Arquivo da tag: motivo

Multas sobre principal motivo de mortes nas estradas sobem até 900%

As punições para motoristas que fazem ultrapassagens perigosas e rachas passam a ser mais severas neste sábado (1º) em todo o Brasil. Em alguns casos, as multas ficaram 900% mais pesadas e se equiparam com a de dirigir embriagado, chegando a R$ 1.915 – o valor mais alto para uma infração de trânsito no país (veja a tabela abaixo).

Multas mais pesadas 2 (Foto: Arte/G1)

É o caso, por exemplo, de ultrapassagens forçadas quando outro veículo vem em sentido oposto da via (artigo 191 do Código de Trânsito Brasileiro), que passam de R$ 191,54 para o valor máximo, além de suspensão da carteira de habilitação (CNH). Ultrapassagens ilegais ou perigosas são responsáveis pelo tipo de acidente que mais mata nas estradas federais: as colisões frontais.

De janeiro a setembro de 2014, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 5.042 acidentes deste tipo. Isso equivale a 3,99% do total de acidentes no período, mas esse é o tipo mais letal.

Segundo levantamento da polícia, as colisões frontais deixaram 2.067 vítimas fatais nos 9 primeiros meses do ano, ou 33,5% do total de mortes nas estradas. O número de mortos em batidas de frente no período subiu 5,5% em relação ao ano passado.

Colisões traseiras lideram em número de acidentes entre janeiro e setembro (37 mil), mas o as mortes causadas por elas equivalem a um quarto do número dos que morreram por causa de colisões frontais.

A segunda principal causa de mortes nas estradas é o atropelamento, que vitimou 940 pessoas até setembro.

De acordo com a PRF, as punições mais severas para determinados tipos de infração fazem parte de um pacote para reduzir as mortes no trânsito em 50% até 2020.

No total, são 11 artigos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) alterados, entre eles ultrapassar em faixa contínua (artigo 203) ou pelo acostamento (artigo 202). Neste último caso, a infração foi de grave para gravíssima – as demais já eram consideradas de maior gravidade.

Além disso, se o motorista repetir a infração em menos de 12 meses, o valor da multa dobra na segunda autuação, para até R$ 3.830,80. A mudança na legislação foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff em maio deste ano, com validade após 6 meses.

Rachas
Ações de direção agressiva, como disputar corrida (artigo 173), promover competição ou participar de exibições de manobras (artigo 174), manobra perigosa, mediante arrancada brusca, derrapagem ou frenagem (artigo 175), agora são consideradas todas tão graves quanto dirigir alcoolizado, com multa de R$ 1.915.

Se for pego nestes casos, o motorista poderá ficar mais tempo na prisão, de acordo com a nova lei. A pena para participar de “racha” agora varia de 6 meses a 3 anos de reclusão – antes o limite era de 2 anos. Caso alguém fique ferido, o período passa para 3 a 6 anos. Já em caso de morte, a legislação prevê agora de 5 a 10 anos na cadeia.

Expectativa
A Polícia Rodoviária Federal espera que as multas mais pesadas reduzam o número de acidentes com vítimas fatais em pelo menos 5% nos próximos meses, com queda mais acentuada ao longo do tempo devido à fiscalização.

“A legislação era muito branda. O motorista praticamente cometia um homicídio e a multa era de R$ 127. Temos a consciência de que a maioria dos cidadãos dirige de forma correta. Nosso objetivo é tirar de circulação estes poucos condutores que trazem risco muito grande à população”, explicou, Stênio Pires, inspetor da PRF.

A entrada em vigor dos novos valores ocorre perto do momento em que a PRF intensifica o controle nas estradas, entre dezembro e fevereiro, quando grande parte da população tira pelo menos alguns dias de férias.

Para o consultor internacional em segurança de trânsito Philip Gold, a fiscalização tem o mesmo peso que o aumento das multas para a mente do condutor. “Diversos estudos apontam que o risco de pagar mais e a chance maior de ser multado têm o mesmo efeito”, afirmou.

Já Eduardo Biavati, sociólogo e especialista em educação e segurança no trânsito, aponta para uma solução tecnológica. “A mudança é importante, mas resolve? Não, porque teria de ser acompanhada por um plano de monitoramento com câmeras, para os motoristas saírem nas férias com medo de serem autuados. Não adianta os meios de comunicação falarem agora, as pessoas vão esquecer.”

Desequilíbrio
De acordo com os especialistas consultados, a correção dos valores é feita com atraso de mais de uma década, mas é importante para retomar a eficácia das punições. As multas foram fixadas em 1997 e deveriam ser corrigidas pela Ufir (Unidade fiscal de referência), que foi extinta em 2000. Desde então ficaram congeladas, com exceção das mudanças na chamada Lei Seca em 2008.

“Após um período inicial com efeito muito importante de redução da mortalidade, de lá para cá a coisa veio perdendo força. Agora, esse pequeno pacote foca em uma das frentes do problemas, a alta gravidade dos acidentes nas rodovias”, afirma Biavati.

As mudanças pontuais criam um desequilíbrio dentro do Código Brasileiro de Trânsito com relação às multas, dizem eles. A sanção para quem fala ou utiliza telefone celular dirigindo continua de R$ 85 e 4 pontos na carteira, enquanto quem não usar o cinto de segurança é penalizado com R$ 127 e 5 pontos na carteira. “Algumas pessoas ‘colecionam’ essas multas de R$ 80 ou R$ 100. Não dá em nada”, comentou Biavati.

No Reino Unido, por exemplo, a multa para usar o telefone enquanto dirige é de 1 mil libras, ou seja, cerca de R$ 3,9 mil (na cotação de sexta-feira) – mais do que a multa máxima no Brasil. Por lá, a sanção para dirigir embriagado é de 5 mil libras (R$ 19,5 mil) e não há limite para multa em caso de morte.

“Para o motorista médio, um possível problema financeiro causado por multa gera uma mudança no comportamento. No entanto, há um limite. Valores muito altos já não fazem diferença, mas ainda não chegamos nem perto deste valor excessivo. Por enquanto, quanto maior a multa, melhor”, afirmou Gold.

 

G1

Ex-deputado acredita na manutenção da aliança entre Cássio e Ricardo: “Não há motivo para rompimento”

ricardo e cassioO ex-deputado e ex-prefeito de Guarabira, Jáder Pimentel (PSB) ainda acredita na manutenção da aliança do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e o governador Ricardo Coutinho (PSB) para as eleições 2014.
“A aliança que elegeu Ricardo e Cássio, eu tenho impressão, vai permanecer. E por que isso? Porque eu não vejo motivo nenhum para rompimento”, declarou neste final de semana o atual procurador jurídico da cidade de Guarabira em entrevista a imprensa do Brejo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com Pimentel, mesmo que venha acontecer uma racha entre Ricardo e Cássio, ele já adiantou que segue com o grupo do governador. “Eu sou do PSB, partido de Ricardo e da deputada estadual Léa Toscano”, defendeu.

O líder guarabirense destacou o governador fez muitas ações na região metropolitana de Guarabira e esse é o motivo pelo qual não deixará o socialista.

“Em Guarabira, no governo de Ricardo, todos percebem que a saúde, a segurança e a educação nunca estiveram tão bem como agora”, afirmou.

MaisPB

com Portal25horas

Violência: um bom motivo para migrar

 

artigoniceFaz um bom tempo que ouço relatos de pessoas que precisam deixar as suas casas, as suas terras, vender tudo, abandonar a Zona Rural e ir embora, de ‘mala e cuia’ como se diz popularmente, para a Zona Urbana de seus municípios. Na verdade esse ato de migrar do sítio para a cidade não é novo, mas agora tem acontecido por um motivo ‘especial’: a violência.

 

Quantas notícias, meu caro leitor, você já não leu, viu e ouviu relatando que pessoas – em sua maioria idosas – foram surpreendidas em suas casas, em seus sítios, por bandidos que invadem o lar de cidadãos honestos, desarmados e indefesos e cometem as maiores e piores atrocidades.

 

Já ouvi relatos inúmeros de senhores e senhoras, jovens, adultos, idosos, crianças, que foram espancados, que viram seu dinheiro ser levado e outros que até perderam a vida nas mãos de criminosos.

 

Eu mesmo tenho um exemplo na minha família. Um tio avô – tio Cícero (Ciço para os mais íntimos) – que depois de uma vida inteira morando na mesma casa, na mesma terra, teve que abandonar tudo para não cair novamente nas mãos de bandidos. Sim, novamente, porque já aconteceu uma vez. Ele já se deparou com criminosos que vivem livres aterrorizando a zona rural dos municípios paraibanos.

 

Segundo ele, “se a gente deixar um toco de pau aqui minha filha, eles vêm e levam tudo. Até os fios da ligação de energia eles levaram”. Esse relato, quando ouvido pessoalmente, é bem emocionante porque conseguimos ver nos olhos dele, a tristeza que está guardando em seu peito por não poder mais viver na casa onde nasceu e viveu.

 

Nenhum levantamento foi feito ainda na Paraíba sobre os principais motivos que têm levado os habitantes da Zona Rural seguirem para a Urbana nos últimos anos. Mas, se fizermos um comparativo podemos, pelo menos, perceber que a violência deve sim já ser enquadrada no principal motivo.

 

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no ano de 2001, a Paraíba possuía 882 mil habitantes morando na Zona Rural, ou seja, 25,08% da população total era moradora dessa área.

 

Dez anos depois, em 2011, o IBGE já registrou um número bem diferente. Nesse ano foi verificado que 715 mil pessoas moravam na Zona Rural (18,64% do total). Uma redução de 167 mil.

 

Claro, esses números não provam nada já que a migração da Zona Rural para a Urbana pode ter acontecido por vários fatores. Entretanto, se pegarmos os números do Mapa da Violência-2012 podemos ver o quanto a violência cresceu no Interior do Estado.

 

A taxa de homicídios no Interior, por exemplo, passou de 7,5 em 2000 para 24,1 em 2010, significa um crescimento de 133,8%, de acordo com o mapa.

 

Por esses dados podemos ter a noção de que a violência nas pequenas cidades está, infelizmente, seguindo os passos das grandes cidades e fazendo reféns inúmeros inocentes que recorrem a migração para fugir daqueles que deveriam estar aprisionados, mas que ao contrário, estão aprisionando homens e mulheres de bem.

 

 

 

 

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

Derrame é cada vez mais comum em jovens; neurologista explica o motivo

Para muita gente, derrame é algo que só acontece em pessoas mais velhas. Mas estudos mostram que o AVC (Acidente Vascular Cerebral) é cada mais frequente em indivíduos com menos de 40 anos. Para falar sobre o assunto, Jairo Bouer entrevistou o neurologista Eli Evaristo, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) no @saúde desta semana.

De acordo com o Datasus, o banco de dados do Ministério da Saúde, entre 1998 e 2007, houve um crescimento de 64% nas internações por AVC (Acidente Vascular Cerebral, popularmente chamado de derrame) entre homens de 15 a 34 anos, e de 41% entre mulheres na mesma faixa etária.

Para o neurologista, a primeira causa para o aumento é a melhora no diagnóstico. Mas colabora também o fato de que doenças como a hipertensão – um fator de risco importante para o AVC – tem acometido cada vez mais jovens. Alterações de hábito alimentar (consumo maior de sal), o sedentarismo e aumento da obesidade em jovens são alguns motivos para isso. Tabagismo, diabetes, doenças cardíacas e uso de drogas também são fatores que podem aumentar o risco de derrame.

A dentista Paula Luz sofreu um AVC aos 27 anos, oito meses antes de se casar. Ela estava prestando uma prova para entrar para a Marinha e, ao sair da piscina, sentiu uma forte dor em um lado da cabeça e tremores. O processo de reabilitação envolvia três sessões diárias de fisioterapia. Ela teve que reaprender a andar e hoje, após uma longa reabilitação, ela recuperou todos os movimentos.

Uol

Por motivo banal vigilante é assassinado a facadas em Sousa, no Sertão paraibano

Um crime de morte foi registrado no Sertão paraibano na manhã dessa sexta-feira (19) por volta das 9hs30 no Núcleo Habitacional III, em Sousa, quando foi assassinado com dois golpes de faca-peixeira, o vigilante, Ivanildo Cavalcante Dias (foto), 28 anos, residente em Curitiba/PR.

O autor do homicídio é o agricultor, João Soares de Sousa, 45 anos, que também ficou ferido com um golpe de faca-peixeira no abdômen e pancadas pela região da face.

O vigilante Ivanildo Cavalcante Dias foi socorrido para o Hospital Santa Terezinha, apresentando duas perfurações de objeto cortante no tórax, que atingiu o fígado, pulmões e coração. Por não resistir, o jovem veio a falecer momento depois.

Já o autor do crime, João Soares de Sousa, 45 anos foi levado para o HRS, atendido, ele passa bem.

O BOPE, Choque, e guarnições da Polícia Militar estão para o Hospital Regional para concluir o procedimento em desfavor do acusado.

Informações iniciais dão conta, que o assassinato aconteceu, após a vítima chegar com sua família de Curitiba onde morava, e tomou conhecimento que o acusado tinha passado uma cerca por dentro de seu lote situado no Núcleo Habitacional III.

Acusado

Nesta manhã, o vigilante foi derrubar a referida cerca e, possivelmente teria havido um conflito entre acusado e vítima, o que resultou no homicídio.

ARREPENDIDO

O acusado declarou que está arrependido. A Polícia Militar conduziu o mesmo até a Delegacia de Polícia para prestar os devidos esclarecimentos ao Delegado plantonista, ficando à disposição da Justiça.

Da redação

Fotos: Pereira Jr.

Com Folha do Sertão

‘Ficha Limpa’ afasta Luceninha da disputa pela Prefeitura de Cabedelo; condenação no Tribunal Eleitoral foi motivo

O MaisPB teve acesso em primeira mão a uma informação que pode mudar completamente o quadro eleitoral em Cabedelo, uma das maiores cidades do Estado da Paraíba.

O juiz João Machado Júnior, da 54ª zona eleitoral, indeferiu n a tarde desta segunda-feira o pedido de registro do candidato a prefeito pelo PMDB, Luceninha. A informação foi confirmada pelo advogado do PSB, Rafael Tavares.

Segundo Tavares, Luceninha foi enquadrado na Lei Ficha Limpa, já que pesa sobre ele uma condenação do Tribunal Regional Eleitoral por ‘abuso de poder político’. À época, o peemdebista foi julgado culpado da acusação de usar carro da Câmara de Vereadores para transportar eleitores durante pleito eleitoral de 2008, quando, ainda vereador, disputava a prefeitura da cidade portuária.

Apesar da baixa judicial, Luceninha ainda pode recorrer às instâncias superiores. Caso não consiga êxito, deixa espaço aberto para seus adversários, que aparecem em grande desvantagem, segundo pesquisas recentes.

MaisPB

Atrás das grades: Tráfico de drogas é motivo de 24% das prisões do país

Um em cada quatro presidiários do Brasil está detido por tráfico de drogas. O índice é o maior desde o ano de 2005, quando os dados do Depen (Departamento Penitenciário Nacional) começaram a ser disponibilizados.

As informações são da reportagem de Afonso Benites publicada na edição deste sábadoda Folha. A reportagem completa está disponível a assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha.

Entre os fatores que explicam esse aumento estão a instituição da Lei de Drogas no ano de 2006, o rigor do Judiciário e da polícia na combate ao tráfico e o elevado número de presos provisórios que não podiam responder aos processos em liberdade.

De acordo com números do Depen, enquanto a população carcerária como um todo aumentou 1,7 vez (de 294 mil para 514 mil) entre os anos de 2005 e 2011, a quantidade de presos por tráfico cresceu quase quatro vezes (de 32 mil para 125 mil).

Para o presidente da Academia Paulista de Direito Criminal, Romualdo Calvo Filho, o aumento de traficantes presos ocorreu porque se ganha mais dinheiro traficando drogas do que roubando, além de o criminoso correr menos riscos do que em um roubo.

Editoria de Arte/Folhapress

Uol

Vigilante é torturado e morto em escola da zona rural de CG; motivo seria dívida de drogas

A Polícia Militar informou a morte do vigilante Severino Gomes Barbosa, 47 anos, na madrugada desta quarta-feira (18).

O crime aconteceu dentro de uma sala de aula na Escola Luiz Gil, localizada no Sítio Capim Grande, no Distrito de São José da Mata, em Campina Grande, Agreste da Paraíba.

Segundo informações, a vítima foi esfaqueada, teve os pés e as mãos amarrados com uma corda, a cabeça enfaixada com uma fita adesiva e ainda o corpo parcialmente queimado com combustível de sua própria motocicleta.

Os bandidos ainda deixaram um recado no quadro, onde se lia “Não pagou as contas das drogas, morreu”.

A Polícia trabalha com a hipótese de acertos de conta, mas ainda não há suspeitos.

Paraíba.com.br

Entenda o significado da Semana Santa; chocolate e coelho não são motivo do feriado

A Semana Santa é uma semana muito especial e sagrada para os católicos e que celebra a subida de Jesus ao Monte das Oliveiras, a sua crucificação e a sua ressurreição. Para a Igreja Católica, inicia-se depois do Domingo de Ramos. Para que todos tenham uma vida abençoada, é bom orar ou rezar, coisas que ao mesmo tempo, abençoam.

Cada dia desta semana possui um significado especial porque representa as etapas finais de Jesus Cristo até a sua ressurreição. Na sexta-feira santa principalmente a carne é evitada embora muitas pessoas evitam a semana santa toda comendo peixe.

É um sacrifício em respeito ao sofrimento de Jesus e ao seu sangue que foi derramado. Para finalizar, se você realmente está se programando para a sua Ceia completa de Natal, anime-se já, colocando em prática, não só os seus dotes para preparar aquela bela receita típica da época, mas sim, buscando ter fé, e enfim, se preparar também, para fazer os enfeites Natalinos e decorativos.

O significado

Quinta-Feira Santa:
Esse é o dia em que é relembrada a última ceia de Jesus com seus discípulos, momento em que foi instituída a eucaristia. É também o dia conhecido como lava-pés, em que Cristo lavou os pés de cada um de seus seguidores.

Sexta-Feira Santa:

À tarde apresenta o drama da morte de Jesus Cristo no Calvário, sua morte e crucificação. Nesse dia não se celebra a missa em todo o mundo e o altar é iluminado sem cruz, sem velas e nem adornos. As pessoas costumam, em sinal de respeito, não comer carne.

Sábado Santo:

A igreja está em silêncio e meditação. Uma forma de acompanhar a morte de Jesus e esperar sua ressurreição. À noite acontece a vigília pascal, ou seja, os cristãos passam a noite rezando, esperando o grande dia: a Páscoa.

Domingo de Páscoa:

Mais conhecido como o dia de Páscoa, é o ápice do ano litúrgico. A igreja se reúne para comemorar a ressurreição de Jesus Cristo, sua vitória sobre a morte.

A sua ressurreição simboliza o início de uma vida nova, iluminada. Por isso dizemos que a Páscoa é renascimento! Que seu renascimento seja de esperanças, amor e paz!

Folha do Sertão