Arquivo da tag: morte

Bahia registra primeira morte de paciente com covid-19

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) registrou a primeira morte pelo novo coronavírus (Covid-19) no estado. A informação foi divulgada na manhã deste domingo (29).

O paciente era um homem de 74 anos, que estava internado em um hospital privado de Salvador. Ele estava entubado e em diálise continua. A Sesab não divulgou mais detalhes sobre o paciente e nem quando ocorreu a morte.

O idoso estava internado no Hospital da Bahia, segundo confirmou a assessoria de comunicação do hospital.

Até a noite de sábado (28), a Sesab havia confirmado mais quatro novos casos de contaminação pelo novo coronavírus no estado. Com isso, o total de casos confirmados no estado totaliza 127.

Boletim

Os novos casos divulgados no último boletim são em Itagibá (1) e Salvador (3). Não há detalhes sobre os perfis dos pacientes, como gênero, idade e forma de contaminação. De acordo com a secretaria, 1.380 suspeitas foram descartadas. O órgão também divulgou que 2.702 casos estão em investigação.

A Secretaria de Saúde informou também que, do total de infectados, 17 pessoas já estão curadas e outras 14 hospitalizadas. O restante dos infectados está em isolamento domiciliar.

Segundo informações do órgão, 58,3% dos casos confirmados são mulheres e 41,7% são homens. A faixa de idade em que mais foram registrados casos foi entre 30 e 39 anos, representando 25,58% do total.

Porém, o coeficiente de incidência por 100.000 habitantes foi maior na faixa de 70 a 79 anos, seguida da faixa de 80 e mais, indicando o maior risco de adoecer entre os idosos.

Os municípios com casos positivos são: Alagoinhas (01); Barreiras (01); Brumado (01); Camaçari (01); Canarana (01); Conceição do Jacuípe (01); Conde (01); Feira de Santana (09); Ilhéus (02); Ipiaú (01); Itabuna (02); Itagibá (01); Jequié (01); Juazeiro (02); Lauro de Freitas (07); Porto Seguro (10); Prado (03); Salvador (81 casos, sendo 60 residentes na capital, 1 residente em Mossoró RN, 1 São Paulo e 1 Miami); São Domingos (01); Teixeira de Freitas (01); e 4 em investigação epidemiológica.

Os números representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA) em conjunto com os Cievs municipais.

A Sesab ressalta que os números são dinâmicos e, na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação.

O diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode cursar com grau leve, moderado ou grave. A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades primárias de atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital.

Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

 

G1

 

 

‘Quem retomou rotina antes da hora, condenou pessoas à morte’, afirma Cartaxo

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), neste sábado (28), divulgou em suas redes sociais uma nota sobre as carreatas realizadas na cidade pedindo o fim do isolamento social decretado por ele com o intuito de minimizar o contágio do novo coronavírus, causador da Covid-19.

“Todos queremos retomar a rotina, mas no tempo certo. Quem se precipitou, nesta decisão, condenou pessoas à morte. E o arrependimento não repara o grave erro”, declarou.

A Paraíba registrou até o momento catorze pessoas infectadas, sendo dez na capital, além de uma em Igaracy, uma em Sousa e duas em Campina Grande.

Leia texto na íntegra:

O momento atual não é apenas de crise, muito menos de disputas políticas, mas de luta pelo maior bem que existe: a vida. João Pessoa cumpre o protocolo internacional de prevenção à Covid-19, recomendado pela OMS. Em outros países, não seguir as orientações teve um custo pago com milhares de vidas humanas.

É inadmissível repetir este erro. Não se trata de opinião. A base está na ciência e na experiência. Ir às ruas para se manifestar contra o isolamento social expõe quem sai, quem precisou sair por alguma razão séria e até quem ficou em casa. Hoje precisamos, mais do que nunca, de gestos solidários, humanitários, de respeito ao outro, não de atitudes irresponsáveis que semeiam a discórdia e a desordem.

Eu agradeço à imensa maioria da nossa população, que entendeu a mensagem e fechou as portas ao vírus. Vamos continuar sendo agentes de proteção, não da transmissão de uma doença que não para de matar. Quem resolve sair de casa, sem levar a sério uma ameaça à saúde pública, desrespeita não só a lei, como também a própria vida e a vida do outro.

Todos queremos retomar a rotina, mas no tempo certo. Quem se precipitou, nesta decisão, condenou pessoas à morte. E o arrependimento não repara o grave erro. Trabalhar para recuperar a economia, já atingida, será uma missão no mundo todo. Voltar à vida normal, sim, como deve ser. Quando for a hora. Porque vida perdida não volta. Serenidade, paz e respeito, sempre. O bom senso e a humanidade vão vencer. Sigamos na luta! Que Deus nos abençoe!

paraiba.com.br

 

 

Criança tem morte investigada por suspeita de covid-19, na PB

Nesta quinta-feira (25), a morte de uma criança de dez anos, no Hospital e Maternidade Caçula Leite de Conceição, interior da Paraíba está sendo investigada como suspeita de coronavírus, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

A criança deu entrada na unidade de saúde com uma desidratação extrema e poucas horas depois de chegar ao hospital, seu quadro clínico evoluiu para uma parada cardiorrespiratória.

Uma amostra de material da criança foi encaminhada ao Lacen-PB, em João Pessoa, que irá confirmar, ou não, o coronavírus.

PB Agora

 

É falso áudio de suposta médica dizendo que morte na Paraíba foi causada por H1N1

É falso o áudio que anda circulando nas redes sociais com uma suposta médica afirmando que a morte de uma funcionária da Maternidade Frei Damião, em João Pessoa, foi causado por H1N1. A morte dela também foi descartada para Coronavírus.

A secretaria de saúde do Estado (SES), conforme publicação do site Paraíba.com, afirmou que o áudio gravado por uma suposta médica afirmando que o exame da funcionária testou positivo para H1N1 é falso.

“Esta informação é inverídica, uma vez que foi testado no LACEN-PB para COVID-19, ainda aguardando o resultado para outros vírus respiratórios. A investigação de um óbito pela vigilância epidemiológica dura até 60 dias”, diz a nota da secretaria.

 

fonte83

 

 

Saúde faz desinfecção de hospital após morte suspeita de coronavírus

Após a morte de uma funcionária, a Maternidade Frei Damião, localizada em João Pessoa, passará por um processo de desinfecção. A informação foi repassada pela assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Saúde (SES) na tarde desta terça-feira (24). A desinfecção será realizada na parte interna do prédio e também nas áreas de apoio.

Confira a nota:

“A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que já está em curso um processo de desinfecção da Maternidade Frei Damião, na parte interna do prédio e nas áreas de cuidado e de apoio da unidade. Além disso, está organizando uma equipe de resposta rápida de psicólogos e psiquiatras para cuidado e manejo ao estresse pós traumático que funciona como suporte a todos os profissionais que trabalhavam com a vítima do trágico evento.

Nas próximas 24h, durante todo o processo de desinfecção, a Frei Damião receberá o apoio de outras maternidades da Rede, que irão trabalhar como retaguarda da unidade para que os atendimentos de emergência encaminhados pelo SAMU e algumas demandas espontâneas possam ser encaminhadas prioritariamente para esses hospitais”, diz a nota.

 

(Foto: Divulgação/Secom-PB)

portalcorreio

 

 

Paraíba tem quinto caso de morte de paciente com suspeita de coronavírus, afirma secretaria

Mais uma pessoa morreu na Paraíba com suspeita de infecção pelo novo coronavírus, elevando para cinco o número de mortes por suspeita de Covid-19, como é chamada a doença causada pelo coronavírus. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), a vítima foi uma mulher que era assessora administrativa da Maternidade Frei Damião. A morte foi nesta terça-feira (24).

Quézia Leite Batista estava internada em um hospital privado em João Pessoa, com notificação de suspeita para Covid-19. O material para exame do coronavírus já havia sido coletado e vai ser analisado no Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen-PB).

De acordo com a SES, a previsão é de que o resultado do exame seja conhecido na terça-feira (24). A Secretaria de Estado da Saúde emitiu uma nota em que “se solidariza com a família e amigos pelo falecimento de Quézia Leite Batista”.

Com a morte da servidora pública, a Paraíba chegou a quatro mortes de pacientes com suspeita de infecção pelo novo coronavírus. Os dois últimos casos foram registados no domingo (22): um homem de 67 anos que estava internado no Hospital Regional de Monteiro, e uma mulher de 29 anos, farmacêutica, que morreu em um hospital particular de João Pessoa.

Os outros dois casos, o primeiro e o segundo, respectivamente foram uma mulher de 39 anos que apresentava mais de uma doença em um hospital particular de João Pessoa, e de uma mulher de 40 anos, que estava internada no Hospital Regional de Patos, que sofria de doença crônica renal.

Até a tarde de segunda-feira (23), a Paraíba tinha 25 pessoas internadas em hospitais com suspeita de Covid-19, como é chamada a doença causada pelo novo coronavírus, sendo 11 delas internadas em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

G1

 

Segunda morte por coronavírus no Brasil ainda é caso em análise

O Brasil registrou nesta terça-feira (17) a segunda morte pelo novo coronavírus. A vítima é uma mulher de 76 anos de idade, segundo revelou a Rádio Bandeirantes.

[ Atualização 13h31: De acordo com a UOL, o caso está em análise e ainda não foi confirmado. ]

Ainda não há informações sobre a forma de contágio, mas, de acordo com a reportagem, o hospital particular não notificou a Secretaria de Saúde do estado.

Um homem de 62 anos, morador de São Paulo, também teve a morte confirmada nesta terça. Segundo informações da TV Globo, a vítima tinha diabetes, hipertensão e um problema na próstata. O homem estava hospitalizado, mas o seu quadro de saúde se agravou por causa do coronavírus.

O estado de São Paulo concentra o maior número de casos confirmados da doença: 152. Em todo país, segundo o Ministério da Saúde, são 234 casos confirmados.

Segundo informações da Secretaria Estadual da Saúde de SP, são 1.777 casos suspeitos de coronavírus no estado. O Governo de São Paulo avalia que o surto de coronavírus deve durar “de quatro a cinco meses”.

 

clickpb

 

 

Morte na Argentina é a primeira na América Latina por coronavírus

A Argentina confirmou neste sábado (7) a primeira morte no país por Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. A vítima também é a primeira da América Latina.

O paciente que morreu era um homem de 64 anos que esteve na França. Segundo o diário “El Clarín”, a vítima regressou para a Argentina em 25 de fevereiro e tinha doenças preexistentes que agravaram o quadro.

Na sexta-feira (6), o governo argentino confirmou seis novos casos da doença. Ao todo, o país registrava oito pessoas infectadas.

Neste sábado, um balanço realizado pela AFP, com base em dados oficiais, apontou que o número global de notificações de infecção pelo coronavírus é de 104.901 casos, com 3.556 óbitos, em 95 países e territórios.

 

G1

 

 

Sheherazade diz sofrer ameaças de morte após críticas a Bolsonaro

A âncora do principal telejornal do SBT, o SBT Brasil, Rachel Sheherazade afirmou por meio do Twitter na madrugada desta quinta-feira (27) que vem sofrendo ameaças de morte e contra a família dela desde que “ousou” criticar o então candidato à Presidência Jair Bolsonaro em 2018.

E seu perfil oficial na rede, Rachel se solidarizou com as colegas de profissão Vera Magalhães, Míriam Leitão, Eliane Cantanhêde e Patricia Campos Mello que, para a âncora do SBT, têm sido alvos de ataques da mesma natureza “vil, covarde, decrépita e misógina”.

Rachel também ressaltou, em uma sequência de posts, que todos os ataques “partem do mesmo escritório virtual do crime, já denunciado na CPI das Fake News”. Para a jornalista do SBT, tais denúncias foram ignoradas pelo Procurador-Geral da República, Augusto Aras, e pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

“A violência que minhas colegas sofrem eu sofri e tenho sofrido também. Campanhas difamatórias, ataques em massa, ameaças de morte, ameaças contra meus filhos têm sido uma rotina desde que ousei criticar o então candidato Jair Bolsonaro, ainda no episódio da greve dos caminhoneiros em 2018”, afirmou Rachel.

A jornalista ressaltou que não há como afirmar que o comando dos ataques a jornalistas seja do presidente, mas disse que “não há como negar que ele tira proveito do ódio que semeia”.

De acordo com Rachel, esse ódio põe em “cheque a própria liberdade de imprensa”. “Na luta insana contra a democracia, o primeiro ataque é contra a verdade. A última vítima do autoritarismo é a liberdade”, concluiu a jornalista.

Isto É

 

 

Morte de miliciano gera troca de farpas entre Bolsonaro e Rui Costa

A operação policial que matou o miliciano Adriano da Nóbrega, na semana passada, no município baiano de Esplanada, provocou uma troca de farpas entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador da Bahia, Rui Costa (PT).
À tarde, Bolsonaro afirmou a jornalistas que o ex-capitão do Bope do Rio de Janeiro foi morto pela polícia do PT. “Quem foi responsável pela morte do capitão Adriano foi a PM da Bahia, do PT. Precisa dizer mais alguma coisa?”, disse o presidente, após inaugurar nova alça de acesso entre a Linha Vermelha e a Ponte Rio Niterói , no Rio de Janeiro.
Ele fez a declaração durante uma entrevista em que também foi perguntado sobre as ligações do miliciano, que estava foragido da justiça, com um de seus filhos, o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ). A mãe e a mulher de Adriano foram lotadas no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, quando o político cumpria mandado de deputado estadual.
Após a fala de Bolsonaro, o governador Rui Costa disse, pelo Twitter, que “a Bahia luta contra e não vai tolerar nunca milícias nem bandidagem” e acrescentou haver “laços de amizade” entre a Presidência e o miliciano Adriano da Nóbrega.
Em resposta, o Planalto divulgou uma nota de Bolsonaro, em que o presidente disse que Costa “não só mantém fortíssimos laços de amizade com bandidos condenados em segunda instância, como também lhes presta homenagens, fato constatado pela sua visita ao presidiário Luís Inácio Lula da Silva, em Curitiba, em 27 de junho de 2019”.
Correio Braziliense