Arquivo da tag: Marinho

Marinho salva de novo, Vitória bate o Coritiba e complica o Internacional

Mesmo sem entrar em campo, o Internacional deu na noite desta segunda-feira (28) mais um passo em direção à Série B do Campeonato Brasileiro. Isso porque o Vitória, seu principal concorrente na luta contra o descenso, bateu o Coritiba por 1 a 0 no Couto Pereira, com golaço de Marinho, e deixou os gaúchos em situação extremamente complicada para a última rodada.

Com o triunfo, o Vitória chegou a 45 pontos e abriu três em relação ao Internacional, com apenas mais uma rodada pela frente. Fora isso, a equipe baiana tem -1 de saldo, contra -6 do Internacional. Portanto, o time gaúcho precisa, além de vencer o Fluminense fora de casa e torcer por uma derrota do Vitória diante do Palmeiras, tirar a diferença de saldo de gols.

Outra probabilidade de o Internacional escapar do rebaixamento é, além de triunfar, torcer para o Sport não vencer o já rebaixado Figueirense na Ilha do Retiro. A equipe pernambucana soma 44 pontos. O Coritiba, por sua vez, estaciona nos 46 pontos e dificulta a sua ida para a Sul-Americana 2017.

Marinho, sempre ele!

GIULIANO GOMES/ESTADÃO CONTEÚDO

Já virou rotina Marinho decidir os jogos para o Vitória, especialmente nesta reta final de Campeonato Brasileiro. E na noite desta segunda-feira não foi diferente. O atacante precisou de apenas dez minutos para abrir o placar e marcar um golaço no Couto Pereira. Ele arrancou pela direita, driblou toda defesa do Coritiba e, de canhota, fuzilou o goleiro Wilson. Com isso, Marinho marca pelo quinto jogo consecutivo e chega a 11 gols na competição nacional.

Quem foi mal: Iago

O Coritiba praticamente não criou na etapa inicial. Com o meio-campo pouco efetivo e sem espaço, o time da casa foi presa fácil para a marcação do Vitória, que dominou o jogo antes do intervalo mesmo no Couto Pereira. Insatisfeito, Carpegiani sacou Iago já no intervalo.

Vitória resiste bravamente no 2ºT

Se por um lado praticamente não levou sustos na etapa inicial, o Vitória teve bastante trabalho para segurar a pressão do Coritiba no segundo tempo. Atrás no placar e empurrado pela torcida, o time alviverde partiu para cima e passou a criar diversas chances – apesar de, a maioria, em bolas alçadas para a área. Coube à defesa rubro-negra resistir como pôde.

Prejuízos para a última rodada

Kieza, Norberto e Victor Ramos levaram cartão amarelo e, como estavam pendurados, viraram desfalques importantes do Vitória para a última rodada do Brasileiro.

Vitória briga para não cair, mas tem 4º melhor ataque

Curiosamente, apesar de ainda brigar para não cair para a Série B, o Vitória é dono do quarto melhor ataque do Campeonato Brasileiro, agora com 50 gols. Fica atrás apenas dos quatro primeiros colocados da tabela: Palmeiras (60), Flamengo (52), Santos (58) e Atlético-MG (61).

Torcida rubro-negra teve companhia…

Torcedores do Grêmio puderam ser vistos entre os rubro-negros no Couto Pereira. O motivo? Torcer pelo Vitória e ver o arquirrival Internacional mais perto da segunda divisão.

FICHA TÉCNICA

CORITIBA 0 X 1 VITÓRIA

Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Data: 28 de novembro de 2016 (segunda-feira)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Cartões amarelos: Nery Bareiro, Leandro, Yan, Dodô, Vinícius (Coritiba); Norberto, Kanu, Willian Farias, Victor Ramos, Kieza (Vitória)
Gol: Marinho, aos 10min do primeiro tempo
Público pagante: 12.755
Público total: 13.566
Renda: R$223.095,0

CORITIBA: Wilson, Dodô, Walisson Maia, Nery Bareiro e Juninho; Amaral, Yan e Iago (Vinícius); Leandro, Kazim (Evandro) e Kleber.
Técnico: Paulo César Carpegiani

VITÓRIA: Fernando Miguel; Norberto, Kanu, Victor Ramos e Euller; Willian Farias, Marcelo e Cárdenas (Tiago Real); Marinho (Amaral), Kieza e Zé Love (David).
Técnico: Argel Fucks

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Confira opinão do promotor Marinho Mendes sobre casamento homoafetivo

PORQUE SOU A FAVOR DO CASAMENTO HOMOAFETIVO

 

                                               marinhoSenhoras e senhores, sou e sempre defendi o casamento homoafetivo, ou seja, a união entre duas pessoas do mesmo sexo e o faço, declinando os motivos pelos quais louvo a medida que já um tanto quanto tarde, autoriza os cartórios brasileiros efetivarem o processo matrimonial, assim como, recomenda aos juízes de direito da nossa nação, celebrarem, consumarem o ato solene, jurídico e perfeito, como sendo:

Aqueles que invocam a Bíblia, desconhecem que ela deve ser lida de forma contextual, histórica, em cada momento dos acontecimentos da narrativa e segundo os costumes do povo daquela época. Ignoram também que Deus nunca escreveu a Bíblia, ela começou a ser escrita no Reinado de Salomão, o qual, de forma tardia mas inteligente, sentiu a necessidade de escrever a história do seu povo, uma vez que Israel era o País mais atrasado da região e não tinha uma história escrita, e determinou que esta fosse efetivada, relatando e anotando todos os pormenores  do seu povo, a exemplo dos ditados (livro dos provérbios), os hinos cantados nas festas da páscoa (salmos), a corte do homem à mulher amada (cântico dos cânticos) os recenseamentos (números), a nova lei (deuteronômios), o retorno dos israelitas exilados no Egito (êxodo), de forma, que naqueles tempos, é óbvio que um povo agudamente machista, e não todo o povo, apenas em os levitas, entendesse que o homossexual fosse uma pessoa menor, contudo, Deus nunca fez isto, ele ama a todos, já que não é vingativo, discriminador e muito menos preconceituoso;

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Aos que defendem a Constituição Federal e as leis ordinárias (Código Civil), justifico que as leis são construções da sociedade e elas na maioria das vezes veem de forma refratária, já que a dialética, a dinâmica de uma sociedade sempre em mudanças, requer que algo já consolidado, aceito, tido como existente e imodificável numa sociedade, seja consolidado por uma norma gerada em processo legislativo próprio e mais, os princípios gerais do direito, valem mais do que leis e atentais para os princípios social, humanitário, da igualdade, da proporcionalidade, da equidade, da razoabilidade que regem o nosso ordenamento jurídico, de forma que quem se amarra em leis que urgem mudanças em detrimento dos avanços do povo, dos grupos, da comuna e da Urbe et Orbe (cidade e mundo), ficou perdido em algum lugar remoto do tempo e com seus prejulgamentos disformes, rançosos e arcaicos, não podem impedir que o outro seja feliz, independentemente do culto que professe ou da opção sexual adotada ou será que vocês não entenderam ainda, que “os lírios não nascem das leis”;

O instituto do casamento de papel passado, é resultado de um estado de dominação e de sujeição, onde a superestrutura (realeza, sacerdotes e funcionários públicos) da pólis (cidade pequena cercada de muros altos), precisava sugar da infraestrutura (o povo, que vivia fora da pólis), meios econômicos para atender as orgias e comilanças palacianas, chegando ao clímax que até para casar o súdito necessitava de autorização e teria que pagar, senão como os clérigos defensores dos senhores feudais opressores e proprietários da gente, iriam se esbaldar na comilança e nas boas moradias? Senão com a cobrança dos “sacramentos sagrados”, dentre eles o casamento?

Você amigo, já pensou o absurdo de se comprar um papel dizendo que ali é o atestado do seu casamento? Você já refletiu que os cartórios em todas as cidades deste Brasil  caíram nas mãos dos filhos da nobreza, dos descendentes dos que habitavam a pólis? Poxa (queria dizer algo mais pesado), imagine: Você amar alguém e ter que pagar para que tal amor seja legitimado? E você, em nome da sua ignorância, enriquece pessoas que descendestes do feudo e do latifúndio desalmado vende papel? E aí puritano míope, vaidoso, perverso para com o outro, de verdade, já pensou nisto?

E ainda, defendo a adoção plena por parte desses casais, com concessão de licença maternidade e paternidade, para que possam dispensar o melhor aos novos membros da família, e aos que perguntam quem é a mãe e o pai, respondo: na construção de um ser humano o que vale é o amor, a doação, o devotamento ao outro, pois até o instinto de mãe é discutível, já que se tal instinto existisse, nunca uma mãe abandonaria um filho no lixo, o mataria no momento do parto e o colocaria para traficar, roubar e matar.

Ora senhores, se você acredita em algo superior a você, que essa entidade superior leve o nome de Deus ou outra denominação, faça o que ela manda: aceite, acolha o outro como o outro é. Respeite as diferenças, a diversidade é algo  divino, imagine se todos fôssemos iguais, a beleza da vida e do mundo reside justamente aí, na dissemelhança. Veja em cada um, um ser humano e o valorize pelo seu caráter, pelo que produz em prol do outro e da humanidade e se você é um cristão como eu, siga a frase de Jesus: “Estranhar as diferenças, é abrir-se para os preconceitos”.

 

 

Marinho Mendes – promotor de justiça

Promotor Marinho Mendes chama desembargador de “fora da lei irresponsável”

marinhoEm meio a denúncias de favorecimento a marginais do Rio de Janeiro através de liminar expedida pelo desembargador Ciro Darlan, que teria mandado soltar condenados pela Justiça do Rio, o promotor Marinho Mendes Machado disse em sua conta no facebook que o magistrado envergonha o judiciário brasileiro e cobrou atitude do Conselho Nacional de Justiça

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Leia a íntegra da postagem

 

“Pessoas como o Desembargador Siro Darlan são indignos de integrarem o Judiciário Brasileiro. Um fora da lei irresponsável. Vc é uma vergonha para nós que sonhamos com um ideal. O ideal de que um dia haverá justiça. Esperamos que o CNJ afaste esse apologista do crime e de criminosos. Creio que se tivessem invadido a casa dele ou da mãe dessa excelência, ele não daria nenhuma liminar. Liminar, palavra feia em nosso sistema, quantas já beneficiaram foras da lei e foram doadas com desdém e falta de pudor por alguém que de forma ignominiosa veste, mancha, suja e envergonha a toga.. FALE CNJJJJJJJJJJ”.

 

 

portal25horas

Promotor Marinho Mendes destaca operação do MP de fiscalização a motos “cinquentinhas” em Bayeux

 

Foto: Ariofox / Bayeux em Foco
Foto: Ariofox / Bayeux em Foco

Na noite do sábado (23) o Ministério Público em Bayeux, através do promotor de Justiça Marinho Mendes, iniciou uma operação de fiscalização as motos “cinquentinhas”. Numa ação conjunta com polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Conselho Tutelar e outros órgãos cerca de 60 motos foram apreendidas ontem na Praça 6 de junho.

Os órgãos de segurança vão intensificar as operações policiais para retirar das ruas os motociclos de 50 cilindradas que não estiverem de acordo com a nova regulamentação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Nosso objetivo é moralizar a utilização dessas motocicletas cinquentinhas por parte de menores. O povo de Bayeux pede essa fiscalização”, comentou o promotor em entrevista ao Bayeux em Foco.

Acompanhe a entrevista.

Bayeux em Foco

Promotor Marinho escreve carta a consulado brasileiro e implora traslado do corpo de alpinista

marinhoSrs. Em razão do Consul Brasileiro em Mendoza se encontrar colocando dificuldades para trasladar o corpo de JOSENILDO CORREIRA DA SILVA, peço a união de todos, para se irmanar numa corrente, visando convencer o governo brasileiro a trasladar o cadáver para Guarabira, uma vez que a família não dispõe de nenhum recurso financeiro para, sendo os valores altíssimos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ilustrado Consul

Pelo presente, tenho a grata satisfação de dirigir-me à honrosa presença dessa ilustrada autoridade diplomática, para, na qualidade de Promotor de Justiça, Estado da Paraíba e Conselheiro Estadual dos Direitos Humanos, em nome do referido Conselho, solicitar desse Venerável Consul, que envide todos os esforços para trasladar o cadáver do brasileiro e paraibano JOSENILDO CORREIA DA SILVA, desaparecido no Monte Acôncagua, aí na Argentina, em data de 06 de março de 2013 e encontrado co vida expirada no dia 19 do mesmo mês e ano.

O pedido é feito em nome da família paupérrima, sem nenhuma condição financeira de pagar o traslado do ente querido, enquanto uma cidade consternada chora e inicia uma campanha de doações para trazer seu conterrâneo, para que seja inumado no seu sublime torrão, um direito legítimo previsto na Constituição Federal.

No entanto, amando como amamos o nosso País, entendemos ser injustiça ignominiosa o Brasil não trazer o seu filho para ser enterrado em sua terra natal, tudo em nome da dignidade da pessoa humana, dos valores religiosos, morais, tradicionais e sociais que informam a cultura do nosso sofrido povo.

Estamos entrando em contato com a bancada federal da Paraíba e a imprensa brasileira, para que o Brasil proteja de forma verdadeira e concreta os seus cidadãos, seja em qualquer lugar do globo, e em quaisquer condições e situações.

A presente súplica reflete a angústia familiar e de toda uma cidade encravada no interior paraibano, que transtornada com a tragédia, só pede uma coisa a esse consulado e por extensão ao Governo Brasileiro: Traga o corpo do nosso conterrâneo para ser enterrado no campo santo da cidade por quem ele cultivava o mais sublime telurismo, paixão, amor.

É só isto que rogamos, Sapientíssimo Sr. Consul, na certeza de que a realização de tal ato, aos olhos de qualquer ser humano, só causará um sensação, a de que aqui se fez a mais racional proteção aos desamparados e desvalidos.

Com cópia para o Ministério das Relações Exteriores e Bancada Federal da Paraíba.

 

 

por Michele Marques

Projeto idealizado pelo promotor Marinho Mendes concorrerá ao prêmio Innovare

 

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) vai concorrer ao IX Prêmio Innovare com o projeto “Fundo de Cela”. O promotor de justiça, Marinho Mendes, inscreveu o projeto que é desenvolvido na Cadeia Pública de Jacaraú. O Innovare valoriza projetos e pesquisas voltados para a modernização da Justiça Brasileira.

 

“Estamos com uma boa expectativa, pois esse projeto trabalha a construção da cidadania, contribuindo para a ressocialização dos detentos por meio de novos valores”, destacou o promotor, frisando que o “Fundo de Cela” é realizado em parceria com o diretor da cadeia, José Adriano, com artistas da localidade e com a comunidade.

 

Marinho Mendes ainda acrescentou que outro projeto, o “Fundo de Sala”, atua de forma complementar ao “Fundo de Cela”: “por ele, levamos conceitos referentes à educação ambiental por meio da cultura popular para os estudantes da cidade e os familiares dos detentos. É muito importante porque a partir disso, os filhos não aceitarão condutas equivocadas por parte dos pais”.

 

Em 2008 outro projeto desenvolvido pelo promotor na cidade de Guarabira, “Atendimento ao público com arte popular”, foi finalista do prêmio Innovare.


“Fundo de Cela”

 

O projeto foi implantado na Cadeia Pública de Jacaraú, em dezembro de 2011. Através dele, os apenados participam de debates feitos pelo promotor de Justiça sobre os direitos previstos na Lei de Execução Penal (LEP), ouvem música popular, poesia e produzem textos, que são anexados em seus processos de execução para auxiliar na concessão de benefícios. Trinta e cinco apenados estão participando.

 

O objetivo do “Fundo de Cela”, segundo o promotor Marinho Mendes, é levar a experiência às unidades penitenciárias de todo o Estado. Inclusive, o projeto já foi apresentado apresentado na Cadeia Pública de Mamanguape, aos detentos, representantes da sociedade civil organizada, ao juiz e a ao promotor de Execução Penal da cidade que fica a 48 quilômetros da Capital, no mês passado.

 

Ainda este mês, a iniciativa será apresentada em Guarabira e Sapé.

 

De acordo com o promotor de Justiça, além de colaborar para a ressocialização, o projeto tem garantido a disciplina e o bom comportamento dos apenados na unidade prisional. Foi criado um gabinete da promotoria dentro da cadeia e, às quintas-feiras, ele se reúne com os apenados no pátio do local para analisar os processos de cinco presos.

 

 

 

 

 

 

Ascom do MPPB, com fotos de Lenilson Balla

Focando a Notícia