Arquivo da tag: Movimentos

Movimentos interditam duas rodovias estaduais e deixam trânsito parado em parte da PB

protestoCerca de 400 famílias dos Movimentos dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e Sem Terra (MST) interditaram na manhã desta segunda-feira (7) duas rodovias estaduais na Paraíba. As mobilizações aconteceram na PB-044, entre as cidades de Mari e Guarabira, e na PB-071, que liga os municípios de Sapé e Capim. O protesto começou as 7h e terminou por volta por volta do meio dia.

Segundo Eva Vilma, uma dos integrantes do MST, os manifestantes exigiam uma audiência com o Incra para resolver questões de conflitos agrários da região da Zona da Mata, com as Prefeituras de Mari, Sapé, o Ministério Público e a Companhia Estadual Habitação Popular (Cehap) para dialogar sobre a construções de casas para as famílias acampadas na região. Houve a informação de que a manifestação teria relação com um acordo descumprido pelas prefeituras, mas Vilma não soube precisar se haveria ligação.

De acordo com o capitão Melquisedec Lima, comandante da 3ª companhia de Sapé, o movimento foi pacífico e o trânsito foi fechado nos dois sentidos das rodovias, mas, a Polícia Militar interveio na mobilização e um acordo com os líderes foi firmado e os veículos liberados para passar a cada cinco minutos.

“As estradas foram interditadas com troncos de árvores e pedras, mas tudo transcorreu dentro da normalidade. Não houve fogo e os grupos se dividiram e ocuparam as duas estradas. A Polícia Militar acompanhou tudo e após acordos com os líderes houve a liberação total das rodovias”, falou o policial.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Lançamento da Frente Brasil Popular no Brejo reúne entidades, movimentos e pastorais

 

encontro1Movimentos de mulheres e Negros, LGBT, Levante Popular da Juventude, organizações culturais e de servidores públicos estaduais e federais, estudantes, professores da UEPB e IFPB, CUT, pastorais diocesana (Criança, Operária e CPT), religiosa inserida nas Cebs, Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Bananeiras e Juarez Távora, Conselho Tutelar de Belém, e o mandato do deputado federal Luiz Couto prestigiaram, na tarde dessa terça-feira (16), em Guarabira, o lançamento da Frente Brasil Popular no Brejo paraibano.

encontro2A plenária regional, que aconteceu no salão da paróquia da Catedral de Nossa Senhora da Luz, marcou também o nascimento da Frente Brasil Popular de Guarabira, composta por entidades que integraram o extinto ‘Movimento Contra o Golpe’.

encontroA participação da plateia, que discutiram nos grupos a conjuntura política brasileira e como intensificar esse debate nas comunidades rurais e urbanas, e a rodada de diálogo com os coordenadores da FBP na Paraíba – Genaro Leno e Gleyson Melo, e professor da UEPB/Campus III – Agassiz Almeida Filho, foram os pontos centrais do evento.

Por fim, ficou decidido que os representantes de entidades, movimentos e pastorais conversarão com seus pares como fazer para viabilizar a Frente Brasil Popular no seu município. As propostas discutidas deverão ser compartilhadas na próxima reunião regional convocada pela FBP-Guarabira, que poderá acontecer em setembro.

Golpe

Integrantes de várias entidades e de partidos políticos – que engrossam a FBP – advogam que a presidenta Dilma Rousseff está sendo vítima de um golpe dado pelo Congresso Nacional, com apoio da grande mídia e de parte do Judiciário, para beneficiar uma minoria de ricaços e retirar as conquistas adquiridas nos últimos anos pela maioria dos brasileiros.

Ascom do Núcleo da Frente Brasil Popular-Guarabira

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Movimentos pró-impeachment e a favor de Dilma mantém manifestações para este domingo

movimentosUnidos durante as manifestações contra o governo Dilma em 2015 e nos dois principais protestos de 2016, os grupos Movimento Brasil Livre (MBL) e Vem Pra Rua estarão separados nos próximos atos.

Enquanto o MBL optou por adiar o protesto marcado para este domingo (31), o Vem Pra Rua manteve a data e espera atingir mais de 180 cidades, inclusive Campina Grande e João Pessoa, na Paraíba. Os grupos pró-Dilma também sairão às ruas e já confirmaram atos em treze cidades, entre as quais João Pessoa.

Em João Pessoa a manifestação está marcada para as 16h e o encerramento está previsto para as 17h30. Os organizadores do evento esperam mobilizar cerca de mil pessoas na Capital do Estado paraibano.

A Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob) informou que equipes vão monitorar o evento por meio de câmeras de segurança e, caso seja verificada necessidade de intervenção para bloqueio de vias e organização do trânsito, agentes serão enviados ao local.

Em nota, o MBL afirmou que tomará o dia 31 de agosto como uma “provável data alternativa, também passível de alteração” para os novos atos em prol da saída definitiva de Dilma Rousseff. “Considerando que, diferentemente das informações que tínhamos anteriormente, a votação do impeachment no Senado acontecerá no final de agosto, e que temos recebido frequentes mensagens com reclamações sobre a data – por ser volta das férias escolares e por coincidir com manifestações marcadas por grupos petistas – decidimos focar nossos esforços em atos que serão marcados em data mais próxima da votação”, justificou o movimento.

Os manifestantes vão reivindicar o impeachment definitivo de Dilma, a prisão de políticos corruptos, a renovação política e o fim do foro privilegiado. Apoiam ainda o pleno funcionamento da Operação Lava Jato e pedem a aprovação das chamadas dez medidas contra a corrupção, iniciativa da sociedade civil capitaneada pelo Ministério Público Federal e à espera de votação no Congresso.

Pró-Dilma – O lado vermelho das manifestações de rua do país também marcou atos para este domingo. Segundo o Partido dos Trabalhadores, treze cidades estão confirmadas como sedes dos protestos pelo país. São esperados manifestações em Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, Santos, São Paulo e Uberlândia (MG).

O objetivo, segundo a organização, é protestar contra o governo interino de Michel Temer, pedir a volta da presidente Dilma e o fim do impeachment – que eles chamam de golpe. No evento divulgado no Facebook, dizem que vão protestar também por “auditoria da dívida pública, democratização das comunicações e desmilitarização da polícia e o fim do genocídio da população negra, fim dos despejos, saúde e habitação para todos”.

pbagora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Movimentos de mulheres fazem atos em defesa da presidente Dilma na PB

(Foto: Walter Paparazzo/G1)
(Foto: Walter Paparazzo/G1)

Atos contra o impeachment, em defesa da presidente Dilma Rousseff (PT) e da democracia foram realizados na tarde desta quarta-feira (13) em João Pessoa e em Campina Grande. Os atos foram organizados por mulheres da Frente Brasil Popular -Paraíba. Segundo as organizadoras, em João Pessoa, até as 18h, o ato reunia cerca de 300 pessoas. Em Campina Grande, eram 70 participantes. A Polícia Militar não divulgou estimatova de público em nenhuma das duas cidades.

Na capital, o ato foi realizado na Praça pedro Américo, no Centro da cidade. De acordo uma das organizadoras da mobilização, Joana D’arc da Silva, a manifestação foi um ato político cultural, com  poesias, música e danças pela democracia.

“Estamos aqui unificando o movimento de mulheres em torno da defesa da democracia, afirmando que as mulheres estão na luta contra a misoginia e contra o machismo que deve ser enfrentado no cotidiano na promoção da igualdade de gênero e vem sendo rechaçado pelo conservadorismo que quer a mulher longe da política. Nós, mulheres, não aceitamos isso, não aceitamos o golpe”, ressaltou Joana.

Em Campina Grande, mulheres se reuniram no Calçadão do Centro da cidade. (Foto: Danilo Alves / TV Paraíba)Em Campina Grande, mulheres se reuniram Centro
da cidade (Foto: Danilo Alves / TV Paraíba)

Em Campina Grande, no Agreste paraibano, o grupo dse reuniu no Calçadão do centro da cidade. A manifestação teve como base a contrariedade ao pedido de impeachment da primeira mulher a ser presidente do Brasil.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A representante do movimento Frente Brasil Popular em Campina Grande, Paula Adisse, afirmou que a presidente também está sendo vítima de machismo em ameaças e xingamentos. “Hoje está acontecendo em todo o Brasil eventos deste tipo de mulheres pela democracia, contra o golpe, onde a gente vem manifestar a ilegalidade do processo de impeachment que tramita. Nós sabemos dos ganhos dos últimos anos para os setores mais pobres da sociedade. O processo acontece com ameaças e xingamentos machistas a presidente da república”, disse ela.

 

 

G1 PB

Movimentos articulam manifestação a favor do impeachment na PB

manifestoManifestações favoráveis ao “impeachment” da presidente Dilma Rousseff (PT) prometem tomar as ruas de João Pessoa e Campina Grande no próximo domingo.  Em Campina Grande, o ato contra Dilma acontece a partir das 14h na Praça da Bandeira, Centro da Cidade. Na Capital será às 15h, no Busto do Almirante Tamandaré, em Tambaú.

O presidente estadual do PT, Charliton Machado, tuitando sobre o pedido de impeachment, defendeu a presidente  . “Dilma Rousseff tem que se preparar contra o arsenal midiático e a conspiração. Coragem não lhe falta em sua biografia. #DilmaFica”, afirmou.

Charliton Machado esclareceu que os movimentos sociais tem  defendido a manutenção da democracia. e do governo petista Ele reafirmou que os movimentos sociais querem debater os pacotes econômicos, mas não abrem mão de defender o governo do PT”.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

pbagora

Vídeo de deputada dançando funk e fazendo movimentos sensuais gera polêmica na web

Deputada-dançando-funkMais do que por suas ideias e propostas, a deputada federal Bruniele Ferreira Gomes, conhecida como Brunny, 25 anos, chama atenção pelas roupas justas, botas pretas e jaquetas de paetês com que desfila pela Câmara. Nesta semana, também repercutiu a escolha de pintar seu gabinete de roxo. No entanto, o auge de sua fama ainda está por vir. Parlamentar no primeiro mandato, a mineira teve um vídeo divulgado no final do ano passado em que se joga no funk na cidade de Governador Valadares, no interior de Minas Gerais, que repercutiu recentemente nas redes sociais, gerando polêmica.

De sainha azul e com uma blusa preta decotada, a musa da Câmara rebola com outras mulheres ao som dos funks “Sarra Novinha No Grau”, do MC Gw, e “Aquecimento Das Maravilhas”, do Bonde das Maravilhas.Resultado de imagem para deputada federal Bruniele Ferreira Gomes

Brunny é Presidente Nacional do PTC-Mulher e foi eleita deputada federal com pouco mais de 45 mil votos pelo Partido Trabalhista Cristão. Ela é casada com o deputado estadual Hélio Gomes, do Partido Social Democrático (PSD) e apresenta um programa em uma emissora afiliada do SBT no interior mineiro.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

CONFIRA:

blogdogordinho

Papa Francisco recebe líderes de movimentos sociais em Roma

papaMais de 100 líderes de grupos sociais e leigos, 30 bispos engajados com a realidade dos movimentos sociais em seus países e 50 agentes pastorais, além de alguns membros da Cúria Romana, participam esta semana do Encontro Mundial dos Movimentos Populares, que ocorre em Roma até amanhã (29).

O evento é organizado e promovido pelo Pontifício Conselho da Justiça e da Paz, em colaboração com a Pontifícia Academia das Ciências Sociais. Entre os representantes brasileiros está o secretário-geral da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil, dom Leonardo Steiner. Os participantes foram recebidos hoje (28) pelo papa Francisco.

O cardeal Peter Turkson, presidente da entidade que promove o evento, destacou que o encontro tem po robjetivo fortalecer a rede de organizações populares, favorecer o conhecimento recíproco e promover a colaboração entre eles e as Igrejas locais, representadas por bispos e agentes pastorais comprometidos na promoção e tutela da dignidade e dos direitos da pessoa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
“Sustentados, muitos de nós, pela fé em Cristo, que se fez pobre entre os pobres, e fortes pelo magistério social de Sua Santidade e da Sua preocupação para com as vítimas da indiferença e do egoísmo de um sistema social e econômico elitista, estamos reunidos hoje, no Vaticano, para receber do senhor, Santo Padre, palavras que nos iluminem e nos apoiem em nosso difícil caminho para a construção de uma sociedade mais justa e solidária, onde ninguém seja considerado um descarte, mas visto com o olhar de Deus, que abraça todos os seus filhos, especialmente aqueles a quem o Senhor chama de “meus irmãos e irmãs menores”, disse o cardeal.

Agência Brasil

Bancada mais conservadora no Congresso poderá barrar reformas reivindicadas pelos movimentos sociais

A população brasileira elegeu, no ultimo dia 05 de outubro, os senadores e deputados federais que atuarão no Congresso Nacional a partir de 1º de janeiro de 2015, data do inicio da nova legislatura. Os resultados eleitorais mostram que o número de partidos aumentará de 22 para 28 na Câmara dos Deputados, com nova composição do Congresso Nacional apresentando um aumento significativo de representantes da ala conservadora.

noticias.gospelmais

O quadro de candidaturas mostra que o PT (Partido dos Trabalhadores), PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) e PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) possuem as maiores bancadas da Câmara e aponta que os parlamentares conservadores avançaram nessas últimas eleições. A bancada do PSDB, por exemplo, ganhou 11 cadeiras na Câmara dos Deputados, passando de 44 para 55, um crescimento significativo de 25%. Já o PT perdeu 20% dos deputados na bancada, passando de 88 para 70.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Nesse contexto da nova formação de bancadas partidárias, com uma representativa presença conservadora no Congresso, surge um questionamento sobre se o resultado da eleição dos representantes da Câmara e do Senado refletiu ou não as manifestações ocorridas em junho de 2013, movimento popular que saiu às ruas de todo o país para reivindicar uma variada agenda de reformas e demandas sociais. Em entrevista ao programa Expressão Nacional, da TV Câmara, José Antônio Moroni, diretor do Instituto de Estudo Econômicos e Sociais (Inesc), afirma que as manifestações foram válidas, porém, por terem abrangido muitas reivindicações, perderam o foco.

Ele avalia que: “em relação às eleições, parece que junho de 2013 não aconteceu. As manifestações tiveram pouco impacto no processo eleitoral. Isso porque, ou nosso sistema político é tão rígido que é impermeável a qualquer tipo de manifestação popular, ou porque foi um momento conjuntural que não tinha uma agenda política clara e não foi capaz de tensionar o sistema político”.

A maioria dos candidatos que defendiam reformas sociais e democráticas não foi eleita, a bancada está mais conservadora. Dessa forma, Moroni teme que as grandes reformas sejam engessadas mais uma vez e aponta que as mobilizações e pressões populares na política serão ainda mais essenciais para o avanço nas pautas sociais.

Para o cientista político Marco Aurélio Nogueira, também durante o programa de TV, a manutenção de PT, PMDB e PSDB com as maiores bancadas talvez não altere o atual jogo político. “Também é preciso ver qual vai ser o real poder de fogo dessas bancadas específicas e mais conservadoras. Até o fim do atual governo, muitas dessas bancadas conservadoras estiveram na base governista, cuja gestão é considerada progressista. Então, pode ser que essas bancadas flutuem um pouco em função da agenda que o Congresso terá de examinar”, afirmou Nogueira.

Os resultados das eleições podem ainda sofrer alterações, caso candidatos com o registro atualmente negado pela Justiça eleitoral consigam reverter as decisões judiciais.

Confira a lista completa dos eleitos:

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/lista-completa-dos-deputados-federais-eleitos/

pavablog

Perfil dos eleitos

Cerca de 80% (411 candidatos) dos eleitos neste domingo para deputado federal têm nível superior;

Dos 513 deputados eleitos, apenas cinco (1%) sequer terminaram o ensino fundamental;

Dos eleitos, somente 23 candidatos (4,5%) são considerados jovens, com idade até 29 anos;

No grupo com idade entre 30 e 59 anos, o número sobe para 278 representantes eleitos, correspondendo a 73,5%, o maior índice das faixas etárias;

Acima dos 60 anos, a Câmara receberá 112 parlamentares, correspondendo a 22%;

Nascido em 1930, o deputado mais idoso eleito é Bonifácio de Andrada (PSDB-Minas Gerais). Aos 84 anos, ele vai cumprir o seu nono mandato consecutivo na Câmara. Já o deputado mais jovem será Uldurico Junior (Partido Trabalhista Cristão – PTC _ Bahia), de 22 anos. Agricultor, ele foi o parlamentar eleito com menos votos na Bahia;

De acordo com o registro de ocupações do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), 44 candidatos são advogados; 42 empresários; e 29 médicos;

Dos eleitos, 198 assumirão pela primeira vez o cargo de deputado. Outros 25, que não participaram da legislatura atual, mas já tiveram mandato em algum momento, retornarão à casa;

Esses 223 deputados correspondem a uma renovação de 43,5%;

Com a reeleição, o deputado Miro Teixeira (Partido Republicado da Ordem Social – Pros – Rio de Janeiro) se tornará, na próxima legislatura (2015-2019), o parlamentar com maior número de mandatos na Câmara, 11 no total. O parlamentar começou a carreira como deputado federal em 1971. Desde então, só deixou de estar no legislativo federal de 1983 a 1987.

 

Adital

12 de agosto: movimentos sociais saem às ruas por uma Constituinte exclusiva e soberana

campanha_constituinteNesta terça-feira, 12 de agosto, a Campanha Nacional pelo Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político realiza o Dia Nacional de lutas pela ‪Constituinte. Os mais de 800 comitês, espalhados por todos os estados brasileiros, se reunirão em manifestações locais para levarem às ruas sua luta. Os comitês da Grande São Paulo e Capital, por exemplo, se reunirão, a partir das 16h30, em um ato único na Praça Ramos, Centro da capital. São esperados mais de 1 mil ativistas, de comitês de bairro, movimentos populares, de juventude, religiosos, partidos políticos, estudantes e simpatizantes.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

No dia 12 de agosto, também é comemorado o Dia da Juventude. Passado mais de um ano desde as Jornadas de Junho, a Campanha convocará a população para, novamente, se mobilizar. As ações visam à divulgação e esclarecimento sobre o Plebiscito Popular, que será realizado de 1º a 07 de setembro, perguntando aos brasileiros (as): Você é a favor de uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político?

O objetivo da Constituinte é propor uma verdadeira reforma política e, assim, promover a democratização das estruturas de poder.

No Recife, Estado de Pernambuco, instituições envolvidas no processo se concentrarão a partir das 15h, na frente da Câmara Municipal, e de lá seguirão em caminhada levando faixas e distribuindo panfletos. A previsão é de que a passeata termine com uma exibição de filmes.

De acordo com Eduardo Mara, da Consulta Popular, a questão do sistema político brasileiro é antiga. Embora o movimento pela Constituinte de 1988 tenha alcançado conquistas importantes, os mesmos parlamentares que ocupavam o Congresso pela manhã, se reuniam à tarde para formular a Constituição, reduzindo em muito as propostas da população. É por isso que o mote da campanha atual é de uma Constituinte exclusiva e soberana. “Exclusiva porque vai se reunir somente para discutir a reforma do sistema político, e soberana porque o que ela decidir vai valer”, afirma ele.

Para Mara, essa luta surge num contexto de retomada da atuação dos movimentos populares, que vem se intensificando desde junho de 2013. Em sua avaliação, é importante levar a mobilização às ruas porque esse é o espaço para debater se os brasileiros e brasileiras querem ou não mudar o sistema político.

Em novembro de 2013, quando teve início a campanha pela Constituinte Soberana e Exclusiva do Sistema Político, cerca de 70 organizações em nível nacional manifestaram apoio à iniciativa. Hoje, já são mais de 200. Em Pernambuco, cerca de 60 entidades estão engajadas nos debates e desenvolvendo ações, mas ainda, segundo Mara, a adesão cresceu bastante nos últimos meses.

 

Adital