve mais trabalho no segundo tempo, quando a Colômbia ameaçou mais. Fisicamente, conseguiu se impor sobre os atacantes adversários e levou vantagem nos desarmes. Nota: 6,5

Rodrigo Caio (zagueiro): Mais uma vez, muito bem no combate direto. Cortou bolas importantes em ataques colombianos e esteve corretamente posicionado nos lances. Nota: 7,0

Douglas Santos (lateral-esquerdo): Não apoiou tanto quanto contra a Dinamarca. Esteve discreto nos avanços, mas também não teve maiores problemas na defesa. Nota: 5,5

Walace (volante): Sua força física foi importante num duelo bastante pegado. Conseguiu bons desarmes no meio-campo, mas errou alguns passes fáceis. Nota: 6,0

Brasil x Colombia (Foto: AFP)A seleção titular contra a Colômbia: Brasil classificado para a semifinal dos Jogos do Rio (Foto: AFP)

 

Renato Augusto (volante): Representante de Micale em campo. Orientou os companheiros, tentou ditar o ritmo de jogo e ajudou muito na marcação. Nas poucas vezes em que chegou à frente, levou perigo. Nota: 7,0

Gabriel (atacante): Não manteve o nível dos outros jogos. Esteve apagado pela direta e não conseguiu dar sequência à maioria das jogadas. Pareceu sofrer com a violência da marcação colombiana. Nota: 5,0

Thiago Maia (volante): Entrou no lugar de Gabigol para reforçar a marcação e cumpriu bem seu papel. Também falhou em alguns passes, mas não comprometeu. Nota: 5,5

Luan (atacante): Movimentou-se bastante e foi importante na composição tática do time e na articulação das jogadas. Desperdiçou duas boas chances de finalizar, mas, na terceira, marcou um golaço de fora da área. Nota: 7,0

Neymar (atacante): Sofreu um sem-número de faltas e pouco conseguiu jogar. Sem tanto espaço como contra a Dinamarca, apareceu menos. Mas foi decisivo ao fazer o gol da vitória em bela cobrança de falta. Nota: 7,5

Gabriel Jesus (atacante): Começou bem, confiante, tentando jogadas de efeito. Entretanto, caiu de produção e foi dos que mais sofreram com o jogo físico imposto pela Colômbia e não conseguiu levar vantagem nos duelos individuais. Nota: 5,0

Rafinha (meia): Entrou no fim da partida, já com o duelo decidido. Ganhou minutos importantes para adquirir ritmo de jogo. Sem nota.

Globoesporte.com

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Técnico Micale pede respeito e teme que Neymar abandone Seleção

Na véspera da partida decisiva contra a Dinamarca, em Salvador, às 22h (de Brasília) desta quarta-feira, o técnico Rogério Micale saiu em defesa de Neymar e usou o exemplo do craque para fazer uma série de alertas ao futebol brasileiro.

Sob clima pesado por conta dos dois empates sem gols, contra África do Sul e Iraque, da ameaça real de eliminação precoce na Olimpíada em casa e das vaias agressivas da torcida de Brasília nas rodadas iniciais, Micale criticou a repercussão sobre atitudes pessoais de Neymar, como a decisão de não dar entrevistas, e disse que os melhores jogadores da atual geração podem seguir o exemplo de Lionel Messi – que, segundo a imprensa local, já voltou atrás de sua intenção de não jogar mais pela Argentina – e desistir de defender a seleção brasileira.

– Se não analisarmos friamente, não tivermos uma transição dos craques, não o respeitarmos, logo eles não vão querer estar conosco. O Neymar quis estar na Olimpíada, e volto a dizer: ele assumiu uma situação e é muito cobrado por isso com 24 anos. São fatos para refletir.

Rogério Micale saiu em defesa de Neymar (Crédito: MoWA Press)
Rogério Micale saiu em defesa de Neymar (Crédito: MoWA Press)

LEIA ABAIXO TUDO O QUE MICALE FALOU SOBRE NEYMAR:

– Enquanto ficarmos preocupados com tarjas de capitão, comportamentos pessoais, situações internas de relacionamento, e não abrirmos discussão para realmente entender o que está acontecendo no futebol brasileiro, no setor tático, comportamental, vamos continuar na mesmice. Queremos achar culpados, isso é um grande mal. Para avançarmos em algo melhor para o nosso futebol, a discussão deveria ser mais aprofundada, e não tão superficial em pontos que não agregam nada em situações de jogo. Perdemos muito tempo com isso. Temos que parar de achar vilões. Fizemos isso com Bernard na Copa do Mundo, o Rafael na última Olimpíada, sempre buscamos vilões e muitas vezes estancamos um potencial de avanço num futuro próximo. A Alemanha levou 12 anos para chegar onde chegou, mas nós queremos chegar lá com seis meses, não queremos passar por 11 anos e meio de preparação. Estamos lidando com jovens, se continuarmos matando, vamos colher a mesma coisa que estamos colhendo há anos.

O treinador também falou sobre a comparação feita entre Neymar e Marta, camisa 10 e principal jogadora da seleção feminina de futebol do Brasil, e sobre o garotinho do Rio de Janeiro que riscou o nome do jogador de sua camisa para escrever o da atleta:

– São dois talentos do futebol brasileiro. Em relação ao Neymar, é um jovem de 24 anos que não atingiu ainda maturidade total, vai atingir. De uma forma geral, aos 28 anos o jogador chega ao ápice como atleta, homem, física e mentalmente. Ele já tem de lidar com a pressão de ser um líder, um expoente, desde 17, 18 anos de idade. A geração que lhe daria suporte não se firmou. A Marta está com quantos anos? 31 anos… Podemos dizer que a Marta é uma jogadora sensacional, tem todo nosso reconhecimento, mas o Neymar tem o meu reconhecimento como futuro melhor do mundo, ele vai ser, e nós precisamos respeitar o Neymar. Ele é jovem. Sei que em alguns momentos age de uma forma que não queremos, mas na idade dele, não faríamos as mesmas coisas, tendo o que ele tem? Não está fácil a situação que envolve o imediatismo que com nossos jovens jogadores, isso me preocupa como formador, como alguém que trabalha com jovens há alguns anos. Estamos sendo implacáveis, essa conta vai cobrar um preço.

Para enfrentar a Dinamarca, Micale admitiu que procura alternativas. Uma das principais alternativas é a entrada de Luan no lugar de Felipe Anderson, substituição feita durante toda a fase de preparação, mas que não prosperou em momento algum durante os jogos.– Temos um modelo de jogo com variações, é normal fazer, já aconteceu em dois jogos. Tentamos variações, mas não podemos mudar conceitos sem treinamentos. Ele existe, treinamos em nossa preparação e não é porque não conseguimos a vitória que vamos mudar tudo, em termos de conceito. Isso traria mais prejuízos do que benefícios à equipe. O conceito traz o resultado. Se abrir mão dele, abre mão de uma forma de jogar. Se entrar de uma forma aleatória em campo, a probabilidade é maior da coisa não acontecer.O treinador também disse que já sabe quem será o substituto do volante Thiago Maia, suspenso, mas não revelou. Rodrigo Dourado, o favorito, e Walace disputam a posição.

Neymar foi alvo de vaias e críticas (Crédito: MoWA Press)
Neymar foi alvo de vaias e críticas (Crédito: MoWA Press)
Fonte: Com informações: Globo Esporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Carta branca a Neymar gera crise na seleção; jogadores questionam Micale

imagem: Lucas Figueiredo/MoWa Press
imagem: Lucas Figueiredo/MoWa Press

A dificuldade do comando da CBF e da comissão técnica em enquadrar Neymar no grupo da seleção brasileira tornou ainda pior o clima interno após os empates sem gols contra a África do Sul, na quinta-feira passada, e diante do Iraque, no domingo. A situação do Brasil no torneio é delicada, e exige uma reviravolta imediata.

O próprio grupo de atletas, motivado pelos resultados ruins e pelo clima difícil, tem representantes que já não mostram a mesma confiança no trabalho do treinador Rogério Micale. Bastante ativo à beira do gramado na estreia, ele se resguardou no banco de reservas ao longo de boa parte do jogo com o Iraque.

Algumas declarações dele, ainda no início da preparação, também não repercutiram bem entre os atletas. Entre elas, a de que gostaria de ser dependente de Neymar e de que, se ele estivesse feliz, todos estariam. O status de ‘presidente’ da seleção, como foi chamado pelos jogadores mais jovens, acabou reforçado com a cessão da braçadeira. Enquanto alguns esperavam que o posto fosse de Fernando Prass, que acabaria cortado, o grupo tomou conhecimento de que Neymar seria o capitão ainda nos primeiros dias de trabalho. Inicialmente, a escolha foi bem aceita.

Pessoas próximas a alguns dos jogadores também indicam insatisfação do grupo com a organização tática da equipe. As reclamações são de que a seleção brasileira joga de forma exposta aos adversários e que essa ideia de jogo sobrecarrega alguns atletas, em especial Thiago Maia, que distribuiu faltas contra o Iraque e acabou suspenso, além do próprio Renato Augusto.

A utilização de quatro atacantes ao mesmo tempo também é vista por parte do grupo como uma tática suicida e que deixa os defensores vulneráveis. O zagueiro Rodrigo Caio, em entrevistas, já havia feito ponderação sobre isso. Ainda há críticas até à utilização de Zeca, que joga pela esquerda no Santos, como lateral direito. Há a possibilidade de que, contra a Dinamarca, essa posição passe a ser do colorado William.

Entre os mais criticados da equipe, Renato Augusto deu sinais de insatisfação com o papel que foi atribuído a ele no time. Publicamente, após Brasil 0 x 0 Iraque, ele admitiu que mudou de posicionamento quase por conta própria, após papo com o treinador, e que em alguns momentos do jogo preferiu se resguardar para dar mais respaldo ao sistema defensivo.

“Não tenho como mudar isso (chega pouco à frente), porque é a forma como a equipe joga. Entendo da parte tática e por isso seguro mais. Quando o Rafinha entrou (aos 10min do segundo tempo), a gente tinha um jogador a mais no meio, e falei para o Micale que eu iria para a função de centroavante, para dar mais profundidade ao time”, explicou Renato Augusto no último domingo. Ele teve a bola do jogo nos acréscimos, mas perdeu sem goleiro.

Nesta terça-feira, a seleção volta a falar após uma segunda em silêncio. Mais uma vez, Renato Augusto assumiu a condição de líder da equipe e concederá entrevista coletiva ao lado de Rogério Micale.

* Colaborou: Bernardo Gentile, em Brasília

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sem jogo bonito. Brasil emperra com Neymar ‘fominha’ e só empata em estreia

NEYMAROs ensaios foram bem feitos, mas a prática não funcionou. Na abertura dos Jogos Olímpicos e diante de uma torcida impaciente em Brasília, a seleção brasileira de Rogério Micale parou na África do Sul. Nem mesmo um terço do jogo com 11 contra 10 foram suficientes, e o Brasil ficou no 0 a 0 nesta quinta-feira.

A torcida brasileira apoiou o time durante boa parte do jogo, mas teve momentos de pressão sobre os atletas sub-23. O time foi vaiado no intervalo, durante a etapa final e também depois da partida.

Absolutamente frustrante diante da expectativa com o time, o bom desempenho em treinamentos e amistosos, o resultado deixa o Grupo A em aberto, já que Iraque e Dinamarca também ficaram no empate sem gols. A seleção volta a jogar no próximo domingo, também em Brasília, diante dos iraquianos.

Neymar leva perigo, mas volta a ser ‘fominha’ e perde bolas em demasia

REUTERS/Ueslei Marcelino
Neymar volta a ser “fominha” com a camisa da seleção brasileiraimagem: REUTERS/Ueslei Marcelino

Principal referência da seleção brasileira, Neymar chamou a responsabilidade até em excesso. Em muitos momentos, principalmente da etapa inicial, o atacante prendeu a bola e sofreu com desarmes sul-africanos. Mesmo assim, Neymar também ajudou em lances de grande perigo. Foram quatro boas finalizações de fora da área que o goleiro Khune, um dos três acima de 23 anos do rival, conseguiu conter.

O melhor: Khune fecha o gol e frustra a seleção brasileira

Experiente, o goleiro do Kaizer Chiefs se mostrou firme. No primeiro tempo, fez duas defesas importantíssimas em conclusões de Neymar. Na etapa final, além de orientar os defensores de seu time, se manteve firme. Não hesitou em nenhuma bola e teve sorte na melhor chance brasileira. No final, irritou a torcida com cera em duas ocasiões.

O pior: Gabriel Jesus some entre os zagueiros e perde a melhor chance

Ueslei Marcelino/Reuters
Gabriel Jesus desperdiçou uma oportunidade clara na etapa finalimagem: Ueslei Marcelino/Reuters

O atacante do Palmeiras pegou pouco na bola e foi a figura mais apagada do setor ofensivo. Em meio a zagueiros mais fortes e com poucos espaços pelo chão, Jesus não conseguiu usar suas melhores características, a velocidade e o drible. Gabriel lutou bastante, mas perdeu a chance mais clara de gol, aos 24min: sem goleiro, acertou a trave.

O que foi treinado não funciona bem

A ideia de jogo da seleção brasileira de Rogério Micale não foi bem executada. Sem muitas inversões de bola, sem triangulações e sem o que o treinador chama de “jogo de apoio” em vários momentos, foi mais difícil ameaçar uma África do Sul bem arrumada e que deu poucos espaços. As melhores chances até a expulsão de Mothobi Mvala foram com duas conclusões de Neymar da entrada da área. Depois, com 11 contra 10, o time melhorou com as entradas de Rafinha e Luan. Levou mais perigo, girou mais a bola e encontrou brechas, mas não foi suficientemente competente.

Após China, Renato Augusto perde mobilidade

Eduardo Anizelli/Folhapress
Renato Augusto foi titular na estreia da seleção brasileiraimagem: Eduardo Anizelli/Folhapress

Entre os três jogadores acima dos 23 anos, Renato Augusto fez parte do que se espera dele no quesito experiência. Girou a bola, orientou a equipe e deu equilíbrio ao time. Mas, fisicamente, parece muito distante do jogador que foi destaque no Campeonato Brasileiro 2015. Lento, em especial no segundo tempo, caminhou em campo e foi substituído aos 20 minutos da etapa final. A melhora com Rafinha Alcântara foi clara, com um jogo mais rápido.

Micale assiste ao jogo impaciente e aposta em quatro atacantes

Lucas Figueiredo / MoWA Press
Rogério Micale orienta os jogadores na beira do gramadoimagem: Lucas Figueiredo / MoWA Press

O treinador brasileiro acompanhou praticamente toda a partida à beira do gramado, chamou atletas para conversas, mas o funcionamento do time só melhorou quando Mvala foi expulso. Com um time bastante ofensivo, faltaram opções de ataque no banco. Mesmo assim, Luan foi acionado e logo depois Rafinha, o que deu mais dinâmica ao time. Ele ainda apostou em Willian na lateral direita e trouxe Zeca para a esquerda, mas ficou no 0 a 0.

Owen da Gama organiza defesa e cria bons contragolpes

O sistema defensivo da África do Sul deu grande trabalho ao Brasil, que não conseguiu triangular passes em vários momentos. A exemplo do que havia prometido na véspera, o treinador teve no meia-atacante Keagan Dolly seu jogador mais criativo e conseguiu ameaçar Weverton em contragolpes. O goleiro, substituto de Fernando Prass, não foi 100% seguro, mas conteve as ameaças.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 0 X 0 ÁFRICA DO SUL
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 4 de agosto de 2016, quinta-feira
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Antonio Mateu Lahoz (ESP)
Assistentes: Pau Cebrian Devis (ESP) e Roberto Díaz Pérez (ESP)
Cartões amarelos: Thiago Maia (Brasil); Mvala (África do Sul)
Cartão vermelho: Mvala (África do Sul)
BRASIL: Weverton; Zeca, Rodrigo Caio, Marquinhos e Douglas Santos (William); Thiago Maia, Renato Augusto (Rafinha Alcântara) e Felipe Anderson (Luan); Gabriel, Gabriel Jesus e Neymar
Técnico: Rogério Micale
ÁFRICA DO SUL: Khune; Mobara, Mathoho, Coetzee e Modiba; Mvala, Mekoa e Motupa; Masuku (Moris), Mothiba e Dolly
Técnico: Owen da Gama
Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Brasil supera Japão em teste olímpico com gol de Gabriel e Neymar discreto

imagem: Evaristo Sá / AFP
imagem: Evaristo Sá / AFP

O último teste do Brasil para os Jogos Olímpicos foi positivo. Com 30 minutos de bom futebol no primeiro tempo e muitas substituições no segundo, a equipe do treinador Rogério Micale superou o Japão por 2 a 0, neste sábado, no Estádio Serra Dourada com mais de 33 mil torcedores.

Com a expectativa de ter Fernando Prass de volta, o Brasil viaja no domingo a Brasília e completa a preparação para a estreia nos Jogos Olímpicos na próxima quinta, contra a África do Sul. Já os japoneses, no Grupo B da competição estreiam no mesmo dia contra a Nigéria, em Manaus.

Gols de Gabriel e Marquinhos dão a vitória para a seleção brasileira

Evaristo Sá / AFP
Gabriel abriu o placar no Serra Douradoimagem: Evaristo Sá / AFP

O atacante santista provou novamente que tem um faro de gol especial. Gabigol, que já havia marcado na estreia pela seleção principal e é o maior artilheiro do ciclo olímpico, abriu o caminho aos 32min com linda arrancada em velocidade pelo centro em que deixou três marcadores para trás. Marquinhos, aos 40min, ampliou na estreia dele pelo time sub-23: após escanteio batido por Neymar, ele subiu mais alto que os japoneses e fez de cabeça.

O melhor: Felipe Anderson chama responsabilidade e deixa ótima impressão

Evaristo Sá / AFP
imagem: Evaristo Sá / AFP

A seleção teve dificuldades para se encontrar nos primeiros 15 minutos de jogo, mas desde esse momento Felipe Anderson foi importante. Chamou a responsabilidade, levou a equipe à frente e criou jogadas de perigo que deram mais confiança para que o placar fosse construído na sequência. Felipe, mesmo assim, foi substituído no intervalo.

O pior: Zeca tem atuação discreta e destoa do restante do time

Titular da lateral direita, o santista errou alguns passes e cruzamentos no confronto e não atuou no nível que normalmente exibe por sua equipe. A atuação, ainda assim, esteve longe de comprometer. William, do Internacional, foi testado na etapa final.

Neymar faz sucesso com os dribles, mas prende demais a bola

Evaristo Sá / AFP
Neymar foi perseguido pelos japoneses durante o amistosoimagem: Evaristo Sá / AFP

O atacante do Barcelona-ESP atuou pela primeira vez desde a volta das férias e teve boa atuação. Capitão do time, Neymar porém voltou a ser individualista em alguns momentos e carregou demais a bola sem participar ativamente do jogo coletivo proposta pela equipe.

Antes do jogo, ‘rave’ e Fernando Prass no aquecimento

O sistema de som do Serra Dourada tocou um compilado de música eletrônica em alto volume durante o aquecimento das duas seleções. O Brasil, curiosamente, aqueceu por quase 30 minutos em ritmo forte. Fora da partida, Fernando Prass foi com os demais goleiros no gramado e se exercitou bastante. Ele foi poupado por dores no cotovelo direito.

Micale ganha confiança com vitória e dá ritmo para todos os jogadores

No primeiro jogo desde que foi definido como treinador para a Olimpíada, Rogério Micale comandou uma equipe que convenceu em boa parte dos momentos do jogo. Ele chegou a testar os quatro atacantes da equipe juntos com a entrada de Luan no intervalo. Depois, deu minutos a todos os demais convocados para os Jogos do Rio.

Tite e Edu Gaspar acompanham o amistoso in loco. Del Nero também

O treinador da seleção principal chegou a Goiânia neste sábado com o coordenador para assistir à partida in loco. Tite cantou o Hino Nacional de olhos fechados na tribuna do Serra Dourada. Já o presidente da CBF, que não viaja para o exterior com o time brasileiro, esteve no camarote ao lado de André Pitta, presidente da Federação Goiana, e Coronel Nunes, da Paraense.

Festa bonita no Serra Dourada com 33 mil torcedores e muita camisa amarela

Ueslei Marcelino / Reuters
Torcedor brasileiro fez sua parte no Serra Douradaimagem: Ueslei Marcelino / Reuters

A venda de ingressos para a partida disparou nos últimos dias em Goiânia e proporcionou um público que Vila Nova, Goiás e Atlético-GO não costumam levar ao estádio. O público, que fez barulho, ola, apoiou a seleção e até acendeu celulares no segundo tempo, jogou junto da seleção. A promoção da CBF para meia entrada para quem usasse a camisa da seleção funcionou. Boa parte do estádio estava vestido de amarelo.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 2 X 0 JAPÃO
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data: 30 de julho de 2016 (Sábado)
Horário: 16h30(de Brasília)
Gols: Gabriel e Marquinhos (Brasil)
Público pagante: 32.517
Público total: 33.458
Renda: R$ 1.508.070,00
BRASIL: Uilson, Zeca (William), Rodrigo Caio (Luan Garcia), Marquinhos e Douglas Santos; Thiago Maia (Rodrigo Dourado), Rafinha (Luan) e Felipe Anderson (Renato Augusto); Neymar, Gabriel (Walace) e Gabriel Jesus
Técnico: Rogério Micale
JAPÃO: Nakamura (Kushibiki); Muroya, Shiotani (Iwanami), Ueda e Fujiharu (Kamekawa); Endo, Harakawa (Oshima) e Nakajima; Yajima (Asano), Koroki e Minamino
Técnico: Makoto Teguramori
Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sorteio da Copa América define reedição de duelo Neymar x Zuñiga

Copa América terá um novo reencontro entre Neymar e Zuñiga (Foto: Reuters)
Copa América terá um novo reencontro entre Neymar e Zuñiga (Foto: Reuters)

Menos de um ano após duelaram nas quartas de final da Copa do Mundo, Brasil e Colômbia voltarão a se enfrentar em um torneio oficial. Na noite desta segunda-feira, em cerimônia em Viña del Mar, a Conmebol sorteou os grupos da Copa América 2015, que será realizada entre junho e julho de 2015, no Chile. A partida marcará um novo encontro (os dois países voltaram a se enfrentar após a Copa em amistoso em setembro) entre Neymar e Zuñiga. O volante colombiano foi o responsável por tirar o brasileiro do Mundial, com uma joelhada nas costas. Peru e Venezuela completam o Grupo C.

O time de Dunga vai estrear no dia 14 de junho, contra o Peru, em Temuco, a cidade mais ao sul do torneio – 671 km distante de Santiago. As outras duas partidas da equipe canarinho na primeira fase serão em Santiago: em em 17 de junho, a Seleção pega a Colômbia, e quatro dias depois encerra a participação na primeira fase contra a Venezuela. Em viagem pela Europa para acompanhar jogos de clubes europeus, o técnico Dunga não esteve no evento. A CBF foi representada pelo presidente José Maria Marin.

Apresentadora copa América 2015 chile (Foto: Agência AFP )Fernanda Lima chilena? A modelo Tonka Tomicic apresentou o evento e arrancou suspiros (Foto: Agência AFP )

Argentina e Uruguai no mesmo grupo

Das mãos dos ex-jogadores chileno Elias Figueroa e Iván Zamorano, do paraguaio Carlos Gamarra, e do argentino Léo Rodríguez, saiu a definição das chaves. Grupo A será formado por Chile, México, Equador e Bolívia. A Argentina, por sua vez, está no Grupo B, ao lado do Uruguai, Paraguai e Jamaica.

Os 12 participantes foram divididos em três grupos. Os dois primeiros de cada chave, além dos dois melhores terceiros colocados, avançam às quartas de final.

Mascote e bola

Durante o evento de gala, foi apresentado o mascote do torneio. Por ser um animal típico do Chile, a raposa foi escolhida como símbolo da competição. O mascote, no entanto, ainda não tem nome. Até o dia 28 de novembro, os chilenos têm três opções para batizá-lo: “Zincha”, combinação de zorro (raposa em espanhol) e hincha (torcida em espanhol), destacando a importância dos milhões de torcedores que o futebol sul-americano; “Andi”, fazendo referência à Cordilheira dos Andes; e “Kul”, se referindo a “culpeo”, família a qual pertence a raposa chilena, e ao kultrun, tambor cerimonial da cultura Mapuche.

Além do mascote, a bola da Copa América também foi apresentada. Ela se chama “Cachaña”, expressão chilena que equivale a algo semelhante a “drible de corpo”, e tem tecnologia utilizada nos Campeonatos Inglês, Espanhol, Italiano e Taça Libertadores.

O evento foi apresentado pela modelo e apresentadora chilena Tonka Tomicic. Assim como a brasileira Fernanda Lima, no sorteio da Copa do Mundo de 2014, ela arrancou suspiros da plateia e roubou a cena na cerimônia. Ela teve a companhia do também apresentador Martín Cárcamo. A atração musical ficou por conta da cantora de rap, Anita Tijoux.

 

O presidente da Conmebol, Juan Ángel Naput, subiu ao palco e elogiou o presidente da CBF, José Maria Marin, e o presidente eleito, Marco Polo Del Nero, por permitirem que o Chile sediasse a edição 2015 da Copa América. Pelo revezamento adotado pela entidade, seria a vez de o Brasil receber a competição.

Em seguida, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, fez um longo discurso e disse que será uma honra para o país receber estrelas internacionais como Messi e Neymar.

Novidades

O Comitê Executivo da Conmebol decidiu acabar com a prorrogação nos duelos das quartas de finais e das semifinais – as duas primeiras fases de mata-mata, portanto, serão decididas por pênaltis caso haja empate após os 90 minutos. Na final, a prorrogação está mantida.

Taça Copa América Chile 2015 (Foto: Agência AFP )Tradicional taça da Copa América foi exibida durante o evento (Foto: Agência AFP )

A entidade também pediu para a Fifa a autorização para que sejam feitas quatro substituições na partida final (em vez das três que a regra prevê), mas ainda não houve resposta de Zurique.

Os técnicos devem mandar para a Conmebol suas listas definitivas, de 23 jogadores, até o dia 1 de junho de 2015. Uma lista prévia, com 30 nomes, tem que ser mandada para a organização um mês antes do início do torneio – ou seja, 11 de maio.

Como acontece desde 1993, a Copa América terá 12 participantes, os dez integrantes da Conmebol e mais dois convidados. Neste ano, serão México e Jamaica – este papel já foi ocupado por Costa Rica, Honduras e até Japão.

A Copa América terá mais sete seleções além dos países convidados (México e Jamaica) e dos cabeças de chave (Chile, Argentina e Brasil). São elas: Uruguai, Colômbia, Peru, Paraguai, Equador, Bolívia, Venezuela.

O Uruguai conquistou a última edição da Copa América. Em 2011, a Celeste bateu o Paraguai por 3 a 0 na decisão. A competição foi realizada na Argentina.

Por 

Brasil goleia Japão desfalcado com quatro de Neymar e engata a quarta com Dunga

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

O time reserva Japão não foi capaz de frear o bom início de Dunga no comando da seleção brasileira. Nesta terça-feira, em Cingapura, o Brasil contou com quatro gols de Neymar para vencer por 4 a 0 e garantir os 100% de aproveitamento em quatro jogos desde o retorno do treinador, que assumiu a equipe após o fiasco liderado por Luiz Felipe Scolari na Copa do Mundo. Com seus gols, Neymar se tornou o quinto maior artilheiro da história da seleção: 40 gols.

Com 10 dos 11 titulares que venceram a Argentina no sábado (David Luiz, contundido, deu lugar a Gil), o Brasil teve o controle da partida em todo o tempo e terminou mais uma partida sem sofrer gols (não fora vazado tambémcontra Colômbia, Equador e Argentina). As jogadas com transição rápida da defesa para o ataque e as tabelas entre os jogadores de frente (Oscar, Willian, Neymar e Tardelli) foram destaque mais uma vez. Dunga adota o mesmo estilo de jogo que empregou quando dirigiu a seleção entre 2006 e 2010. Mas nesta terça ele teve seu trabalho facilitado.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Japão não contou com alguns de seus principais jogadores: Kagawa, do Borussia Dortmund, Uchida, do Schalke 04 e Hiroki Sakai, do Hannover, não estiveram nem entre os relacionados. Honda, do Milan, e Nagatomo, da Inter de Milão, começaram o jogo entre os reservas.

Se com sua força máxima o Japão já não representaria grande ameaça ao Brasil, sem seus principais nomes a partida foi mera exibição de Neymar e Diego Tardelli, que estão demonstrando ótimo entrosamento neste início de parceria no ataque da seleção.

O gol que abriu o placar, aos 17 minutos, saiu de uma troca de posição dos dois em que Tardelli saiu da área, deixou espaço para Neymar penetrar e o lançou. O capitão ainda driblou o goleiro antes de marcar.

No primeiro tempo, Japão chegou com perigo só aos 23 do primeiro tempo em chute de Kobayashi por cima do gol de Jefferson. Aos 28, o Japão reclamou de pênalti em chute desviado com o braço por Luiz Gustavo na linha da grande área. O árbitro de Cingapura não anotou a infração.

Dunga usou o segundo tempo para observar três jogadores que ainda não tinham muitos minutos na seleção principal: Mário Fernandes entrou na lateral-direita no lugar de Danilo, Éverton Ribeiro substituiu Willian e Philippe Coutinho na vaga de Oscar.

E a parceria entre Neymar e Coutinho, que vem desde a seleção sub-15 do Brasil, apareceu logo aos dois minutos do segundo tempo. Neymar se posicionou entre os zagueiros na intermediária e foi lançado pelo meia do Liverpool. Cara a cara com o goleiro, o jogador do Barcelona marcou seu 38º gol em 58 jogos pela seleção. Ele já é o sexto maior artilheiro da história seleção e está um atrás de Bebeto, quinto com 39.

Ao longo da segunda etapa, Dunga ainda deu lugar a Kaká, Robinho e Souza, que fez sua estreia com a seleção. Os três entraram muito bem nos lugares de Elias, Tardelli e Luiz Gustavo. O terceiro gol de saiu após rebote de chute de Coutinho, aos 31. Aos 35, após cruzamento de Kaká, Neymar marcou de cabeça.

A seleção brasileira volta a campo no dia 12 de novembro, contra a Turquia, em Istambul. No dia 19 do mesmo mês enfrenta a Áustria em Viena. São os dois últimos jogos da equipe em 2014. A convocação para os dois jogos será no dia 23 de outubro.

FICHA TÉCNICA: BRASIL 4 x 0 JAPÃO

Local: Estádio Nacional de Cingapura

Horário: 7h45 (de Brasília)

Árbitro: Ahmad A’Qashah (CIN

Gols: Neymar aos 17 minutos do primeiro tempo e aos 2, 31 e 35 minutos do segundo tempo.

Escalações:

Brasil: Jefferson; Danilo (Mário Fernandes, no intervalo), Miranda, Gil e Filipe Luís; Luiz Gustavo (Souza, aos 27 do 2º tempo), Elias (Kaká, aos 30 do 2º tempo), Oscar (Philippe Coutinho, no intervalo) e Willian (Éverton Ribeiro, no intervalo); Neymar e Diego Tardelli (Robinho, aos 19 do 2º tempo). Técnico: Dunga

Japão: Kawashima; Gotoku Sakai, Shiotani e Kosuke Ota; Morishige, Morioka (Honda, no intervalo), Shibasaki, Junya Tanaka (Hosogai, aos 25 do 2º tempo) e Taguchi; Okazaki e Kobayashi (Muto, aos 6 do 2º tempo). Técnico: Javier Aguirre

IG

Enquanto Bruna Marquezine mergulha, Neymar registra tudo pelo celular

Foto: Reprodução/Internet
Foto: Reprodução/Internet

Neymar foi flagrado em entre a Ilha de Formentera e Ibiza, Espanha, neste fim de semana, ao lado de amigos e da namorada, a atriz Bruna Marquezine. O jogador de futebol do FC Barcelona, que fraturou a vértebra na Copa do Mundo no início deste mês, mostrou a cinta protetora, que usa na região lombar, durante o passeio.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Nem mesmo na hora de se bronzear o atacante tirou a cinta. Ainda em recuperação, Neymar evitou mergulhar no mar. Bruna, por sua vez, aproveitou as férias e foi observada de longe pelo craque, que registrou tudo com o smartphone. A exclusiva Ilha de Formentera fica próxima da badalada Ibiza. Para se chegar à ilha paradisíaca é preciso fazer uma viagem de aproximadamente 30 minutos de barco.

 

No dia 5 de agosto, Neymar volta para Barcelona, onde se encontrará com os médicos do clube e saberá mais informações sobre a evolução da contusão. No dia 24, o FC Barcelona joga contra o Elche.

 

Enquanto Bruna Marquezine mergulha, Neymar registra tudo pelo celularEnquanto Bruna Marquezine mergulha, Neymar registra tudo pelo celularEnquanto Bruna Marquezine mergulha, Neymar registra tudo pelo celularEnquanto Bruna Marquezine mergulha, Neymar registra tudo pelo celularEnquanto Bruna Marquezine mergulha, Neymar registra tudo pelo celular

 

FONTE: Quem