Arquivo da tag: Mestre

Câmara de Bananeiras divulga nota de pesar pelo falecimento do Mestre Zizi

ziziA Camara Municipal de Bananeiras (CMB) lamenta o falecimento do Mestre Zizi, em tempo que solidariza-se com os familiares, amigos e todos os cidadãos bananeirenses, manifestando o mais profundo sentimento de pesar por essa grande perda.

Há aproximadamente um ano, a CMB homenageou o Sr. Benedito Costa da Silva ou simplesmente ZIZI SANFONEIRO, com a Concessão de Medalha ”MESTRE MAESTRO”.

Pudemos em vida prestar uma singela homenagem ao cidadão ilustre que tanto amou essa terra, fazendo da querida Bananeiras o seu lugar predileto para constituir e cuidar da sua família.

Amou de maneira indistinta o Acordeon, instrumento musical que o levou a ser considerado um dos maiores acordeonistas do nosso país.

Zizi, com perspicácia, através do seu jeito simples e natural de ser, transmitiu para Brasil e outros lugares do mundo o orgulho que mantinha por nossa terra, nosso povo e nossa cultura.

Ao encantar multidões tornou-se um exímio defensor da cultura, em especial do forró tradicional. O mestre Zizi deixou o exemplo de um grande cidadão e um legado idealizado através das escalas musicais.

Que Deus em sua infinita bondade conforte todos os familiares e amigos e que os prediletos tons em diferentes intervalos que o Mestre Zizi harmoniosamente tocava sejam sempre lembrados com orgulho e bastante saudade.

Assessoria Câmara

Mestre que bateu em mulheres durante treino está deprimido

professorO que era pra ser apenas um vídeo de treinos na internet acabou chocando o Brasil e o mundo. As imagens do professor Fernando Nogueira espancando alunos em uma aula de muay thai ganharam repercussão mundial e foram duramente criticadas nas redes sociais. Fernando faz parte da equipe de lutas Inside, chefiada por Munil Adriano, nome respeitado no meio das artes marciais.

Em entrevista ao Hoje em Dia, da Record, Munil Adriano condenou a prática realizada pelo discípulo e ainda revelou que Fernando está a base de calmantes.

— Eu não ensinei esse método. Na verdade, foi um fato isolado. O Fernando quis fazer o treino e convidou as pessoas que queriam participar. Com certeza eu não concordo com esse vídeo. Todas as quintas-feiras eu dou aulas para o Fernando e a gente conversou muito. Inclusive ele está até tomando calmantes, passando por problemas, porque com certeza ele não fez esse treino na maldade.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Munil aproveitou para reforçar que os treinos de muay thai são completamente diferentes do que aparece no vídeo de Fernando.

— O muay thai é totalmente diferente daquilo. Aquilo não é praticado, nunca foi e nem nunca mais vai ser.

Preocupado com o futuro das artes marciais, o mestre ainda aconselha a população a procurar por profissionais capacitados. Em defesa de Fernando, Munil explica que ele é sim capacitado, mas que errou em escolher aquele tipo de treino.

— Eu aconselho a todos a procurarem uma academia onde o profissional seja capacitado para dar a aula. E, por incrível que pareça, o Fernando é totalmente capacitado para dar aulas. Esse vídeo foi gravado em uma academia numa comunidade carente de São Paulo, onde o Fernando dá aulas há 5 anos de graça para mais de 100 pessoas. Quantas pessoas ele já tirou das drogas, das ruas? Aquilo foi uma fatalidade. O Fernando é capacitado porque eu dei o grau preto para ele, mas realmente ele errou naquela ação.

Fernando Nogueira dá aulas em uma filial da academia Inside em comunidade carente na região do Parque Bristol, em São Paulo.


“Mestre” de Muay Thai espanca alunos em treino… por danteoliveira7
R7

Secretaria de Educação de Caiçara reúne pais e mestre da Rede Municipal de Ensino em Assembleia Geral

reuniãoVários pais, mestres, profissionais e prestadores de serviços da educação da Rede Municipal de Ensino, representantes do Conselho Tutelar e do Ministério Público, participaram na tarde desta quarta-feira, 04 de janeiro, de uma assembleia geral, onde foi discutido vários assuntos de interesse da comunidade escolar.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A Promotora de Justiça da Paraíba, Ana Raquel Brandão, com atuação em educação, disse em sua fala que a participação da família no contexto escolar faz toda diferença. Ela pediu que a família se aproximasse mais da escola e participasse de forma mais ativa da vida do filho.

 

Durante a reunião foi discutido o ano letivo, o Estatuto da Criança e do Adolescente, houve ainda a apresentação do corpo docente.

O encontro ainda serviu para a realização da primeira audiência pública do Plano Municipal de Educação. O objetivo do Plano é permitir que os pais participem da elaboração do PME, com sugestões, buscando a oferta de uma educação de mais qualidade no município.

 

As aulas no município, começam na próxima segunda, 09 de fevereiro.

 

Assessoria.

Thomaz Mazzoni – Um mestre do jornalismo esportivo brasileiro

Cronista esportivoThomaz Mazzoni foi um dos mais importantes jornalistas esportivos da história da imprensa brasileira, destacando-se por seu trabalho em jornais, obras publicadas e revistas de São Paulo na primeira metade do século XX. Seu livro “História do Futebol no Brasil 1894 – 1950” é referência obrigatória para jornalistas, acadêmicos e aficionados de uma maneira geral.

Italiano de nascimento, mas brasileiro por escolha – naturalizou-se em 1945 −, Mazzoni chegou ainda criança ao Brasil em 1909, junto com toda a família Mazzoni. Criou-se na região do Braz, na Rua do Gasômetro, reduto da crescente colônia italiana na cidade de São Paulo. Segundo relatos de familiares, teria sido um bom ponta-esquerda quando jogava na “Várzea do Carmo”. Além disso, teria fundado com um de seus irmãos um time chamado “Polignare a Mare FC”, e tendo jogado também no “Eduardo Prado” e no “São Cristóvão”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Seu primeiro trabalho como jornalista esportivo foi no semanário S. Paulo Sportivo, em meados de 1922, e a partir de 1925, tornou-se gerente desta publicação. Ao longo da década de 1920 também passou por outras folhas como: O Combate; São Paulo Jornal; Diário Nacional, além de se tornar diretor de outro semanário, o Estampa Esportiva. Esta primeira etapa da carreira de Thomaz Mazzoni chamou atenção do empresário e proprietário d’ A Gazeta, Cásper Líbero, que o levou para o seu jornal em 1928 para trabalhar com Leopoldo Sant’Anna.

Foi em A Gazeta que Thomaz Mazzoni consolidou sua carreira de jornalista, tendo trabalhado no grupo até o seu falecimento. No ano seguinte à sua chegada, lançou sua primeira publicação, o Almanach Esportivo1928. Depois vieram os almanaques dos anos de 1929 a 1934, com um período de interrupção até 1939, quando passou a ser lançado todos os anos até 1941 – desta data em diante o cronista continuou a escrever, mas vendeu os direitos autorais e financeiros para uma editora.

Em 1930, Thomaz Mazzoni, passou a ser o redator e editor-chefe de “Todos os esportes” – caderno esportivo d’ A Gazeta. E foi a partir desse dia que o jornalista passou a publicar a sua grande marca, a coluna “Olimpicus”, que saía todos os dias na primeira página da seção esportiva – o nome da coluna é fruto do pseudônimo com o qual assinava suas crônicas neste espaço. Aqui, Mazzoni estabeleceu um diálogo direto com o leitor do jornal através de uma escrita simples, repleta de gírias e expressões populares, a qual usava para criticar o que considerava “males do esporte”. Por outro lado, a coluna foi espaço para comentários apaixonados e carregados de emoção sobre os jogos, e análises dos mais diferentes campeonatos e times.

Nas páginas d’A Gazeta Thomaz Mazzoni usou todo seu talento ao criar os mascotes e apelidos de alguns times de São Paulo –“Clube da Fé”, ao São Paulo, “Timão e Mosqueteiro”, ao Corinthians, “Campeoníssimo”, ao Palmeiras, “Moleque Travesso”, ao Juventus, e “Nhô Quim”, ao XV de Piracicaba, entre outros – e batizar os grandes clássicos da capital paulistana – “Choque Rei”, “Derby Paulista”, “Majestoso” e “San-São”.

A década de 1930 foi, sem dúvida, a de maior produção bibliográfica de Mazzoni. Além dos cinco “Almanaques Esportivos”, em 1933 publicou seu primeiro livro, “Hockey”. No ano seguinte, o primeiro volume de sua autoria sobre um clube de futebol específico, “Histórico do Palestra”. Em 1937, publicou a obra “Ciclismo para todos”, onde, além do histórico deste esporte no Brasil e no mundo, abordava os recordes, resultados e diferentes tipos de treinamento. No ano seguinte, foi publicado seu livro de maior sucesso editorial, “O Brasil na Taça do Mundo”. Nesta obra, através de crônicas saborosas, comentou e criticou os diversos aspectos que cercaram a campanha da seleção brasileira de futebol no mundial da França, em 1938. Nos dois anos seguintes publicou, em sequência, “Problemas e aspectos do nosso futebol” e “Flô, o melhor goleiro do mundo”, primeiro romance que tratou especificamente do futebol em nosso país.

A década de 1940 começou com outra obra do jornalista, “lançada sob os auspícios da criação do Conselho Nacional de Desportos- CND”,”O esporte a serviço da pátria”. Em 1942, ganhou o “Concurso Literário do SPFC”, publicando uma compilação de crônicas que abordavam os mais diferentes aspectos do esporte brasileiro. No ano seguinte, publicou um novo histórico sobre uma equipe de São Paulo, “Histórico do S. Paulo FC”. Em 1945, em função da realização do Campeonato Sul-Americano no Chile, publicou
“O Brasil no campeonato Sul-americano de futebol” com o “histórico da participação do Brasil no torneio continental”.

Com um apetite literário interminável, em 1947, lançou mais duas obras, que tratavam de dois dos mais antigos “grêmios da capital paulista”, “Histórico do Ypiranga” e “Histórico do Corinthians”. Neste mesmo ano, Thomaz Mazzoni passou a trabalhar no mais novo periódico esportivo da capital paulista, a Gazeta Esportiva, onde, como redator-chefe, continuou publicando a coluna “Olimpicus”, ajudando a fazer deste o jornal esportivo de maior tiragem da capital paulista nas três décadas seguintes.

Em 1950, em homenagem à Copa do Mundo, lançou o livro que pode ser considerado a “bíblia” para os interessados nos resultados e estatísticas dos primeiros 56 anos do futebol brasileiro, “História do Futebol no Brasil 1894 – 1950”. Como o planejado livro sobre a vitória brasileira em 1950 não saiu do papel, em função da derrota para o Uruguai, em 1958 lançou o livro cujo título expressava claramente o sentimento que a vitória da seleção brasileira sobre a Suécia causou nos brasileiros: ”O mundo aos pés do Brasil: a desforra de 38, 50 e 54”. Este seria o último livro de fôlego da carreira do jornalista. Mas ele ainda contribuiu em obras como “O ano de ouro do esporte brasileiro”, “Eu sou Pelé”, entre outros.

Seguidas vezes ganhou o prêmio “Pena de Ouro do Brasil”. Também ganhou comendas de três presidentes da República pelo reconhecimento de seu trabalho e ações dentro do jornalismo esportivo. Participou de inúmeras mesas-redondas, onde chamava atenção pelo seu espírito explosivo, levando os convidados e até o moderador a provocarem-no ainda mais, o que contribuía para um considerável aumento na audiência do programa.

Faleceu meses antes da Copa do Mundo do México, de 1970, não testemunhando a vitória do Brasil, mas com seu estilo militante e ousado deixou gravado o seu nome no jornalismo esportivo brasileiro e sua obra como legado histórico para os admiradores do futebol nacional.

 

 

cartamaior

Aprenda com um mestre de sexo como a sua transa pode ser a melhor de todas

Segundo a Organização Mundial de Saúde, mais de 100 milhões de transas acontecem todos os dias. Aprenda com um mestre no assunto como a sua pode ser a melhor de todas. E descubra o que 18 mulheres solteiras querem na cama – e não estão encontrando

Por Giovanna Rossin

Lições de um professor de sexo

O terapeuta sexual Ian Kerner é fundador do site Good in Bed e autor de vários best-sellers sobre sexo nos Estados Unidos (nenhum lançado no Brasil até agora). Após várias entrevistas e pesquisas em sua obra, compilamos aqui as melhores lições que ele poderia lhe dar.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

1 – Capriche no sexo oral
Regra número 1 dos bons de cama. Ian Kerner cita sua teoria sobre prazer feminino batizada de “viva la vulva”: segundo ele, preliminares na forma de estimulação manual, com uso de vibrador, e sexo oral são os truques que as mulheres mais querem – e que mais se queixam em não receber (ou não receber direito). Mesclando esses artifícios, passe por todos os pontos do seguinte itinerário: a partir do topo do clitóris até os limites leste e oeste dos pequenos lábios, as regiões abaixo do períneo (a extensão suave da pele logo abaixo da entrada da vagina) e, por fim, o ânus. Ian também revela quais as três áreas visíveis do clitóris que, quando estimuladas em conjunto, são responsáveis pelo prazer supremo. São elas:

O monte pubiano, ou monte de Vênus: é a parte superior da vulva, aquela coberta por pelos. Quando você a estimula com a palma da mão está, na verdade, atingindo a região do “aglomerado clitoriano” por cima.

A “comissão frontal”: localizada entre a cabeça do clitóris e seu capuz (uma dobra horizontal de pele, onde os pequenos lábios se juntam). Responde bem a passadas delicadas de língua. Quando despertada, pede uma pressão mais firme ou uma massagem com os dedos.

O “frenulum”: parte logo acima da cabeça do clitóris e que se encontra com os pequenos lábios. Nessa região também funciona o truque do contraste entre as passadas de língua suaves com pressões mais intensas.

2 – Penetração não é tão importante
O maior erro dos homens na cama, afirma Ian Kerner, é dar atenção demais à penetração – quando deveriam estimular outras partes do corpo da mulher, especialmente o clitóris, que precisa ser tratado com carinho e paciência. Ajuda se você pensar que os clitóris têm personalidades distintas: o que funciona com um não necessariamente agrada a outro (e o que dá certo em um dia pode não dar em outro com a mesma mulher). Veja por exemplo o sexo oral: algumas mulheres gostam da técnica da “língua pontuda”, outras preferem a “língua macia”. E tem mais: “As mulheres perdem facilmente o orgasmo, mesmo estando prestes a ter um. É quando você deve continuar o que está fazendo – nunca mudar de posição”.

3 – Sexo é como comida
Em seu livro 52 Weeks of Amazing Sex (“52 Semanas de Sexo Incrível”), Ian Kerner escreve uma metáfora ótima. “Sexo é comida: se você comer algo repetidas vezes, não só fica entediado como também se priva de outros nutrientes vitais.” A lição? Varie as formas de estimular, os cenários, não se acomode. Além disso, exatamente como na pirâmide alimentar, há diferentes categorias sexuais que você deve consumir regularmente: o sexo amoroso (que aumenta a intimidade emocional), a pegada um pouco mais forte (que alivia o stress), a fantasia (de fingir um personagem ou transar em lugares diferentes e não usuais)… Converse com sua parceira para inovar.

4 – Crie o clima
Quanto mais à vontade ela estiver, mais vai se soltar e aproveitar o momento. “Crie um ambiente que promova uma sensação de relaxamento e desconexão mental”, ensina Ian. O professor de sexo afirma que é fácil preparar o local e dá como exemplo um quarto. Primeiro, tire a bagunça e use lençóis novos. Depois, pense em coisas que possam agradar a todos os sentidos de sua parceira. Para os ouvidos, selecione um playlist sexy, mesclando músicas românticas e agitadas. Em relação ao tato, escolha brinquedos sexuais com texturas diferentes. E complete com taças de vinho. Vale colocar uma venda nos olhos dela para realçar os demais sentidos.

5 – Descubra as principais fantasias dela
Pensamentos criam mudanças no nosso corpo – use isso a seu favor. Para sair da rotina, compartilhe fantasias nas preliminares. “Fantasias dão algo para a mulher se focar, ajudando a espantar a ansiedade e a ir a lugares eróticos mais profundos”, aponta Ian. Pesquisas na Holanda confirmam o poder da mente, ao afirmar que esse “desligamento” é a chave para o prazer feminino. O terapeuta aponta as cinco fantasias mais comuns femininas: fazer sexo com um estranho (ela pensar em outro cara estando com você), ser dominante na cama (o homem implorando por sua atenção), o exibicionismo (a ideia de que mais alguém está excitado em assisti-la), ser surpreendida sexualmente (quando a mulher é agarrada por alguém cheio de desejo) e o ménage à trois (ela com dois homens ou um homem e uma mulher).

6 – Conheça o corpo dela
“A maioria dos homens conhece mais o que tem embaixo da capota de um carro do que o que há por baixo do clitóris”, afirma Ian. Essa região da anatomia feminina tem 18 partes diferentes e duas vezes mais terminações nervosas do que o pênis, além da invejável (porém rara) capacidade de produzir orgasmos múltiplos. Se o orgasmo feminino depende de dois princípios, acerte mirando em ambos: “Maximize tanto o fluxo sanguíneo quanto a tensão muscular em todo o corpo para um orgasmo mais intenso”, explica o expert. Como? “Traga a mulher bem perto do orgasmo e mantenha-a nesse estado de alta excitação do pré-gozo. Isso pode ser facilmente alcançado por meio de estimulação manual ou oral, já que são mais simples de controlar. Então, quando perceber que ela não aguenta mais, coloque-a sobre você e, com a penetração, faça-a ter um orgasmo incrível.”

7 – Use brinquedos de sex shops
“Ao ouvir a palavra ‘vibrador’ pela primeira vez, o que provavelmente vem a sua mente é um objeto fálico nada discreto. Mas agora há uma série deles que não são nem assustadores nem estão escondidos em sex shops sombrios”, avisa Ian. “Alguns homens sentem-se ameaçados, outros não sabem como usá-los ou ainda ficam preocupados se elas vão se viciar”, completa. Acontece que esse objeto tem seus benefícios físicos e mentais comprovados pelo Kinsey Sexual Health Institute. Portanto, esqueça suas antigas crenças e anote a receita: quando ela estiver brincando com o vibrador, entre e participe. “Mulheres geralmente levam mais tempo para chegar ao orgasmo do que os homens, e os homens acham difícil durar o tempo suficiente durante o sexo. Um vibrador ajuda você e sua parceira a chegarem mais longe”, explica Ian.

8 – Aumente o seu capital erótico
Esta dica não vale ouro apenas para a hora da conquista: ela melhora sua vida social e sexual como um todo. Enquanto economistas sempre discutiram três tipos de capital (social, econômico e cultural), a socióloga inglesa Catherine Hakim definiu o quarto e mais interessante deles: o “capital erótico”. O termo engloba a atração sexual, mas não se limita a isso. Estilo, simpatia, beleza e competência sexual são os outros aspectos, que devem trabalhar como um grupo. Ela garante que não tem a ver com as qualidades que você nasce – e sim com sua autoestima. Ian Kerner usa os estudos da britânica para observar que os homens estão se cuidando mais e, assim como as mulheres, podem investir nesse certo charme. “Assim, abrem portas e aumentam sua atração sexual.”

9 – Pratique sexo verbal
Conversar sobre as preferências e os desgostos um do outro pode cortar os pequenos problemas pela raiz, evitando que se tornem maiores no futuro. O segredo é sentir-se confortável para falar sobre a vida sexual, partilhar fantasias e desejos de forma colaborativa para vocês avançarem e trazerem novas experiências. “Os casais precisam adquirir o hábito de falar o que funciona e o que não funciona”, sugere Ian. Logo no início, aumente a autoestima da gata dizendo em que aspectos ela é boa de cama. Se não souber como começar o papo, diga que leu um artigo sobre o tópico que você quer discutir e pergunte a opinião dela.

18 SOLTEIRAS CONTAM O QUE QUEREM NA CAMA E NÃO ESTÃO CONSEGUINDO

“Tem homem que acha que toda hora é hora de ser bruto. O cara tem que saber tratar uma mulher, ser delicado, gentil, mesmo que não queira nada além de uma noite.”
Tatiana Garcia, 30 anos, publicitária

“Está faltando variedade na hora do sexo. Ter um lugar mais aconchegante, com velas, flores, e fazer algo que saia da rotina, ser mais criativo para nos conquistar. O cara quando se acha bom de cama faz o ‘serviço’ dele como se tivesse fazendo um favor.”
Adriana Bittencourt, 26 anos, analista financeira

“Quando procuro um sexo casual, não estou atrás de alguém que me faça juras de amor, me dê café da manhã na cama. De preferência, quero ir embora antes de amanhecer – mas um carinho, um beijinho na orelha é muito bom.”
Ana Lima, 21 anos, estudante de direito

“Quero homens que pegam em várias partes do corpo ao mesmo tempo. Os que têm essa preocupação são os melhores. Ficar com as mãos na cintura da gente a transa toda não dá, melhor nem tirar a roupa, né?” Natália, 24 anos, webdesigner

“O maior erro deles é não entender nossa linguagem corporal. Às vezes, fazemos gestos que eles não entendem e simplesmente respondem como querem. Falamos com o corpo o tempo todo, no modo de conversar, olhar e agir na cama. O tesão perde a intensidade quando eles não nos entendem.”
Cléia, 34 anos, relações públicas

“Sou do tipo que adora ouvir sacanagem e também muito romantismo, mas é difícil encontrar um que saiba misturar isso. Pecam na hora que estão superexcitados e prometem coisas que não são reais.” Giselle Leite, 21 anos, atriz

“Está faltando mais dedicação nas preliminares. Tem que cumprir todas as etapas: bastante beijos, carícias e sexo oral, que eles têm que melhorar! ”
Alana Victorino, 21 anos, estudante de medicina

“Estímulos antes da transa podem ser mais excitantes do que o ato propriamente dito. Mas ainda falta um pouco de inovação e criatividade: impulsos sexuais e tesão repentino em lugares públicos são sempre muito excitantes. Se me levassem para um cantinho reservado no meio de uma festa para um pequeno momento de safadeza, seria o ouro!”
Victoria, 18 anos, estudante de engenharia química

“Dou valor a uma rapidinha. Dependendo do lugar e momento, é gostoso demais.”
Tanise Amon, 26 anos, nutricionista e modelo

“Falta entrega total dos homens na cama. Isso acarreta todas as outras questões que nós tanto reclamamos: egoísmo, insensibilidade, imaturidade, talvez mais outras coisas. Quando digo entrega, é desprendimento, cuca fresca, estar 100% ali.”
Cristiane Salomão, 36 anos, publicitária

“As mulheres estão muito mais animadas que os homens ultimamente. A procura hoje em dia é muito mais delas do que deles. A dificuldade está na qualidade: falta disposição aos homens! O desejo começa com palavras, olhares e carícias.”
Isabella Rossin, 23 anos, atriz

“Eu percebo claramente quando eles tentam fingir na cama algo que não são – é como fingir orgasmo, nunca é natural. Tipo tímido tentando ser agressivo. Quando fazem isso, acabam ficando todos iguais, não surpreendem. Eu admiro os corajosos, que mantêm personalidade na cama.”
Hannah, 23 anos, figurinista de cinema da Faap

“Os homens poderiam sugerir novas técnicas, toques, como uma massagem corporal, e não esperar que a mulher tenha iniciativa para isso.”
Keren Silveira, 22 anos, cantora e modelo

“Elogios sussurrados num clima bem sexual sempre são bem-vindos. Às vezes me excito mais com o que o cara fala do que com o que ele faz.”
Carol Teixeira, 32 anos, compositora, filósofa e colunista da VIP

“Um grande erro é quando o homem fica mudo durante toda a transa. Tem tantas coisas que ele poderia falar: elogiar, fazer provocações, falar do que gosta. Ficar mudo nos deixa perdidas, sem sabermos se estamos agradando ou não.”
Juliana Roccato, 22 anos, nutricionista

“Tem cara que acha que, por estar superexcitado, a mulher também está.”
Regiane, 25 anos, assistente de controladoria

“O homem precisa saber satisfazer uma mulher na cama e fora dela. Tem que saber se preparar, se cuidar, se arrumar e se perfumar para ela. Precisa ser alegre, divertido, descontraído.”
Cris Marrone, 35 anos, dentista

“Uma vez um cara, bem na hora H, quando eu estava curtindo para caramba, me chamou de cachorra. Fiquei quieta, mas já dei uma broxada. Aí ele falou: ‘Não para, vai, cadela’. Nossa, broxei total. Tem que saber o que falar.” J., 22 anos, assistente de RH

Vip

Evento no dia 19 vai marcar os 130 anos da ‘Páscoa do Padre Mestre Ibiapina’

 

Santa FéUm evento no próximo dia 19, em Santa Fé, localidade pertencente à Solânea, situada na entrada da vizinha cidade de Arara, deverá atrair um grande número de pessoas de vários municípios do Agreste paraibano e até de outros estados ao Santuário Padre Ibiapina.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Trata-se das comemorações alusivas aos 130 anos da Páscoa do Padre Mestre Ibiapina. Missas, confissões e romarias, saindo a pé de madrugada de diversos lugares, fazem parte da programação.

 

Confira convite repassado ao FOCANDO A NOTÍCIA pelo reitor do santuário, padre Zé Floren:

 

 

Padre Mestre Ibiapina inspirai-nos!

 

Dia 19 de fevereiro de 2013

comemoração

130 anos da ¨Páscoa¨ de Padre Mestre Ibiapina.

No Santuário Padre Ibiapina

Arara-Pb – SANTA FÉ – Solânea-Pb

 

 

PROGRAMAÇÃO 2013

 

– Dias 16, 17 e 18 de fevereiro –   05:30h OFÍCIO de PADRE IBIAPINA

 

– Sábado, dia 16.02

  19:00H missa – Convidados: romeiros das cidades vizinhas

– Domingo dia 17.02

16:00H missa – Convidados: povo de Santa Fé e Arara

– Segunda-feira dia 18.02

19:00H missa – Convidados: romeiros de Guarabira

 

Dia 19 de fevereiro de 2013

 

ROMARIAS saindo a pé de madrugada de vários lugares da redondeza.

CONFISSÕES durante o diaa partir das 06h00

 

MISSAS: 07h00  e 11h00

15h30 MISSA SOLENE

 

Antes e depois das missas: TERÇO e ao meio dia: OFÍCIO Da Imaculada Conceição

 

 

 

Redação/Focando a Notícia