Arquivo da tag: Náutico

BAND Nordeste anuncia transmissão de jogo decisivo do Botafogo-PB contra o Náutico

A BAND Nordeste transmitirá o jogo decisivo entre o Botafogo-PB e o Náutico que ocorrerá neste sábado, às 17h, no estádio Almeidão. A partida é válida pela Série C do Campeonato Brasileiro.

A fase de grupos está na reta final e o confronto é decisivo na trajetória do Belo. O clube pessoense e o Náutico estão brigando na parte de cima da tabela e toda vitória é essencial para garantir a vaga no mata-mata.

Além da Band, as emoções do jogo também estarão disponíveis no DAZN.

Portal WSCOM

 

 

Náutico faz 1 a 0 e Treze chega à sua sétima derrota

O Treze entrou em campo neste domingo (21) com uma missão nada fácil. Fora de casa, o lanterna do Grupo A na Série C precisou enfrentar um dos times com melhor campanha, o Náutico. O resultado no Estádio dos Aflitos não fugiu do que parecia óbvio. Deu Náutico, vitória por 1 a 0.

Vislumbrando o acesso à zona de classificação, o Náutico chegou ao jogo embalado. Jefferson Nem assustou o Treze logo nos primeiros momentos, mas Mauro Iguatu fez boa defesa. Aos 8 minutos, Paulinho teve gol anulado pela arbitragem. O Náutico seguiu pressionando, mas com o decorrer do tempo o Treze conseguiu equilibrar o ritmo da partida. A primeira etapa terminou 0 a 0.

No segundo tempo, o Treze voltou um pouco melhor, mas não o bastante para fazer o Náutico recuar. Os donos da casa seguiram insistindo em jogadas ofensivas. Aos 34 minutos, Rafael Oliveira, que tinha acabado de entrar, acertou de cabeça o ângulo superior direito do Treze.

O Treze volta a jogar pela Série C no domingo (28), contra o Globo-RN, a partir das 16h no Estádio Amigão, em Campina Grande.

 

portalcorreio

 

 

Partida entre Náutico e Botafogo-PB é adiada por conta das chuvas em PE

O jogo entre Náutico e Botafogo-PB, válido pela oitava rodada da Série C, que estava marcado para acontecer neste domingo, a partir das 18h, no estádio dos Aflitos, em Recife, foi adiado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

As fortes chuvas que também atingem a capital de Pernambuco impossibilitou o bom estado do gramado para realização da partida.

 

paraiba.com.br

 

 

Náutico e Botafogo duelam para seguir em cima na tabela

Pela oitava rodada da Série C do Campeonato Brasileiro, penúltima do primeiro turno da competição nacional, o Botafogo-PB vai neste domingo (16) até o Recife, onde enfrenta o Náutico-PE, às 18h, no Estádio dos Aflitos. Para o Belo, um bom resultado fora de casa é de suma importância para a equipe permanecer no G-4 do Grupo A da Terceirona. Em caso de derrota, o time da Maravilha do Contorno será ultrapassado pelo Timbu na tabela da competição.

Com ambas as equipes vindo de vitória na competição, o jogo promete ser muito disputado, ainda mais pelo fato de ambas estarem muito próximas na tabela de classificação, tornando o jogo em uma ‘partida de seis pontos’, visto que o Belo tem 12 pontos e o Timbu 11. Ou seja, em caso de sair vitorioso de campo, o Alvinegro da Estrela Vermelha abre quatro pontos dos pernambucanos.

Retrospecto recente

Desde que voltou ao cenário nacional, em 2013, o Botafogo-PB enfrentou o Náutico em sete oportunidades, conseguindo quatro vitórias, além de ter empatado em uma ocasião. O Náutico venceu em duas oportunidades. Pela Série C, as equipes se enfrentaram ano passado. O Belo venceu no Almeidão em uma goleada por 4 a 0, e o Náutico descontou na Arena Pernambuco, vencendo a partida por 2 a 0.

No palco da partida de hoje, o Belo não tem boas recordações. A última vez em que o Botafogo-PB jogou no Estádio dos Aflitos, o Náutico aplicou a maior goleada do confronto: 8 a 2, pela primeira fase da Copa do Nordeste de 2002. Hoje será o reencontro das equipes na praça esportiva, local onde o Timbu é muito forte, jogando com apoio total de sua torcida.

Equipes se conhecem

As equipes se enfrentaram recentemente pela Semifinal da Copa do Nordeste, em partida única, no Estádio Almeidão, em João Pessoa. Na ocasião, o Botafogo-PB superou a equipe pernambucana por 2 a 1, com gols de Nando e Juninho.

O Belo ainda desperdiçou um pênalti, cobrado pelo lateral-esquerdo Fábio Alves. O gol dos alvirrubros foi marcado em um chute do atacante Tarcísio, o goleiro do Belo defendeu, mas a bola foi entrando e o lateral-esquerdo do Belo, ao tentar espanar a bola, colocou para dentro do próprio gol.

A partida de hoje pode marcar também o retorno do meia Marcos Aurélio ao Botafogo-PB, um dos artilheiros da equipe na temporada. O camisa 10 do Belo estava se recuperando de uma lesão na coxa direita, que foi agravada justamente na partida contra o Timbu na Copa do Nordeste, onde, ao bater um escanteio, que quase resultou em um gol olímpico do Belo, o meia sentiu a lesão e deixou o campo de jogo.

 

portalcorreio

(Foto: Nalva Figueiredo)

 

 

Em jogo sonolento, Treze perde para o Náutico no Amigão e fica em penúltimo

O Treze não conseguiu fazer valer o mando de campo e perdeu para o Náutico-PE, na noite deste sábado (18), em partida válida pelo Campeonato Brasileiro da Série C, no Estádio Amigão, em Campina Grande. Com um gol solitário de Matheus Carvalho, o Timbu venceu por 1 a 0. O resultado colocou os alvirrubros na terceira posição, com seis pontos. O Galo aparece na nona posição, com três, a frente apenas do Santa Cruz.

PRIMEIRO TEMPO

A primeira etapa começou em velocidade 1 no Amigão. Aproveitando a apatia mandante, o Timbu tomou o controle das primeiras poucas ações. Nesta ligeira superioridade, saiu o gol. Aos 19 minutos, Matheus Carvalho abriu o marcador. O tento acordou os paraibanos, mas, ainda assim, a pressão não foi suficiente para empatar.

FALSO DOMÍNIO

Atrás no placar, o Galo de Campina voltou buscando empatar. Conformado com o 1 a 0, o Náutico se compactou e se fechou. A postura visitante chamou os alvinegros para cima. Apesar da maior posse, os trezeanos não conseguiam levar perigo à zaga alvirrubra. Mal em campo, a torcida também pouco ameaçava.

Conforme o tempo ia passando, os torcedores locais ficavam impacientes. Aliás, não bastasse as poucas chances criadas, ainda assistiam a um show de cera dos alvirrubros. Na base do abafa, o Galo ainda tentou pressionar nos últimos minutos. Sem efetividade e com a área timbu bem cercada, contudo, a vitória ficou com os pernambucanos.

PRÓXIMOS JOGOS

Treze e Náutico voltam a campo no próximo fim de semana. No sábado (25), o Galo visita o Globo no Barretão, em Ceará-Mirim. O duelo ocorre às 17h. No domingo, é a vez do Timbu entrar em campo. Também fora de casa, os alvirrubros enfrentam o Confiança, em Aracaju. O confronto está marcado para 17h15, no Estádio Batistão.

OUTROS RESULTADOS

O Náutico foi o único time a vencer neste sábado pela quarta rodada da Série C do Campeonato Brasileiro. Quatro jogos foram disputados, destaque também para o empate por 3 a 3 entre Santa Cruz e Sampaio Corrêa. Imperatriz-MA ficou no 0 a 0 com o Confiança-SE, enquanto Tombense-MG empatou por 1 a 1 com o Luverdense-MT.


Portal WSCOM com Agência Futebol Interior

 

 

 

Em jogo eletrizante, Botafogo da Paraíba bate o Náutico por 2 x 1 e vai à final da Copa Nordeste

A noite desta quinta-feira (09) foi histórica no estádio Almeidão, em João Pessoa.

O Botafogo-PB bateu o Náutico por 2 a 1, em um grande jogo pela semifinal da Copa do Nordeste, e com o gol da vitória marcado de cabeça pelo baixinho Juninho, aos 44 minutos do segundo tempo.

Pela primeira vez o Belo vai disputar a final do Nordestão, feito que apenas o Campinense, em 2013 e 2016, havia conseguido representando a Paraíba.

Na primeira chegada do Belo, antes de completar um minuto de jogo, Fábio Alves cruzou para Nando, que bateu de direita e a bola explodiu na trave, mas o árbitro Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro marcou falta do atacante do Belo. O lance serviu para levantar a torcida na arquibancada do Almeidão.

Aos 5, mais uma chance. Clayton lançou Nando, que caiu pela esquerda. O goleiro saiu e o camisa 9 achou Clayton, que rolou para Juninho, que chutou da marca do pênalti, mas Camutanga estava em cima da linha para salvar o time pernambucano.

Na volta de Marcos Aurélio ao time titular após ficar afastado por lesão, o Botafogo-PB ficou mais forte na bola parada. E em uma cobrança de falta da entrada da área, aos 12 minutos, o camisa 10 mandou a bola no travessão de Bruno e quase abriu o placar.

Mas a chance mais clara no início da partida foi do Náutico. Aos 14, Marcos Vinicius errou na saída de bola e Lucas Paraíba invadiu a área livre, e tocou por cima de Saulo. Wallace Pernambucano estava sozinho na pequena área, mas furou, e jogou fora a oportunidade do Timbu.

Três minutos mais tarde, Lucas Paraíba cruzou da esquerda e Wallace Pernambucano subiu mais que todo mundo para cabecear como manda o manual, para o chão, mas ele não contava com um milagre operado por Saulo, lembrando Gordon Banks diante de Pelé, para salvar o Botafogo-PB.

O ritmo, que era muito intenso, caiu um pouco depois da metade do primeiro tempo. O jogo ficou mais truncado no meio campo, algumas faltas eram marcadas, e os goleiros pouco trabalhavam.

Mas aos 40 minutos, Israel fez grande jogada pela direita, passando com a bola por entre as pernas de Assis, e tocou para o meio da área, onde Nando bateu de primeira, mas a bola subiu demais e foi para fora.

Perto do apito final, aos 45, Marcos Vinicius recebeu lançamento de Israel na esquerda e cruzou para Nando, que estava na linha da pequena área, sozinho, mas ele tocou mal na bola e acabou desperdiçando a chance do Botafogo-PB ir para o intervalo com a vantagem.

Segundo tempo

Em contra-ataque de muita velocidade, aos 4 minutos, Marcos Aurélio acionou Clayton na esquerda, que passou para Juninho no meio. O camisa 21 abriu para Israel, que avançou pela direita e chutou cruzado da entrada da área, mas Bruno resvalou com a ponta dos dedos e mandou para escanteio. Na cobrança, Marcos Aurélio mandou fechado e quase fez olímpico, mas o arqueiro do Timbu evitou o gol botafoguense.

Aos 10, finalmente saiu o gol no jogaço. Nando invadiu a área pela direita e dividiu com o goleiro alvirrubro. Na sobra, ele mesmo brigou com a zaga, ganhou de Camutanga e tocou de pé esquerdo para balançar as redes e explodir a torcida do Belo no Almeidão.

Mas a comemoração não durou muito tempo. Aos 15, Tarcísio invadiu a área pela esquerda e chutou cruzado de canhota, Saulo fez a defesa parcialmente, a bola percorreu toda linha do gol, antes de entrar, e deixar tudo igual.

Dois minutos depois, Marcos Aurélio cobrou escanteio da esquerda e quase marcou olímpico, e Bruno novamente fez grande defesa para evitar o gol. Na hora da batida, o camisa 10 voltou a sentir a lesão na coxa que o deixou de fora das últimas duas semanas, e foi substituído por Enercino.

E aos 22, Enercino participou pela primeira vez, e de forma decisiva. O camisa 20 recebeu na área e foi atropelado por Rafael Ribeiro. O árbitro assinalou pênalti. Fábio Alves foi para a cobrança e mandou forte no canto esquerdo, mas Bruno foi buscar e evitou o gol do Belo.

O Náutico tentava controlar o jogo e evitar a pressão botafoguense, que buscava fazer uma blitz no seu campo ofensivo após as entradas de Dico e Paulo Renê nas vagas de Marcos Vinicius e Nando. E aos 36, Israel avançou pela direita e cruzou para a área, onde Paulo Renê deu de bicicleta e mandou a bola por cima da meta.

Aos 42, por muito pouco não sai o segundo gol do Botafogo-PB. Dico avançou pela direita até a linha de fundo e cruzou para Paulo Renê, que raspou de cabeça quase na pequena área e a bola passou muito, muito perto do poste direito do alvirrubro pernambucano.

E já perto do fim, aos 44, Clayton cobrou falta na área e o pequenino Juninho, de cabeça, encobriu todo mundo e balançou as redes, para fazer tremer o Almeidão e levar o Belo para a final da Copa do Nordeste.

Ficha técnica

Botafogo-PB 2 x 1 Náutico

Copa do Nordeste de 2019 (semifinal – jogo único)
Estádio: Almeidão (João Pessoa)

Arbitragem: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN); Jean Márcio dos Santos (RN) e Vinicius Melo de Lima (RN)

Cartões amarelos: Fábio Alves, Rogério, Marcos Aurélio, Nando, Enercino (B); Jimenez, Bruno, Luiz Henrique (N)
Gols: Nando (B); Tarcísio (N)

Botafogo-PB: Saulo, Israel, Lula, Donato, Fábio Alves; Rogério, Marcos Vinicius (Dico), Juninho, Clayton, Marcos Aurélio (Enercino); Nando (Paulo Renê). Técnico: Evaristo Piza.

Náutico: Bruno, Hereda, Rafael Ribeiro, Camutanga, Assis (Krobel); Jimenez, Luiz Henrique, Wagninho, Lucas Paraíba (Tarcísio), Odilávio (Rafael Oliveira); Wallace Pernambucano. Técnico: Márcio Goiano.

 

Paraibaonline

Foto: Ascom/Botafogo-PB

 

 

 

Campinense pega Náutico na Arena de PE para tentar encaminhar classificação

Uma vitória encaminha a classificação. Um empate também serve. Com o objetivo de pontuar, o Campinense encara o Náutico logo mais, às 20h30, na Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata, pela quarta rodada do Grupo A da Copa do Nordeste.

Dividindo a liderança da chave com o Santa Cruz com sete pontos (o Tricolor leva vantagem no saldo de gols), a Raposa pode dificultar ainda mais a situação do terceiro colocado Timbu, que só venceu uma partida até aqui.

Foto: Divulgação / Agência Brasil

Para a partida, a primeira do Campinense na Arena, o técnico Sérgio China ganhou um dia a mais de trabalho.

Ou de descanso e recuperação para os atletas. Numa maratona de jogos a cada 72 horas, o time rubro-negro optou por desembarcar no Recife dois dias antes da partida.

Ontem à tarde o Campinense finalizou a preparação com um treino tático no Centro de Treinamento do Sport, em Paulista, e a boa notícia, segundo o fisioterapeuta Léo Félix é que o lateral esquerdo Ronaell e o meia Felipe Ramon conseguiram trabalhar.

Ambos viajaram reclamando de desconfortos musculares. Testes de vestiário ainda serão realizados, mas a escalação dos dois deve ser confirmada.

Náutico

De técnico novo e motivado após quebrar o jejum de derrotas (venceu o Belo Jardim, segunda, no Arruda, por 2 a 0), o Náutico tem uma verdadeira decisão pela frente contra o Campinense.

Milton Cruz, ex-São Paulo, assumiu a equipe na terça-feira e admitiu que vai ter muito trabalho para tocar o barco alvirrubro.

O novo treinador vai mexer, forçadamente, em apenas uma peça. O lateral esquerdo Giovanni torceu o tornozelo na vitória contra o Belo Jardim e será substituído pelo prata da casa Manoel.

Arbitragem

Jailson Macedo Freitas, da Bahia, é o dono do apito para Náutico x Campinense. Ele terá Elicarlos de Oliveira (BA) e Jucimar Dias (BA) como assistentes. Déborah Cecília Correia é a árbitra reserva.

Prováveis escalações

Náutico: Tiago Cardoso, David, Tiago Alves, Adalberto e Manoel; Éwerton Páscoa, João Ananias e Marco Antônio; Jefferson Nem, Ercik e Alisson. Técnico: Milton Cruz.

Campinense: Glédson, Negreti, Joécio, Rafael Jensen e Ronaell; Magno, Fernando Pires, Jussimar (Fabinho) e Felipe Ramon; Maranhão e Augusto (Léo Ceará). Técnico: Sérgio China.

paraibaonline

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Botafogo da Paraíba e Náutico empatam no Almeidão em jogo adiado

jogoBotafogo da Paraíba e Náutico realizaram na noite desta terça-feira, 4, o jogo da segunda rodada da Copa do Nordeste, que foi adiado por decisão da Justiça. O Botafogo abriu o placar com Doda no começo do segundo tempo, mas cedeu o empate aos 20. Hugo empatou para o Náutico e voltou a complicar a vida do Belo na competição.

O Botafogo começou o jogo melhor, mas voltou a insistir nos velhos erros nos últimos passes antes da finalização e acabou virando para o segundo tempo em 0 a 0. O Náutico se defendia e tentava assustar nos contra-ataques.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

No segundo tempo, o time pessoense voltou disposto a abrir o placar e partiu para cima do Timbu. E depois de levar perigo em algumas jogadas, Doda abriu o placar fazendo a festa no Almeidão. Neste momento, o que parecia impossível no começo da competição ficou perto de acontecer. A classificação após a perda de quatro pontos.

Porém, a alegria durou pouco mais 10 minutos, por que o atacante Hugo aproveitou uma bobeira da zaga Botafoguense e empatou o jogo.

Com o resultado, o Botafogo que dependia apenas dele para se classificar, agora terá que vencer o Sport na última rodada em jogo na Ilha do Retiro e torcer por um tropeço do Náutico.

O público no Almeidão foi de 8. 400 pagantes, para uma renda de R$ 88. 550, fora os ingressos que foram trocados por nota fiscal.

Da redação
WSCOM Online

Na estreia de Dorival, Flu vence o Náutico, encerra jejum e sai do Z-4

jogoA seca de vitórias do Tricolor chegou ao fim. Na noite desta quinta-feira, na estreia do técnico Dorival Júnior, o Fluminense venceu o lanterna e já rebaixado Náutico por 2 a 0, no Maracanã, e deixou a zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro. De quebra, encerrou o jejum de nove partidas sem vitória e deu novo ânimo ao seu torcedor na luta contra a queda. Os gols foram marcados por Wagner e Samuel, um em cada tempo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Diante disso, a expectativa é de estádio lotado no domingo, quando o Tricolor novamente atuará no Maracanã, no duelo contra o São Paulo, às 17h. Na noite desta quinta, a torcida compareceu em bom número – 26.498 pagantes (30.844 presentes) e apoiou a equipe. Chegou a demonstrar irritação logo no início do jogo com longa troca de passes no campo na defesa, mas trocou as vaias pelo incentivo assim que Digão e Leandro Euzébio abriram os braços e pediram calma.

Paciência é algo que Wagner, autor de um belo gol no jogo, sabe que jogadores e torcedores terão de ter no atual momento do Flu. Apesar da vitória, que levou o time aos 39 pontos, na 16ª colocação, o Tricolor está longe de estar livre do risco. Tem a mesma pontuação do Bahia, primeiro do Z-4.

– Nossa comemoração vai ser sair dessa zona desconfortável. Comemorar mesmo só quando estivermos lá longe – disse o meia Wagner, que pouco festejou seu gol e demonstrou enorme alívio ao marcá-lo.

O Náutico, por sua vez, apenas cumpre tabela na competição. Com 17 pontos, está rebaixado há três rodadas e, mesmo se vencer todas as quatro partidas que faltam, não deixará a última posição. São 25 derrotas e apenas quatro triunfos em todo o campeonato. Resiginado, o goleiro Ricardo Berna, que teve seu nome gritado pela torcida do Fluminense por ter atuado por oito anos nas Laranjeiras, analisou a situação.

– Não saio satisfeito pelo resultado que o Náutico teve. Queremos sair dos 17 pontos, mas está complicado. Ao menos fico feliz pelo reconhecimento da torcida do Fluminense, isso é gratificante para qualquer profissional – disse o goleiro do Náutico, que volta a campo domingo para enfrentar o Bahia, na Arena Pernambuco.

Golaço de Wagner abre o caminho

O Fluminense foi a campo com uma formação diferente em relação a quem vinha sendo adotada por Vanderlei Luxemburgo, demitido na última segunda-feira. Com apenas dois dias de treino, o comandante preferiu colocar o zagueiro Digão na lateral esquerda e o volante Willian à frente dos zagueiros, dando maior segurança ao setor defensivo. O time, de fato, não correu riscos no primeiro tempo e enfim voltou a não sofrer gol em um jogo. Isso não acontecia desde a 19ª rodada, no triunfo por 1 a 0 diante do Bahia.

Na frente, o Flu demonstrou nervosismo, errando passes fáceis – foram 17 na etapa, mas ao menos a escalação com Rhayner e Marcos Júnior abertos pelas pontas deixaram o time mais veloz. Wagner apareceu bem no jogo, arriscando as jogadas e os chutes de média distância. Foi premiado com lindo gol aos 16, ao acertar o ângulo direito de Ricardo Berna com uma bomba de fora da área. O ex-goleiro do Tricolor ainda salvou o Timbu em cobrança de falta de Rafael Sobis, defendida em dois tempos.

Oportunismo de Samuel liquida o jogo

Na etapa final, logo aos 5 minutos, Ricardo Berna não conseguiu evitar mais um gol tricolor. Samuel, que substituiu o lesionado Marcos Júnior no intervalo, aproveitou rebote do arqueiro e empurrou para o fundo da rede. O gol, embora no começo da etapa complementar, liquidou completamente o Náutico, que não esboçou reação. O técnico Marcelo Martelotte chegou a colocar o jovem Saulo, de apenas 16 anos, em campo, já visando um processo de renovação do elenco.

O Fluminense, ao contrário de outros jogos, não correu riscos. O goleiro Diego Cavalieri foi ameaçado somente aos 39, ao espalmar chute perigoso de Diego. Com autoridade e calma, o time tocou bem a bola e controlou a partida. Jean, de fora da área, quase ampliou, mas parou em Berna. No fim, o Flu ainda ficou com um a mais, após a expulsão de Alison em carrinho criminoso em Rafinha.

 

Globoesporte.com

Elias perde gol inacreditável, e Fla não sai do 0 a 0 com lanterna Náutico

Náutico e Flamengo foram didáticos ao extremo neste domingo. Em 90 minutos, fizeram um resumo impecável do futebol que apresentam no Brasileirão de 2013. O empate por 0 a 0 na Arena Pernambuco escancarou a enorme fragilidade do Timbu e o casamento entre pobreza técnica e má fase do Rubro-Negro. Duas conclusões dos visitantes no primeiro tempo não entraram por detalhes microscópicos. E Elias, no último lance, perdeu um gol absolutamente surreal – quase sobre a linha.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Foi o primeiro jogo dos cariocas sem Mano Menezes, e o desempenho variou pouco. Nos pernambucanos, é a despedida de Levi Gomes do cargo de treinador da equipe principal, já que Marcelo Martelotte foi anunciado pelo clube.

O Náutico não vence há 13 rodadas. Com o empate, o Flamengo foi a 27 pontos, na 16ª colocação, três pontos à frente da zona de rebaixamento – e podendo entrar nela até o fim da rodada. O Timbu, com dez, é o lanterna. O Alvirrubro recebe o Coritiba no sábado pelo Brasileirão, e o Flamengo pega o Criciúma no Maracanã um dia depois. Antes, na quarta-feira, faz clássico com o Botafogo pela Copa do Brasil.

náutico x flamengo (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)André Santos tenta o combate sobre Tiago Real, do Náutico (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Por milímetros

Milímetros impediram o Flamengo de vazar a defesa do Náutico no primeiro tempo. E milímetros que pertencem a Gideão. Os goleiros, em especial o do time pernambucano, protagonizaram a primeira metade da partida. O arqueiro do Timbu salvou duas em cima da linha: primeiro em cabeceio de Samir, depois em conclusão de André Santos. Nos dois lances, jogadores rubro-negros pediram gol.

O Flamengo foi melhor do que o Náutico no primeiro tempo. Teve mais posse (51% a 49%), finalizou mais (dez a quatro), alçou muito mais bolas na área (16 a quatro). Além das duas conclusões defendidas sobre a linha, poderia ter marcado com Paulinho, mas Gideão novamente espalmou. O porém é que o Timbu, mesmo novamente frágil em campo, também teve chances claras de gol. Paulo Victor fez defesa assombrosa quando Martinez pegou rebote e mandou no ângulo.

Na mesma

náutico x flamengo (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)O Brocador Hernane não esteve em jornada inspirada (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

O jogo pouco mudou no segundo tempo. O Náutico esteve mais propenso a atacar, mas sempre sem demonstrar a menor ideia de como fazê-lo. Com isso, foi novamente o Flamengo quem mais se aproximou de marcar. Foi o caso de lance nascido aos quatro minutos, quando Elias recebeu livre de Paulinho na área e bateu no canto. Leandro Amaro salvou para os pernambucanos.

Carlos Eduardo, outra vez muito apagado, foi substituído por Gabriel no decorrer da etapa final. O meia pelo menos tentou dar agilidade ao time. Logo depois de entrar, bateu cruzado da direita, e a bola atravessou a área sem que ninguém aparecesse para completar. O Náutico, nas raras vezes em que ameçou, o fez sem querer, como no cruzamento de Hugo que quase entrou no gol de Paulo Victor.

A partida ainda reservava seu momento mais impressionante para o último lance. Eram 48 minutos. O Flamengo bateu escanteio da esquerda. A bola viajou, e Marcelo Moreno cabeceou. Gideão salvou. E Elias, quase dentro do gol, mandou por cima, contrariando as leis da física. Inacreditável. Absolutamente inacreditável.

 

Globoesporte.com