Arquivo da tag: Neonatal

Faltam serviços de emergência e há poucos leitos de UTI neonatal na Paraíba

utiSegundo a Munic do IBGE, a Paraíba é o 3º estado do Nordeste com menos serviços de emergência 24h. São 137 municípios que disponibilizam o atendimento. Porém, em 63 destes, os pacientes precisam ser transportados ou referenciados para outros municípios.

Até na Capital, o atendimento é difícil. A auxiliar de serviços gerais, Ivanilda dos Santos, sentiu fortes dores por conta de pedras nos rins. Procurou a emergência do Hospital Edson Ramalho e passou horas esperando atendimento. “Cheguei às 10h50 e saí às 16h40. Aplicaram soro e remédio. A dor passou e fui para casa. No outro dia, senti mais dores e voltei. Estou aqui esperando atendimento”, relatou.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A reportagem questionou  à Secretaria Municipal de Saúde sobre o problema, mas, em resposta, a assessoria se limitou a dizer que a cidade tem três hospitais municipais de urgência e emergência.

Poucos leitos de UTI neo-natal

Outro destaque do Estado é quanto aos leitos de UTI neonatal: apenas quatro municípios possuem o serviço público ou conveniado ao SUS. No Nordeste, só são encontrados índices menores em Sergipe e Piauí.

Na Capital não está faltando vagas, mas também não está sobrando, segundo a tenente Roberlândia Freire, diretora da regulação municipal.

No Hospital Edson Ramalho, a taxa de ocupação da UTI neonatal, que conta com 10 leitos fica entre 70 e 80% e a de ocupação hospitalar é 100%, segundo a gerente de enfermagem da UTI neonatal, capitã Vanusa Sabino.

“Quando estão todas preenchidas, os bebês menos graves são remanejados para a unidade de cuidados intermediários, com quatro vagas”, disse.

A gerente informou que os municípios estão tentando vincular o atendimento no próprio município, para não superlotar a Capital.

Mas, de modo geral, a pesquisa revelou que a Paraíba é o 3º estado do Nordeste que mais precisa referenciar pacientes para exames e internações em outros municípios, são 166 municípios nesta situação.

Assim vai a saúde

 

    • 188 municípios fazem suplementação de ferro nas crianças: 3º que mais faz no NE

 

    • 7  é o total de municípios que têm serviços de nefrologia. PB é o 4º pior do NE.

 

    • 44,8% dos gestores de saúde, menos da metade, têm ensino superior, 69 com graduação.

 

    • 143 gestores de saúde são mulheres

 

  • 99,8% dos municípios do Nordeste têm a Estratégia Saúde da Família

Bruna Vieira  /CP

CG: Centro de Saúde do Catolé implanta Triagem Neonatal e realiza testes do pezinho e do olhinho

 


O Centro de Saúde do Catolé, Campina Grande, implantou a Triagem Neonatal e desde o mês passado está realizando nos recém-nascidos os Testes do Pezinho e do Olhinho e em breve, estará realizando também o Teste da Orelhinha. Os exames já são realizados no ISEA (Instituto de Saúde Elpídio de Almeida), mas estão sendo feitos também no Centro de Saúde, ampliando o acesso da população aos serviços e com mais comodidade, principalmente para as mães que residem nas proximidades do bairro do Catolé.

A Triagem Neonatal, dos quais estes exames fazem parte, tem por objetivo a detecção precoce de alterações genéticas, metabólicas e infecciosas auditivas e visuais em recém-nascidos evitando seqüelas graves durante o desenvolvimento da criança. No Centro de Saúde, a equipe é formada por pediatras, enfermeira, fonoaudióloga e técnicas de enfermagem.

Pela manhã, das 7h às 11h, o Teste do Pezinho está sendo realizado no Centro de Saúde do Catolé, de segunda a sexta-feira e o Teste do Olhinho, às quartas-feiras. À tarde, das 13h às 17h, o Teste do Pezinho é realizado também de segunda a sexta-feira e o Teste do Olhinho, todas as sextas-feiras.

TESTE DO PEZINHO – O Teste do Pezinho detecta doenças congênitas como, fenilcetonúria, hipotireoidismo, anemia falciforme e fibrose cística, que somente apresentam sinais nos primeiros meses de vida e, em alguns casos, podem levar a um retardo mental. O exame deve ser feito entre o terceiro dia de vida ou, no mais tardar, até o 28º dia após o nascimento. No caso de alguma doença ser diagnosticada, o bebê precisa passar por outros exames confirmatórios e passa a ter um acompanhamento médico.

TESTE DO OLHINHO – O Teste do Olhinho é um exame que deve ser realizado na primeira semana de vida e pode detectar e prevenir diversas patologias oculares, assim como o agravamento dessas alterações, como uma cegueira irreversível. O exame é indolor e rápido, feito entre dois e três minutos, com uma fonte de luz saindo de um aparelho chamado oftalmoscópio, semelhante a uma “lanterninha”, onde a pediatra observa o reflexo das pupilas do recém-nascido.

Quando a retina é atingida por essa luz, os olhos saudáveis refletem tons de vermelho, laranja ou amarelo e quando há alguma alteração, não é possível observar o reflexo ou sua qualidade é ruim, esbranquiçada. A comparação dos reflexos dos dois olhos também fornece informações importantes, como diferenças de grau entre olhos ou o estrabismo. O Teste do Olhinho previne e diagnostica doenças como a retinopatia da prematuridade, catarata congênita, glaucoma, retinoblastoma, infecções, traumas de parto e a cegueira.

Jonas Batista para o Focando a Notícia