Arquivo da tag: médicos

Seis médicos morrem e PB tem mais de 280 profissionais da saúde com Covid-19

Seis médicos já morreram na Paraíba vítimas de Covid-19 desde o início da pandemia, segundo mostra um levantamento realizado pelo Conselho Regional de Medicina no estado (CRM-PB). Até a última quinta-feira (14), 628 profissionais de saúde estavam sob suspeita de infecção pelo novo vírus. O boletim epidemiológico mais recente, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) nessa terça-feira (19), confirmou que 289 trabalhadores da área contraíram a doença. O CRM-PB acredita, no entanto, que há subnotificação de casos.

Para o presidente do CRM-PB, Roberto Magliano de Morais, é preciso que o poder público garanta a segurança para as equipe de saúde de todo o estado. “Hoje, já contabilizamos seis médicos mortos pela Covid-19 na Paraíba. Eram profissionais que estavam na ativa, oferecendo o que tinham de melhor, que era prestar auxílio e socorro médico a quem precisava. Quanto mais médicos infectados, menos profissionais teremos para enfrentar essa batalha. Preocupa também que garantias trabalhistas estes profissionais terão enquanto estiverem adoecidos e sem trabalhar”, destacou.

Os problemas no processo de triagem, falta de Equipamentos Individuais de Proteção (EPIs), insumos, exames e medicamentos, material para higienização e recursos humanos são as principais queixas dos médicos que atuam em unidades de saúde que prestam assistência a casos confirmados e suspeitos de Covid-19 na Paraíba. Desde o dia 30 de março, através de uma plataforma de denúncias online sobre as falhas na infraestrutura de trabalho, o Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) já recebeu 63 relatos de médicos sobre os problemas.

As denúncias de precariedade nas unidades de saúde recebidas pelo CRM-PB foram de médicos que atendem nas unidades de saúde de João Pessoa, Santa Rita, Bonito de Santa Fé, Mamanguape, Campina Grande, São Bento, Pitimbu, Guarabira, Bayeux, Itaporanga e Patos. Os profissionais relatam que faltam aventais, máscara cirúrgica, máscara n95 ou equivalente, óculos ou protetor facial, luvas cirúrgicas, gorros, luvas, além da escassez de insumos, como medicamentos, kits de exames para Covid-19, acesso a exames de imagem, material para curativos e peças educativos, como cartazes e folders.

Os médicos também informaram que há unidades sem abastecimento de álcool a 70% e em gel, papel toalha, sabonete líquido e desinfetante ou outro insumo recomendado. Sobre os recursos humanos, há denúncias de falta de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, profissionais de limpeza e cozinha.

Plataforma de denúncia

Os médicos do Estado podem ainda fazer denúncias através do canal criado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), pela internet, com este objetivo. Na plataforma, podem ser informadas as falhas identificadas pelos médicos nos seus locais de trabalho.

Médicos contra a Covid-19

Para verificar as denúncias e aumentar a segurança dos profissionais de saúde em seus locais de trabalho, o CRM-PB, através da campanha ‘Médicos Contra o Coronavírus’, tem visitado hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) no estado para verificar a quantidade de EPIs, respiradores, leitos e profissionais de saúde, como está sendo feito o fluxo de pacientes e alertando aos médicos sobre a necessidade de notificação de todos os casos de síndrome respiratória, mesmo as leves e moderadas. Já foram visitadas unidades de saúde das cidades de João Pessoa, Bayeux, Santa Rita, Cajazeiras, Patos, Sousa, Pombal, Monteiro, Sumé, Serra Branca, Cuité, Picuí, Nova Floresta, Campina Grande, Guarabira, Belém e Solânea.

 

portalcorreio

 

 

Covid-19: Governo abre nova chamada pública para médicos

O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Secretaria de Estado da Administração (Sead) e da Escola Pública do Estado da Paraíba (Espep), abriu inscrição para contratação de médicos, em caráter emergencial, para a prestação de serviço no combate ao coronavírus (Covid-19). O edital foi publicado no Diário Oficial desta terça-feira (12) e as inscrições vão até o dia 17 de maio.

O contrato de trabalho do processo seletivo simplificado terá a validade de 90 dias, podendo ser prorrogado por igual período ou enquanto durar as medidas de prevenção, a critério da necessidade da SES. A chamada pública tem o objetivo de complementar as ações do Governo do Estado no combate à pandemia. De acordo com o edital, a seleção será realizada por meio da prova de títulos e comprovação de experiência.

São mais de 240 vagas distribuídas entre os municípios de João Pessoa, Cajazeiras, Campina Grande, Pombal, Piancó, Patos e Santa Rita. Os médicos selecionados serão convocados para trabalharem, inicialmente, nos Hospitais, Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e no Serviço de Transporte Descentralizado da Rede de Serviços Estadual e serão convocados de acordo com a necessidade da SES e diante do caráter da urgência da pandemia, podendo ainda serem realocados para os demais serviços de referência de enfrentamento da crise que pertençam à rede estadual de saúde, se necessário.

O secretario de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, afirma que essa chamada pública é de muita importância devido ao momento em que a Paraíba e o mundo estão vivendo. “Estamos vivendo uma emergência em saúde pública. Então, é fundamental os médicos se aliarem ao Governo do Estado e à Secretaria de Estado da Saúde em um momento como esse, principalmente os jovens que não são fatores de risco. Nós necessitamos desses profissionais”, destaca.

O candidato interessado poderá se inscrever gratuitamente pela internet, no Portal da Cidadania, pelo link https://portaldacidadania.pb.gov.br/ConcursoSelecao/Governo/Concurso/ListaConcurso . O resultado final será publicado no Diário Oficial do Estado no dia 26 de maio.

Secom-PB

 

 

Secretário reforça pedido a médicos no combate a covid-19 na PB: “Você que é médico e está na Paraíba, nos procure”

Nesta segunda-feira (11) o secretário Executivo de Gestão da Rede de Unidades de Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, destacou durante entrevista ao programa Correio Debate, as adesões de médicos ao chamamento do governo para combater o novo coronavírus nas unidades de saúde do estado e renovou o apelo para que mais profissionais possam se voluntariar para combater à covid-19.

O secretário ainda alertou que mesmo médicos que não são intensivistas ou não possuam larga experiência no setor de emergência, podem se inscrever.

“Precisamos de profissionais médicos, estamos num processo não só de seleção, mas também de treinamento e preparação dos profissionais que ingressaram no nosso processo, mas de novo fazemos um chamamento, você que é médico e está aqui no estado da Paraíba, mesmo que não seja intensivista e não tenha longa experiência em serviço de emergência, por favor nos procure” pediu o secretário.

PB Agora

 

 

Diretor confirma que 3 médicos do Hospital Regional de Guarabira testaram positivo para Covid-19

Diretor do Hospital Regional de Guarabira, Liheldson Barbosa, em entrevista concedida à Rádio Constelação FM, no matutino Jornal da Manhã, confirmou que três médicos que trabalham na unidade de saúde foram testados positivo e estão em isolamento doméstico.

De acordo Com Barbosa, a infecção que acometeu os profissionais de saúde é do tipo leve, mas como determina o protocolo eles precisaram ser afastados e confinados, sem contato com outras pessoas. Os nomes dos médicos não foram revelados.

Segundo o que a reportagem do Portal25horas conseguiu apurar, um dos infectados é diretor clínico do Hospital Regional. Ele teria feito o teste na Unidade Pronto Atendimento (UPA) e voltado para o trabalho, e somente depois é que teve conhecimento que testou positivo.

As pessoas que tiveram contato com o médico no dia em que foi feito o teste estão sendo orientadas a realizar o teste para dirimir as dúvidas.

 

portal25horas

 

 

Ministério da Saúde lança edital para 5 mil médicos contra coronavírus

O Ministério da Saúde lançou nesta quinta-feira (12) um edital com 5.811 vagas para médicos com CRM Brasil atuarem nos postos de saúde. Por meio do programa Mais Médicos, de forma emergencial, os profissionais serão distribuídos em 1.864 municípios de todo o país, além de 19 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI).

Capitais e grandes centros urbanos voltam a fazer parte do programa, que vinha priorizando municípios mais carentes. A mudança ocorre porque grandes cidades, com maior concentração de pessoas, são locais mais propensos à circulação do coronavírus. Veja aqui edital. As inscrições devem começar já na segunda-feira (16).

“O Mais Médicos é um programa de provisão emergencial de médicos e pode ser usado em emergências de saúde como a que estamos passando com o coronavírus”, explica o secretário de Atenção Primária à Saúde (SAPS), Erno Harzheim.

“Ao mesmo tempo, o governo segue com a estruturação do programa Médicos pelo Brasil, criado pelo Governo Federal para apoiar os municípios mais carentes do país de forma permanente, com regras claras de seleção e contratação dos médicos, que terão carteira assinada e plano de carreira, priorizando médicos especializados em Medicina de Família e Comunidade, com gratificação para aqueles que se deslocarem até os locais mais distantes e vulneráveis”, completou o secretário da SAPS.

Das 5.811 vagas disponibilizadas, 44,5% (2.588) são para as capitais (perfil 3). Outras 688 (11,84%) estão nos municípios de perfil 1; 649 vagas (11,17%) se encontram no perfil 2; 356 (6,13%) estão em municípios de perfil 4; 352 (6,06%) fazem parte do perfil 5; 271 (4,66%) estão no perfil 6; 870 (14,97%) no perfil 7, classificadas como regiões de extrema pobreza; e 37 (0,64%) vagas são para o perfil 8 (DSEI).

A numeração dos perfis indica a ordem decrescente de vulnerabilidade dos municípios, sendo os de perfil 8 de maior vulnerabilidade e os de perfil 1 de menor vulnerabilidade. Atualmente, o Programa Mais Médicos conta com 12.258 profissionais distribuídos em 3.465 municípios em todas as unidades da federação.

A expectativa é que os médicos já comecem a atuar nos municípios no início de abril. Para garantir a contratação de todos os médicos, o Ministério da Saúde vai investir R$ 1,2 bilhão.

O Ministério da Saúde informou também que está ampliando a disponibilidade de leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). “Se o gestor solicitar mais leitos de UTI, porque a demanda está ultrapassando a sua capacidade de atendimento, temos uma licitação para acionar e, em uma semana ou no máximo dez dias, esses leitos são instalados, com todos os insumos necessários. O hospital só entrará com a equipe médica e de enfermagem para que o leito possa funcionar rapidamente”, explica o secretário Executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo.

Contratação de médicos vale por um ano 

Junto com o edital para chamamento dos profissionais médicos, o Ministério da Saúde publicou outro edital para que os municípios que já participavam do programa Mais Médicos manifestem a intenção de renovar as vagas para os novos profissionais. A partir de segunda-feira (16) os secretários municipais de saúde já podem indicar o interesse em receber os médicos.

Este edital de chamamento traz algumas diferenças em relação aos publicados anteriormente. O contrato com os médicos será de apenas um ano e a seleção poderá ter até cinco chamadas, caso todas as vagas não sejam ocupadas nas chamadas anteriores. Encerrado o período das inscrições, o Ministério da Saúde disponibilizará a relação dos médicos aptos a participarem do programa. Na etapa seguinte, eles escolhem os municípios ou DSEI em que gostariam de atuar. Cada profissional poderá indicar quatro localidades.

Serão selecionados médicos CRM Brasil. Como os médicos já estão habilitados para exercer a medicina no país, poderão se deslocar diretamente para atuação nos municípios. A bolsa-auxílio será no mesmo valor dos editais anteriores, de R$ 12,38 mil.

Este edital não altera o cronograma previsto para o programa Médicos pelo Brasil, sancionado em dezembro de 2019. Atualmente, o Ministério da Saúde finaliza a organização e estrutura necessárias para a criação da Agência para o Desenvolvimento da Atenção Primária à Saúde (Adaps), que será responsável pela seleção e contratação dos profissionais que atuarão pelo novo programa.

Emergência do coronavírus

Estudos indicam que a maioria dos casos de coronavírus são leves e podem ser atendidos nos serviços da Atenção Primária. Mais de 42 mil postos de saúde distribuídos pelo país são capazes de atender 90% dos casos de coronavírus. A população deve buscar os serviços quando apresentar os sintomas iniciais do vírus, como febre, tosse, dor de garganta ou dificuldade respiratória. Para isso, o Ministério da Saúde está reforçando ainda mais a capacidade assistencial dos postos de saúde durante a atual pandemia do coronavírus.

O programa Saúde na Hora, que estende o horário de atendimento dos postos de saúde para pelo menos 12 horas por dia, será ampliado. Para isso, novos critérios do programa foram criados para facilitar a adesão dos municípios ao programa. Atualmente, cerca de 1.520 postos de saúde já participam do programa, em 238 municípios. Com a nova medida, a expectativa é ampliar o horário de funcionamento em cerca de mais 5.200 mil unidades de 1.500 municípios, ampliando a cobertura de atendimento para cerca de 60 milhões de brasileiros.

Assim, a população terá mais acesso aos serviços ofertados nas unidades de saúde, como consultas médicas e odontológicas; cuidado de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão; aplicação de vacinas; consultas pré-natal; entre outros procedimentos.

 

portalcorreio

 

 

Médicos retiram cisto de mais de 20 kg de mulher na Grande JP

Uma mulher que não teve identidade revelada passou por uma cirurgia no Hospital e Maternidade Flávio Ribeiro Coutinho, em Santa Rita, na Grande João Pessoa, através da qual a equipe médica retirou um cisto de ovário de mais de 20 kg. A notícia do ocorrido foi divulgada nessa sexta-feira (8) nas redes sociais da instituição de saúde.

Segundo nota do hospital, a retirada de cistos íntegros com este volume é rara, sendo algo inédito na unidade. A paciente, residente em Santa Rita, já sofria com a enfermidade há cerca de oito anos e foi submetida ao procedimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ainda conforme a publicação da instituição, a cirurgia transcorreu sem intercorrências e a paciente evolui bem, devendo receber alta nos próximos dias.

A equipe médica responsável pela cirurgia foi da residência em ginecologia da Unipê- HFRC, composta pelo ginecologista, obstetra e preceptor Francisco Macedo, além do médico residente Nilton e da anestesista Sandra.

 

(Foto: Reprodução/Instagram/hospital_flavioribeiro)

portalcorreio

 

 

Programa que vai rever Mais Médicos será lançado na próxima semana

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou, no Rio de Janeiro, que será lançado na próxima semana o programa que vai reestruturar o Mais Médicos.

“A Casa Civil e a Presidência da República deram o OK. Na semana que vem, a gente lança o Médicos pelo Brasil, que é o novo programa que vai rever o programa Mais Médicos”, disse.

Segundo o ministro, o dia do anúncio na próxima semana depende da agenda do presidente Jair Bolsonaro. “Isso também é reforçar a atenção primária. É basicamente direcionado para a atenção primária, praticamente voltado para o que a gente chama de Brasil profundo, as cidades mais vulneráveis”, destacou.

Ele acrescentou que nas cidades do interior é onde, muitas vezes, as campanhas públicas têm “menos apelo”. “É no interior do Brasil que eu tenho mais dificuldades para usar capacete para motocicleta”, exemplificou.

 


Com informações da Agência Brasil
Portal WSCOM

 

 

Paraíba deve receber quase 60 profissionais do Mais Médicos a partir desta segunda-feira (24)

Os profissionais aprovados no programa Mais Médicos devem se apresentar nos municípios a partir desta segunda-feira (24) e até a sexta-feira (28). De acordo com o Ministério da Saúde, na Paraíba são 59 médicos selecionados para 38 municípios da Paraíba.

As cidades com mais vagas, na Paraíba, são Campina grande e Sousa, com quatro oportunidades cada, e Alagoa Grande, Nova Floresta e Pombal, com três cada. A lista completa pode ser consultada no site do Ministério da Saúde (MS).

O edital no qual os médicos foram aprovados é o segundo lançado pele Ministério da Saúde desde a saída de Cuba do programa, anunciada em novembro de 2018. Dentre os médicos selecionados no primeiro edital, 1.052 desistiram do programa entre janeiro e março de 2019. O número representa 15% das vagas preenchidas por médicos brasileiros após a saída de Cuba.

G1

 

Recém-nascida abandonada pela mãe em hospital de Guarabira ainda está sob cuidados médicos

A criança recém-nascida, de forma prematuramente com 6 meses de gestação, que foi abandonada pela mãe depois do parto normal, no Hospital Regional de Guarabira, permanece sendo cuidado pela equipe de pediatria da unidade hospitalar.

Juliana Fernandes da Paz, de 23 anos, moradora da cidade de Araçagi, ganhou neném na última terça-feira (7), no Hospital Regional de Guarabira, e fugiu nesta quinta-feira (9), por volta das 13h30min.

De acordo com relatos de uma funcionária de higienização do hospital, a mulher no banheiro da enfermaria, utilizou um balde grande para subir sobre ele, alcançou a janela e conseguiu fugir pela porta dos fundos.

O Conselho Tutelar de Araçagi foi acionado pelo Serviço Social do HR e está acompanhando o caso. A mesma mulher já teve a guarda de uma filha de dois anos, perdida por causa de maus tratos.

De acordo com o Conselho Tutelar, os pais da criança alegam que não têm condições financeiras para sustentar a bebê.

O juízo da infância já manteve contato com a direção do Hospital Regional, alertando que a acriança só pode deixar a unidade hospitalar com ordem judicial, assim que tiver fisicamente restabelecida será encaminhada para adoção.

De acordo com o que foi apurado pela reportagem do Portal25horas, Juliana, mãe da criança, já foi vista na cidade de Araçagi, na Rua da Palha, onde reside.

Juliana fugiu do hospital pela janela do banheiro e abandonou a filha

 

portal25horas

 

 

Deputado Chió (REDE) repudia cortes em universidades e desmonte do “Mais Médicos”

O deputado Estadual Chió (REDE) não economizou o tom do discurso ao utilizar a tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba, durante o pequeno expediente, nesta terça-feira, 07 de Maio, repudiando os severos cortes nas universidades públicas, especialmente, no tocante ao que atinge à Universidade Federal da Paraíba.

“Só no Ensino Superior são R$ 2,2 bilhões de cortes e o pretexto do Governo Federal é que esses recursos serão destinados à Educação Básica. No entanto, só na Educação Básica são mais R$ 2,4 bilhões de cortes. O momento é de luta, de mobilização. A Assembleia Legislativa deve juntar-se e apoiar os movimentos estudantis, as Universidades e Institutos Federais, que já sofrem com péssimas condições e não resistirão aos novos cortes “, reivindicou Chió (REDE).

Contra cidadania à Bolsonaro

Chió desaprovou qualquer possibilidade da Assembleia Legislativa aprovar título de cidadania paraibana ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), diante da tramitação de um projeto de lei na Casa. “Cidadania se concede a quem contribui, a quem soma para o desenvolvimento e qualidade de vida dos paraibanos. Não se pode conceder cidadania a quem corta da educação e da saúde dos paraibanos, a quem não se importa em deixar o nosso povo sem conhecimento e doente”, completou Chió.

O deputado reivindicou ainda, o desmonte do programa Mais Médicos no estado. “Só em João Pessoa são menos 48 médicos. Quem mais sofre com ausência desses profissionais são os mais humildes, os mais pobres. O que temos testemunhado todos os dias são questões ideológicas se sobrepondo a questões humanitárias e isso é absurdo”, concluiu Chió.

Fonte: Ascom Dep. Chió (REDE)