Arquivo da tag: morador

Morador de rua morre em hospital de Campina Grande após ser espancado e queimado, na PB

Um morador de rua morreu na quarta-feira (11) no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, onde estava internado desde o dia 4 de dezembro deste ano, após ser espancado e queimado vivo na cidade de Itaporanga, no Sertão paraibano. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito do crime foi preso ainda no dia do crime.

Conforme o Hospital de Trauma de Campina Grande, Fabio Pedro da Silva deu entrada na unidade de saúde no dia 4 de dezembro, com ferimentos causados por espancamentos e queimaduras. A vítima estava internada na Unidade de Tratamento Intensivo, mas não resistiu e morreu na quarta-feira (11).

G1 não conseguiu contato com o delegado responsável pelo caso, mas a Polícia Civil de Itaporanga informou que o suspeito do crime permanece preso à disposição da Justiça. O corpo de Fábio Pedro da Silva foi encaminhado ao Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) de Campina Grande.

G1

 

Morador de Guarabira revela precariedade das vias da cidade após as fortes chuvas

As recentes chuvas na Paraíba, tem feito diversos moradores de cidades denunciar as precariedades dos serviços públicos. Ontem 13, em Guarabira por exemplo, um morador denunciou a precariedade das vias da cidade após as fortes chuvas que atingiram a região o vídeo viralizou.

No vídeo, ele está no Centro da cidade e mostra as vias completamente inundadas e destaca que fios elétricos se partiram e oferecem riscos à população. Em tom de denúncia, o morador comenta sobre a obra de drenagem da região que custou, segundo ele, R$ 6 milhões aos cofres da Prefeitura de Guarabira, atualmente sob o comando do prefeito Zenóbio Toscano (PSDB).

“Muito perigoso para Guarabira, a obra de R$ 6 milhões. O fio acabou de cair. Isso é no Centro, não é em outro canto não. A obra, a drenagem, de R$ 6 milhões. Repetindo, R$ 6 milhões. Vejam como se encontra [as ruas alagadas], afirmou o morador.

Veja o vídeo:

pbagora

 

 

Jiboia de 1,5 metros é capturada por morador em frente a posto de saúde, em Guarabira

Uma jiboia de um metro e meio de comprimento foi capturada, na manhã desta sexta-feira (12), no Bairro Alto da Boa Vista, em Guarabira (PB). De acordo com o Corpo de Bombeiros, o animal foi encontrado em frente a um posto de saúde por um morador.

Em conversar com o repórter Pedro Júnior, o sargento Miranda do 3º Batalhão de Corpo de Bombeiros, disse que os moradores teriam acionado os bombeiros para atender a ocorrência.

“Quando nossos homens chegaram lá a cobra já havia sido capturada por um homem. O que fizemos foi pegá-la para que fosse devolvida ao seu habitat natural.”, explicou Miranda.

A serpente foi capturada e solta em uma área de preservação ambiental da região. Os Bombeiros orientam para que as pessoas nunca tentem capturar os animais peçonhentos por conta própria.

O recomendado é acionar os bombeiros ou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que são treinados para este tipo de captura.

Os moradores ficaram assustados com a cobra. Ninguém ficou ferido.

Fonte: Patrulhando nas Ruas

 

 

 

 

 

 

 

Morador de rua é assassinado a pedradas e pauladas no Centro de João Pessoa

morador-de-ruaUm crime bárbaro foi registrado na manhã deste domingo (20), em João Pessoa. O corpo de um morador de rua foi encontrado nas proximidades da Casa da Pólvora, no Centro e a polícia suspeita que a vítima tenha sido executada a pedradas e pauladas.

Ao lado do corpo foram deixadas algumas pedras e pedaços de madeira que teriam sido utilizados para assassinar o homem, que até o momento não foi identificado.

O corpo foi removido para o Instituto de Polícia Científica (IPC) e por enquanto, nenhum suspeito de praticar o crime foi detido.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Morador de Belém tem carro furtado durante festa em Bananeiras

casos de policiaUm morador de Belém teve sua nmoto furtada na cidade de Bananeiras, na noite desse domingo (23). A vítima procurou a guarnição da ROTAM, que estava realizando policiamento durante uma festa na praça central, para informar que ao se dirigir para o local onde havia estacionado seu veículo, um VW Gol de placas MNH-1116, ano 1998, cor cinza, de Bananeiras/PB, percebeu que o mesmo havia sido furtado.

Foram realizadas diligências pelas guarnições de serviço na área, porém
não conseguiram localizar o veículo é nem prender suspeitos.

A vítima foi orientada a comparecer à delegacia de plantão para o devido registro do fato ocorrido.

Focando a Notícia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Homem de terno agride morador de rua em SP; vídeo repercute

homem-chuta-um-morador-de-ruaUm homem de terno, acompanhado de mais dois, foi filmado agredindo um morador de rua na região central de São Paulo, na sexta-feira, 7. A gravação de apenas sete segundos, feita pelo motorista de Uber Maicon Campos, de 25 anos, na Rua Joaquim Gustavo, já soma mais de 6 mil compartilhamentos e 224 mil visualizações no Facebook.

“Eu parado no carro e, quando olho para o lado, dois caras começam a chutar um morador de rua sem ele sequer fazer nada. Quando sai do carro para falar, eles saíram andando. Inacreditável!”, publicou na rede social. Ex-morador da região, o motorista diz que se habituou com a presença de moradores de rua no centro, mas nunca havia testemunhado alguma agressão contra eles.

Depois de deixar um passageiro no quarteirão anterior, Maicon parou o carro perto de onde o mendigo dormia. Logo depois, três homens se aproximaram do morador de rua e começaram a mexer com ele, que não acordou. “Quando o homem de camisa azul chutou o mendigo, peguei meu celular e comecei a gravar. Mas consegui pegar só a agressão do que estava de terno”, conta Campos. “Nada justificou a agressão. O morador de rua estava dormindo.”

Indignado, Maicon então desceu do carro e seguiu o trio. Na rua seguinte, eles estavam conversando com policial militar. “Falei para o agente o que os homens tinham acabado de chutar o mendigo, mas o policial me informou que não poderia fazer nada porque não havia flagrado o ato.” Maicon se dirigiu a uma base comunitária da PM próxima ao local, e ouviu a mesma resposta. O motorista ainda afirma que um dos homens anotou a placa do seu carro, mas não sofreu ameaças sobre a repercussão do vídeo.

Repercussão

O vídeo de Maicon ganhou maior repercussão quando Gerson Carneiro o compartilhou, alcançando 4,4 milhões de visualizações e outros 99 mil compartilhamentos. Este último escreveu que a cena “poderia ser na Alemanha nazista”. Mais tarde, a página oficial do ator Cauã Reymond também replicou a gravação.

O alcance do vídeo surpreendeu o motorista, que espera encontrar o agressor. Nos comentários, outros usuários estimulam a campanha pela identificação do homem, com a foto do rosto do homem em uma imagem congelada do vídeo.

Fonte: Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Desemprego: em quase 20% dos lares do país, nenhum morador tem emprego

carteira-de-trabalhoEm apenas um semestre, a taxa de desemprego nas grandes metrópoles voltou aos níveis de 2010, e analistas já preveem que ela ultrapasse os 10% no próximo ano. A piora rápida do mercado de trabalho fica mais evidente quando se observa o aumento da parcela de lares onde ninguém trabalha. Em 2012, ela correspondia a 17,4%. O número subiu para 18,6% em 2014 e já chega a 19,3% no primeiro semestre. De um ano para outro, o número de domicílios nos quais ninguém trabalha aumentou em 770 mil. No país, já são 13,1 milhões de casas em que não há renda do trabalho.

O cruzamento de dados foi feito pelo pesquisador do Instituto de Estudos de Trabalho e Sociedade (Iets) e diretor de Oportunidades, Pesquisa e Estudos Sociais (OPE Sociais), Samuel Franco, a partir da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua. O levantamento mostrou que, no Rio, essa situação é realidade em 23,5% das casas ou em 1,44 milhão de famílias. É a terceira maior parcela entre os estados, só perdendo para Alagoas (28%) e Pernambuco (24,5%). Nesse conjunto, há desempregados, aposentados, pessoas que vivem de renda e de transferências do governo. A piora no Rio foi mais intensa do que no resto do país. Aqui, a alta do indicador foi de 9,73%, no Brasil, de 6,73% em um ano.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

— O mercado de trabalho piora a cada mês, e esse aumento na proporção de domicílios sem ocupados está acontecendo mais nos lares onde o chefe tem baixa escolaridade, tanto no Rio quanto no Brasil. Poderia estar até pior no Rio se não fossem as obras para as Olimpíadas – afirmou Franco.

NO CAMINHO DO EMPOBRECIMENTO

Esse pode ser considerado um dos sinais do empobrecimento da população previsto pelos especialistas num cenário de recessão — estimada em 3% neste ano e em 1% no próximo — e da inflação, que pode chegar a 10% este ano.

— É praticamente certo que haverá empobrecimento de grande parte da população. Mas sem perder todos os ganhos de uma década. As informações são que houve aumento substancial do desemprego. Além da perda de renda dos desempregados, isso quebra o poder de barganha do trabalhador. Certamente está ocorrendo aumento da pobreza – disse Rodolfo Hoffmann, pesquisador da Esalq USP, especialista em pobreza e desigualdade.

A servente Sonia Maria de Sousa Barbosa, de 55 anos, já sente os efeitos desse cenário. Ela perdeu o emprego depois que a empresa terceirizada na qual trabalhava não conseguiu renovar o contrato com uma universidade. O salário mínimo era a única renda da casa onde Sonia e o neto, de 13 anos, moram. Na última sexta-feira, ela estava na fila para dar entrada no seguro-desemprego, mas faltavam documentos. Sem eles, não conseguiu obter renda para sustentar a família até encontrar outra vaga:

— Conto com a ajuda da minha irmã, que me dá uma cesta básica. Mas ela tem seis filhos para criar. Estou procurando uma faxina, roupa para passar. A mãe do meu neto não me passa a guarda do menino, e não posso pedir o Bolsa Família.

Ao perder o emprego, Sonia engrossou a estatística de domicílios sem ocupados no Rio. Nos lares em que o chefe da família tem ensino fundamental incompleto, como é o caso de Sonia, a proporção chega a 34,6% no estado, realidade em 707 mil lares.

Luísa Azevedo, economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV), lembra que o Rio tem a maior parcela de população com 60 anos ou mais entre os estados e isso ajuda a explicar a alta proporção de lares sem ocupados. O aumento do indicador em um ano, porém, reflete, segundo ela, a crise na Petrobras, que cortou vagas em petróleo, construção civil e indústria naval:

— Em janeiro, o Rio respondeu por metade das vagas cortadas no Brasil. De 80 mil vagas extintas, 40 mil foram no Rio. Depois disso, o Rio tem acompanhado o (ritmo de fechamento de vagas do ) Brasil, inclusive com aumento menor do desemprego.

Luísa acredita que a falta de esperança de encontrar um emprego, que os especialistas chamam de desalento, também explica o resultado, já que houve queda na taxa de participação (parcela de empregados e desempregados entre os que estão em idade de trabalhar):

— Enquanto essa taxa ficou estável no Brasil, caiu no Rio. E a piora parece estar mais concentrada nos domicílios com a escolaridade menor.

A renda de Luciana Félix da Silva caiu pela metade há dois meses. Ela perdeu o emprego de camareira, onde estava há nove meses. Mora com o marido, que é contínuo, e com a enteada, de 16 anos. Está endividada no cartão de parentes, e os planos de continuar a mobiliar a casa doada pela sogra foram abandonados. Os cortes feitos para conter os gastos públicos do governo atingiram diretamente Luciana. Ela precisava ter ficado um ano no emprego para ter direito ao seguro-desemprego. No sistema da Secretaria Estadual de Trabalho não apareceu uma vaga em que ela se encaixasse:

— Estou escolhendo que conta posso pagar.

O carpinteiro Adailson Aires dos Santos, casado e com um filho de 3 anos, espera encontrar emprego quando voltar do Maranhão. A parte da obra do estádio Engenhão onde trabalhava acabou:

— Tenho fé em Deus que quando voltar em dezembro conseguirei vaga nas obras do BRT.

Rafael Bacciotti, economista da Tendências Consultoria, avalia que a piora no mercado de trabalho afeta até a sazonalidade. Ele estima que a taxa média de desemprego de 2015 nas seis principais regiões metropolitanas fique em 7%, mas chegue a 8% em dezembro, mês em que tradicionalmente a procura por trabalho é menor:

— Em 2014, a taxa média foi de 4,8%. Voltamos aos números de 2010 em um semestre. Houve a volta das pessoas inativas ao mercado com a queda da renda, e a recessão tem se intensificado.

Quase um milhão de vagas formais foi extinta no país nos últimos 12 meses. A saída do emprego formal é um dos fatores que deixam a família com mais chance de entrar na pobreza. Dissertação de mestrado, premiada pelo BNDES, da economista Solange Ledi Gonçalves listou o que torna as famílias mais vulneráveis à pobreza.

— Formalidade é uma questão importante para garantir menor vulnerabilidade. O trabalho informal tem uma insegurança maior, a renda varia bastante, o que pode fazer a família entrar e sair da pobreza. Quando se está no setor informal, perde-se benefícios que compõem a renda da família como vale-alimentação e seguro-saúde.

Diante do desemprego, a família é obrigada a fazer escolhas que têm impacto no médio prazo, como cortar gastos com educação, diz Solange. Sem carteira assinada, fica mais difícil obter crédito, que funciona como tábua de salvação. Os lares chefiados por mulheres e pessoas com baixa escolaridade também correm risco de entrar na pobreza:

— Nas famílias chefiadas por mulher, majoritariamente não há cônjuge. Nas famílias formadas por pessoas sem instrução, 25% são vulneráveis. Nas que têm 15 anos de estudos, somente 1%. O Bolsa Família pode amenizar a pobreza, mas a renda do trabalho é muito importante — disse Solange.

O benefício social não sofre reajuste desde junho de 2014. A inflação acumulada ultrapassa 10%.

— A experiência passada mostra que a inflação elevada é particularmente prejudicial para os pobres, que, de maneira geral, têm menos condições de se proteger da elevação de preços. A inflação elevada também contribui para o aumento da pobreza — disse Hoffmann.

O Globo

Secretário não aceita críticas e sugere que morador deixe a cidade

adrianoO secretário de Cultura da cidade de Areia, Adriano Nunes, parece não ter ficado nada satisfeito com críticas a sua gestão, no setor de turismo, feitas pelo músico Luciano Félix e o aconselhou, através de postagem na rede social Facebbok, a deixar a cidade.

Na publicação, feita no fabeook da secretaria de Turismo (Setur), Adriano Nunes destaca que Luciano Félix não entende nada de turismo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
“Luciano Felix esta Msg e para te: Luciano tem que aprender muito o que é Turismo de Eventos Turismo Sustentável e Turismo Cultural. Quando você primeiro entender o que é cultura, o que é Turismo ai irei debater com você. No momento dou como conselho uma coisa: amigo Areia está tão ruim assim e você ainda esta morando por aqui? Eu no seu caso já teria ido tomar cerveja em Blumenau. Sim, antes que eu me esqueça, vamos mudar o mundo? Você como músico e muito bom, mais amigo como turismologo tem que aprender muito”, postou.


MaisPB

 

 

Após 30 anos, morador de lixão no DF realiza sonho de voltar para a Paraíba

catadorO catador de materiais recicláveis, Antônio Gomes da Rocha, conhecido como Paraíba, realizou o sonho de voltar para a terra natal depois de trinta anos na Cidade Estrutural, nascida em torno de um lixão, no Distrito Federal. Ele saiu do município de Sumé, na Paraíba, em 1989 para tentar uma vida melhor na capital federal.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 

Sem muitos recursos, encontrou amigos e passou a trabalhar no lixão como catador de materiais recicláveis, Querido por todos, Paraíba logo encontrou uma amiga que lhe deu abrigo. Durante as três décadas, teve como maior sonho reencontrar a família no sertão da Paraíba. O último contato feito com a mãe foi em 1994, por telefone, depois da morte do pai. Esta sexta-feira (19) foi um dia de despedidas.

Com a ajuda da TV Record Brasília, o idoso conseguiu uma passagem de volta para a sua terra. Os que ficaram, mergulharam num misto de alegria e saudade.

— Ele faz parte da minha vida. Conheço o Paraíba já tem mais de dez anos. Teve época da minha vida que tive dificuldades e ele esteve ao meu lado. Mesmo sem muito conhecimento, mas ele me apoiou, ele confiou em mim. Então acho que uma mão lava a outra. O paraíba é a mesma coisa do meu pai. A mesma idade, o sofrimento. Eu trato ele como se fosse meu pai, conta Ivone Rodrigues, que abrigou o amigo em casa por muitos anos.

O próprio Paraíba, apesar de realizar o sonho, diz que o coração sente em deixar os amigos de tantos anos.

— O coração não está bom, não. O coração da gente não aguenta tudo. O coração da gente é mais fraco, diz, emocionado.

 

portalcorreio

Morador de rua no Ceará diz que já foi vereador em Piancó e é pai de promotora e delegado

morador de ruaUma campanha pelas redes sociais vem ganhando a sensibilidade das pessoas, principalmente do Vale do Piancó, após uma voluntária ter postado um pequeno relato de um homem que foi encontrado vagando pelas ruas do Bairro Serrinha, em Fortaleza-CE, aonde ele diz que é natural de Patos, mas morou por muito tempo na cidade de Piancó e que é pai de uma promotora e um delegado.
José Ferreira do Nascimento contou que é filho de Maria da Guia do Nascimento e Felizardo Ferreira do Nascimento. Ele disse que tem 61 anos e já foi vereador por dois mandatos na cidade de Piancó.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A postagem da voluntaria que procura a ajuda da família paraibana, narrou ainda que quando José Ferreira morava em Patos, ele foi dono de um restaurante chamado Boi na Brasa, que na época ficava na Rua do Prado, no centro da cidade.
De acordo com o relato do patoense, o delegado Nelson Ferreira do Nascimento, o juiz Adênio Ferreira do Nascimento, de Piancó-PB, e o médico-cirurgião, ex-prefeito de Patos, Ivânio, são seus primos.
“Então, peço-lhes que averigúem e compartilhem essa história, pois, se verdade for, esse senhor necessita de compaixão da família. Ele falou-nos que está muito arrependido de tudo o que fez e que sua família tem-lhe por morto. Por isso, deseja essa morte todos os dias”, comentou a voluntária em sua postagem.
Segundo as informações, o contato para maiores informações é (85) 9998-8143 (tim) ou (85) 8878-0347 (oi). Falar com Euzeni Pereira, que também é patoense e, por isso, sensibilizou-se com a história!
Portal do Litoral PB  / Fonte: DiamanteOnline