Arquivo da tag: nenhuma

Ricardo afirma que não usará nenhuma fórmula mágica para governar; ‘ vou apenas adequar o novo governo’, disse

ricardo-coutinhoO governador Ricardo Coutinho afirmou que não irá usar nenhuma fórmula mágica para governar no seu novo mandato. “ Tenho a  ideia e a compreensão  muito clara  de que ninguém inventa nada  é importante fazer, qualificar melhor  Não tenho nenhuma fórmula mágica para o dia primeiro de Janeiro.   Tenho sim  um processo que está em curso e vou adequar ao  novo governo”, disse o governador.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ele deixou claro que  irá anunciar um novo governo, mas que irá  fazer as mudanças que julgar importante  ‘”para qualificar mais a gestão e ao mesmo quero que a Paraíba possa construir os grandes planos estratégicos”, justificou.

Ricardo Coutinho disse grandes obras  na área de infra-estrutura hídricas estão em andamento  e espera concluí-las com ajuda da presidente Dilma Roussef  principalmente no diz respeito a normalização do repasse dos recursos, “ que com certeza  ela fará um governo muito melhor do que o primeiro”, afirmou o governador.

Ele disse também que o  Turismo é um ponto fundamental para a Paraíba e precisa ser cuidado de  forma profissionalizada. Para isso o governador anunciou que irá lançar um edital de gestão compartilhada, de terceirização do Centro de Convenções com objetivo de atrair eventos.

Paulo Cosme

Casada, Miss Bumbum lésbica fala: ‘Nenhuma outra me excita’

miss bumbumAna Paula Souza, de 27 anos, representante do Distrito Federal no Miss Bumbum 2014, resolveu assumir sua homossexualidade publicamente. Casada há dois anos, ela não havia exposto às colegas de concurso sua orientação sexual. “Nenhuma delas sabe, vão descobrir agora com essa matéria. Não contei antes porque acho que não era da conta de ninguém, sou reservada e não faço questão de dar satisfações”, conta ela em entrevista.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A família, porém, sabe e apoia o relacionamento homoafetivo de Ana Paula. “No começo acharam estranho, mas depois apoiaram”, diz ela, que nunca havia se envolvido com outra mulher antes da esposa atual: “Acredito que sempre sabemos que temos atração pelo mesmo sexo, mas ela foi minha primeira mulher”.

Sexo no avião e no provador de uma loja
Para Ana Paula, a relação com outra mulher é mais fácil, já que uma conhece as necessidades da outra. “A mulher é mais carinhosa e atenciosa que um homem”, afirma.

Aliás, foi com a atual companheira que ela garante ter tido as melhores “aventuras” de sua vida. “Posso citar vários lugares exóticos que já fizemos sexo. Um deles foi no banheiro de uma avião, em uma viagem que fizemos para a Argentina. Outra vez foi em um provador de uma loja de fantasias. Estávamos vendo algumas para uma festa e uma fantasia ficou muito sexy em mim, então…”, lembra ela.

gata3.jpg

Ciúmes das outras candidatas
A Miss Bumbum Distrito Federal é fiel à esposa e jura que não sente atração por nenhuma das candidatas do concurso. “Amo e respeito minha mulher. E também nenhuma me despertou interesse, até porque estou no concurso por realizações profissionais e não à procura de um relacionamento. Não fico excitada por nenhuma outra mulher dentro ou fora do concurso. Fiz amizade com algumas meninas, mas sem interesse algum”, avisa.

Apesar disso, ela acaba assumindo que a sua companheira fica um pouco incomodada pelo fato de ela sempre estar cercada de mulheres de biquíni. “Acho que por ser um concurso só com mulheres ela sente mais ciúmes do que se fosse um namorado”, opina.
Vantagem no concurso?

gata2.jpg

Ana Paula não considera uma vantagem sua orientação sexual na disputa e acha que isso não despertará um interesse a mais. “As pessoas tem que deixar de ser preconceituosas e aceitar que um casamento gay é como qualquer outro casamento heterossexual. Tratar com prioridade também é uma forma de preconceito”, declara.

gata1.jpg

180 Graus

 

62% dos brasileiros dizem ter pouca ou nenhuma confiança nas pessoas

pessoasO ambiente familiar é o único círculo social que merece “muita confiança” da maior parte dos brasileiros, segundo levantamento da CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgado nesta 4ª feira (12.mar.2014). De acordo com a pesquisa, 73% dos brasileiros têm muita confiança na família.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Outros núcleos sociais, como amigos e vizinhos, são vistos com desconfiança pela população. Só 18% dizem confiar muito nos amigos, 11% nos vizinhos e 9% nos colegas de trabalho ou da escola. Apenas 6% têm muita confiança nas outras pessoas, e 62% dizem ter pouca ou nenhuma (gráfico abaixo).

confianca

O motivo de tanta cautela está na percepção dos indivíduos sobre os que o circundam. Para 82% dos entrevistados, a maioria das pessoas só quer tirar vantagem. Essa sensação é maior na região Nordeste, onde 89% declararam isso, e menor nas regiões Norte e Centro-Oeste, onde o percentual cai para 71%.

Contrariando o senso comum, a pesquisa mostra que moradores do interior confiam menos nas outras pessoas do que os habitantes das capitais. Nas cidades interioranas, 64% dos moradores dizem confiar “quase nada” ou “nada” nos outros –a taxa é de 60% nas capitais.

Entre os que estão nas cidades no interior, 83% dizem que as pessoas só querem tirar vantagem e apenas 15% acham que os outros agem de maneira correta. Já nas capitais, 80% acreditam que o outro quer tirar vantagem e 19% avaliam que as pessoas agem de maneira correta.

Os mais jovens também são mais desconfiados. Entre os que têm entre 16 e 24 anos, 67% dizem ter quase nenhuma ou nenhuma confiança nos outros. O percentual cai para 57% quando se analisa a parcela com 50 anos ou mais.

A pesquisa, inédita, foi realizada pelo Ibope com 2.002 pessoas em 143 municípios, em 17 a 21 de setembro de 2012. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

A CNI, que financiou o levantamento, diz que a sensação de confiança das pessoas influencia nos negócios. “É importante conhecer o consumidor. Quando ele está desconfiado, isso afeta sua decisão de consumo”, diz Renato da Fonseca, gerente-executivo de pesquisa e competitividade da entidade.

Uol