Arquivo da tag: Negócios

Sobe 33% o número de pequenos negócios em municípios

Os municípios paraibanos tiveram um aumento de até 33% no número de pequenos negócios registrados pela Receita Federal entre julho de 2018 e julho de 2019, de acordo com estudo realizado pelo Sebrae Paraíba. O município que apresentou o maior aumento, de 33%, foi o de São José do Brejo da Cruz, cujos pequenos negócios são atendidos pela agência do Sebrae em Pombal.

João Pessoa apresentou um crescimento de 16%, assim como a Paraíba, onde os dados apontam um aumento de 16,3% no número de pequenos negócios no último ano. Já Campina Grande, por sua vez, teve um incremento de 13% nos pequenos negócios.

De acordo com o secretário de administração de São José do Brejo da Cruz, Erivan Gomes de Oliveira, esse aumento se deu devido, principalmente, à formalização de alguns profissionais para que pudessem atender à prefeitura, como, por exemplo, pedreiros que foram credenciados para poderem atuar nas obras da prefeitura municipais.  O número no município passou de 30 para 40 pequenos negócios registrados.

Segundo o gerente da agência do Sebrae Paraíba em Pombal, Lúcio Wolmer, São José do Brejo da Cruz foi o primeiro atendido pela regional a ter a lei implementada. “É um dos municípios mais comprometidos com a visão de proporcionar um ambiente favorável ao desenvolvimento dos pequenos negócios e, isso, acaba tendo implicações como tais números”, disse.

Em João Pessoa, de 43.272 pequenos negócios registrados em julho de 2018, esse número passou para 50.082, um aumento de 16%; já em Campina Grande, enquanto que no ano anterior eram 21.278, no mesmo período deste ano estão registrados 24.143, uma diferença de 13%.

Queda

Os dados também apontam que apenas 24 municípios dos 223 apresentaram queda no número de pequenos negócios registrados. São eles: Amparo, Areia de Baraúnas, Assunção, Bernardino Batista, Bom Sucesso, Bonito de Santa Fé, Coxixola, Imaculada, Lagoa, Mãe d’Água, Mato Grosso, Monte Horebe, Olho d’Água, Parari, Poço de José de Moura, Prata, Salgadinho, Santa Inês, Santana de Mangueira, São João do Tigre, São José de Espinharas, São José de Princesa, Serra Grande e Zabelê. O com maior queda foi o de São José de Princesa, com uma diminuição de 24% no número de MEIs registrados, passando de 17 em julho de 2018 para 13 em julho de 2019.

Pequenos negócios

Os pequenos negócios empresariais são formados pelas micro e pequenas empresas (MPE) e pelos microempreendedores individuais (MEI), sendo que as micro e pequenas empresas podem ser classificadas de acordo com o número de empregados e com o faturamento bruto anual.
portalcorreio

 

Pequenos negócios têm até dia 15 de julho para retornar ao Simples

A data limite foi estabelecida pela Receita Federal por meio de Resolução e vale para as empresas de pequeno porte excluídas do Simples em 1º de janeiro de 2018
As micro e pequenas empresas (MPE) excluídas do Simples Nacional terão até o dia 15 de julho deste ano para requerer o retorno ao sistema. Na quarta-feira (3), o Comitê Gestor do Simples Nacional (SGSN) editou Resolução que permite esta ação. Os pequenos negócios podem retornar ao Simples Nacional desde que tenham sido excluídos do sistema em 1º de janeiro de 2018, tenham aderido ao Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes pelo Simples Nacional (Pert-SN), instituído pela Lei Complementar nº 126, de 6 de abril de 2018 e não tenham incorrido nas vedações previstas na Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006.
“O Simples Nacional tem impacto direto na sobrevivência da micro e pequena empresa. Estudos realizados pelo Sebrae mostram que, se o modelo de tributação acabasse, 67% das empresas optantes fechariam as portas, seriam empurradas para a informalidade ou reduziriam suas atividades. Por isso, esta Resolução é tão importante, representa uma oportunidade para as micro e pequenas empresas”, defende o presidente do Sebrae, Carlos Melles.
A opção de retornar ao Simples Nacional poderá ser feita até o dia 15 de julho, perante a Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil, por meio de um formulário. No requerimento deve constar a assinatura do contribuinte ou por seu representante legal, e instruído com o documento de constituição da pessoa jurídica ou equiparada, com as respectivas alterações que permitam identificar os responsáveis por sua gestão.
Conforme a Secretaria-Executiva do Comitê Gestor do Simples Nacional o contribuinte deve estar ciente de que, em caso de prestação de informação falsa, ele poderá ser excluído retroativamente do Simples Nacional, além de estar sujeito às demais penalidades previstas na legislação. Outro aspecto importante é que, uma vez deferida a opção extraordinária, as MPE ficarão sujeitas às obrigações tributárias principais e acessórias decorrentes, desde 1º de janeiro de 2018.
Simples Nacional
O Simples é um regime tributário facilitado e simplificado para os pequenos negócios. Criado em 2006 pela Lei Complementar nº 123, o Simples abrange a participação de todos os entes federados (União, Estados, Distrito Federal e Municípios) e reúne, em um único documento de arrecadação (DAS) os seguintes tributos: IRPJ, CSLL, PIS/Pasep, Cofins, IPI, ICMS, ISS e a Contribuição para a Seguridade Social destinada à Previdência Social a cargo da pessoa jurídica (CPP).
Sebrae/PB

 

Pesquisa aponta que pequenos negócios geraram 53% das vagas de empregos em maio, na Paraíba

Pesquisa realizada pelo Sebrae-PB aponta a geração de 359 postos de trabalho por micro e pequenas empresas (MPE) do estado durante o mês de maio. O levantamento foi feito com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Ainda conforme os dados, durante o mês de maio foram criadas, ao todo, 683 novas vagas de trabalho no estado, ou seja, 53% delas no universo dos pequenos negócios. As demais foram geradas pelas médias e grandes empresas (319) e pela administração pública (5).

O levantamento realizado pelo Sebrae também indica que foi o setor de serviços o principal responsável pela criação de novas vagas de emprego (201) nas micro e pequenas empresas. Conforme os números, também se destacaram a indústria de transformação, que criou 137 vagas, e a construção civil, segmento em que foram abertos 109 postos de trabalho.

Em relação aos municípios, os dados indicam que os principais geradores de vagas no mês de maio, no universo dos pequenos negócios, foram Pedras de Fogo (147), Sousa (124), Alhandra (119), João Pessoa (44) e Conceição (33).

Acúmulo positivo – Além dos dados positivos do mês de maio, os números do Caged também indicam um bom desempenho dos pequenos negócios no acumulado do ano. Segundo o levantamento, de janeiro a maio de 2019 as MPE geraram 1.654 vagas de emprego, enquanto as médias e grandes empresas apresentaram saldo negativo de 8.601 postos de trabalho.

Avaliação – Para a gerente de Estratégia do Sebrae Paraíba, Ivani Costa, os pequenos negócios têm sido decisivos para a obtenção de um saldo positivo na geração de empregos no estado. “Atualmente, as pequenas empresas, tentando driblar a crise, buscam aproveitar as oportunidades em nichos de mercado específicos. Nesse sentido, elas acabam necessitando e contratando nova mão de obra”, pontuou.

Além disso, Ivani também destacou que “nas crises perder gente na micro e pequena empresa é pior do que na média e, sobretudo, na grande empresa. Então, os pequenos negócios têm essa característica, eles contratam quando precisam e praticamente não dispensam. Até porque uma dispensa numa grande empresa é só mais uma, enquanto que na pequena empresa a demissão acaba gerando um desfalque”.

 

http://paraiba.com.br

 

 

Homem assassinado em Guarabira é um empresário do sertão e teria vindo realizar negócios na cidade

O assassinato registrado na noite deste sábado (08) na cidade de Guarabira, no brejo paraibano, começa a ganhar desdobramentos e a vítima já foi identificada. Trata-se do comerciante Pedro Morais Medeiros Neto, de 37 anos, residente na cidade de Patos, no sertão paraibano.

De acordo com as primeiras informações publicadas no site Folha Patoense, o empresário teria viajado a Guarabira na manhã do sábado para vender um gado que ele tinha naquela cidade em sociedade com um amigo. Na parte da tarde ele desapareceu, não deu mais notícias, a e a família ficou apreensiva. Desde o fim da tarde que familiares tentavam, sem sucesso, falar com o mesmo.

O empresário foi encontrado morto com vários disparos de arma de fogo  por volta das 22h da noite do sábado.

Segundo informações do mesmo site, havia indícios de tortura pelo corpo da vítima, já que o mesmo apresentava marcas de murro pelo rosto.

O carro da vítima foi levado e um cordão de ouro também. O dinheiro da venda do gado não estava com ele, havia sido depositado em sua conta bancária, o que levanta a suspeita que ele foi torturado para que dissesse onde estava o dinheiro oriundo da venda que fez pela manhã.

Pedro Neto, como era mais conhecido, trabalhava com a mãe em um mercadinho no bairro Jardim Queiroz em Patos.

Era casado, deixa dois filhos, morava no Loteamento Luar de Angelita.

Da Redação 
Do ExpressoPB

 

 

Pesquisa do Sebrae aponta negócios promissores para o ano de 2018

Estar atento para realizar investimentos em nichos específicos é chave para construir empreendimento próspero, afirma especialista
Fornecimento de marmitas, serviços para idosos ou atividades de estética. Os negócios no ramo de alimentação, saúde e serviços pessoais são as apostas para os novos empreendedores para 2018, de acordo com estudo elaborado pelo Sebrae, com base no perfil de novas empresas em anos anteriores, no comportamento da economia nacional e no mercado externo. A pesquisa revelou que os empreendimentos que promovem saúde, inovam na oferta de alimentos e oferecem serviços ligados à beleza pessoal estão entre as atividades mais prósperas para este ano.

A pesquisa aponta que, de uma forma geral, na comparação com o verificado nos anos anteriores, em 2018, há uma tendência de mudar a ênfase do consumo na economia, com redução relativa do foco nas atividades de manutenção e reparação e uma melhora relativa dos negócios voltados para o atendimento das necessidades básicas da população (alimentos, vestuário e construção) e novos investimentos. Deve haver também um aumento na preocupação com a aquisição de produtos e serviços de melhor qualidade e daqueles associados às mudanças de longo prazo da sociedade, em especial, nas áreas de saúde, educação, informática e serviços.

De acordo com a gerente do Sebrae Paraíba, Ivani Costa, essas atividades são promissoras por estarem associadas à tendência de envelhecimento e com a preocupação com a fase final da vida, no caso dos serviços para idosos; a uma maior preocupação com a saúde e maior demanda por atividades esportivas e de entretenimento (atividades de estética); e à maior inserção das mulheres no mercado de trabalho (fornecimento de marmitas).

“É importante que os potenciais empresários busquem investir, principalmente, em nichos de mercado voltados à terceira idade e às mulheres. A falta de lucro e de clientes está entre os principais motivos apontados para o fechamento de empresas e esses são sintomas claros da falta de preparação dos empreendedores. Ou seja, se capacitando cada vez mais, se especializando em nichos e explorando áreas que ainda não são tão exploradas é possível aproveitar as tendências desse ano para construir um negócio de sucesso”, afirma a gerente Ivani Costa.

Construção – Outro setor que deve atrair novas empresas em 2018 é a construção, com destaque para atividades de pequenas reformas, instalação e manutenção elétrica e serviços de pintura. Nos últimos cinco anos, o registro de novas empresas que oferecem serviço de obras de alvenaria aumentou 36% ao ano.

A pesquisa – Para mapear os negócios promissores de 2018, o Sebrae analisou os segmentos com maior taxa de expansão nos últimos anos, pois sinalizam a existência de uma maior demanda do mercado consumidor. Entre 2013 e 2017, o serviço ambulante de alimentação e o fornecimento de alimentos preparados para consumo das famílias cresceram 24% ao ano, por exemplo.

 

Sebrae

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Páscoa oferece oportunidades de negócios para empreendedores

Sebrae dá dicas para empresários e empreendedores aumentarem suas vendas nesta época do ano

ovos-de-pascoaA Páscoa, assim como outras datas comemorativas, tem sido um bom período para os negócios. Além dos chocolates, a data também pode ser favorável a outras oportunidades, como a venda de vinhos, pescados e condimentos, serviços turísticos, bares, restaurantes e até a manutenção de veículos para aqueles que irão viajar de carro no feriado. Para quem já tem o próprio negócio ou para quem deseja empreender apenas nesta época do ano, criatividade, inovação e planejamento são fundamentais.

“Estabelecimentos de alimentação fora do lar, padarias, adegas e peixarias oferecem produtos e serviços com grande demanda neste período da Semana Santa. É importante, portanto, organizar o estoque, treinar as equipes e investir na decoração e na divulgação. O empresário pode aproveitar esta época para fidelizar o cliente e construir relacionamentos duradouros”, destacou a analista técnica do Sebrae Paraíba, Marielza Rodrigues.

Ela acrescenta que é fundamental ter as estratégias bem pensadas antes das datas comemorativas. “Mesmo os períodos de crise geram oportunidades de negócios. O empreendedor que conseguir enxergar essas oportunidades, terá sucesso. O grande cuidado é fazer um bom planejamento, correr riscos calculados para transformar uma boa ideia em um negócio rentável. Para isso, é necessário fazer um plano de negócios bem estruturado e estudado”, completou a analista do Sebrae.

Com relação aos bares e restaurantes, a analista lembra que é importante estar atento às boas práticas na manipulação dos alimentos, para reduzir o desperdício de alguns produtos, seguir as regras de higiene e melhorar o ambiente de trabalho. “Essas boas práticas devem ser seguidas tanto para quem tem a própria empresa, quanto para quem vai fazer chocolates em casa, por exemplo. A higiene e a qualidade dos produtos são fundamentais”, disse.

Para quem vai empreender por oportunidade na data, a exclusividade do produto e o atendimento personalizado são os principais diferenciais. “As grandes marcas fazem tudo muito igual, a produção é em série. Os micro negócios devem inovar para competir, oferecendo produtos personalizados, adaptando-os ao gosto de cada cliente. O atendimento diferenciado também pode ser um item inovador, como a entrega em domicílio, embalagem exclusiva, encomenda pelas redes sociais, escolha dos ingredientes pelo cliente, entre outras inovações”, destacou Marielza.

Sebrae

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Pequenos negócios geram empregos pelo segundo mês seguido

Dados do Ministério do Trabalho e Emprego indicam que as micro e pequenas empresas paraibanas voltaram a contratar

 desempregoAs micro e pequenas empresas paraibanas voltaram a ter saldo positivo de empregos pelo segundo mês consecutivo. Elas geraram 905 novas vagas de trabalho, enquanto que as médias e grandes empresas demitiram 338 trabalhadores, no último mês de setembro deste ano, na Paraíba. No país, os dados também são positivos para a criação de empregos nos pequenos negócios. Os números fazem parte do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego.

Em agosto, as micro e pequenas empresas paraibanas também tiveram um saldo positivo, com 755 novos empregos. Nestes dois meses, foram mais de 1,6 mil empregos criados por estas empresas. Os sete primeiros meses do ano (janeiro a julho), no entanto, o saldo de empregos nos pequenos negócios vinha sendo negativo, aqui no Estado. Para o superintendente do Sebrae Paraíba, Walter Aguiar, estes resultados nos últimos meses apresentados pelo Ministério do Trabalho são mais uma prova de que a recuperação do mercado de trabalho passa pelas micro e pequenas empresas.

“Há uma perspectiva positiva, de melhoria da economia, a partir das micro e pequenas empresas. Com o aumento do nível de confiança dos empresários, há uma tendência de reaquecimento nas vendas nos próximos meses”, destacou Walter Aguiar. Ele lembrou que o Índice de Confiança de Pequenos Negócios (ICPN), apresentado em junho, mostrou que a expectativa de aumento do faturamento e da estabilidade do pessoal ocupado, na Paraíba, foi superior que a média nacional.

“Os pequenos negócios têm grande importância para o desenvolvimento da economia do nosso Estado”, disse. Eles são responsáveis por 56% dos empregos formais da Paraíba e por gerar quase 30% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado. Os pequenos negócios representam 99% do universo empresarial da Paraíba e somam mais de 130 mil empreendimentos.

“Apesar de ainda estarmos passando por um momento de dificuldade econômica, muitos empresários continuam inovando e crescendo. O Sebrae fomenta esse crescimento, oferecendo cursos, consultorias, palestras, eventos e orientações em todo o Estado”, disse o superintendente.

Ainda de acordo com os dados do Caged de setembro de 2016, dos 27 estados da federação, 16 apresentaram saldo positivo na geração de empregos nas micro e pequenas empresas. Nesse ranking do saldo de empregos gerados pelas MPEs, a Paraíba ficou em oitavo lugar.


SEBRAE PARAÍBA

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Fórum das Mulheres de Negócios se formaliza e inicia atividades enquanto associação

 

forumO Fórum das Mulheres de Negócios da Paraíba entrou em uma nova e importante fase. O grupo, que contem cerca de 130 empresárias dos mais diversos segmentos e portes, acaba de se formalizar. O grupo existe há três anos, se reúne mensalmente e tem o objetivo de compartilhar experiências e traçar metas rumo ao sucesso de mulheres empreendedoras no mercado.

Na primeira reunião do Fórum enquanto associação, que aconteceu nessa terça-feira (16), no Sebrae–PB, houve o anúncio de uma importante mudança: o grupo passa a denominar Fórum das Mulheres de Negócios – não apenas da Paraíba. Segundo a presidente da entidade Juliana Castro, a ideia é ampliar o grupo além do Estado. “Queremos divulgar boas praticas, nos relacionar, nos capacitar e colaborar profissionalmente para toda a sociedade. Queremos dar visibilidade à mulher enquanto empreendedora e estimular a inovação”, destacou.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Na ocasião, foi apresentada a estrutura organizacional do Fórum, com sua diretoria e assessorias, além de alguns dos principais projetos e os primeiros passos após a formalização, Um deles é a criação do polo das empresas que compõem o Fórum das Mulheres de Negócios, já articulado junto ao Governo do Estado da Paraíba, por meio da Cinep.

Após este momento, a empresária e consultora Israella Ramalho ministrou a palestra “Assumindo a Meta”, que abordou a importância do engajamento das mulheres no mundo dos negócios, respeitando suas características como mulher, sem competir frontalmente com os homens – mas se destacando com suas qualidade e usando seus méritos com inteligência, ética e dignidade.

Presenças – Além das empresárias, entre as presenças nesta primeira reunião do Fórum, estavam algumas personalidades que apoiaram a atividade. “Achei fantástica a iniciativa de juntar as forças em uma só meta. Acompanhei o Fórum nascendo e vejo ele hoje se formalizando, se empoderando cada vez mais. Parabéns a todas as integrantes”, destacou Sandra Marrocos, presidente da Fundação de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente.  “O mundo do trabalho é desafiante e criou uma cultura do individual. Esse movimento de vocês, de trazer a ideia de estar junto, em grupo, crescendo de forma coletiva, merece os parabéns”, acrescentou Gilberta Soares, secretária de Estado da Mulher e da Diversidade Humana. A deputada estadual Estela Bezerra também parabenizou as participantes. “Vocês estão aqui para fazer história e corrigir essa injustiça social que privilegia o homem. Estão quebrando outros paradigmas“, disse a deputada . Além delas, também estava presente a secretaria do Centro de Apoio à Criança e ao Adolescente (Cendac), Valquíria Alencar.

Ingresso – As integrantes do Fórum das Mulheres de Negócios contam com uma série de benefícios, tais como clube de descontos, linhas de crédito, cursos de capacitação, palestras mensais, clube de investimento, clube de leitura, banco de clientes, networking, rodada de negócios, carteirinha de participação, trabalhos sociais, entre outros.

Para a empresária de deseja fazer parte do Fórum, são necessários alguns critérios, além do crivo das demais membros e do preenchimento da ficha de indicação, disponível na Fanpage facebook.com/MulheresdeNegociosdaParaiba. São eles: ser mulher, conter o nome da participante no CNPJ da empresa ou ser profissional liberal e realizar pagamento da anuidade no valor de R$ 300.


 

Andréia Barros

Pequenos negócios movem economia paraibana

 

Neste domingo, 5 de outubro, é o Dia da Micro e Pequena Empresa

seminárioEles representam quase 99% das empresas formais do Estado, empregam cerca de 60% da mão de obra do setor privado e representam 50% da massa salarial paraibana. Os pequenos negócios da Paraíba, aqueles que faturam até R$3,6 milhões por ano, contribuem de forma significativa para o desenvolvimento do Estado. Eles ocupam a segunda posição no ranking de sobrevivência de empresas do país e já somam em torno de 90 mil empresas formais. Neste domingo (5), em todo o país, é comemorado o Dia da Micro e Pequena Empresa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Para o presidente da Federação da Micro e Pequena Empresa da Paraíba (Femicro), Antônio Gomes, a universalização do Simples Nacional, neste ano de 2014, que estendeu os benefícios da desburocratização e reduziu impostos para diversas categorias de empresas, foi um grande ganho para o setor. “O segmento teve um ganho significativo com a abrangência do Simples Nacional para categorias antes excluídas. Mas temos o desafio de reduzir ainda mais as alíquotas previstas atualmente, se quisermos que a micro e pequena empresa gere mais emprego e renda”, afirmou Antônio, que atualmente é presidente em exercício da Confederação Nacional das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Comicro).

Para o superintendente do Sebrae Paraíba, Luiz Alberto Amorim, a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, aprovada em 2006, foi o primeiro marco de avanço. “Não foi do dia para a noite que as micro e pequenas empresas conquistaram tantas oportunidades para crescer, não só na Paraíba, mas em todo o país. A Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas criou um ambiente muito favorável. As empresas paraibanas estão entre as mais sustentáveis do país, com taxa de sobrevivência de mais de 80% nos primeiros dois anos de mercado. Sinal evidente de que estão mais preparadas, buscando capacitação e inovação para serem mais competitivas”, ressaltou o superintendente do Sebrae Paraíba, Luiz Alberto Amorim.

Além de um ambiente legal favorável, a capacitação e o acesso à informação são elementos importantes para o desenvolvimento das MPE, destaca o superintendente. O Sebrae é um dos fomentadores desse crescimento, oferecendo cursos, consultorias, palestras, eventos e orientações em todo o Estado.

Quase 60 mil Microempreendedores Individuais

Quem queria ter o próprio negócio e desistia por causa da burocracia e das altas taxas de impostos, encontrou na figura jurídica do Microempreendedor Individual (MEI) a alternativa para se formalizar e se tornar empresário. A lei Complementar n° 128 de 2008 criou condições especiais para o trabalhador informal tornar-se um empresário com CNPJ e com baixa carga tributária. Além disso, ao se formalizar como MEI, o empreendedor tem todos os benefícios do INSS, pode abrir conta bancária jurídica e emitir nota fiscal. O MEI deve faturar até R$60 mil por ano e só pode ter até um funcionário. Na Paraíba, até setembro deste ano, quase 60 mil pessoas se registraram como MEI.

Compras governamentais

Para aproximar os gestores públicos dos pequenos negócios, o Sebrae vem realizando palestras e seminários, para incentivar e discutir o tema. Micro empresários e agricultores familiares vêm sendo capacitados para serem fornecedores do governo. Ao mesmo tempo, os gestores públicos estão sendo informados sobre como receber essas demandas. Ao adquirir produtos e serviços dos pequenos negócios locais, o poder público incentiva a circulação de recursos no próprio município.

No próximo dia 8 de outubro o Sebrae irá realizar na cidade de Alhandra o Seminário Regional de Compras Governamentais. Este é o segundo seminário realizado este ano e ainda acontecerão mais cinco até o final de 2014 (Cuité, Monteiro, Jacaraú, Sousa e Cajazeiras). O primeiro foi em Bananeiras, no dia 27 de agosto.

Sebrae

 

Governo espera fechar US$ 6 bilhões em negócios durante a Copa

Copa 2014A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) espera dobrar o valor dos negócios fechados durante a Copa das Confederações, realizada no ano passado.

Agora, a projeção, calculada com base no número e potencial dos empresários estrangeiros convidados para o evento esportivo, é que o valor dos negócios cresça de US$ 3 bilhões para US$ 6 bilhões.

Foram fechados US$ 1,8 bilhão em exportações e US$ 1,2 bilhão em investimentos durante encontros promovidos com mil empresários na Copa das Confederações.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Para atingir a meta, o Projeto Copa do Mundo da Apex aumentou o número de empresários convidados de 1 mil para 2,3 mil e tem promovido encontros com pequenas, médias e grandes empresas brasileiras.

Ig